RELAÇÃO ENTRE O ESFORÇO E O BOM ÂNIMO
"Esforça-te e tem bom ânimo, porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria. Tão-somente esforça-te e tem muito bom ânimo. Não se aparte da tua boca o livro desta lei e serás bem sucedido", Josué 1:6

Existe uma terra prometida diante de todo o crente. Temos de ter em linha de conta que esta terra não é como o Egipto, nem como Sodoma, onde tudo é verdejante e jaz no leito dum rio. Deus deu-nos uma terra árida para cultivarmos nela. Como se pode cultivar uma área assim, poderemos nós ainda perguntar? Por norma, as terras áridas e desertas estão minadas de sementes sem germinar deixadas por lá durante anos. Existe um deserto assim, em África, o deserto do Namibe, onde, quando chove, nascem milhares de espécies de flores das mais lindas do mundo. Crê-se mesmo que pouco mais de sessenta por cento de todas as plantas de jardim provêm desta zona do globo. É de encantar, aquela vista deslumbrante que se desenrola por centenas de quilómetros, com todas as cores possíveis misturadas sempre que chove por ali. As plantas morrem de seguida e deixam lá as suas sementes à espera de novas chuvas que por vezes demoram anos a chegar.

Assim, temos de cultivar este jardim em promessa, do qual Deus nos falou dizendo: "mas dos céus recebe esta terra as suas chuvas", "e esta terra não é como o Egipto". Que jardim este: Um deserto! "Desde o deserto e este Líbano, até o grande rio, o rio Eufrates, toda a terra dos heteus e até o grande mar para o poente do sol, será o vosso termo", Josué1:4. Sabemos que Israel, por desobediência e amor às mulheres estranhas dos seres pecaminosos que por ali viviam, nunca até hoje, cumpriram este mandamento da parte de Deus. Todo o território de Israel estender-se-ia desde o Iraque até ao mar. Agora esta terra está, na sua maioria, entregue nas mãos da descendência de Ismael.

É assim na vida dos crentes actuais também: conquistam e exterminam o território do adultério e da mentira em suas vidas, mas deixam com vida a preguiça e desleixe e os desencontros com Deus; matam o palavrão e deixam seus lábios ainda impuros sem falar a verdade, sem aquela unção que nos faz saber como somos filhos de Deus – por isso necessitam de quem os convença que o são; por essa razão está um vasto território ainda apor desbravar sob a ira pestanejante de Deus e ninguém leva a sério aquilo que Deus disse. Foi como os apóstolos, aos quais Jesus disse "ide por todo o mundo" e não fosse aquela grande perseguição que começou em Estêvão e o lençol que Pedro viu descer dos céus, ninguém sairia do quentinho de Jerusalém e de Israel!

Como está você a cumprir os mandamentos de Cristo, caro Cristão? Aceitou Cristo, conforme doutrina de sua igreja – uma doutrina readaptada sem base formal nas Escrituras da forma como esta é levada a cabo em todas as igrejas evangélicas de hoje. Mas, já que assim é, que é feito da promessa de vida em abundância que Deus fez? Parou pelo Jordão? E a terra que está para traz, a qual também terá necessariamente de desbravar pela confissão? E a que está ainda diante de si, pela conquista? Como se está saindo com TODO esse mandamento?

É de entender algo estranho a nossos olhos: Deus diz que "TU farás a este povo herdar a terra que EU jurei a seus pais lhes daria". Deus jurou e somos nós que cumprimos o Seu juramento por Ele! Logo, se este povo não herdar esta terra, depois de nela entrar até, Deus não consegue cumprir todas as Suas promessas e haverá apenas um culpado quanto a isso: quem Deus chamou para cumprir tal tarefa árdua, seja uma pessoa ou sejam mil pessoas.

Mas este mandamento, este suposto mandamento é também uma promessa excelente! Deus nunca vacila em afirmar "tu farás", porque "Eu estou contigo". Note-se a semelhança de palavras com as que Cristo usou em Mat.28:20 "e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos". Parece até ser o mesmo mandamento, o mesmo pensamento. Logo, haverá uma mesma tarefa, se levarmos em linha de conta que estas coisas tinham "a sombra dos bens futuros e não a imagem exacta das coisas", Heb.10:1. "E outra vez, neste lugar: Não entrarão no meu descanso. Porque, se Josué lhes houvesse dado descanso, não teria falado depois disso de outro dia. Portanto resta ainda um descanso para o povo de Deus", Heb.4:5,8,9. Este povo de Israel cessou das suas obras antes de haverem entrado naquele descanso, onde o pecado não mais iria impor seus ritmos e seus pareceres. Desejavam a terra, não o descanso dos Céus nela. Primeiro, há que entrar no descanso e não apenas de consciência, mas acima de tudo da tentação neste mundo onde o pecado nunca morre e onde obtemos descanso tal que nem somos tentados por ele mais. Entrando neste descanso, finalmente, podemos cessar das nossas obras duras de resistir o mal.

Se por acaso "entrarmos" nesse descanso sem haver terminado nossas obras, sem haver conquistado toda a terra, desde o Líbano que ficou para traz, até ao mar para além do verdejante Jordão, esse descanso é-nos dado como ilusão pelo diabo, deixando este de tentar para que nos sintamos bem mas como que iludidos sem haver terminado nossas obras todas. Que diz Paulo? Veja como fala, deixando-nos seu exemplo: "Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé", 2Tim 4:7. Deus primeiro terminou Suas Obras, depois descansou. Por isso lemos que "Pois aquele que entrou no descanso de Deus, esse também descansou de suas obras, assim como Deus das Suas", Heb.4:10. E você? Está a descansar antes do tempo? Ou esta a descansar de suas obras como Deus descansou delas, depois de as haver terminado todas com perfeição?

Existe uma conquista determinada de antemão, a qual não podemos falhar, vacilando para termos como fazer nossas casas nos vales do Jordão. Há quem vacile apenas porque não quer continuar, como há quem vacile por medo, por falta de entendimento ou por preguiça. Existe uma pequena coisa apenas como condição primordial para conseguirmos tudo isto. Deus diz "Tão-somente esforça-te e tem muito bom ânimo". Ele nunca diz "esforça-te" apenas; também não diz, "tem bom ânimo", apenas. Um bom ânimo sem um esforço sobrenatural em Espírito e em toda a Verdade (que seja real e verdadeiro!), de nada nos vale; um grande esforço sem aquela alegria de havermos conseguido negar a tudo aquilo que antes nos traria alegria, é uma afronta e uma aberração no caminho para Deus e para Seu descanso. Se saímos do mundo e nos entristecemos porque Deus não nos provê dele, logo nosso esforço nos será sempre inútil. "Alegra-te no Senhor" e sempre sabemos que "no Senhor" quer dizer longe do Egipto e de todos os seus anseios. Quem não consegue alegrar-se no Senhor, ainda ama o mundo mesmo sem estar vivendo dele. Para pecar, basta tão só estar no Senhor, mas muito tristinho por lá! Ou então alegrar-se na Terra do pecado.

É esta a relação associada, aquela perfeita sociedade integrada na santidade, BOM ânimo e esforço certo em tudo aquilo que nos tira toda a alegria mundana que antes nos dava a razão de viver. Este esforço tira-nos daquela alegria que gere o pecado. Há que tê-lo então e isto sem qualquer fingimento pretensioso; "a Minha paz (alegria) vos dou, não como o mundo a dá", afirmou o próprio Criador de todo este universo. Este ânimo há que ser tido como BOM diante de Deus e mau diante dos homens. Mas Jesus disse que "Assim também alegrar-se-á o vosso coração e a vossa alegria ninguém vo-la tirará", João 16:22. Como ninguém pode arruinar esta alegria, a qual gere nosso esforço santificado em Cristo; e porque todo o outro tipo de possível alegria desvanece sempre fora de Cristo, logo o mundo terá inveja daquela alegria, a qual vê em nós, misturando-se em seus sentimentos de ciúme e inveja, (se esta existe de facto e nunca for fingida e pretensiosa apenas). Mas não a chegam a desejar como única prática de suas vidas pessoalmente, pois é sempre uma alegria fora dos seus muitos anseios. Se conseguissem ser alegres de nosso jeito e ao mesmo tempo manter seu mundo corrompido, logo essa lhes seria a combinação ideal.

Vemos então que a única pré-condição para que nada nos falte daquela promessa de "Todo lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo dei" Josué 1:3, será um Bom ânimo ENQUANTO desterramos tudo aquilo que antes nos traria a alegria de viver. Assim, sabemos que teremos de amar em extremo tudo aquilo que vem de Deus e ainda nos pode ser penoso, como será para um mentiroso falar apenas a verdade de coração e não apenas falar tudo aquilo que pensa ser e quer que seja verdade. Já tentou destituir, destruir seus muitos ídolos morais com alegria? Ou só os destituiu apenas? Então, senhor Josué, a quem Deus chamou para liderar um povo para todas as vitórias e não apenas a uma, duas ou nove das dez que ainda nos restam alcançar, "tenha Bom ânimo e esforce-se", mas nunca por esforço e violência e sim pelo Espírito que Deus ainda dá, para antes de tudo ensinar o seu povo a amar a Deus de todo o seu coração. Deus irá estar consigo também, se cumprir este requisito: "ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado". Olhe bem para estas palavras sabiamente escolhidas por nosso Senhor: Ele não diz, "ensinado todas as coisas", mas sim "ensinando a observar todas as coisas"; de igual modo e por essa razão, devemos também obter meios e formas, poder e astúcia sábia, para levar este rebanho a observar as coisas e não apenas a saber tudo sobre elas, pois assim também diz "TODAS as coisas" e não apenas noventa e nove de cem coisas! De igual modo lemos este mandamento similar dado a Josué: "Não se aparte da tua boca o livro desta lei e serás bem sucedido".

Na verdade, esta terra que partimos para conquistar, além de ser prometida e um mandamento, recebe suas chuvas do alto. Por isso é deserto. No Egipto havia água por todo lado. Aqui ela só cai do alto. Por essa razão os crentes passarão sede se não andarem cumprindo com a Vida dentro de si, se é que Ele está lá mesmo. "Pois a terra na qual estais entrando para a possuirdes não é como a terra do Egipto, de onde saístes, em que semeáveis a vossa semente e a regáveis com o vosso pé, como a uma horta; mas a terra a que estais passando para a possuirdes é terra de montes e de vales; da chuva do céu bebe as águas", Deut.11:10-11. Tenhamos cuidado, pois esta terra que Deus nos dá não recebe suas águas da terra e dos rios deste mundo, não recebe sua fortuna dos bancos e das dádivas, não vive por causa dos aplausos, mas antes recebe de cima tudo aquilo que necessita. Se nos esquecermos desse pequeno pormenor ou nosso ânimo não será do bom, ou não nos esforçaremos como devemos. Ámen.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com