NINGUÉM VAI FICAR A SABER SE DEUS É REALMENTE DEUS SEM FICAR QUIETO
"Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus";
"ao qual disse: Este é o descanso, dai descanso ao cansado; e este é o refrigério; mas não quiseram ouvir";
"E a obra da justiça será paz; e o efeito da justiça será sossego e segurança para sempre. O meu povo habitará em morada de paz, em moradas bem seguras e em lugares quietos de descanso";
"Mas os ímpios são como o mar agitado; pois não pode estar quieto", Sal.46:10; Is.28:12; 32:17-18; 57:20
  1. Ficar quieto: Do que se trata? Quem pode? Do que devemos ficar quietos? Quietude é passividade? Como se chega a ela?

  2. O sossego é, em sua maioria (ou em sua fase inicial), um sossego de consciência. Sem esse sossego tornar-se real, puro e autónomo nunca alguém achará o sossego (quietude) da confiança, o conforto da esperança e a paz da alegria que Deus dá. Essas moradas de sossego aparecem após a consciência haver sido limpa, tranquilizada e renovada pelo perdão. Sua consciência está realmente tranquila, ou é forçada a calar-se e a ficar quieta? Sua consciência faz parte dos gestores de sua vida ou é escravizada e emudecida a toda força e à custa das forças maiores dos prazeres, das conveniências, dos orgulhos, das faltas de submissão, etc? Uma das coisas que não podemos ser nós a tranquilizar é a nossa consciência. Se você segurar a agulha da escala de Richter para ela não se mexer, isso significaria que não existe terramoto? Podemos tentar tranquilizar o nosso coração no medo, na expectativa, na alegria, etc. Mas, nunca se atreva a intervir ou a interferir com sua consciência, dando-lhe ordens, se não quiser que a ira de Deus caia sobre sua cabeça em algum momento que não espera. A consciência é e será sempre o garante da sua paz. Nenhum governo/estado justo interfere com os pareceres daquele tipo de justiça que os céus aplaudem. Desse mesmo modo, não podemos interferir com os argumentos de nossa consciência à luz de Deus. Ela é autónoma e independente. Por essa razão deve estar sempre bem instruída com os conhecimentos de Deus. O que é errado é errado e ponto final! "Mas, os ímpios são como o mar agitado… não conseguem ficar quietos". Se você não tem paz e sossego de consciência quando Deus opera em si, não busque obter essa paz por via de meios fraudulentos: limpe sua vida para poder sossegar. Não tente ter paz e ser ímpio ao mesmo tempo sob pena de tornar-se uma fraude de criatura. Entregue de volta tudo aquilo que roubou, confesse as mentiras que contou a quem as contou e não deixe pedra sobre pedra em nenhum canto de toda a sua vida. Só depois disso estará pronto e apto para entender e receber os outros tipos de sossego e descanso, os quais surgem vindos de outras virtudes que nascem de uma comunhão directa e real com Jesus. "E a obra da justiça será paz; e o efeito da justiça será sossego e segurança para sempre. O meu povo habitará em morada de paz, em moradas bem seguras e em lugares quietos de descanso". Existem várias moradas de paz, isto é, paz de consciência (a inicial), paz na segurança, na certeza, paz devido ao amor para com Deus e o próximo, etc.

  3. Também existe uma forma de "quietude" no mundo. Não é essa paz que Jesus dá. Na verdade, a paz de Jesus EM NÓS não leva em conta nenhuma circunstância externa. No mundo teremos aflições. Deixem-me explicar: num cemitério, existe tranquilidade absoluta, pois, lá ninguém se mexe. São todos mortos! Não é essa a paz que Jesus prometeu. O que Jesus promete é paz em seres viventes e não para mortos. Outro exemplo: uma máquina parada não tem fricção, pois, não funciona. Água parada não tem correntes perigosas, mas, apodrece e não servirá para beber. Não é esse tipo de paz que Jesus veio trazer-nos. "Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas, espada. Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, a filha contra sua mãe e a nora contra sua sogra; e assim os inimigos do homem serão os da sua própria casa. Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim, não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim, não é digno de mim. E quem não toma a sua cruz e não segue após mim, não é digno de mim. Quem achar a sua vida perdê-la-á e quem perder a sua vida por amor de mim achá-la-á", Mat 10:34-39.

  4. Existem várias condições para termos essa paz de Deus. E também existem condições favoráveis a uma paz do mundo em quem não está com Deus, aquela paz que o mundo é capaz de dar. Vamos analisar duas situações: uma na presença de Deus QUANDO JESUS É REALMENTE REAL; a outra fora dessa presença. Se eu estiver na presença de Deus, preciso estar realmente limpo para me sentir bem ali. Se minha vida estiver suja, estarei inquieto diante dele. Imagine, por exemplo, estar na presença de alguém a quem você roubou e que essa pessoa sabe o que você lhe fez. Não se sentirá incomodado na presença de tal pessoa? Ou, imagine-se odiando alguém e estar na sua presença. Isso não o incomodaria? A Bíblia afirma que amor ao pecado é inimizade contra Deus e só se manifestará na real presença d'Ele. Fora dessa presença essa inimizade estará hibernando. Como é que você se sentiria na presença de seu inimigo poderoso? Agora, a outra situação fora da presença de Deus. Se for uma pessoa santa, como se sentirá no meio do mundo? E se quiser esconder pecados, não se sentirá em "paz" longe de Deus? "…Os tempos de refrigério, da presença do Senhor", Act.3:19.

  5. Como vê, esta quietude não pode e nem deve ser forçada, mentirosa, fraudulenta e nem remendada (atenuada) e tem de existe na presença de Deus – nunca fora dela.

  6. Na presença de Deus estamos seguros pela realidade e não apenas pela intuição e entendimento das coisas. O entendimento existe, mas, a realidade também. Se existem muitos problemas à nossa volta e Deus nos assegura que está connosco (não a nível de sentimento e sim da realidade), é óbvio que a nossa paz será grande e ninguém a entenderá, a menos que experimentem a mesma presença de Jesus./p>

  7. Uma das razoes para a falta de paz nas pessoas, também é terem as coisas trocadas. Por exemplo, falam de amor quando são amadas, isto é, quando é amor para elas; mas, sabemos que, quando Deus fala de amor e principalmente do Seu amor derramado em nós, refere-se ao amor que sai de nós para com Deus e o próximo e nunca no sentido inverso. Se estivesse falando do sentido inverso, falaria apenas com nosso próximo e não connosco. Logo, quando alguém se candidata ao amor de Deus para ser amado, não experimentará a paz, pois, tenta funcionar de maneira contrária e invertida ao normal funcionamento das coisas. As coisas só funcionam da maneira que foram feitas para funcionar. Amor e egoísmo são coisas opostas - não são amistosas e nem estarão em paz dentro do mesmo coração. Não se admire de não ter paz na presença de Deus quando quer ou procura ser amado, entendido, apreciado, etc. Por isso, a pessoa que quer amor para si própria, entra em contradição e coloca dois touros a lutar no mesmo curral (coração). O egoísmo não é amor – é o oposto do amor. Haverá paz nesse coração, no meio de tanto conflito? Quando fala em Deus, busca o seu próprio proveito ou o de Jesus?

  8. O mesmo se pode dizer da fé: você crê somente quando o seu braço de carne consegue fazer as coisas? É óbvio que, se Deus entrar em cena, você será uma pessoa instável e inconstante se for dependente da carne ou de sua força e visão, pois, Ele não vai usar aquilo em que você é capaz de confiar. Logo, haverá conflito em seu interior assim que Deus intervir. Você consegue realmente estar tranquilo e consciente na presença d'Ele e com a actuação de Deus ao mesmo tempo? Ou só sente tranquilidade quando Deus não intervém directamente nas coisas? Ou só quando é você quem tem total controle das situações?

  9. Você consegue realmente viver na presença de Deus e, ainda assim, ser uma criatura tranquila e aquietada? Amem.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com