QUANDO É QUE NOSSO CORAÇÃO VAI PARA LONGE DE DEUS?
"Por isso o Senhor disse: Pois que este povo se aproxima de mim e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas tem afastado para longe de mim o seu coração e o seu temor para comigo consiste em mandamentos de homens, aprendidos de cor", Is.29:13

Ninguém que traz seu coração longe de Deus, diz e afirma que está longe das fontes da Vida. Tal como o pecador nunca diz que é pecaminoso e como o mentiroso afirma que fala a verdade, assim faz quem se encontra longe de Deus: nunca se reconhece como uma aberração da natureza, uma simples monstruosidade da criação! Lemos que “Todo caminho do homem é recto aos seus próprios olhos”; e, “Todos os caminhos do homem são limpos aos seus olhos”, Prov.21:2;16:2.

Vamos então pesar nossos próprios corações como o Senhor o faria, a ver se não existe algo de errado em nós mesmos. “Sonda-me ó Deus e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho perverso e guia-me pelo caminho eterno”, Sal 139:23-24. O medo de reconhecer que estamos errados traz-nos temor da perdição – mas como iremos corrigir sem reconhecer? Reconhecer que estamos errados quando estamos, deveria trazer-nos rasgos de esperança se olhássemos melhor para Cristo, para aquilo que Ele consegue dentro de nós. E se preferirmos, optarmos ou escolhermos não nos assustarmos e perdermos a nossa vida no final por essa razão, por termos medo de encarar a realidade? O que tem de ser feito, que se faça agora e já, o que é verdade que se veja já antes que seja tarde e o que dói, que doa agora.

O homem vai ter de preferir disciplinar-se quando quiser viver para Deus, pois para assegurar certos caminhos de Deus tem de estar apto a encontrá-los no devido tempo e nas devidas condições. Sabemos como o maná no deserto apodrecia no dia seguinte, caso não fosse achado, ou fosse achado e não comido no próprio dia. Mas a disciplina em si não salva ninguém - apenas ajuda a salvar. Assim, todas as pessoas que desejam o bem a chegar-lhes das próprias mãos de Deus, logo acham que se conseguirem levantarem-se cedo, dormir apenas o suficiente, comer a tempo e horas, estão dentro dos caminhos de Deus. Mas, se o seu alvo é este, se tudo isto é a finalidade e não o meio, se levantar cedo é o alvo a atingir para fugir da preguiça e não forma de se buscar e achar Deus enquanto pode ser achado, como podem alcançar Deus nos caminhos de Deus? Sabemos que a disciplina de nada serve se não nos trouxer o claro benefício das descobertas que dela podemos usufruir - o Próprio. O que temos de alcançar são os caminhos de Deus em Deus. Esses, descobrimos e desvendamos quando comungamos com Deus. Depois de os descobrir e desvendar, se obtivermos o poder de ser feitos filhos de Deus – conformes à imagem de Cristo – logo atingimos nosso objectivo andando nesses mesmos caminhos. E ninguém terá como alcançar tudo isso sem estar em Deus com Deus: Ele é o Caminho. Por consequência, nosso alvo final nunca é levantar cedo, comer bem e a horas para evitar o cansaço interior ou mesmo físico, mas sim conseguir atingir um andar perfeito, mas em Deus por Ele, pois, por norma o homem tem a tendência de efectuar tudo para ele próprio. Para acharmos Deus temos,  antes de tudo, de conseguir buscar Deus; depois, conseguir achar Deus sabendo que apenas os limpos de coração O verão; e depois de achar Deus, conseguir andar no Espírito em caminhos que antes usávamos para a carne com hábitos carnais dos quais usufruíamos e não podemos mais fazê-lo. ("Não fareis conforme tudo o que hoje fazemos aqui, cada qual tudo o que bem lhe parece aos olhos", Deut.12:8). Existem estes três erros flagrantes: o não se buscar Deus; o nunca se achar Deus quando se busca, por razões óbvias; e, assim que o encontrarmos, prosseguir depois na carne e à nossa maneira antiga agora que havemos alcançado aquilo que queríamos! O perigo de descansarmos depois de acharmos aquilo que tanto buscámos, existe e é real.

Sabemos que um pecador tudo fará para ter Deus como seu companheiro de bênção. Qual é o assassino que nunca gostaria de pensar que faz as suas coisas por Deus? Nunca é de admirar que, assim que um pecador se abstenha do pecado para achar Deus (aquele que diz que nunca mais abandonará ninguém), que assim que o tenha achado, volte aos seus caminhos de antigamente, sobrecarregando Deus com os seus pesos. Mas Ele diz que "(...) Não posso suportar a iniquidade" Is.1:13.

Muito erram aqueles que se alegram porque conseguiram levantar-se cedo para ler a Bíblia, mas não sabem que o alvo é entendê-la, vivê-la e que depois de entendê-la ainda devem continuar e persistir a desvendar o Deus que essa leitura muitas vezes esconde deles. Muitos morrem pensando que alcançaram seu objectivo final vencendo a preguiça! Muito erram aqueles, também, que conseguiram entender a Bíblia nesse tempo usado e nem sequer se entretêm com a leve ideia de que levantar-se a tempo e horas deveria servir, ter como seu objectivo finalíssimo, seu maná vindo dos Céus: Cristo em pessoa num andar diário! Quando você colhe trigo, alimenta-se da palha?Quando já entende a Bíblia, acha-se pleno e completamente satisfeito? Que pena que se contente com pouco!

Estas pessoas não estão erradas, pois será caso para lhes dizer que, "Ai de vós, (...) tendes omitido o que há de mais importante na lei; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas", Mat.23:23. Ninguém ainda está minimamente assegurado vencendo alguns obstáculos, pois lemos que foi Jesus quem lhes mandou este recado: “O servo que soube a vontade do seu senhor e não se aprontou nem fez conforme a sua vontade, será castigado com muitos açoites”, Lucas 12:47. Por essa razão muitos se congratulam mexendo com o conhecimento das coisas, chegando a saber qual é ou era a vontade de Deus. Os Fariseus não faziam o mesmo? Não foram rejeitados? E nós teremos de excedê-los em todos os aspectos.

Estas são as pessoas de quem Deus se queixa continuamente, dizendo: “Todavia me procuram cada dia, tomam prazer em saber os meus caminhos; como se fossem um povo que praticasse a justiça e não tivesse abandonado a ordenança do seu Deus, pedem-me juízos rectos, têm prazer em se chegar a Deus!” Is.58:2-3. Lemos aqui palavras acertadas da parte de Deus. O segredo está em poder praticar através dum coração puro e forte em Deus. Mesmo depois de encontrar Deus ainda ouviremos Sua voz clamando, "Levanta-te, resplandece, porque é chegada a tua luz e é nascida sobre ti a glória do Senhor", ou ainda, "Levanta-te! Por que estás assim prostrado com o rosto em terra?" Is.60:1, Josué 7:10 Mas se Deus já é Emanuel, logo devemos nos aprontar. "Sacode-te do pó, levanta-te e assenta-te, ó Jerusalém", Is.52:2. Atingir o ponto de aprendermos porque vencemos certos obstáculos para depois não vivermos conforme aprendemos, seria o mesmo que alguém se esforçar para se levantar cedo i terminar com êxito um curso universitário para, depois de terminá-lo, ir para casa descansar porque terminou e não ir trabalhar na área em que se formou.

Vemos então que, encaixar tempo no nosso dia para Deus, não basta; mesmo depois de se conseguir esse tempo, caso consigamos ser iluminados durante o mesmo, não basta também; sermos iluminados e guiados não é sinónimo de que Deus está connosco, mas sim de que quer estar e arranjar maneira de estar connosco – ainda! Ele não quer só arranjar um coração onde possa vir habitar apenas para sempre – ainda! Isso é a vida eterna, conhecer Deus assim, dessa forma. Foi assim que Abraão O conheceu, como conheceu Sara e ela concebeu Isaac. Conhecendo Deus, conceberemos também muito fruto inatingível de outra forma. É deste conhecer que Bíblia fala, quando diz “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, como o único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo, Aquele que tu enviaste”, João 17:3. Não existe nenhuma vida, ou vida eterna, para além desta.

As pessoas que se alegram quando conseguem um “feito” simples como o de se levantarem cedo – não é que se devam entristecer com essa ocorrência, de modo algum – por norma param por ali, pensando que seu dever está cumprido ou mesmo depois de haverem lido e entendido toda a Bíblia. Todos sabem que Cristo disse: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor, entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. (22) Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demónios? E em teu nome não fizemos muitos milagres? (23) Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade. (24) Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática, será comparado a um homem prudente, que edificou a casa sobre a rocha. (25) E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos e bateram com ímpeto contra aquela casa; contudo não caiu, porque estava fundada sobre a rocha. (26) Mas todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as põe em prática, será comparado a um homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia. (27) E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos e bateram com ímpeto contra aquela casa, e ela caiu; e grande foi a sua queda”, Mat.7:21-27. Não queira, pois ser insensato, pois para ter como praticar o que é de Deus, tem de estar e depois permanecer em Cristo.

Será, então e a partir dali, que se nunca derem ouvidos às suas consciências que frequentam as igrejas ainda mais assiduamente até, cantam mais e melhor, falam mais e melhor, pregam bem e estudam mais que muitos outros só que enxergam cada vez menos. Mas de nada lhes vale tal feito, pois em suas vidas negam aquilo que é vida em sua essência, na sua forma mais pura e mais doce. Deixam de ser ágeis e simples como as crianças e pombas, pois dão dízimos e exortam a que seja feito o mesmo por muita gente. A partir daí, suas vidas tornam-se na mais pura das inquisições, pois viram um antro de normas e regras sem as quais as pessoas nunca mais sabem como viver nem como se sentirem bem de consciência futuramente caso nunca as cumpram. Será aqui que se cumpre a palavra: “Pois é preceito sobre preceito, preceito sobre preceito; regra sobre regra, regra sobre regra; um pouco aqui, um pouco ali. (11) Na verdade por lábios estranhos e por outra língua falará a este povo; (12) ao qual disse: Este é o descanso, dai descanso ao cansado; e este é o refrigério; mas não quiseram ouvir. (13) Assim pois a palavra do Senhor lhes será preceito sobre preceito, preceito sobre preceito; regra sobre regra, regra sobre regra; um pouco aqui, um pouco ali; para que vão, caiam para trás e fiquem quebrantados, enlaçados e presos”, Is.28:10-13.

Caso consigamos parar com a preguiça, com o medo de estar um leão lá fora (Prov.26:13) deixando de nos revolver na cama para nos empobrecermos espiritualmente, caso deixemos de ser sábios a nossos próprios olhos, (“Mais sábio é o preguiçoso a seus olhos do que sete homens que sabem responder bem”, Prov.26:14,16), caso consigamos tal feito e feitio, logo poderemos começar a pensar que se começarmos a ser gente normal, podemos ser ainda levados a uma vida interior absoluta: mas ser-se normalizado, nunca será a tal vida absoluta ainda - conhecer Cristo apenas como Ele realmente é, é a tal vida eterna e constante. Conforme Paulo diz em Timóteo, "a Vida que agora é". Ámen.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com