VIDAS EM FASE TERMINAL
"Portanto assim te farei e porque isso te farei, prepara-te para te encontrares com o teu Deus", Amos 4:12

Não existe vida nesta terra e não existe ser humano que não esteja em fase terminal. Todos, sem excepção, estão em vias de morrer. E porque assim é, vamo-nos preparar para encontrar Deus em vez de estarmos sempre aos soluços tentando desviar nossos caminhos duma morte que será inevitável.

Buscando a verdade sobre tudo que é real, tirando a limpo certas coisas, colocando de lado nossas ideias religiosas ou mesmo orgulhosas sobre a morte, temos de colocar em nosso coração aquele desvendar e descobrir de todo este mistério que envolve a morte de cada um de nós. As pessoas têm de saber que nasceram sozinhas e que morrerão sozinhas. Este problema e dilema da preparação são feitos de igual modo: temos de nos preparar sozinhos para nos encontrarmos com Deus também sozinhos, temos de achar Deus por nós – mas que O achemos tal qual Ele é agora, antes de ser tarde demais.

Temos esta vida onde estudamos, lutamos e queremos vencer. Para que servirá tudo que fomos e fizemos perante a morte? Claro que existe algo de proveitoso em tudo que fazemos aqui, claro que podemos usar estas coisas terrenas para aprender a obedecer Deus nelas, claro que podemos buscar Deus sobre um emprego, estudo ou outra coisa e isso não serve para mais nada a não ser aprendermos a ouvir Deus, aprender a fazer as coisas – seja o que for – de forma justa e leal. O emprego passa, mas o saber ouvir Deus, entendê-lo e achá-lo permanecerá connosco para além do emprego e muito tempo depois de ele haver sido esquecido por nós. A lealdade para com o trabalho vai deixar em nós a lealdade enraizada e não o trabalho. A opção será nossa em relação a isso, dependendo ao que nos queremos agarrar. Ou nos agarra ao trabalho para aprendermos a ser leais, justos e simples juntando e trabalhando com Deus nesse mesmo aspecto, ou corremos atrás dos frutos terrenos desse mesmo emprego e empreendimento ocasional e sazonal que acabará por ficar para trás de nós um dia em breve e que nos deixará ficar mal porque nem aprendemos a ouvir Deus através do emprego. “Mas Deus lhe disse: ‘Insensato, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?’ Assim é aquele que para si ajunta tesouros e não é rico para com Deus”, Lucas 12:20-21. O coração que você tem ou pode ainda vir a ter será a única coisa que irá consigo para se apresentar diante de Deus como ele é e está, enquanto que a riqueza e todo conhecimento que adquiriu sobre aquilo que fica para trás ficarão irremediavelmente separados de si para sempre após a morte. De que lhe valerá seu curso superior depois da morte se nem serviu para aprender a obedecer e a ouvir Deus? Se inquiriu Deus sobre o que devia fazer aqui na terra e Deus lhe respondeu, tudo isso apenas serve para aprender a conhecer Deus.

Diante da morte não contarão mais as opções morais de cada qual, a obra que empreendeu, os desejos carnais, sexuais, desvarios e virtudes, desvios ou rectidão. Tudo morre – a única coisa que vai com o morto será o coração que ele tem ou que aprendeu a ter. E com esse se apresentará diante de Deus para ser julgado, pois, tudo que fizemos criou lentamente o coração que temos. Caberá a nós mudarmos nosso coração fazendo as coisas de forma oposta ao curso deste mundo. Você tem como ser igual a Deus, dando ao trabalhador que trabalhou uma hora o mesmo que se dá ao que trabalhou o dia inteiro? Tem esse conceito de justiça que se relaciona com a necessidade de cada um em vez de se relacionar com a quantidade e qualidade do seu empreendimento? Mat.20:1-16. O homem que trabalhou uma hora come o mesmo que aquele que trabalhou o dia inteiro. Será esse seu coração que se apresentará diante de Deus tal qual ele é. E ai de cada um se seu coração não for igual ao de Deus, se ele se ressentir com aquilo que Deus é e faz, se seu coração não for uma precisão daquilo que foi feito para ser originalmente na Criação, se sua pessoa e seu coração não voltou, não retornou ao seu estado original. Ai de quem não seja como Deus é quando morrer e isso de coração e sem qualquer forma de fingimento.

Existe uma inimizade real contra Deus como Ele é dentro da cada homem. Essa inimizade pode estar sonegada, adormecida ou passar despercebida através dos cultos e dos cânticos religiosos que as pessoas entoam e praticam enquanto usufruem duma vida própria. Assim que Deus se apresentar como Ele é, a pessoa será má porque Deus é bom. “…Teu olho é mau porque Eu sou bom…”, Mat.20:15. Os cânticos apenas servem para enganar e encobrir o monstro pecador que existe e subsiste dentro de cada um. As pessoas só falam em Deus de forma eufórica precisamente porque se amam a eles próprios em extremo, isto é, têm um conceito sobre Deus que em nada é preciso nem igual ao real. Nem ter a ideia do Deus real será o mesmo que ter o real dentro e fora de cada um de nós. Achando Deus como Ele é já (e não apenas sabendo com precisão como ele é), pouco importando se O amamos logo ou não, pode-nos revelar o verdadeiro estado de nosso coração também e assim podemos trabalhar nosso ser através da aproximação a Deus tal qual Ele é para sermos seduzidos a amá-Lo tal qual Ele se nos apresenta antes de morrermos – conquanto seja real e não misturada com ilusão e conceito da religiosidade. Essa realidade tem a plena capacidade de nos transformar. Por isso lemos assim: "Mas todos nós, com rosto descoberto, reflectindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor", 2Cor.3:18. Só é preciso que andemos com o rosto descoberto, tendo tudo na luz de deus e nem encobrir a mais pequena atitude seja de quem for. Jesus mesmo disse que se não aprendermos a crer n’Ele como Ele é e a conhecê-Lo com precisão, morreremos eventualmente em nosso pecado porque não nos demos a oportunidade de nos salvarmos a nós mesmos convivendo com Ele. Deus tem todo direito de ser apresentado tal qual Ele é, por Ele próprio e sem ser através de terceiros. E qualquer missionário que não apresente Deus à pessoa e a pessoa a Deus e deixá-los conversar a sós, não tem o direito de estar no campo missionário sequer. Você já achou Deus assim? Foi Ele mesmo que se apresentou diante de si, a si, ou foi uma igreja, uma religião, uma cultura na qual nasceu? Lembre-se que, antes de você ser da nacionalidade e da religião que é, é criação de Deus; acima de ser americano ou europeu, você foi feita criatura. E se não achou Deus assim, de forma real mesmo como criatura, não fale que o conhece e que acredita no amor d’Ele, pois não sabe o que diz nem o que afirma.

A pessoa que encontra Deus tem de conseguir ficar à vontade na presença d’Ele, com a pessoa que Ele é, pois Ele nunca irá mudar para aceitar seja quem for, nem tão pouco para que tal pessoa se possa sentir aceite. É de realçar com precisão a verdadeira extensão destas palavras que usamos como texto: “prepara-te para te encontrares com teu Deus…”. Deus nos dá agora a oportunidade de O podermos vir a conhecer de forma real e espontânea, bastando para isso uma limpeza integral de todo pecado como início e indício do nascimento nessa vida, mesmo da limpeza daquele pecado o qual não achamos ser pecado e ofensa criminal. Tenhamos em mente que não existe ser humano que não se encontre em fase terminal, pois cada pecado seu constitui um câncer embrionário por si só, o qual ceifará, eventualmente, a vida de todos. Não existe vida que resista à morte do pecado: apenas a Vida de Cristo em nós exterminará todo pecado de nós. Faça de tudo para O obter e ter tal qual Ele é, pois não nos podemos agarrar a uma mera ideia ou suposição – por verdadeira que ela seja e possa ser – daquilo que Deus é de facto. Caro leitor, prepare-se para se encontrar com seu Deus em breve, pois não sabe qual o dia que isso acontecerá. Ninguém neste mundo poderá impedir que isso aconteça um dia em breve – talvez hoje ainda – nem mesmo o mais forte ou mais inteligente desta terra. Trate de obter d’Ele o coração que o aceita como Ele é, trate de ser a pessoa que está reconciliada com a vontade dele está e à vontade diante d’Ele e com a pessoa que Ele é e não apenas com a ideia do que Ele é ou imagina que possa ser.

Todo aquele que está preparado para a morte, estará devidamente preparado e equipado para viver e conviver com Ele aqui na terá também em todos os seus muitos afazeres. Elias disse algo que nunca sai de minha cabeça: “Deus, em cuja presença estou”. E ele estava mesmo nessa presença continuamente. Isto é algo a ter em conta. Amem.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com