PRESUMINDO SOBRE O DIA DE AMANHÃ "SEM QUERER"
"Não te glories do dia de amanhã; porque não sabes o que produzirá o dia", Prov.27:1

Quando pensamos no dia de amanhã, haverá sempre coisas que nos vêm à cabeça, tanto coisas boas como más. Se o dia de hoje nos correu bem, pensamos bem do dia seguinte presumidamente; se o dia de hoje nos foi agreste – mesmo quando do dia agreste saímos vitoriosos – temos a tendência de pensar no dia a seguir em conformidade com o nosso estado de espírito actual, à luz daquilo que nos vai na alma e que acabamos de passar os ainda estamos passando. Será que a presunção é apenas dizer que Deus vai estar connosco quando não está? E se Deus estiver connosco e presumirmos que nos abandonou porque não suportamos ou não desejamos passar pelas muitas tribulações que nunca poderemos evitar? Existem pessoas que, por conveniência, dizem que Deus não está com eles. Será sempre melhor não falarmos rápido, não pensar rápido, não achar nada de nada rápido demais, nem o que irá produzir o dia de amanhã para nós. É caso para dizer: "Não fale rápido!"

Os namorados fazem chantagem entre eles para conseguirem tudo aquilo que querem conseguir uns dos outros. Dizem palavras como "já não gostas de mim, nunca me ligas" e assim sucessivamente, com a finalidade expressa de extrair comida para a sua dita descrença no dito amor do parceiro. Na verdade, nem estão a falar uma verdade, mas antes a fazer chantagem para conseguirem aquilo que querem. É desta forma, com mais ou menos expressão, com menos ou mais semelhança a ela, que os crentes se exprimem diante de Deus. Será a chantagem forma de mover Deus a nosso favor? Pode a mentira atrair Deus até nós? Toda a chantagem deste tipo é uma mentira a querer passar por verdade.

É assim que presumem do dia de amanhã, pensando que sabem sempre o que este lhes trará. E se Deus, que é dono do nosso dia hoje, resolver trazer-nos mal hoje como forma de desbravar o terreno baldio e agreste de todo o nosso coração para que tenha como abençoar o amanhã com semente ou pelo crescimento de algo? Será que não pode abençoar tirando, quando e como quer apenas? Terá Ele que nos revelar todos os Seus segredos em relação a nós? Não podemos confiar num Ser assim, que já criou todo o mundo, todo o universo sem pedir conselhos a ninguém? É obvio que Ele tem um plano para todos nós, o qual podemos alcançar ou não, pois lemos algo que está eternamente escrito que diz: "Pois eu bem sei os planos que estou projectando para vós, diz o Senhor; planos de paz e não de mal, para vos dar um futuro e uma esperança", Jer.29:11. "Ao qual disse: Este é o descanso, dai descanso ao cansado; e este é o refrigério; mas não quiseram ouvir", Is.28:12.

É frequente quem diz que crê ou descrê, diz crer ou descrer apenas porque o dia não sai conforme pensava que sairia para logo de seguida presumirem que o dia de amanhã será reflexo do que sentem hoje. Se eu quebrar uma perna – será esse um sinal de que Deus me abandonou ou de que amanhã irei quebrar a cabeça? E se Ele entender não me curar para usar essa ocorrência como forma de me levar a um hospital para salvar uma pessoa em fase terminal por lá ao lado da cama onde for colocado? Ou um médico mesmo? Deus não pode salvar enquanto me cura a mim? "Pode uma mulher esquecer-se de seu filho de peito, de maneira que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse, Eu, todavia, não me esquecerei de ti. Eis que nas palmas das minhas mãos eu te gravei; os teus muros estão continuamente diante de mim", Is.49:15,16. "Vinde, e tornemos para o Senhor, porque ele despedaçou e nos sarará; fez a ferida e no-la sarará", Hos.6:1. Se Deus guiou até aqui, porque nos abandonaria na fase mais difícil da nossa etapa: o dia de hoje ou no dia de amanhã? Se nunca nos abandonou quando estávamos bem, porque nos abandonaria agora que estamos mal e nos sentimos mal também? Porque havemos de dizer que Deus nos deixou e entregou ao abandono se ontem esteve connosco revelando e ensinando, dando e oferecendo? É a nossa memória assim tão curta? "Acaso farei Eu abrir a madre e não farei nascer? Diz o Senhor. Acaso eu que faço nascer, fecharei a madre? Diz o teu Deus", Isa 66:9. "Não há indignação em mim; Por que dizes e falas: O meu caminho está escondido ao Senhor e o meu juízo passa despercebido ao meu Deus? Dizeis, porém: O caminho do Senhor não é justo. Ouvi, pois, ó casa de Israel: Acaso não é justo o meu caminho? Não são os vossos caminhos que são injustos?" Is.27:4;40:27; Ez.18:25.

É preciso tomar nota que, quando nos manifestamos contra Deus estando Ele connosco, logo desprezamos a Sua justiça e nos rebelamos contra Ele, mantendo que nós estamos inocentes e Ele não. Qual a diferença entre alguém que diz "O meu caminho está escondido ao Senhor e o meu juízo passa despercebido ao meu Deus" e alguém que "Põe a sua boca contra os céus e a sua língua percorre a terra e diz: Como o sabe Deus? E: Há conhecimento no Altíssimo?" Sal.73:9-11. Presumo que seja um mesmo pecado, com a diferença que um sai da boca descrente e o outro da boca dum crente. Uma pessoa gloria-se que Deus não existe para ver; outro que Deus existe mas que é injusto. Qual dos dois é mais arrogante: o que é mau e acha que pode e deve continuar assim e deve ignorar Deus, ou o outro que acha que é mais justo, mais sábio, melhor de coração que o próprio Deus? "Ou qual dentre vós é o homem que, se seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará uma serpente? Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhas pedirem?" Mat.7:9-11. Se a despreocupação arrogante é pecado grosseiro, imagine-se a preocupação quando é Deus que está connosco quando algo nos corre bem mas não como desejamos, ou mal sem nunca assim o desejarmos! Imagine o tamanho desse pecado se Deus ainda por cima já deu provas de estar por perto e as pessoas logo se esquecem dessas provas por estarem ocupando seus pensamentos com aquilo que nunca deveriam – as suas muitas preocupações, das quais Deus pode cuidar e tratar pessoalmente! Ou servimos a Deus, ou serviremos as preocupações e as ocupações.

"Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. (25) Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento e o corpo mais do que o vestuário? (26) Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas? (27) Ora, qual de vós, por mais ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado à sua estatura? (28) E pelo que haveis de vestir, por que andais ansiosos? Olhai para os lírios do campo, como crescem; não trabalham nem fiam; (29) contudo vos digo que nem mesmo Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles. (30) Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé? (31) Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? Ou: Que havemos de beber? Ou: Com que nos havemos de vestir? (32) (Pois a todas estas coisas os gentios procuram). Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso. (33) Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça e todas estas coisas vos serão acrescentadas. (34) Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã; porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal". Mat.6:24-34.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com