QUANDO E COMO É QUE DOIS OU TRÊS CONCORDAM QUANDO ORAM?
"Ainda vos digo mais: Se dois de vós na terra concordarem acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus. Pois onde se acham dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles", Mat 18:19-20

As pessoas vivem cada um com a sua coisa. Por essa razão diz Deus que "Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava pelo seu caminho", Is.53:6. Logo, existem duas coisas estranhas que acontecem quando as pessoas andam cada qual no seu próprio mundo: ou se opõem quando divergem ou se tentam entender e aceitar, entrando em consenso e em acordo, porque querem ter ou obter algo em comum e em conjunto.

Um homem é capaz de concordar com uma inimiga desde que isso consiga fazê-lo dormir com ela – por eles próprios, os homens e as mulheres deste mundo são capazes de fazer qualquer sacrifício! Mas, por Deus, dificilmente farão o mesmo, a menos que se apercebam de forma real de que a sua eternidade esteja em jogo.

Mas nunca será deste tipo de convergência, este estar de acordo, que Deus fala aqui. Ele diz que estarão de acordo porque "onde se acham dois ou três reunidos em Meu nome, aí estou eu no meio deles" – é porque Deus está no meio deles que este parecer de coisas lhes é comum e nunca porque entre eles acordaram para e decidiram estar de acordo.

Na oração nunca existem compromissos entre crentes, mas Alguém em comum o qual coloca o mesmo sentir em todos eles acerca duma coisa que sobre o que até então poderiam estar em divergência! Buscamos Deus para podermos estar de acordo, não decidindo estar de acordo, mas buscando a mesma vontade de Alguém que também está lá presente enquanto oramos e que coloca em todos um mesmo parecer, um mesmo sentimento, de forma real e líquida em todos os corações – "um mesmo parecer"!

É pecado quando as pessoas tentam e se esforçam em concordar sobre um mesmo assunto – seria a ultima coisa a buscarem de verdade, caso estivessem sérios na busca da face de Deus! Discordando, nunca se deve buscar ser consensual, mas buscar o mesmo Espírito, a mesma Pessoa, a vontade d’Ele em forma liquida e realmente presente e estar de acordo com essa vontade achada.

Assim, não se busca a vontade de Deus tentando concordar com aquilo que Deus provavelmente nunca concordaria – isto é, os crentes a concordarem sem ser por Deus. Não devemos buscar ser iguais, mas sim limparmo-nos de verdade, buscar o mesmo Deus da mesma maneira real, com a mesmíssima honestidade e acharmos de verdade Quem vive para sempre – e que Deus seja um em todos, de igual modo; e que deixe de contar tanto o meu querer como o daqueles que oram comigo. Que haja discórdia entre espíritos caso se ore e Deus ainda não se tenha manifestado sobre esse mesmo assunto. Se este for o caso, deve ser sinal que os crentes têm de orar ainda e não cessar e que não devem concordar sobre um assunto para assim se verem livres dele. Há que buscar Deus e achá-Lo mesmo – só assim poderemos dizer uns aos outros: "Sacode-te do pó; levanta-te e assenta-te, ó Jerusalém; solta-te das ataduras de teu pescoço, ó cativa filha de Sião", Is.52:2. Nunca tentemos concordar quando Deus não estiver de acordo. Isso será visto como uma forma de orar e cessar, quando a Bíblia nos diz "orai sem cessar", sem arranjar desculpas para desistir antes de Deus se pronunciar sobre esse mesmo assunto.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com