É POSSÍVEL UM CRENTE FIRME SER HIPÓCRITA?
"Guardai-vos de fazer as vossas boas obras diante dos homens, para serdes vistos por eles; de outra sorte não tereis recompensa junto de vosso Pai, que está nos céus?", Mat.6:1

O diabo é um tentador qualificado. Um crente que acaba de limpar o seu passado, apagando da sua memória todos os seus pecados pela confissão dos mesmos individualmente, é filho de Deus inexperiente. Se juntarmos num mesmo terreno o filho de Deus inexperiente e um tentador qualificado, teremos muito para ver ainda. Do mesmo modo que é e foi para Deus uma honra tirar alguém das trevas, será um prazer para o diabo reverter essa mesma situação. Ele alegra-se em poder roubar e matar, principalmente se for de Deus. Depois, temos dois problemas muito sérios: qualquer crente que se limpa de verdade (não falo aqui de descrentes!) pensa, pela calmaria de consciência que sente que sabe tudo, pode tudo e que faz tudo.

Sabemos, também, que Deus prometeu que "como pastor Ele apascentará o Seu rebanho; entre os Seus braços recolherá os cordeirinhos e os levará no Seu regaço; as que amamentam, Ele as guiará mansamente", Is.40:11. Mas também sabemos das palavras do Senhor Jesus, pelas quais vemos que é muito possível que estes cordeirinhos que se amamentam ainda, caiam, pois lemos o aviso cortante de Sua boca: "Mas qualquer que fizer tropeçar um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma pedra de moinho e fosse lançado na profundeza do mar", Mat.18:6. Por isto deduzimos que todos os pequeninos correm um grande perigo de queda continuamente, sabendo que "não é da vontade de vosso Pai que está nos céus, que venha a perecer um só destes pequeninos", Mat.18:14. O outro problema é que o diabo passa por despercebido, sabendo de antemão que a presunção é o pecado principal de todo o cordeirinho. Podendo e sabendo ser um lobo manhoso e escondido nas suas artimanhas, logo pode deixar um cordeirinho saltar e pular entre a manada e assim atraí-lo com astúcia para um pecado que ainda não é natural no hábito do crente recém-nascido. E como o diabo tem muito por onde escolher para provocar uma queda, desde o tempo de comunhão com Deus do crente; ou através da alegria dum bom dia vivido em plenitude que quase sempre faz esquecer a preparação para o próximo dia e passo; através daquela arrogância "alegre", ou pela tristeza porque Deus não dá tudo aquilo que um recém-nascido deseja – tal qual criança que quer comer de tudo aquilo que não presta fora de horas; ou pelo desleixe e preguiça, pensando que existe diferença entre pecados (pensa que certos pecados como adultério é que serão graves e que outros podem ser tratados como peluches) e assim por diante. Na verdade, o diabo tem muito por onde escolher, pois nem sempre o crente acha que todos os pecados são iguais para Deus e que se irão reflectir de igual modo em sua comunhão no Espírito com Jesus ou com as pessoas.

Assim, juntamos alguém inexperiente e presumido, perto de alguém manhoso, escondido e disfarçado de Carneiro, liderando por vezes um rebanho que pode destruir e levar à ruína. Muitos rebanhos são liderados pelo próprio inimigo de suas almas. Esta é a pior combinação de todas, sabendo nós que não haverá alternativa. Existem conselhos, os quais com mais ou menos veemência, sob carinho, podemos transmitir pela verdade dos factos a um qualquer recém-nascido. Se esse cordeirinho vê sinais em quem confia, logo crê melhor e ouve melhor, teme e obedece. Mais bem aventurados são aqueles que crêem obedecendo (nunca há fé sem obediência pontual) sem ser pelos sinais, mesmo havendo-os e vendo-os.

Será a partir daqui que se podem fornecer muitos bons conselhos práticos a jovens na verdadeira fé, independentemente se já vivem dentro da igreja e sejam bons conhecedores de toda a Bíblia e também das suas verdades. Não será por isso que deixam de ser cordeiros inexperientes com mais formas de poder progredir para bem ou para mal deles próprios. Um dos mais frequentes é que nosso trabalho, nossos hábitos é que fazem resplandecer nossa Luz. Logo, as pessoas começam a trabalhar para brilhar sem se darem conta que devem trabalhar bem porque é coerente que se trabalhe bem e melhor por causa da vida em nós instalada, por Jesus e não para brilhar diante de alguém. Ora, trabalhamos bem porque isso agrada a Deus e não porque queremos mostrar que Lhe agrada. Nosso emprego é uma responsabilidade, a conduta do nosso lar e tudo mais que nos envolve no dia-a-dia. Cumprir, tem como agradar a Deus e atrai a Sua bênção sempre sobre nosso labor por Ele. O brilhar em tudo aquilo que fazemos, aliado àquela bênção que não se vê mas se sente sempre no ar, é sempre uma mera consequência e nunca um alvo a atingir – nunca podemos confundir e baralhar estas coisas, sob pena daquela bênção de Deus ser recolhida às suas origens e nos vir a faltar, fazendo-nos recuar sempre que avançamos. Daí lermos que "e caiam para trás e fiquem quebrantados, enlaçados e presos", Is.28:13.

Quando fazemos aquelas coisas que nos são responsabilidade apenas com o intuito de brilhar, seremos considerados hipócritas. Caso recebamos o galardão da aprovação, logo já havemos recebido nossa recompensa, mas não de Deus. Já há uma recompensa. Por essa razão lemos que, "de outra sorte não tereis recompensa junto de vosso Pai, que está nos céus", pois já recebemos a recompensa por haver empreendido algo – o motivo determina de quem receberemos, se de Deus se do homem. Quando brilhamos porque somos filhos à imagem de nosso Deus, responsáveis por natureza, cumpridores em esforço interior que se note para Deus, devemos saber porque trabalhamos assim; será porque nosso Deus tem um olho sobre nós? Porque as pessoas têm um sobrolho comprimido para verem nossa obra e achar erro nela porque não gostam de nós, ou algo de bom porque gostam de nós? Ou será, como Daniel, porque seu coração está virado para Jerusalém, não se importunando com quem vigia aquilo que faz para o terem como lançar na cova dos leões? Fazemos as coisas porque fazemos assim por natureza, por nova natureza, ou porque achamos que queremos e devemos brilhar? Vê, pensava que os Fariseus eram os hipócritas da casa! Porque disse o Senhor aos Seus discípulos, "Guardai-vos de fazer as vossas boas obras diante dos homens, para serdes vistos por eles; de outra sorte não tereis recompensa junto de vosso Pai, que está nos céus"? Mat.6:1. É possível um crente firme ser tentado pela hipocrisia, sem se dar conta? E dando-se conta também? Se não fosse, Jesus não haveria dito para eles: "Guardai-vos"! Amem.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com