QUANDO É DEUS QUE REPREENDE
"Toda vara em Mim que não dá fruto, Ele a corta; e toda vara que dá fruto, Ele a limpa, para que dê mais fruto”, “Sobre a minha torre de vigia me colocarei e sobre a fortaleza me apresentarei e vigiarei, para ver o que me dirá e o que eu responderei quando Ele me repreender", João 15:2 Hab.2:1

É muito comum um ser humano ser repreendido por Deus. Caso os homens vissem melhor e fossem mais entendidos no seu olhar, logo veriam a mão de Deus em muita coisa, directa ou mesmo indirectamente. Mesmo quando é o pecado que nos retira o sono, ou as trevas que nos assombram ou assustam, é obra indirecta de Deus, pois Ele determinou que o salário ou a consequência de qualquer pecado fosse assim mesmo e que o ímpio nunca tivesse paz.

Mas sábios são aqueles homens que sabem distinguir entre caprichos de homem e uma correcção porque se ama como Deus que não quer que alguém se perca devido a infantilidades comuns aos homens e contrárias à natureza com a qual nascemos e fomos criados um dia. Um homem pode castigar, bater ou maltratar apenas porque se quererá superiorizar, mostrar força e ódio, orgulho ou por um outro e qualquer motivo mais obscuro. Mas, Deus que está sempre correcto tanto em Suas atitudes como em Seus superiores motivos, repreende apenas porque tem de repreender, pois caso o homem nunca tivesse do que vir a ser repreendido, seria motivo de regozijo e nunca de tristeza para Deus. Assim, se Deus repreende será tão só porque nada mais que um verdadeiro amor o leva a agir assim. O inferno é obra do amor, pois por ele muitos serão ainda persuadidos a deixar o pecado cujo salário e galardão será sempre a morte.

Conta-se uma história sobre um pai o qual, brincando, bateu com muita força com uma cotovelada no rosto de seu filho de 10 anos. O pai olhou para aquela criança quase chorando de dor. Em seu próprio olhar estava um ar de pânico e de grande tristeza por ter causado tal dor em seu filho. Mas, antes de começar a chorar, aquela criança olhou para o rosto do pai e viu a expressão de dor interior e amor que lhe estava estampada no rosto. O filho percebeu logo como a pai o amava na verdade e esforçou-se um pouco para não chorar para que seu pai se sentisse melhor. Logo, começou a dar uma risada forçada e falou ao coração do pobre pai, dizendo que nada era, que havia sido um percalço normal no mundo da brincadeira e que aquilo lhe acontecia muitas vezes na escola. Passado um pouco estavam os dois rindo de verdade, pois o semblante do pai mudou com aquela atitude digna de ser vista até num anjo e o no filho a dor entretanto passara. 

É deste mesmo modo que deveríamos, todos nós sem excepção, aceitar todas as correcções da parte de Deus, mesmo sabendo que as faz sem ser por acidente. Antes, sabendo nós muito bem como Deus é na verdade, devemos ter em conta por que razão faz certas coisas ou as deixa acontecer. Não me canso de ler este versículo de Habacuque, pois o profeta era excepcional e real em tudo quanto cria e via em Deus. Foi ele quem escreveu assim: "Ouvindo-o eu, o meu ventre se comove, ao seu ruído tremem os meus lábios; entra a podridão nos meus ossos, vacilam os meus passos; em silêncio, pois, aguardarei o dia da angústia que há de vir sobre o povo (17) Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto nas vides; ainda que falhe o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que o rebanho seja exterminado da malhada e nos currais não haja gado. (18) Todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação", Hab.3:16-18. Foi este o profeta disse que escutaria o que Deus teria a dizer quando o repreendesse. Quem não aceita uma correcção dum Deus justo, é porque se acha justo, ele próprio.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com