INDECISÃO: SIM E NÃO SOBRE O MESMO ASSUNTO
"Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não; pois o que passa daí, vem do Maligno", Mat.5:37
  1. Já alguma vez viu um crente supostamente honesto dizer sim num dia e não no outro com a mesma convicção e sobre a mesma questão? Não consultou Deus e aconselhou-se com a carne. "...Não deliberar segundo a carne, para que não haja o sim e o não...", 2Cor.1:17.

  2. Quando existe o não e o sim na mesma boca poderão existir várias causas. Uma delas é a pessoa não consultar Deus e dizer sim ou não (por vezes afirmar) sem haver recebido uma palavra de Deus sobre o assunto. Você consegue consultar Deus e obter respostas concretas? Torna-se óbvio que a indecisão ou as mudanças de atitudes, opiniões ou decisões devem-se muito ao facto de alguém não deliberar segundo o Espírito, isto é, não ser guiado por Jesus, consultando-O. "O coração do homem propõe o seu caminho; mas, o Senhor dirige-lhe os passos", Prov.16:9. Isto significa que Deus pode transtornar as decisões e as deliberações que o homem toma sem consultá-Lo. A verdade sobre quem não consulta Deus sobre sua vida é que irá mudar de opinião muitas vezes.

  3. Se Deus não disse nada ou se ainda não se pronunciou, o melhor é a pessoa ficar calada e nunca optar nem pelo sim e nem pelo não. Quando não sabemos, ou ficamos calados ou dizemos que não sabemos porque Deus ainda não nos disse nada sobre o assunto. Você é precipitado em suas palavras? É apressado? É impaciente? Fala sobre seus desejos como se fossem as próprias palavras de Deus? É Deus quem se submete ao seu desejo ou o seu desejo a Deus? Seu desejo é Deus, manda em si e em Deus? Seu desejo é o seu manual. É o seu cardápio de decisões?

  4. Existe uma terceira opção para além do sim e do não, a qual não pode ser considerada indecisão. Essa opção é esperar em Deus. Não sabemos o que fazer ou como fazer? Esperemos em Deus consultando-O regularmente para não esquecermos qualquer assunto.

  5. Outra das causas é Deus ser consultado sobre problemas sérios e complicados, mas, nas coisas do dia-a-dia não é levado em conta. Ou, então, as coisas complicadas são feitas no poder de Deus e do jeito de Deus, com respeito, carinho e dedicação para que nada dê errado; e as coisas menores são feitas de maneira imperfeita, superficial, sem disciplina e atabalhoada. Não sabemos que Deus quer tudo? Para Deus ou é tudo ou é nada. "Todo coração, toda a alma, todo entendimento…"

  6. Existem outras verdades sobre quem muda de decisões e atitudes de um momento para o outro. Sempre que alguém tem um coração instável, sem disciplina, sem dedicação e persistência, não se revê na firmeza de Jesus e muito menos no que Ele diz. Logo, esquece facilmente a palavra vinda de Deus porque os problemas começam a apertar, as opiniões dos outros começam a exercer pressão, as preocupações e os espinhos começam a incomodar e a tomar posse da alma, etc. Imaginemos que alguém com coração dobre e incoerente ouve uma palavra firme de Jesus. A palavra de Jesus é firme e inabalável, mas, o coração da pessoa é instável. Logo, a palavra de Jesus não pertence à mesma categoria à qual o coração pertence. Uma coisa acaba não ligando com a outra. Tal pessoa irá, com certeza, mudar de posição, opinião ou atitude sobre muitas coisas muitas vezes. E, para isso, ou irá mudar a palavra de Jesus, ou irá esquecê-la. No dia seguinte, as palavras de Jesus já não contam e segue seu rumo de incertezas e de mentiras confortantes porque não tem coração firme que acredite em Jesus e que possa tomá-Lo por Sua palavra. Só os firmes nas palavras de Deus deixarão de ser incertos e inseguros quando Deus realmente fala; e, para haver uma pessoa firme, é preciso o coração ser firme e inabalável. Você sabe esperar em Deus, aconteça o que acontecer e digam o que disserem? Tem um coração desses? Já obteve um coração novo de Jesus? Já o aperfeiçoou? Consegue manter-se limpo façam o que fizerem, digam o que disserem? Não é apenas necessário sabermos esperar em Deus, mas, mantermo-nos limpos e inocentes continuamente sob qualquer tipo de pressão.

  7. (Existem os inseguros a nível de emoção e aqueles que se sentem firmes sendo seus caminhos inseguros e incertos. Um tolo nunca se acha tolo. Quem não sabe nada não acha que sabe pouco. É preciso alguém ser sábio para que ache que sabe pouco. É óbvio que, quem anda em caminhos escorregadios, nunca acreditará que seus caminhos são instáveis e possam vir a ser destruídos pela mão forte de Deus. Seu coração sente-se seguro na mentira. Se essa pessoa, por alguma razão, entregar-se à verdade sem mudar de coração, irá sentir-se insegura nos caminhos de Jesus porque são diferentes. Seguro na morte, inseguro na Vida. Seguro na vida, inseguro nos caminhos da morte. Esta lei da natureza nunca alguém conseguirá mudar).

  8. Existe ainda outra forma de indecisão e inoperância quando a pessoa está suja. A pessoa sabe qual é a vontade de Deus, sabe que precisa ser feita, contudo, não a concretiza por incapacidade ou porque as coisas simplesmente não funcionam. Tem, com certeza, algum tipo de pecado do qual recusa abdicar. Pode ser uma forma de orgulho, algum problema de coração, alguma fobia que recusa expulsar de si, alguma mania, algum pecado por confessar a alguém, falta de agradecimento, etc. Seja o que for, certamente impede a concretização da vontade de Deus. E se a pessoa busca de verdade essa vontade e tem alguma coisa em sua vida que a priva do poder de conseguir concretizá-la, logo torna-se inoperante, pois as portas simplesmente não se abrem. E a porta que Jesus fecha só Ele a abrirá. E quando as portas não se abrem, as pessoas procuram alternativas ao invés de decidirem limpar-se. Limparem-se parece-lhes penoso demais.

  9. E, por último, alguns tipos de indecisões devem-se à falta de persistência e perseverança. Deus diz alguma coisa, dá alguma direcção à pessoa e ela, por falta de persistência, começa a desesperar antes que se concretize. Lembra-se de Saul que não esperou a última hora dos sete dias que tinha de esperar por Samuel? Logo, entra por caminhos que não levam a lado nenhum. Entra e sai deles e só tomará rumo quando resolver fazer tudo do jeito de Deus e levar as coisas até ao fim somente desse Seu jeito.

Conclusão: quando Jesus manda que o nosso sim seja sim e o não seja não, precisamos ter em conta tudo o que isso implica. Não será somente através da decisão de nos lembrarmos do que prometemos que iremos conseguir tal coisa. É preciso haver coerência em nós, verdade e um aconchego real e continuado em Jesus durante os nossos tempos de devoção e, também, durante a vida prática se quisermos que o nosso sim seja sim e o nosso não seja não. A companhia de Jesus precisa ser real e não apenas imaginada. A nossa vivência e vida com Ele precisam ser práticas e não apenas coisas teóricas. Nossos nãos e nossos sins precisam fazer sentido, ter sentido, ser coerentes e estar de acordo com nosso coração e nosso coração de acordo com a palavra de Deus. Você é assim?

Quem não faz a vontade de Deus, faz a sua. E quem não faz o impossível, certamente fará o possível através de meios próprios ou fraudulentos e incoerentes. Amém.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com