20 MALDIÇÕES

Existem maldições que não as reconhecemos como tal. As pessoas embrulham-se em seus problemas e nem sempre se dão conta do que está acontecendo com eles. Cego não vê. Eis aqui algumas maldições que podem vir a ocorrer a qualquer pessoa:

  1. Deus entrega o homem ao seu próprio caminho e ao coração que ele mesmo vai ganhando caminhando nesse caminho. Neste caso, o homem pensa que está dirigindo o seu próprio destino e tem esperança falsa. Acredita e confia que está indo bem quando se está destruindo a si mesmo.

  2. O homem não crê em Deus e Deus fica calado para que o homem creia o que ele quiser e desejar o que quiser quando ele quiser. Um incrédulo pode até crer em Deus se desejar e ainda cantar no coro da sua igreja ou ser pastor. Mas, só os limpos de coração verão a Deus e se manterão dentro daquela paz que humano nenhum conseguirá desfrutar longe de Deus, nem mesmo sendo fingido.

  3. O homem esquece-se facilmente de seus pecados e só ora "perdoa-me meus pecados" sem saber de que pecados se tratam. Isto é uma consequência do próprio pecado. É uma maldição.

  4. O homem sente-se vitorioso quando ganha (ou não perde) por meios fraudulentos. E Deus mantém-se calado para que o homem não sinta que está errado ou que é perdedor. "Quem ganha sua vida (deste jeito), perdê-la-á". Mas, o homem não vê as coisas dessa maneira. É uma maldição.

  5. O homem não consegue escolher entre o bem e o mal. Muitas vezes nem sequer sabe discernir entre um e outro, para poder escolher depois. Ele não é como Jó, que disse: "Há iniquidade na minha língua? Ou não poderia o meu paladar discernir coisas perversas?" Jó 6:30.

  6. O homem não se acha capaz de se arrepender porque acredita piamente em si próprio e em qualquer uma de suas muitas (in)capacidades. Isso é uma maldição, uma consequência do pecado. Todo homem, para poder ser salvo, precisa ir (marchar!) contra ele próprio em direcção a Cristo e não negar-se para ir em outra direcção. Mas o pecado nem deixa pensar que devemos fazer tal coisa. Todo pecado traz esta maldição de cegueira consigo.

  7. O homem acha que não se consegue arrepender se não sentir vontade de o fazer. Ele aprendeu a fazer apenas conforme aquilo que sente e, se não sentir ou se acha que não consegue fazer, não o faz. O seu coração e sentimentos são quem determinam seus actos e caminhos por ele, pois está entregue a ele mesmo. Ele não entende porque razão Cristo disse "negue-se a si mesmo", nem qual o alcance das Suas palavras – antes quer sentir para poder fazer.

  8. O homem vive da fama e do elogio e chega mesmo a acreditar que isso é o que é uma vida de bênção. Ele foi entregue ao engano para se sentir bem por lá, para se sentir como um vencedor sempre que está perdendo.

  9. O dia-a-dia do homem fica lotado de coisas para fazer sem ser acompanhado por Deus nelas. Nesse estado de espírito não tem tempo para pensar naquilo que pensa enquanto o tempo vai passando velozmente com o homem achando sempre que esteve parado. Nem pensa num Deus real e num Juízo vindouro que se aproxima a alta velocidade.

  10. O homem crê que é eterno porque foi criado para ser eterno e a sua constituição assim o faz crer. No entanto, Deus permite-lhe continuar pensando do jeito que foi originalmente criado. O homem nunca vive como se fosse morrer a qualquer momento ou como se fosse prestar contas a Deus. Antes vive como se isso nunca fosse acontecer. Querem maldição maior que essa? É uma vida prática de morte dentro de uma constituição de vida eterna.

  11. O homem confunde facilmente prazer com vida, dinheiro com confiança, bem-estar com segurança, pecado (carnalidade egoísta) com amor, agressividade com firmeza, lentidão com calma, briga com perseverança. Para tudo que resta do conhecimento do bem dentro dele, cada homem arranja uma semelhança no pecado e na vida que segue para a poder viver do seu jeito, ao qual foi entregue. Ele aquece-se e sente-se confortado no calor de sua própria casa que se está incendiando com ele lá dentro. Essa é uma das maldições à qual o homem estará entregue sempre que pecar. Ele irá sentir-se bem correndo perigo sério e inesperado.

  12. O homem não consegue saber qual a verdade e acaba sempre pendendo para o lado do engano e da mentira. Ele acha que mentira é verdade e que verdade é mentira, que realidade é ofensiva quando se fala de Deus que vive e é real. Para ele, a única fé aceitável é a que é a mística ou a que não funciona para ele poder viver do seu jeito e conforme sempre viveu. Por essa razão existem muitos crentes que conseguem crer na verdade sem serem verdadeiros, na realidade sem serem reais – são mentirosos até para eles próprios, vivendo facilmente de fachada e de jejum de realidade tendo Deus constantemente a negá-los abertamente e nem mesmo assim crêem que é Deus quem está contra eles e não o diabo. São pessoas que abrem os olhos no escuro duma noite a acham que vêem apenas porque abriram os olhos. (Imagine-se a culpa de quem fecha seus olhos com luz à sua volta! Esse é um dos jeitos de se viver nas trevas!)

  13. O homem não consegue conciliar a sua atenção com aquilo que se encontra fazendo em dado momento. Ele sente sempre vontade de estar onde não está, também de sair de onde está. Sua insatisfação nunca tem algo a haver com o lugar que ele assegura ser o problema. Sua insatisfação é um estado de espírito consequente de seu afastamento de Deus por longos períodos e vive equivocando-se dentro dum estado o qual não lhe permite discernir nada diante de seus olhos abertos, os quais que nada vêem. A insatisfação deve-se ao coração que se tem.

  14. O homem não consegue mais controlar a sua língua e até fala antes de pensar – seu coração passa directo do que sente para as palavras. O homem tornou-se incontrolável e por isso é que autocontrole é um fruto apetecido, do qual só as pessoas no Espírito conseguem usufruir.

  15. O homem acha a sua motivação naquilo que o pode orgulhar, confundindo tudo que faz com humildade. Ele fala com palavras de humildade sendo orgulhoso, falando duma coisa e só conseguindo sentir-se bem fazendo outra.

  16. Teimosia, homossexualidade, mau feitio e intemperança, são tudo coisas que acontecem ou podem acontecer ao homem entregue a si mesmo. Esse mesmo homem chega ao ponto de defender a perversidade apenas porque exige até de si próprio que seu caminho e vontade sejam feitos de seu jeito. A maioria das pessoas só defende seus caminhos por causa deles próprios e nunca por causa das causas em si, nem pelo suposto valor das reivindicações que fazem e usam para se imporem dentro de seus caminhos infelizes e sem saídas. O homem só quer que seja ela a fazer, a mandar, a querer sem se importar com nada. E, como é cego, fazendo o que quer e indo para onde quer, está perdido. Deduzimos que, se Deus entrega o homem ao que ele quer e deseja, na verdade, entrega-o a uma maldição.

  17. O homem pensa pouco em Deus da maneira certa e com carinho. Que maior maldição poderia existir na terra? E se conseguir pensar em Deus com carinho, só sendo fingido e com música de fundo, forçado, com corda dada (como se de relógio se tratasse), correndo atrás de bênção ou de outro jeito que consiga levar cada homem a ser enganado por ele mesmo e com aquela capacidade de levar outros atrás de si. Entre numa igreja falsa e comprovará esta verdade!

  18. O homem é capaz de confiar – foi criado para isso. Mas longe de Deus, ele é capaz de confiar em qualquer coisa, em qualquer altura boa ou má de sua própria existência, mas nunca consegue confiar em Deus que seria a sua única salvação. Seu coração recusa-se naturalmente a crer em Deus para obter uma ajuda real – apenas creria em Deus para usar os seus próprios recursos, esquemas e mecanismos como ajuda e forma de ajudar, a qual o próprio autoriza, avaliza e aprova. Não conseguir confiar em Deus é uma maldição consequente do pecado. E é a fé que nos salva de tudo.

  19. O homem não consegue mais saber qual a diferença entre sentir emocionalmente e sentir uma presença real, ou sentir de tacto. Por essa razão ficam animados, dando corda a um relógio interior de sentir e de forma programada, confundindo isso com sentir a presença de Deus que nem em sonhos estará por ali. O que sentem é a eles próprios, é deles mesmos e acabam achando que isso é que é sentir Deus. O homem está entregue a ele próprio, sente-se a ele próprio e diz que isso é sentir Deus porque se ama a si mesmo extremamente. O homem consegue crer em tudo de bom para ele mesmo porque se ama a si próprio incondicionalmente.

  20. A impaciência é uma maldição que se acha quando não se sabe esperar em Deus. Ela faz-nos lutar ou por aquilo que Deus em Sua bondade não quer dar, ou para recebermos no tempo errado aquilo que, noutra ocasião, seria algo bom e certo para nós vindo da própria mão de Deus.

Da próxima vez que quiser fazer a sua própria coisa, que quiser seguir seu próprio caminho como um filho pródigo que ainda exige que Deus lhe dê da Sua herança para ter o poder de o fazer, tente lembrar apenas umas desta maldições que irá achar em algum de seus caminhos futuros. Deus não é mau, mas é justo: as maldições já existem para quem se afasta de Deus, da Sua vontade (mesmo sendo crente) e de Sua presença real (a que não é fingida nem suposta). Essas maldições já existiam antes de nós. "O céu e a terra tomo hoje por testemunhas contra ti de que te pus diante de ti a vida e a morte, a bênção e a maldição (elas já estavam colocadas antes de nós); escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, amando ao Senhor teu Deus, obedecendo à sua voz e te apegando a Ele; pois Ele é a tua vida e o prolongamento dos teus dias; e para que habites na terra que o Senhor prometeu dar", Deut.30:19-20.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com