“”,
A FÉ – A CERTEZA
"Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se vêem", Heb.11:1
  1. Existem vários inimigos da fé. Existe a ilusão que imagina a fé como algo místico e irracional. Mas, a fé é uma certeza do que é real – uma certeza da verdade. Pense no que é a certeza e saberá o que é a fé. Essa certeza nunca se busca no que sentimos – são os sentimentos que buscam essa certeza. Contudo, existem certezas em erro como existem certezas acertadas. Existem dúvidas em erro e existem dúvidas acertadas. Duvidar da mentira ainda não é rejeitá-la, mas, já é bom alguém poder duvidar dela. Duvidar da verdade é que não é bom porque, enquanto a fé pende para aceitar, a dúvida pende para rejeitar. Por isso é que duvidar de Jesus é e será sempre um crime colossal. Não é apenas uma ofensa a Deus, mas, destrói a alma porque, quem rejeita a verdade, escolhe outro caminho.

  2. Por que razão a fé tornou-se ficção? A vida das pessoas não dá resultados por se encontrarem factualmente separados de Deus. (E a separação de Deus não acontece somente através de pecados nunca confessados, mas, também, por diferenças de coração. O coração das pessoas não tem a cumplicidade com Deus que deveria ter. E por muitos pecados que as pessoas confessem pelo nome – e é indispensável que o façam – sabemos que a verdadeira reconciliação é a cumplicidade, a sintonia natural, a igualdade de coração entre Deus homem). Como as suas vidas e orações não funcionam de forma real e prática, sempre que alguém fale em fé ou em crer em Jesus, o primeiro instinto é assegurar uma fé de ficção, pois nada funciona. Imagine alguém pregando, exigindo ou exortando que as pessoas creiam em Jesus e essa pessoa está separada de Deus. Que tipo de ficção irá emergir do seu coração? Que tipo de definição de fé obterá? Fé é animar as pessoas ou fazê-las crer em uma verdade? E é assim que nasce a fé fingida ou semelhante à real. "Não farás para ti nenhuma semelhança do que há no céu ou na terra…"

  3. Digam o que disserem, fé é ter ou obter certezas. E essas certezas obtêm-se entrando pela porta, pela via da certificação seja através do confronto directo ou da inspiração. A fé explica-se – não se sente. Se eu confio em uma palavra que Deus expressou, creio em algo concreto. Mas, não posso ver isso como uma forma de me animar temporariamente. O que Deus falou, acabará em concretização real e verdadeira. Fé é não crer à toa, não é e nunca será crer em vão. Pense: se Deus nos pede, nos manda sair da mentira, por que razão nos aconselharia e induziria a termos uma fé de ficção? Por que razão Jesus se define como "A VERDADE"? Então, um dos perigos da fé é a sua imitação. A pior rival de uma noiva é e será sempre a sua irmã gémea. Fé e fé falsa são parecidas.

  4. Existem mais dois perigos contra a fé verdadeira que quero destacar. Pecados antigos ou recentes que nos separam de Deus, tiram-nos a fé. Como pode alguém crer estando separado de Deus? Uma consciência manchada faz a fé naufragar, 1 Tim.1:19. Isso acontece por duas razões. 1ª: Estando alguém que é honesto e sincero separado de Deus, não tem como enganar-se a ele próprio. 2ª: A fé real é auxiliada pelo tacto ou contacto directo com o Espírito Santo. Sendo a pessoa sincera de coração, também sente (através do tacto e não do sentimento) o afastamento de Deus. Logo, a fé naufraga nos sinceros. E nos que não são sinceros e antes se enganam a eles próprios, a fé naufraga da mesma maneira; contudo, a rival imitadora toma o seu lugar para assegurar enganosamente.

  5. O outro perigo é a falta de reconciliação com Deus. Reconciliarmo-nos com Deus é termos as mesmas opiniões que Ele, o mesmo parecer, o mesmo tipo de poder, a mesma vontade, uma rendição verdadeira e permanente a Ele. Sermos iguais a Deus, pensando com Ele, pensando COMO Ele, é a verdadeira união da reconciliação. Se não existir esta cumplicidade entre nós e Deus, ou a fé morre ou a fé falsa surge para preencher a lacuna e o vazio com a sua mentira. Assegurar não é ter fé. Fé é crer em uma verdade – não é crer. Quem quer crer não pode partir daquilo que pensa e sim buscar o que é verdadeiro, custe o que custar e doa a quem doer. Como é que alguém pode ter a certeza de algo com que Deus não está de acordo? Ou algo que não é a Sua vontade e alvo?

  6. Se fé é crer em uma verdade, ninguém pode pular o muro para entrar onde desejaria estar para poder crer. Então, a fé exige de nós que nos certifiquemos, analisemos, vejamos claramente e achemos a verdade. A fé verdadeira não existe em quem é preguiçoso e não busca saber e entender de forma clara. Só após acharmos essa verdade podemos optar por confiar nela integralmente, assumindo-a. Essa verdade não pode ser a nossa verdade e sim a verdade mesmo.

  7. Quantas pessoas tentam convencer-se de maneira fraudulenta? Quantas vezes você tentou defender aquilo que Deus condena? Quantas vezes você quis ou desejou que Deus aceitasse o seu ponto de vista? Sabe qual é a base da idolatria? Eu digo: as pessoas têm certas ideias que querem ver concretizadas. Logo, arranjam um Deus que faça aquilo que elas querem. E nós é que devemos poder querer tudo aquilo que o verdadeiro Deus quer. Jesus não disse que no fim dos tempos haveria muitos Cristos nas cabeças das pessoas, cada qual com aquele que melhor lhe convém? Muitas doutrinas convenientes? Mas, no meio de tantos cristos, existe um verdadeiro e que reinará para sempre. Amém.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com