AS PESSOAS USAM MAL SEU TEMPO DE VIDA
"O jugo das minhas transgressões foi atado", Lam.1:14

Os povos pecam, as pessoas lamentam-se muito depois de haverem pecado e tudo parece que continua igual e que a culpa é de Deus, mesmo quando Deus explicou que todo pecado tem seu salário, o qual cobra sempre – nada comove quem parece não querer parar de transgredir a lei dos céus.

Existe um jugo sobre os povos, o qual ainda não foi atado sobre seus pescoços pecaminosos. Por essa razão continuam dizendo: "Como o sabe Deus? E: Há conhecimento no Altíssimo?" Sal.73:11. Mal sabem que lhes está a ser dado tempo de arrependimento, o qual estes usam para se ensoberbecerem ainda mais fabricando perguntas que nem lhes deveriam passar pela cabeça, como se nada diferente do seu dia-a-dia lhes fosse acontecer pecando. Deus está dando tempo para que as pessoas se convençam que suas obras e corações terão de ser transformados - não pense que é para continuar em seu pecado. Os homens usam esse tempo para pensar e se convencerem que Deus não existe e que se ninguém se interpôs em seu caminho até ali… logo podem continuar pecando, ou mesmo melhorando ainda em seus muitos pecados. Existe um jugo sobre eles, de facto, (porque sentem que estão errados e em perigo) o qual ainda não está atado neles. Por estar solto, logo pensam aquilo que não deveriam estar a pensar, isto é, que dominam o jugo que carregam. Mas, quando Deus o atar definitivamente, não haverá volta dessa atadura. Destes Israelitas foi escrito: "Ainda que Noé, Daniel e Jó estivessem no meio dela, vivo eu, diz o Senhor Deus, eles não livrariam nem filho nem filha, tão somente livrariam as suas próprias vidas pela sua justiça", Ez.14:20.

Há que evitar este ponto sem volta, quando o nosso jugo nos for atado assim, quando nem a oração dum justo pode mais em seus efeitos. Só que ninguém saberá quando isso vai acontecer – ou se já aconteceu! Existem os tais, os quais seu pecado não tem volta, aqueles que prosperam pensando que Deus ainda está com eles, prosperam para que não pensem mais em voltar para os caminhos sãos do evangelho: os tais lugares escorregadios dos quais o Sal.73 nos fala. Se um pregador pede dinheiro aos que ouvem a sua mensagem na igreja, quando Jesus disse claramente que "não vos provereis de ouro, nem de prata, nem de cobre, em vossos cintos; nem de alforje para o caminho", Mat.10:9,10, logo sente que a bênção de Deus lhe é retirada se não roubar os dízimos. Mas Deus quer que estes se sintam bem, pensando que Deus está do lado deles para não terem como e porque se arrependerem.

Quanto a Deus, Ele sabe que pode e tem como destruir momentaneamente quem d’Ele escarnece. Porque sabe que a veleidade de todo o homem é vã, sua força inútil, a sua garganta profunda e cheia de palavreado fácil, logo opta por esperar a ver se alguém vê que tem um jugo sobre si, o qual nunca e em circunstancia alguma deveria achar normal. Até mesmo os que são crentes, depois de entrarem numa igreja, acham que andar sob jugos é normal procedimento em toda a terra. Logo, até criam uns quantos mais, inventam umas certas doutrinas as quais os encorajam e motivam nessa conduta, as quais também lhes garantem sempre que nada de mais lhes irá ocorrer desde que se mantenham a ler a Bíblia de forma legalista e preocupante, para que tenham com que se entreter deixando passar o tempo que é vital, durante o qual deveriam estar buscando verdade e vida, algo que os crentes acham aleivosamente que já têm quanto baste; uns se colocam sob o jugo da "circuncisão", (véus nas mulheres, proibições a nível de cortes de cabelo, etc.); outros, nas muitas formas de baptizar, de pregar, de cantar na igreja para que o aplauso a eles seja visto como glórias a Deus.

Se tudo isto fosse útil, nunca levaria as pessoas a desviarem o seu olhar, obscurecido pela doutrina, do jugo que sobre si pesa imensamente – só que ainda por atar. Este era o mal de Israel: cria que era escolhida e que nada de mal lhe ocorreria, isto é, "Porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado e miserável e pobre e cego e nu", Apoc.3:17.

Olhem o que disse Deus duma certa mulher: "e dei-lhe tempo para que se arrependesse; e ela não quer arrepender-se", Apoc.2:21. Enquanto lhe era concedido tempo de arrependimento, ela aproveitava-o para pecar ainda mais, pensando que, porque nada de mais lhe sucedia por causa da prosperidade em seus muitos pecados, logo assumia que podia continuar fazendo tudo aquilo que fazia, dando uma má interpretação a ela própria quanto ao verdadeiro estado das coisas! A misericórdia de Deus em dar tempo a quem nada pode contra Ele, a que se arrependam logo, é antes usada para o pecado. Imagine-se o pecado do homem a quem Deus dá tempo para se arrepender e este é usado ainda para negociar, trabalhar sem descanso e implicar com tudo aquilo que lhe corre mal, vindo isso de Deus ainda! Seu tempo de morte pode até haver sido adiado um pouco, como foi feito com o Rei Ezequias, 2 Reis 20:5. Mas não nota e, em vez de entender e buscar aquela verdade dos factos pela fé, logo usurpa esse tempo para se gloriar e engrandecer no seu pecado ainda mais – sob as narinas fumegantes de toda a ira escondida de Deus!

O pecador usa mal esse tempo que nunca sabe que lhe é emprestado, esquecendo-se ostensivamente que todo o labor sob esta vida à luz da eternidade nada significa. "Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente e comei o que é bom e deleitai-vos com a gordura. Inclinai os vossos ouvidos e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá; porque convosco farei um pacto perpétuo, dando-vos as firmes beneficências prometidas a David", Is.55:2,3.

"Eia agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã iremos a tal cidade, lá passaremos um ano, negociaremos e ganharemos. (14) No entanto, não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois um vapor que aparece por um pouco e logo se desvanece. (15) Em lugar disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo. (16) Mas agora vos jactais das vossas presunções; toda jactância como esta, é maligna. (17) Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado", Tiago 4:13-17. Antes que o jugo de todas as nossas transgressões nos seja atado para sempre, escolhamos fazer como Daniel, de quem nos é dito: "Então me disse: Não temas, Daniel; porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras e por causa das tuas palavras eu vim", Dan.10:12. Vamos humilhar nosso coração antes que o jugo seja atado. Amem.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com