ALGUNS PENSAMENTOS E ALGUMAS CONTRADIÇÕES DOS CORAÇÕES E DAS VIDAS DOS HOMENS

(NOTA: OS PENSAMENTOS NESTA PÁGINA SÃO, NA TOTALIDADE, DE MINHA AUTORIA. NO ENTANTO, ACHAM-SE AQUI ALGUNS (MUITO POUCOS) QUE SE ASSEMELHAM A PENSAMENTOS DE OUTROS AUTORES PORQUE OS MODIFIQUEI UM POUCO PARA PODEREM EXPRESSAR MELHOR O QUE ME VAI NA ALMA. O QUE CONTARÁ, NO FINAL, É O CONTEÚDO E A VERDADE DO PENSAMENTO E NÃO O SEU AUTOR. OS AUTORES "TERMINARÃO", MAS, AS PALAVRAS DE DEUS PERMANECERÃO. ATÉ LÁ, "...ENTRE OS PERFEITOS FALAMOS SABEDORIA, NÃO PORÉM A SABEDORIA DESTE MUNDO..." 1Cor.2:6)

  1. "Vence o mal com o bem", Rom.12:21. Isto não significa necessariamente que se tem de responder com o bem ou fingindo o bem, mas, que se deve continuar a nossa vida normal com Cristo sem nos deixarmos alterar e sem permitir que nosso caminho se altere por causa do mal. Este versículo não nos induz a responder a quem nos faz mal - embora isso possa ser feito. Significa, acima de tudo, que devemos manter o nosso rumo sem sermos abalados caso pratiquemos naturalmente o que é certo e bom. O objectivo do mal é fazer-nos parar a nossa carreira através do impedimento, desmotivação ou crítica. Não nos podemos deixar vencer pelo mal. O objectivo não é responder ao mal, mas, não nos deixarmos vencer hesitando na nossa carreira por causa do mal.

  2. Fugir duma voz que se parece com a de Deus, não pode ser pecado e muito menos colocá-la em dúvida. Pecado seria crer nela. Duvidar do erro nunca pode ser equiparado a duvidar de Deus. A dúvida pode ser santidade como pode ser pecado. Tudo depende de quem se duvida e em quem se acredita.

  3. Muitas vezes, as pessoas 'resolvem' não pecar mais por temor ou medo do inferno. Assustam-se e tomam decisões que, muitas vezes e por várias razões, não são compridas. A menos que alguém comece a odiar o seu próprio pecado por amor a Deus, dificilmente abandonará o mal que pratica.

  4. Se vivemos de cada palavra vinda da boca de Deus, torna-se necessário que cada palavra que falamos ou cremos tenha mesmo saído da boca de Deus. Caso contrário, seremos enganados quando aceitamos ou transformamos uma palavra escrita que não haja sido pronunciada por Deus pessoalmente para nós

  5. Um adversário não é aquele que odiamos e antes aquele que nos odeia. Muitas vezes, as pessoas pedem vingança a Deus porque detestam certas pessoas. Isso significa que, se alguém odiar o justo, pede a Deus para se opor a esse justo. Ora, Deus não agrada pessoas e não vai desagradar alguém somente por ser odiado. Os nossos adversários são os que se opõem à verdade, a quem amamos com o amor de Deus por causa d'Ele. Deus nunca se levantará contra alguém apenas porque assim desejamos. Se Deus pode salvar, por que razão se levantaria contra alguém para satisfazer a maldade dum coração que deseja vingança ou satisfação para a sua raiva ou ciúme?

  6. A vida de pecado é a consequência de se haver alcançado um coração podre, o qual já não se controla. Se o homossexualismo é o salário que recebem todos aqueles que trocam Deus por outra coisa, não nos enganamos se assumirmos que uma vida desviada e pecaminosa é e será sempre o fruto que se obtém havendo negado Deus de alguma forma. Mas, é pena que haja terceiros que sofrem com essas consequências, algo que faz aumentar em muito a culpabilidade de quem negou Deus nas obras - ainda que os lábios afirmem que amam Deus.

  7. A mentira pode percorrer o mundo enquanto a verdade se prepara para sair e para se manifestar. A parte boa de tudo é que a mentira tem pernas curtas e somente os enganadores e mentirosos confiarão nela. Esse é seu castigo, isto é, por serem perversos de coração confiarão no que não devem. A confiante verdade sobreviverá a tudo, pois, tem Vida nela. A mentira tem a morte desde a sua saída. Não irá longe porque a verdade chegará com som de trombeta que alcança todo o mundo.

  8. Deve existir uma intimidade tal entre o homem e Deus que haja deleite na verdadeira e real presença de Deus e sofrimento sem igual fora dela. Atualmente, os crentes contentam-se com uma presença de 'Deus' fictícia. Também aconteceria que os sentidos do homem na presença real de Deus se aperceberiam constantemente do que se passa na mente de Deus mesmo antes de Ele falar. É isso o que significa estar na presença de Deus. Quando Abraão intercedia pelos justos que ainda poderia existir em Sodoma e Gomorra, ele apercebeu-se logo quando Deus parou de ouvir havendo Abraão chegado aos dez justos. "E retirou-se o Senhor, quando acabou de falar a Abraão", Gen.18:33. Foi Deus quem abandonou a intercessão de Abraão e ele apercebeu-se disso, pois, "Abraão tornou-se ao seu lugar". Um fato permanece claro: Abraão sabia que a conversa havia terminado por ali. Era esse o tipo de relacionamento que mantinha com Deus, pois, apercebia-se de imediato de qualquer movimentação de Deus.

  9. Existem milhões de caminhos errados e apenas um caminho certo que se encontra espalhado e disseminado por todo mundo. Por norma, todas as pessoas desconfiam desse caminho certo porque ele não está errado. Se, por acaso, começam a confiar nele sem Deus, é porque conseguem tratar ou lidar com esse caminho como fariam com qualquer outro caminho errado.

  10. Quando as nossas palavras vêm de Deus e carregam verdade e poder, não se torna necessário repetir, enfatizar ou usar outros meios que não sejam usados pelo poder de Deus para alcançar seus devidos efeitos.

  11. Eis algo em que pensar para todos aqueles que ainda conseguem distinguir entre pecados. Muitos ainda consideram existir diferenças entre pecados e acreditam que uns pecados são menos danosos que outros. Se uma arma de pequeno calibre for apontada à minha cabeça, matará. O mesmo acontecerá se um míssil me for apontado. O tamanho da arma não conta. Não ficarei menos morto com uma bala do que com um míssil. O mesmo ocorre com os pecados. O tamanho do salário do pecado não depende e nunca dependerá do valor ou da condenação que a sociedade dá a certos pecados. O pecado mata, seja qual for o tamanho da condenação que a sociedade agrega a esse pecado. O que conta é o tamanho da pessoa contra quem transgredimos: Deus.

  12. As pessoas que não têm um verdadeiro relacionamento com Jesus, ainda que consigam crer n'Ele seriamente (Jó 42:5), necessitam de se agarrar a alguma outra coisa exterior emotiva, intrigante ou mesmo misteriosa para se ocuparem com as coisas de Deus ou para "manter a fé". Por isso é que muitos crentes se achegam a Deus somente quando têm problemas. Caso tivessem um relacionamento sério, real e irrefutável com Jesus, nunca necessitariam de algo mais para serem confortados, encorajados ou motivados para seguir em frente. Por isso, muitos buscam línguas e sinais e, sempre que Deus não dá, o enganador imita ou inventa tudo que pedem e desejam.

  13. Se Paulo fala numa "boa esperança", (2Tes.2:16), certamente existe um tipo de esperança que é má, enganadora e nociva. Se existe um caminho que parece certo e tem a morte como fim, podemos concluir com alguma sinceridade que existirá uma esperança que não é a verdadeira, a qual terminará em desapontamento e morte. Podemos ler em muitos lugares das Escrituras que a palavra "boa" é usada muitas vezes sempre que se fala das virtudes de esperança, ânimo, coragem e outras coisas mais. "Bom ânimo; boa esperança; fé não fingida"; etc. Vamos ter cuidado: nem toda a esperança ou fé ou amor são de Deus. Nem tudo é aquilo que parece ser e, consequentemente, nem tudo aquilo que parece ser mau aos homens é mau, como o chicote de Jesus no templo. "E pareceu esta palavra muito má aos olhos de Abraão (...) Porém Deus disse a Abraão: Não te pareça mal aos teus olhos..." Gen.21:11,12.

  14. Sempre que lemos sobre "o Deus vivo" e como as pessoas "se voltaram dos ídolos para o Deus vivo", isso significa muito mais que aquilo que os Protestantes e Evangélicos transmitem. Isso significa que as pessoas experimentam Deus em seu meio como vivo e real. Jesus não está vivo lá no céu distante, mas, a Sua presença é sentida, temida e incontornável entre o povo, seja essa presença contra ou a favor de quem a experimenta.

  15. Muitas vexes, quando as pessoas nos encorajam ou apoiam, não sabemos se o fazem apenas por simpatia, dever, educação cultural ou se o fazem por se aperceberem que estamos realmente fazendo o que Deus deseja que façamos sem perder o fulgor, a coragem ou o amor inicial, isto é, o primeiro amor. Ajuda muito podermos obter uma percepção real e verdadeira nas palavras daqueles que nos encorajam para que não sejamos apanhados a agradar pessoas e a ser agradados por elas.

  16. "O amor seja não fingido", Rom.12:9. Isto significa que o amor verdadeiro não pode ser algo imposto ou forçado sobre o coração que nunca foi verdadeiramente transformado. Significa que o verdadeiro amor que é derramado no coração novo deve transformar todo o exterior do homem. Ninguém precisa fingir aquilo que não tem ou que não é. Não se cura o mal com o mal, isto é, não se começa a "amar" sendo hipócrita. O mal no coração apoderou-se de todo o ser de cada pecador. Logo, o amor deve sobrepor-se e tomar de volta tudo aquilo que o pecado levou para tornar a ser dedicado à prática do amor. Em vez de forçar o coração e criar uma conduta alternativa de hipocrisia, devemos ajoelhar-nos diante da fonte de amor para que sejam removidas todas as coisas e todos os pecados que nos possam separar dessa fonte de amor. Torna-se necessário aproximarmo-nos de Deus e suplicar-lhe que Seu amor seja derramado em nós. Isso é uma conduta mais sincera do que fingir o amor e é totalmente eficaz. Em segundo lugar, a continuação desse versículo afirma: "Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem". Sair da prática do mal é abrir caminho para nos apegarmos e praticarmos aquilo que vem dum coração puro e pleno de amor verdadeiro. Não basta sair do mal ou aborrecê-lo - há que nos apegarmos ao bem para que a nossa casa não fique vazia para tornar-se sete vezes pior do que aquilo que estava antes de haver abandonado o mal. Abandonar o mal é esvaziar a casa. Depois dessas duas coisas ocorrerem sem sombra de dúvida, isto, chegar ao ponto de odiar e aborrecer o mal e o bem ser consagrado como forma de vida, torna-se possível sermos atendidos para recebermos esse amor que é derramado dos céus para amarmos através dele.

  17. "Sede unânimes entre vós; (...) não sejais sábios em vós mesmos", Rom.12:16. A unanimidade verdadeira e não fingida ou forçada é: ter a mesma mentalidade, usar os mesmos meios para se mover como se fosse um só homem, elevando o mesmo Deus com toda a sinceridade. Ser sábios aos próprios olhos é o principal obstáculo a que isso aconteça. Na verdade, é oposto extremo de andar e viver em unanimidade. Ninguém pode ser unânime pensando menos dos outros ou pensando menos dele próprio. Quando somos nada, nunca nos sentiremos superiores ou inferiores a alguém, pois, nada não pensa nessas coisas ou dessa maneira. Não se fazem comparações quando se anda em unanimidade.

  18. As Escrituras dizem que onde dois ou três concordarem em oração, onde estiverem de acordo, obterão tudo aquilo que pedem. Isso implica que o Espírito Santo tem liberdade total para operar a mesma coisa nesses corações que se unem. Por essa razão estão de acordo. Isso precisa ser bem entendido antes de nos aventurarmos em orar com o propósito de recebermos respostas concretas. Os homens podem estar de acordo por muitas outras razões. Podem estar de acordo por terem a mesma cultura, as mesmas dificuldades ou os mesmos desejos e atitudes. Isso nunca pode ser visto como aquilo que Jesus diz ser concordar em oração. Concordar em oração significa que Deus opera as mesmas coisas em corações diferentes.

  19. "Se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis", Rom.8:13. Muitas das expressões neste capítulo de Romanos têm tanto significado que não se consegue transmitir a plenitude de tudo ao mesmo tempo. Lemos que a carne não é apenas mortificada, mas, que precisa sê-lo através do Espírito de Deus e não doutra maneira ou através doutros meios. Por via doutros meios nunca resultaria em santidade que agrade a Deus. Se temos mesmo o Espírito de Deus, existe uma maneira de tudo funcionar como vem descrito nas Escrituras. Certamente que ninguém pode ser achado a lutar da maneira errada. Paulo afirmou que a nossa luta não é contra carne e sangue. A nossa luta torna-se fácil abstendo-nos desse engano de sermos achados a lutar contra pecado e tentação. Quando temos verdadeiramente o Espírito de Deus e quando não é um espírito enganoso passando pelo Espírito Santo, há que considerar a carne como defunta e morta. Ninguém tem razões para bater num morto ou de lutar contra ele. Morto não oferece perigo a ninguém. Caso o Espírito de Deus reine em absoluto e seja uma experiência real e não ficção religiosa, a carne é considerada verdadeiramente morta porque está mesmo morta. A carne encontra-se tão morta para este mundo quando um cadáver se encontra. Assim, podemos envolver-nos com a Vida Eterna que habita em nós, isto é, aquela vida constante sem altos nem baixos.  Quando chegam as tentações, deveremos ser achados e absorvidos vivendo a Vida e não combatendo o pecado morto. "Guarda (segura) o que tens...", Apoc.3:11. Quanto mais penso nisto, mais me convenço que o cerne da questão reside no achar a verdadeira plenitude do Espírito de Deus. Achando o Espírito da forma que Ele foi achado em Pentecostes, as coisas começam a funcionar da maneira que dizem as Escrituras. Ele será achado por quem o buscar de todo o coração.

  20. Se julgo a lei, não estou cumprindo a lei. Não se podem executar duas tarefas distintas e contrárias ao mesmo tempo. É isso que a Bíblia afirma. Sempre que não esteja cumprindo a lei de Deus, estou transgredindo e quebrando essa lei. Não existe meio termo e nunca será possível a indiferença para com a lei de Deus.

  21. Todas as vezes que alguém caia na armadilha de fingir ou imitar a humildade, esquiva-se a destruir a raiz do orgulho do seu coração. Fingir a humildade é encobrir o orgulho para deixá-lo viver. Fingir não é colocar tudo na luz e nunca pode ser andar na luz. 

  22. É um facto que a sabedoria da pessoa permanece com ela quando se afasta de Deus. Salomão afirmou que a sua sabedoria permaneceu nele quando se entregou à bebida e a outras coisas que não devem ser feitas. Essa sabedoria serve para duas coisas: ou para salvar ou para condenar. Para ambas as situações torna-se necessário que a sabedoria permaneça com quem se desviou. Contudo, isso não significa que Deus continuará instruindo aquele que se desviou com a verdade após haver-se desviado, aumentando a sua sabedoria. O mais provável é que o diabo a use. Tudo quanto aprendeu permanece com o desviado, nem que seja apenas para atormentar a sua consciência e tirar-lhe a paz. Se a pessoa se conforta a ela mesma concluindo que a sua sabedoria permanece com ela havendo-se desviado de Deus, fá-lo acreditando que continua nos caminhos de Deus apenas porque a sabedoria permanece com ela. Devemos perceber que podemos estar desviados continuando a pregar a verdade. A falta do poder de Deus ou o poder do diabo operando atestam para esse facto e testemunham contra quem se desviou.

  23. Paulo fala, em Rom.7, sobre o homem que não consegue fazer o bem que deseja e pratica o pecado que não deseja. Paulo fala duma pessoa debaixo da lei, contrastando-a com alguém debaixo da graça em Rom.8. Vamos focar alguns pontos aqui a esse respeito: a maioria das pessoas que pecam, amam o pecado. Por isso, aqueles que tentam desculpar-se ou justificar-se dos pecados que amam usando esta passagem bíblica não caem na categoria dos que são mencionados por Paulo. Paulo fala de alguém que ama o bem e odeia o mal que pratica e não dos que amam o mal que praticam. O homem que Paulo descreve é aquele que deseja ardentemente ser cumpridor da lei de Deus, cujo coração nutre esse sonho e, contudo, faz tudo pela lei e não alcança a graça que desconhece. Por essa razão somos incentivados a buscar e achar o verdadeiro poder da graça. A pessoa descrita por Paulo em Rom.7 não opera através da graça de Deus, a qual só se acha por Jesus Cristo. Ainda que acredite em Cristo, Ele não é o seu caminho, a sua verdade e vida. Tal homem é carnal porque só consegue confiar nele mesmo inspirado pelo medo que sente no estado de condenação no qual se encontra. Em segundo lugar e contrariamente à crença de muitos pregadores que se revêem neste capítulo das Escrituras, Paulo não diz que esse estado de coisas é um estado de vida e antes de morte. Ele diz que existe um corpo da morte preso a tal pessoa do qual se deve livrar por Cristo Jesus e cuja experiência de libertação deve tornar-se real e não apenas fictícia. Quem se acha a ele mesmo nesse tipo de dificuldade ou tribulação encontra-se condenado e não salvo. São más notícias para quem deseja continuar pecando e, ainda assim, manter esperanças numa vida no céu. Precisamos ser libertos desse corpo de morte, pois, não é um corpo de vida. "Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor", Rom.7:24,25. Ninguém se encontra a salvo agarrado a esse corpo de morte.

  24. "Posso todas as coisas por Cristo que me fortalece", Fil.4:13. Este é um dos versículos mais mal usados da Bíblia e mais indecentemente aplicados. Raramente o seu verdadeiro significado é entendido. Permitam que me explique. Por decreto de Deus, o pecado enfraquece o coração. É a vontade de Deus que qualquer pecado torne o homem fraco.  A verdadeira força do homem consiste em sua santidade, desde que seja adquirida caminhando perto de Deus. Aquilo que a Bíblia diz ser fraqueza, é uma fraqueza em tornar-se santo, pois, estando separado de Deus ninguém conseguirá alcançar o monte santo. Esta fraqueza não é nenhuma outra - é uma falta de aptidão e de vontade para com Deus. Na verdade, a falta de força capacita qualquer homem a ser pecaminoso e perverso. Por vezes, os mais sinceros cumpridores da lei são os que desejam tornar-se santos sem alcançar graça de forma exclusiva, isto é, para que se tornem santos somente pela graça. Tentam outros caminhos e outros meios sacrificiais. Por essa razão a lei se tornou fraca para salvar o homem, pois, podemos cumprir a lei de Deus apenas pela graça. Sem essa graça se tornar real, fluente e verdadeira ninguém alcança Deus porque o sangue de cabras e de touros não são capazes de tirar o pecado do coração do homem. Paulo afirma que a lei se tornou fraca para salvar devido ao pecado. Esta falta de força ou de poder é a vontade de Deus para o homem que vive do pecado. É um decreto eterno, o qual nunca mudará. Mesmo assim, muitos tentam mudar este decreto segurando em seus pecados e clamando por uma entrada airosa no céu. A força de Deus é um tipo de força ou de poder que capacita todo o homem a tornar-se santo, isto é, a tornar-se filho de Deus. "Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem tornados filhos de Deus", João 1:12. Contudo, muitos há que desvirtuam esta verdade clamando por força e graça para propósitos que não são os da graça, isto é, não são exclusivamente para que o coração se torne santo. O tipo de força que estes enganados buscam é uma tal que os capacite a viver como sempre. Querem força sem saírem de seus pecados. Na verdade, isso seria uma anulação do decreto eterno de Deus. Também pedem força para capacitá-los a fazerem as coisas por eles mesmos, através duma força carnal, a qual é a principal opositora da graça. Querem que Deus opere contra Ele mesmo e a seu favor. Pedem uma força sua e não a de Deus. Não querem graça para os propósitos para os quais a graça é disponibilizada gratuitamente. Antes, buscam uma maneira de poderem fazer as coisas pelo poder da carne. "Na tua comprida viagem te cansaste; porém não disseste: Não há esperança; achaste novo vigor na tua mão", Is.57:10. Sempre que Paulo fala de fraqueza, ele fala da incapacidade carnal de se purificar ou de tornar santo. "Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios", Rom.5:6. Devemos lembrar que esta falta de força ou poder da qual se fala extensivamente na Bíblia é um verdadeiro poder a favor do pecado e da carne. Caso assim não fosse, Cristo não teria morrido para desfazer as obras da carne. Esta fraqueza em prol da santidade é um grande poder em prol do pecado. Um fraco para a santidade tem muita habilidade e muito poder a favor do pecado. Essa fraqueza é um poder que afasta de Deus. Isso acontece por decreto e vontade de Deus. Deus quer que assim seja desde que cortou o acesso à árvore da vida. Sempre que alguém diga que "pode todas as coisas por Cristo que me fortalece", devemos ver em que contexto isso é dito. Provavelmente, estão querendo crer em uma mentira para poderem continuar como sempre nas suas iniquidades. Gostam de acreditar que Deus os fortalecerá. O poder de Deus torna santo e é por essa razão que esse poder vem associado ao Espírito Santo. Deus não dá poder animal e carnal e também não dá o poder da graça para que alguém possa viver da carne sem se condenar. Esse poder próprio só é dado pela carne, cuja força é fraqueza para com Deus. É na fraqueza da carne que nos tornamos fortes e é na força da carne que nos tornamos fracos. Sempre que alguém esteja entregue a ele mesmo, peca mais e peca mais facilmente e com menos pudor. A sua luta por direito é, nada mais e nada menos, que uma luta interior contra a própria consciência. E não nos podemos fortalecer contra a verdade na consciência. Até as simpatias de quem é forte na carne são uma busca de aceitação pelos demais e não uma busca de santidade, a qual foi rejeitada por depender do braço e da força da carne.

  25. Homossexuais (de acordo com a Bíblia), são pessoas entregues a elas mesmas e foi Deus quem as entregou. Clamam por direitos que não têm ou não existem, tentam viver uma vida inexplicável e ainda exigem que os demais aceitem as suas perversões como normalidades. Porque não conseguem atingir a paz e o sossego que pretendem em suas vidas impraticáveis, esforçam-se cada vez mais contra a verdade impondo aos outros os direitos que dizem ter. Os governos querem dar-lhes esses direitos esquecendo que cada direito que obtenham para a sua vida perversa é roubado às pessoas normais. Noutras palavras, os direitos que recebem são extorquidos dos que praticam o bem. Ninguém consegue dar um direito a um homossexual sem tirá-lo de alguém. Até dando-lhes direitos de coadoção, tiram esses direitos a crianças inocentes, os quais não têm experiência de vida suficiente e nem direitos de opção na escolha dos pais adotivos.

  26. Se caminhamos verdadeiramente com Deus (como Enoque) e acontece que parece não haver solução à vista para qualquer coisa que lhe esteja acontecendo estando dentro da vontade de Deus, creio firmemente que a solução está bem próxima.

  27. "Aborreces a correção...", Sal.50:17. Precisamos ter cuidado extremo quando nos ressentimos de algum tipo de correção. Isso poder ser a ponta dum iceberg de teimosia a mostrar-se.

  28. Temos certas leis na natureza das quais nunca nos livraremos. Essas leis também existem na esfera espiritual. Por exemplo, um mentiroso só escuta outro mentiroso; ou os mentirosos entendem-se uns com os outros; os verdadeiros entendem-se, por sua vez, uns com os outros. Existirá sempre uma resistência contra a verdade dentro do coração mentiroso. Mesmo que essa verdade diga respeito ao próprio e ele saiba que é verdade, resisti-la-á sempre. Agora, existem pessoas que não apenas acreditam em mentiras facilmente, como as espalham como se fossem fatos. Muitos afirmam que Jesus não nasceu duma virgem, ainda que falem d'Ele. Preferem a mentira e a calúnia acima de rejeitar os pensamentos sobre Jesus totalmente. Ainda falam d'Ele, pois, preferem isso acima de negar a Sua existência. Outros, por sua vez, acreditam que hoje Deus já não faz as coisas que fazia no tempo dos apóstolos; ou que Jesus não salva verdadeiramente dos pecados e que continuaremos pecando. Isso são tudo mentiras que muitas pessoas tendem a acreditar com muita facilidade, por vezes por conveniência. Se as leis que mencionei são verdadeiras, então, só podemos assumir que quem acredita nessas coisas tem, de alguma forma, um coração mentiroso. Por isso acredita nelas.

  29. Qualquer pessoa que coma cada vez menos, sentirá cada vez menos apetite. Sabemos como as crianças doentes perdem o seu apetite e, consequentemente, o apetite diminuirá de dia para dia. Por essa razão, alguns pais forçam as crianças a comer nem que seja apenas um pouco. Isso significa que qualquer apetite santo que não seja satisfeito, que seja desprezado ou menosprezado diminuirá a olhos vistos com o decorrer das circunstâncias. Isto parece ser uma lei da natureza, isto é, que a boa fome diminui na medida que seja desprezada ou negligenciada na insatisfação. Escusado será dizer que o mesmo acontece com o ler e aprender a Palavra de Deus e, também, com a verdadeira oração, boas obras e todo o fruto do Espírito. As másobras também funcionam da mesma maneira. Por exemplo, a preguiça diminui na medida que vamos trabalhando e aumenta na medida que vamos parando. O coração deixa de desejar aquilo que é negligenciado, seja bom ou mau.

  30. Todos nós sabemos que Jesus é o Caminho. Mas, isso significa muito mais do que aquilo que possamos imaginar. Ele é a solução e o caminho para muitas situações que possamos enfrentar. Logo, se Ele é o (único) caminho, isso significa que existem muitos caminhos alternativos. Caso isso não fosse assim, Ele nunca daria o ênfase que deu ao fato de Ele ser o Caminho. Todos os outros caminhos são falsos e enganadores. Contudo, descobri no meu caminhar que um caminho paralelo é sempre mais perigoso que aquele que se opõe frontalmente ao Caminho que devemos seguir.

  31. Por vezes, temos esta ideia de que todos os mandamentos têm sempre um princípio moral por trás deles e que, sendo capazes de cumpri-los todos, somos santos. Isto é, não é o santo que cumpre, mas, é o cumprir que torna santo. Não sei até que ponto isso é ou foi verdade. Porém, existe uma outra verdade que, muitas vezes, nos passa despercebida e é sobre ela que desejo falar: existem mandamentos que nos levam a lembrar do Senhor. Ao manter esses mandamentos, nossos corações aproximam-se d’Ele para O olharmos e para encararmos a graça de frente, olhos nos olhos. É a graça ativa que salva. Pela graça fazemos tudo, para que tudo o que fazemos tenha como tornar-se aceitável e agradável ao Senhor. Ao cumprirmos alguns mandamentos, somos santos; e cumprindo alguns outros, abrimos o caminho para sermos santificados em um futuro próximo, caminhando com o Senhor passo a passo, e conhecendo-o como Ele realmente é. Existem mandamentos que nossos corações e mentes cumprem naturalmente por sermos santos e existem aqueles mandamentos que, sendo minuciosamente obedecidos, abrem o caminho para que nos tornemos aptos e capazes para a santidade e para cumprir a vontade de Deus, o que significa ser santo. Podemos ter esta ideia romântica de que cumprindo os mandamentos nos tornamos santos. É verdade que Deus aponta e espera a nossa santidade. Nós também devemos buscar ser santos ao invés de apontar os erros dos outros. Podemos tornar-nos moralmente corretos, acreditar nas doutrinas certas e pertencer à Igreja ideal sem conhecermos o Senhor. Isso acontece porque não nos lembramos do Senhor em Seus caminhos. Esses caminhos tornam-se, consequentemente, os nossos próprios caminhos e não os do Senhor. Por essa razão existem mandamentos que nos fazem lembrar o Senhor. Você sabe que os caminhos do Senhor não são os nossos? É muito importante poder lembrar o Senhor nos caminhos da santidade, pois, vivemos recebendo graça real. Ele tem outros meios pelos quais devemos caminhar em Seus caminhos. "Saíste ao encontro daquele que se alegrava e praticava justiça e dos que se lembram de Ti nos Teus caminhos", Is.64:5. "Te lembrarás do Senhor, teu Deus, porque é Ele o que te dá força", Dt.8:18.

  32. Caso obtenha muito sucesso na obra para Deus, cuide de lembrar continuamente que por grandiosa que seja a sua obra, será sempre uma gota no oceano dos perdidos. Haverá sempre mais gente para salvar que aqueles que são salvos.

  33. Caso o Senhor Jesus seja verdadeiramente Senhor em sua vida e caso Ele seja realmente o primeiro e o último em coração, tudo o que você possa fazer neste mundo é muito importante. Tudo aquilo em que possa pensar ou fazer ganha outra importância extrema à qual nunca se acostumou. Tudo aquilo que faz descansa na bênção que acha ou na bênção o acha a si. Contudo, se Deus estiver presente em sua vida e, ainda assim, Ele não seja o primeiro e o último, se Ele não for a única razão da sua vida, tudo o que vou possa fazer ou pensar é uma perda de tempo. Ao mesmo tempo, a comida da Bíblia será, para si, como estar a apanhar as migalhas que caem da Mesa do Senhor para o chão.

  34. "Se Eu, em Sodoma achar cinquenta justos dentro da cidade, pouparei a todo o lugar por amor a eles", Gen.18:26. Poderá isto explicar a razão porque muitas cidades ainda não foram destruídas?

  35. Existe uma linguagem na Bíblia da qual as pessoas nem sempre gostam porque pretendem entender as coisas da sua maneira. Esse é o problema principal da crença: é ela quem diz como crer e o que crer. Por exemplo, eu posso dizer algo assim: os carros foram construídos, não para as pessoas se acidentarem, mas, para se deslocarem dum lado para o outro. O que quero dizer com isso? Quero dizer que existem muitos que se acidentam através de algo que foi criado para outros fins. Mas, o que entendo quando leio algo assim na Bíblia? Ora vejamos: "Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas, para que o mundo fosse salvo por Ele", João 3:17. Devemos prestar mais atenção à verdade. Ela diz: "(Ele) foi a principal pedra de esquina. E uma pedra de tropeço e rocha de escândalo para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes", 1Ped.2:7,8.

  36. O melhor nem sempre é alcançado através do esforço. O melhor que pode ser feito tem, muitas vezes, a ver com a criatividade, a espontaneidade, a destreza e a ligeireza para fazer. O esforço nem sempre significa ligeireza e existem coisas que não precisam esforço. Aliás, existem coisas que se tornam imperfeitas quando feitas pelo esforço. Para eu lidar com chumbo, preciso esforço; mas, se exercer esforço sobre algo frágil e meticuloso, errarei grosseiramente. A perfeição nem sempre é esforço.

  37. Sempre que falamos do bem e de praticá-lo, entendemos sempre que é fácil querer e não fazer. "...assim como houve a prontidão de vontade, haja também o cumprimento, segundo o que tendes", 2Cor.8:11. Mas, o que dizer do inverso? "...Não foi só praticar, mas, também o querer...", 2Cor.8:10.

  38. A Bíblia fala-nos, muitas vezes, a respeito da vara. Pela Palavra de Deus, Deus usa a vara; os pais e mães devem usá-la com toda prontidão e sabedoria; e os opressores também usam a vara. "... a vara do seu opressor...", Is.9:4. Não devemos desprezar, adiar ou odiar o uso da vara somente porque a opressão faz um mau uso dela. Quando olhamos para o mundo e para a maneira como lidam uns com os outros, apercebemo-nos que se acusam continuamente e que se agridem facilmente, tanto verbal como fisicamente. A acusação como vara é uma das armas do mundo. Corrigir através da vara é um método usado por Deus e pelos pais santos em Deus. Até a consciência usa uma vara, tanto a má como a boa consciência. A má consciência usa-a contra os outros quando se sente agredida e afetada; a boa consciência usa bem a vara quando é iluminada por Deus, isto é, usa-a com o intuito de se corrigir e ser limpa pelo sangue de Jesus. Devemos perder o hábito de usar a vara da maneira que os opressores a usam, mudando os motivos e os meios e fazendo uso de ameaças, as quais devem ser negadas e abandonadas para sempre. "E vós, (...) deixando as ameaças...", Ef.6:9. Será que o uso de ameaças é umas das razões por que temos lábios impuros e por que vivemos entre um povo de impuros lábios (Is.6)?

  39. Ainda que Deus esconda o Seu rosto de alguém, deve-se esperar n'Ele. Não podemos buscar vias alternativas. "E esperarei ao Senhor que esconde o seu rosto da casa de Jacó e a Ele aguardarei", Is.8:17.

  40. Existe grande diferença entre cobrir e encobrir. Eva encobria as suas vergonhas e escondia seus pecados. Mas, os serafins cobriam os seus rostos e pés na presença de Deus. Os serafins cobriam por humildade e não estavam recusando andar na luz. É verdade que aquele que encobre não anda na luz, mas, não era o que estava acontecendo com os serafins. Eva escondia-se da luz quando encobria os seus pecados e as suas vergonhas.

  41. "Esperou (...) justiça e eis aqui clamor", Is.5:7. Ou existe justiça no coração, isto é, ou as pessoas são justas e puras, ou, então, existe clamor e opressão. Não existe meio termo: ou existem justos ou existem oprimidos e queixosos.

  42. É de extrema importância saber que a santidade é uma das condições para conseguirmos alcançar as obras de Deus por várias razões. Uma dessas razões é que quando a pessoa entra nos caminhos da santidade, encontra direção, pois, a santidade de coração é a própria obra de Deus. Tudo quanto recebemos deve operar em prol da santidade. Logo, se buscamos a santidade por causa de outras coisas, não buscamos que as coisas operem no sentido da santidade. Fica tudo trocado. Não podemos pensar que as obras de Deus sejam outras coisas, as quais se alcançam tornando-nos santos. A santidade não é um meio e antes um fim. Se não entrarmos na santidade, ainda não entramos nas obras de Deus. Logo, ao nunca alcançarmos certas coisas não se deve à falta de obras, mas, dum curso errado, dum meio errado na direção errada. Tentar alcançar outras coisas, seja através das obras ou seja sem elas, é o caminho do erro. O caminho certo é buscar e achar a santidade da maneira certa, isto é, através de Jesus que é o caminho (o meio) e nunca através de qualquer outro meio legalista. Não basta buscar a verdadeira santidade - é necessário achá-la o quanto antes. A razão por que nunca alcançamos certas coisas é estarmos em rumo incerto e não por falta de obras. A razão é porque não buscamos a santidade e as coisas que buscamos devem ser preparadas para alcançar esse tipo de santidade que ser alcança através de Cristo. Ora, quando se buscam coisas sem termos a santidade em vista como ponto final, ou quando se busca a santidade para alcançar certas coisas, entramos nos caminhos do erro. Sendo assim, não alcançaremos essas coisas e nem a santidade.

  43. Se, no tempo de Salomão, a prata deixou de ter qualquer valor devido à abundância de ouro, espero que no meu ministério seja o ouro que deixe de ter valor devido à abundância de vida e de tesouros vindos do céu.

  44. Se Davi ia aumentando e crescendo "porque o Senhor Deus dos Exércitos era com ele", (2Sam.5:10), isso significa que existem muitos que vão decrescendo e diminuindo em muitos ou todos os aspectos porque Deus é contra eles.

  45. É bom apanharmos a vida da doutrina e não apenas aprendermos a doutrina da vida.

  46. Por vezes, nós pedimos tudo que precisamos sem especificar. Reconheço, no entanto, que nem sempre sabemos quais são as nossas necessidades reais. Mas, existem momentos que pedimos um tudo grande quando o que necessitamos é uma coisa pequena ou apenas um detalhe de algo que completa ou complementa o todo que estamos pedindo. Como a nossa cabeça dá um nó esperando algo enorme, forte ou grandioso, não conseguimos conceber, esperar ou receber algo pequeno ou complementar. Embora não tenhamos um coração que despreza as coisas pequenas, rejeitamos algum detalhe porque esperamos algo maior. Quando esperamos um tudo de algo e precisamos apenas de certos complementos ou acréscimos, também temos a tendência de rejeitar ou ignorar a obra que já foi conseguida, pois, esperamos e pedimos "tudo". Esperando um "tudo" de algo, recusamos um algo do "tudo".

  47. A força da carne e as suas opções ou alternativas servirão tanto para um homem de quem o Espírito Santo se apoderou quanto serviriam os equipamentos e armadura de Saul para Davi. Apenas atrapalhariam. Para vestirmos uma roupa, tiramos outra. Para vestirmos a couraça de Deus, precisamos tirar a outra da carne.

  48. Existem muitas pessoas que desejam ser ou tornar-se grandes. Esse espírito instalou-se dentro do povo de Deus e todos querem ser grandes. Fazem de tudo, pregam, insinuam-se e ensinam com esse propósito absurdo, obscuro e egoísta. Contudo, ser grande no Reino de Deus é muito simples. Lembro rapidamente que Jesus falou em sermos os menores para sermos grandes. E também lembro que Jesus disse que existe outra fonte de grandeza: "Qualquer (...) que cumprir e ensinar (a cumprir) será chamado grande no reino dos céus", Mat.5:19. O segredo da grandeza não reside no ensinar, mas, no cumprir. Quem cumpre é grande.

  49. Todo aquele que ama a verdadeira sabedoria pedirá perdão mil vezes sempre que se esquece de algo importante que Deus lhe revelou. Agirá como se tivesse perdido uma pérola de grande valor e busca-a incansavelmente para poder tornar a lembrá-la.

  50. "Descansa no Senhor e espera n´Ele", Sal.37:7. Esperar em Deus é e será sempre uma opção. Enquanto esperamos, aparecerão outras opções para resolver o que pretendemos resolver. A impaciência pode tomar essa alternativa porque não espera no Senhor. É como deixar de esperar por Deus porque apareceu uma alternativa antes que Deus se manifestasse. Mas, são rotas diferentes que são tomadas e não oferecem a mesma segurança e não terminam no mesmo lugar. E nós lemos que devemos alcançar o fim que esperamos, .

  51. Em todas as Escrituras lemos que Deus apoia, ajuda e mantém o justo por ser justo. Mas, isso não significa que precisamos tornar-nos justos com o intuito de sermos ajudados. Deus não é comprado e nunca será. O que isso significa é bem diferente. Deus tem uma verdade para defender. Se Deus ajudar o ímpio a estabelecer-se, logo, ajuda a impiedade, pois, a fonte da impiedade é o ímpio.

  52. Não nos podemos limpar para alcançarmos certas coisas que nos estão vedadas por estarmos sujos diante de Deus. É verdade que não alcançamos certas coisas por estarmos separados de Deus. Mas, nunca nos podemos limpar para alcançarmos essas coisas. Devemos limpar todo o nosso coração e toda a nossa vida com o intuito exclusivo de sermos limpos. Deus dará justiça a quem deseja ser justo.

  53. Qualquer um que coloque condições a Deus ou aos homens para fazer o que deve ser feito, também é pessoa para ameaçar quando as coisas não correm a seu gosto e conforme a sua preferência. "...Deixando as ameaças...", Ef.6:9.

  54. A lógica afirma que todos os que ficam na cama sem estarem a dormir estão doentes. Mas, existem muitos que ficam na cama de manhã sem estarem a dormir, sem serem incapacitados e sem estarem doentes.

  55. "Assim que já não sois estrangeiros (...), mas, concidadãos dos santos", Ef.2:19. Se alguém é concidadão dos santos, é porque se tornou santo. Não existe concidadão dos santos que não seja santo e puro.

  56. O tempo joga a nosso favor quando esperamos em Deus. Existem pessoas que esperam em vão porque não estão bem com Deus e não têm a suas vidas em dia no tocante a todos os seus pecados passados e presentes. Pode dar-se o caso, também, de não haverem sido fiéis a algo que receberam e pelo qual esperaram fielmente. Logo, esperam em vão por não haverem sido fiéis e não se haverem corrigido. A fidelidade não termina com a espera, mas, persiste depois que recebemos. Para aqueles que obtiveram uma comunhão e uma intimidade real com Jesus, o tempo passa a seu favor. Tudo opera para o bem dos que esperam verdadeiramente em Deus, pois, as suas esperanças não enganam e não são falsificadas.

  57. Quando se diz que estamos fazendo algo para Deus porque Ele fez muito por nós, devemos pensar no que estamos dizendo e com que intenções. Se estamos fazendo como se estivéssemos dando algo em retorno, podemos ter a certeza que esse algo tem muito pouco valor em termos celestiais. O que tem valor para Deus é aquela obra voluntária, a qual é feita de livre e espontânea vontade, cheia de amor e sem condições ou pré-condições para cumprirmos o nosso dever. Todo aquele que coloca condições para fazer o que deve, é aquela pessoa que é capaz de ameaçar sempre que a sua própria vontade não é satisfeita. É pessoa de exigências. Se damos porque Deus nos deu, podemos ser considerados oportunistas agradecidos. Mas, existe outra coisa que é bem verdade quando dizemos que fazemos algo porque Deus fez coisas por nós. Jesus conseguiu uma obra na Cruz que ainda é feita nos corações. A obra da Cruz precisa ser feita ainda hoje. Quando essa obra interior se conclui satisfatoriamente (aos olhos de Deus), nós conseguimos amar voluntariosamente porque Seu amor foi e é continuamente derramado em nós para amarmos através dele. Logo, nós fazemos porque Ele fez primeiro. A má interpretação deste facto é o que leva as pessoas a entenderem que devem retribuir a Deus porque Ele fez algo por eles. Isso significa que a pessoa é carnal e procura retribuir pela própria força e através do sacrifício. Isso não vem da fé e não é operado pela graça. Tudo aquilo que não é da fé é pecado e tudo que não é substanciado, operado e concluído pela graça é fogo falso colocado indevidamente no altar de Deus.

  58. A intimidade com Deus não é determinada pela obra que devemos fazer, ou pelo dom que temos de exercer, ou pelas virtudes e poder que Deus demonstra em nossa obra para Ele. A intimidade com Deus deve e pode existir sem qualquer motivo especial além de pertencer a Ele. Os dons, as obras e tudo que devemos fazer necessitam da bênção de Deus, mas, cada qual deve cuidar da sua própria vida como se não estivesse fazendo nada para Deus e como se a sua única tarefa na vida fosse ser ou tornar-se íntimo de Deus em toda a santidade. Os milagres, o poder, a pregação poderosa e cheia de convicção não tem o poder de fazer o obreiro aproximar-se intimamente de Jesus, pois, aproximar-se de Jesus e a obra que faz são coisas distintas. Muito além do que faz, qualquer um deve apresentar-se diante de Deus sem nada, sendo somente ele próprio. A tarefa da nossa vida é ser de Deus e pertencer-lhe incondicionalmente. O resto, isto é, tudo aquilo que fazemos é importante para que os outros possam, também, aproximar-se de Deus. A obra que fazemos não nos beneficia em nada além do prazer de estarmos a fazer algo importante pelo Reino. Devemos cuidar das nossas vidas paralelamente para não sermos achados ganhando o mundo e perdendo a própria alma. "Cuida de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás tanto a ti mesmo como aos que te ouvem", 1Tim.4:16.

  59. Um profeta falso raramente acredita ser falso. Não creio que exista um falso profeta que acredite ser falso. São pessoas enganadas. Os falsos costumam falar e expressar-se com maior convicção que os que andam perto de Deus porque não temem errar.

  60. Quando Deus escolhe alguém, fá-lo tendo a Sua vontade em vista. Logo, o bem de Deus significa o bem de quem Ele escolheu.

  61. "Mas, a indignação e a ira aos que são (...) obedientes à iniquidade", Rom.2:8. Se existe obediência ao pecado, a desobediência a esse pecado só pode ser considerado um virtuosismo de enorme valia. Precisamos ser desobedientes ao pecado e não sentir remorsos, o que equivaleria a não olhar para trás.

  62. Não devemos esquecer que a Palavra é vida e não um mero estudo. Aprender a Palavra é aprender a viver e não aprender para recitar.

  63. Uns mentem para se esconderem e outros falam a verdade para encobrirem algumas coisas com ela. Mas, devemos usar a verdade para nos manifestarmos e para nos colocarmos na luz.

  64. É melhor não dar qualquer esperança que dar esperança falsa. Por isso, busque ter esperança verdadeira, aquela que nunca engana, Rom.5:5.

  65. "Vós tendes dito (...) Ora, pois, nós reputamos por bem-aventurados os soberbos; também os que cometem impiedade são edificados; sim, eles tentam a Deus e escapam", Mal.3:14,15. Sempre que a pessoa tem uma mente terrena, sempre que considera a terra como bênção maior, toda a pessoa vê como maldição quando algo lhe falta. Se isso fosse verdade, os terroristas e assassinos não estariam bem na terra. E enquanto as pessoas acreditarem na terra como bem maior, dificilmente Deus pode perseguir os inimigos do Evangelho e os maus, pois, levaria a estabilizar essa crença que o bem está na terra.

  66. Nem sempre se trabalha para Deus quando se prega o Evangelho. Existem pessoas que trabalham para ver os frutos. Ora, enquanto a obra for feita por causa dos frutos, não vai ser feita para Jesus. E trabalhar para Jesus dá mais fruto que trabalhar por qualquer outro motivo. Provavelmente, a pessoa que trabalha arduamente pelos frutos não verá os frutos do seu trabalho durante um tempo para que seja santificado e mais dedicado a Jesus que ao trabalho. Somente os entendidos poderão entender e assimilar esta verdade.

  67. Existem certas verdades que são como uma roupa de lã que ainda não foi terminada: muitos procuram a ponta para continuar a obra, enquanto outros procuram a ponta para desmanchá-la, desintegrá-la e destrui-la.

  68. O legalismo destrói em vários sentidos e de várias maneiras. Uma das formas: coloca as pessoas contra a pregação da lei. Na verdade, a pregação e divulgação da lei é fundamental para que aconteça a morte do pecador. Sem essa morte, nunca ressuscitará o santo. "Porque o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, me enganou e, por ele, me matou", Rom.7:11. Haja mais pessoas a quem a lei mate!

  69. Se  a sabedoria é algo fácil para mim, deve ser porque é algo difícil para os outros; se o dinheiro é fácil de adquirir é porque deve ser difícil para muitos que precisam de mim; se o conhecimento está ao alcance da minha mão, é porque os demais precisam o que lhes é difícil alcançar. Nada nos é dado por acaso. Tudo que possuímos e recebemos é de todos. Que Deus nos continue abençoando muito por causa dos outros. Devemos ter a noção que as bênçãos dos demais encontram-se em nossas mãos.

  70. "Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente". Já pensou no que pode significar ser limpo de mãos? Hoje estou pensando nisso. Deve ser a maneira como fazemos as coisas, a dedicação á perfeição naquilo que sabemos fazer. "Este receberá (...) a justiça do Deus da sua salvação", Sal.24:3-5. Muitos querem receber outras coisas, mas, Deus promete a justiça, isto é, promete tornar justo quem se limpa. Será que é isso que você espera receber de Deus limpando as suas mãos e purificando todo o seu coração? Ou espera receber outras coisas?

  71. "Aparta-te do mal e faz o bem; e terás morada para sempre", Sal.37:27. Propagou-se esta ideia católica de que fazer o bem é ajudar as pessoas e ajudar os mendigos. Mas, fazer o bem é cumprir a lei de Deus em todos os seus aspectos e não apenas ajudar o nosso próximo. Porque as igrejas vêm negando Deus todos estes séculos criou-se a ideia de fazer bem às pessoas para ninguém se sentir culpado de negar Deus impiedosamente. As boas obras tornaram-se uma camuflagem que não encobre nada, pois, tentam encobrir o desastre que aconteceu a nível do coração.

  72. Sabedoria é experimentar o que se aprende, é a parte ativa de tudo aquilo que nos acontece. Sabedoria é o jeito personificado da pessoa nos caminhos de Deus, é a agilidade de comportamento e de palavras a respeito daquilo que nos acontece pelo lado de dentro e de fora.

  73. O problema da sabedoria é que, quem a obtém, procura saber sempre mais. Deixem-me explicar. Quando queremos resolver alguma coisa, o alvo é resolver pela sabedoria e poder de Deus. O alvo não é a sabedoria em si, pois, a sabedoria é um instrumento e não o alvo a atingir. As pessoas, por norma, desprezam aquilo que já sabem como se o que lhes foi dado a conhecer tivesse perdido a sua importância porque já sabem. Você despreza o seu filho pelo simples facto de que já o conhece? O que já sabemos, devemos lembrar e não esquecer ou desprezar. "...Ele ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito", João 14:26. "Não vos escrevi porque não soubésseis a verdade, mas, porque a sabeis", 1João 2:21. Quantas coisas são confirmadas lembrando as coisas que Deus já nos ensinou? Pedro disse: "E lembrei-me do dito do Senhor...", At.11:16. Na verdade, só nos lembraremos com agilidade aquilo que nos transformou e aquilo que nos foi capaz de tornar novos, isto é, aquilo que nos mantém novos.

  74. Segundo a Bíblia, Balaão era profeta (2Ped.2:16). Mas, quem acredita que ele hoje está no céu?

  75. As dores passam todas, mas, nós não. "Aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre", 1 João 2:17.

  76. "Vós sois os que vos justificais a vós mesmos diante dos homens, mas, Deus conhece os vossos corações, porque o que entre os homens é elevado, perante Deus é abominação", Luc.16:15. Ora, alguém que ama justificar-se ou se sente lisonjeado quando se justifica diante dos homens e estes aprovam ou aplaudem esse tipo de justificação, tem como alvo ser visto ou lisonjeado. Logo, quando alguém quer agradar outro, justifica seu próximo. Isso aproxima quem lisonjeia daquele que é lisonjeado. Então, se é verdade que alguém se justifica diante dos homens, é verdade que aquilo que os homens venham a pensar é muito importante para o homem hipócrita. A opinião doutros homens é importantíssima para qualquer homem carnal ou fingido. Olhando por esse prisma, todo aquele que lisonjeia e justifica a outro, procura uma aproximação armando um laço para os pés da pessoa a quem se dirige. Se alguém depende da auto-justificação, quem justifica alguém contribui com engano para o seu próximo. "O homem que lisonjeia o seu próximo arma uma rede aos seus passos", Prov.29:5.

  77. A alegria é como o agradecimento: é preciso haver algo que aconteceu para nos alegrarmos. Hoje existem muitos tolos que se tentam alegrar a eles mesmos sem que estejam experimentando Jesus verdadeiramente. São hipócritas. Da maneira que não posso estar agradecendo por agradecer sem haver recebido nada de ninguém, dessa mesma maneira deve funcionar a alegria no coração.

  78. "Oh! quão grande é a tua bondade, que guardaste para os que te temem, a qual operaste para aqueles que em ti confiam na presença dos filhos dos homens!" Sal.31:19. Confiar na presença dos homens nem sempre significa dizer aos homens que estamos confiando. Imaginemos estar cercados de homens maus que nos querem tirar a vida e, ainda assim, confiarmos em Deus na presença deles!

  79. "As minhas iniquidades me prenderam de modo que não posso olhar para cima", Sal.40:12. Os homens de Deus, caso pecassem nalgum ponto, não conseguiam olhar para cima. Hoje, parece que já não existem os valores da verdade e o engano tomou conta de tudo, pois, vemos milhões de pessoas presas em seus pecados olhando para cima como se Deus fosse responder e atender aquilo que desejam. Já não existe vergonha e desonram Deus usando o Seu nome em vão.

  80. Onde existem falsas profecias, palavras onde se usa o nome de Deus em vão, frases de conforto que não vem de Deus, condenação que não vem pela convicção do Espírito ou qualquer outra situação onde as pessoas tentam falar por Deus, devemos ter várias coisas em atenção: as pessoas enganadas acreditam forçosamente naquilo que dizem, de tal maneira que a força que aplicam em suas convicções as impede de ser convencidas do contrário; em segundo lugar, não adianta acabar com as profecias onde existem falsas profecias, não adianta entrar num caminho oposto ou inverso, pois, seria o mesmo que afirmar que as profecias não existem. A única maneira de superar o erro é fazer as coisas da maneira certa e isso só acontecerá quando as pessoas estiverem em bons termos com Jesus e pararem de usar o nome de Deus em vão. E é bom que as coisas comecem a ser feitas da maneira certa o mais depressa possível, sob pena de Deus virar as costas definitivamente.

  81. Para que serviria o amor de Deus por um ungido (para guiar ou ajudar outras pessoas) se não houvesse amor igual pelos que serão guiados ou ajudados por ele? Não devemos crer que só porque não estamos destinados a alcançar certas coisas de certa maneira não somos tão amados quanto os que guiam e ajudam.

  82. A coisa mais difícil que experimento no Evangelho é convencer alguém que não tem e que acredita que achou e tem. Não é fácil fazer alguém buscar o que acha que já tem.

  83. "...Para te humilhar e te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos, ou não", Dt.8:2. Existem erros que se pagam muito caro. Um deles comete-se quando estamos sendo provados. Quando estamos sendo provados, duvidamos disto e daquilo e até colocamos o poder ou a bondade de Deus em causa. Por vezes, negligenciamos nosso trabalho para ficarmos obcecados com as preocupações e acusações contra Deus. Contudo, devemos ter algo em mente: o grau de fidelidade que apresentamos sob provações intensas é proporcional ao grau de fidelidade quando tudo nos corre bem e quando já não somos provados. José foi tão fiel a Deus depois de se haver tornado rei do Egipto quanto era nos calabouços de Faraó. Que ninguém acredite que será mais fiel, mais dedicado ou mais amoroso quando as provações terminarem do que aquilo que é enquanto estiver sendo provado intensamente.

  84. Assegurar a fome pela obediência, pela disciplina, pela fidelidade ou por qualquer outra virtude fundamental garante muito mais que aquilo que possamos imaginar. Essas virtudes sendo cumpridas pressionadas pelo dever não duram muito, ainda que o dever faça parte da nossa vida. O dever sem fome pelo dever não buscará comida por muito tempo e, ainda que a busque, não comerá porque não sente fome ou apetite. Não podemos separar a fome do apetite. Ser cumpridor sem fome não leva ao amor a Deus e, em pouco tempo, levará à rebeldia.

  85. "Andareis em todo o caminho que vos manda o Senhor vosso Deus, para que vivais e bem vos suceda e prolongueis os dias na terra que haveis de possuir", Deut.5:33. Existem vários crimes quando não seguimos Deus em tudo que nos indica, além de algumas possíveis consequências. Deus é Deus e não existe melhor guia. Não segui-lo seria o equivalente a suicídio, além de ser uma enorme falta de respeito, pois, a enormidade desse pecado tem muito a ver com a grandiosidade do ser que desrespeitamos. Outro crime que se comete não obedecendo Deus é a negligência infame do enorme privilégio de podermos seguir o caminho mais certo e mais correto com todas as garantias e promessas dum futuro auspicioso. Por isso, a desobediência não apenas desencadeia uma sucessão de maldições como desvia a pessoa do único caminho que pode ser abençoado.

  86. "...Os meus ossos estão perturbados. Até a minha alma está perturbada", Sal.6:2,3. Isto significa que ainda tendo os ossos perturbados, a alma nem sempre se perturba acerca disso. Uma coisa não que ver com a outra. Mas, podemos chegar a um ponto onde a alma se perturba.

  87. Existe muita pirataria à volta da verdade. A verdade pirateada criou muros, barricadas e barreiras em torno do que é verdadeiro e real. Se quisermos chegar à verdade, teremos de pensar passar por cima de trincheiras organizadas, pular barreiras e sofrer emboscadas de todos aqueles que afirmam que são pregadores.

  88. Por norma, aquele que não quer fazer, manda muito. Isto significa que aquele que manda fazer não quer fazer por uma ou outra razão.

  89. Existem e existirão sempre exemplos entre o povo de Deus. Mas, duma coisa eu tenho a certeza: todos aqueles que têm algum homem de Deus como exemplo necessitam necessariamente de chegar ao patamar desse exemplo que que lhes é dado (por Deus). Não digo que lhes seja necessário fazerem o mesmo tipo de obras, mas, que têm de alcançar a mesma fidelidade, o mesmo tipo de coração e o mesmo patamar moral e espiritual do exemplo que lhe foi colocado graciosamente diante de seus olhos. Quem não alcançar a mesma vida do exemplo que lhes é dado, estará em falta diante de Deus. Existem exemplos mais fortes e mais marcantes que outros. Mas, aquele exemplo que é dado ao rebanho é o mínimo que se exige desse mesmo rebanho.

  90. A falsa profecia é rebeldia. Sempre que as pessoas profetizam falsamente, eles dizem precisamente o oposto daquilo que Deus diria. E fazem-no em nome de Deus. Tanto os que profetizam quanto os que ouvem essas profecias são donos duma rebeldia muito pior que a da feitiçaria. "Porquanto (...) vos profetizou e Eu não o enviei e vos fez confiar em mentiras, eis que o castigarei e a sua descendência; ele não terá ninguém que habite entre este povo, e não verá o bem que hei de fazer ao meu povo, diz o Senhor, porque falou em rebeldia contra o Senhor", Jer.29:32.

  91. Não use a Bíblia para lisonjear alguém, não use a Palavra de Deus em vão; não se esconda por trás da Bíblia, mas, exponha-se; não tenha preconceitos porque não valem de nada. Quem lisonjeia usa a Palavra em vão, esconde-se atrás dum amor que não ama e cria muitos preconceitos que nem sequer existiriam doutra maneira. Tem, também, muito cuidado com a língua que te lisonjeia, pois, essa mesma língua é capaz de criticar-te mais adiante e falar mal de ti quando não estás ouvindo. Quem lisonjeia, critica e quem critica também lisonjeia. É uma e a mesma pessoa.

  92. Não é bom que as pessoas sejam salvas através da ira. Deixem-me explicar. Somos salvos dos nossos pecados e indiretamente da ira futura. Logo, existe perdão onde existe conversão, isto é, onde começa a existir a impossibilidade natural de pecar. Quando a pessoa não deseja abandonar todos os seus pecados significa que, na verdade, não deseja ser salva deles. Logo, através da ira de Deus as condições para se parar de pecar começam a surgir daqui e dali. O aperto da ira e a pressão que exerce sobre os corações levam muitos a pararem de pecar. Mas, o que acontece quando a ira é levantada e cessam as repreensões? A possibilidade de se voltar a alguns pecados é enorme, pois, a pessoa (neste caso) cessou de pecar para estancar a ira. Seu alvo não era parar de pecar e antes estancar a ira de Deus. Logo, aqueles que verdadeiramente começam a abominar o pecado - independentemente de começarem a ser repreendidos ou não - são os que permanecerão limpos de coração indefinidamente. Por isso, não é de todo aconselhável que a ira de Deus cesse antes da pessoa se encontrar realmente convertida. Torna-se necessário que a pessoa entre nos eixos e ganhe um coração que abomina o pecado natural e instintivamente. A ira deve cessar quando as pessoas já voltaram ao seu estado original da criação. "Torna a trazer-nos, ó Deus da nossa salvação e faz cessar a tua ira de sobre nós", Sal.85:4. Existe uma ordem cronológica nas palavras deste versículo que não devemos menosprezar. Primeiro, voltamos ao nosso estado original e, depois, cessa a ira.

  93. Os relógios parados estão certos duas vezes por dia. Mas, isso não nos deve enganar a respeito deles e não nos deve levar a aceitá-los como produtos de qualidade. Os falsos também podem estar certos pontualmente. Mas, não devem poder enganar-nos.

  94. "...Segundo a Sua boa vontade", Fil.2:13. Existem muitas palavras e expressões na Bíblia que são facilmente mal interpretadas devido ao significado que a nossa linguagem corrente lhes dá. Este termo de "boa vontade" é um deles, como poderíamos falar também do "bom ânimo" e outras coisas que a Bíblia tem descritas como boas. Na verdade, quando os anjos apareceram aos pastores nos arredores de Belém e anunciaram "boa vontade para os homens", não significa necessariamente uma mudança de atitude de Deus em relação aos homens. O que os anjos queriam dizer é que a vontade de Deus, a qual é boa, ia ser manifesta no interior dos homens. Devemos entender que é a vontade que é boa e não está descrevendo a disposição. A vontade  de Deus é bom para tudo e deve ser aceite com alegria. Devemos entender que essa vontade é manifesta aos homens duma forma que não era facilmente manifesta a qualquer um no Antigo Testamento.

  95. "E ele, tremendo e atónito, disse: Senhor, que queres que faça? E disse-lhe o Senhor: Levanta-te e entra na cidade e lá te será dito o que te convém fazer", At.9:6. É interessante que quando somos confrontados por Deus, pensamos mudar de rumo e não de coração. Jesus não mudou o rumo de Saulo. Disse-lhe para entrar na cidade onde ele iria destruir os crentes em Jesus. Deus não lhe mudou o rumo - mudou a pessoa. Ao mudar a pessoa, mudou tudo - ainda que as circunstâncias e o lugar continuem o mesmo. Muitas vezes, o rumo é a própria providência de Deus. Caso não seja, Deus também mudará o rumo.

  96. "Estêvão, cheio de fé e de poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo", At.6:8. Não é somente a fé a responsável por fazer as coisas de Deus. É necessário o poder de Deus. Esse poder precisa acompanhar quem tem fé. Se a fé já é um dom vindo de Deus, o poder não pode ser considerado como pertencendo ao homem. O homem não se pode agigantar com algo que ele mesmo não possui nele próprio. Não somos nós que mandamos no poder e antes o poder que nos guia e leva.

  97. "E outra caiu entre espinhos e os espinhos cresceram e sufocaram-na", Mat.13:7. Existe sempre um problema sério quando os espinhos crescem. Se crescem, o terreno é-lhes propício. Não devemos ter ilusões: onde os cuidados do mundo prevalecem acima da confiança e da entrega a Jesus de todas as coisas, acontece algo que nem o diabo é capaz de conseguir: a palavra sufoca-se.

  98. "Mas, eu vos digo que de toda palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no Dia do Juízo", Mat.12:36. O que é uma palavra ociosa? Uma palavra ociosa é algo que se diz para não se ficar calado, ou para se mostrar ou quando se fala por falar. São palavras que não têm essência.

  99. "Como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus?" Mat.12:34. O mesmo tipo de pergunta poderia ser colocada a muitos: "Como podereis dizer coisas más havendo sido transformados?"

  100. Jesus enviou os Seus discípulos sem ouro e sem prata nos cintos. Aliás, nem alforge deveriam levar com eles. Contudo, é de realçar que nem todos são chamados para viver assim. Os que se atreverem sem haverem sido chamados, pagarão pelo seu erro grosseiro  e arrogante. Não podemos ser movidos pela arrogância e antes pelo chamado de Jesus. Todos devemos confiar obedecendo, mas, confiar desobedecendo é mais que loucura - - é uma forma de burrice teimosa.

  101. Muitos pensam no Reino dos Céus como aquele reino que vem depois da morte, quando devemos entender que é o mesmo reino que reina nos céus e chegou à terra. Lemos a respeito desse reino algo assim: "Qualquer, pois, que violar um destes menores mandamentos e assim ensinar aos homens será chamado o menor no Reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no Reino dos céus", Mat.5:19. Existem pregadores que não sabem por que razão as suas congregações não crescem e por que razão ou razões não se tornam mais importantes ou mais decisivos no Reino de Deus e na propagação do Evangelho. Esta é uma das razões: não ensinam os homens como devem ensinar e nem se ensinam a eles mesmos. Seu testemunho é precário, suas vidas não correspondem ao Evangelho e somente as suas palavras desse Evangelho barato que hoje se vê proliferando pelo mundo dos enganados e dos enganadores. Não ensinar da maneira que devemos e não viver da maneira que devemos viver, sendo ou tornando-nos dignos desse Reino dos Céus, é a principal causa da pequenez das coisas que deveriam tornar-se grandiosas.

  102. Aquele que não é capaz de suportar vaias, acaba caindo com os aplausos. Existe uma relação direta entre sentir-se ofendido com as vaias e sentir-se elogiado com os aplausos.

  103. Blasfemar é usar o nome de Deus em vão, usá-lo fazendo referências pouco dignas ou maliciosas. Não é à toa que um dos mandamentos é que não usemos o nome de Deus em vão.

  104. É preferível morrer solteiro ou solteira que morrer casado quando foi o pecado que uniu o casal e não Deus. "Escolhendo, antes, ser maltratado com o povo de Deus do que por, um pouco de tempo, ter o gozo do pecado", Heb.11:25. Se aqui diz "escolhendo", é porque quem tem tomar uma decisão é você. A escolha é sua, a opção cabe a si. Deus não vai escolher por si para você afastar-se do pecado ou de qualquer jugo desigual. Escolha logo quem quer servir. Adiar a decisão a favor de Deus prejudica a sua vida futura, ainda que, mais tarde venha a tomar a decisão correcta. "Assim, ao Senhor temiam e, também, a seus deuses serviam, segundo o costume das nações", 2Reis 17:33. Você teme a Deus e também se rege pelas maneiras como o mundo faz as coisas? Vende, compra, fala da mesma maneira que o mundo faz? Os seus costumes são os costumes das nações? É o namoro que decide com quem casará ou é Deus? Os seus sentimentos sabem mais que Deus? São capazes de decidir melhor que Ele?

  105. Você pode estar mal com Deus sem se aperceber disso, como pode estar bem com Ele sem se dar conta desse facto. Contudo, estando mal com Deus costuma dizer: "Se Deus me falar, se Ele me mostrar, eu resolvo. Deus não me está falando!" Se Deus não lhe está falando, deveria estar. Na verdade, não deve ser Deus quem está calado, mas, você que não se encontra em estado de ouvir. Somente ovelha é capaz de ouvir. Você é mesmo ovelha? Não adie as coisas que deve fazer com a desculpa que Deus não falou. Antes, diga que não ouviu ou não quer ouvir e deixe de colocar as culpas em Deus. O problema não está em Deus que fala e antes em quem ouve - ou em quem não ouve.

  106. O entusiasmo da fé, isto é, a alegria de receber ou a perspectiva de receber pode motivar um tipo de entusiasmo que muitos não consideram. Embora esse entusiasmo honre Deus, devemos ter em conta que o entusiasmo deve-se a muitas coisas. Alguém pode animar-se vendo o sinal. Isso acontece muito com os incrédulos que se consideram crédulos. Outra situação ocorre quando alguém recebe algo que deseja muito, isto é, encontra-se pessoal e emocionalmente envolvido no que recebe. Mas, existem os que honram Deus e buscam as coisas pensando e amando a honra de Deus. Esses, geralmente, demonstram um espírito pacífico, uma fé firme e uma alegria que raramente expressam através de manifestações ou palavras. Suas palavras são poucas e suas afirmações são seguras.

  107. Paciência que não esteja associada a um desejo intenso de algo se concretizar em total conformidade com aquilo que Jesus prometeu, não pode ser considerada como paciência.

  108. É integralmente verdade que nunca haverá um verdadeiro avivamento sem santidade brilhante, sem uma integridade notável aos céus. Contudo, não é inteiramente verdade que, onde haja santidade dessa vá haver avivamento. Jacó santificou-se e santificou o povo e houve um temor a Deus num raio extenso entre os povos à sua volta. Houve um avivamento. Mas, Elias, Eliseu e outros eram santificados continuamente e nunca conseguiram que houvesse esse temor generalizado em Israel e arredores.

  109. Ainda que fosse tão justo quanto o anjo mais puro, deveria despir-me de minha justiça para revestir-me de Cristo.

  110. Muitas vezes, as pessoas que passam por tribulações acreditam que isso acontece por um bem maior ou para se livrarem de qualquer mal pior que a tribulação. "Ah, se não tivesse passado por isso, teria sido morto ou algo mau aconteceria". Mas, é um equívoco grande. Embora Deus também nos possa livrar do mal por essas vias, Ele não necessita de nenhuma tribulação para nos livrar de nada. Na verdade, a tribulação só tem um bem maior em conta: a otimização da obediência. A obediência é o bem maior que Deus procura promover.

  111. A transparência é o aliado mais íntimo da santidade. Existem casos onde a transparência é a própria santidade. Andar na luz garante toda a purificação - desde que andemos na luz como Jesus anda nela.

  112. Um erro ou pecado nunca anda sozinho. Um busca outro ou um traz o outro. Salomão sacrificava nos altos, ainda que sacrificava a Deus. Não terá sido por essa razão que buscou mulheres estranhas e entrou noutros pecados como consequência? É verdade que um pecado pode ser cometido sem haver antecedentes como a causa, mas, se houver um será, certamente, uma das causas principais para outros. Isso acontece porque o pecado nos separa de Deus, isto é, da graça. Somos salvos do pecado pela graça de Deus. Assim sendo, um pecado abre o caminho para a entrada de outro porque separa de Deus.

  113. Eis uma verdade: se sou realmente guiado por Jesus, se sou filho d'Ele, qualquer lágrima  que eu verta a meu favor é vertida em vão. Devo guardar as lágrimas para os perdidos ao meu redor. Esses realmente precisam delas.

  114. Estando num caminho que parece certo ou em algo que não é a vontade de Deus - ainda que seja algo muito nobre - e caso creiamos estar na vontade d'Ele, 'ouviremos' ou buscaremos ouvir as 'vozes' a respeito desse caminho. É um caminho para o desapontamento, certamente. Seremos enganados pelas vozes que ouvimos e pelo nosso próprio coração, acreditando que é Deus quem se pronuncia a esse respeito. É mais difícil corrigir alguém que pensa estar certo que alguém que sabe que está errado, embora o erro de quem pensa estar certo seja maior que todos os outros.

  115. "Os ímpios circulam por toda parte quando os mais vis dos filhos dos homens são exaltados", Sal.12:8. Por vezes, pergunta-se por que razão existem tantos assaltantes, assassinos e pessoas más em certo países e por que razão circulam por todo lado impunemente. Segundo a Bíblia, é porque os que são elevados como governantes são vis e não honram Deus com suas vidas. Logo, colhem tudo aquilo que semeiam. Mas, alguém poderá argumentar que quem sofre são aqueles que não governam. E eu respondo: "Quem escolheu aqueles que governam?" Quem os escolhe torna-se cúmplice de tudo o que fazem.

  116. O medo bateu à porta. A fé foi atender. Ninguém estava lá.

  117. Eu não posso acreditar em mentiras, mas, posso crer no que é possível.

  118. Se eu for uma pessoa fiel e não confiam em mim, se não esperam que eu cumpra e estiverem sempre a lembrar-me os meus deveres, por certo que me sentirei ofendido e injuriado. Se até os infiéis se sentem ofendidos quando não confiam neles - imaginem a ofensa que é para os que são realmente fiéis! Tendo isso em mente, imaginemos o que significa não crer em Jesus, não confiar n'Ele e dependermos de nós mesmos para tudo, havendo nós nascido de semente infiel numa terra onde a infidelidade é uma cultura e forma de vida. A semente de Jesus é, em tudo, o oposto disso.

  119. Se alguém estiver a ser tratado por Deus através de provações e não se corrigir no meio dessas dificuldades ou repreensões, não ficará melhor quando as coisas começarem a correr bem. Mudando-se as circunstâncias para melhor, as coisas pioram para o coração se a pessoa não se tiver submetido a Deus ou às Suas exigências todas anteriormente. Imaginemos que um casamento enfrenta certas dificuldades e pobreza para que o casal se una e um aprenda a entender o outro enfrentando as coisas juntos. Caso essa união não aconteça sob dificuldades e provações, irá piorar assim que as circunstâncias começarem a mudar para melhor. A desunião será maior e os desentendimentos também. Não podemos alimentar a vã esperança de que as coisas melhorarão entre o casal caso as circunstâncias mudem para melhor. Isso não irá acontecer. É uma lei da natureza e é aplicável e extensível a todas as outras situações humanas possíveis. Se alguém rouba, sendo pobre, roubará se enriquecer e será mais desonesto ainda; se alguém mente sob pressão, será maior mentiroso quando exercer essa pressão; etc. Precisamos mudar já e antes que as circunstâncias mudem, independentemente de quais sejam as dificuldades onde nos possamos achar. As circunstâncias não têm nada a ver com o estado do coração.

  120. Se a maior honra para o homem é livrar-se de si mesmo e salvar-se dos seus pecados - e se isso é honroso para Deus - isso significa que a maior desonra é ser entregue a si mesmo e ser deixado nos pecados que deseja. "E, como eles se não importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convém", Rom.1:28.

  121. "Descansa no Senhor e espera n'Ele", Sal.37:7. Muitos só conseguem estar no Senhor sem descansar n'Ele e sem saber esperar n'Ele. Se 'descansam', não estão no Senhor; e se estão no Senhor, não descansam. É necessário alcançar o nosso sossego estando n'Ele e Ele em nós sem sermos fingidos. Esses nunca se cansarão porque esperam n'Ele verdadeira e ininterruptamente.

  122. "Olhávamos atentamente para gente que não pode livrar", Lam.4:17. Quantos olham, também, para coisas que não podem salvar. Existem circunstâncias onde nem o ouro pode comprar o que precisamos.

  123. Todas as meias verdades tornam-se sempre grandes mentiras. Não há meia verdade que, se não morrer, não se transforme numa enorme mentira mais tarde ou mais cedo.

  124. Se sabe que as pessoas se inspiram muito através de ações, experimente fazer em vez de falar. Cumpra os mandamentos de Jesus e fale menos.

  125. Uma obra completa não cansa tanto como uma parte dessa obra feita de forma perfeita. Fazer uma coisa cansa menos que fazê-la bem.

  126. Debater contra a vida é lutar a favor da morte. Deus é vida e a nossa consciência o barómetro. Se Deus se colocar contra nós, devemos ouvir as Suas razões e entendê-las da maneira d'Ele antes de nos exaltarmos contra Ele.

  127. Deus pode guiar e levar alguém sem que seja notado. Ele pode guiar-nos sem nos apercebermos. Mas, isso não edificaria a obediência e nem construiria um coração que Deus deseja em todos nós.

  128. A incredulidade opõe-se abertamente à ideia dum Deus real. Um Jesus real assusta o pecador incrédulo. É isso que define a incredulidade. A incredulidade admira-se com a realidade, rejeita ou teme um Jesus real. Contudo, crê num Jesus inativo e busca-o avidamente.

  129. Muitas vezes, as orações, intercessões e jejuns de muitos são impulsionadas por vontades e desejos dos próprios e não por uma busca da vontade de Deus e para que ela se concretize como vontade de Deus.

  130. A distração é, por norma, uma luta entre dois pensamentos que pedem a atenção da pessoa. A atenção é única e os pensamentos mais que um. Logo, surge a distração. Nessas circunstâncias, ao invés de ficar lutando com vários pensamentos, devemos parar e decidir a qual deles iremos dar atenção prioritária: se aquilo que estamos fazendo ou se aquilo que nos chama a atenção.

  131. Os Apóstolos usavam as palavras "este presente século" para descrever algo que seria difícil descrever como "esta vida". A vida neste mundo não é vida e, por essa razão, tinham alguma dificuldade em usar a palavra vida para falar do que se passa aqui. Passaram a usar as palavras "este século", pois não dura muito.

  132. As rosas têm muitas semelhanças com quem tem a fragrância do Evangelho de Cristo. Crescem entre espinhos, mas, seu perfume e beleza não são afetados. As pétalas não tem espinho e a sua fragrância não se torna ruim. Os espinhos não picam a flor e antes todos aqueles que tentam destrui-la.

  133. viu uma criança que ainda não sabe escrever bem e só sabe fazer letras? Quando aprende a escrever seu nome numa folha, começa sempre com letras grandes para, depois, ver que o nome não cabe na folha. Não seria melhor começar sempre com letras pequenas? Na verdade, é precisamente isso que muitos fazem com as coisas espirituais. O que dizem quando começam é tão desproporcional que, no final, não cabe na folha da sua vida. Antes buscassem as coisas do tamanho certo e falassem delas. Não precisamos letras grandes para descrever coisas grandiosas. Por muito pequenas que sejam as letras, não diminui o tamanho do que se descreve.

  134. Meu descanso é estar com Deus. Não se descansa de Deus, mas, com Ele.

  135. Abraão viu o ventre de Sara envelhecer e secar na frente dos seus olhos. Esse envelhecimento era constante e diário. Mas, a promessa de Deus mantinha-se vivificada e vivente. Não conseguia negar qualquer das duas realidades. Enquanto o ventre de Sara se ia secando, o fogo da promessa ia aumentando nele. Era real. Cada dia que passava, o contraste era cada vez maior, pois, um secava e o outro aumentava no coração. E tudo terminou em bem. Assim opera nosso Deus. Só devemos estar desconfiados caso Deus não opere dessa maneira. Mas, se operar conosco assim, estamos em conformidade com aquilo que aconteceu com todos os que Deus purificou. Estamos conforme o padrão. Os relatos da Bíblia são claros e confirmadores. Se acontecerem conosco estas coisas de maneira contraditória, devemos ganhar ânimo, pois, estamos dentro do programa e dentro do padrão. Nada melhor para nos confirmar que Deus está, de facto, conosco.

  136. Não existo para fazer amizades ou ter amigos. Existo para dar filhos a Deus e edificá-los como tal. Ainda que passem a ser meus irmãos e irmãs, não existo para esse fim e nem trabalho com essa finalidade.

  137. Experimentei a vida de forma real. Fiz um desenho fiel de tudo que ela representa. Agora, alguns tentam alcançar o desenho e não a vida. Por que será? Outros, ainda, tentam pintar a partir do meu desenho porque pinto o que é real. Tudo que eu queria era que buscassem a vida e não que pintassem. Antes, desejava que a achassem e que, pelo desenho, se tornasse mais fácil e que pudessem entender que existe diferença entre a vida verdadeira e os evangelhos falsos que proliferam por aí.

  138. Aprender é vivendo ou experimentando vida real e abundante. A Bíblia fala dos que aprendem sempre e nunca chegam ao conhecimento da vida. Por outro lado, não é preciso saber ou explicar tudo o que se passa em nós se vivemos e experimentamos a vida eterna que Deus nos deu para viver agora e depois.

  139. Como podemos distinguir entre a liderança do Espírito Santo e o impulso da emoção? A emoção é sempre uma consequência de algo. A voz de Deus é uma origem. Por isso, basta conseguir distinguir entre consequências e origens e, depois, ver qual a origem do que se sente para nunca se colocar esperança sobre sentimentos, consequências resultantes.

  140. "...Não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância", 1Ped.1:14. É necessário olhar para este versículo algumas vezes. Só assim podemos entender o que quer dizer. Fala das concupiscências que antes havia. Isto é, não existem mais (na pessoa) ou já não são concupiscência, pois, existem coisas boas que as pessoas são capazes de tornar em concupiscência. Mas, se não existem mais e se já não são motivo de tentação sequer, como é que alguém ainda se poderá conformar com elas? Parece uma contradição, mas, sabemos que não é. Paulo também diz aos fiéis de Roma para não se conformarem com as concupiscências deste mundo, Rom.12:1,2. Falava para pessoas que já eram fiéis. Por isso, podemos deduzir que estar conformado com as concupiscências não tem nada que ver com as tentações pessoais e antes com a conivência ou complacência. Isto é, podemos estar indiferentes, coniventes, ignorantes ou aprovando aquilo que a concupiscência faz e do modo como atua. Paulo fala daqueles que aprovam o que os outros fazem de mal, seja assistindo a filmes ou novelas ou seja em forma de amizades com o mundo (Rom.1:32). Por exemplo: as nossas palavras e modos de falar podem dar a entender que aquilo que chamam de romance não é uma forma de adultério; que a desonestidade é apenas 'negócio' e que não é necessário estimar o nosso próximo como a nós mesmos buscando o lucro; etc. Existem muitas maneiras de nos conformarmos com as concupiscências deste mundo em atos, sem atos, em palavras ou sem palavras. Até o sentido das nossas palavras deve ser revisto caso queiramos viver sem nos tornarmos desagradáveis ou ofensivos a Deus.

  141. "Porque praticaram a falsidade, o ladrão entra e a horda dos salteadores rouba cá fora", Os.7:1. Existem certas leis na natureza das quais ninguém escapa. O mesmo acontece com leis espirituais. O ladrão entra onde se pratica a falsidade. Embora existam excepções à regra por causa de outras coisas que Deus possa desejar alcançar, devemos ter em conta que ainda hoje quem mata à espada, morre à espada; quem fala de outros, ouvirá rumores a seu respeito; quem pratica a falsidade será roubado; etc. "Não dizem no seu coração que Eu me lembro de toda a sua maldade; agora, pois, os cercam as suas obras; diante da Minha face estão", Os.7:2. Isso é uma forma de Deus se lembrar das iniquidades de muitos: através das leis do universo.

  142. "Porque a vossa beneficência é como a nuvem da manhã e como o orvalho da madrugada, que cedo passa", Os.6:4. Quantas coisas em sua vida passam rápido? Quantas atitudes boas ficam pouco tempo e quantas permanecem? Existem muitas pessoas cujas boas intenções duram até à primeira provação. Isso acontece àqueles que a Bíblia chama de instáveis e dobres de coração. Quando é que suas atitudes e decisões celestiais irão conseguir permanecer para sempre?

  143. "Porque o teu povo é como os que contendem com o sacerdote", Os.4:4. Existe quem contenda com o marido, com o pai, com a mãe e até mesmo com as autoridades de seu país ou de outro país. Isso nunca pode ser considerado como uma falha menor e antes como um pecado muito sério. Quem não está de acordo não tem qualquer razão para responder mal, ainda que responda. Mas, nem sempre é necessário responder quando é Deus quem responde por nós. Contudo, por vezes Deus responde através de nós e devemos fazê-lo da maneira que Deus faria.

  144. "Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo", 2Cor.3:3. O facto de ser manifesto nunca pode significar que seja globalmente aceite. Isto é, alguém está sendo manifesto como uma carta de Cristo por haver-se concertado com Jesus e com pessoas a respeito de todos os pecados antigos e a respeito dos pecados que praticava, abandonando-os para sempre e prosseguindo com aquela vida que somente Ele dá. Logo, manifesta outro tipo de vida e não apenas outro tipo de profissão de fé. Essa vida fala alto e intriga todos os que anteriormente conheciam a pessoa em questão. Mas, nem todos gostarão do que vêem, ainda que se impressionem com a transformação que notam. Ora, ser uma carta de Cristo, isto é, sê-lo verdadeiramente, não significa necessariamente ser aceite como tal, pois, é possível ser-se rejeitado como tal. Por norma, os últimos a reconhecerem a transformação - se é que vão reconhecer - são os da própria casa, pois, a maioria das pessoas com parentesco não olham muito para o que se passa em seus parentes íntimos por acreditarem que já conhecem muito bem 'as peças' da casa.

  145. Toda a forma de esperança é legítima. Com isso quero dizer que posso esperar sempre algo de Deus. Mas, para evitar desapontamentos, preciso distinguir entre a esperança que se baseia numa palavra de Deus dirigida a mim a respeito do que espero e uma esperança que ainda se baseia naquilo que desejo que Deus possa dar. O que desejo que Deus possa dar pode ser mantido como esperança a respeito da qual Deus ainda se pronunciará. Mas, até isso acontecer, não será uma esperança legítima e pode desapontar caso se mantenha como uma certeza. Devemos poder aceitar, também, um "não" com a mesma alegria, pois, vem de Deus e Ele sabe o que faz. Somente as esperanças legítimas e baseadas numa palavra pronunciada por Deus não enganam e não deixam alguém sem rumo seguro e certo.

  146. "Não folga com a injustiça, mas, folga com a verdade", 1Cor.13:6. Esta 'folga' com a verdade é um tipo de alívio dum peso. A injustiça, isto é, a existência da iniquidade é um peso para o coração do justo. Não é uma ameaça para o justo, mas, para o injusto que nunca foi transformado. Para o justo é um peso. Esse facto torna a injustiça um peso para qualquer coração justo.

  147. Quem está acostumado a exercitar um tipo de 'fé' que se baseia em esperanças próprias, desejos pessoais ou conclusões que não chegaram de Deus por Seu Espírito (ao espírito do homem), certamente terá grande dificuldade em crer de outra maneira, isto é, quando Deus pronuncia uma palavra ou fala ao coração. Isso acontece porque as duas formas do coração operar em cada caso são distintas e antagónicas. Crer quando Deus não se pronunciou previamente não é fé. É falsidade. E se isso é verdade, podemos afirmar ainda que aquele que consegue crer quando e sempre que Deus se pronuncia, não conseguirá crer quando é seu coração a mandar na sua fé. Isso não pode ser considerado como incredulidade. Contudo, existe uma enorme possibilidade de existirem pessoas estagnadas por estarem presas e hesitantes entre essas duas coisas.

  148. "Não te deixes vencer do mal", Rom.12:21. Se o mal conseguir alterar a nossa paz, se conseguir que respondamos na mesma moeda, já fomos vencidos dele.

  149. Se não tivermos algum mal no coração impedindo a fé, teremos a fé impedindo todo o mal. Nada é indiferente nesta terra. Tudo significa alguma coisa toda a hora.

  150. Da maneira que a fé sabe que Deus ajustará todas as Suas contas com os ímpios, dessa mesma maneira sabemos que Ele se achegará aos justos para acertar tudo com eles por causa da justiça existente em seus corações. Crer numa coisa sem poder crer na outra não pode ser considerado como fé.

  151. "Pela altivez do seu rosto o ímpio não busca a Deus; todas as suas cogitações são que não há Deus", Sal.10:4. Isto não significa que aquele que não busca Deus diga que Deus não existe. Significa, apenas, que age como se Deus não existisse, vivendo sem ser guiado, sem ser reinado por Deus e Seu Espírito e agindo sem temor ao Senhor. Também significa que todo aquele que não busca Deus para ser guiado e reinado é ímpio - ainda que o 'busque' de outra maneira e para outros fins.

  152. A fé pode mesmo exigir que creiamos em coisas absurdas e impossíveis, como uma virgem ter um filho sem conhecer um homem. Mas, ainda que exija de nós tal coisa, a palavra que nos é dada exigindo tal comportamento do coração não é dada de forma absurda e desanexada. A Palavra em que devemos crer deve ter a substância e a força de Alguém que promete por trás dela. No caso de Maria e do marido de Elisabete, o anjo Gabriel apareceu na sua frente. Maior provação passou José que teve informação divina através dum simples sonho. Qualquer um pode duvidar dum sonho. Mas, não deve ser fácil duvidar dum anjo que está sempre diante de Deus, o qual não precisa apresentar-se ou dizer qual o seu nome sempre que aparece.

  153. "...Falou aos filhos de Israel, mas, eles não ouviram a Moisés por causa da angústia de espírito e da dura servidão", Ex.6:9. Como é duro falar a verdade a alguém que não deseja crer ou que não tem capacidade (vontade) de crer! De seguida, imaginem como será ainda mais difícil dizer ou explicar uma verdade ao descrente que, ao mesmo tempo, não tem esperança ou não a quer tê-la com receio de se iludir. Aqui, já ficam mal e incapacitadas duas virtudes muito importantes para a vida normal de qualquer homem: a fé verdadeira e a esperança que não engana. E se a isso juntarmos o fato de que essa palavra de verdade é dirigida a um coração duro, que não ama e não deseja amar, temos, então, muitos problemas sérios e, em muitos casos, impossíveis de resolver. Ainda bem que tudo é possível para Deus! "Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas, o maior destes é o amor", 1 Cor.13:13. "Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta", 1Cor.13:7.

  154. Todos os pecados têm uma sentença sobre eles. Ainda que essa sentença não seja tão imediata como aconteceu no caso de Ananias e Safira, ela alcançará todo o culpado que não foi totalmente limpo de suas culpas. E mesmo aqueles que foram limpos, podem nunca se livrar de certas consequências dos muitos pecados que cometeram. Imaginemos uma moça que engravidou antes de casar. Seu filho nunca será devolvido e deve ser criado como filho de Deus depois de haver recebido seu perdão.

  155. Deus age de maneira diferente com pessoas. Age duma maneira com aqueles que Ele vê que irão ser fiéis e doutra com aqueles que cambaleiam entre vários pensamentos. Aquele que está sendo fiel, Deus limpa através de provações e situações onde a sua fé é provada. Os que não são fiéis são provocados com situações que os provocam a crer. Uma coisa é Deus lidar com um Jacó que precisa duma luta com Deus e outra é lidar com um Israel que já lutou com Deus e já venceu. Os descrentes são provocados com sinais e outras coisas que podem convencer a crer, mas, não são provados porque não têm fé para ser provada. Só a fé pode ser provada. Os que já crêem, são provados para se tornarem mais limpos.

  156. "Eu sei que por minha causa vos sobreveio esta grande tempestade", Jonas 1:12. Quantas vezes os males das pessoas ao redor são causadas pelos próprios crentes que resolvem ser desobedientes!

  157. "Porque, naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados", Heb.2:18. Viremos este versículo de trás para a frente. Você tem a disposição de ser socorrido naquelas coisas em que Cristo foi tentado e nas situações onde Ele se encontrou? Ou procura outro tipo de situações onde ser apoiado?

  158. "Amaste a justiça e odiaste a iniquidade; por isso Deus, o teu Deus, te ungiu Com óleo de alegria mais do que a teus companheiros", Heb.1:9. Duas coisas a este respeito. Muitos invejam a alegria de certas pessoas que andam com Jesus ininterruptamente. Querem o fruto, mas, sem semear e plantar. A alegria verdadeira reside no fato da pessoa amar a justiça e odiar a iniquidade. Mas, tenhamos algo em conta: não é necessariamente a iniquidade dos outros que é odiada e antes a que pode residir no próprio. Este versículo fala de coisas pessoais, de santidade, justiça ou iniquidade dos próprios e não aquela que reside nos outros. A justiça habitando em alguém torna essa pessoa justa. Essa justiça deve ser acarinhada, cuidada, apadrinhada e amada. E é a iniquidade no próprio que deve ser odiada, interrompida, abolida, odiada e depreciada. Fazer isso com a iniquidade dos outros é uma prova de cobardia.

  159. "Mas, revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências", Rom.13:14. Existem duas coisas aqui, para todos os que desejam parar de pecar. Uma é sermos revestidos de Jesus. E isso precisa ser real. A segunda coisa é não dar qualquer espaço de manobra, provisão ou pensamento à possibilidade de pecar. Por norma, as pessoas só fazem uma dessas coisas e andam cambaleando: ou uma guerra feroz contra o pecado sozinhos ou colocam a desculpa ou culpa em Deus enquanto buscam o pecado e visitam, olham, pensam e cismam com as coisas das trevas.

  160. Qualquer tribulação continuada, ainda que mais leve, é mais difícil de suportar que varias tribulações ocasionais que vêm e vão, isto é, que começam e terminam. Uma gota de água que pinga a cada segundo durante a noite toda perturba mais gente que um estrondo que dura uns segundos.

  161. "Perseverai na oração", Rom.12:12. A palavra "perseverar" é diferente de "insistir" em muitos sentidos. Mas, a principal característica de quem é capaz de perseverar é que a pessoa tem um alvo bem definido o qual sabe que vai alcançar. No mínimo, sabe que pode alcançar de Deus. Mas, nunca vi alguém conseguir ser perseverante na oração por muito tempo quando, no seu dia-a-dia ou naquilo que pede de Deus depende das suas forças, das suas ideias e dos seus esquemas para conseguir o que pretende. Quem não entrega tudo aos pés de Cristo - tudo mesmo, incluindo a forma habitual de conseguir as coisas - dificilmente perseverará até obter resposta concreta.

  162. "Sede pacientes na tribulação", Rom.12:12. Esta paciência não se refere apenas a ser paciente a respeito da tribulação, mas, a tudo enquanto estamos sob tribulações. A paciência deve imperar no dia-a-dia e em cada situação nesses momentos. No entanto, devemos conseguir distinguir entre tribulação e falta de higiene espiritual com seus consequentes atritos de alma.

  163. A graça precisa ser recebida. Quando Deus estende-a até nós isso não significa recebê-la, mas, apenas que ela está sendo oferecida. E recebê-la, ainda que seja bom, ainda não é depender dela. E depender dela, pode não ser depender dela inteira e exclusivamente para tudo. A graça é colocada diante do nariz do homem; depois deve ser recebida de bom grado e alegremente e nada melhor para dar alegria que uma busca intensa onde se acha; se não for bem-vinda a esse ponto, será uma ofensa para a graça de Deus. E quando for aceite, torna-se necessária uma inteira, integral e exclusiva dependência dela. Embora uma coisa leve à outra, uma coisa não é a outra. São coisas distintas.

  164. "Não sejais vagarosos no cuidado", Rom.12:11. Precisamos entender bem a Palavra de Deus para nunca dar-lhe um significado que ela não tem. Este cuidado é um de cuidar de fazer as coisas, isto é, cuidar da casa, do dever de mãe, do trabalho, da leitura da Bíblia, do deve de orar, das necessidades das pessoas e de tudo o mais que é preciso ser cuidado. Sendo entusiastas em tudo, não seremos vagarosos em nada.

  165. "Comunicai com os santos nas suas necessidades", Rom.12:13. Já vi muitas pessoas darem do que lhes sobra para a obra de Deus. Também vi uns poucos darem do que têm e lhes faz falta. Mas, quase nunca vejo quem se tente informar sobre as necessidades de quem não pede e não diz nada a ninguém sobre o que precisa. O verdadeiro santo não comunica a sua necessidade. Segundo Paulo, são os que podem ajudar que devem comunicar com essas necessitados e serem informados a respeito deles, seja de que maneira for - até mesmo quando esse santo recusa falar. Hoje só recebem aqueles que pedem quando deveriam estar pregando o Evangelho da verdade. Os honestos e sinceros, todos aqueles que pregam o Evangelho a partir dum coração puro e desinteressado, passam mal porque não se queixam e porque ninguém é capaz de se informar a respeito das suas necessidades.

  166. Conhecemos a parábola das dez virgens, entre as quais havia cinco loucas. E eram loucas porque não se haviam preparado ou prevenido. No entanto, existe algo que nos passa despercebido nesta parábola. A luta das virgens era manterem-se acordadas. Como de costume, as pessoas lutam com uma coisa quando o problema é outro. O verdadeiro problema nem era o sono e a fadiga, mas, a falta de óleo que não se resolve no momento que se precisa dele, mas, antes - muito antes.

  167. Qualquer um pode ser firme. Poucos são firmes em Deus. Deixem-me explicar. Não existe firmeza em quem não é firme. A pessoa, para ser firme em Deus, precisa ter firmeza nela própria ou saber reagir firmemente. Uma pessoa inconstante não será firme porque não exercita a firmeza ou nunca se acostumou a exercitar tal capacidade juntamente com tudo aquilo que lhe é próprio. Uma pessoa que foi firme no pecado tem a sua firmeza. Logo, ela tem a capacidade de firmar-se em Deus por ser pessoa firme, caso se reconcilie com deus e com Seus caminhos. Ser firme no pecado é uma aberração. Mas, a firmeza em Deus é uma virtude. Deve ser olho por olho daquilo que éramos capazes de ser para o mundo, só que agora devemos sê-lo para Deus. E qualquer pessoa que era inconstante em sua vida de pecado, chegando-se a Deus deve exercitar a firmeza até que ela se torne a sua natureza. Só os firmes conseguirão ser firmes em Deus.

  168. Sem graça as pessoas não podem entrar nos caminhos de Deus e só andam em caminhos próprios sob a paciência de Deus. A pessoa sem Deus tem capacidade para optar por qualquer tipo de caminho mau, mas, não tem como entrar na porta estreita e nem de permanecer no caminho estreito caso já tenha entrado nela pela graça e resolva fazer as coisas doutra maneira após haver entrado. A Bíblia é clara sobre o fato de cada um ter a capacidade de seguir o seu próprio caminho. A graça capacita-nos a deixar de seguir caminhos próprios e seguir Jesus pelos d'Ele.

  169. Quando são leis, padrões, decisões ou estímulos a oporem-se a qualquer pecado ou sombra de pecado, não podemos afirmar que esse pecado se encontre eliminado. É um bom princípio ter certas razões contra o pecado. Mas, tudo isso apenas evita a transgressão, algo que não deixa de ser louvável e apreciável. Contudo, nada disso extermina o pecado do coração. Não há lei que o consiga fazer. Qualquer princípio moral, ao contrário da graça, evita a transgressão, mas, não extermina a fonte do pecado.

  170. "Porque a circuncisão é, na verdade, proveitosa, se tu guardares a lei; mas, se tu és transgressor da lei, a tua circuncisão se torna em incircuncisão", Rom.2:25. Muitos falam da eleição e da predestinação. A circuncisão era o sinal dessa aliança. E se traduzimos esta ideia da seguinte forma: "A eleição (predestinação) é, na verdade, proveitosa, se tu guardares a lei; mas, se tu és transgressor da lei, a tua eleição se torna em não eleito".

  171. Lembramos como Deus disse a Josué para ter "bom ânimo". A verdade é que ou se acaba tendo bom ânimo ou se terá mau ânimo, pois, ninguém fica sem ânimo nenhum por muito tempo. E quem não opta logo por bom ânimo, terminará com ânimo mau.

  172. "Eliseu disse: Também eu bem o sei; calai-vos", 2Reis 2:3. Não é interessante que os verdadeiros profetas de Deus nem sempre dizem as coisas que lhes são reveladas? Neste caso, Eliseu entendeu que era dever dos profetas calarem-se a respeito duma revelação importante. Quantos gostariam de se mostrar em ocasiões como estas, falando em sua arrogância! Se já falam quando é mentira e quando Deus não revela nada, imagine-se o que fariam se Deus mostrasse! E que lindo é ver Elias e Eliseu calmos e agindo normalmente mesmo sabendo que algo fora do comum iria acontecer. Precisamos de homens assim novamente, os quais não se admiram com as obras de Deus. Os homens de hoje vendem-se por muito pouco. Na verdade, vendem a sua alma por menos que pouco.

  173. É muito fácil alguém falar em nome de Deus, falando dos Seus feitos estando em oposição a Deus. "Vês aqui teus deuses, ó Israel, que te fizeram subir da terra do Egito", 1Reis 12:28. Quem fez o povo subir do Egito? No entanto, as meias mentiras têm o seu poder, juntamente com as aparências da verdade, pois, podem 'colar' os feitos de Deus a falsos profetas, falsas profecias e até mesmo a poderes falsos.

  174. Antes, no tempo dos apóstolos, toda a boa doutrina deveria ser uma forma de vida. Era uma profissão de vida. Hoje, tudo é uma profissão de fé. Os que pregam (certo ou errado) contentam-se em lutar pelas doutrinas que consideram certas. Por essa razão, fazem tanta questão de ter certas confissões de fé pelas quais guerreiam assiduamente. Quem dera tivessem confissão de vida e não de fé!

  175. Não são somente os verdadeiros filhos de Deus que falam a verdade. Eu creio mesmo que até o diabo fala a verdade na maioria das ocasiões. A diferença marcante entre os filhos de Deus e os que não são filhos d'Ele não se pode detectar por aquilo que dizem, mas, por aquilo que são. Os filhos de Deus, além de falarem a verdade são a própria verdade. Os outros apenas falam da verdade que não conseguem tornar-se. Por isso, não chega para convencer alguém quando um pregador prega muito bem e tem capacidade de influenciar quem o ouve, pois, ele pode falar sobre a verdade sem ser verdadeiro, isto é, sem conseguir viver pessoalmente tudo aquilo que ensina. Ainda que ensine o que deve, não experimenta o que deve.

  176. Sempre que esperamos até ao fim por coisas boas da parte de Deus, os resultados serão sempre superiores ao tempo de espera e maiores em contraste com a demora do tempo em que perseveramos até ao fim havendo permanecido limpos. Esta verdade, contudo, só será bem entendida e plenamente aceite por aqueles que olham para aquilo que já passou e pode ferir quem ainda esta passando pelo seu tempo de espera e provação.

  177. Seria bom que as pessoas se preocupassem com aquilo que são acima de se preocuparem com aquilo que fazem. É certo que a pessoa normal e não condicionada vá agir conforme aquilo que é. As suas obras demonstram aquilo que é. Mas, existem pessoas que se condicionam de tal maneira (principalmente nos círculos religiosos, académicos ou mesmo evangélicos) que conseguem evitar demonstrar aquilo que são ou seriam capazes de ser. Encobrem seu próprio coração até mesmo dos próprios olhos. Haja luz onde não se enxerga! Por isso é que as doutrinas que afirmam que as pessoas permanecem pecadoras não conseguem resultados dignos desse nome. São doutrinas que desculpam quem não vê maneira ou desejo de ser transformado por dentro. Por norma, a pessoa pede desculpa por aquilo que faz ou fez para poder manter-se como é. Também podemos entender por que razão as prostitutas e os ladrões entram à frente no Reino dos Céus: é porque eles não têm palavras para se desculparem ou para explicarem qualquer dos seus atos hediondos: consequentemente, só podem concentrar-se em mudar aquilo que são quando alcançados pela graça. Os demais terão sempre a tendência mórbida, desgastante e extenuante de encobrir aquilo que são através da mutilação daquilo que pensam, fazem, são ou seriam capazes de fazer.

  178. A vontade de Deus é para ser feita. Podemos estar a fazer a vontade de Deus sem nos darmos conta disso, quanto podemos recusar fazê-la sabendo qual ela é. Alguém que não se dá conta de que faz a vontade de Deus, exercitando-se nela, será duplamente abençoado. Isso revela que tem um coração conforme o de Deus e, por essa razão, consegue fazê-la sem dar-se conta disso. Os que são iguais andam juntos. E saber qual é a vontade de Deus não garante que a pessoa a fará, pois, saber dela não torna a pessoa conforme Deus. "Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?", Amós 3:3.

  179. Existe algo de errado nestes louvores superficiais de pessoas que 'engrandecem' o nome de Deus dizendo que Ele faz coisas grandiosas sem as haver feito (a eles). A falsidade nunca pode ser um louvor a Deus. Lemos que Davi engrandeceu o nome do Senhor, é um fato. Mas, quando o fez? "E falou Davi ao Senhor as palavras deste cântico, no dia em que o Senhor o livrou das mãos de todos os seus inimigos e das mãos de Saul", 2Sam.22:1. Davi nunca foi fingido e nem mentiroso na sua abordagem a Deus ou às pessoas. Ele, de fato, louvava o Senhor porque Ele era digno de louvor e não porque Davi queria louvar.

  180. Somente um homem fiel consegue crer numa promessa fiel feita por um Deus que cumpre. Um homem infiel crerá na promessa infiel e na fantasia.

  181. Se é grave termos o sangue de alguém em nossas mãos, imaginemos como será ter 'o sangue' da alma de alguém nelas! Nunca devemos ser responsáveis pela perdição de alguém, seja essa pessoa quem for.

  182. "Disse Saul: Porquanto via que o povo se espalhava de mim e tu não vinhas nos dias aprazados e os filisteus já se tinham ajuntado em Micmás, eu disse: Agora descerão os filisteus sobre mim a Gilgal e ainda à face do Senhor não orei; e constrangi-me e ofereci holocausto", 1Sam.13:11,12. Aqui já se nota o valor idólatra que Saul dava aos sacrifícios, ainda que esses sacrifícios eram supostamente dados a Deus. Saul pensava que o poder vinha do sacrificar. A idolatria do sacrifício não consiste apenas a quem se dá, mas, que poder se atribui ao dever e sacrifício. Se pensamos que Deus é agradado ou comprado com sacrifícios, somos idólatras. Do mesmo modo, podemos dar o valor a jejuns e a orações que eles não têm. O jejum deve ser um ato de obediência e não um ato comercial e de troca de favores com Deus. Também vemos mais na frente, (1Sam.1:22,23) que o problema (crença) de Saul permanecia. Vemos, por isso, que se não lidarmos a fundo logo na primeira convicção contra uma ideia idólatra, algum pecado ou tentação, esse mal seguirá conosco e continuará sendo um problema sério no futuro. A primeira convicção é extremamente importante e deve ser obedecida instantaneamente com sabedoria, inteligência e determinação espiritual, recebendo a salvação de Deus.

  183. Agradecer não é o mesmo que mostrar agradecimento verdadeiro. Agradecer é bom, são boas maneiras e faz parte da boa educação. Mas, qualquer um pode agradecer sem estar agradecido.

  184. "...Fazia-se agradável, assim para com o Senhor, como também para com os homens", 1Sam.2:26. Desde há muito tempo que venho vendo coisas estranhas acontecendo por causa da popularidade. Existem pessoas que trabalham com Deus e alcançam muitos corações devido à pureza dos seus corações e da sua mensagem. Mas, acabam por tornar-se levianos pensando que, com isso, irão conseguir alcançar mais gente ainda. A Bíblia diz claramente para nunca nos tornarmos iguais ao mundo, seja por que razão for. Mas, existe outra coisa que estas pessoas ignoram: as pessoas andam famintas pela verdade e, quando a encontram, magnificam-na. É disso que a bíblia fala quando diz que alguém se torna agradável, também, para os homens. Então, surge a pergunta: por que razão alguém mudaria o seu curso de vida e de atuação se foi precisamente esse curso verdadeiro e sincero que fez as pessoas aproximaram-se e magnificarem a verdade em quem a estima e preza? Para quê mudar se é sendo puros que atraímos as pessoas? Devemos levar em conta que não somente nos tornamos agradáveis às pessoas, mas, a Deus também. Ora, não podemos desprezar Deus para angariar o agrado das pessoas. E só sendo verdadeiramente agradáveis a Deus seremos verdadeiramente agradáveis aos homens que buscam a verdade. Os que não buscam a verdade, manterão o respeito à distância - ainda que não o reconheçam!

  185. A Palavra de Deus é como um bolo: primeiro, fazemos o bolo todo, decoramos e colocamos à disposição de quem deseja comer. Mas, para comer e saborear, não colocamos o bolo inteiro na boca - antes, comemo-lo em fatias. É verdade que não podemos saborear antes que o bolo se torne um todo. Mas, também não podemos saborear comendo-o todo duma só vez e de uma só dentada. Devemos obter um conhecimento vasto e global de toda a palavra de Deus para, depois, podermos servi-la às fatias para saboreá-la devidamente.

  186. "Os que contendem com o Senhor serão quebrantados", 2Sam.2:10. Contender com o Senhor é quando Deus, um homem de Deus ou uma consciência iluminada mostram alguma coisa e a pessoa a quem a exortação ou aconselhamento são dirigidos arranja sempre uma explicação, desculpa ou controvérsia para evitar assimilar a verdade. Tais pessoas serão quebrantadas e, muitas delas, para sempre.

  187. "Não multipliqueis palavras de altivez", 1Sam.2:3. É muito fácil multiplicar palavras de altivez. Basta falar da maneira que o mundo fala. O assunto não importa - basta o modo. Existem palavras de altivez que falam de Deus. A multiplicação significa que uma palavra chama outra e muitas chamam frases e as frases costumam trazer conversas inteiras à existência. As palavras multiplicam-se sempre e tornam-se conversas inteiras. Devemos deixar de falar da maneira que o mundo fala e abandonar a forma que o mundo usa para expressar a sua maneira altiva de ser. Só assim exterminaremos a altivez, tanto em nós mesmos como em nossos lares. "Nem saiam coisas arrogantes da vossa boca. Os ímpios ficarão mudos nas trevas", 1Sam.2:3,9. "Da soberba guarda o teu servo, para que se não asSenhoreie de mim. Então serei sincero e ficarei limpo de grande transgressão. Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a Tua face, Senhor", Sal.19:13,14.

  188. A única coisa capaz de fazer desfalecer um coração é o pecado. Embora as pessoas pensem que existem muitas coisas capazes de fazê-lo, a verdade é que a principal causa do desânimo é o afastamento de Deus. "As minhas iniquidades me prenderam (...) assim desfalece o meu coração", Sal.40:12.

  189. Quando uma família não ora junta, não anda junta. Vai cada um para o seu lado e, mesmo involuntariamente, entram em dissensões de vária ordem, ficam indiferentes uns para com os outros e entram por caminhos escusos e de falta de comunhão genuína.

  190. A falta de disciplina num lar ou numa família é como a falta dum pilar num edifício: ainda que tenha mais pilares, tombará para um lado e a sua queda será enorme. Essa queda trará consequências devastadoras. Por isso, devemos vigiar contra esse espírito onde as pessoas só fazem o que querem quando querem.

  191. Ouve-se falar muito em gozo, especialmente na Bíblia. Mas, o seu significado é importante. O gozo acontece quando duas coisas que pertencem juntas se encontram havendo estado separadas muito tempo ou havendo sido incompatíveis por longo período. Um coração transformado experimenta gozo ao ser preenchido pela presença de Deus; a fé sente gozo quando aquilo em que crê se cumpre na frente de seus olhos; o desejo da companhia de Deus torna o gozo possível assim que a abundância de Deus é experimentada na alma. Mas, não podemos pensar que um coração velho e podre sinta gozo na presença de Deus, ou que consiga alcançar todos os propósitos da fé. Estes são os princípios básicos da definição do gozo.

  192. Preciso ter tanto cuidado com a maneira como as pessoas falam quanto com aquilo que dizem, pois, como dizem pode fazer com que responda e a maneira como dizem pode fazer-me responder da mesma maneira que falam e com o mesmo tom. "Ai de mim! Pois estou perdido; porque sou um homem de lábios impuros e habito no meio de um povo de impuros lábios", Is.6:5.

  193. Jesus fala daqueles que ouvem e não entendem e que, por essa razão, lhes falava por parábolas. Paulo também menciona pessoas "que aprendem sempre e nunca chegam ao conhecimento da verdade", 2Tim.3:7. No Evangelho de João, Jesus diz que aquele que pratica conhecerá a verdade. Ora, os que aprendem sem nunca conhecerem a verdade são precisamente os que não praticam ou os que tentam praticar uma coisa que não lhes é exigida para evitarem praticar o que devem.

  194. Todas as provações e tentações têm a intenção de matar. Mas, Deus tem a intenção de fazer viver através delas. É uma verdadeira luta entre a vida e a morte e é pena que poucos tenham consciência disso. Assim, podemos rebelar-nos e amargura-nos contra o que nos prova, como podemos usar as circunstâncias para limpar, aperfeiçoar e para nos tornarmos seres viventes. A opção é de cada um. No entanto, devemos comprovar que são mesmo provações e não meras consequências de pecado, estando a pessoa a pisar os átrios das trevas e provando as vinganças de Satanás.

  195. "Mas, primeiro convém que Ele (...) seja reprovado por esta geração", Luc.17:25. Por vezes lemos as coisas sem prestar atenção e sem fazer perguntas que fazem todo o sentido. Por que razão era conveniente que Cristo fosse rejeitado? Na verdade, esta geração é uma geração hipócrita, a qual vive para o pecado, para a carne e para os interesses próprios. Contudo, fazem menção (por vezes honrosa) de Deus e falam d'Ele como se Ele fosse seu amigo ou conhecido íntimo. Essa é uma das razões por que Cristo deve ser rejeitado pelo mundo, pois, a sua verdadeira cara anda escondida sob o fingimento. Convém, pois, que os fingidos venham a rejeitá-lo para mostrarem que são Seus inimigos.

  196. Por vezes, temos problemas mais sérios do que aqueles que imaginamos. Por exemplo, imaginemos que temos problemas práticos que precisamos resolver e que, ao mesmo tempo, temos pecados ou atitudes pecaminosas que impedem Deus de atuar nesse sentido. Logo, desejaremos resolver os problemas da vida prática porque esses causam certo desconforto que pode tornar-se insuportável. Mas, ao sabermos que os pecados que temos impedem Deus de resolvê-los, iremos tentar resolver esses pecados por causa dos problemas que temos. Mas, devemos resolver os pecados sem ter segundas intenções, pois, as coisas mais sérias são os nossos pecados. Por isso, todo aquele que não consegue resolver os seus problemas por ter coisas (pecados) que impedem Deus de operar podem ter ou manter a mentalidade de pensar resolver os seus pecados para resolver os seus problemas do que se aproximar de Deus sem segundas intenções. Devemos ter a consciência de que andarmos afastados de Deus é o problema e não as disfunções das coisas práticas que não dão certo nesta vida. Não podemos amar esta vida ao ponto de desejar resolver pecados por causa dela. Então, quão sério será amá-la acima de Deus, tentando resolver o nosso problema com Deus para resolver a vida prática! Quão grande é a idolatria das igrejas evangélicas de hoje! Isso é uma forma de idolatria que faz de Deus um boneco.

  197. "Quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer", Luc.17:10. Hoje, vemos de tudo menos servos inúteis nas igrejas. Todos querem ser alguma coisa. Encontramos pessoas querendo mandar em Deus, querendo fazer de Deus seu servo. Quem toca música não se acha inútil, mas, talentoso; quem prega bem nunca se vê como um servo inútil, mas, como alguém que pode ir longe em popularidade; etc.

  198. "Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demónios; de graça recebestes, de graça dai", Mat.10:8. É interessante notar que a palavra "curai" vem no plural e não no singular. Isto pode querer dizer que é um grupo de duas ou mais pessoas que, em conjunto, alcançam os feitos de Deus. No meio desse grupo pode existir cada um com um respetivo dom que Deus deu e nem todos têm o mesmo dom. Ora, como grupo, as coisas acontecem, uns apoiando os outros nessas obras e todas elas são consideradas feitos do Deus do grupo e nunca de quem tem o dom. Não é o grupo quem cura e nem o indivíduo, mas, Deus. As obras dos dons são obras de obediência e não nascem por autoria de quem deseja curar ou ser curado. Deus já determinou as obras das quais devemos ser os obreiros. "Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas", Ef.2:10. Não poderemos conseguir essas obras se não tivermos os ouvidos atentos para sermos guiados por Deus através delas como um só homem.

  199. Os cuidados (preocupações) deste mundo não apenas sufocam a palavra de Deus que necessitamos lembrar durante o nosso dia e afazeres, mas, também fazem-nos brigar com Deus. Ora, a preocupação que 'mata' as duas coisas mais importantes da vida deveria ser levada mais a sério por todos nós. Esses cuidados anulam (sufocam) a palavra que deve ser lembrada e assegurada até ser confirmada, como brigam com que lhe dá a vida - e a nós. Fazem-nos 'esquecer' o caminho e fazem-nos atentar contra Quem mostra, abre, revela e abençoa esse caminho.

  200. Todo aquele que só trabalha bem sob supervisão - ainda que seja um bom trabalhador e ainda que seja somente sob a supervisão da lei - a Bíblia considera preguiçoso.

  201. Muitos perguntam-se por que razão, hoje, é dentro das igrejas que se encontram os piores pecados. Parece um mistério, mas, na verdade não é. A Bíblia diz que isso aconteceria naqueles que não ouvem a instrução e que desprezam a correção. Como as pessoas entregam os seus ouvidos a outras doutrinas como as da prosperidade e aquelas onde pecar é permitido ou desdramatizado, desvalorizam, desprezam, ignoram ou descuidam a correção e a instrução da alma nos caminhos de Deus. Quando isso acontece, é dentro da congregação que os pecados irão aumentar ou manifestar-se. "No meio da congregação e da assembleia foi que eu me achei em quase todo o mal", Prov.5:14. Nos versículos anteriores vemos a quem isso acontecerá. São aqueles que dizem: "Odiei a correção! O meu coração desprezou a repreensão! Não escutei nem inclinei o meu ouvido!", Prov.5:12,13.

  202. A sabedoria da qual a Bíblia tanto fala, ou se despreza ou se retém. "São bem-aventurados todos os que a retêm", Prov.3:18. Ora, esquecer, ignorar, não levar em linha de conta, não pensar em conformidade com ela, não entrar na linha de pensamento que ela induz, é desprezá-la. No Novo testamento lemos sobre "aqueles em quem estas coisas são achadas". Jesus fala de "permanecer n'Ele e suas palavras permanecerem em nós". Tudo que não permanece foi desprezado. Não lembrar não é apenas esquecer: é desprezar. "O que desprezar os Seus caminhos morrerá", Prov.19:16.

  203. "Reconhece-O em todos os teus caminhos e Ele endireitará as tuas veredas", Prov.3:6. Teria muito para dizer a respeito deste versículo. A palavrinha "reconhecer" vem de "conhecer". Por isso, os nossos caminhos devem ter sido conhecidos (vividos, compartilhados, experimentados) pelo Senhor antes de podermos reconhecer que foram. Muitos pensam que reconhecer é afirmá-lo diante das pessoas. Mas, na verdade, trata-se de um ver sincero e lembrar de como os nossos caminhos são dirigidos pelo Senhor - quando o são.

  204. Muitos sentem-se mal ou desmotivados sempre que um mandamento ou uma palavra os contraria ou exorta. Agem como se fosse uma palavra de morte e ficam sem entusiasmo e sem vontade de continuar. Culpam-se ou culpam Deus e acham nisso uma razão para voltar para o mundo. Desculpas! Desculpas! Esquecem que toda a palavra de Deus é palavra de vida. No entanto e a julgar pela sua reação, agem como se fosse palavra de morte. Não se alegram pela exortação e nem se lembram que, se Deus os exorta, é porque Ele está atento e interessado nas suas vidas. Não estão abandonados. Não podemos agir como se uma palavra de vida fosse palavra de morte sem ofender Deus. Essa pode ser uma das razões por que Deus deixa as pessoas seguirem seus próprios caminhos. Não é o que querem? E ainda se queixam os homens de haverem sido abandonados por Deus, sendo que Ele é um 'gentleman'!

  205. Por que é que quando a pessoa está sob provações, intensas ou não, a primeira coisa que sente ou pensa é que está sendo abandonado por Deus e não suspeita ou pensa que está apenas sendo provada? Jó conseguiu aperceber-se disso e poucos foram tão provados quanto ele. A prova de que Deus está conosco é conseguirmos manter a retidão e a vida sob essas provações, sejam elas intensas ou não. Só isso prova que Deus está realmente conosco porque, sem Ele, não cumpriríamos.

  206. Na Bíblia é afirmado que o "justo viverá pela fé". Mas, também lemos: "Guarda os Meus mandamentos e vive", Prov.4:4. Não podemos negar que ambas as coisas vêm na Bíblia e que são igualmente válidas. No entanto, os teólogos fazem parecer que são duas coisas opostas levados pelas suas formas de hipocrisia a respeito dos caminhos de Deus. Se levarmos em conta as palavras de Jesus, o qual diz que nem um til será retirado da lei sem que tudo seja cumprido (Mat,5:17,18), devemos entender logo que estas coisas encontram-se unidas e não separadas. A pessoa vive cumprindo e cumpre pela fé. Por isso é que o justo viverá pela fé - porque pela fé tem como cumprir. A fé torna possível o cumprimento da Lei de Deus desde o mais profundo do coração.

  207. Lemos, na Bíblia, que todos (os que vêm a Ele) serão ensinados por Deus. Ora, uma das condições para permanecermos firmes até ao fim - ainda que passemos por vales de morte - é havermos sido ensinados por Deus. Existem pessoas ensinadas nas Escrituras as quais nunca foram ensinadas por Deus. Por essa razão nem eles e nem os seus 'convertidos' conseguem manter-se fiéis até ao fim. "Não me apartei dos teus juízos, pois, tu me ensinaste", Sal.119:102. Uma das condições para  permanecermos n'Ele e nunca nos afastarmos dos Seus estatutos, é sermos ensinados por Ele. Não devemos somente desejar aprender ou desejar cumprir, mas, devemos buscar de todo o coração sermos ensinados por Ele. "No caminho da sabedoria te ensinei e por veredas de retidão te fiz andar", Prov.4:11.

  208. "Os soberbos trataram-me duma maneira perversa, contudo, eu meditarei nos teus preceitos", Sal.119:78. É bom ver pessoas assim. Esta pessoa não ficou a meditar na maneira perversa como foi tratado, mas, nos estatutos de Deus. "Estou como odre na fumaça; contudo não me esqueço dos teus estatutos", v.83. Ele não meditava nas razões da fumaça e antes nos estatutos. Você é assim ou questiona tudo quando sabe que Deus está realmente controlando a sua vida inteira? "Quase que me têm consumido sobre a terra, mas, eu não deixei os teus preceitos", v.87. "A minha alma está de contínuo nas minhas mãos; todavia não me esqueço da tua lei", v.109.

  209. Sempre que estamos sendo provados na fé por circunstâncias várias, devemos ter em mente algumas verdades sobre as as razões por que nos sentimos provados. A razão porque uma provação ainda é provação nunca é por causa das circunstâncias e antes devido ao coração que temos. A provação ou o seu grau de intensidade tem tudo a ver com o tipo de coração que ainda possamos ter e não com as circunstâncias que nos rodeiam, afligem ou torturam.

  210. Muitas pessoas são confundidas quando entram nos caminhos de Deus. Ouvem mal ou não ouvem aquilo que Deus quer delas. Existem, certamente, várias explicações para isso, mas, não existe explicação para quando a pessoa confundida ou enganada persiste em ser enganada e até começa a crer que o engano não é engano. Vamos por partes: a palavra de Deus é reta, pura e direta. Não tem segundas intenções além de salvar a alma de seu erro e de corrigi-la. "Endireitai o caminho do Senhor". Para alguém poder conviver com uma palavra correta, precisa ter um coração correto. E obter um coração reto implica muito trabalho, tanto da parte de Deus como da nossa, encaixando-nos numa nova realidade de vida continuamente. As coisas iguais aceitam-se e encontram-se sempre. Clamam uma pela outra, buscam-se mutuamente e, quando se acham, sentem enorme gozo. Se não forem iguais, nunca se entenderão, Amos 3:3. Ora, quando colocamos um coração incorreto junto com a palavra correta, começa a confusão e assim que o coração deseje seguir a palavra sem ser transformado e corrigido profundamente, a confusão aumenta. Enquanto o coração souber que a palavra vem para transformá-lo, tudo estará aparentemente bem. O pior começa quando o coração recusa ser transformado. E, por vezes, tentar cumprir sem ser profundamente transformado é uma forma de evitar essa transformação, mas, é o início da confusão. "Seja reto o meu coração nos teus estatutos, para que não seja confundido", Sal.119:80. Temos a responsabilidade de ter ou de obter um coração reto, sincero, puro e sem duplas intenções caso desejemos andar nos caminhos de Deus sem ficarmos confusos com as Suas palavras. Não é possível misturar a vida com a morte, nem o molhado com o seco.

  211. O pecado comete-se. Mas, cada pecado cometido tem em si mesmo a capacidade inerente de chamar mais pecado. Com o tempo, pecar torna-se hábito. Transgredir e violar a própria consciência torna-se uma normalidade que se mantém impune (até ao Dia do Juízo). Ora, se isto é verdade, devemos ter a noção de que, quando somos verdadeiramente libertos de cada pecado, precisamos, futuramente, lidar contra cada hábito que cada pecado foi criando ao longo dos anos passados e da cultura passada que se foi mantendo impune o que, por sua vez, criou a crença que seremos filhos da impunidade. Devemos lidar contra cada crença de impunidade. A impunidade é viver como se as nossas transgressões não clamassem pela justiça de Deus. Será que tudo já passou em sua vida e que tudo se fez realmente novo? A maneira de pensar, de sentir, de raciocinar, de agir ou reagir são alguns dos hábitos de pecado que foram criados e que precisam ser modificados radicalmente tendo como referência única a nova vida. "Sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus", Rom.12:2. Essa vida chama-se Vida Eterna, isto é, vida constante, permanente, sem altos nem baixos.

  212. Uma coisa é alguém querer ser humilde e importante e outra é a humildade onde a pessoa toma seu lugar de servo do Senhor onde somente o Senhor se exalta. Existem pessoas importantes que são humildes, mas, isso não significa necessariamente que o Senhor seja a pessoa importante dentro dessa humildade. Por isso, podem existir várias combinações desta verdade. Por exemplo, a pessoa pode exaltar o Senhor em Suas palavras, cultos e circunstâncias sem ser humilde, como pode fazê-lo sendo humilde. Mesmo exaltando Deus, qualquer orgulhoso será sempre resistido por Ele. "Deus resiste aos soberbos", Tgo.4:6; 1Ped.5:5.

  213. "Por que seríeis ainda castigados, se mais vos rebelaríeis?", Is.1:5. O amor pelo pecado é terrível, pois, as pessoas chegam a defendê-lo acima da própria vida. Preferem rebelar-se ainda mais quando castigados do que se humilharem e abandonarem o mal que tanto amam e defendem. Contudo, as garras que usam para defender os seus modos de vida, pecados e rebeldias fincam-se no próprio rosto. "Toda a cabeça está enferma e todo o coração fraco. Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, inchaços e chagas podres não espremidas", v6.

  214. "Procurai que d'Ele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz", 2Ped.3:14. Não é apenas necessário estarmos imaculados e irrepreensíveis, mas, devemos estar assim em total paz e alegria. Isto é, a nossa conduta normal irrepreensível e imaculada deve ser muito natural e normal, sem que seja necessário aplicar força para assim nos mantermos. O nosso ânimo deve ser sincero e, além de ser ânimo, deve ser a coisa mais sincera e mais espontânea que temos, v.1.

  215. Conseguir depender da providência de Deus é conseguir estar satisfeito com o dia de hoje.

  216. "...Confirmados na presente verdade", 1Ped.1:12. Pedro não se enganou nas palavras. Ele fala duma presente verdade, significando que haverá uma realidade futura. "Amados, agora somos filhos de Deus e ainda não é manifestado o que havemos de ser", 1João 3:.2. A palavra "verdade" dentro deste contexto - como em toda a Bíblia - significa uma realidade experimental, isto é, que se vive experimentando de maneira real. Então, ainda existe algo melhor que a plenitude do Espírito aqui na terra. Será algo muito melhor. De momento, só podemos experimentar a "presente verdade" - ainda que seja uma beleza de vida muito acima daquilo que qualquer ser humano possa imaginar. E nessa "presente verdade" precisamos estar confirmados e não meramente experimentando-a. Precisa tornar-se uma coisa normal de nossa existência, como se nunca tivéssemos vivido de outra maneira.

  217. "Pela fé também a mesma Sara recebeu a virtude de conceber e deu à luz já fora da idade; porquanto teve por fiel aquele que lho tinha prometido", Heb.11:11. Sara riu-se quando ouviu que iria ter seu filho um ano depois. Mas, diz aqui que obteve o filho "porquanto teve por fiel aquele que lho tinha prometido". Mas, podemos questionar esta afirmação se formos de ânimo leve, pois, se ela riu, como é que teve Deus por fiel? Na verdade, a Bíblia não se está referindo a um momento, mas, a uma vida. Sara sempre esperou em Deus. Por essa razão obteve o que Deus prometera. Ela teve Deus por fiel durante muitos anos de espera e, por isso, recebeu. Aquele riso foi mais um momento de tentação inesperada (devido ao qual Abraão foi repreendido e não ela). Ela não era incrédula, mas, esperava (esperou) em Deus.

  218. "Abraão, pela fé, habitou na terra da promessa, como em terra alheia, morando em cabanas com Isaque e Jacó", Heb.11:9. Abraão tinha uma promessa, mas, viveu na terra prometida "como em terra alheia". Isto é um golpe de morte para aquelas doutrinas que dizem que nos devemos apoderar disto e daquilo. Abraão viveu na terra como se fosse terra desconhecida, esperando, por um lado, em Deus a concretização da promessa que lhe havia sido dirigida pessoalmente. Ele não se apoderou dela - esperou que Deus lha desse. Por outro lado, não deixava que a possessão da terra se apoderasse de seu coração, "porque esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus", v.10.

  219. Todas as ações começam no coração. Cuide dele e não precisará prestar muita atenção às suas ações, como os hipócritas fazem. "Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida", Prov.4:23.

  220. "Graça e paz vos sejam multiplicadas, pelo conhecimento de Deus e de Jesus nosso Senhor", 2Ped.1:2. Muitos falam da paz e da graça que receberam. Mas, poucos sabem do que falam. Digamos que Pedro afirma que a paz se multiplica quando o conhecimento experimental e verdadeiro da pessoa de Cristo é crescente e é real. Este conhecimento tem de ser um conhecimento experimental, real e verdadeiro. Isso é conhecer Jesus da maneira que Ele é. Jesus não muda para se adaptar ao homem. Ora, essa paz multiplica-se na medida que se vai conhecendo Jesus dessa maneira. Isso só pode significar que o homem é transformado experimentando Cristo de forma real e inequívoca. Se o homem não se transformar sob essas circunstâncias, aumentará a falta de paz ao invés de aumentar a paz, sendo que Jesus não muda para se adaptar ao homem. Por isso, verificamos que a multiplicação da paz e da graça depende muito da medida do conhecimento íntimo e experimental que conseguimos manter com Cristo de forma continuada e voluntariosa. Consegue viver em paz com um Cristo santo, puro e irredutível? Sendo que Cristo é luz, consegue encarar tudo o que Ele revela quando se aproxima d'Ele e ser limpo? Se não conseguir, a sua paz diminuirá e não se multiplicará na Sua presença. O mesmo também acontecerá no tocante à graça - ela não aumentará.

  221. Uma vez, conversando com certo homem, Deus revelou-me que estava muito irado contra ele. Distanciei-me dele de imediato. Esse homem jovem tinha um bom emprego, uma família aparentemente feliz entre muitas coisas que este mundo considera como prosperidade. Pouco tempo depois, ele faleceu duma doença grave e dolorosa. Ontem, pensando nisso, apercebi-me que a prosperidade não significa nada, pois, esse homem era próspero e estava sob a mira da ira de Deus. Ainda que era próspero, não deixou de cair eternamente. Que todos quantos são prósperos deixem de pensar que Deus está com eles ostentando a sua prosperidade como prova e que os mais pobres deixem de acreditar que Deus está contra eles somente porque não conseguem 'prosperar' em nada.

  222. Em muitos aspectos, o mal opera com mais inteligência e intuição. Devemos tornar-nos, na prática, melhores que o mal. O mal sabe que, para vencer e fazer alguém abandonar o bem, essa pessoa precisa praticar o mal. Ora, devemos saber que só poderemos vencer o mal fazendo o bem, Rom.12:21. Tanto o mal como o bem precisam tornar-se práticos caso queiram vencer o outro. Existem muitos dentro das igrejas que acreditam que serão aceites por Deus praticando males. "...Façamos males, para que venham bens? A condenação desses é justa", Rom.3:18. Na verdade, a sua condenação será duplamente justa, pois, praticam o mal e ainda acreditam que Deus aprova. Acreditar que Deus aprova o mal é o oposto da fé, pois, "é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que Ele é bom", Heb.11:6. Se Deus aceitar o mal, deixa de ser bom.

  223. "Sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus", Rom.3:16. Existem pessoas que acreditam que Deus tornou o mundo condenável para que Ele próprio fosse exaltado em glória. Mas, na verdade, entendemos pela verdade que o mundo é, era e sempre foi condenável. Contudo, não parece condenável. Deus quer tornar a sua imagem igual ao que ele é realmente. Começou por condená-lo na Cruz. Por exemplo, hoje já ninguém fala do diabo como bom. A fama e o nome dele já correspondem ao que ele é, até mesmo entre os seus seguidores. Ele nem sempre foi assim. Mas, agora já está com um nome e uma fama que corresponde àquilo que ele é e representa. Mas, o mundo ainda não é olhado em conformidade com aquilo que é. Ora, quando a Bíblia fala no mundo, não fala das suas pessoas e da terra, mas, da sua essência perante a luz. O mundo é é a própria essência do pecado e procura meios para viver eternamente e para se poder apresentar através duma imagem de inocência ou de bondade. Isto é, o mundo não procura ser visto como aquilo que é perante a luz da verdade. Por essa razão é que se torna importante ver aquilo que o mundo (o pecado) faz: mata Cristo, o Criador de tudo; abomina o Evangelho da salvação que lhe é oferecida de forma gratuita; repele a verdade; incute sonhos falsos nas mentes das pessoas; etc. Na verdade, o mundo precisa aparecer como condenável, tal como o diabo já é visto como mau. Então, isso é "para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável...".

  224. Se é o amor pelo pecado que endurece um coração, isso só pode significar que o ódio contra o pecado torna-nos mansos. Quanto maior for o ódio e a repulsa pelo mundo no coração, tanto mais mansa a pessoa se torna.

  225. Quando a Bíblia fala sobre a "mentira", ela dá uma definição diferente e mais extensiva que a que nós damos. Para Deus e para a Bíblia, a mentira é algo que não funciona e não dá resultados. Se a sua fé não traz resultados práticos, é uma mentira - ainda que esteja baseada na Bíblia e na verdade.

  226. Incredulidade passiva (ou uma outra ativa) é e será sempre a prova de falta de dignidade na alma do próprio homem que pretende saber melhor que Deus, ser visto e aceite pelos demais como sendo melhor e como sabendo mais - ainda que carregue uma pedra no lugar de seu coração e trema perante as preocupações!

  227. Falamos, regularmente, de fé sem obras e mesmo de fé com obras. Sob essa luz, podemos afirmar com toda a segurança que o ato de esperar em Deus é uma das obras da fé.

  228. Existe um problema sério com aquelas pessoas que se dedicam a comunicar com os demais através de piadas e leviandades: eles não são capazes de se tornarem sérios sobre coisas sérias. Depois, não conseguem retratar-se sobre as coisas que disseram por serem coisas que, à primeira vista, parecem ser desvalorizadas como ofensas. Muitas dessas piadas não deixam de ser uma manifestação clara da falta de amor que exige restituição.

  229. A humilhação precoce ou antecipada é muito útil e torna possível muitas coisas da parte de Deus. Mas, não existe nada como a capacidade de nos humilharmos no momento da exaltação e da bênção. Nada será capaz de substituir essa pérola de virtude no coração de qualquer homem.

  230. Imaginemos que Moisés não tivesse ido ver o que se passava com a sarça que ardia. Imaginemos que tivesse fugido da visão, descartado a anormalidade daquela sarça ou ainda que tivesse tido preguiça de se aproximar. Não teria perdido a voz de Deus? Não teria perdido a razão da sua existência? Muitos perguntam-se por que razão não ouvem Deus e por que razão não sabem qual a vontade de Deus para as suas vidas ou mesmo qual a razão da sua existência. E nós, os que ajudamos as pessoas nessas circunstâncias a acharem seu rumo, acabamos por questionar muitas coisas e fazer muitas perguntas ao nosso coração e entendimento sem conseguirmos achar as respostas que gostaríamos de dar.

  231. Existem momentos que precisamos ler muito da Palavra de Deus. No entanto, ler muito não é sinónimo de praticar muito. As coisas práticas são feitas uma de cada vez e de início ao fim. Mas, ler bem e muito serve para armazenar a Palavra que Deus irá usar no dia-a-dia de toda a nossa existência, desde que seja bem entendida e bem preservada em nossos corações. "O Espírito Santo vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito", João 14:26. Essa é a finalidade exclusiva do estudo da Palavra de Deus. Mas, se formos ler muito, aprender muito e saber muito para nos destacarmos em sabedoria ou para saber melhor que os outros, a nossa leitura foi em vão. Os motivos errados nunca alcançaram as coisas de Deus, pois, as coisas de Deus são coisas certas e as coisas certas nunca ligam com as erradas.

  232. Para podermos ser devidamente corrigidos por Deus de forma real, cooperante e prática, devemos ter uma noção exata da verdade e daquilo que nos perturba a paz - se é que nos perturba. Se alguém exagera a respeito do seu mal, lamentando-se, não será ajudado. O mesmo poderemos afirmar daqueles que não se identificam com a gravidade de algum pecado ou mal com o qual estão familiarizados - só porque estão familiarizados com ele.

  233. Uma das maneiras de amar o mundo e do mal passar despercebido é tornar-se familiar. Isso é o que a Bíblia diz ser "amigos do mundo".

  234. Para um caminho direito parecer direito, o contraste dos caminhos tortos são uma grande ajuda. Por isso, não se admire do fato de seus próprios caminhos parecerem extremamente tortos quando pediu a Deus para endireitar ou aplanar Seus caminhos diante de si, Sal.5:8b.

  235. "Eu sou aquele homem que viu a aflição pela vara do Seu furor", Lam.3:1. Não importa qual a causa do furor e se ele veio sobre nós próprios ou sobre os que nos rodeiam. Se o furor chega a nós devido aos pecados de outros ou devido aos nossos, havendo todos eles sido expiados e exterminados pelo furor em questão, tudo está bem.

  236. "Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela", Deut.4:2. Quando Deus nos dá uma palavra, por vezes, pode parecer-nos insignificante ou, quando a explicamos ou escrevemos, dá-nos a sensação de ter ficado mal escrita ou mal explicada. Já aconteceu muitas vezes alguém alegrar-se muito e agradecer de todo coração por uma palavra que me parecia insignificante quando a escrevi ou ao pregá-la. Devemos ter todo o cuidado para não acrescentarmos nada e nem tirarmos nada àquilo que Deus nos entrega fielmente apenas porque nos parece insignificante ou mesmo medíocre. Devemos saber que não podemos acrescentar nada e nem tão pouco tirar alguma coisa de qualquer palavra de Deus. Uns desejam acrescentar por lhes parecer insignificante enquanto outros desejam diminuir devido ao medo de perder ou magoar pessoas, ou por qualquer outra razão.

  237. "Ó Israel, ouve os estatutos e os juízos que eu vos ensino, para os cumprirdes; para que vivais, e entreis, e possuais a terra que o Senhor Deus de vossos pais vos dá", Deut.4:1. Existe uma ordem que nunca nos pode passar despercebida: cumprir, viver, entrar e possuir. Para entrar na Terra Prometida, alguém precisa estar vivo. Um morto não tem como entrar numa terra e muito menos para a possuir. Alguém só se torna vivo cumprindo. De seguida, isto é, entrando se pode possuir. Para possuir a Terra, só entrando. E Deus não fala aqui de permanecer depois de possuir, mas, em outras partes das Escrituras, acrescenta a palavra "permanecer". Ora, a Bíblia fala em possuirmos a nossa alma por Deus, para Ele e através de Seu poder. Nunca possuiremos esta terra sem entrar nela. E, entrando nela, encontraremos os seus inimigos lá. Por isso, não se esqueça que, para possuir a sua alma em sua paciência, irá enfrentar todas as tentações e perigos dos inimigos que existem por lá. Se quiser possuir sua alma, precisa passar por isso. Ninguém tira a terra da mão de estranhos sem enfrentá-los. "Na vossa paciência, possuí as vossas almas", Luc.21:19.

  238. Depois de entrar para possuir a terra, chega um outro problema acrescido: quem começa a possuir 'esquece' qual a razão porque a terra deve ser possuída. Tudo deve continuar a ser feito por Deus e para Deus. No fim da sua vida, via-se que Josué teve muitos problemas acrescidos por causa disso, pois, o povo pensava mais em possuir que em fazer toda a vontade de Deus para glória d'Ele. Possuir não tem qualquer valor em si mesmo, a menos que seja feito por Deus que permanece para sempre. E foi Josué quem foi confrontado com esse problema entre o povo.

  239. Vemos que Josué não podia fazer mais do que fez, embora o povo pudesse ter feito muito melhor. Depois dum Moisés supra obediente a Deus e puro de motivos e de coração (fazendo tudo para glória de Deus), Josué teve um duro desafio pela frente em todas as frentes. Precisava da autoridade que Moisés tinha, da vontade em glorificar Deus que Moisés tinha, da obediência que Moisés tinha e muitas outras coisas que ele precisava e as quais Moisés teve nele. E todas essas coisas deveriam ser acrescentadas àquilo que seu próprio coração já possuía.

  240. conheceremos aquelas verdades que já praticamos com toda a simplicidade. O resto não é conhecimento, ainda que digam que é.

  241. É muito importante estarmos em condições de obtermos respostas à oração em cada momento da nossa vida. Imaginemos que somos apanhados numa situação de vida ou morte quando existe algo que nos separa de Deus e nos impede de sermos ouvidos?

  242. "Todo aquele que faz o mal odeia a luz e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas", João 3:20. Isto significa que todo aquele que se sente reprovado quando é exortado, admoestado, corrigido ou aconselhado, não gosta da luz. A luz revela tudo - e nem podia ser de outra maneira. Mas, aquele que pratica a verdade, vem para a luz com alegria. Caso ainda seja feito com esforço, devemos manter em mente que deve chegar o dia onde a luz é amada e acarinhada. Andemos na luz amando a luz e não tentando evitar ser repreendidos.

  243. Não existe nada como a Palavra de Deus para tornar alguém humilde, desde que essa Palavra seja perfeitamente entendida, apreciada e praticada sem condições e sem interrupções.

  244. Muitos desejam ensinar os outros para ganhar um lugar de destaque e de autoridade diante de quem os ouve. Mas, poucos - muito poucos - desejam apenas servir os demais através da Palavra que recebem de Jesus a cada dia que passa. "Apascentai o rebanho de Deus (...) tendo cuidado dele, não por força, mas, voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho", 1Ped.5:2,3. Querer ensinar para se destacar, é apascentar por "torpe ganância".

  245. Um dos muitos problemas com que nos cruzamos em nossa vida quando não sabemos esperar do Senhor ou esperar n'Ele, é o fato de podermos não ser achados onde deveríamos estar espiritualmente assim que Jesus chegar com a concretização da promessa que nos criou esperança e expectativa. Porque não soubemos esperar devidamente até ao último minuto, saímos de nosso posto de vigia. "Sobre a minha guarda estarei, sobre a fortaleza me apresentarei e vigiarei, para ver o que falará a mim e o que eu responderei quando eu for arguido", Hab.2:1.

  246. Nenhuma oração obtém as suas respostas através da força, seja essa força emocional ou outra. Antes, alcança pelo cumprimento das condições que Deus estabeleceu como eternas. Os termos e as condições de Deus não são negociáveis.

  247. Se lemos a Bíblia, certamente que nos cruzaremos com certa frequência com verdades a respeito dos fracos e dos fortes. Contudo, lemos algo que se confirma sempre na prática sem excepções: que os fracos, estando n'Ele, nunca cairão e que os fortes nunca permanecerão. qual a vantagem de querer ser forte, então?

  248. A primeira coisa que devemos saber sempre que buscamos uma vida de oração que obtenha resultados, é que devemos começar a orar! Saber como orar não chega. Saber ainda não é orar.

  249. Nunca se esqueça que ler a Bíblia e entendê-la não é o alvo. As pessoas tornam-se religiosas por se contentarem com um entendimento das Escrituras e usam muito do seu tempo convencendo-se que Deus se agrada delas e que meditar e orar com devoção é o seu "culto racional". É bom sermos devotos à leitura e compreensão das Escrituras, mas, lembre-se sempre que a Palavra de Deus é uma mistura de meios poderosos e não são um alvo em si mesmo.  Obter os meios, alcançar a plenitude não é e nunca será o mesmo que alcançar o alvo que é conhecer Cristo como Ele é. A Palavra que é verdadeira (vinda da boca de Deus) deve levar-nos a um Cristo real. Ler e entender a Bíblia não tem qualquer virtude em si mesmo, a menos que nos leve a encontrar Cristo e a mantermos um relacionamento ininterrupto, continuado, suave e verdadeiro com Ele, no qual possamos a permanecer para sempre e rever-nos a nós mesmos. Se a Palavra, o pregador ou a igreja não é capaz de levá-lo a encontrar-se em Cristo dessa forma real, todos os seus momentos de devoção e de leitura tornar-se-ão repetições vãs que Deus abomina e das quais a Sua alma se cansará - e a alma de quem comete tais delitos também se cansará extremamente. Mas, estando verdadeiramente em Cristo e sendo sempre achado n'Ele, todos os seus momentos devocionais serão momentos de enorme realidade e alegria inesperada. Convém, pois, não tropeçarmos na verdade que nos pode curar a alma.

  250. A alegria não é uma coisa que decidimos ter. Os votos e as decisões são coisas inúteis quando não temos como cumprir aquilo que ambicionamos manter ou alcançar. Mesmo que a alegria seja um mandamento, ela só se materializa indiretamente. A alegria depende da existência dum coração sincero, o qual pode, sem Jesus ou sem crer n'Ele, tornar-se uma fonte de lamento sendo sincero. As pessoas quando se tornam sinceras e honestas ofuscam a realidade de Cristo olhando para seus problemas e crenças enraizadas. Toda a falta de alegria num coração sincero e limpo deve-se exclusivamente a um mau agir quando Jesus está operando dentro dum coração.

  251. "E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração; mas vós a tendes convertido em covil de ladrões", Mat.21:13. O Senhor Jesus considera ladrão todo aquele que usa o templo, o culto ou a pregação para fazer qualquer tipo de negócio.

  252. Deus dá, mas, não de acordo com mérito. Deus dá de acordo com a necessidade. Esta é a principal lição que extraímos daquela parábola onde várias pessoas são contratadas em diferentes horas do dia e todos acabam por receber o mesmo salário. Aqueles que foram contratados no final do dia tinham as mesmas necessidades que os que começaram o dia a trabalhar.

  253. "Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar que é levada pelo vento e lançada de uma para outra parte. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa", Tgo 1:6,7. Esta é a minha questão: este versículo significa que a pessoa que duvida não recebe somente aquilo que pede, ou significa que também não recebe qualquer outra coisa? 

  254. Por que razão a verdade sobre o estado real de qualquer pecador é uma ofensa para ele? Por que razão a verdade fere-o sendo que ela tem a capacidade de curar? Não será porque o pecador deseja pensar demais dele próprio?

  255. "Digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um", Rom.12:3. Os problemas daqueles que pensam demais deles mesmos são vastos. Um dos que podemos realçar é o desapontamento que pode levar a pessoa a nunca mais querer pensar nada dele mesmo com moderação. Vou explicar. Quando as pessoas pensam demais deles próprios no ministério, Deus resiste o que dizem e fazem. "Deus resiste aos soberbos", Tgo 4:6; 1Ped.5:5. Ao serem desapontados por Deus, começam a duvidar sobre aquilo de que estão capacitados por Ele. Uma coisa leva à outra. Por isso, todos os que pensam demais deles mesmos cairão no pecado da desobediência e da infidelidade. Serão infiéis nas coisas que podem ou devem fazer. Além do mais, todos quantos pensam demais deles mesmos procurarão fazer aquilo que não lhes compete fazer. Como uma pessoa não pode fazer duas coisas ao mesmo tempo, certamente negligenciarão aquilo que está ao seu alcance para fazerem aquilo que não lhes compete fazer. A falta de fruto e de realização será mais uma razão para duvidar de Deus. Mas, existem mais perigos resultantes desse tipo de soberba, o qual coloca a pessoa a pensar demais dela mesma. Da próxima vez que for tentado a pensar demais de si mesmo ou de se meter nas coisas que não lhe compete fazer, pense seriamente nas consequências trágicas dessa conduta, pois, será resistido por Deus e levará as sequelas para a vida humilde que se manifestar quando já não for soberbo. Essas sequelas podem levar a duvidar de Deus facilmente, tendo-O como mentiroso.

  256. Muitos crêem que falar do Juízo é pouco benevolente. Contudo, lemos que "a boca do justo fala a sabedoria; a sua língua fala do juízo", Sal.37:30. Mais adiante, é explicado que a razão é que "a lei do seu Deus está em seu coração", v.31. Então, é impensável termos a lei de Deus no coração sem termos a ideia sobre a sanção dessa lei diante de nós de forma clara. Todas as leis têm uma sanção. Não existe lei sem sanção ou sem pena. Por isso, torna-se impossível não pensarmos na pena ou na recompensa da lei de Deus tendo essa lei viva em nossos corações. Não é possível termos a lei de Deus no coração sem falarmos no Juízo. Quem não fala desse juízo não deve ter essa lei no coração, sendo que o juízo faz parte dessa lei.

  257. Você pode desejar ter novas experiências todos os dias. Contudo, as novas experiências não o farão crescer espiritualmente. O que faz a pessoa crescer espiritualmente é edificar sobre aquilo que recebemos como dádiva. Devemos construir sobre aquilo que experimentamos. Você pode escolher entre melhorar o que recebeu e construir sobre esses alicerces ou buscar novas experiências a cada dia da sua vida.

  258. "Não sejas sábio a teus próprios olhos; teme ao Senhor e aparta-te do mal", Prov.3:7. Vemos neste versículo a ligação entre ser sábio aos próprios olhos e a capacidade de praticar o mal. Isto significa que a sabedoria própria e a sua exaltação são armas do mal e levam à ruína. O mesmo podemos dizer de sermos forte aos próprios olhos ou de sermos convencidos pelo próprio coração quando devemos ser convencidos por Deus.

  259. Quando estamos mortos com Cristo e justificados pelo Seu poder, não existem momentos bons e maus - existe Cristo em nós.

  260. Dizem que eu gosto de colocar a fasquia bem alto no tocante à vida com Deus. Mesmo sendo verdade, apercebo-me a cada dia que, ainda que a fasquia esteja alta, não está a meia altura sequer. Que Deus nos ajude.

  261. "Guarda-te que não te esqueças do Senhor teu Deus (...) Para não suceder que, havendo tu comido e fores farto (...) Se eleve o teu coração e te esqueças do Senhor, teu Deus", Dt.8:11-14. Não é fácil entender, mas, a verdade é que sempre que a pessoa se esquece de Deus ou dos deveres espirituais, o coração elevou-se. A pessoa que se esquece de Deus ainda é orgulhosa, mesmo que não o admita e ainda que mantenha toda a sua postura de humildade. A pessoa que é capaz de esquecer Deus ou do dever que Deus nos entregou fielmente em nossas mãos, é capaz de qualquer outra coisa. É dos piores crimes na face da terra. Contudo, qualquer pessoa que se esquece de Deus seja em que sentido for, seja da Sua própria pessoa ou do dever, dificilmente acredita tratar-se dum pecado tão sério e tão grave assim.

  262. Deus prometeu o Seu pão a cada dia e não a cada dia anterior. Ele deu o maná no próprio dia e temos muitas razões para pensar que ainda será assim.

  263. A falta de fé é uma desobediência, Heb.4:2,6,11.

  264. "Se te adorar com medo do inferno, lança-me no inferno; se Te adorar por causa do Paraíso, exclui-me do Paraíso; mas, se Te adorar pelo que és, não escondas de mim a Tua face. (Rabia, 800DC)". Eu não poderia escrever isto melhor. Subscrevo esta oração. Amem.

  265. Em muitos lugares nas Escrituras, lemos que Deus é "tardio em irar-se". Ora, devemos levar essa faceta de Deus em conta. Podemos pensar que Deus não se ira contra nós porque estamos de bem com Ele quando, na verdade, Ele só está demorando a manifestar-se. Não nos podemos enganar a esse respeito.

  266. "...Imputou-lhe (...) justiça", Gen.15:6. A imputação é o contrário de amputação. Quando algo ou alguém é amputado significa que fica incapacitado ou fica sem um membro importante. Com a imputação, entendemos que acontece precisamente o inverso: alguém fica capacitado ou completo. A justiça que chove sobre os corações pelos quais Deus passa é implantada ou imputada neles. Não é um enxerto, mas, uma imputação. Isto é, o coração não dá dois tipos de fruto como acontece em árvores enxertadas, mas, um só. Com imputação entendemos que o coração se torna inteiramente justo pela passagem do Justo. A imputação também pode significar que algo com que a pessoa foi criada é colocado de volta nela. Qualquer pecador está amputado da justiça de Deus. Como poderá tornar-se justo sem que essa justiça lhe seja imputada? Quando muito, conseguirá apenas um tipo de justiça própria, pois, encontra-se amputado da de Deus. A amputação de um membro tira da pessoa algo que era dela, a imputação coloca nela algo que era ou seria dela. Algo perdeu-se entretanto e Deus precisa imputar aquilo de que fomos amputados e que se encontra ausente dos corações do Seu povo.

  267. Quando falamos em sentir a presença de Deus, excluímos por completo o sentir de sentimento. Sentir a presença de Deus é um sentir de tacto e não de sentimento. O sentimento prova, apenas, que a pessoa tem coração e não que Deus está presente.

  268. Todas as pessoas perturbadas são perturbadoras. É uma bola de neve. O perturbado perturba-se e perturba os que querem ajudá-lo.

  269. As boas obras são coisas normais para seres normais criados à imagem de Jesus. Elas não salvam ninguém, mas, a ausência delas condena qualquer um.

  270. A consciência é mistério maravilhoso. Segundo a Bíblia, ela acusa e defende. Toda a gente fala da consciência como se sua função fosse somente acusar. Na verdade, ela defende também, Rom.2:15. Mas, vemos que a consciência tem de ser deixada livre para não ser influenciada, cauterizada, contrariada ou manipulada. Ela deve ser livre para expressar-se e ser ouvida. Só funciona bem na liberdade que Cristo dá e guiando-se/regendo-se pela luz do Espírito na Palavra de Deus. Quando a consciência não é deixada livre para falar e expressar-se de acordo com a verdade, torna-se uma coisa perturbadora, perturbadora e confusa. Será como mexer na água quando desejamos que ela espelhe o nosso rosto. Contudo, ela não é apenas perturbada nas suas capacidades de acusar, mas, também nas capacidades de defender e trazer paz de espírito. Por isso, vemos que todas as pessoas que não conseguem entender as acusações da consciência, também não conseguem entender aquelas defesas que são capazes de estabelecer a homem na verdade. É, pois, muito importante não mexer com a nossa consciência e deixá-la falar por ela. Se a impedirmos de falar, sofreremos duplamente e seremos pessoas confusas e sem orientação. A nossa melhor orientação é a nossa consciência avivada pela palavra de Deus.

  271. Temos muitas provas que existe, de facto, a fé falsa e a verdadeira. A fé falsa tem por trás dela uma força enorme da qual o engano se aproveita. Não podemos subestimar a força e a capacidade do engano. O engano é muito inteligente. Ele é capaz de enganar as pessoas que sabem que estão sendo enganadas. Não é muito difícil enganar quem tem um coração enganoso, pois, seria como dar, de forma invertida, aquilo que esse coração procura ou o ambiente onde se sente acomodado e aconchegado.

  272. A Vida separa do pecado e o pecado separa da vida.

  273. Sabemos que todas as grandes coisas são uma composição de muitos detalhes, uns maiores que outros e outros mais pequenos que outros. Mas, todos formam um conjunto e nenhum detalhe é mais ou é menos importante dentro do todo. A obediência é uma dessas grandes coisas. A luz sobre os detalhes da obediência abundará na medida que os detalhes são executados como uma pérola de um todo, como uma parte da nossa coroa resplandecente. Devemos saber que as nossas coroas são feitas com pérolas de obediência. Ora, sem a obediência, não teremos coroa. A nossa coroa é construída com obediência.

  274. "E aconteceu que, aproximando-se os dias para a sua assunção, manifestou o firme propósito de ir a Jerusalém", Luc.9:51. Sabemos que ainda faltava um tempo para Jesus ser crucificado. Mas, começou cedo a demonstrar a propósito firme de se apresentar para a Sua missão principal em Jerusalém. Devemos, também, começar a demonstrar o firme propósito de cumprir a vontade de Deus desde muito cedo, sabendo, contudo, que o tempo chegará, seguramente. Fazendo isso, exercitaremos a firmeza de propósitos e estaremos aptos para quando surgir a ocasião de nos mantermos fieis.

  275. Não aconselho uma obediência impulsiva. Mas, uma obediência imediata não é necessariamente impulsiva. Quando algo é impulsivo, deduzimos é superficial e que a pessoa entendeu apenas um pouco e já quer correr quando ainda mal sabe andar. A obediência requer que tudo seja bem entendido para que seja bem obedecido no momento seguinte. Quem sabe correr que o faça bem, mas, o que só sabe gatinhar que se empenhe em fazê-lo bem também.

  276. Muitos acreditam ser necessário resolver aqueles problemas pessoais que impedem de resolver os espirituais, os quais tomam seu tempo. Mas, a verdade é que os problemas pessoais devem ficar sem solução para atendermos aos mais importantes e mais celestiais. Agindo dessa maneira, revelamos quais são as questões mais importantes para nós. Logo, em vez de Deus resolver esses problemas, eles tornam-se vales de grandes opções e lugares de decisão. Temos de optar. A luta começou. Começou a guerra santa.

  277. O desentendimento com o próprio chama-se confusão. É no coração que nasce todo tipo de desentendimento. Podemos estar em discórdia com o coração por duas razões principais: ou o coração tem o céu dentro de si e o mal entrou como convidado; ou o coração é ruim e o bem de Jesus está batendo à porta. Nunca podemos esquecer que o Evangelho puro causa confusão no coração que está apegado ao mal, seja em que estagio for da vida de qualquer crente ou descrente. Essa confusão pode ser vista como fruto e deve animar-nos e não desanimar-nos. Devemos contar com isso para não desanimarmos no caminho.

  278. Quando não se aprova o bem, o mal é um sério candidato aos nossos gostos. E quanto mais tempo se leva para chegarmos ao estado onde aprovamos o bem de bom grado, tanto mais forte e mais persistente se torna a candidatura do mal ao nosso paladar.

  279. A obediência é a chave de uma porta que se abre para sempre.

  280. "Vede como ouvis", Luc.8:18. O primeiro passo para uma fé falsa é não vermos como ouvimos.

  281. O Senhor Jesus é o centro do mundo.

  282. O futuro pertence ao dia que ele acontecer. Hoje era o futuro de ontem. Amanhã será o futuro de hoje. Lidemos com cada dia como sendo a chegada de um futuro anterior.

  283. Se estivermos pedindo ficção e religiosidade em oração, ainda que com outras palavras, receberemos aquilo que estamos pedindo. Se pedirmos Jesus de todo o coração esperando que se manifeste como Ele é, receberemos Jesus como Ele é. Se Lhe pedirmos de forma descrente e fingida, receberemos crença e não realidade; se pedirmos de forma real, recebemos realidade da parte de Quem só é real, isto é, de quem apenas pode ser real. Quem pede, recebe e quem busca acha - acha aquilo que busca. Isto é a mais pura realidade

  284. O coração que não estiver preparado para o pior, nunca estará preparado para o melhor. Para os justos, tanto o bem como o mal têm as boas intenções de Deus, ainda que também tenham as más intenções do mundo, do diabo ou do pecado.

  285. O jeito é mais importante, no momento actual, do que a obra em si, pois, o jeito leva à obra e nem sempre a obra leva ao jeito. Aprender com Jesus é muito importante. Eu creio que é mais importante fazer as coisas da maneira que tudo se faz no céu, do que fazer as coisas do céu. "Seja feita aqui na terra como no céu", isto é, da mesma maneira e usando o mesmo tipo de poder, motivos e alegria. O pecador tem, como último recurso, o tentar fazer as coisas de Deus através da sua própria força para poupar da morte a força da carne, seja em sua vida ou na de outro. Usando a força da carne para qualquer coisa, mantém a carne viva e activa. Quando se vê impedido de fazer as suas próprias coisas, tenta fazer as de Deus do seu jeito. Se não consegue as suas próprias coisas pelo poder de Deus, tenta ofender os céus tentando fazer as coisas de Deus de sua maneira usando os seus próprios recursos. Tirar do homem a sua força, os seus modos de fazer, as coisas em que confia e das quais sempre dependeu, é mais frustrante para a carne do que tirar dele os sonhos, as ilusões, os alvos e os objectivos carnais pelos quais lutava ou ainda luta. Tirar-lhe os meios é tirar mais que os objectivos porque, com os meios em sua posse, ainda poderia refazer sonhos e objectivos perdidos e esmiuçados pela fé.

  286. Toda a pessoa que não anda bem com Deus deseja fazer as coisas de Deus da maneira dele, ou as dele da maneira de Deus.

  287. Não posso justificar o ímpio, nem mesmo quando o ímpio sou eu ou alguém que me é muito querido.

  288. Não basta desconfiar da mentira. Desconfiar é pecado, pois, só vivemos da fé e a fé são certezas. Desconfiar da mentira é muito pouco: tem de tornar-se impossível crermos nela, ainda que os mentirosos sejam muito hábeis no uso das palavras. E são mais hábeis que os verdadeiros. A mentira tem de sentir-se desmascarada e incomodada na presença de quem crê e não o inverso, ainda que nada seja dito. "De modo nenhum seguirão o estranho, antes fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos", João 10:5. Quando o engano ainda exerce algum tipo de fascínio sobre alguém, a verdade dificilmente se instalará em seu coração, a menos que venha para causar instabilidade. Só esse tipo de fé que crê na verdade e descrê da mentira abertamente e espontaneamente conseguirá salvar, mudar, transformar e exercer todos os seus poderes sobre a vida que somos. Você precisa ser verdadeiro de natureza e não apenas na sua forma de expressão.

  289. Ninguém se esforça para ser o que é em Cristo - só para não sê-lo.

  290. Porque se lamenta ainda, porque chora e implora para ter pensamento positivo sobre as suas capacidades? "Porventura não existe Deus em Israel?" 2 Reis 1:3. Porque razão deve confiar em si mesmo? E quando irá "arriscar-se" e entregar-se com intuito de vencer com um sorriso no coração sempre que é Deus quem opera? Ainda vai demorar muito?

  291. A incredulidade é uma incapacidade: ela não permite crer na verdade. Por isso existem os que conseguem crer e os que não conseguem, conforme Cristo disse: "Aquele que pode crer...", Mar.9:29. Consequentemente, fé é uma capacidade de descrer na mentira, é uma capacidade única em sua forma de se expressar e de afirmar-se. A incredulidade é a capacidade de crer na mentira e na ilusão.

  292. A falta de fé tem muitas causas e muitas origens. Também tem muitas consequências. E, onde existe falta de fé, existe uma grande dose de auto-confiança ou, então, uma enorme busca de auto-confiança. O homem precisa confiar em qualquer coisa quando não confia no que deve ou em Quem deve.

  293. Para começar e terminar um assunto em oração, exige de nós uma atitude e uma disciplina espiritual que se opõe a repetições de orações sem resposta. "Examine-se o homem" em vez de cair na tentação de repetir e repetir, ofendendo Deus. As orações com resposta não precisam ser repetidas. Então, não haverá o pecado das repetições em quem obtém respostas. A atitude de perseguir a resposta torna impossível a repetição, isto é, se formos sinceros diante de um Deus que tudo ouve. A repetição é uma ofensa a um Deus que não é surdo e ouve tudo, tal como vê tudo. Da mesma maneira que Ele vê tudo e nada se encontra oculto para Ele, dessa mesma maneira Ele é capaz de ouvir o ruído mais imperceptível e mais insignificante no Universo. Os que gritam orando só se querem mostrar e não obter respostas. Dão a impressão de serem muito firmes e crentes sendo descrentes. E todos pensam que são espirituais pelo barulho que fazem. E se desejarem obter respostas, servirá o mesmo objectivo de se mostrarem através delas. Não sei por que razão as pessoas se orgulham de algo que não foram eles a responder! Oram e mostram-se como sendo os autores das respostas até mesmo quando não existem respostas. A maioria dos Cristãos de hoje são excelentes actores e actrizes! O homem orgulhoso orgulha-se de qualquer coisa e por qualquer motivo. Só deseja ter os olhos em si, não importa de quem e nem qual o motivo - ainda que sejam somente os seus próprios olhos através dos quais congratula-se facilmente.

  294. Lembre-se de não ser mal-educado ao ponto de "abrir" a porta que só Deus abre. Você bate - Ele abre. Não presuma a resposta, não seja soberbo e mal-educado abrindo uma porta que não lhe cabe abrir. A pessoa que se atreve a bater e abrir a porta distribuindo promessas que "não viu" é um falso profeta. Ninguém pode prometer alguma coisa, em nome de Deus, que Ele ainda não tenha atendido - ainda que tenha prometido.

  295. Uma oração que obtém resposta imediata só desafia quem ora e não quem responde. Isso não é um desafio para Deus. Nunca será. Será que ainda é para si? Ou já cessou de orar? Já desistiu antes de obter resposta?

  296. Já viu algum presunçoso, isto é, alguém que assume coisas como se seu próprio entendimento fosse fidedigno e confiável? Quantas vezes vemos alguém assumir coisas por outros, afirmando: "Pode crer em minha palavra, pois, fulano irá cumprir!" Isso é uma forma de ilusão. Na verdade, é orgulho do coração expressando algo que não deve afirmar, pois, nem sabe se fulano irá cumprir ou se irá estar vivo para poder cumprir. Sermos 'fiadores' de outros é presunção. É uma das muitas formas de orgulho disfarçado que encontramos, pois, esse orgulho encontra-se disfarçado porque vive agradando pessoas e confunde esse seu acto com amor. Na verdade, é um agrado e não amor. "Filho meu, se ficaste por fiador do teu companheiro, se deste a tua mão ao estranho e te deixaste enredar pelas próprias palavras; e te prendeste nas palavras da tua boca; Faze pois isto agora, filho meu e livra-te, já que caíste nas mãos do teu companheiro: vai, humilha-te, e importuna o teu companheiro. Não dês sono aos teus olhos, nem deixes adormecer as tuas pálpebras. Livra-te, como a gazela da mão do caçador e como a ave da mão do passarinheiro", Prov.6:1-5.

  297. Sabemos que devemos e podemos ter um coração igual ao de Deus. Isso não é novidade, embora não se vejam muitas pessoas com esse coração. Devemos ter um coração que se deleita em Deus, que se deleita nas coisas nas quais Ele se deleita. Mas, existe uma coisa que muitos esquecem: não apenas devemos poder achar o nosso deleite naquilo em que Ele é capaz de deleitar-se, mas, devemos poder deleitar-nos da maneira que Ele se deleita nelas. Já viu Deus eufórico fazendo grandes coisas? E já o viu relutante fazendo coisas pequenas e insignificantes a nossos olhos?

  298. Dizem que Deus não faz mal a ninguém e que o mal vem do diabo. Ora, até o mal que vem do diabo é permitido por Deus. Na verdade, aquela pessoa que acredita em Deus e todo o Seu poder sabe que o mal vem de Deus por causa de alguma coisa e tendo em vista o bem global. Os que não conseguem acreditar em Deus sofrem não apenas os males que lhes acontecem, mas, também sofrem de amargura, ódios e desespero queixoso. Quem confia em Jesus, ainda que seja debaixo do mal, ganha ânimo e pode esticar o braço para alcançar a misericórdia. Mas, quem não confia, não resolve nada e ainda piora o seu estado moral e espiritual.

  299. A ignorância tem muitas escadas. Aproveitemos os seus degraus para descermos dela evitando o convite para subir cada vez mais naquilo que parece sabedoria. Tudo o que é mau, quer parecer bom. A ignorância quer parecer sábia, a hipocrisia quer parecer simpática, a maldade deseja fazer "o bem". Vamos descer os degraus que subimos no engano e busquemos todas as ocasiões para negar a morte do engano e do mal.

  300. "Sobre aquele que vires descer o Espírito e sobre ele repousar, esse é o que baptiza com o Espírito Santo", João 1:33.  É interessante que Deus use esta imagem de uma pomba para simbolizar a descida do Seu Espírito sobre Jesus. Deixem-me explicar. A Bíblia fala da descida do Espírito. Mas, existe outra coisa que a Bíblia fala e à qual ninguém presta atenção. Ela fala do Espírito permanecer em alguém e esse alguém permanecer no Espírito. É por isso que as Escrituras falam daqueles que "não têm o Espírito", Judas 1:19. Se o Espírito não permanecer sobre alguém, esse não tem o Espírito, ainda que Ele tenha descido sobre tal pessoa. Sabemos o que é uma pomba. Ainda que seja serviu apenas de simbolismo e de sinal de confirmação para João (pois, Jesus já era cheio do Espírito, mas, João nunca O havia visto descer sobre Jesus), sabemos que uma pomba não desce facilmente para pousar sobre alguém. Por outro lado, qualquer coisinha faz com que essa pomba levante voo e não permaneça sobre quem pousou. Isto não é interessante? Qualquer coisinha pode fazer a pessoa ficar "sem o Espírito" e tornar-se sensual novamente.

  301. Na eternidade só existe um grande hoje. A eternidade é um grande hoje. Será que só existe o dia de hoje em nossa mente? Precisamos aprender a ser eternos vivendo o dia de hoje agora e fazendo uma coisa de cada vez. Ou nos concentramos na tarefa imediata ou andamos confusos misturando as coisas de amanhã com as de hoje. Um ser eterno ou um que começa a ser eterno - alguém que se arranjou com Deus - será sempre um ser confuso caso não viva dentro das regras da eternidade. Cada um deve viver como é para não se sentir confuso e atrapalhado.

  302. Ninguém consegue matar um vivo e um morto nunca se pode considerar um ser vivente, ainda que o faça. Sabemos que um morto espiritual é e será sempre mentiroso e, por essa razão, não sente pudor se mentir a seu respeito. Um ser vivente não tem como morrer porque a morte não o alcança. A menos que os viventes pequem em algum aspecto, não têm como morrer.

  303. As acusações são pensamentos fofoqueiros que ora falam meias verdades e ora mentem sobre o verdadeiro estado do coração. A acusação é uma fofoca da cabeça e fazem parecer as verdades e as mentiras como meias verdades. Isso significa que a verdade parecerá suspeita e que a mentira sobe um grau na consideração desses homens e mulheres. Depois, falam ou falarão da mesma maneira e com o mesmo espírito de acusação a respeito de outras pessoas. O hábito e a atitude construiu-se e será difícil de exterminar algo que se tornou uma personalidade viciada. Por isso, onde houver um coração que se acusa por conta própria, recusando o perdão e desprezando a convicção que só o Espírito dá para poder permanecer no vício da acusação, haverá fofoca - no mínimo, existirá o espírito e a vontade de fofocar por tudo e por nada. Ninguém consegue separar a fofoca da acusação.

  304. "Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem", Rom.12:21. Vencer o mal não é ficar a rir dele, mas, exterminá-lo.

  305. A Bíblia diz que até um tolo, quando se cala, parece sábio. Isso significa, então, que até um sábio, quando fala por falar, parece tolo.

  306. Por norma, a pessoa que julga e condena o pecado nos outros não é uma pessoa que cuida da própria vida. Ela não é como aquele que "leva a boa semente e semeia em seu terreno", mas, tenta semear no terreno dos outros.

  307. viu alguém reagir mal quando lhe apontam um erro? As pessoas que reagem dessa maneira não costumam lançar as acusações de volta para quem lhes apontou o erro? A pessoa que reage mal e acusa os outros é aquela que se sente acusada. Sempre que sente uma acusação, reage dessa maneira. Isso é o que acontece com quem julga: reage àquilo de que a própria consciência acusa. Quando vê um pecado em alguém do qual ele mesmo sofre de uma forma ou de outra, reage julgando. É um mau espírito de auto-defesa da imagem que criou dele próprio. Sempre que é acusado pela própria consciência reage mal a essas acusações. Julgar não é nada mais e nada menos que a defesa de uma imagem e de uma semelhança de 'santidade' que não existe em quem julga. O acusado tem de parecer santo ou os outros precisam parecer pecadores maus. Os julgamentos são reacções venenosas de quem se sente acusado dos pecados que vê em alguém.

  308. Toda a pessoa que não cumpre os seus deveres maritais quando os pode cumprir tem um coração adúltero e não o sabe ou não o admite. Ainda que não pratique adultério, seu coração é adúltero.

  309. Graça é um poder ativo e não uma sala de espera passiva. Não é uma 'esperança' passiva. A graça funciona mesmo! Temos de nos apoderar desse poder e saber crescer nele e através dele.

  310. "...Na fé que há em Jesus Cristo...", 1Tim.3:13,1;14. Isto significa que existe uma fé em Jesus Cristo e outra fé fora de Jesus Cristo, isto é, existe uma fé de compensação falsificada e acolhedora quando nos encontramos separados d'Ele. Muitos nem se dão conta disso.

  311. Quando eu era criança, aprendi a viver sem pai e sem mãe. Era eu a lutar contra o mundo e as torrentes de águas violentas e sujas. Aprendi hábitos de sobrevivência, hábitos de viver sem pai. Mas, descobri, agora, que não mais posso viver como se não tivesse pai. Preciso perder esses hábitos e negar a força do braço da carne.

  312. A pessoa, para mudar, precisa querer mudar e não querer ser aceite e entendida. Por isso é que quando as pessoas tentam explicar-se, tentam mostrar que sabem mais ou tentam fazer outras coisas que fazem as pessoas serem aceites, ela não conseguem mudar. Quem quer mudar não pode tentar pular o muro do aprisco em vez de passar pela porta do reconhecimento do erro e da graça quando caminha. Precisamos ter Jesus nos Caminhos d'Ele e não somente os caminhos. "...Dos que se lembram de Ti nos Teus caminhos..." Is.64:5.

  313. Não existem muitas diferenças entre ricos e pobres no tocante à possibilidade de entrarem no Reino de Deus. Não estou discordando de Jesus nesse aspecto. De modo nenhum. Deixem-me explicar. Os pobres são tão consumidos por afazeres quantos os ricos. Enquanto os ricos são consumidos pelos pensamentos que o dinheiro traz, por aquilo que possuem, os pobres são consumidos pelos pensamentos e pelas amarguras que a pobreza traz e por aquilo que não possuem. O deus de ambos é o mesmo e o pobre coloca as suas esperanças no dinheiro tanto quanto o rico o faz. A única diferença que vemos entre um e outro é que o pobre não consegue confiar na sua pobreza, embora estenda a sua mão para o deus do dinheiro tanto quanto o rico o faz. O rico pode confiar nas riquezas e é por essa razão que Paulo afirma que a confiança no dinheiro é idólatra.

  314. Quando impomos as mãos sobre alguém, acontece uma de duas coisas: ou a pessoa torna-se participante da nossa bênção, ou nós nos tornamos participantes dos pecados alheios. Não devemos impor as mãos precipitadamente sob pena de nos tornarmos culpados dos pecados alheios. "A ninguém imponhas precipitadamente as mãos, nem participes dos pecados alheios; conserva-te a ti mesmo puro", 1Tim.5:22.

  315. "Ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo", 1Cor.12:3. Existem vários versículos que dizem esta mesma coisa, direta ou indiretamente. Contudo, a partir de outros versículos e olhando ao redor vemos que existem muitas interpretações erradas a respeito desta verdade. Por exemplo, em Mat.7:21 lemos: "Nem todos os que me dizem 'Senhor, Senhor' entram no Reino de Deus". Parece que existe uma contradição entre estas duas porções das Escrituras, mas, veremos que não se contradizem. O segredo deste versículo está na palavra 'dizer'. Quando a Bíblia afirma que 'ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor sem ser pelo Espírito', não está falando de um dizer de palavras, mas, de uma constatação real. Por exemplo, eu não posso dizer que consigo voar porque, na prática, não consigo voar. Se conseguisse, poderia dizer que me era possível voar porque a prática mostrava isso mesmo. Do mesmo modo, existem pessoas que, ao olharem para sua vida e experiência, só podem concluir que Jesus é realmente Senhor. Isto é, eles conseguem perceber como sua vida mudou naquilo que nunca conseguiram mudar; que Jesus transformou o impossível em possível; etc. Por isso, podem dizer que Jesus é realmente Senhor porque comprovam isso na prática e a sua experiência é que Ele é realmente genuíno e vivo. Não têm outra explicação para aquilo que vem ocorrendo neles e nos arredores. É isso o que significa poderem dizer que Jesus é realmente Senhor: por aquilo que experimentam de forma real e genuína. Qualquer um pode dizer que Jesus é Senhor através de palavras, mas, poucos podem afirmar havendo sido convencidos além de qualquer dúvida e explicação. Não lhes é possível contestar essa realidade ainda que queiram, pois, a sua realidade comprova precisamente que Jesus é deveras vivo. Não é apenas uma questão de fé, mas, de constatação no terreno e na prática. Isso não é o mesmo que dizer que Jesus é Senhor para poderem entrar no aprisco das ovelhas saltando o muro para evitarem entrar pela porta.

  316. Infelizmente, grande parte do meu tempo e trabalho é endireitar Escritura torcida ou torta. Descobri que se tornou muito difícil pregar o Evangelho simples e expor somente as Boas Novas de Cristo. "Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos", Judas 1:3.

  317. "E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar", Act.2:47. Existem muitos versículos que são mal entendidos por causa das doutrinas que foram surgindo ao longo dos séculos. Este é um deles. Muitos alegam que este versículo fala da predestinação. E, na verdade, não é assim. Não estou falando contra a predestinação. Estou somente afirmando que este versículo não se aplica ao passado longínquo, mas, ao futuro próximo de quem vem a Cristo. Lembra-se das palavras de Paulo ao carcereiro? "Crê e serás salvo, tu e a tua casa". Essas palavras revertem a salvação para um pós-crer e não para o momento que se crê. O verbo está no futuro. A pessoa que crê tem como salvar-se de seus pecados após crer. A pessoa que crê tem como limpar os seus pecados confessando-os um por um. Ao havê-los confessado diligentemente e seus pecados haverem-se tornado públicos, abre-se o caminho para ser liberto, para sempre, tanto deles como da origem desses mesmos pecados (e de outros que ainda possam surgir). Seremos resgatados nesta presente vida das mentiras (não das dos outros, pois, a mentira do outro nunca me condenará, mas, a minha própria); seremos ainda libertos da má-língua, dos desejos da carne e outras coisas mais que me retém como prisioneiro de direito. Ora, quando lemos este versículo em Atos, podemos constatar que Deus juntava à Igreja aqueles que ainda haviam de ser salvos de todos os seus pecados - futuramente.

  318. Todos se dão como exemplos. Mas, somente alguns o são-no e muito poucos dos que são têm a confiança e criam as circunstâncias de serem seguidos. Os exemplos que devem ser seguidos já não confiam na carne e podem sentir-se perdidos se não confiarem em Cristo. Por isso, é possível que ainda temam ser seguidos como exemplos. Mas, nunca foi bom para ninguém fugir das próprias responsabilidades.

  319. Quando devo perseverar na oração? Já recebi algo que Deus prometeu ou que é explicitamente a vontade d'Ele? Se ainda não recebi, a ordem é para perseverar e receber de forma real, pois, Deus é real tal como todas as suas respostas.

  320. "O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu", João 3:27. Por que razão vivem os homens ainda como se tudo dependesse deles próprios e não da obediência?

  321. A Bíblia nunca se expressa contra as obras, mas, contra "as obras da lei" - a circuncisão, os sacrifícios de animais, etc. Aquilo que as pessoas consideram obras hoje não é o que as pessoas consideravam obras naquele tempo. As verdadeiras obras do amor são uma exigência dum coração puro como leves sacrifícios a Deus.

  322. "De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé...", Rom.12:6. As coisas que diz são ditas porque Deus mostra ou porque acha que as sabe e quer mostrar-se?

  323. ouviu falar de pessoas que contradizem tudo e que seu hábito favorito é dizer não contra o sim e sim contra o não? O seu coração está sempre na oposição! É você uma dessas pessoas? Quando alguém diz 'direita' você diz 'esquerda e se alguém diz 'esquerda', você diz 'direita'. De acordo com as Escrituras, rebeldia é isso mesmo. Um coração contradizente é um coração rebelde. Quando João foi enviado a preparar o caminho para o Senhor, ele veio "com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto". Isso é precisamente o oposto de um povo que se opõe a tudo por ter nele um coração contradizente. Deixemos de ser da oposição pelo hábito e usemos as nossas forças para nos opormos ao pecado em nós e estarmos a favor do Senhor sempre. "Todo o dia estendi as minhas mãos a um povo rebelde e contradizente", Rom.10:21.

  324. Normalmente, as pessoas acreditam coisas erradas. Acreditam que uma pedra de tropeço é a maneira como falamos quando os ouvintes se irritam com aquilo que ouvem. Dizem: "Temos de ser sábios, irmãos! Não podemos falar assim". Não devemos falar a verdade francamente? Na verdade, uma pedra de tropeço é sempre alguma coisa em nossas próprias vidas que contradiz o Evangelho. Se alguém se irritar contra a verdade falada francamente quando o Senhor a inspira, isso é fruto e não tropeço.

  325. Se fazes piadas sobre as coisas de Deus ou sobre Deus, serás uma piada em breve e serás o alvo de grandes risadas. "Também Eu me rirei na vossa perdição e zombarei, vindo o vosso temor", Prov.1:26.

  326. "...E guardaram a tua palavra", João 17:6. Muitas vezes me perguntei o que é necessário para que aqueles que se convertem mantenham a palavra viva neles e consigam firmar-se nela até ao fim. "Guardar a palavra". Estive muito tempo procurando uma solução distante e ela encontra-se tão perto! A primeira condição é que seja mesmo a palavra de Deus e não a nossa ou do nosso conhecimento. Lendo mais adiante neste capitulo das Escrituras, vemos que também se torna necessário a pessoa conseguir ver e reconhecer que a palavra é de Deus. E não podemos dar esse reconhecimento hipocritamente. Ela precisa frutificar em nós e ser capaz de convencer-nos. Precisa ser mesmo a palavra de Deus e, também, precisa ser reconhecida como tal. Só assim a obediência será duradoura. Quantos elogiam o pregador! Quantos se admiram muito com as palavras de quem prega! A pessoa só conseguirá a capacidade de manter-se fiel quando tudo tornar-se uma questão entre ela e Deus. E os pregadores precisam falar a palavra que vem de Deus naquele momento e não extraírem as coisas dos seus conhecimentos - ainda que Deus use esses conhecimentos para Sua glória. Cumprindo esses requisitos, os discípulos guardarão a palavra de Deus até ao fim.

  327. É preciso um vivo para ver outro vivo. Um morto enxerga outro morto e o vivo vê os vivos. "Vós me vereis; porque eu vivo e vós vivereis", João 14:19.

  328. Devemos consultar Deus a respeito de tudo. Mas, o que nos vale consultar Deus dessa maneira se não obtemos respostas? Devemos chegar ao ponto onde Deus nos ouve sobre todas as coisas. Senão, seremos uns religiosos mais apurados que os demais e satisfeitos por orarmos em todos os momentos, quando entramos e saímos do carro, quando escrevemos ou falamos. É bom orarmos em todas as circunstâncias e consultar Deus sobre todas as coisas, ainda que seja por causa de um par de sapatos. Mas, para nos livrarmos do mercado da hipocrisia, devemos chegar ao ponto onde Deus nos ouve atentamente a respeito de tudo que conversamos com Ele. "E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei", João 14:13.

  329. "A solteira cuida das coisas do Senhor para ser santa, tanto no corpo como no espírito", 1Cor.7:34. Isto só é verdade em alguns casos. Existem solteiras que não servem ao Senhor porque as suas cabeças só pensam em casar. As suas mentes ficam ocupadas com casamento e não com o Senhor ou as coisas d'Ele. Não esqueçam os solteiros que a finalidade é "para vos unirdes ao Senhor sem distracção alguma" (v.35).

  330. A fé alcança a vontade de Deus - não a nossa. A fé verdadeira consegue fazer-nos alcançar a vontade de Deus para as nossas vidas.

  331. "Não é boa a vossa jactância", 1Cor.5:6. Paulo diz isto a pessoas que não fizeram nada acerca de alguém que cometeu pecado dentro da igreja dos Coríntios. Diz que aqueles que não fizeram nada acerca do problema sofrem de "jactância". Ora, isso, para muitos, será uma surpresa. Normalmente aceitação é tida como 'amor' e nunca como jactância. Só pode significar que é a jactância quem aceita, dentro da Igreja, aquilo que afasta e impede o Espírito Santo. Outra parte interessante é que Paulo diz aos Coríntios para se limparem por causa do pecado de outro.

  332. Muitos pregam para eles próprios não irem para o inferno. Outros pregam para as pessoas se salvarem. Em qual das categorias você cai?

  333. Doutrina é para ser seguida por quem ensina. Vida é para ser seguida por quem aprende. E hoje vemos todos seguindo doutrina.

  334. A auto-justificação tem raízes profundas e nunca anda separada da acusação de terceiros - ou do Primeiro, o Alfa e o Ómega! Se essas acusações não surgirem logo, acabam surgindo mais tarde. É somente uma questão de tempo até surgirem.

  335. Se as coisas não funcionam da maneira que Deus disse que funcionariam, ou se não funcionam da maneira que desejamos - se não se cumprem de acordo com as expectativas - porque razão o homem tende a desconfiar mais de Deus do que de si mesmo? Por que razão pensa que é Deus quem está falhando em relação a ele e não ele em relação a Deus?

  336. Sabemos que existe diferença entre fazer as coisas e fazê-las em Cristo ou através d'Ele. As pessoas que fazem as coisas certas ou tentam fazer sem Cristo, normalmente, desistem ou acabam por desviarem-se para o lado do inimigo. Na verdade, desistem de uma maneira ou de outra. Quem falha tem, como primeiro pensamento, desistir de tudo ou fazer outras coisas. E fazer outra coisas em termos práticos do Evangelho significa entrar no pecado. Ora, os que desistem deveriam saber que existe alternativa melhor: tentar de outra maneira. Já tentou as coisas através de Cristo? Saiba hoje que, quando desiste, na verdade está desistindo dos seus próprios caminhos e não do Evangelho. Provavelmente, fez do Evangelho um caminho próprio e, por essa razão, desiste.

  337. "...Poder, segundo o Espírito de santificação", Rom.1:4. O poder de Deus, seja numa vida ou num local, nunca anda separado da santificação ou da santidade da pessoa ou do local.

  338. A quantidade de elogios e de glória que você distribui aos homens e mulheres deste mundo ou deseja distribuir, sejam ele crentes ou não, é precisamente a quantidade de glória que gostaria de receber dos outros. E não conseguirá parar esse problema evitando fazê-lo. Se esforçar-se a não dar glória ou elogios aos homens, fá-lo-á através da amargura e os homens sentirão isso mesmo. Só pode resolver este problema através da sinceridade: foi Deus ou o homem quem fez ou faz aquilo de que se admira ou aprecia? Precisa investigar a fundo e, através da sinceridade, dar a glória a quem ela pertence. Se pertencer ao homem, dê-a ao homem. Se pertencer a Deus não a dê ao homem. Não diga que foi Moisés quem fez aquilo que Deus fez. "À tarde sabereis que o Senhor vos tirou da terra do Egipto"? Ex.16:6.

  339. Permitir que seja o Senhor a comandar e a dirigir é, provavelmente, uma decisão tão difícil e necessária quanto aquela que fizemos no dia da maior decisão da nossa vida: a de seguir Cristo.

  340. Existe uma verdade à qual ninguém pode fugir: se sabemos esperar no Senhor com toda a paciência, o tempo passa depressa e podemos até ser surpreendidos. Mas, para todos os impacientes, o tempo demora a passar e tudo se torna tão difícil! Infelizmente, os que conseguem esperar de consciência manchada, esperam em vão até que limpem as consciências e lhes seja restituído aquilo que os gafanhotos comeram durante os anos de praga.

  341. Ainda existe alguma dúvida que Deus nos trata conforme os nossos caminhos e obras? Não nos trata de acordo com aquilo que cremos, mas, de acordo com nossos caminhos e vidas práticas. "Assim como o Senhor dos Exércitos fez tenção de nos tratar, segundo os nossos caminhos e segundo as nossas obras, assim ele nos tratou", Zac1:6. A promessa para bem ou para mal pode tardar, mas, chegará com certeza. Sabemos que só colhemos aquilo que semeamos. Nem poderia ser de outra maneira. Não podemos semear espinhos e esperar colher outra coisa senão espinhos.

  342. alguma vez tentou fazer Jesus rei à força? Já pensou por que razão tal coisa é condenável? Por norma, a pessoa deseja torná-Lo rei à força para que Ele reine sobre a carne e o sangue, pois, Ele não precisa ser forçado a ser rei sobre as coisas espirituais. Por norma, as pessoas que forçam Jesus a ser rei sabem que não conseguem alcançar todas as coisas que desejam. Mas, logo ficam desapontadas n'Ele. Têm uma aparência de humildade e de submissão, mas, o tempo traz-lhes desapontamento porque Jesus nunca reinará sobre a carne. A carne é algo que Ele deseja morta. Também sabem que Jesus pode todas as coisas, pois, todo o poder lhe foi dado. Essa mistura força Jesus a ser rei, pois, a carne tem sempre pressa para alcançar seus objectivos. Contudo, Jesus não é forçado a ser Rei sobre as coisas espirituais. As pessoas que forçam Jesus a ser Rei, como fizeram os Israelitas, sabem, esperam ou suspeitam que Jesus tem todo o poder em Suas mãos e que eles mesmos não conseguem alcançar aquilo que pretendem ou da maneira que pretendem. Por isso, querem forçá-lo a ser Rei e Senhor sobre suas vidas. Desejam que o Todo-Poderoso reine sobre os seus desejos carnais e pouco celestiais para que, de alguma forma, possam alcançar as suas pretensões ou desejos egoístas através do Seu poder. Querem que Jesus ajude e fortaleça a carne. Infelizmente, hoje essas pessoas são chamadas de crentes ou de Cristãs. Na era dos discípulos eram conhecidos como enganadores, pois, distinguia-se facilmente entre o que serve a Deus e o que não serve. Então, se é honesto e ainda deseja pertencer a Jesus, faça este teste: deseja forçar Jesus a ser Rei ou fazer alguma coisa que deseja? Então, é um sinal claro que deve parar e rever seus motivos e seus desejos. Certamente deseja que Jesus reine sobre a carne - a sua carne. Deseja que Jesus concretize os seus desejos terrenos e pessoais. Na verdade, Jesus veio para que nós alcancemos uma vida maior onde se alcança os Seus desejos e isso da maneira d'Ele, a qual funciona da maneira mais simples, obtendo resultados claros. Aqui temos a evidencia dos dois lados do coração do homem bem clara: se tenta fazer Jesus Rei pela força, você ainda é carnal. Precisa lidar com seu coração à luz de Deus primeiro. Se tenta fazer Jesus Rei pela força, significa, também, que está evitando trabalhar no seu próprio arrependimento e conversão, convertendo-se da impiedade para a santidade em Deus. Antes, deseja fortalecer a carne e os seus esconderijos de pecado através do poder de Deus em vez de se mudar para o lado da santidade e pureza de motivos. Existe maior engano que esse? Existe situação mais repelente que essa? 

  343. Sei que existe uma grande cumplicidade e uma relação muito íntima entre a fé e a fidelidade. Uma nunca anda separada da outra. Nenhum infiel consegue ter fé verdadeira - só uma falsa.

  344. É bom conseguirmos traduzir pensamentos em palavras, palavras em ensino e ensino em vida. Quem não faz isso raramente cresce, mas, arrefece e morre para Cristo e para a verdade ao longo do tempo.

  345. Uma das razões por que Deus não opera é que Ele não tem condições para trabalhar. "Pedis e não recebeis porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites", Tiago 4:3. Devemos ter as condições criadas para Deus poder trabalhar para o Reino d'Ele, senão, Ele estará fortalecendo um inimigo Seu contra Ele mesmo: a carne. "Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo (deserto) vereda a nosso Deus", Is.40:3.

  346. Os pecadores (os crentes) que nunca se converteram têm por hábito serem impacientes com os pecados dos outros e pacientes com os próprios, chegando mesmo ao ponto de ignorar ou defender os próprios pecados. Mas, quando se vem a Cristo mudamos totalmente e tornamo-nos impacientes com os nossos próprios pecados e muito pacientes com os dos outros.

  347. Não é estranho que, logo após o Mar Vermelho haver-se aberto diante das pessoas, Moisés tivesse de dizer: "À tarde sabereis que o Senhor vos tirou da terra do Egipto"? Ex.16:6. Será que já não sabiam? Eles ainda pensavam que havia sido Moisés! Quantas vezes mencionamos as pessoas que oram sempre que uma oração é ouvida? Quantas vezes dissemos: "Tal pessoa orou e fui curado ou alguém foi curado"? Não é o Senhor quem cura ou curou?

  348. Quando esperamos de Deus coisas que queremos e que Ele nunca prometeu, vamos ter dois problemas: não enxergamos aquilo que Deus dá e esperamos o que não recebemos. Isso cria o terreno apropriado para o diabo operar em nossa incredulidade e insatisfação. Depois, basta um passo para haver infidelidade no coração.

  349. "O Senhor prova o justo; porém, ao ímpio e ao que ama a violência odeia a sua alma", Sal.11:5. Isto significa que sermos provados por Deus é sinal de amor e compaixão. Pode significar, também, que o ímpio não é provado. Se isto é verdade, por que razão os justos se queixam quando provados ou mesmo quando os ímpios não sofrem males?

  350. "Todas as suas cogitações (do ímpio) são que não há Deus", Sal.10:4. Isto não significa, necessariamente, que o ímpio afirma que não há Deus, mas, que as suas acções, a sua maneira de proceder e a forma como vive a sua vida diária nunca leva Deus em conta, nem quando peca e nem quando faz coisas que não são pecado sem saber que deveria depender da graça de Deus para fazê-lo.

  351. "O ímpio gloria-se (...) bendiz ao avarento", Sal.10:3. Isto é uma verdade, pois, o ímpio nunca fica indiferente à riqueza material de alguém. Mas, existem outras verdades sobre isto. Todos os que louvam os avarentos são ímpios. Mas, esta não é a única verdade, pois, todos os que são capazes de criticar o avarento em vez de ficar indiferente e confiante em Jesus, também podem ser considerados ímpios.

  352. A finalidade do Juízo de Deus é exterminar o mal e o pecado para sempre. O pecado é o mal e o mal é o pecado. O juízo não tem como objectivo final o castigo, mas, a extinção até da lembrança do mal.

  353. Toda a pessoa que não é espontânea na verdade, criou muitos complexos ao longo da vida; e todo aquele que se tornou espontâneo nas trevas, perdeu toda a vergonha de pecar.

  354. São os pais desobedientes que têm filhos desobedientes.

  355. Ou somos povo do Céu ou somos do país onde nascemos. As duas coisas não é possível. Vamos ter cuidado com o 'nacionalismo', pois, Deus quer-nos fiéis a Ele porque, quem Lhe é fiel, será sempre o melhor cidadão de qualquer, seja do lugar onde nasceu ou não.

  356. Tenha a certeza disto: se alguém ainda considera alguns pecados menos graves que outros, se ainda pensa que somente certo tipo de pecados entristecem o Espírito de Deus, essa pessoa, certamente, também não considera alguns pecados como pecado. Certifique-se que lida com isso antes de orar por alguém, para não participar dos pecados dos demais. "A ninguém imponhas precipitadamente as mãos, nem participes dos pecados alheios; conserva-te a ti mesmo puro", 1Tim.5:22.

  357. É verdade que o temor não é amor aperfeiçoado. Mas, não existe amor perfeito que não tenha começado com um temor a Deus.

  358. "E os filhos de Israel fizeram secretamente coisas que não eram rectas, contra o Senhor seu Deus", 2Reis 17:9. Sempre que as pessoas fazem alguma coisa encobertamente ou em segredo, isso significa que sabem que aquilo é errado. Se não soubessem, não o fariam secretamente. E como as pessoas fazem muitas coisas erradas, fazem muitas coisas secretamente. Isso cria um padrão de vida, um hábito de viver e de fazer tudo em segredo. Muitas vezes, também cria o hábito de tentar fazer as coisas da maneira errada primeiro, antes de se tentar a coisa certa da maneira certa, porque o fazer errado e fazer secretamente são inseparáveis. Conheço um homem que mente sempre primeiro, mesmo que a verdade o beneficie muito mais em certas ocasiões. Primeiro mente e só depois de não ter alternativa é que decide falar a verdade. É um hábito de coração, é um padrão de vida ganho na vida de pecado. Essa é a maldição principal de andarmos no pecado. É isso que Deus diz ser andar nas trevas. Devemos colocar tudo na luz para quebrarmos essa maldição e exterminá-la pela raiz. Por isso, quando esses padrões se encontram enraizados na maneira de ser, as pessoas ou fazem a coisa certa da maneira errada, ou tentam fazer a coisa errada da maneira certa. Tem de haver sempre algo de errado em seu comportamento para não se sentirem expostos e para se sentirem seguros de si. Ou fazem as coisas certas em segredo, ou fazem as erradas abertamente. Olhe atentamente à sua volta e verifique se isto não é assim. Isso acontece porque tem de haver algo de errado no comportamento de quem tem um coração perverso. Se não houver algo de errado no comportamento de tais pessoas, não se sentem seguras de si mesmas. Andemos na luz, expondo tudo e revelando tudo. Não é possível medir os danos de uma vida nas trevas. "Vinde, ó casa de Jacó e andemos na luz do Senhor", Is.2:5.

  359. Se as palavras de Salomão num sonho contaram para Deus, quanto mais contará cada palavra que dissermos quando estamos acordados! Vamos ter cuidado com nossas palavras, pois, daremos contas de cada uma delas.

  360. Um testemunho pode ser considerado como tal apenas quando testemunha de Deus. Testemunhar de Deus é diferente de testemunhar sobre Deus. Muitos testemunham, mas, não de Deus. Falam de Deus para testemunharem, em termos práticos, deles próprios. Falam de como Jesus sofreu por eles, mas, raramente conseguimos testemunhar uma realidade de Jesus em suas vidas.

  361. Para este mundo, é uma ofensa não fazermos algo por força própria ou por motivos pessoais. "Zombando, diziam: Salvou os outros e não pode salvar-se a si mesmo", Marc.15:31.

  362. Perfeição não é um assunto fácil para muita gente. Contudo, creio que o grande problema nas pessoas é a incompreensão sobre o assunto e a confusão que existe na maioria das cabeças acerca disso. A maioria define a perfeição de acordo com seus próprios padrões e, muitos mais, de acordo com a maneira que gostariam de ser tratados pelos demais. A perfeição descrita na Bíblia é a simplicidade dentro da presença de Deus. Quanto mais simples dentro da vontade de Deus, tanto mais facilmente o coração é tomado e levado pelo Seu Espírito. A Sua presença, juntamente com a simplicidade, é uma combinação inestimável. Esse é o fogo que Jesus prometeu derramar na terra. Na verdade, a perfeição começa assim que as nossas acções correspondem com aquilo que o nosso coração realmente é. E isso não é para ser teatral, porque o humano raramente conhece o seu coração e nunca fará, por isso, uma representação fiel de si mesmo. E ainda que fosse fiel, não passaria duma representação teatral.

  363. Existe uma coisa na qual sempre acreditei e que faz cada vez mais sentido para mim a cada dia que passa. Deve ser mais fácil para nós, criaturas de Deus, vivermos uma vida santa do que uma vida de pecado. Com isso, não quero apenas afirmar que é mais suave e mais leve para a alma e vivificador para o coração, mas, que é melhor e mais simples em termos práticos. Também devo afirmar que o acesso a Deus e à Sua vida é mais fácil que o acesso ao pecado. Antes de discordarem comigo, pensemos um pouco juntos: Se formos mergulhados em água e permanecermos lá, será mais fácil ficarmos molhados ou secos? Qual será mais difícil? Creio que não é nada fácil ficarmos secos dentro de água e nem permanecermos molhados fora dela. De acordo com a Bíblia, Deus está em todo lugar e vivemos dentro d'Ele, Act.17:28. Agora, pergunto-me: como é possível o coração ficar seco e sem vida dentro da própria Vida? O pecado, por outro lado e ao contrário do que as pessoas pensam, não está em todo lado. O pecado encontra-se no coração do homem e é por essa razão que parece ao homem que está em todo lado porque, para onde o homem for, o pecado vai dentro dele. Quando os pecados de fora nos perturbam, ele ainda existe dentro do coração. Porém, se a Vida nos domina, estaremos conscientes dela e tornamo-nos uma bênção. A única conclusão verdadeira que podemos retirar desta verdade é que os humanos devem ter de lutar muito para se manterem longe de Deus e, consequentemente, para serem reinados por um Senhor cruel ao qual chamamos pecado. É Deus quem está em todo lugar e não o pecado. Concluímos, pois, que deveria ser muito mais fácil vivermos uma vida santa do que uma vida de pecado. Na verdade, se mudarmos os corações dos homens e se esses corações forem purificados, o mundo muda e tudo será diferente. Então, "todo lado" será santo porque o homem é santo. 

  364. Jesus não morreu ao ser crucificado. Como poderia ter morrido se disse ao homem que morreu ao lado d'Ele que naquele dia estariam juntos no Paraíso? Como poderia estar morto e no Paraíso ao mesmo tempo? Entendendo correctamente o que Paulo escreveu, a morte de Jesus foi uma morte real, mas, para o pecado e para este mundo, Rom.6:10. Esse tipo de morte foi a que Jesus sofreu: morreu definitivamente para o pecado e para o mundo. Esse tipo de morte manifesta-se claramente em todos aqueles que são, realmente possuídos por Ele em todos os aspectos de toda a sua vida prática. É isso o que significa morrer com Cristo. "Pois, quanto a ter morrido, de uma vez morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus. Assim, também vós, considerai-vos como mortos para o pecado, mas, vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor", Rom.6:10,11.

  365. Por norma, as pessoas fazem as coisas de modo a nunca traírem os seus próprios sentimentos. Mas, somos chamados a nunca trair as nossas consciências iluminadas e não os nossos sentimentos. Conheço uma mulher que faz de tudo para não trair os seus sentimentos em relação à sua própria família e em relação à família do marido em sentido inverso. Ela não gosta da família do marido. Quando é necessário partilhar nas despesas de alguma coisa com a família dela, ela certifica-se que eles recebem o máximo que poderiam receber. Ela diz que é uma questão de consciência. Mas, quando toca a família do marido, ela certifica-se que eles recebem o mínimo a que têm direito. Em ambos os casos, ela procura não trair os seus sentimentos, embora afirme que é uma questão de consciência. A consciência, nessas circunstâncias, não tem maneira de expressar a verdade porque vive abafada por aquilo que ela sente. Não consegue negar a própria vida e muito menos o seu sentir. Ela é fiel ao que sente e não à consciência.

  366. Na Bíblia, cruzamos com palavras que podem-nos chamar a atenção. Uma das coisas que me chamou a atenção, foi o facto de Deus afirmar que pode amaldiçoar uma bênção. Parece um paradoxo, mas, é a verdade. "Amaldiçoarei as vossas bênçãos; e também já as tenho amaldiçoado, porque não aplicais a isso o coração", Mal.2:2. Noutras palavras, uma bênção vem revelar a fidelidade de Deus sendo dada, a qual de nada aproveita ao homem. A bênção chega e os gafanhotos comem-na, para frustração de quem a recebe. Isso é o que acontece com todos aqueles que se chamam pelo nome de Deus, mas, não demonstram fidelidade de acordo com a exigência e com os padrões de Deus. É verdade que Deus pode amaldiçoar uma bênção, por estranho que pareça. E se isso é verdade, o que impediria Deus de abençoar uma maldição ou de torná-la uma bênção? Deus abençoou Jó usando tudo que lhe aconteceu; abençoou Davi pela perseguição que Saul lhe infligiu. E poderíamos acrescentar muitos mais exemplos desta verdade. 

  367. Um pecador busca sempre qualquer tipo de justiça própria para apoiar-se nela e para ter com que justificar-se. Um santo busca qualquer tipo de pecado que ainda possa restar nele para poder acusar-se diante do trono da graça. Um procura justificar-se, enquanto o outro procura acusar-se. Essa é uma das muitas diferenças entre santo e pecador.

  368. Para Deus, não existe coisa como direitos humanos porque é Ele quem nos defende. Se não abdicarmos, a favor de Jesus, de todos os direitos que pensamos ter, podemos ter a certeza que estaremos negando a Deus e ao Seu poder. Abandone os Seus direitos nas mãos de Jesus e aprenda d'Ele que é manso. Entregue tudo a Ele. Nunca mais pense em ter, defender ou assumir direitos neste mundo. Só temos o direito ou o privilégio de servi-Lo com tudo que somos sob qualquer circunstância ou dificuldade. Santidade não é politica. Não temos direitos diante de pessoas e nem de instituições. Somos de Cristo. Ele detém os nossos direitos - são d'Ele.

  369. Assim que as pessoas abrem espaço para a realidade da salvação neles, ou para a possibilidade da palavra de Deus tornar-se realmente vive em seus corações (para que não possa estar morta lá), entrarão numa fase de pré-conversão. A única coisa que devem fazer é abrir espaço neles para a possibilidade de Jesus ser real e para que o jesus morto de suas cabeças possa ser negado para sempre. Esse também será um estado de pré-conversão. a verdadeira conversão começa a chegar assim que as pessoas colocam em prática, de forma natural, as palavras que se vão tornando vivas nelas.

  370. Nós estamos bem familiarizados com aquelas palavras de Jesus, que dizem: "Buscai e achareis". Contudo, Jesus também diz nos Evangelhos o seguinte: "Vós Me buscareis e não Me achareis", João 7:34. Isso acontece porque não O buscamos onde Ele está e nem para aquilo que Ele quer. "Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade", Sal.24:3,4. Aqueles que estão sujos buscarão, mas, não acharão, a não ser que busquem a sua própria limpeza.

  371. Avivamento começa quando os crentes se convertem. Só pode começar com a conversão genuína dos crentes.

  372. Hoje uma Senhora falou-me sobre estar-se sufocado por responsabilidades. Ela também me falou de como seu marido a abandonou por não desejar ter a responsabilidade do casamento sobre os seus ombros. Dizia ela que seu marido não queria ter essa responsabilidade e foi essa a razão que invocou para sair do casamento. Ele desejava viver sozinho e sem responsabilidades. Mas, mal sabia ele que é precisamente a irresponsabilidade de sua alma e coração que trazem fardos para os seus ombros. Como é triste ver como as pessoas trocam as coisas e dizem que o mau é bom e que o bom é mau. A irresponsabilidade é um fardo pesado e não o cumprimento das responsabilidades em Deus.

  373. É comum acreditarmos que o amor pelo dinheiro só existe quando aplicamos ou usamos esse dinheiro para proveito próprio. Nada poderia estar mais longe da verdade. Vemos como existem muitos pregadores angariando fundos para espalhar seus evangelhos falsos e contraditórios. Qualquer pessoa pode ter amor pelo dinheiro pelo simples facto de possuí-lo. Não importa onde esse dinheiro seja aplicado, pois, o amor pelo dinheiro subsiste sob qualquer circunstância. "Do avarento nunca mais se dirá que é generoso...", Is.32:5. Isto significa que podemos ver um avarento como generoso e justo - até ele próprio pode ver-se desse jeito. E se isso é verdade, também podemos concluir que existem pessoas que compram coisas para eles mesmos com a bênção de Deus. Isso não significa, necessariamente, que amam dinheiro. Os servos de Deus não se sentem poderosos quando possuem dinheiro. Jó não se sentiu 'desprezado' quando perdeu tudo. Os santos pertencem a Deus e Ele pode levá-los ou guiá-los a usar dinheiro nalgumas coisas que necessitam. Deus cuida deles.

  374. alguma vez pensou no verdadeiro significado das palavras de Jesus quando Ele diz que muitos irão pular o muro em vez de entrar pela porta? Talvez pense que não será uma dessas pessoas. Mas, vamos aprofundar um pouco mais essa verdade. Existem muitas circunstâncias onde isso acontece e, na maioria dos casos, ninguém se dá conta disso. Por exemplo, agradar pessoas significa o uso de outros meios parecidos com o amor. Agradar pessoas é uma forma de alguém esquivar-se do verdadeiro amor. É pular o muro. Por isso, eu creio que só aqueles que agradam pessoas são capazes de se tornarem desagradáveis e inconvenientes. E também existem semelhanças de fé, de esperança, da verdadeira oração e todas as outras virtudes importantes.

  375. Muitas vezes, queixamo-nos da falta de frutos em nossas vidas, especialmente, de frutos imediatos. Contudo, hoje apercebi-me profundamente das palavras de Jesus onde ele diz que as coisas do Reino de Deus devem fermentar antes que possam tornar-se úteis, Mat.13:33.

  376. A Palavra de Deus diz (e podemos confirmar a sua veracidade em termos práticos) que a ira do homem não produz a justiça de Deus. Se isso é verdade, podemos facilmente deduzir que a ira de Deus também não promoverá a justiça do homem. Descansem aqueles que desejam que Deus faça mal ao seu próximo por algum agravo que sofreram. Deus não promove a justiça do homem.

  377. Sempre que o sol brilha sobre nós, a nossa pele sente o seu calor e testemunha da realidade desse facto. Até a cor da nossa pele pode testemunhar que estivemos ao sol. Quando a luz de Deus brilha sobre nós, todo o nosso ser testemunha disso e qualquer pessoa pode ver que algo surpreendente nos aconteceu.

  378. Acrescentar ou tirar da Palavra de Deus é uma das maneiras de não a cumprir. "Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do Senhor vosso Deus, que eu vos mando", Deut.4:2. Não ouviu falar, ainda, de como o coração do homem é enganoso? Esse coração é capaz de mudar a Palavra de Deus para cumprir aquilo que quer ou deseja cumprir. Isso é uma maneira de fugir à verdade e, ao mesmo tempo, manter a crença em Deus. Dá uma paz falsa à consciência. A pessoa muda a Palavra em vez de mudar o coração. Quer adaptar a Palavra ao coração que deseja manter intacto. Seria melhor adaptar o coração à Palavra do que a Palavra ao coração. Na verdade, iremos ter sempre esta guerra: a Palavra instiga o coração a mudar e o coração instiga a Palavra a mudar. Sempre foi assim. Mas, nem Deus e nem a Sua Palavra mudarão.

  379. Podemos distinguir entre glória imediata que Deus pode receber e a Sua glória a longo termo. Por exemplo, quando as nossas orações são ouvidas no local onde oramos, Deus é glorificado de imediato. Contudo, quando isso acontece, significa que Deus já foi glorificado através da nossa santificação cuidada e estendida no tempo. A nossa consagração à verdade é plena e sincera. E quando nos tornamos santos (e algumas pessoas levam algum tempo mais que as outras para alcançarem essa vida plena), então, qualquer um pode falar bem de Deus por aquilo que vê em seres santificados pela Palavra e pelo Espírito de Deus. Mas, eu não creio que todo tipo de glorificação de Deus seja um sinal de salvação da pessoa por quem essa glorificação acontece. Sabemos que Faraó glorificou Deus com a sua morte e, no entanto, encontra-se no inferno. Essa glória foi boa para Deus, mas, não foi agradável para Faraó. Bem aventurados são aqueles que se glorificam na glória de Deus. "...Co-herdeiros de Cristo (...) para que também com ele sejamos glorificados", Rom.8:17.

  380. Uma das maneiras de sermos pessoas "tardias para falar, tardias para se irar" é tornarmo-nos espontâneos na verdade e quebrarmos aquelas barreiras enganadoras de complexos criados ao longo do tempo. Essas barreiras impedem o bom senso e o bom sentido das coisas. E sabemos que toda a conversação santa ou inspirada está cheia de bom senso. O bom senso prevalece sempre sobre o muito falar e sobre a ira.

  381. Quando a Bíblia se refere à arrogância, fala daqueles que não querem, ou não podem depender somente de Deus. A arrogância é o oposto de esperar em Deus e de manter a expectativa n'Ele viva e cheia de força. Se você não consegue esperar em Deus, ainda segura na arrogância. A dependência de Deus é o oposto da arrogância.

  382. Falamos facilmente da vida abundante que Deus dá. E, até certo ponto, é bom que falemos sobre essa vida, pois, ela existe, de facto, de tal maneira que a pessoa deixa de ter qualquer necessidade eterna. Contudo, devemos lembrar que saímos de uma vida de grandes necessidades interiores. Nessa vida, criamos hábitos de ser, contornos de personalidade, maneiras de pensar e de falar que em nada abonam a perspectivas que essa vida abundante nos dá. Isso pode escalar em conflitos interiores. Esses conflitos interiores ocorrem sempre que a nossa vida interior não está de acordo com a exterior ou vice-versa. A pobreza espiritual deixa marcas que devem e podem ser anuladas para sempre. Se mudamos o vinho, devemos mudar, também, os odres. Coloquemos vinho novo em odres novos. Não podemos viver uma vida de plenitude de forma prática se ainda temos hábitos de necessidade. Abundância significa precisamente a ausência de necessidade. Se ainda sentimos necessidades, isso não pode significar que essa vida abundante não existe. A mulher na fonte de Jacó deveria entender que, bebendo da água que Jesus dá, ela nunca mais teria sede - mesmo que a sede se tivesse tornado um hábito. Não podemos manter o hábito de buscar água viva quando já a temos em nós. Devemos ganhar o hábito de mantê-la - um hábito que nunca tivemos.

  383. "Se apartares o precioso do vil, serás a minha boca", Jer:15:19. Que promessa! Contudo, isto não significa que seremos automaticamente a boca de Deus quando distinguimos as coisas vis das boas, ou as coisas que devemos dizer das que não devemos dizer. Na verdade, existem muitas coisas que precisam acontecer antes que possamos tornar a nossa boca a boca de Deus. Deus ainda precisa falar quando separamos, da nossa vida, as coisas más das coisas boas. Quando somos puros, Deus ainda precisa dizer para falarmos. Não podemos assumir estupidamente que as nossas palavras serão as de Deus. Antes, as palavras de Deus é que devem ser as nossas.

  384. Tal como existem pessoas que facilmente falam através "do engano dos seus próprios corações" (Jer.14:14), também podemos ter pessoas as quais falam porque "têm a mente de Cristo". Contudo, quando obtemos a mente de Cristo, ainda assim devemos conseguir discernir se Deus fala para nós ou por nós. Devemos ter os factos como factos. Devemos conseguir dizer, como Paulo, "não tenho mandamento do Senhor; dou, porém, o meu parecer, como quem tem alcançado misericórdia do Senhor para ser fiel", 1Cor.7:25.

  385. Existem pessoas que criam uma resistência orgulhosa simplesmente por ter sido Deus a falar. O que quero dizer com isto é que tais pessoas resistem por instinto assim que se apercebem que foi Deus quem falou. A simples fragrância de Deus suscita resistência imediata nas pessoas e provoca neles um certo tipo de náuseas. "Não vos ensoberbeçais porque o Senhor falou", Jer.13:15. Se não fosse assim, por que razão Deus se daria ao trabalho de avisar para ninguém se ensoberbecer quando Ele fala?

  386. É de esperar que a multiplicação de doutrinas de prosperidade em todo o mundo crie mais e mais pregadores desonestos e ladrões. E essas doutrinas prosperam devido à ausência de bênção nas vidas de quem prega tanto a verdade como a mentira. Os que pregam a verdade não são exclusivamente dedicados a Jesus e são co-responsáveis pela propagação de todo tipo de mentira que usa o nome de Deus em vão. Assim, permitem que os pregadores da prosperidade se tentem satisfazer com o espírito de Mamon. Na verdade, a sua maneira de pregar cria um vazio maior e cria um espírito de busca de dinheiro e fama. A desonestidade é e será sempre um poço sem fundo.

  387. Quando os crentes pecam, não somente começam a caminhar num deserto árido como, também, lhes é dado um coração seco. Obtêm problemas por causa de sua conduta, os quais não conseguem resolver. Obtêm uma dupla maldição, pois, são secos e caminham num deserto sem soluções. 

  388. Não existe outra maneira de nos tornarmos vasos úteis nas mãos de Deus a não ser através de uma limpeza completa de tudo quanto cheire a pecado. "De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idóneo para uso do Senhor e preparado para toda a boa obra", 2Tim.2:21. O que desejo afirmar é, de facto, que não existe qualquer outra maneira de sermos plenamente usados por Deus para Sua glória. Não existe seminário, não existe teologia, não existe escola capaz de tornar pessoas sujas em instrumentos de paz e para bom uso nas mãos de Deus. Podemos tornar-nos instrumentos de qualquer coisa, até instrumentos que pregam a verdade. Mas, nunca seremos instrumentos verdadeiros (com verdade no íntimo) e nunca seremos vasos de honra em Suas mãos se não nos limparmos de tudo quanto tenha a suspeita de pecado.

  389. Muitos filhos não são corrigidos porque muitos pais têm os motivos errados quando os corrigem da maneira certa. Não é a graça que corrige os filhos? Então, devemos ter cuidados redobrados com os nossos motivos. Também corrigem os filhos movidos pela ira ou pela impaciência e, quando estão de bom humor, permitem certas coisas aos filhos. Na verdade, devemos saber que corrigimos os nossos filhos para os livrar da ira de Deus e do pecado. Consegue ver uma das principais razões porque os filhos de muitos crentes se tornam pequenos diabinhos? É porque a graça só é derramada sobre os motivos certos. Outros pais deixam de usar a vara porque vêm que se tornou inútil usá-la. Mas, em vem de deixar de usar a vara, devem, antes, mudar os motivos e verão que a vara funciona quando abençoada pela graça. Não existe bênção sem os motivos certos e sem verdade no íntimo acerca deles. Não mudando os motivos e deixando, consequentemente, de usar a vara, tanto os pais como os filhos tornam-se conformes a este mundo. Eles conforma-se. Na verdade, a sua atitude diz que a Bíblia não funciona na vida prática e que não frutifica nas vidas deles. Fazem Deus passar por mentiroso aos olhos do mundo e tudo isso porque recusam mudar os seus motivos. Até quando não nos aperceberemos que a santidade de motivos é uma exigência inegociável? Na verdade, também não crêem honestamente que seus próprios filhos possam ir parar no inferno! Essa é uma das razões porque os pais se tornam negligentes na educação espiritual dos filhos que Deus lhes entregou. Devemos lembrar que os nossos filhos são criaturas emprestadas que Deus pedirá de volta em breve. E devemos entregar-Lhe essas criaturas num estado de perfeição aceitável para Deus. Pensava que Deus entregou filhos em sua mão por outra razão? Na verdade, Deus entrega filhos tendo a sua eternidade em vista.

  390. Eis aqui um pensamento interessante: "...a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade", 2Tim.2:25. Deixem-me explicar melhor. Já ouvi pastores e pregadores orarem mais ou menos desta forma: "Senhor, que estas pessoas tomem conhecimento da verdade para que se possam arrepender". Contudo, aqui lemos que as coisas funcionam de maneira inversa: são as pessoas que se arrependem que chegam ao conhecimento da verdade e não o inverso. Isso só mostra como o pensamento Cristão actual se desviou da verdadeira essência da verdade! As coisas já não são o que eram porque andam todas torcidas. Este conceito de obter o conhecimento da verdade após o arrependimento vai contra toda a teologia moderna. Isso significa que as pessoas que se arrependem não conhecem a verdade - ainda a conhecerão. "Mas, quando se converterem ao Senhor, então, o véu se tirará", 2Cor.3:16. Irão tomar conhecimento da verdade se permanecerem no caminho e na humildade. As pessoas arrependem-se para, futuramente, se verem livres e libertos deles próprios e de suas mentiras. E as pessoas que se arrependem também podem tornar "a despertar, desprendendo-se dos laços do diabo, em que à vontade dele estão presos", v.26. Noutras palavras, após o arrependimento genuíno ainda resta muito trabalho a fazer, o qual se torna possível apenas com o arrependimento. Mas, isto de chegar ao conhecimento da verdade para se arrependerem é teologia falsa e adaptada aos sentimentos das pessoas.

  391. Todos aqueles que ainda confiam em pessoas ou em si próprios não têm a capacidade neles mesmos de confiar em Cristo. E todos quantos se apoiam em pessoas tornam-se independentes de Deus.

  392. Nada de bom sai da desobediência e nada de mal sai da obediência.

  393. Jesus nunca falou com as pessoas de modo a dar a impressão de que vir a Ele seria o fim. Na verdade, Ele deu ênfase ao facto de que Ele é o caminho e não o fim dele. No caminho vamos para algum lugar ou alcançamos alguma coisa. Na verdade, Ele guiará depois que acharmos o caminho. Quantas vezes Jesus falou em terminarmos aquilo que começamos? Tudo começa vindo a Jesus - nada termina ali. Por isso é que Ele é o caminho.

  394. "Livra-me de todas as minhas transgressões; não me faças o opróbrio dos loucos", Ps.39:8. Qualquer crente limpo será sempre uma ofensa, um opróbrio para os tolos. Mas, este versículo que dizer mais do que isso. Este versículo afirma que o crente que não seja limpo será escarnecido pelos tolos e será sal pisado pelos pés do mundo. Não serve para mais nada a não ser para ser pisado pelos homens vãos desta terra. Noutras palavras, o crente sujo estará uns graus abaixo do tolo - daquele que diz que Deus não existe. A verdade é que tais crentes são piores que tolos. Até mesmo Jesus falou daqueles que crêem e serão escarnecidos porque não acharam graça para terminarem suas carreiras com êxito.

  395. Qualquer pessoa preocupada faz e recebe as coisas por causa da carne voraz que exige satisfação. A preocupação é uma concupiscência que exige satisfação. Exige ser entendida, aceite e obedecida. A preocupação é totalitária e déspota. Nunca leva em conta as coisas de Deus, Sua glória e o bem-estar universal dos outros em Deus. Só se cala com auto-satisfação.

  396. Normalmente, quando lemos na Bíblia sobre a herança que Cristo tem para nós, por uma ou outra razão pensamos no Céu, uma mansão lá e outras coisas mais. Na verdade, a nossa herança - aquela da qual a Bíblia fala e à qual se refere - é recebida dentro de nós. A nossa herança é a própria natureza de Cristo. Essa é a promessa: Cristo em nós, sendo nós como Ele e Ele como nós. Essa é a terra prometida. É uma promessa pela qual devemos ansiar e a qual devemos alcançar. Isso é tudo aquilo que a carne nunca conseguiu. Você ainda deseja a sua herança sabendo que não é nenhuma mansão?

  397. Avivamento não é nada mais e nada menos que poder cumprir a Lei de Deus, a Lei do Amor na sua forma mais pura. Muitos pensam que avivamentos são milagres e sinais, mas, a verdadeira essência de qualquer avivamento genuíno é o total cumprimento da Lei de Deus, uma cumplicidade genuína entre o coração e todos os aspectos dessa lei e uma consagração total a Jesus. As pessoas tornam-se a própria lei de Deus no seu dia a dia. Nunca espere mais de um avivamento genuíno que isso, ainda quando haja muitos milagres e sinais. O alvo não é curar pessoas e antes ser como Cristo aqui na terra.

  398. Existem muitas maneiras e formas das promessas de Deus se cumprirem ou não se cumprirem. Caso algumas promessas não se cumpram devido à falta de legitimidade na pessoa e devido à falta de coerência no tocante à natureza real de Cristo dentro do coração, aumentará a desconfiança em relação a Deus ao invés de aumentar a desconfiança em relação à vida própria. Deus será tido como culpado pelo pecador sempre que as promessas não se cumpram. A auto-justificação tem raízes profundas e nunca anda separada da acusação de terceiros - ou acusação do Primeiro, o Alfa e o Ómega! Se essas acusações não surgirem logo, acabam surgindo. É uma questão de tempo até surgirem. A partir daí, não será somente a falta de fé a responsável pelo incumprimento de todas as promessas - excepto a promessa da ira - mas, a própria atitude arrogante, dominadora e pecadora anularão qualquer aproximação da graça ao coração. Mas, não se alegrem os pecadores: não haverá acusação capaz de anular a fidelidade de Jesus. Outra armadilha ou ratoeira é a expectativa errada - aquela que espera algo diferente a partir daquilo que Deus prometeu ou que se cumpram as coisas de Deus de maneira humana e pecaminosa. Descubra quais as condições que faltam cumprir para que as promessas exerçam a sua força em sua vida. Só depois disso poderá formar opiniões pessoais sobre tudo aquilo que Deus prometeu ou sobre o Seu carácter. Depois - e só depois - conseguiremos ver quem estava certo ou errado. É muito fácil assumir uma postura de acusação contra Deus quando estamos cegos, abraçando algum pecado ou qualquer motivo errado e incoerente com a verdade. "Pois quê? Se alguns foram incrédulos, a sua incredulidade aniquilará a fidelidade de Deus?", Rom.3:3.

  399. Muitas pessoas dizem que não existe mal nenhum indo a cinemas ver e rir sobre a violência e outros tipos de pecado. Na verdade, não fazem essas coisas que apreciam e, por vezes, sonham com aquelas que não conseguem praticar. Mesmo nãos as conseguindo praticar serão culpados do mesmo tipo de crime que aqueles que as praticam. A bíblia afirma que existe igual condenação para todos aqueles que "consentem aos que as fazem", Rom.1:32.

  400. A grande questão é: Deus fala e opera através das pessoas quando elas estão puras, santas e imaculadas; ou são os filhos que falam sobre Deus quando estão santos e puros? 

  401. Muitos têm sérios problemas em para resolver em relação a Deus, problemas como falar demais ou outros do género. Apercebem-se que falam demais e tentam não falar ou ficar calados. Esforçam-se muito com o único propósito de não falarem muito. Mas, logo se apercebem que não conseguem fazê-lo por muito tempo. E porque será? Na verdade, para alguém poder controlar a língua, é necessário mudar ou dominar o coração. A Bíblia afirma claramente que o que sai da boca vem do coração. Então, antes de alguém conseguir ensinar a língua, precisa mudar o coração. É desde lá que esse tipo de problema surge e precisa ser resolvido. Fazendo-o de outra maneira não resolve nada. É necessário exterminar o pecado do coração antes que se possa pensar obter uma boca perfeita exterminando hábitos, obter um caminhar exemplar ou um olhar puro. Caso não se resolva o coração primeiro, tudo o resto serão meras hipocrisias e meras semelhanças daquilo que há no Céu.

  402. Judas não traiu Jesus com um beijo? Por que razão muitos crêem que não é possível trair Jesus lendo a Bíblia, orando ou testemunhando? Existem muitas orações e serviços religiosos que são pura traição a Jesus.

  403. "Orai, para que não entreis em tentação", Lk.22:40. O que significa entrar em tentação? Será que significa que devemos evitar situações onde existem tentações e dificuldades? Não! Nada mais errado! Isso significa somente que não devemos ter os nossos pensamentos e objectivos andando na mesma direcção que as tentações, ou no sentido delas ou levando-as em conta. Devemos ser achados a pensar e a olhar para as coisas santas, seja onde for e em que circunstâncias for. Os discípulos nunca foram tirados dos lugares de perseguição ou das situações onde corriam perigos tanto espirituais como físicos. Então, orar para não entrarmos em tentação significa não termos um pensamento que coopere com a tentação ou que se movimente na direcção dela oi por causa dela.

  404. Deus ordenou as coisas de tal maneira que as vidas dos Cristãos sejam sempre faladas, comentadas e visualizas. Ninguém conseguirá evitar que as vidas dos crentes sejam comentadas e faladas, tanto para bem como para mal. Parece ser um género de lei da natureza: se os crentes viverem uma vida irrepreensível e forem cartas abertas de Cristo para o mundo, serão falados e comentados na praça pública. E se forem manchas negras do Evangelho, dando com suas vidas uma imagem suja e falsa do verdadeiro Evangelho, também serão espezinhados pelas línguas dos homens nas ruas, pois, não prestam para mais nada. Seremos sempre testemunhas, seja boas testemunhas ou testemunhas imundas e sujas. Em qualquer dos casos, Deus será glorificado, pois, os imundos serão julgados na frente de todo mundo agora e depois e o mundo temerá.

  405. Muitos crêem que ter um visão própria das coisas é não ter uma visão extraída da Bíblia. Que grande esse erro! Ter uma visão própria das coisas significa que lemos a Bíblia e a entendemos da maneira que melhor nos convém ou convém aos outros.

  406. Jesus entregou o Seu Espírito Àquele que O feria por causa dos pecados de todo mundo. Você faria ou fará isso também? Ainda confiaria o seu espírito nas mãos daquele que o fere ou feriu? Confiaria em alguém que dilacerou o seu corpo e alma?

  407. Deus ainda não está distribuindo vingança, ao contrário do que alguns pensam. Ainda distribui salvação, transformação e arrependimento aos seus inimigos. Existe vingança mais doce que essa? Por essa razão é que as Escrituras dizem que a vingança de Deus será doce.

  408. Misericórdia é mostrar o caminho de saída do pecado, saída essa que seja eterna e sem volta. Misericórdia não é aceitação do pecado, mas, a exterminação dele. Porque a misericórdia carrega o peso da salvação às costas, não faz alianças com o mal e não entende o mal. Aceitar o pecado ou as suas circunstâncias é rebeldia e é uma falsidade. É uma semelhança da misericórdia e qualquer um será devidamente punido por qualquer semelhança daquilo que existe no céu. Deus só aceita realidade - não semelhanças! A misericórdia consiste, precisamente, no facto de que conhece o caminho para fora de qualquer pecado e revela-o. Não existe virtude na aceitação ou na compreensão do pecado. 

  409. tem de ser como a semente de mostarda e não como a montanha. As pessoas trocam as coisas e dizem que é a fé que tem de se tornar do tamanho da montanha. Por essa razão, tentam resolver problemas do tamanho da semente de mostarda com uma 'fé' do tamanho de uma montanha! Os valores andam trocados hoje em dia. Se a sua fé do tamanho de uma sementinha não é capaz de resolver nada de forma prática, não tente aumentá-la, pois, existe algo muito errado em seu coração ou em sua vida. O problema não é a fé, mas, o coração. Limpe o seu coração, ordene a sua vida de acordo com os caminhos de Deus ao invés de tentar ter uma fé do tamanho da montanha. Verá que as coisas funcionam de maneira prática daí em diante. Remova tudo que possa impedir Deus de operar da maneira que prometeu.

  410. é um mistério incompreensível para muitos. Muitos tentam convencer-se a eles mesmos a respeito da verdade. E outros tentam algo 'melhor' ainda: tentam convencer os outros pensando que isso os confortará e ajudará a convencer ainda mais a eles mesmos. Tentam sentir-se fortes ganhando opiniões e vidas para o seu lado. Mas, isso nunca deixará de ser uma fé falsa, por muitas opiniões públicas que haja a favor de uma crença falsa. Tentar entrar evitando a porta estreita e pulando o muro nunca deixará de ser assalto de propriedade alheia. Fé é uma situação onde as pessoas já se encontram convencidas da e pela própria verdade. Quem não tem fé deve buscar verdade e não tentar crer a qualquer custo.

  411. A ira do homem nem sempre tem a sua origem no diabo ou na tentação. A ira pode surgir de muitas maneiras. O Espírito pode estar a tentar convencer alguém do pecado e esse alguém pode ficar alterado e irado. Mas, a ira não deixa de ser problemática apenas porque tem 'origem' nas operações do Espírito Santo. O coração do homem altera-se sempre que é resistido. Por isso, é o estado do coração o responsável por muitos tipos de iras e rebeliões. Porque, muitas vezes, o Espírito luta com o homem silenciosamente, ocorrem mudanças de temperamento em certas pessoas. Muitos irritam-se porque não podem continuar no pecado em total liberdade e não sabem qual a razão do seu mal-estar porque não andam na luz onde tudo se revela - até os mais profundos pensamentos do homem.

  412. As doutrinas da prosperidade são doutrinas duras e implacáveis. São muitos pesadas para as pessoas. Na verdade, não apenas impedem as pessoas de entrarem no céu, mas, impedem as pessoas de entrarem no caminho leve dos fardos de Cristo. Se alguém precisa corrigir algum detalhe ou motivo na sua vida, as doutrinas de prosperidade assinalam um caminho de erro, pois, podem afirmar que a pessoa não prospera por causa de algum pecado e, se prospera, não precisa arranjar nada. Na verdade, dão a entender que quem tem dinheiro é santo. E que maior mentira pode haver debaixo do sol? Jesus não disse que um rico dificilmente será reinado por Deus? Também, quando a pessoa não prospera materialmente por causa da vontade de Deus, sente-se desprezada, abandonada de Deus e inútil. Noutras palavras, nenhum Jó sobreviveria as suas provações se tivesse sido formado pelas doutrinas de prosperidade actuais.

  413. Muitos dizem que deve haver santidade e pureza a partir do coração. Eu sou uma dessas pessoas. Contudo, uma das melhores maneiras de consegui-lo é através de bons exemplos práticos. Não temos a noção de como um bom exemplo deixa marcas no mais profundo da alma. Operam poderosamente no lugar mais fundo do coração de qualquer pessoa. Se desejar santos à sua volta que permaneçam santos, seja santo do fundo do coração. Por outro lado, não existe maior dureza que aquela que resiste abertamente os bons exemplos vindos do Céu. Se seu exemplo dá frutos e é perseguido, nunca deixe de ser você mesmo constantemente. Só quando as árvores más se mostram muito más é possível verem-se e reconhecerem-se como tal e arrependerem-se.

  414. "...Mas, quem não crê, já está julgado; porquanto não crê no nome do unigénito Filho de Deus", João 3:18. Muitas pessoas tropeçam no Evangelho e ficam emaranhados naquilo que acreditam ser verdade quando lêem a Bíblia sem Luz. Perdem o alvo por não estarem na luz, e nela revelar tudo que se passa em seus corações abertamente e deixando a Palavra operar sem impedimentos. Uma das razões porque os Cristãos tropeçam em todo mundo é o facto de acreditarem em Cristo. Deixem-me explicar um pouco melhor. Somos salvos pela fé. Somos salvos do pecado e através do poder de Jesus e nunca alguém será salvo de si próprio e de seus pecados a não ser através de Jesus. Ao não crer em Jesus, a pessoa condena-se a ela mesma a uma vida de pecado. "Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo". Quando Jesus não se torna real e é apenas uma crença ou uma fé e não uma pessoa, o pecador será sempre condenado. Tendo Jesus de forma real, a porta estreita é acessível e prática. Mas, aqueles que tropeçam no Evangelho pensam que Jesus veio para que evitemos entrar numa porta estreita e num caminho apertado e complicado nesta terra.

  415. "Mas, para que ele fosse manifestado a Israel, vim eu, por isso, baptizando com água", John 1:31. Este versículo esconde um poderoso significado, do qual poucos se apercebem. Em primeiro lugar, devemos saber o que realmente significa que Jesus é revelado. Isso significa que tocamos n'Ele, entendemos bem o Seu olhar, as Suas palavras - mesmo antes de haver falado! Ele torna-se nosso confidente íntimo e inseparável, ao ponto da pessoa não conseguir viver de outra maneira. Ele ouve-nos e temos inteira percepção disso. Mas, para isso acontecer, existe uma primeira fase: João Baptista. As pessoas chegam a João - aquele que afirma sem pestanejar que alguém é uma víbora. Diante dele e de sua doutrina expomos todos os nossos pecados e nos lavamos deles. Precisamos trazer cada pecado para a luz e abandoná-los no baptismo. Somente depois disso Cristo pode ser revelado tal e qual Ele é. Não é possível chegarmos a Cristo ou a uma revelação d'Ele à nossa alma e coração sem antes haver uma confissão completa, minuciosa e especifica de cada pecado que cometemos durante toda a nossa existência. Há que passar por João Baptista primeiro. Ninguém consegue evitar que assim seja. Só chegamos a Cristo passando por João Batista.

  416. Existem muitas atitudes que induzem as pessoas em erro no tocante ao que essas atitudes provam  ou demonstram. Por exemplo, a negligência tem semelhança de confiança porque ambas são despreocupadas. Contudo, sabemos que a confiança não é negligente, pois, sabe precisamente em quem confia e de que maneira confia! A confiança não se esquece do dever - a negligência ignora-o. Vamos estar atentos às semelhanças das coisas que existem no céu e na terra. A ira assemelha-se ao zelo; gloriar-se pode assemelhar-se a louvor e assim por diante. "Não farás nenhuma semelhança do que há no céu e na terra".

  417. Lemos na parábola de Lázaro como aquele homem rico no inferno ficaria contente com uma única gota de água. Isto revela muitas coisas. Mostra, primeiramente, que a Lei de Deus ainda aplica a pena de olho por olho e dente por dente. Na terra, Lázaro contentar-se-ia com uma pequena migalha que caísse da mesa do homem rico. Agora, era o rico a desejar contentar-se com uma gota de água. Para ele, uma gota bastava. A outra coisa que aprendemos com esta parábola é que uma gota de água nunca satisfaria o homem rico no inferno. O desejo da ilusão persiste mesmo dentro do inferno. Muitos ainda desejam um tipo de contentamento ilusório e superficial ali, tal e qual fazem na terra. O pecador persiste na busca daquele alívio que mantém os seus pecados vivos. Em vez de se rebelarem e destruírem tais desejos de gotas de água que não levam a lado nenhum, devem, antes, escolher o alívio verdadeiro. Você deseja uma gota de água e persegue os rios de água viva de todo o coração?

  418. "Vê, pois, que a luz que em ti há não sejam trevas", Luc.11:35. Sabemos que, quando a luz terrena brilha em algum lugar, existe sempre um lado mais claro que o outro. Dum lado existe sombra e, do outro, luz. Creio que era isto a que Jesus se referia aqui. Podem surgir trevas por causa da luz. Não podemos ter nenhum ponto escuro em nossas vidas devido ao brilho da luz. Precisamos buscar a melhor posição debaixo dessa luz para que nenhuma parte de nossa alma ou ser seja abafado pela sombra causada pela luz de Deus. Não vemos sombras no monte da transfiguração e nem quando a luz do céu brilhou sobre Paulo. Lemos que havia luz a toda a volta. É precisamente isso que tem de acontecer connosco no tocante à luz espiritual. Era a isso que Jesus se referia, seguramente. "Se, pois, todo o teu corpo é luminoso, não tendo em trevas parte alguma...". É desta maneira que devemos andar na luz. É, também, nesse tipo de luz que devemos querer andar e não sob aquela luz que deixa algumas coisas escondidas pela sombra. A luz desta terra, as doutrinas de homens feitas para agradar certos pareceres criam trevas e são luzes muito fracas. Essas doutrinas e ensinamentos de homens criam as circunstancias onde alguns dos lugares da vida se possam manter escondidos e onde alguns de seus muitos pecados não tenham como ser vistos. Existem muitas trevas debaixo da luz das religiões - incluindo da religião evangélica. Tenha o máximo de cuidado para não ser atraído para as trevas pelo convite de algum tipo de luz de algum fogo estranho. E tenha cuidado com aqueles pecados que se escondem por haver confessado alguns outros.

  419. Provavelmente, muitos de nós já ouvimos falar de muitas coisas sobre Jonas. Mas, de acordo com as palavras de Jesus, a desobediência dele acabou por servir de sinal para converter a cidade de Níneve. Jesus mesmo afirmou que serviu de sinal para os Ninevitas. Isso significa que a sua fama chegou à cidade antes dele. As pessoas devem ter ouvido falar muito sobre ele antes que houvesse chegado.

  420. "E estava E estava na sinagoga um homem que tinha o espírito de um demónio imundo e exclamou em alta voz: (...) 'Bem sei quem és: O Santo de Deus'", Luc.4:34. Tem noção de quantos espíritos malignos falam em nossas igrejas hoje e dizem que Jesus é Deus? Hoje, os demónios andam à solta dentro das igrejas e não se sentem mal nelas. Alguns chegam mesmo a participar dos cultos. Muitos desses demónios que falam nas igrejas de hoje chegam, também, a dizer que Cristo é o Santo de Deus e referem-se a Ele como o Salvador do mundo. Tenha cuidado com isso e tenha isso sempre em mente todas as vezes que entrar em alguma sinagoga actual.

  421. Tenha cuidado para não começar a exigir que uma pedra seja transformada em pão simplesmente porque tem qualquer tipo de dificuldade em acreditar em Jesus. Muitos 'crentes' fazem-no - até mesmo de forma inconsciente. Não podemos, também, pensar que, só porque é inconsciente, não é grave. Ficaremos surpreendidos só de ver quantos Cristãos dentro de avivamentos puros fazem isso. E essa será a principal razão porque o Pão da vida é tornado em pedra para eles. Ouço, muitas vezes, pessoas perguntarem-se: "Como é possível que estas pessoas dentro de um avivamento não se consigam converter genuinamente?" Essa pode ser uma das razões.

  422. "Eis que este é posto para queda e elevação de muitos em Israel", Luc.2:34. Logo a partir do primeiro momento vemos que onde Jesus aparece, as coisas nunca mais são iguais. Não têm mais como serem iguais. Alguns caem e outros erguem-se só pelo simples facto de Jesus haver aparecido em seu meio ou em suas vidas. A árvore é de imediato feita boa ou má. Nunca mais será a mesma árvore. Diante da Cruz uns caem para o inferno e outros são elevados ao nível do céu. Quando Jesus aparece, não são necessárias palavras para isso acontecer dessa maneira. Acontece simplesmente dessa maneira. Se não acontecer assim, o evangelho e o Jesus apresentado são falsos. Isso significa que quem ainda tenta segurar ou esconder algum dos seus pecados, cairá; e aquele que abandonar e reconhecer seu pecado, será erguido aos céus, se perdoado. Tão simples quanto isso. Mais claro não poderia ser.

  423. "E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos e deitado numa manjedoura", Luc.2:12. Já alguma vez imaginou que um simples bebé pudesse ser um sinal para alguém? Deixem-me explicar melhor. Apareceram uns anjos a uns pastores meio adormecidos afirmando que o Salvador do mundo havia nascido. Contudo, o facto de haverem aparecido anjos cantando e louvando a Deus não era o sinal que faria de prova para o que diziam. Vemos os anjos enviarem os pastores de volta para a terra. Mesmo que os anjos não necessitassem de muito mais para convencerem aqueles pastores, ainda assim referiram um que o sinal seria um bebé enrolado em panos numa manjedoura. Abandonaram os seus rebanhos para irem ver aquele sinal 'insignificante', mas, de grande significado para o mundo. Isto deveria ter a capacidade de nos ensinar alguma coisa, principalmente àqueles que buscam coisas grandiosas e maravilhosas. A maioria dos pregadores conhecidos de hoje desprezaria completamente um sinal assim. Nem o veriam como sinal.

  424. Lemos como um anjo apareceu a Zacarias dizendo-lhe que a sua oração havia sido ouvida, Luc.1:13. Eu creio que Zacarias fez muitas orações sobre o assunto no qual foi atendido. O anjo diz, contudo, que todos os pedidos feitos resume-se a uma oração. A outra coisa que acredito, também, é que Zacarias já não tinha esperança de ter um filho por haver envelhecido e que o assunto de um filho já havia deixado de fazer parte de suas orações. Contudo, o anjo havia disse que a sua oração foi ouvida porque ainda se encontrava ardente diante do trono de Deus. O incenso de suas orações ainda subia para diante de Deus. Você alguma vez pensou que qualquer de suas orações que não foram impedidas por pecado hajam sido esquecidas diante de Deus? Se pensou, arrependa-se.

  425. "E logo viu e seguia-o, glorificando a Deus. E todo o povo, vendo isso, dava louvores a Deus", Luc.18:43. Quantas pessoas existem na face da terra, hoje, capazes de fazer as obras de Deus de tal maneira que todos aqueles que as presenciam dão instantaneamente glória a Deus e temem Seu nome? Vemos, antes, muitos glorificarem suas igrejas através de suas próprias palavras e outros tentando glorificar pessoas - quando não se glorificam a eles mesmos! E o mais bonito de tudo é que todos aqueles que saem glorificando Deus ignorando completamente o instrumento por quem a obra se fez têm todo o poder de levar muitos outros a glorificar Deus voluntariamente também. Jesus poderia ter recebido a glória por aquilo que fez a este homem. Mas, quem a recebeu foi o Pai. Não vemos Jesus manifestar-se instigando o povo a glorificar Deus. Você consegue fazer todas as obras de Deus sem aquela necessidade de estar sempre a repetir-se dizendo que "toda a glória pertence a Deus"? Será que esse 'slogan' não se tornou uma maneira subtil de se glorificar a si mesmo inspirando-se numa falsa humildade e dando nas vistas por aquilo que diz e tenta afirmar? Será que não existe uma maneira melhor de deixar Deus ser glorificado, excluindo-se da responsabilidade de estar sempre a repetir que dá a glória a Deus? A verdade é que quem está sempre entregando a glória a Deus dá a impressão que está dando algo que pertence ao homem e que 'prefere' dar a Deus. Só dá algo aquele a quem esse algo pertence. Quando glorificamos Deus, não podemos dar a impressão de estarmos a entregar-lhe algo que nos pertence. Só damos aquilo que nos pertence. Somente quando as pessoas pulam glorificando Jesus sem serem incitadas a fazê-lo é que podemos afirmar que esses louvores são puros e livres de pecado.

  426. "...Orava consigo desta maneira..." Lk.18:11. É fácil perder o principal ponto destas palavras de Jesus. Aqui, Jesus afirma que tal pessoa orava consigo mesmo. Isto significa que ele orava sozinho, para ele mesmo, inspirado por ele próprio e respondendo às próprias orações (sempre que possível) como forma de manter-se enganado em seus próprios juízos e pensamentos. Dando respostas a si mesmo é a única forma que qualquer fingido encontra para manter-se religioso. É, deveras, um estado mental muito triste para todos aqueles que pensam estar a ser ouvidos por um Deus ausente! Seria tão simples concertarem suas vidas, confessarem seus pecados e entrarem na presença de Deus verdadeira e real. Mas, preferem enganar-se a eles mesmos. Existem maiores tolos que os crentes?

  427. Muitos, quando são alvo de gozação e de desprezo por causa de sua santidade ou dedicação a Jesus, sentem-se estranhamente culpados e incomodados como se tivessem alguma culpa que não conseguissem expressar. Os acusados sentem a pressão imposta sobre eles para mudarem como se estivessem do lado errado, fazendo a coisa errada ou mesmo fazendo a coisa certa da maneira errada. Mas, a verdade é que todo aquele que despreza as palavras que penetram fundo por serem verdade; ou despreza o exemplo que fala bem alto; ou reage contra a vida que brilha acima de qualquer suspeita; sobre esses é que a responsabilidade de mudar foi colocada. Por essa razão reagem dessa maneira, acusando e defendendo-se. Certifique-se que entende que os acusados reagem acusando como forma de reencontrarem sua falsa paz de espírito e sua estabilidade com falsos fundamentos. Quando Jesus falou contra servir Mamom, lemos que "os Fariseus, que eram avarentos (amantes de dinheiro), ouviam todas essas coisas e zombavam d'Ele", Luc.16:14. Não o ridicularizaram por Jesus estar errado em algum aspecto, mas, porque queriam continuar amando o dinheiro. Ridicularizarem Jesus foi simplesmente a sua forma de defesa e de auto-preservação. Não era Jesus quem estava errado ao reagirem daquela maneira. Jesus não se doeu nem um pouco sendo ridicularizado por haver dito tudo que disse da forma que disse. Do mesmo modo, não se retratou quando o jovem rico virou as costas ao evangelho; não se sentiu culpado por haver deixado seu lar e sua cidade e de trocar seus irmãos e mãe por quem faz a vontade do Pai; não sentiu tristeza por ser o único responsável por Pedro e os demais apóstolos haverem seguido Seus passos e terem abandonado, igualmente, seus lares e familiares. Tenha cuidado porque as acusações falsas têm o poder de mudar o nosso comportamento e de fazer com que os inocentes se sintam culpados daquilo que não fizeram. Também têm o poder de fazer as pessoas verem as repreensões da sabedoria como acusações falsas e mal intencionadas. esse é p outro lado desta verdade.

  428. Você pode tentar ser fiel a tudo quanto prometeu lembrando de seus votos e promessas. Contudo, existem vários problemas tentando ser fiel dessa maneira. Um desses problemas é a dependência da própria força que ainda demonstra. Outro é que quem tenta ser fiel ainda não é pessoa fiel. Por isso, tenta. Basta as ocupações deste mundo tomarem posse dos pensamentos, sentimentos e emoções para a pessoa esquecer-se de todas as promessas que fez - principalmente aquelas que não estão relacionadas com as preocupações que tem. Se prometeu tornar-se uma pessoa fiel, uma pessoa melhor ou diferente produzindo outro tipo de frutos, certifique-se que sabe que somente os que são fiéis de coração se tornarão permanentemente fiéis. Vamos pensar em alguns exemplos simples. Certifique-se que obtém um coração com os pesos de Deus antes de prometer levantar-se cedo para orar; que vive na presença de Deus de verdade antes de prometer que vai passar seus dias e suas noites pensando n'Ele; que elimina todo amor que tem pelo dinheiro antes de prometer que seu negócio ou emprego servirá para honrar Deus e nada mais; que consegue cumprir todos os requisitos e condições da oração antes de se comprometer com a ideia de ter todas as respostas para todas as orações que faz, tal e qual Jesus prometeu. Poderia citar outros exemplos, mas, se caminhar com Deus e pedir-Lhe sabedoria ficará sabendo deles.

  429. É verdade que Deus abençoa, também, de acordo com as intenções do coração do homem. Boas obras com más intenções nunca trarão fruto bom e não serão uma bênção para quem as pratica. Mas, devemos alertar a todos quantos têm boas intenções que Deus recompensará de acordo com as obras de cada um e não de acordo com as intenções. "Porque o Filho do Homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e, então, dará a cada um segundo as suas obras", Mat.16:27.

  430. Os crentes da evolução são pessoas mais fascinadas com a ideia do que verdadeiramente convencidos da sua teoria. Todos gostam de explorar o impensável e de se entreter com o obscuro e a ilusão. Os maiores ilusionistas são considerados artistas neste mundo de mentira. É com as ilusões e as ideias estranhas que preenchem os vazios de suas mentes. Quem crê na evolução só mostra que, no fundo, não crê em nada - nem nas próprias ideias! Também revela que não tem muito em que pensar e com que se ocupar.

  431. Existem muitas desculpas e argumentos que as pessoas usam para permanecerem no pecado. Os incrédulos dizem: "Não há Deus". Todos sabemos que essa é a principal desculpa ou argumento que o pecador usa para poder continuar a comandar a sua própria vida. As pessoas corrompem-se porque "não há Deus", Sal.14:1. É assim que acha razão para corromper-se e para poder continuar pecando. Já o crente tem outro tipo de argumentos quando quer permanecer em seu pecado. Vamos mencionar apenas alguns. Um deles é acreditar que Deus não está com ele. Ao afirmar ou crer que Deus não está com ele quando está, ilude-se. Assim, encontra a razão para voltar ao pecado ou para permanecer nele se nunca o abandonou. Sempre que alguém afirma que Deus não está com ele quando está, ilude-se e demonstra que persegue o pecado e não a Emanuel. Mas, também temos aqueles com quem Deus não está e, ainda assim, afirmam que Deus está com eles. Eles dizem que Deus é amor e que aceitará o pecador com seus pecados. Para os tais, Deus já não é um Deus que limpa e purifica, mas, que aceita e é conivente com o pecado. Todo o pecador acaba sempre arranjando ou concebendo a sua própria desculpa para poder continuar em seus pecados predilectos - e principalmente nesses.

  432. Se você tem a capacidade de agradar pessoas em vez de agradar Deus, também tem a capacidade de desagradá-las e de desagradar a Deus. E se tem a capacidade de desagradá-las ou de agradá-las, tem a capacidade de cometer todos os outros pecados associados a isso, tais como o ciúme, a inveja, má-língua, amargura, etc. Deixe-me explicar melhor. Agradar pessoas é egoísmo. Quando se agrada alguém não se está levando em conta os interesses maiores desse alguém ou de Deus, mas, os próprios. Quem agrada os outros faz isso por causa dele mesmo. Isso significa que, caso não receba nada em troca pelo agrado que demonstra para com os outros, nenhuma recompensa ou nenhum apreço, não obterá satisfação pelo seu acto. Daí a buscar vingança, retribuição ou de ter maus pensamentos é um pequeno passo. Noutras palavras, aqueles que agradam os outros são os que são capazes de desagradá-las.

  433. Pessimismo pode ser o oposto de esperança. Todo tipo de pessimismo nasce de um coração amargo ou amargurado. Sempre que os fundamentos ou os alicerces de um coração carnal são confrontados, abalados ou contrariados, muitos tipos de pessimismos e pensamentos surgem das profundezas da alma do homem. Pessimismo não existe por ser verdade ou porque fala a verdade. Todo tipo de amargura é uma mentira falando. Como o homem crê nele próprio e confia extremamente nele mesmo exclusivamente, torna-se pessimista quando a fé é depositada em Cristo, isto é, se não abandona a carnalidade. O Espírito de Deus opõe-se directamente ao tipo de confianças que o homem nutre e todo homem carnal sente-se abalado quando confrontado para mudar nessa área. A maioria nem sabe qual a razão de seu mal-estar por recusar reconhecer que ainda confia em si próprio quando expressa confiança em Deus. É nessa área onde Jesus servirá de sinal que será contradito, Luc.2:34. Sempre que o Sinal opera, o homem carnal sente-se abalado e incomodado. Por isso, muitos abandonam o caminho logo no início. Quando o Sinal que 'contradiz' opera verdadeiramente, significa que o homem deve deixar de acreditar em si próprio. Será ali onde vários tipos de pessimismo surgem para contaminar todos aqueles cujos corações estão sendo confrontados para confiarem no Senhor, Heb.12:15. Essa contaminação surge de muitas formas através de pensamentos, atitudes, palavras e de muitos outros pecados associados à amargura e ao pessimismo. Para qualquer homem carnal, confiar em Cristo significa que não pode confiar mais em si mesmo. Isso causa uma tempestade, uma catástrofe na alma a qual perdurará até que uma de três coisas aconteça: ou se entrega a Cristo e ganha a paz que Cristo dá; ou abandona o caminho e ganha a paz que o mundo dá; ou cria a sua própria doutrina usando o nome de Deus em vão para alcançar uma paz falsificada. Aos desviados, o pessimismo parecerá uma verdade falando e expressando a realidade. O pessimismo é uma mentira falando e enganando. O pessimismo também dá a entender que fé é parecida com optimismo. Mas, optimismo não fala de Cristo e antes do homem.

  434. Sonhar acordado, mesmo que seja sonhar com as coisas de Deus, tem dois problemas principais: quando as coisas não se realizam de acordo com o sonho - ainda que se concretize de uma maneira melhor -  pode causar desapontamento na alma carnal. A alma carnal não enxerga para além daquilo que pensa e vê. O outro problema é que isso torna as pessoas infiéis. Se a pessoa usa o seu tempo para sonhar, não o usa para efectuar o que Deus entregou em sua mão para fazer.

  435. Se já somos seres santos pela convivência com o Senhor, somos Seus representantes aqui na terra. É isso o que significa orarmos ou fazermos as coisas em Seu nome. Nós representamos Jesus em Sua 'ausência'. Nós lemos uma profecia proferida por Davi sobre Cristo, a qual diz: "Pede-me e eu te darei as nações por herança e os confins da terra por tua possessão", Sal.2:8. Você está pedindo isso no lugar de Jesus, isto é, em Seu nome? Está mesmo sendo um fiel representante de Jesus aqui na terra?

  436. Muitos crêem estar numa posição onde podem exigir tudo de Deus, especialmente se acreditam estar a cumprir em relação a Deus. Ainda acham que têm direitos quando Jesus nos chama precisamente para perdermos os nossos direitos. O facto é que se estamos plantados junto das águas da vida, frutificaremos na estação própria e nunca na estação que queremos. A promessa é frutos na estação própria e não apenas frutos, Sal.1:3. Se uma árvore der fruto fora de época, é uma árvore anormal e aleijada. Lemos em Malaquias que receber uma bênção antes do seu devido tempo é uma maldição. Citemos um exemplo: se alguém tentar dar os frutos do Espírito sem se haver encontrado com esse Espírito de Deus, ganha como maldição a hipocrisia. Podemos dizer o mesmo de todas as coisas que vêm ou virão de Deus.

  437. Haverá sempre uma grande dificuldade em servir a Deus sem um bom uso da nossa memória. Como Lhe poderemos ser fiéis se não nos lembrarmos das coisas que Deus nos diz aqui e ali? Os piores inimigos de uma boa memória são, contudo, os espinhos desta vida e as preocupações amorosas para com o mundo e todas as suas coisas. Esses espinhos do mundo fazem com que o coração não se consiga lembrar aquilo que Deus diz ou disse.

  438. Sempre houve uma grande confusão nas cabeças das pessoas entre sabedoria e conhecimento. Conhecimento é aquilo que sabemos enquanto a sabedoria é a forma como aplicamos aquilo que sabemos. Existem pessoas com conhecimento que não são sábias, como existem pessoas sábias sem conhecimento.

  439. alguma vez pediu desculpas por coisas que não deveria ter pedido desculpa? Agrada pessoas ainda? A verdade é que todo aquele que pede desculpa sempre que não deve, é pessoa que evita pedir perdão por tudo aquilo que deve pedir. As coisas são simplesmente assim. A impressão de aparência de humildade que querem dar aos outros não passa de hipocrisia. Sempre que alguém pede perdão por coisas que não deve, está escondendo aquilo por que deveria pedir perdão. O coração do homem é enganoso a esse ponto. Devemos andar na luz e não buscar maneiras subtis de caminharmos nas trevas, maneiras essas que se assemelham a andar na luz. "Vinde, ó casa de Jacó e andemos na luz do Senhor", Is.2:5.

  440. Quanto mais sou abençoado com a sabedoria e o conhecimento de Deus, tanto mais me apercebo que as coisas de Deus jazem em ruínas. Não são mais templos erectos e fortes, pois, o mundo e o pecado apoderam-se de tudo e o consequente abandono da parte de Deus acabou deixando tudo em ruínas. Agora, cada um faz o que quer, segundo o seu coração. O mundo não sabe cuidar daquilo que pertence a Deus - e ainda bem que assim é. Vamos erguer novamente o templo de Deus e Seu evangelho à qualidade de tempos da igreja primitiva? Onde estão aqueles que se oferecem para fazer isso e exclusivamente isso?

  441. Devemos ter a certeza que as mudanças que duram no tempo são as únicas que valem para Deus - e para nós. Mesmo embora as decisões e transformações que não durem muito sirvam para fins de julgamento, as únicas que Deus abençoa são aquelas que permanecem. Contudo, sabemos que todos aqueles que terminam bem começaram de alguma maneira em algum lugar. Mas, também sabemos que a maioria que começa bem, nem sempre termina bem. Judas Iscariote é um bom exemplo de alguém que começou bem e terminou mal. Falemos um pouco mais sobre isto. Suponhamos que você achou-se pecando de alguma forma e rapidamente determina "expulsar" tal pecado. Isso mostra as suas boas intenções, mas, para alguns pecados não basta, pois, têm raízes. E sempre que um pecado tem raízes, fazer isso é o mesmo que ignorá-lo ou encobri-lo. E quem encobre pecado, nunca prosperará. A pressa é superficialidade, tal como a falta de paciência e falta de persistência. Se lidarmos superficialmente ou apressadamente contra pecados que têm raízes, não demorará muito tempo até que as tentações nessa área voltem e façam a pessoa tropeçar novamente. Caso a pessoa não tropece, irá desesperar, pois, a graça não alcançou as raízes do mal e haverá guerra declarada no íntimo entre o bem que quer fazer e o mal que faz. Todos aqueles que lidam contra o pecado às pressas são pessoas que querem encobrir. Não são pessoas que querem resolver o pecado de uma vez por todas, isto é, para sempre. E encobrir nunca nos leva a lado nenhum, pois, todo pecado só morre expondo-o e colocando-o na luz, tal e qual os vampiros morriam através da exposição à luz do sol.

  442. Sempre que abençoamos os outros ou pronunciamos alguma bênção para alguém, devemos ter aquele cuidado de nunca fazê-lo através de algum sentimento de superioridade em relação ao nosso próximo. Com frequência, uma bênção que vale é pronunciada por alguém que anda perto (ou mais perto) de Deus. Mas, para que a bênção surta o seu efeito, não pode existir nenhum tipo de sentimento de superioridade em quem a pronuncia e nenhum sentimento de inferioridade em quem a recebe.

  443. Precisamos ter, com frequência, toda a autoridade de Deus, especialmente quando pregamos o evangelho ou falamos as palavras de Deus. Uma das das maneiras de perder essa autoridade é uma vida que não vive, na prática, à altura do conhecimento que experimenta de Deus e a vida que não se acha em conformidade com a verdade que se apoderou do coração. Caso não sejamos achados em conformidade com o que recebemos e temos de Deus, a autoridade de Deus desvanecerá por duas razões. Uma delas é que Deus não se pode manifestar a nosso favor porque o nosso testemunho anula ou contraria aquele que Deus dá ou daria e Ele não daria testemunho falso; a outra razão é que as pessoas desautorizariam a palavra de Deus em nós por verem que vivemos uma vida dupla, dizendo uma coisa e vivendo outra. Uma outra fuga pela qual a autoridade de Deus se desvanece é quando tentamos viver à altura dos princípios de Deus por via da força, isto é, sem o acompanhamento da graça. Quando é o nosso coração que é levado a igualar os princípios, devemos saber que isso nunca é o mesmo que quando os princípios são levados a igualar o nosso coração. Não disse Deus de Davi que havia achado um homem segundo seu coração? Davi tinha um coração segundo Deus. Tendo esse coração, então, devemos acrescentar-lhe princípios adequados para não tornar-se desleixado e negligente nas coisas do Senhor. Mas, as pessoas querem um Deus segundo o seu coração e não um coração segundo Deus.

  444. Por norma, as pessoas não levam a sério tudo quanto dizem diante de Deus. Essa é a razão principal por que se esquecem facilmente de votos, promessas ou pedidos que fazem a Deus. É por essa razão, também, que muitas orações nunca são atendidas. Quando muito, os nossos pedidos podem estar pendentes por alguma razão ou por algum pecado, 1 Ped.3:7. (Mas, estarem pendentes não significa o mesmo que estarem esquecidos). Existe um facto relatado na Bíblia onde vemos que as palavras de Salomão em um sonho (enquanto dormia) foram validas diante de Deus. Se palavras contam enquanto dormimos, quanto não devem contar quando estamos acordados? Será que sabemos que Deus leva as coisas a sério e até todas as nossas palavras? "Guarda o teu pé, quando entrares na Casa de Deus; e inclina-te mais a ouvir do que a oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal", Ecl.5:1.

  445. Em Israel, no tempo de Davi, as pessoas ainda acreditavam que deitar-se com uma virgem sem haver-se casado com ela era coisa de louco. "E tu serias como um dos loucos de Israel", 2Sam.13:13. O tempo foi passando até aos tempos actuais e o diabo foi operando com persistência e com paciência até as pessoas ficarem com a impressão gravada em si que tal acto não é coisa grave. Na verdade, fazer sexo com uma virgem passou a ser o alvo de muita gente. Actualmente, um tal acto de estupidez já nem é considerado crime. A maneira do mundo, agora, é viver com pecado como se fosse a coisa mais normal do mundo. Já se crê que o pecado é vida e que viver é pecar. Já se chegou ao ponto onde a maioria dos crentes não acredita ser possível exterminar o pecado de suas vidas e já não acreditam que os pecados são os verdadeiros inimigos de Deus e da nossa alma. "Persegui os meus inimigos e os derrotei e nunca me tornei até que os consumisse. E os consumi e os atravessei, de modo que nunca mais se levantaram, mas, caíram debaixo dos meus pés", 2Sam.22:38-39. É isso que tem de acontecer com os nossos pecados. É assim que devem ser tratados. É necessário que chegue o tempo, de novo, onde os crentes assumem que todo tipo de pecado é facada inimiga e não uma mera ocasião. Vamos assumir a verdade novamente? Já?

  446. "Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência", Deut.30:19. Todos sabemos ou, no mínimo, deveríamos saber que a morte e a vida estão diante de nós. Contudo, Deus diz para escolhermos a vida. Isto significa que a pessoa não tem como escolher a morte, pois, pecador já é morto. Pode um morto escolher a morte? O morto em pecado só pode escolher a vida. Toda a alma que peca, morre. Então, Deus diz-nos para escolhermos a vida. Para o pecador, é a única opção válida. Você escolhe a vida ou continua no pecado da sua vida diária?

  447. "Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto", João 15:2. Eis aqui dois pensamentos interessantes. O primeiro é que Deus poda quem dá fruto e quem não frutifica não é podado - é cortado fora. (Por que razão aqueles que são podados têm tendência a sentirem-se abandonados quando estão sendo servidos e amados?) O outro pensamento que me atingiu é que Deus poda o lado interior para que haja fruto fora e dentro. Ele não poda as circunstâncias ou qualquer outra coisa exterior. Quem não frutificar sob as circunstâncias onde se encontra, não presta. Por isso, não podemos esperar que Deus faça a vontade do homem, pois, seria uma maneira das pessoas nunca frutificarem. Deus usa as circunstâncias de acordo com as nossas necessidades interiores e não altera as circunstâncias de acordo com os desejos.

  448. Todos temos assuntos sobre os quais estamos certos e todos temos assuntos nos quais estamos errados. Contudo, para o homem comum, a falta de confiança nele mesmo parece ser um abismo de temor. Se o homem não conseguir confiar nele próprio por alguma razão, sente-se muito mal. Não terá ânimo para prosseguir. Só desespera aquele que ainda confia nele mesmo e não confia totalmente ou somente em Cristo. O homem comum sente aquela necessidade inútil de estar sempre certo sobre tudo. Só ele pode estar certo. Se não conseguir acreditar que está certo sobre tudo, no mínimo precisa manter essa atitude diante das pessoas. Por essa razão teima e argumenta. O homem não gosta de sentir-se perdido e nem de achar-se em desespero. Por isso, precisa acreditar em si mesmo. É por essa razão que a fé verdadeira em Cristo, de entrega total, lhe é tão difícil.

  449. Todos conhecemos a história da Saul e de como ele não conseguiu ser completamente obediente a tudo aquilo que o Senhor lhe mandara fazer, 1Sam.15. Era-lhe difícil ser fiel em tudo. Contudo, não vemos que lhe tenha sido difícil ser totalmente fiel à coisa errada. Vemos, por exemplo, como ele matou todos os sacerdotes do Senhor e não deixou viva qualquer coisa que respirasse em certa cidade, 1Sam.22:18,19. Não era isso que deveria ter feito com os Amalequitas? A fidelidade é uma daquelas coisas com as quais fomos criados, pois, fomos criados conforme a imagem de Deus. Por isso, seremos sempre obedientes a qualquer coisa. Se não formos obedientes ao Senhor, sê-lo-emos à seita mais unida do mundo: pecado, nós mesmos e o mundo. Ninguém conseguirá evitar que assim aconteça. "Se temerdes ao Senhor e o servirdes e derdes ouvidos à sua voz e não fordes rebeldes ao mandado do Senhor, assim vós (...) continuareis seguindo o Senhor vosso Deus", 1Sam.12:14. Paulo também afirmou que todo aquele que não vive para Deus tem, seguramente, todos os seus membros inteiramente entregues ao pecado. E não diz Tiago que qualquer pessoa que ainda peque tem seu coração dividido em relação a Jesus?

  450. Às vezes, Deus fala através de sonhos porque as pessoas andam demasiado ocupadas quando não estão dormindo. Por essa razão Deus opta por falar-lhes enquanto dormem. É óbvio que existem mais razões por que Deus fala às pessoas durante a noite e durante seu sono. Deus também pode provar alguém para ver se obedece a Deus ou se prefere ficar a dormir.

  451. Aqueles que não agradam pessoas não têm consciência de estar a viver sem agradar. Só aqueles que ainda agradam é que se 'rebelam' contra o seu próximo com intuito de não agradá-los, tomando consciência que não devem agradar pessoas.

  452. A paz que Deus dá nunca será igual à do mundo. Não opera da mesma maneira e nem opera a mesma coisa. E essa paz não é barata - não nos chega a qualquer preço. O que quero dizer é que Deus nunca muda para adaptar-se às pessoas e àquilo que sentem. Caso a Sua presença seja real e não seja somente imaginária, precisamos ser seres transformados para nos sentirmos bem nela. Não existe isso de termos paz na presença de Deus se não formos seres realmente transformados e limpos de coração. Deus não veio fazer com que nos sintamos confortáveis, mas, para transformar-nos e para que estivéssemos em paz em Sua presença. Se não estivermos limpos ou se não formos pessoas realmente transformadas, a Sua presença será uma tortura para nós e não um conforto. É por essa razão que muitos abandonam a fé, pois, a presença de Deus causa-lhes desconforto porque Deus não muda para agradá-los e eles não querem mudar e converter-se genuinamente.

  453. Muitos preocupam-se e ocupam-se tanto em discernir a voz de Deus que perdem completamente todo bom senso. Imaginemos que Deus não está sequer falando e tentam discernir vozes? Por muito bem intencionados que sejam, a verdade é que as pessoas devem concentrar-se em tornar-se ovelhas e não em vozes, pois, é a ovelha quem é capaz de ouvir. Jesus disse que só quem é ovelha é que ouve e que ela ouvirá sem sombra de dúvida. Então, ao invés de tentar discernir a voz, devemos colocar todos os nossos esforços em sermos ovelhas. Ovelha ouve. Mas, eu considero que existe um tipo de relacionamento ainda mais elevado e mais próximo de Deus do que aquele quando somente ouvimos a Sua voz. É quando se vê o que Deus sente, para onde olha, para onde se dirige. Isso pode ser uma maior intimidade ou maior união entre Deus e criatura. "Minha alma Te segue de perto", Sal.63:8. Numa intimidade dessas, as pessoas quase não precisam falar, pois, entendem-se muito bem. Mas, "Andarão dois juntos se não forem iguais?", Amos 3:3.

  454. Muitos colocam certos pecados numa categoria diferente de outros pecados. Deixem-me exemplificar. Alguns colocam a prostituição ou orgulho como um pecado pior que a má-língua ou outro pecado que lhes dê prazer. Consideram alguns pecados mais insignificantes que outros. E, por isso, haverá sempre pecados que algumas pessoas não consideram como pecado ou, então, vivem como se não fossem incorrer em condenação quando os cometem. Por exemplo, o orgulho por uma nação terrena por se haver nascido nela não é considerado pecado por muita gente, ainda que se considerem apenas peregrinos nesta terra. Esse foi o grande erro da tribo de Benjamim. Recusaram entregar os bandidos que violentaram a mulher de um levita por pertencer à mesma tribo que eles, Juízes 20:13,14. Devemos ter muito cuidado com aquilo que muita gente chama de nacionalismo. Não podemos estar a inferiorizar-nos ou superiorizar-nos perante o nosso próximo e nem a encobrir ou defender pecados por essa razão. A nossa identidade é causa de muito tipo de tropeço. Ou somos povo do céu ou do país onde nascemos. As duas coisas não seremos, certamente. "Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus", Col.3:1.

  455. Após Moisés, Deus deu Josué como líder de seu povo. Contudo, não vemos Deus dar mais alguém como líder a Israel, depois de Josué, do calibre de Moisés e Josué. Isso poderá significar muitas coisas. Mas, a principal deve ser que o povo teve exemplos de como depender de Deus totalmente e, agora, teriam de ter um relacionamento pessoal com seu Deus tal e qual seus líderes tiveram. Tiveram provas suficientes de que funcionaria e também tinham exemplos de como fazê-lo. Agora, teriam a sua oportunidade de não fazerem "conforme a tudo o que (faziam até ali) cada qual conforme o que bem parece aos seus olhos", Deut.12:8,9. Na abundância, a dependência de Deus é crucial. Não podemos passar sem ela.

  456. Muitas pessoas já cometeram grandes erros ou até mudaram o curso de suas vidas por não se haverem aconselhado com Deus. Muitos outros pediram liderança a Deus, mas, não tiveram paciência para esperar a resposta - o que vai dar no mesmo. Sabemos que existirá sempre a próxima dificuldade se a carnalidade ainda existir, pois, se perguntamos a Deus, podemos não esperar, ignorando que pedimos conselho a um grande mestre, desrespeitando-o com nossa impaciência. Se alguém não está ocupado demais para perguntar a Deus, ou se não é orgulhoso ou confiante demais para fazê-lo, ainda corre o risco de não saber esperar por uma resposta de Deus por não estar habituado a ter Deus como real e por não ser paciente.

  457. Somos encorajados, muitas vezes, pelos testemunhos de outras pessoas. E é bom que os testemunhos da obra de Deus sejam capazes de encorajar-nos, pois, eles enfurecem a maior parte do mundo. Contudo, devemos saber que devemos ter uma história própria e que devemos conseguir ser encorajados pela presença de Deus, isto é, por Ele pessoalmente. Normalmente, somos encorajados pelo sucesso daquilo que nosso coração anseia. Se desejamos a salvação de pessoas, somos encorajados pelos testemunhos que dão. Mas, a realidade de Deus deve ser tão real que conseguimos subsistir só por Ele. Isto não significa que não possamos sentir-nos motivados e encorajados pelas vidas de nossos irmãos. Significa, apenas, que na ausência de testemunhos, ainda somos pessoas bem motivadas e cheias do primeiro amor. Jesus deve poder ser o nosso encorajamento continuo. Você possui essa realidade, essa vida que não deixa qualquer dúvida em nós?

  458. É verdade que as pessoas mornas são responsáveis por muitos crimes na face da terra. Muitas pessoas não nascem de novo por causa delas. Os mornos provocam muitos abortos espirituais, conscientemente ou inconscientemente. Eles não entram na porta estreita e bloqueiam o acesso a quem quer entrar, pois, sempre se aglomeram diante das portas de entrada e não entram. Seria como ter grávidas falsas a bloquear a entrada das maternidades de tal maneira que as grávidas verdadeiras não conseguissem entrar. Contudo, estes mornos têm outro tipo de poder: eles, por vezes, condicionam e determinam as atitudes daqueles que são quentes, exercendo um poder sobre eles. Deixem-me explicar: Lembram-se de como Isaías exclamou em agonia dizendo que seus lábios eram impuros porque vivia entre um povo de impuros lábios? (Is.6) Isaías era quente. Contudo, aprendeu a falar da maneira de pessoas de lábios impuros. Agia como eles sendo quente. Ora, quando os quentes são influenciados e limitados pelas acções e costumes dos mornos, é óbvio que esses quentes influenciados se tornam a principal pedra de tropeço para os próprios mornos, tal e qual os mornos são para os frios. Mesmo sendo quentes, se não vigiarem e se não marcarem o seu território, se não marcarem a diferença, agirão como hipócritas e terão galardão de hipócritas. Mesmo quando os quentes não têm intenção de serem hipócritas, tornam-se tais convivendo com quem quer crer em Deus e, ainda assim, não quer mudar ninguém.

  459. Eis aqui uma sequência interessante: "Vês aqui, hoje te tenho proposto a vida e o bem; e a morte e o mal", Deut.30:15. A vida precede o bem. O bem segue a vida e o mal segue a morte espiritual. O Reino de Deus e toda a Sua justiça deve ser achado primeiro, juntamente com sua Vida.

  460. Com grande frequência ouvimos as pessoas dizerem: "glória a Deus". Mas, torna-se claro que tomam da glória para si próprios secretamente, até mesmo quando dizem isso - ou principalmente quando dizem isso. Existem muitas razões por que as pessoas tomam daquilo que não é seu para si mesmos. Muitos roubam glória apenas porque se sentem solitários e outros porque são diabólicos. Querem fazer-se aceitáveis para outros, como se não fosse possível andarem sempre acompanhados de Deus. Mas, quem usa a glória que não é sua, afasta-se dos outros. É uma lei da natureza. A solidão é um grande aliado desse tipo de roubo. Este tipo de roubo é, frequentemente, resolvido achando Deus, pois Sua presença (quando real) enche todos os vazios. Sua presença assegura, tal como as amizades 'asseguram' os de coração vazio. A falta de confiança em Deus - aquela segurança que não é falsa - faz as pessoas roubarem o que não lhes pertence por direito para, com isso, 'conquistarem' quem nunca preenche seus vazios. O seu tipo de fé fá-los inseguros. São essas pessoas que, devido aos problemas de consciência, dizem da boca para fora: "Glória a Deus!". Isso torna-os hipócritas! Antes ficassem calados e dessem glória a Deus com suas vidas práticas! Precisamos chegar ao ponto onde Deus pode exaltar-nos por causa da glória d'Ele. Você consegue viver dentro de grande glória sem roubar nenhuma para si? Deus pode exaltá-lo para se glorificar? Você consegue viver no meio da glória de Deus? Vamos lidar com qualquer coisa que possa impedir-nos de alcançar essa glória para Deus, pois, toda glória pertence realmente a Deus e apenas um tolo não enxerga isso. "Hoje declaraste ao Senhor que ele te será por Deus; e que andarás nos seus caminhos e guardarás os seus estatutos, os seus mandamentos, os seus juízos e darás ouvidos à sua voz. E o Senhor hoje te declarou que tu lhe serás por seu próprio povo (...). Para assim te exaltar sobre todas as nações que criou, para louvor, para fama e para glória; e para que sejas um povo santo ao Senhor teu Deus", Deut.26:17-19. Será que a sua vida fala de Deus, mesmo sem palavras? Sua vida mais secreta consegue exaltar Deus, até quando você não tem consciência disso? Nunca conseguiremos fazer duas coisas opostas ao mesmo tempo: ou exaltamos Deus ou nos exaltamos a nós mesmos.

  461. De acordo com a Lei de Deus, um acto de negligência que leve ao acidente ou crime de alguém torna a pessoa negligente culpada do acidente ou do crime. Qualquer negligencia que resulte em dano ao próximo, além da condenação ou culpa da própria negligência em si, também será responsabilizada pelas consequências todas. E se a negligência facilitar o crime de alguém, o negligente tornar-se-á co-criminoso.

  462. O Senhor disse a Israel que deveriam dar suas ofertas de acordo com as bênçãos que haviam recebido de Deus, Deut.16:17. Isto tinha a intenção clara, também, de mostrar a todo mundo como Deus é fiel. Falaria claro e a bom som sobre a grande bondade e capacidade de Deus. Contudo, os inventores das doutrinas de prosperidade trocaram a ordem das coisas: eles dizem que devemos dar para receber ao invés de darmos do que recebemos, isto é, recebermos para dar. Deus não recebe para dar. Quem pensa que Deus recebe para dar erra o alvo, pois, a obra de Deus na terra é tornar as pessoas santas, misericordiosas e atenciosas para com seu próximo.

  463. Quando o Senhor fala de liberdade, Ele refere-se a sermos libertos de nós próprios e do pecado. O pior dono de escravo é o próprio, pois, é capaz de manter-se escravo a ele próprio até à morte. É uma combinação terrível, pois, ambos amam a mesma coisa. Por isso, assim que entrarmos na nossa herança de liberdade e paz, não podemos mais pensar ou decidir por nós próprios ou de acordo com a nossa visão das coisas. "Pois, aqueles que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são os filhos de Deus", Rom.8:14. A queixa principal que Deus mantém contra todos os pecadores é precisamente o haverem-se desviado "cada um para seu caminho", Is.53:6. "Não fareis conforme a tudo o que hoje fazemos aqui, cada qual tudo o que bem parece aos seus olhos. Porque até agora não entrastes no descanso e na herança que vos dá o Senhor vosso Deus", Deut.12:8,9.

  464. "Não comereis a carne com a vida", Deut.12:22. Sabemos como Deus expulsou a raça humana do Paraíso e ainda lhes cortou todo o acesso para a Árvore da Vida. Não podiam comer da carne e da vida ao mesmo tempo. Deus já havia separado a luz das trevas como Seu primeiro acto de criação. E depois que o pecado entrou no mundo, Ele separou a carne e o pecado da vida para que não pudessem viver para sempre. Isso só prova que Deus não quer mesmo nada a ver com o pecado. E agora temos este mandamento simbólico de não comermos a carne juntamente com a Vida. Se a pessoa comer da carne e da vida, torna-se morna e chega a causar náuseas e vómitos a Deus. Você ainda junta a carne com a vida? Come de ambas? Ou será que o Pão da Vida é sagrado para si? Nunca tente comer ou beber do sangue de Jesus sem antes haver abandonado totalmente toda e qualquer forma de pecado ou de mal que se assemelha a santidade, imitando-a.

  465. Lemos em Deut.2 que Deus expulsou gigantes de certos lugares para que os Moabitas e os filhos de Esaú pudessem viver neles. Tenho a certeza que nem os Moabitas e nem a descendência de Esaú reconheceram isso como uma obra soberana de Deus e nem que era uma acção que se destinava a destruir povos extremamente pecaminosos. Devem ter-se exaltado a eles próprios ou exaltado seus deuses pela proeza de haverem conseguido expulsar gigantes de suas terras. De ambas a maneiras, isto é, ou exaltando-se ou exaltando seus deuses tornaram-se idólatras. A verdadeira idolatria surge porque permite ao homem exaltar-se a si mesmo. Se você atribuir a si mesmo os grandes feitos de Deus ou se culpar Deus das coisas más que lhe vão surgindo, lembre-se que está praticando a idolatria. A idolatria só existe porque permite ao homem fazer o que quer quando quer. "Não terás outros deuses diante de mim". Nunca permita que você seja alguma vez o objecto de louvor ou de elogios ou que Deus seja o culpado dos males que os pecadores alcançaram.

  466. Muitos estão sempre com pressa para chegar ao trabalho ou para chegar a outro local ou às suas obrigações porque não tiveram pressa de sair da cama e do sono.

  467. A complicação de mente é nada mais nada menos que distracções que solicitam nossa atenção e que se multiplicam e espalham entre os deveres e responsabilidades, sejam essas distracções de boa origem ou de má origem. Essas distracções guerreiam dentro do homem para que, no mínimo, seja distraído ou afastado de suas presentes responsabilidades ou tarefas. Pode ser uma coisa feia tentando distrair como pode mesmo ser uma coisa bonita usada pelo diabo fora de tempo. Anulando as distracções e os desejos que guerreiam contra a alma, chegaremos à simplicidade de Cristo.

  468. Toda a duplicidade é uma mentira falando e tentando convencer quem é dividido de coração. O princípio por trás de um coração temerário e abominável é o engano. Pior é aquele tipo de engano que engana ao próprio. As pessoas de "duplo ânimo" são essas pessoas, as quais colocam um pé no mundo e outro em Deus e andam de pernas abertas e afastadas para poderem manter o seu equilíbrio inaceitável. Antes caíssem para se levantarem em um dos lados da linha que separa as trevas da luz dentro do coração. Tais pessoas tentam juntar o que Deus separou para sempre. Somente Deus consegue ver que estas criaturas aberrantes não são quentes. Se fossem frios, saberiam que não são quentes. Mas, ao serem mornos, sabem que não são frios e isso faz com que nunca cheguem ao conhecimento de que também não são quentes. Como não se sentem frios, acreditam estar quentes ou, no mínimo, acreditam estar bem. Ser de duplo ânimo dá-lhes o conforto de se sentirem nas redondezas de Deus, esperançosos, crendo que viverão comendo veneno e alimentando-se dele somente porque o misturaram com as receitas do Céu. Cada pessoa só se alimentará daquilo que come. Outra verdade sobre a duplicidade de coração em relação a Deus é que ofende Deus grandemente. Essas pessoas não são suficientemente frias para irem viver para outro lado, longe da presença de Deus onde perderiam o equilíbrio que buscam perto do Templo de Deus. Estes monstros entram no Santo dos Santos e tentam esfregar as suas nojeiras no rosto de Deus, esperando que Ele absorva e aceite tudo que eles fazem na Sua presença. Caso fossem frios, indo viver para outro lado bem longe de Deus, seriam, no mínimo, honestos de coração. Teriam um certo grau de verdade em seu interior o qual seria capaz de mover Deus em Sua misericórdia e persistência para convertê-los. O mordomo infiel não foi louvado por seu Senhor por haver feito uma avaliação correcta de toda a sua situação? (Luc.16:8).

  469. Muitas desculpas são colocadas por pessoas que afirmam não estarem preparadas para alguma tarefa. Jesus disse, muitíssimas vezes e com muito ênfase: "Preparai-vos!" A ignorância faz as pessoas afirmarem que não conseguem fazer alguma coisa por incapacidade. A capacidade vem através do exercício da devoção ao Senhor, pois, Ele tudo pode, tudo ensina, seja através de nós ou somente por causa de nós em Suas providências. Muitas vezes, somos preparados durante a obra em relação à qual nos sentimos incapazes. Outras vezes, não. Deus requer uma pré-preparação. Por vezes, leva-se anos de fidelidade nas coisas pequenas até serem entregues as coisas e as obras maiores do Reino de Deus. Sempre que alguém não se sente preparado quando a obra chega, isso dever servir de acusação e nunca de desculpa. Jesus nunca desculpou a falta de preparação e nunca ignorou a ignorância. A pessoa com falta de conhecimento deve acusar-se a ela mesma por não haver andado com o Deus da sabedoria tempo suficiente para aprender. E a falta de preparação acusa-as de não haverem sido fiéis nas coisas pequeninas que Deus permitiu que chegassem às suas mãos ou vidas. Não aprenderam a buscar e achar o Senhor durante aquelas provações que pensavam ser pequenas e insignificantes. Logo, assim que aparecem coisas maiores, parecem incapacitados e desleixados. É importante que a pessoa saiba que precisa sair da preguiça para, mais tarde, não ser desleixada em coisas importantes. Você permanece com o Senhor até ao fim das Suas provações consigo? João 15:27, Luk.22:28.

  470. Ao ler novamente a história de Coré e dos duzentos e cinquenta homens que pereceram com ele, fiquei um pouco surpreendido com algo que Deus disse. Disse que os incensários eram santos porque haviam sido trazidos diante do Senhor, Num.16:37. É muito estranho os incensários haverem sido aceites e homens rejeitados. Lemos na Bíblia, muitas vezes, que é o homem que é aceite. Deus disse várias vezes: "A ele ouvirei (aceitarei)". Deveriam ser as pessoas a serem aceites e não os incensários. Deus disse de Jó que o aceitava a ele, Jó 42:8. Não é surpreendente isto que aconteceu com Coré e seus seguidores? A verdade é que Deus pode ouvir as orações que não saem do coração por falta de palavras, porque Deus aceita o homem por trás delas. A ordem correcta das coisas é Deus aceitar o homem primeiro. Só depois aceita ou rejeita a sua oração ou outra coisa qualquer que seja colocado no altar. Você é um sacrifício aceitável ao Senhor? Eu sei que existem pessoas cujas orações são aceites à frente deles por causa da glória de Deus ou mesmo por causa das pessoas por quem são feitas as orações. Contudo, quem ora é, muitas vezes, rejeitado. "Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demónios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade", Mat.7:22-23. E creio que esta porção das Escrituras não se refere apenas aos falsos profetas ou outros falsários.

  471. É estranho que os pecadores, os que se rebelaram contra Deus, queiram servir esse mesmo Deus de seu jeito. Foi assim na rebelião de Coré e ainda será assim em muitas igrejas: até ao fim dos tempos as pessoas tentarão 'servir' Deus de uma maneira que não anule a carne e o mal. Tentarão servir na própria força ou de acordo com sua própria visão das coisas, pois, ambas beneficiam o pecado e mantêm-no vivo até ao juízo de Deus. Toda a justiça própria tem como finalidade rejeitar o caminho ou a maneira de Deus fazer as coisas para se poder manter no controle. A fé falsa exige, no entanto, que se faça isso ou para Deus ou em nome de Deus. A fé falsa ajuda os maldosos a manterem a confiança e a esperança enquanto na carne e a perdê-la se não estiverem na carne. Devemos ter em conta que sempre que recusamos os caminhos de Deus para seguirmos Deus da nossa maneira, ou se rejeitamos qualquer homem que seja realmente de Deus por não gostarmos da maneira como fala ou faz as coisas, rejeitamos Deus. Não existe meio termo. Não é possível servir Deus com as armas de Mamom e muito menos com as nossas. Nunca poderemos esquecer que Jesus frisou que as coisas deveriam e poderiam ser feitas aqui na terra da maneira que tudo se faz no céu, quando disse "aqui na terra como no céu". Esse jeito, essa maneira tem prioridade sobre a própria vontade de Deus, pois, não existe maneira de fazermos a vontade de Deus sem ser dessa maneira do céu onde a carne não tem parecer, não impõe seu desejo e não manifesta agrado ou desagrado. Não queremos pôr o diabo ou a carne a servir dentro do Templo de Jesus. Por isso, tenha muito cuidado com aquela possibilidade subtil de tentar servir Deus de seu jeito, do jeito da sua igreja ou através de sua doutrina e inspiração. Isso, seguramente, acontecerá sempre que tiver dentro de si qualquer pedaço de justiça própria. Não podemos voltar-nos para Deus de uma maneira que Ele considera rebelde ou estranha. Não podemos colocar fogo estranho no altar de Deus. (Rebelião é justiça própria e justiça própria é rebeldia. Esteja extremamente atento a qualquer das suas formas!) Se o pecador não assegurar uma pequena forma de justiça própria, sentir-se-á perdido. Por isso é que se convence a ele próprio regularmente de ser bom, bem-sucedido ou crente. Congratula-se a si mesmo para nunca ter de sentir-se como o perdido que é. Qualquer consciência manchada busca refúgio na mentira que a assegura sempre que recuse limpar-se. Duplicidade de ânimo é a comida da rebelião, pois, essa duplicidade consegue acreditar que mantém um pé no templo de Deus. A religião preenche o vazio que a ausência de Deus deixou para trás e dentro do coração e da alma dos humanos.

  472. A verdadeira oração tem muitos segredos simples, os quais raramente são descobertos e vividos precisamente por serem simples e terem aparência insignificante. As coisas complicadas parecem conseguir apoderar-se mais facilmente da totalidade da mente de qualquer pessoa. Por essa razão é que Jesus pede para sermos simples como pombas. Um desses grandes segredos é a disciplina em oração. Contudo, é muito difícil uma mente conseguir manter sua espontaneidade praticando a disciplina. Espontaneidade e disciplina é uma combinação rara e muito difícil de encontrar na oração. Já viu uma pessoa espontânea ser disciplinada ou vice-versa? Na verdade, é uma combinação rara, mas, essencial para que uma vida de oração possa obter respostas concretas. É difícil manter a continuidade do fogo na oração em meio de uma vida disciplinada. É algo que os humanos precisam aprender a exercitar e a buscar. A disciplina rouba a espontaneidade do coração caso a pessoa não saiba viver somente de Deus e viver uma coisa de cada vez. Cada dia precisa ser novo, ainda que se repitam as coisas dos dias anteriores. E sabemos que, quando deixa de haver fogo genuíno e aceitável a Deus nas orações, as pessoas buscarão algum tipo de fogo estranho para se apresentarem diante do Senhor ou das pessoas. Tentam viver das emoções fortes ou forçadas, das mentiras, da fé instigada e forçada e dos encorajamentos falsos; e cada coisa dessas será vista como um fogo falso no altar. Na verdade, a disciplina em Deus fará crescer a espontaneidade em relação à verdade e não o oposto. Mas, a pessoa suja sendo disciplinada perderá essa espontaneidade na oração de imediato. Tornou-se comum ver pessoas sem a realidade daquilo que conseguem crer da verdade ao serem disciplinados, quando, na verdade, a disciplina em pessoas limpas aumenta drasticamente a sua espontaneidade em Deus. A disciplina em Deus torna as pessoas simples, curtas, objectivas e agressivamente humildes. Outro problema ou segredo da oração é que as pessoas não conseguem resolver um problema de cada vez, entregando-se à oração sobre uma especificidade e levá-la até ao fim, isto é, até à resposta concreta sobre uma coisa de cada vez. E quando se conseguem abster de outros problemas para resolverem um com Deus, levando-o até ao fim, abandonam os outros e não conseguem sair do envolvimento que foi capaz de lhes garantir a resposta na oração. Deveriam ser capazes de deixar tudo para trás e começar uma nova conversação séria com Deus como se nada mais existisse - nem a realidade da resposta sobre o problema resolvido. Você consegue viver dessa maneira e falar com Deus sem se desviar nem para problemas por resolver e nem para problemas resolvidos? Por exemplo, você consegue orar sobre algum problema pessoal esquecendo, naquele momento, os problemas de outras pessoas e, assim que houver obtido resposta, consegue orar, logo de seguida, com o mesmo coração e com a mesma espontaneidade sobre outros problemas como se o anterior não tivesse existido? E se orasse sobre os problemas dos outros primeiro, tornar-se-ia negligente em relação aos seus? Poderia mencionar mais alguns destes segredos simples, pois, existem muitas coisas complicadas que roubam a simplicidade da oração.

  473. Vemos Deus mostrar a Aarão que ele deveria sacrificar um animal sem mácula antes de entrar na presença de Deus. Contudo, nunca vemos Deus dizer isso a Moisés, pois, parecia que Moisés andava sempre na presença de Deus dentro e fora do Tabernáculo. Não é interessante saber disto?

  474. "Não bebereis vinho nem bebida forte (...) para fazer diferença entre o santo e o profano e entre o imundo e o limpo", Lev.10:9,10. Mesmo quando a pessoa já não é dependente de bebidas ou de vícios, mesmo que seja somente para manter ou frisar o exemplo, não se deve tocar em certas coisas, nem mesmo quando essas coisas já possam ser santas para nós. Devemos levar em conta o nosso próximo. "...Para poderdes ensinar...", Lev.10:11

  475. Por vezes perguntamo-nos por que razão Deus proibiu tantas coisas ao dar a Sua Lei a Moisés. Haviam muitos animais, pássaros e répteis dos quais os crentes de então não podiam comer. Por que razão? Então lemos: "Para distinguir (fazer diferença) entre o limpo e o impuro", Lev.11:47. Deduzimos que, de alguma maneira, os povos daquelas terras que Israel iria possuir tinham qualquer religiosidade, idolatria ou crença relacionada com todas as proibições de bichos ou de comidas na lei. Por exemplo, sabemos que as pessoas criam que se apoderariam da força de um animal caso comessem ou bebessem seu sangue e essa força, por vezes, manifestava-se na forma de endemoninhamento. Por isso não era permitido comer sangue. Sabemos, também, que distinguir entre o santo e o profano, o impuro e o puro sempre foi uma grande questão para Deus. Por essa razão, Ele fez disso um objecto de promessa com a vinda de Cristo, Mal.3:18. Israel necessitava implementar um exemplo através do qual os próprios Israelitas fossem impedidos de cair nas crenças e nas idolatrias locais. Desse mesmo modo, nós, hoje, não tocamos em coisas que nos possam associar àquilo que chamam 'o gozo deste mundo'. Nem que seja somente para efeitos de exemplo, não tocamos em vinho e não somos vistos em locais onde o mundo se diverte pela noite dentro. Existem, contudo, várias razões por que Pedro podia matar e comer dos animais que desciam no lençol branco vindo do céu. A principal é, claro, o poder de Cristo em transformar pessoas, o que daria ao transformado grande poder sobre as próprias crenças e religiosidades. Outra das razões menores é que, na altura, já não existiam muitas dessas crenças e religiosidades. Actualmente, existem crenças e religiosidades que se assemelham às leis de Moisés, como não comas, não bebas, etc. Os tempos mudaram e também as crenças e as religiões que o diabo disseminou pelo mundo fora. Enquanto as pessoas dormiam, ele espalhou muito joio no meio das culturas de trigo. Todos os nossos caminhos devem falar de Deus e expressá-Lo de forma clara. Assim que alguém possa concluir o oposto disso através de qualquer de nossos caminhos ou maneiras, devemos mudar de caminhos ou de hábitos através de Jesus.

  476. Muitos falam das suas coroas reservadas nos céus esquecendo que se trata de "coroas de santidade", Lev.8:9. Já alguma vez pensou que essa coroa é a santidade que poucos alcançam? A santidade é a coroa. Essa coroa encaixa com perfeição em sua cabeça, cabe nela? Você anseia por uma coroa desse tipo? É isso que deseja? A coisa mais preciosa (depois do Senhor Jesus) é a santidade.

  477. Falar demais ou ter uma necessidade de repetir tudo aquilo em que cremos ou que nos aconteceu no passado pode ser um sinal claro de insegurança. Tenha cuidado, pois, somos chamados a pregar a verdade para salvar quem está perdido e não para nos assegurar diante de pessoas cujo fôlego está em seus narizes. 

  478. É uma verdade comprovada que nenhum homem ou mulher poderá viver somente de pão. No mesmo sentido, podemos afirmar que nenhum homem descansará apenas dormindo ou que satisfará sua sede apenas bebendo. As necessidades do corpo não são apenas minúsculas se as compararmos com as do espírito, como, muitas vezes, entram em conflito directo com as necessidades espirituais. Por exemplo, vemos que comer muito causa nas pessoas uma maior fome de espírito tal como dormir muito tira o descanso das pessoas que querem viver uma vida de pureza. Nunca tente compensar as suas necessidades espirituais negligenciadas abusando da comida, bebida ou do sono. Trabalhe arduamente para obter o maná escondido do céu.

  479. Todos temos uma noção certa sobre o que é o adultério. Se cada um de nós ficasse sem tocar o sexo oposto - tal qual Paulo aconselha na carta aos Coríntios - até mesmo ficar sem tocar (até ao dia do casamento) na pessoa que Deus nos destinou, certamente que o princípio de pureza seria muito abençoado por Deus e arruinaria qualquer possibilidade de adultério no futuro. A pureza traz pureza, tal e qual a impureza traz impureza. Ninguém pode esperar colher algo diferente daquilo que semeou.

  480. "Nenhuma oferta, que oferecerdes ao Senhor, se fará com fermento; porque de nenhum fermento, nem de mel algum oferecereis oferta queimada ao Senhor", Lev.2:11. Muitos iludidos vão orar e insistir diante de Deus tendo algum tipo de fermento surgindo dentro de seus corações contra alguém, contra Deus ou contra eles próprios. Pensam que irão ou poderão ser ouvidos mantendo secretos seus fermentos de coração ou ignorando-os. Persistem em ignorar certas coisas tentando saltar pelo muro para alcançarem Jesus e Seus ouvidos. E Deus recusa ouvir orações de alguém com fermento em seu coração, esteja esse fermento em que fase estiver. Outros, ainda, tentam adoçar suas próprias palavras diante de Deus, tentando forçar um tipo de coração ou de atitude diante d'Ele que não têm ou que não é própria deles. Isso é o que Deus diz ser "colocar mel nas oferendas". Tal coisa também nos é proibida. É melhor sermos nós próprios diante de Deus. É sábio pararmos com todas as orações e resolvermos primeiro aquelas coisas ou pensamentos que se estão levedando em nosso coração para não cairmos na tentação de tirar a prioridade às coisas principais. Se não o fizermos, seremos considerados hipócritas diante de Deus. Quando oramos, o principal é exterminar toda a possibilidade de fermentação de nosso coração. Jesus salva-nos dessas coisas. Quando isso acontecer, as outras orações serão fáceis e prontamente atendidas. Experimente e verá se não é verdade. Confie nestas palavras e limpe seu coração primeiro de tudo o que Deus considera pecado, mel ou fermento.

  481. O Senhor fez Aarão sumo sacerdote juntamente com a sua descendência. Isto significa que Deus pode pronunciar-se sobre a fidelidade de alguém que ainda não nasceu. Por essa razão é que Deus pode usar a sucessão como maneira de ocupar o cargo de sacerdócio ou qualquer outra função divina. E a bênção de Deus acompanha tudo aquilo que sabemos ser a Sua vontade. A mesma bênção vemos pronunciada para as sucessões de Davi e seus filhos sobre o cargo importante de apascentar o povo de Deus. Você sabia que a sua vida será importante para os seus descendentes até mil gerações? (Ex.20:6)

  482. A sabedoria verdadeira não necessita e nem pede barulho e fogo estranho para poder penetrar no coração de alguém. A sabedoria colhe a atenção de qualquer coração que a esteja buscando, ainda que secretamente. Só no silêncio e na quietude a sabedoria é entendida. "As palavras dos sábios devem ser ouvidas em silêncio, mais do que o clamor do que domina entre os tolos", Ec.9:17.

  483. A melhor maneira de calar um falador impulsivo ou crónico é dar-lhe algo em que pensar. O muito falar é sinónimo de mente vazia ou de mente com problemas. E pensar é a solução para de ambas as coisas porque, no caso da pessoa de mente vazia, ela não consegue falar e pensar ao mesmo tempo; e, no caso da pessoa com problemas na cabeça, pensar na coisa certa também significa tirá-la da rotina viciada de pensar em problemas, 'distraindo-a' com a verdade. Dando a essas pessoas algo importante em que pensar fará chegar a quietude e o silêncio.

  484. O grande segredo da obediência nunca foram os mandamentos e nem a autoridade de quem dá mandamentos para serem cumpridos. O segredo da obediência é um coração obediente, o qual se revê nos bons mandamentos de Deus. Adquira esse coração.

  485. "E depressa se tem desviado do caminho que eu lhe tinha ordenado", Êx.32:8. É interessante ver o que Deus entende por "depressa". Eram quarenta dias. Para o povo, era muito tempo; para Deus, pouco tempo. O povo estava no deserto fustigado pela areia e o calor, possivelmente pela sede ou outros incómodos próprios da sua viagem e de não estarem em sua próprias casas. Para eles, quarenta dias sem Moisés eram muitos dias. Mas, Deus diz que "depressa" se corromperam, pois, para o Senhor aqueles quarenta dias não eram nada. Contudo, vemos que seu pecado atrasou mais ainda as coisas, pois, precisaram ser novamente testados por mais quarenta dias de ausência de Moisés - algo que não teria acontecido caso se tivessem mantido fiéis. A pressa faz adiar ainda mais as coisas de Deus. Mas, temos outro conceito da palavra "depressa" em Mat.5:25. Aqueles que têm pressa quando Deus não tem, serão lentos naquelas coisas sobre as quais que Deus tem pressa.

  486. Existe sempre aquela dúvida em relação ao futuro no tocante a Deus em uma certa geração após grandes feitos ou milagres: saberão as pessoas da geração seguinte que Deus existe e que é real? A verdade é que ninguém precisa de milagres para aperceber-se da realidade de Deus. A presença de Deus fala e falará por si. Por isso, existindo as condições para que Deus se faça presente, qualquer pessoa saberá por experiência própria que Deus é realmente Deus. "E habitarei no meio dos filhos de Israel e lhes serei o seu Deus. E saberão que eu sou o Senhor seu Deus", Êx.29:45-46.

  487. Deus disse a Moisés: "De todo o homem cujo coração se mover voluntariamente, dele tomareis a minha oferta alçada", Ex.25:2. Não podemos acreditar que as maneiras modernas de extorquir dinheiro e outros bens das pessoas sejam consideradas ofertas e muito menos ofertas voluntárias. Na verdade, são coisas egoístas movidas por interesses de bênção e de retorno da parte de Deus. As pessoas oferecem a enganadores e aceitam serem enganadas pensando que irão receber de volta, tornando-se eles próprios enganadores para com Deus. Isso é o oposto do voluntarismo. E os pregadores ladrões não somente roubam o dinheiro do povo, mas, assaltam todo o bom senso de quem lhes dá do que é seu, usando o evangelho como a arma de assalto.

  488. Uma boa regra ou lei nem sempre é a melhor opção para uma norma de vida ou mesmo para usar como motivo de exortação. A sabedoria ensina-nos que devemos usar aquilo que tem retorno e que frutifica para glória de Jesus. Somente quando não existe melhor sabedoria como alternativa para a regra é que devemos considerar seriamente fazer uso da mesma, ainda que seja somente para proteger o ponto de vista da verdade.

  489. A pior coisa que pode acontecer ao coração do homem é acreditar que Deus aprova algum mal que faz. Não existe terreno mais escorregadio que esse. "Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova", Rom.14:22.

  490. Que situação pior poderá existir que aquela onde Deus diz "nunca mais passarei por ele"? Amos 7:8.

  491. A pessoa não precisa entender antes de nascer de novo e, provavelmente, nem depois. Mas, ao nascer de novo, ela entende que qualquer coisa maravilhosa e verdadeira aconteceu nela. "Aquele que aceitou o seu testemunho, esse confirmou que Deus é verdadeiro", João 3:33.

  492. Existem muitas opiniões divergentes acerca do verdadeiro Jesus e muitas opiniões convergentes acerca do Jesus falso e ilusório. E quanto mais nos aproximamos do verdadeiro Jesus, tanto mais divergem as opiniões quando os corações permanecem desonestos ou pouco sinceros. Isso não significa que Jesus seja falso, mas, que os corações são falsos. E quanto mais nos afastamos d'Ele, tanto mais convergentes serão as opiniões acerca do Jesus falso.

  493. Jesus quer tudo em sua vida e quer ser tudo para si. Mas, ou Ele ou é tudo ou é nada. Por isso, sendo melhor ser frio que morno, seja todo d'Ele ou deixe-O em paz de todo.

  494. "...Porque se aproxima o príncipe deste mundo e nada tem em mim", João 14:30. Quando o diabo se aproxima de nós por alguma razão própria dele, a nossa maior defesa é não ter nada dele em nós. Só estando totalmente sujeitos a Jesus e totalmente limpos de coração, conseguiremos resistir de modo a que fuja de nós, se envergonhe e que não consiga os seus intentos, ainda que nos tente, perturbe ou faça mal. Como saberá o mundo que amamos o Pai verdadeiramente se o diabo, o pai do mundo, não vier comprová-lo por ele mesmo?

  495. Sincronia entre o tempo certo e a coisa certa é a melhor maneira de ajudar a nossa memória ou de ajudar a não esquecermos coisas importantes. Mas, isto só resulta com aqueles que não se fazem de esquecidos.

  496. Quando oramos, devemos ser inspirados pela fidelidade, poder e capacidade de Jesus dentro da Sua vontade e não sermos levados a orar pela presunção, preocupação ou outra coisa qualquer que nos leve a querer fazer Jesus Rei pela força, como que obrigando-O a fazer aquilo que Ele não quer fazer, ou como que obrigando-O a fazer o que Ele não quer fazer daquela maneira.

  497. "Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás (para as coisas passadas) e já não andavam com ele", João 6:66. Para qual coisa você tem tendência para voltar? Para um sinal? Para alguma coisa antiga que Deus já fez, mas, no entanto, já passou? Seja para isso ou discretamente para o mundo, voltando atrás deixa de andar com Jesus.

  498. Jesus não pode ser feito rei pela força, João 6:15. Ele simplesmente se ocultará e se refugiará. As pessoas que querem forçar Jesus a ser seu Rei, normalmente, recusam aquelas condições que podem tornar Jesus nosso Rei, tal como a limpeza de coração e a submissão incondicional. Tentar fazê-Lo Rei à força equivale a saltar o muro para entrar na porta do aprisco das ovelhas. Fazer barulho para que Deus opere, 'obrigando-o' a fazer as coisas que o povo exige, etc, pode ser catalogado como uma certa forma de querer torná-Lo Rei pela força. Já pensou em coisas mais simples como limpar toda a sua vida diante de Deus e ganhar um coração eternamente obediente? Ele aproxima-se sem ser obrigado a tornar-se Rei de toda a sua vida. " Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Limpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações", Tiago 4:8.

  499. Muitos dizem que se Deus lhes falasse pessoalmente acreditariam na Sua existência. Mas, a Bíblia afirma que, quando alguém é incapaz de crer na Palavra escrita, também não crerá ouvindo uma voz do céu ou mesmo vendo um morto ressuscitar, (João 5:47; Luc.16:29-31). Não houve já uma vez que Deus falou e as pessoas diziam que era um trovão? (João 12:29). O incrédulo arranjará sempre uma explicação incrédula para explicar ou contrariar quando Deus fala. Então, dizer que alguém crerá quando deus falar, é utopia.

  500. Ninguém é verdadeiramente capaz de deter um avivamento real a não ser que os vasos usados sujem esse avivamento ou se sujem a eles próprios. Só os de dentro são capazes de parar um avivamento em sua força.

  501. A Bíblia fala em "andar na luz" em vez de falar em "entrar na luz" porque a luz já está no mundo. "Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens", João 1:9,4.

  502. Todas as preocupações são e serão sempre espinhos dolorosos - muito dolorosos - quer a pessoa sinta a dor ou não.

  503. Aquele que não sabe qual a vontade de Deus para a sua vida só pode ter um erro: quer que Deus faça a sua própria. De outro modo, saberia o que Deus quer para a sua vida.

  504. A doutrina dos pregadores avarentos protege-os, mas, a verdade não os protege. Eles pregam a prosperidade e sacam o dinheiro das ofertas para viverem do luxo e na luxúria. De certa forma, eles vivem aquilo que pregam. Sentem-se seguros porque suas doutrinas funcionam e conseguem demonstrar resultados porque é fácil convencer avarentos a darem para receberem de volta. Para eles, pregar é um investimento e vivem como se Jesus fosse cego ou ignorante. E todos aqueles que se juntam à sua volta para ofertar não se sentem roubados por serem igualmente avarentos. As espécies juntam-se de uma maneira ou de outra. Ao demonstrarem sinais de riqueza e de luxo, são protegidos pelas doutrinas que pregam e condenados pela verdade.

  505. Antigamente, Paulo dizia assim a respeito do diabo: "Porque não ignoramos os seus esquemas", 2 Cor.2:11. Mas, hoje, as pessoas (caso fossem honestas), deveriam dizer: "Nós ignoramos todos os seus esquemas".

  506. Se você pensa que o diabo não tem nenhum plano ou estratégia para destruir toda a sua vida, você está iludido. Tal como Deus tem planos e opera obras para salvá-lo, o diabo faz planos para que você peque e sinta vontade de afastar-se cada vez mais de Deus. Aprenda com a realidade das coisas e não feche os olhos para o anjo da luz, ignorando as suas estratégias.

  507. A sabedoria que vem de Deus é maleável quando aprende e muito segura e firme quando ensina. São características próprias dessa sabedoria e algo que não é auto-imposto.

  508. Devemos saber que é muito difícil conter um avivamento real e sério. Na verdade, o diabo tenta de tudo por todos os meios para detê-lo. Uma das coisas que faz é, seguramente, 'avivamentos' paralelos que possam desacreditar as obras de Deus perante as pessoas de fora associando esses movimentos paralelos ao real. Já que não consegue fazer mais nada, cria 'avivamentos' paralelos e falsos para distrair quem está pouco atento ou quem está pouco interessado em mudar.

  509. Existem muitas maneiras de se acrescentar à palavra de Deus. Se alguém estiver ansioso, desejoso, ciumento, bem ou mal disposto, pode interpretar algumas palavras de Deus conforme quer ou de acordo com o seu estado de espírito. Seu próprio desejo o trai para afirmar que Deus disse aquilo que não disse. E, para além desses tipos de pecado, poderíamos estar a falar de qualquer outro tipo de sentimento.

  510. Temos aquela ideia errada que usar o nome de Deus em vão é falar usando o Seu nome por tudo e por nada. Isso também é usar o nome de Deus em vão. Mas, podemos usar o nome de Deus em vão de muitas outras maneiras - algumas delas sem sequer falar. "...Não venha a furtar e tome o nome de Deus em vão", Prov.30:9. Aqui, este homem afirma que poderia usar o nome de Deus em vão, furtando. Como? Sendo filho de Deus, obviamente que confiava no Senhor para seu sustento e furtando teria sido em vão a sua confiança, pois, acabou furtando. Em que áreas de sua vida você usa o nome de Deus em vão?

  511. Não se deve tentar evitar o confronto entre a impiedade e a santidade. Não há nada a fazer. É lei na natureza que a impiedade não se dê bem com a pureza e vice-versa. "O ímpio é abominação para os justos; e o que é recto no seu caminho é abominação para o ímpio", Prov.29:27. Os rectos, ao tentarem evitar o confronto devido à sabedoria que possuem, esquecem que a impiedade não abandonará o seu pecado ou desejo da maneira que o sábio esconde ou nega a sua sabedoria. É essa a razão principal do crescimento contínuo e continuado de todo tipo de impiedades.

  512. Os medos fazem as pessoas imaginarem coisas, tal como a avareza coloca sonhos na cabeça dos sonhadores. Qualquer medroso vê perigos onde não existem e perde a sua cabeça onde eles, realmente, existem. A sua própria cabeça e imaginação são os seus principais inimigos. O medroso fabrica os seus próprios leões. "O receio do homem arma-lhe laços", Prov.29:25.

  513. "A criança entregue a si mesma envergonha a sua mãe", Prov.29:15. Nem seria necessário comentar esta verdade. Mas, quantos pais e mães dizem que devem deixar os seus filhos decidirem por eles, fazerem  o que querem, aprenderem o que querem ou quando desejam, estudar ou comer quando querem? A criança tem experiência de vida suficiente para tomar decisões de conduta ou decisões para o futuro? Você é um daqueles pais que abandona à sua sorte os filhos que Deus lhes confiou, deixando-as por conta própria e à deriva como um barco num mar tempestuoso?

  514. É preciso haver um mentiroso para haver quem acredite em uma mentira, um iludido para crer em alguma ilusão e um verdadeiro de coração para detectar a verdade na boca de alguém. As coisas ou as pessoas do mesmo tipo encontram-se sempre e estarão de acordo, pois, existe sempre cumplicidade entre eles.

  515. Nunca devemos dar nada acima da indiferença a qualquer tolo. Até conversar com ele será tolice. "O homem sábio que pleiteia com o tolo, quer se zangue, quer se ria, não terá descanso", Prov.29:9.

  516. Quando um homem mau faz alguma coisa certa, ele ainda é pior que um justo que tropeça sem querer. E sabemos como os erros dos justos são coisas graves! Imagine-se a seriedade de delito que é a pessoa má passar por boa! "O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração é abominável", Prov.28:9.

  517. "O homem que lisonjeia o seu próximo arma uma rede aos seus passos", Prov.29:5. Quantas pessoas têm noção disto? Quantos tomam os elogios por simpatia? Quantos se apercebem que lisonjeadores são assassinos de almas?

  518. "O que confia no seu próprio coração é insensato, mas, o que anda em sabedoria, será salvo", Prov.28:26. Isto significa que quem anda confiando em seu coração não é sábio e nem é capaz de andar sabiamente enquanto confiar em seu coração. Então, para podermos conciliar o nosso coração com a sabedoria e o conhecimento, deve haver uma transformação de muitas coisas em nós que, à partida, não têm uma ligação directa com a sabedoria. Uma das causas de haver tantos incrédulos e desconfiados é essa confiança que o homem tem em seu próprio coração.

  519. A avareza existe no coração da pessoa. Ela vem de lá. Mas, isso não significa que só o rico seja avarento ou que o pobre esteja livre da avareza. Avareza é desejar cada vez mais sem motivos aparentes. Como exemplo, temos um rei rico que oprime para tornar-se ainda mais poderoso e rico. Contudo, quem deseja tal riqueza de tal rico e sonha com ela, ainda que seja muito pobre, é tão avarento quanto ele.

  520. Dizem que a promessa faz a dívida. E isso é verdade até certo ponto. Mas, qualquer promessa depende muito do seu conteúdo. Não poderei cumprir a coisa errada, ainda que tenha prometido. Aquilo que substancia a nossa palavra conta mais que o cumprimento da própria palavra. Não devemos cumprir apenas porque demos nossa palavra se não sabemos escolher onde e como dar nossa palavra. Não diz a Bíblia para sairmos fora das armadilhas da nossas palavras? (Prov.6:1-5) Cumprir votos tolos, cumprir ameaças ou demonstrar zelo a favor delas é tão grave quanto cumprir uma promessa feita ao diabo.

  521. Ninguém que seja sábio a seus próprios olhos é realmente sábio. Não tem como sê-lo, pois, isso não é possível. A sabedoria que vem de Deus só a consegue receber quem não tem mais a capacidade ou a vontade de se auto-glorificar ou de se gloriar daquilo que não lhe pertence.

  522. ouviu dizer que o feitiço se vira sempre contra o feiticeiro? Em todo caso, cada feiticeiro acabará comendo do seu próprio veneno. Mas, existe uma cilada maior para qualquer instigador do mal: quando tenta fazer mal ou desviar os rectos de seus caminhos, cai ele próprio. Só existe uma maneira de um recto cair no mal: desejando esse mal. Nenhum feiticeiro conseguirá fazer qualquer justo cair no mal. "O que faz com que os rectos errem por mau caminho, ele mesmo cairá na sua cova", Prov.28:10.

  523. "Os homens maus não entendem o juízo, mas, os que buscam ao Senhor entendem tudo", Prov.28:5. Quer entendimento? Busque e ache o Senhor. Todo entendimento necessário será um acréscimo sempre que o alvo ou o objectivo é o Senhor.

  524. Não existe meio-termo: "Os que deixam a lei louvam o ímpio; porém os que guardam a lei contendem com eles", Prov-28:4. Será que você tem plena noção disto? Se você deixar a Lei de Deus, acabará aprovando, defendendo, acreditando, confiando e até louvando o ímpio e muitas das suas impiedades. Não terá outra sorte. Por outro lado, guardando a Lei de Deus irá sempre existir confronto entre si e o ímpio, seja da parte dele ou da sua.

  525. Abençoar um preguiçoso enquanto dorme, conversar com um irado que não quer ver a razão, lavar alguém com água fria quando está com frio, cantar a alegria diante de quem está triste e fazer outras coisas desse género é desperdiçar o nosso tempo. "O que, de madrugada, abençoa o seu amigo em alta voz, lho será imputado por maldição", Prov.27:14.

  526. Se alguém achar vida e conseguir vivê-la integralmente, sua vida será uma resposta àquele mal que afirma que ninguém consegue viver da maneira certa ou que Jesus não existe. Deus responde aos maus através das nossas vidas. "Sê sábio, filho meu e alegra o meu coração, para que tenha alguma coisa que responder àquele que me desprezar", Prov.27:11. Você vive com Jesus?

  527. "O furor é cruel e a ira impetuosa, mas, quem poderá enfrentar a inveja?" Prov.27:4. A inveja não tem rosto - só tem sentir. Logo, raramente tem ponta por onde se lhe pegue. Sendo assim, não poderá ser enfrentada e nem confrontada porque não dá a cara, pois, não tem rosto.

  528. Por norma, quando as coisas são feitas porque a consciência pressiona, tudo aquilo que deveria ser feito de imediato e de todo coração, acaba sendo feito de forma parcial ou defeituosa. Ainda que a tarefa seja bem completada e levada até ao fim, não havendo sido feita de imediato, revela que a pessoa ainda precisa ser aperfeiçoada. Tem essa necessidade. As obras são feitas para as pessoas e não as pessoas para as obras. Então, a falta de perfeição mostra que as obras se repetirão até que a pessoa seja aperfeiçoada.

  529. "A maldição sem causa não virá", Prov.26:2. Quantas pessoas culpam Deus daquilo que deveriam culpar todos os pecadores? Deus teve culpa que Adão comesse do fruto da desobediência? Tem culpa que as moças jovens na igreja engravidem devido à promiscuidade? Tem culpa de que as criaturas que criou vivam longe d'Ele, desprezando-O e ignorando-O?

  530. "Como a cidade derrubada, sem muro, assim é o homem que não pode conter o seu espírito", Prov.25:28. Muitos olham para este versículo e logo o associam à ira e à impaciência. Não é errado associá-lo a tais pecados. O mal é associarem-no somente a tais pecados. Quando você não controla os olhos para desejar tudo que não precisa ou não lhe pertence; quando se entrega a uma tentação, seja de preguiça ou outra coisa qualquer; quando se entrega à tristeza por razões vazias e egoístas; quando se deixa enganar por pensamentos ruins; tudo isso pode e deve ser visto como uma forma de não conter o espírito e de permitir descontrolar-se escorregando na mentira e no engano. Pecado é engano.

  531. Sabemos que existe a obra para que algo se torne fácil para quem puder beneficiar dela. O agricultor trabalha muito no campo para que, quem não trabalha no campo, possa obter o pão de forma fácil; o evangelho tem seus pioneiros para que a verdade esteja disponível e se torne acessível. Contudo, muitos daqueles que sofrem desejam que os outros sofram também (como eles) e ainda pregam que esse é o caminho apenas porque passaram por ele. Não nos deixemos enganar por sentimentos mesquinhos e por enganos fáceis. "Um é o que semeia e outro o que ceifa", João 4:35.

  532. Muitos aproveitam-se do evangelho para brilhar e depois ainda cantam: "Brilha Jesus". Falsidade! "A busca da própria glória não é glória", Prov.25:27.

  533. "Como fonte turvada e manancial poluído, assim é o justo que cede diante do ímpio", Prov.25:26. Existem muitas maneiras de ceder diante de um ímpio. Podemos, por exemplo, envergonharmo-nos da verdade e da sinceridade e logo aí o ímpio conseguiu aquilo para que existe; podemos ficar impacientes como se o ímpio fosse forte em alguma coisa; podemos perder a calma como se Deus estivesse contra nós e a favor do ímpio; etc. Na verdade, existe uma infinidade de maneiras de cedermos perante a impiedade. "Não vos deixeis enganar!"

  534. "A face irada afugenta a língua fingida", Prov.25:23. Essa é uma das razões porque a ira de Deus é útil, pois, somente a verdade no íntimo Deus não rejeitará.

  535. Não é a quietude um fruto do Espírito? Por que razão o barulho e a desordem seriam um culto a Deus onde o Espírito está presente?

  536. O melhor que você pode fazer por alguém, para além de compartilhar aquilo que tem com quem precisa, é compartilhar-se a si próprio. Dê de si próprio acima de dar do que possui.

  537. Quem gasta naquilo que não precisa, certamente venderá o que tem. Só assim obterá fundos para gastar no que não deve. E muitos vendem Cristo sem se darem conta.

  538. Não podemos esperar receber de Deus ou da abundância do Espírito mais do que aquilo que damos de nós mesmos e de nosso coração a Jesus.

  539. "Dá-me, filho meu, o teu coração e os teus olhos observem os meus caminhos", Prov.23:26. Quando a Bíblia pede que demos o nosso coração a Jesus, não significa aquilo que os tolos fazem quando vão diante do altar mentir para Jesus ou enganarem-se a eles próprios. Na verdade, dar o coração a Ele significa muito mais que isso: significa entregar nosso coração aos Seus caminhos, às Suas influências e afluências da graça e isso de uma forma contínua.

  540. "O que vê com bons olhos será abençoado", Prov.22:9. É verdade que muita coisa depende de como olhamos para as coisas. Eu não sou defensor do pensamento positivo porque considero tal coisa como um substituto barato da fé. É uma aberração a forma como essa teoria do pensamento positivo é colocada, pois, implica que as coisas são negativas sendo Deus responsável por elas. Mas, sou defensor de olharmos para as coisas e vermos o que existe de bom nelas, pois, Deus fez tudo bem. O que vê com bons olhos será abençoado porque não mente.

  541. Os adultos queimam seus dedos, destroem suas vidas uma e outra vez cometendo o mesmo erro ainda depois de avisados e ajudados. Contudo, são eles que batem e repreendem as crianças que cometem erros infantis devido à falta de experiência de vida e devido à ignorância.

  542. A verdade dos factos é esta: o único cantor de louvores que me importa sou eu mesmo. Eu devo cantar ao meu Salvador. Não devo admirar ninguém quando canto além de Jesus.

  543. Quando alguém me sequestra ou faz mal, devo esperar do Senhor o livramento e a salvação, mas, nunca que venha vingar o mal. O que se deve esperar é o livramento. "Não digas: Vingar-me-ei do mal; espera pelo Senhor e ele te livrará", Prov.20:22.

  544. Sabedoria é a experiência de vida que se consegue explicar e explanar e não o estudo. Sabedoria que não seja experiência pessoal é falsidade e hipocrisia.

  545. Existem, neste mundo, coisas que serão sempre opostas. Por exemplo, a sabedoria e o pecado, o conhecimento da verdade e a impiedade serão coisas impossíveis de serem achadas em um mesmo coração ao mesmo tempo.

  546. Muitos fazem birra, amuam, ficam zangados com outros e fazem questão de mostrá-lo pensando que, com isso, arranjam uma forma de se vingarem sobre alguém por causa de alguma coisa que pensam que o resto do mundo lhes deve. Contudo, a verdade única é esta: só fazem mal a eles próprios, pois, a birra e o amuo só ferem quem os tem e quem os pratica. "Quanto ao ímpio, as suas iniquidades o prenderão e com as cordas do seu (próprio) pecado será detido", Prov.5:22.

  547. Quando ainda estamos aprendendo, se a nossa fase ainda é a da aprendizagem, é mais importante fazer bem do que fazer tudo, pois, se tentarmos fazer tudo, faremos tudo mal! A aprendizagem ensina a fazer bem - é essa a sua finalidade. "Seja feito na terra da maneira que é feito no céu".

  548. "...Para que não ponderes os caminhos da vida", Prov.5:5,6. Uma das armas do pecado é e será sempre a pessoa não querer ou não desejar mais ponderar os caminhos da vida de forma natural e simples. Irá estar ocupada demais com o mundo, ou com questões, ou com problemas e amarguras e haverá sempre alguma coisa capaz de impedir alguém de ponderar os caminhos da vida, pensando e meditando neles calma e solenemente. Tenha cuidado e faça questão de ponderar, pensar e comer da Palavra noite e dia, evitando qualquer coisa que tenha como consequência algum tipo de desinteresse pela meditação nas palavras da vida ou em qualquer um dos seus caminhos. Também devemos ter cuidado especial para nunca enveredarmos por caminhos que nos levam a ficar amargurados contra os caminhos de Deus, de Seus servos ou contra a ponderação dos seus exemplos.

  549. "...O meu juízo é justo, porque não busco a minha vontade", João 5:30. Sempre que as nossas próprias vontades e quereres influenciem as nossas vidas, qualquer juízo que façamos será sempre injusto, cruel ou egoísta ainda que esse juízo seja um elogio. Os elogios também são juízos que fazemos. Mas, se buscamos a vontade de Deus e Seu parecer com simplicidade, ainda que expressemos uma repreensão forte e severa, nunca estaremos sendo cruéis, egoístas ou injustos. A crueldade é a quem vem do coração e pode manifestar-se em palavras mansas com motivos pessoais por trás.

  550. "Os teus olhos olhem para a frente e as tuas pálpebras olhem directo diante de ti", Prov.4:25. Ou as pessoas são falsas quando dão voltas e mais voltas, ou tornam-se falsas quando as dão evitando serem directos, cumpridores, simples e mansos com toda naturalidade. Ou, por vezes, as coisas são 'boas' ou 'más' para nós dependendo de quem as recebemos, isto é: se vem de alguém de quem gostamos, dizemos que é boa ainda que seja ruim; e caso venha de uma pessoa desagradável, dizemos que não presta ainda que seja algo bom. Você é sincero ou julga consoante as pessoas e as circunstâncias à volta dos seus interesses pessoais? Você altera a verdade dependendo de quem vai ouvi-la ou dependendo do seu estado de coração? Altera sua forma de ouvir, dependendo de quem vai falar?

  551. "O caminho dos ímpios é como a escuridão; nem sabem em que tropeçam", Prov.4:19. Tal e qual os ímpios não conseguem ver em que tropeçam, muitas vezes, os puros 'esquecem' ou ignoram aquilo que os mantém em pé por se haverem habituado a uma vida nos caminhos de Deus. Você tem realmente noção que se mantém em pé por Jesus e somente por Ele? Ou já se habituou demais a andar em pé, tanto que perdeu a noção de que é segurado e assegurado por Deus? Quem se esquece de tal coisa começou, novamente, a depender duma justiça própria que precisa ser eliminada de imediato. Os caminhos alternativos são mais perigosos que os caminhos contrários.

  552. Não ter saída é uma bênção sempre que estamos sob aquela pressão de desistirmos da provação por via de um caminho alternativo, preferindo-o acima da nossa entrega ao caminho que Deus nos confiou. Imagine que você tem a oportunidade ou o poder de sair por um qualquer caminho alternativo e conseguir crer que, ainda assim, se encontra na vontade de Deus! Que maldição! Imagine que você podia alterar o rumo dos acontecimentos tal e qual Davi podia ter feito matando Saúl! Você mataria Saúl ou continuaria esperando em Deus sabendo que você havia sido feito rei por Deus e que Saúl se havia tornado inimigo de Deus e do trono que o próprio Deus lhe deu com promessa e mandamento?

  553. Existem sinais de trânsito nas estradas, como na vida existem as Palavras de Deus. Por vezes, as pessoas admiram as palavras, falam da sua beleza, da maneira como expressam bem certas coisas que soam bem ao ouvido. Os versículos são bonitos, as ideias verdadeiras e seu uso apropriado. Contudo, se vamos admirar os sinais de trânsito pelas suas cores, forma e beleza ou se discutimos sobre se ficam bem onde estão, se decoram o lugar, será que não estaremos torcendo a sua essência? Os sinais foram feitos para serem admirados e apreciados? Eles são colocados onde é necessário.

  554. Quando Deus faz uma promessa é porque as condições que susterão essa promessa e pelas quais se manterá firme quando cumprida ainda não estão criadas ou não existem. Por essa razão Deus só promete - ainda. Por isso, quando existem promessas, devemos trabalhar para a criação de tudo aquilo que sustentará o que Deus promete. Por exemplo: se Deus nos promete um filho, devemos trabalhar para um casamento saudável onde Deus é glorificado e onde o filho possa obter um exemplo de temor e de vida prática; se Deus nos promete uma fonte de rendimento, devemos trabalhar para nos tornarmos isentos de avareza e preocupações sonhadoras ainda enquanto é promessa. Poderíamos mencionar ainda mais coisas.

  555. Nunca subestimem a palavra de qualquer pessoa que haja passado por provações e as tenha vencido. Suas palavras fazem sentido para o céu. A carne já não se expressa através delas e já não se revê nelas, o pecado não se revê no que diz, os motivos foram moldados e a aprovação de Deus pode ir de grande a ilimitada, dependendo do que faltar concluir no coração e se a dependência d'Ele é total.

  556. Todos os espinhos precisam sair da sementeira. Nenhum deles pode deixar semente sequer. Realmente, é possível que seja exterminado tudo quanto tem capacidade de crescer paralelamente com a Palavra no coração do homem para sufocá-la. Certamente que nenhum espinho terá como permanecer se formos mais próximos de Jesus do que de nós próprios.

  557. Legalismo é prova de afastamento de Deus e é a recusa em fazer as coisas da Sua maneira. Sempre que qualquer caminho alternativo é preferido, certamente existe algo que recusamos arranjar da maneira de Deus. E é aí que começam as vidas legalistas, pois, pendem para a falta de poder devido ao afastamento de Jesus. Legalismo é a tentativa de fazer as coisas próprias na própria força.

  558. Deus prometeu que a descendência de Abraão seria como o pó da terra. Você está 'ajudando' Deus a cumprir essa promessa? Está a converter gente e a torná-los santos? Está contribuindo para isso de todo coração?

  559. O desgaste é uma provação maior e mais eficaz que qualquer outro perigo ou carência. Abraão esperou vinte e cinco anos pelo seu desejado e prometido filho; Moisés esperou quarenta anos para salvar o povo; Davi e José esperaram treze anos para verem cumprido tudo que Deus lhes havia prometido; etc. E você, vai manter-se firme e inabalável sempre, sabendo que quem prometeu cumpre?

  560. "Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem", Gen.12:3. Deus amaldiçoaria os que amaldiçoassem Abraão porque, se o fizessem, estariam amaldiçoando uma bênção.

  561. Existe diferença entre ser ocasionalmente fiel e ser ocasionalmente infiel. Um tem o coração torto e tenta viver direito, enquanto o outro tem um coração certo e tenta viver da maneira errada, tentando Deus e vendo se dá certo ou se escapa ileso. Um é uma pessoa instável tentando demonstrar estabilidade enquanto o outro é pessoa estável tentando viver de forma incoerente e instável.

  562. A força da má-língua vem da sua aliada fiel: a curiosidade. E, por vezes, as pessoas falam dos outros para tentarem saber mais da vida alheia quanto querem saber para falar delas pelas costas. "...Maldizentes e curiosas...", 1 Tim.5:13.

  563. Quando Deus opera através de sinais, sejam eles pequenos ou grandes, devemos saber que existe algo de errado com a doutrina de que Deus só faz certas coisas somente quando estamos limpos. Caso isso fosse verdade, não seria sinal e antes recompensa. E existem tanto sinais quanto recompensas da fidelidade. O sinal deve incitar-nos a sermos fieis e não é a fidelidade que deve incitar-nos a buscar sinais. Tão-pouco devemos aprender a pensar que o fim da responsabilidade é assim que acontece o sinal e que, quando Deus faz alguma coisa, é porque estamos limpos e somos o máximo a Seus olhos. Só muito raramente as pessoas não trocam os bois com a carroça nas questões de Deus. Tente viver da maneira certa e seja você um dos que não colocam as carroças a puxarem pelos bois. Seja fiel e torne-se um exemplo para os fiéis, 1 Tim.4:12.

  564. Jesus prometeu atender todas as petições feitas em Seu nome. Se alguma oração não é atendida prontamente, ou existe algo de errado com a oração ou, então, com a pessoa que ora.

  565. "...Tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia..." 1 Tim.3:4. Um modesto que mantém seus filhos em sujeição só pode significar alguém tornar-se mais humilde que um humilde, mais pequeno que o pequeno e sujeito a quem é sujeito de natureza. Esses filhos serão muito bem-aventurados.

  566. Entregar o rumo das coisas aos sentimentos e deixar que os sentimentos determinem os caminhos a seguir será o mesmo que soltar um maço de notas ao vento e esperar que seja investimento.

  567. As pessoas ouvem melhor um seu igual e sentem a exortação de maneira mais profunda quando lhes é dirigida por um companheiro. Por isso, não deixe de ser franco com as pessoas e muito menos com os seus amigos.

  568. As coisas só começam a ser responsabilidade quando deixam de ser sonho.

  569. A melhor maneira de amar o meu próximo como a mim mesmo - tal e qual me amo e me sirvo - é eu tornar-me o meu próximo, colocar-me no lugar dele. Assim será mais fácil.

  570. A grande maioria das pessoas que se tornam crentes e que voltam para o mundo mais tarde, fazem-no apenas porque seu coração não mudou. "Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam connosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós", 1 João 2:19. Mudaram de ideias, de costumes, mas, não de coração. Para mudar o coração é preciso limpar-se e não esforçar-se. Viver a vida de um coração novo é que pede esforço e persistência. Mas, a transformação (a justificação) pede limpeza de consciência e que se confesse cada pecado pelo nome a quem de direito.

  571. Muitos imploram a Deus por muitas coisas que acabam alcançando e, depois, deixam de desejá-las precisamente por já as haverem alcançado. Deseje aquilo que alcança em vez de tentar alcançar aquilo que deseja, já que Deus prometeu ser Ele a dar aquilo que nosso coração deseja quando nos deleitamos n'Ele. Você deixou de desejar seu marido ou esposa depois de haver alcançado de Deus, o que muitos alcançam do diabo ou da carne? "Contentai-vos (alegrai-vos) com as coisas que tendes...", Heb.13:5. Deseje o que já tem.

  572. Dar dinheiro a quem tem os bolsos rotos seria o mesmo que Deus dar a alguém sem que essa pessoa tenha uma vida detalhadamente ordenada, gerida e reinada por Jesus.

  573. Vivemos na era do "desconhecimento" onde as pessoas acham que sabem porque interpretam tudo do jeito que lhes convém, torcendo as palavras de Jesus e achando-se sábios a seus próprios olhos. E quem se acha sábio não procura aprender e procura ensinar e discutir, pois, pensa que já sabe. E, com este tipo de coração, quem não se acha sábio teme porque vê ao abismo que se abre ao confiar em si próprio. "Confia no Senhor (...) e não sejas sábio a teus próprios olhos". São duas coisas difíceis de fazer para quem ainda confia na carne: confiar no Senhor de todo coração e não ser sábio aos próprios olhos. É um drama para quem é sincero de coração e, ainda assim, consegue viver da carne.

  574. Todo aquele que se gloria também nutre a ideia de que o que é bom e certo dura pouco, ou que a bondade é algo invulgar. Não fosse isso, dificilmente se gloriaria. Os que se gloriam e se congratulam não têm a noção de que as coisas de Jesus duram para sempre. "Por que te glorias na malícia, ó homem poderoso? Pois a bondade de Deus permanece continuamente", Sal.52:1.

  575. A verdade nunca fica desamparada. Fale da maneira mais curta, mais objectiva e mais certa possível sem receios. Depois, confie em Deus que revela aos corações aquilo que alguém ouviu. Nenhuma verdade voltará vazia ainda que provoque a ira, a ironia, a indignação ou a dureza de quem ouve.

  576. "No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena e o que teme não é perfeito em amor", 1João 4:18. Muitos, quando temem e se apercebem (devido a este versículo) que não são perfeitos, tentam eliminar o temor em vez de se consagrarem ao amor, o qual se encarregará de eliminar o temor. Não temer quando você não ama seria o mesmo que entrar no redil das ovelhas saltando o muro. Quem não teme quando não ama, não é pessoa sincera e honesta, pois, tem muitas razões para temer.

  577. A fé não gera o acontecimento. O momento certo, a coisa certa na hora exacta é que gera a fé. Sem essa fé o que estaria para acontecer não acontece. Fora do momento certo não existe fé - existe teimosia.

  578. Se o nosso coração anda na luz naturalmente, se é dos que andam na luz, se somos transparentes, não escolhemos ocasião e nem as pessoas perante quem andar na luz. Andar na luz é uma vida, é uma forma real de estarmos vivendo e não é uma opção para certas ocasiões. 

  579. "Persuadiste-me, ó Senhor e persuadido fiquei", Jer.20:7. Jeremias era facilmente persuadido por Deus. Mas, existem pessoas a quem Deus "persuade" e, no entanto, não ficam convencidos e nem persuadidos. Permanecem nas suas próprias coisas e insistem em seus próprios pensamentos e sentimentos. Não se deixam persuadir, ainda que Deus faça de tudo para desviá-los do mal. Então, começam a querer persuadir Deus a favor daquilo que desejam. Isso é o que se chama "tentar ao Senhor".

  580. "Tu és o meu louvor", Jer.17:14. Para muitos Jesus é um problema e não um louvor, principalmente quando não conseguem fazer aquilo que desejam.

  581. A Palavra de Deus não é uma ciência no verdadeiro sentido da palavra. É suposto ser ou tornar-se uma realidade e nunca uma ciência. Por essa razão é que a simplicidade do que Deus diz confunde muita gente. "A palavra da cruz é loucura para os que perecem", 1Cor.1:18.

  582. Os salteadores, por norma, procuram um lugar onde esconderem-se após os seus assaltos. Procuram cavernas nos montes ou outro lugar onde se refugiarem. Muitos crentes fazem de Deus a sua caverna, onde se vão refugiar para de lá entrarem e saírem para cometerem seus pecados. "Porventura furtareis, matareis, adulterareis e andareis após outros deuses que não conhecestes e, então, vireis e vos poreis diante de Mim e direis: Fomos libertados para fazermos todas estas abominações? É pois esta casa, que se chama pelo meu nome, uma caverna de salteadores aos vossos olhos?", Jer.7:9-10.

  583. "Negaram ao Senhor, dizendo: Não é ele", Jer.5:12. Não é preciso negar Deus descaradamente para o havermos negado. Bastará Deus fazer alguma coisa e não assumirmos que foi Ele quem a fez. Por outro lado, podemos negá-Lo, também, assumindo algo que não vem d'Ele como sendo d'Ele, dizendo que foi Ele quem fez o que não fez.

  584. Ao lermos sobre santificação, não nos restam dúvidas de que se trata de sermos santos. Lendo sobre justificação assumimos que é tornarmo-nos justos e não 'desculpados'. E, quando Deus fala de purificar, significa alguém tornar-se puro e inocente na sua maneira de agir e de ser. Seria muito duvidosa uma purificação onde alguém não se torna puro, ou uma justificação onde alguém não se torna justo.

  585. "Estes escolhem os seus próprios caminhos (...) também Eu escolherei as suas calamidades", Is.66:3,4. Este é o perigo de estarmos a seguir os nossos próprios caminhos - e ainda mais quando afirmamos que os nossos próprios caminhos são os de Deus!

  586. Amar como devemos é muito menos que amar conforme podemos. O dever está sempre abaixo da capacidade. Graça exige mais que lei. O dever, a moral, a disciplina respondem à consciência que temos (ou não temos). A capacidade envolve todo o nosso ser e o nosso ser vai muito além da consciência que temos. E se o nosso ser for cheio da Vida Eterna na abundância prometida, a nossa capacidade aumentará significativamente. "O amor de Deus foi derramado em nossos corações..." Esta relação entre dever e capacidade de amar pode ser sublinhada em todas as outras áreas da nossa vida, como por exemplo a relação entre a confiança e a fé, esperar e capacidade de esperança, esperar e expectativa no Senhor, etc. Aquilo que é nosso dever e obrigação é o mínimo dos mínimos das nossas capacidades quando estamos realmente libertos de nós próprios e de todos os nossos pecados, em Cristo Jesus, para cumprirmos a Sua Lei sem impedimentos.

  587. Quando Deus não mostra nada, quando não diz nem sim e nem não, o melhor é ficarmos quietos para não sairmos desapontados mais tarde, pensando que Deus havia mostrado quando, afinal, não mostrou nada. É precisamente durante essas ocasiões que o coração do homem aproveita para fazer suposições e assumir por ele que aquilo que está fazendo é a vontade de Deus. Na verdade, quer obrigar Deus a pronunciar-se sobre algo que não tem a Sua aprovação ou inspiração, isto é, sobre algo que não começou n'Ele. O coração faz isso porque é impaciente e sente-se pressionado pelas circunstâncias, sejam elas de pobreza, fome, da opinião de pessoas ou outra coisa qualquer que pressione de um certo modo ou em um certo sentido. Como Deus não disse nada e o homem incrédulo afirmou que queria fazer ou estava fazendo a vontade de Deus havendo-se aventurado nessa direção, o que faz acaba por não funcionar e os caminhos por onde entrou acabam por revelar-se becos sem saída. Logo de seguida, chegará a ressaca do desapontamento ou da confirmação que deveria (poderia) ter ficado quieto. Se Deus tarda em responder ou se não responde, fique quieto e deixe de lado tudo aquilo que você fica indicando a Ele, querendo obrigá-Lo a responder ou a pronunciar-se sobre o que não vem d'Ele. Deus não é surdo e nem mudo - você é que pode não ter a capacidade de não ouvir, através do Seu silêncio, o sinal da Sua desaprovação.

  588. Nem a ira de Deus durará para sempre, imagine se a dos homens durará!

  589. "Filhinhos, guardai-vos dos ídolos", 1João 5:21. O pior obstáculo de qualquer homem ou mulher são os seus ídolos, aqueles que mantém na sua cabeça. Todos esses ídolos, manias, teimosias e persistências servem o ídolo principal: o próprio. Não existe ídolo que não sirva o ego ou o próprio. E tudo aquilo que serve o próprio é uma forma de idolatria.

  590. A pessoa que entende a verdade não está necessariamente convertida, embora muitos convertidos entendam muito bem a verdade. Tal como existem muitos convertidos que não conseguem explicar o que lhes está acontecendo, também existem aqueles que sabem explicar muitas coisas por via do estudo e da leitura, mas, não experimentam a verdade de maneira pessoal ou constante.

  591. Para obedecer bem, eu preciso estar em condições de ouvir bem. Quem não ouve bem, também não obedecerá bem. Muitos falam da obediência de forma utópica e sem nexo, pois, não ensinam as pessoas a relacionarem-se com Jesus e a sintonizarem o seu ouvido antes da obediência ser possível. Ninguém pode ser obediente adivinhando. É necessário que, quem tem ouvidos, primeiro consiga ouvir e discernir.

  592. É muito difícil o homem deixar de ser religioso porque ele tem muito a perder. As pessoas aproximam-se de Deus com interesse, confiando que Deus tudo pode. É por essa razão que se aproximam d'Ele. Não se achegam a Ele pela pessoa que Ele é ou pode vir a ser para qualquer um de nós. Não são movidos por amor à pessoa de Jesus. Quando é o interesse próprio que nos leva a aproximar do Senhor, nasce a religiosidade, pois, Jesus só atende os interesses do Reino de Deus em nós. Mas, como as pessoas não deixam de implorar por aquilo que os levou a aproximarem-se de Deus e Ele não se manifesta e nem pode tornar-se real por esses motivos, a religiosidade tem o seu caminho aberto. E quando Deus é a única saída que resta, tudo piora porque ninguém quer abdicar dos interesses já consagrados no coração, os quais já são assumidos como direitos inegociáveis. Logo, se o homem deixasse de ser religioso, precisaria abdicar desses interesses que já considera direitos. Os interesses próprios são a principal causa da religiosidade, pois, não teremos Deus como real caso nos aproximemos d'Ele por causa daquilo que Ele pode dar. Ele não se manifestará por esses motivos, ainda que dê chuva a bons e a maus secretamente (pois, todos assumem facilmente que a chuva vem das nuvens e não de Deus). Contudo, permaneceremos implorando, orando e lendo a Bíblia. "Jesus respondeu-lhes: Na verdade, na verdade vos digo que Me buscais (...) porque comestes do pão e vos saciastes. Trabalhai, não pela comida que perece, mas, pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus, o selou", João 6:26-27. Jesus é essa comida. Busque a Ele para achar a Ele.

  593. "Perdoaste a iniquidade do teu povo; cobriste todos os seus pecados", Sal.85:2. Eu não conseguia entender muito bem tudo o que significa isto de "cobriste todos os pecados". Orei e logo surgiu a explicação que buscava. Os pecados ficam cobertos assim que a possibilidade de recaída se torne inviável ou impossível. O castigo que Deus impôs sobre Israel, tornou inviável uma volta do povo ao pecado. A conversão genuína presenteia quem se arrepende com uma cobertura total de qualquer uma de suas faltas anteriores, pecados e males. Toda a confissão deve abrir caminho para este tipo de conversão, também, porque senão nunca haverá cobertura de pecados confessando-os.

  594. A parte importante não é se terminamos por cima dos obstáculos, se terminamos sentados ou fisicamente esgotados. O importante é se o nosso coração está limpo, alegre, leve e simples no final de nossa corrida e se nosso primeiro amor aumentou e não decresceu. Terminarmos materialmente e fisicamente derrotados mantendo um coração que se alegra na presença do Senhor é mais importante que vencer todos os obstáculos e estar com um coração morto e cansado no final. Os piores obstáculos que o homem precisa vencer são os do próprio coração.

  595. A viúva de Sarepta disse a Elias, depois que este ressuscitou seu filho: "Nisto conheço agora que (...) a palavra do Senhor na tua boca é verdade", 1 Reis 17:24. Isto significa que a palavra de Deus é mentira em muitas bocas e corações. Outra verdade sobre esta viúva: ela não creu de imediato que Elias era, realmente, um homem de Deus, ainda que o azeite e a farinha se multiplicassem dia-a-dia mesmo à frente dos olhos dela. Mas, mesmo não crendo e estando em dúvida, ela obedeceu à palavra de Elias em sua humildade. Elias havia dito que fizesse um bolo para ele com o restinho da farinha que sobrava para o filho dela e lhe desse a ele primeiro. A obediência desta mulher resolveu a sua descrença, isto é, compensou a sua falta de fé. Esta obediência abriu caminho para que, mais tarde, ela chegasse à conclusão que a palavra de Elias era verdadeira e confiável. Ela viu que Elias não era como os outros profetas que existiam na altura.

  596. Muitos acham-se especiais - ou sentem-se especiais - quando Deus lhes fala ou diz alguma coisa, pois, um mortal não costuma ter essas revelações já que "a palavra de Deus é rara nestes dias". E todas as outras pessoas também acabam por achar especial todo aquele que obtém revelações genuínas, respostas concretas às suas orações, sabedoria de Deus ou outra coisa vinda do céu. Na verdade, isso não tem nada de especial. As pessoas do mundo é que vivem fora do contexto de Deus e de Sua maneira de operar. Essas coisas deveriam ser as coisas mais normais e mais naturais para qualquer homem ou mulher. Por que razão se afastaram tanto de Deus? "Espantai-vos disto, ó céus, e horrorizai-vos! Ficai verdadeiramente desolados, diz o Senhor. Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm águas", Jer.2:12-13. Eu creio que um servo de Deus só vive a sua vida normal, aquela que deveria viver sempre como criatura. Ele não é especial e nunca poderá ser considerado como tal. A verdade é: os que não experimentam tais coisas são anormais e os que as experimentam só são especiais para os tais.

  597. "E comereis em qualquer lugar, vós e as vossas famílias (...) pelo que não levareis sobre vós pecado", Núm.18:31,32. As ofertas a Deus deveriam, por lei, ser comidas no templo e em festa a Deus. Contudo, Deus abriu uma excepção para quem levava o seu Nome: podiam comer em qualquer lugar desde que não fossem portadores de pecado. O comer em nome de Deus falaria d'Ele e, por isso, a vida deveria estar em conformidade com Deus e com a Sua verdade. A nossa vida deve ser uma expressão da verdade sobre Deus, pois, somos criados conforme a imagem expressa d'Ele.

  598. Na Lei de Deus, o melhor é para Deus e o que sobrar pode ser para nós. No entanto, hoje dão-se as sobras a Deus - se não houver mais ninguém a quem dá-las.

  599. Só existe uma maneira de eu ficar desamparado: é Deus enfraquecer.

  600. "O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu", João 3:27. Quantas coisas você já recebeu que não vieram do céu, as quais pensava que podia receber? Quantas coisas você recebeu que Deus diz que não pode receber?

  601. O pecado é uma forma de encenação arrogante. É uma formiga fazendo-se passar por um gigante irresistível.

  602. alguma vez viu um crente supostamente honesto dizer sim num dia e no outro dizer não com a mesma convicção? Não consultou Deus e aconselhou-se com a carne. "...Não deliberar segundo a carne, para que não haja o sim e o não...", 2Cor.1:17. Torna-se óbvio que a indecisão ou as mudanças de atitudes, opiniões ou decisões devem-se muito ao facto de alguém não deliberar segundo o Espírito, isto é, não ser guiado por Jesus, consultando-O. "O coração do homem propõe o seu caminho; mas o Senhor lhe dirige os passos", Prov.16:9. Isto significa que Deus pode transtornar as decisões e as deliberações que o homem tomou sem consultá-Lo. O outro lado da verdade sobre quem não consulta Deus sobre sua vida é que irá mudar de opinião muitas vezes. Existem outras verdades sobre quem muda de decisões e atitudes de um momento para o outro. Sempre que alguém tem um coração instável, não se revê na firmeza de Jesus e muito menos no que Ele diz. Logo, esquece facilmente a palavra vinda de Deus. Irá, com certeza, mudar de posição, opinião ou atitude sobre muitas coisas muitas vezes. No dia seguinte esquece as palavras de Jesus e segue seu rumo com incertezas e com mentiras confortantes. Só os firmes nas palavras de Deus deixarão de ser incertos e inseguros. E existem os inseguros a nível de emoção e aqueles que se sentem firmes sendo seus caminhos inseguros e incertos.

  603. Exibicionismo significa engano próprio, o qual forja a aparência e cria a crença. Exibir ou ser exibicionista, seja sob que pretexto for, é o maior perigo para o verdadeiro cristianismo e para a verdade em Deus. Isso significa que toda a verdade que não seja clara só por si e que não se torne experiência real, intuitiva e inconsciente, tornar-se-á exibicionista. Só através do exibicionismo tal verdade falará, pois não terá outra forma de expressar-se e nem de se impor sobre os demais. Exibicionismo é imposição. Contudo, sabemos que a verdade fala bem mais alto sem qualquer forma de exibicionismo. Exibicionismo é um sinal que diz: "Eu não vivo isto que digo ou tento mostrar!"

  604. O interpretes da verdade raramente a vivem. Quem realmente vive a verdade não interpreta nada - explica, expressa e tenta colocar em palavras tudo aquilo que já se passa em sua própria alma e, quando lê as Escrituras, recebe as explicações que lhe faltavam sobre tudo que já se passa dentro do seu coração de forma real.

  605. Quem sabe pouco, nunca sabe o quão pouco sabe. Só quem sabe muito consegue avaliar a falta de conhecimento. Só os sábios sabem que têm poucos conhecimentos.

  606. Pensamento que não se transforme em comportamento tem mais de tentação que de pecado. E o que se faz comportamento tem mais de pecado que de tentação.

  607. Muitas tarefas atrasam a perfeição; muitos alarmes confundem a atenção; muitos sinais destroem a fé; muitos palpites anulam o conselho inspirado por Deus.

  608. Para alguém entender verdade inspirada, precisa estar tão inspirado pelo Espírito quanto está ou esteve aquele que expressou a palavra de Deus para recebê-la de Jesus e para expressá-la.

  609. Normalmente, correr para algum lado significa sair ou fugir de um lugar. As pessoas que se entregaram a Deus, ao quererem muito ir para certos lugares, na verdade, estão desejando sair da fornalha de Deus para escaparem da transformação que ela opera. A transformação é como um parto: custa muito.

  610. Por que razão Deus nos coloca perante situações impossíveis de resolver, de aceitar e de aperfeiçoar? Ora pois, para sabermos que temos graça para usar!

  611. É fácil perceber por que razão o diabo tenta e persegue tanta gente: "...desprezaram o bem; o inimigo persegui-los-á", Oseias 8:3.

  612. A preguiça é testada quando não se tem nada para fazer. É ali que se vê do que é feito o coração do homem. Quando as pessoas fazem por obrigação, levantam-se cedo por não terem escolha, isso não demonstra nada. Você acorda cedo quando não tem nada para fazer? Pega em sua Bíblia quando está ocioso? Regozija-se quando tem um tempo a mais para estar com Jesus? Você é sempre a mesma pessoa quando tem muito ou pouco para fazer?

  613. Já viu alguém nadar contra a corrente de um rio? "Ai que canseira!" É o que acontece sempre que um injusto tenta aparentar justiça, que um egoísta tenta amar e que um mentiroso tenta ser verdadeiro. Por essa razão é que os casamentos do mundo costumam dar errado, pois dizem amar quando se amam a eles próprios. Ninguém pratica a justiça sendo injusto. Ninguém ama sendo egoísta. Por essa razão é que a maioria das pessoas se sente esgotada nos caminhos de Deus e não consegue voar como as águias o fazem. A nossa concentração deve ser no Caminho e não mais no sermos justos. A justiça já não deve ser o nosso alvo e deve já haver-se tornado a nossa única maneira de ser e de viver quando já estivermos na altura de andar com Jesus.

  614. Os alvos: quando você precisa acertar em um alvo atirando um dardo um um tiro, mexe no alvo ou na arma? Posiciona o alvo ou o arco? Aponta a flecha ou vai mexer no alvo para ficar em linha com sua flecha? Se não faz isso com alvos normais, por que razão tenta fazê-lo com o evangelho que Deus já estabeleceu, com a verdade intocável e que não muda, com os objectivos de Deus, etc?

  615. Deus nunca nos pode motivar, a menos que nossos motivos sejam os Seus. Nunca nos pode ajudar, a menos que a ajuda seja em direcção a Ele.

  616. Para um torcido o mundo direito é torto, a justiça é injusta e pecar é prazer.

  617. quem apague as chamas do pecado para deixar o fogo aceso. Cuidam das aparências e 'protegem' o coração da salvação. Hipocrisia, hipocrisia! A pior das hipocrisias é aquela que alguém pratica para com ele próprio. "Eis que desejas que a verdade esteja no íntimo", Sal.51:6.

  618. Se o diabo fosse o principal responsável pelos meus pecados, não seria a minha carne a ser crucificada com Cristo.

  619. O elogio é um vazio para quem o recebe. A verdadeira honra é e será sempre silenciosa, tanto na sua atribuição quanto no receber. Você divulga quanto recebe de salário no fim do mês? Tal como o salário é o prémio de quem trabalha, a honra é o prémio de quem é fiel.

  620. Lemos como Zacarias, o pai de João Baptista, ficou mudo e repreendido durante um tempo por não haver crido nas palavras de um mero anjo, ainda que era Gabriel. Muitos querem ouvir Jesus, Alguém mais importante que o anjo Gabriel e até pedem para ouvir a voz d'Ele. Não sabem o que pedem. Imagine que é Jesus falando consigo e você não crê no que Ele diz!?

  621. Sempre que vemos alguém vivendo todos os seus momentos perto de Deus, expressando a Sua sabedoria com naturalidade e facilidade, dizemos: "Eu quero ser assim". Infelizmente, não é essa a atitude que Jesus esperava de nós enviando-nos um tal servo fiel. Deveríamos dar atenção aos detalhes do que tal pessoa diz, os quais esse servo expressa com carinho e dedicação. Não queira ser como essa pessoa e antes queira ouvir essa pessoa.

  622. Posso diferenciar entre pessoas, mas, nunca poderei distinguir umas acima das outras. Diferenciar pode ser amor, mas, distinguir assim significa sempre o desprezo de alguém.

  623. As pessoas que nos são mais próximas e íntimas são as que nos dão mais liberdade incondicional para entrarmos em suas vidas e são aquelas a quem damos maior liberdade de expressão e de espontaneidade para connosco. Contudo, ao invés de se praticar o respeito com elas, a maioria das pessoas aproveita essa liberdade para desrespeitar, falar grosso, falar do próximo e explorar todo o tipo de mal que sentem. "Não useis da liberdade para dar ocasião à carne, antes pelo amor servi-vos uns aos outros", Gal.5:13.

  624. É bom alcançarmos a profundidade destas palavras: "...Quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, santifique-se ainda", Apoc.22:11. Em Daniel, achamos algo semelhante também. Vemos, através de muitos exemplos na Bíblia que todos quantos são fiéis, puros e santos são colocados sob as provações seguintes, ao contrário dos que não vencem suas provas. Jó era puro aos olhos do próprio Senhor e foi submetido ao inesperado para purificar-se ainda mais. Ele venceu. (Tenhamos em mente que vencer não é resolver um problema e sim sairmos intactos dele, com o problema resolvido ou não. "Permanecei em Mim...". Jó não ficou intacto após ter-lhe sido resolvido o seu problema - ele permaneceu intacto todo o tempo. Ele só saiu do problema após haver orado pelos amigos). José também foi parar nos calabouços após haver-se mantido puro. Lemos, também, em Apoc.2:8-11, sobre a Igreja de Esmirna, à qual Jesus não tinha falha a apontar: "Não temas o que hás-de padecer. Eis que o Diabo está para lançar alguns de vós na prisão, para que sejais provados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até a morte...". Às outras Igrejas que haviam prevaricado de uma maneira ou de outra, vemos exortações ao arrependimento e a voltarem ao ponto de restauração, lá onde caíram, para começarem tudo de novo. Não vemos Jesus dizer-lhes que iriam ser provadas. As provações são privilégios para poucos. Aos fiéis é-lhes dado o aviso da próxima dificuldade, da próxima prova. Isso acontece para que os puros se tornem ainda mais puros. Você tem noção do que isto significa? Significa que, os que passam mal devido às suas quedas em pecado pensam que sofrem pela justiça e que assim continuarão (pois, não acharão paz enquanto não voltarem ao ponto onde caíram para confessarem, anulando e expondo o pecado que iniciou o seu atrito interior); os que estão limpos e vivem da paz e da vida plena de Jesus, são tentados com a ideia de que não passarão por mais tribulações por haverem sido fiéis, transparentes e competentes. Isto é, cada qual pode enganar-se de seu jeito.

  625. Os idealistas lutam por situações ideais. Acabam frustrados porque não existem situações ideais e, mesmo que se tornem ideais, deixarão de sê-lo porque Deus fez com que tudo funcione por ciclos. "O que é, já existiu; e o que há de ser, também já existiu; e Deus procura de novo o que já se passou", Ecl.3:15. As ceifas são sazonais, as chuvas também, tudo se renova, tudo recomeça. Até os que experimentam uma vida real em Cristo renovam-se a cada dia. Em contraste com os idealistas, todos os vencedores natos (em Cristo) conseguem aquilo que os idealistas chamam de proezas (por não desejarem envolver-se no que consideram indesejável). Isso acontece porque os vencedores natos não buscam contentamento. Eles buscam a transformação de tudo que pode entrar no céu e que possa ser transformado para o mundo vindouro. Os vencedores buscam trabalho em Cristo, feito através de Cristo, juntando com Ele para nunca espalharem nada. Sabem que seu contentamento chegará com a eternidade. O trabalho de Cristo neste mundo ainda é a transformação e a regeneração. E sabemos que não se regeneram situações ou pessoas ideais. Por isso, os vencedores buscam o que mudar tendo plena consciência do poder de Deus e plena confiança em sua aplicação prática. Consequentemente, não são idealistas - não precisam sê-lo. Os idealistas também não são vencedores porque querem herdar e não trabalhar. Logo, facilmente olham para trás por motivos óbvios: não existem situações ou pessoas ideais e não superam a ideia de que hoje possa ser um dia pior que o de ontem. Só existe uma maneira de existirem pessoas ideias: quando somos nós a tornarmo-nos os tais. As meninas buscam o par ideal para casarem quando deveriam pensar em tornarem-se o par ideal para alguém em Cristo; o empregado busca o patrão ideal e o patrão busca sempre o empregado ideal. Na verdade, está tudo trocado, pois, o patrão é que deveria torna-se ideal e o empregado é que, ao invés de buscar o patrão ideal, deveria esforçar-se para ter o coração ideal. Para os verdadeiros vencedores, cada situação má é um desafio de ânimo; para o idealista, é uma tortura. Não existem pessoas mais opostas que o idealista e o vencedor.

  626. A depressão é uma montanha de pecados que nunca foram limpos. O stress é a luta de consciência contra esses mesmos pecados ou é uma luta do dia a dia sob o peso enorme deles. O esgotamento pode, por isso, ser um final infeliz, ou uma razão para um bom início caso nos viremos para Cristo que tudo torna novo e inocente. Quer ser inocentado? Deseja sentir-se realmente limpo? Venha a Cristo e verá. Ali termina todo o stress, toda a depressão e toda a luta de consciência, a qual é a única responsável para a depressão, stress e esgotamento. Quando Cristo diz, "vinde a Mim vós oprimidos e cansados" fala aos doentes de consciência e aos que andam sob o peso do pecado na consciência.

  627. O desejo intenso é uma das condições para alcançarmos em oração o que Deus deseja para nós. Contudo, devemos levar em conta que o desejo também nos pode levar a criar aparências. Por exemplo: uma pessoa que deseja ser santa de todo coração pode optar pela aparência e não pela transformação real desde dentro; alguém que queira ser rico pode querer passar por rico; quem quer expressar-se bem muda o tom de voz e os modos, ao invés de aperfeiçoar o vocabulário e a sabedoria em Deus através de uma entrega total a Ele; etc. Devemos saber que todo o tipo de aparência é uma forma de encobrir e mascarar defeitos. A aparência não é transparência e somente a transparência tem como eliminar eficazmente qualquer tipo de defeito, pecado ou mal. Andemos na luz, expondo tudo e optando por nunca encobrirmos nada com o intuito claro de mudarmos em Cristo.

  628. Todo comportamento que não seja espontâneo, natural, decidido e exclusivo, não passa de fingimento e hipocrisia.

  629. Por norma, não achamos fingidas aquelas pessoas que nos agradam ou agradariam. Contudo, o fingimento é visto à luz de Deus e não daquilo que nos possa agradar.

  630. Quando queremos andar em direcção à verdade e sentimos dificuldade ou não conseguimos (isso se não estivermos tentando andar na nossa verdade pensando que é a de Deus), é certo que os nossos passos estão embaraçados nas coisas do mundo, o que torna a nossa caminhada pela verdade muito difícil, senão impossível. Imagine que era ou é pescador e Jesus o chama para outro trabalho. Se tentar levar as redes consigo para ser útil naquilo que você considera alguma emergência futura, é óbvio que, além de ser carga incomoda e chata de levar (por muito leve que seja), os pés ficam embaraçados nos fios e nas cordas, tornando assim impossível a sua caminhada. Você tem dificuldade em confiar em certos momentos de sua vida e atira-se ao pescoço de quem tem essa confiança? Reclama? Quando quer amar o próximo como a si mesmo, sente dificuldade? Quando quer esperar (ter esperança e expectativa que não engana), fica impaciente? Quando quer falar a verdade, tem medo das reacções de alguém? Tem medos quando não podia dar-se ao luxo de sofrer deles? Fica incomodado na presença de alguém? Não está à vontade em Deus? Eu explico por que razão isso acontece: seus passos estão embaraçados nas coisas do mundo! Sendo assim, quando quer andar correctamente e estar apto em momentos cruciais de sua existência, faltam-lhe as forças e sobram-lhe os embaraços. Jesus disse que negaria quem o negasse e, quando você dá uma olhada ou uma piscadela para o mundo, é claro que está negando Jesus. Por isso, ao dar uma olhadela para a verdade e para a verdadeira vida será negado por Jesus, a menos que você abandone para sempre e antecipadamente as coisas do mundo e a expulse do seu coração.

  631. Jesus afirmou que aquele que faz e pratica as coisas de Deus do jeito de Deus entenderá as coisas. O entendimento vem com o fazer. A pessoa não será confundida, não ficará sem entender. Cumprir é forma de entender e entender é o mesmo que não ficar confundido. "Oxalá sejam os meus caminhos dirigidos de maneira que eu observe os teus estatutos! Então não ficarei confundido, atentando para todos os teus mandamentos", Sal.119:5,6. A maneira de não entender as coisas é estudar para que os outros observem; estudar a Bíblia como religioso e não para cumprir e viver; etc.

  632. Não praticamos a iniquidade para vermos Deus, para o acharmos, Mat.5:8. "Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, que o buscam de todo o coração, que não praticam iniquidade, mas, andam nos caminhos dele!" Sal.119:2,3. Uma coisa está relacionada com a outra, pois Deus só é difícil de ser achado por essa razão. Buscar Deus implica abandonar todo tipo de pecado, isto é, aquilo que Deus considera pecado e não o que o homem assim considera, pois o homem considera pecado aquilo (nos outros) que o afecta a ele e Deus considera pecado aquilo (em nós) que afecta os outros. Consegue ver a diferença e viver nela?

  633. A maioria das pessoas a quem Deus deu promessas pessoais esquecem essas promessas ao longo dos meses ou dos anos simplesmente porque não ficam esperando nessa palavra, isto é, suas vidas não se tornam dependentes dessas palavras e promessas. O mesmo acontece quando as pessoas esquecem de algum dever ou mandamento vindo de Deus: elas não se tornam activas no cumprimento daquilo que lhes foi mandado fazer e acabam por não se lembrarem do que se tratava. A negligência prática leva sempre ao esquecimento de muitas coisas. E as palavras de Deus necessitam ser uma vida em nós e não uma lembrança - muito menos um esquecimento.

  634. Ter fé quando tudo corre bem é fácil. "Não fazem os gentios o mesmo?" Será que Deus muda e deixa de ser de confiança sempre que as coisas correm mal? Amar quem nos ama, crer quando tudo está bem, ter paciência quando fazemos o que gostamos, conversar com quem apreciamos ou admiramos, estar feliz e alegre em nosso próprio meio, viver solidário quando nada nos falta, são coisas que qualquer descrente também faz.

  635. Muitos não chegam a ver o raiar do sol porque não suportam passar a noite. Todas as almas passam pela escuridão da noite para ver o nascer do sol, passam pelo deserto para alcançarem a terra prometida e passam pela obra para desfrutarem do descanso. Só que muitos não chegam ao inicio do dia por não suportarem a escuridão da noite. Suicidam-se com pensamentos vãos contra Deus.

  636. Deus quer que sejamos jardins em qualquer tipo de terreno, seja em terra fértil ou no deserto. Acha isso possível? “Senhor, eu te conhecia (…) que ceifas onde não semeaste e recolhes onde não plantaste”, Mat.25:24. Do mesmo modo, Deus mandou que o homem dominasse qualquer animal quando nenhum homem tem força para dominar um elefante, nem voo para dominar uma ave e nem fôlego para dominar os peixes. Mas, tudo é possível e viável através de Deus – até sermos um jardim nas piores circunstancias que possamos imaginar. Basta que o nosso coração seja só d’Ele. Então, vamos temer este Deus que colhe onde não semeia e tenhamos cuidado de resplandecer onde não existe luz, de brilhar onde tudo é baço, de obter alegria que não seja falsificada onde a tristeza reina.

  637. Jesus disse que aquilo que sufoca a palavra de Deus em nós e em nossos corações são as preocupações e tudo aquilo que nos pode desviar ou encher nosso coração e mente. Nem o diabo tem esse poder de sufocar a palavra em nós. Na verdade, a ilustração dos espinhos é muito bem aplicada aqui. Imagine alguém com espinhos a picarem a sua pele continuamente. Terá vontade ou disponibilidade de pensar em mais alguma coisa que não seja a sua dor, as acusações contra quem ali colocou os espinhos ou pensar em algo mais para além de remover os espinhos? Tudo o que diz e pensa gira à volta dos espinhos e da sua dor. Então, a pessoa que não muda o seu coração, objectivos e tudo que seja uma raiz para preocupações (e não falo das coisas exteriores e sim das interiores, isto é, do homem interior) será atormentada continuadamente por espinhos em sua carne. Por essa razão é que as pessoas se esquecem de muitas coisas que devem ou deveriam fazer, pois estão completamente absorvidos por suas dores. Esquecimento de muitas coisas, negligência de algumas outras (e até de coisas muito importantes), perdas de tempo infrutíferas entre outras coisas mais, são a principal consequência de um coração ocupado com as coisas do mundo. Quer ser fiel a Deus? Mude seu coração pela Luz e através de súplicas e obediências ao Espírito Santo. Mudar as circunstâncias não ajuda nada, pois não muda o coração que é a principal causa desses espinhos.

  638. Os espinhos são um grande problema em qualquer vida. A única maneira de evitá-los é mudarmos o coração sem perder tempo tentando mudar as circunstâncias. A providência de Deus encarrega-se de tudo aquilo que não devemos tentar mudar. A menos que as circunstâncias em questão sejam parte do Reino que devemos buscar em primeiro lugar, devemos deixar ser Deus a cumprir a Sua parte da promessa.

  639. Viu alguma estrela que lhe guiava pelo caminho? Se a perdeu é porque começou a pensar por sua própria cabeça em relação ao caminho. Os magos, ao serem guiados para Israel, viraram-se logo em direcção a Jerusalém, a capital. Pensaram: "Israel! Vamos para Jerusalém". Pensaram por eles e deixaram de seguir a estrela que, entretanto, se perdeu porque não seguiam em direcção a Belém. Não procure, pois, em Jerusalém o que achará em Belém, senão Ramá poderá chorar os seus filhos de novo, pois é Herodes quem está em Jerusalém e não Jesus.

  640. Hoje confirmei: uma pessoa impaciente ou com mau coração nunca está certa - nem mesmo quando tem razão. Acaba sempre por errar.

  641. Se interpretamos tão mal as pessoas com quem falamos e a quem conhecemos, imagine como a maioria das pessoas se engana a respeito de Deus a quem não conhecem e a quem mal ouvem!

  642. Quando as pessoas não têm nada para fazer (ou acham que não têm), ficam na cama a alimentar a preguiça. Isso seria o mesmo que alguém comer veneno para encher o estômago quando não tem nada para comer.

  643. O segredo para sermos ouvidos é não nos decidirmos por aqueles discursos que as opiniões e os desejos exigem de nós quando Deus nos mostrou algo diferente ou quando nos deu outro discurso.

  644. Quando uma mulher tem dores de parto, é porque vai dar à luz. Quando um crente tem dores de parto em seu espírito, vai dar luz. Quando damos à luz muitos filhos, ficamos com dores de parto muitos anos seguidos. E se não houver aborto, as dores de parto só cessarão com nascimentos e, com toda a certeza, trarão filhos à luz e à vida.

  645. Deus disse ao homem, "domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todo réptil que se arrasta sobre a terra". Sabemos que o homem nunca dominaria os monstros e os paquidermes e outros animais pela força. Como dominaria o homem uma ave que voa mais alto e é mais rápida que ele? Então, Deus quis que o homem dominasse através da inteligência e da sabedoria, pelo amor, pelo afecto e por tudo aquilo com que cada homem foi criado. O homem não tem força para dominar um elefante, não tem asas para dominar uma ave nos céus, não tem fôlego para dominar os peixes debaixo de água. Mas, Deus determinou que dominasse. Era uma mandamento. O único ser que, além de sábio e inteligente, é Todo-Poderoso, é Deus. Deus pode dominar pela força sem fazer algo de errado.

  646. Quem fala muito ouve pouco; aquele que manda muito obedece pouco; quem grita muito diz pouco.

  647. "O fruto da justiça semeia-se em paz para aqueles que promovem a paz", Tiago 3:18. Isso não significa que o fruto da justiça não seja semeado quando não há paz. Significa que será semeado sempre, mas, não em paz para aqueles que não promovem ou buscam a paz de consciência e com Deus.

  648. Nenhuma alegria é válida, nenhuma esperança é segura, nenhum futuro é promissor quando vivemos em pecado ou longe de Deus. Antes sentíssemos as nossas misérias em tais circunstancias! "Limpai as mãos, pecadores; e, vós de espírito vacilante, purificai os corações. Senti as vossas misérias, pecadores, lamentai e chorai; torne-se o vosso riso em pranto e a vossa alegria em tristeza", Tiago 4:8-9. E se isso é verdade, também é verdade que nenhuma tristeza, nenhum desânimo, nenhuma falta de esperança é válida sempre que andamos com Deus em sua Santidade. Toda essa tristeza passará, todo o tipo de desânimo nessas circunstâncias é falso e toda a desesperança é uma mentira sempre que Deus está connosco tornando-nos santos. Tudo passará, até o sol e a terra. Mas, quem faz a vontade de Deus permanecerá para sempre, 1 João 2:17.

  649. Ensina o teu próprio coração e saberás ensinar os outros. Isso é moralidade. Ensina os outros e não saberás ensinar o teu próprio coração. Isso é imoralidade.

  650. Todo aquele que adia as coisas; ou que começa as coisas e não as termina; ou que faz uma coisa para não fazer outra; ou que não leva em conta que precisa trabalhar o hábito no seu coração não apenas de terminar o que começa mas, também, de fazer a coisa certa desistindo da errada; ou aquele que negligencia o seu dever imediato por qualquer outra razão; qualquer um desses cria e/ou enraíza a maldição de não perseverar. Perseverante apenas desiste do que é errado e não termina os erros que começou. Perseverante tem a coragem de desistir até dos sonhos que não são de Deus. Mas, tudo de bom que começa, ele termina com fidelidade e em obediência, custe o que custar.

  651. Muitas pessoas dizem que se sentem perdidas sem saber onde ler na Bíblia. Existem várias razões para estarem perdidas nesse aspecto. Mas, irei mencionar duas. Uma delas é que não dependem de Deus para o seu pão de cada dia. Deixam de pedir e de inquirir d'Ele sobre esse assunto. O outro é mais sério ainda: a sua vida prática está muito aquém daquilo de que tomaram conhecimento. Qualquer pessoa que realmente viva em Cristo e Cristo nele, isto é, se essa vida for uma realidade e não uma mera suposição, consegue viver e experimentar muito mais do que aquilo que consegue explicar. Isto significa que aqueles que sabem mais do que aquilo praticam (quando deveria ser o oposto), estão desactualizados. Sendo assim, Deus não revela mais e não guia quem quer saber onde ler. Isso seria o mesmo que incitar alguém a pecar mais do que já peca.

  652. Não é bom pregar sobre a fé e defini-la a quem precisa crer. Pregue Jesus a quem não crê e não definições. Na verdade, só os que já crêem espontaneamente é que poderão obter benefícios e confirmações através das definições. Todos os demais precisam ver claramente como Deus é fiel, como Ele cumpre, etc. Definir as virtudes para quem não é virtuoso é criar um hipócrita e não um crente espontâneo e puro de coração.

  653. "Todo lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo dei, como eu disse a Moisés", Jos.1:3.Colocar o pé em algum lugar seria sinal de que aquela terra seria dada a Israel. Porquê? Isso acontece a quem é realmente guiado por Deus e levado por Ele. A providência de Deus também serve de sinal para os puros e guiados porque eles sabem que nunca iriam estar onde não deveriam estar sendo guiados e instruídos por Deus de forma real. Isso nem seria possível sequer porque são guiados por Deus. Você é guiado por Deus? Então, você está onde deve estar. Ocupe-se e preocupe-se em obter um coração que é guiado, em cumprir e em assumir o lugar onde seu pé pisa.

  654. O oposto de vida não é a morte. Segundo a verdade, o oposto de vida é o pecado. O oposto de morte é a santidade vivida e experimentada no Espírito.

  655. É importante sabermos que só seremos fiéis a Deus na abundância em igual proporção à daqueles momentos quando não temos nada. Isto é, se naqueles momentos que nos falta tudo e mais alguma coisa, se nesses momentos ainda fizermos a obra Deus sem sequer pensar em nossas faltas (se elas não nos vêm à ideia sequer), se somos fiéis a Deus a esse ponto e especialmente nesses momentos, se lhe somos totalmente dedicados e não aparecem espinhos em nosso coração que sufocam a boa semente, se somos totalmente entregues ao Senhor e às Suas coisas sob os problemas mais difíceis e mais improváveis, certamente Lhe seremos igualmente e proporcionalmente fiéis em qualquer momento de abundância, de alegria e de destaque. O José que foi fiel e quieto na presença de Deus quando era prisioneiro permaneceu sendo o mesmo José quando já era dono do Egipto.

  656. Para Deus não existem coisas mais fáceis que outras - nem mais fáceis e nem mais difíceis.

  657. Importante não é ver muitos milagres em nossa vida: importante é ver todos os milagres que Deus precisa fazer em nossa vida. Ver muitos pode não significar ver todos e, ver poucos, não significa que não vimos todos.

  658. Pedir as coisas certas sem a confiança ou certeza de que Deus pode atender os nossos pedidos, não passa de uma lamentação sobre essas mesmas coisas. E nunca deixará de ser mais que uma lamentação por isso mesmo, pois, "Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa", Tiago 1:7.

  659. Nós submetemo-nos a Deus ou a alguém para permanecermos submetidos e não para que nunca mais necessitemos submeter-nos.

  660. Nenhum homem pode tornar-se virtuoso por compulsão; as virtudes são adquiridas, trabalhadas e operadas em nós. É uma obra. Você consegue construir um prédio e terminá-lo em um momento de impulso?

  661. As pessoas, mesmo achando que o mal é mau, ainda assim tentam camuflá-lo através de sorrisos e atenção. Não será encobrindo o mal dentro de seu próprio coração que prosperará, Prov.28:13.

  662. Quem sente esperança pecando tem uma falsa esperança em Cristo, a qual nunca se concretizará. Quem sabe que não existe esperança pecando está a um passo de poder refugiar-se em Cristo para sempre.

  663. Tornar as coisas reais e ver ou assumir as coisas como reais quando são reais é o ponto final da luta para crer. Deus permite ao homem lutar com Ele apenas para que o homem possa, depois de ver a realidade que Deus lhe deu a ver, assumir o que viu como verdadeiro. A luta com Deus serve para convencer-nos e mostrar-nos e nunca para convencer Deus.

  664. Viver aquela vida que Deus pede de nós aqui na terra, sendo humanos, deve ser a coisa mais fácil de todas, pois os fracos e incapazes são os melhores candidatos a viverem essa vida de plenitude porque ela é vivida através de Cristo e, também, porque a vida própria é uma concorrência à vida eterna dentro de nós. Ora pense comigo: quem se sente forte, não busca fortalecimento; quem acha que sabe, nunca busca conhecimento; quem se acha capaz, não busca ser ajudado; e quem acha que crê em Deus não busca confiar n'Ele. Mas, quem se sente fraco e cansado está mais apto a negar a si próprio. Sendo que ou vivemos a nossa própria vida ou vivemos através da Vida Eterna em nós, fica claro que os humanos mais fracos e mais frágeis tornam-se automaticamente os melhores candidatos a essa vida de plenitude. Sermos humanos não é, por isso, desculpa para não vivermos a vida de Cristo e sim razão para vivermos uma vida santa - se é que Cristo realmente vive em nós. "Ora, diga o fraco, 'Eu sou forte'".

  665. Jesus falou do semeador que sai a semear em boa terra e deixa cair algumas sementes fora do terreno onde se propõe semear em lugares pedregosos e ruins. Contudo, hoje temos uma outra situação: existem semeadores de falsos evangelhos que saem a semear em terrenos pedregosos, onde os pássaros consomem tudo e apenas ocasionalmente cai uma ou outra semente em boa terra - fora do seu terreno. E a boa terra não gosta de semente falsa.

  666. Não existem balas perdidas que atingem pessoas? Quando você prega o evangelho, lembre-se que pode alcançar alguém através de uma bala perdida e que alguém que você não espera ouviu tudo que disse para arrepender-se. Leve sempre em conta as balas perdidas se você prega o evangelho de coração puro e imaculado.

  667. Se é verdade que Deus cuida do mais profundo do nosso ser quando nascemos de novo e após isso, também é verdade que somos e seremos sempre responsáveis pela nossa parte consciente. Deus cuidará do nosso subconsciente e da parte de nós que é prática e vem do coração.

  668. Eu sei que um dia os homens me elogiarão para escaparem da intenção das minhas palavras. Sei que falarão muito bem de mim para não terem de se arranjar com Deus e para ficarem com novas ideias, mas, continuando iguais.

  669. O único, verdadeiro e justo castigo para o pecado é a morte eterna, pois o pecado rejeita a vida eterna. Consequentemente, a penalidade tem de ser eterna para ser justa e correspondente àquilo que rejeita. Contudo, as pessoas assumem que Jesus sofreu a penalidade do pecado morrendo na cruz. Isso não corresponde à verdade. Jesus sofreu aquilo que era necessário para cumprir a Lei e substituir aquilo que a lei exigia como oferenda do pecado e não como castigo de pecado. A Lei exigia aquilo que os humanos achariam ser a penalidade para o pecado. Por essa razão é que a Lei de Moisés ainda deixava muito a desejar. O que Jesus fez foi o suficiente para tirar qualquer um do seu pecado e não recebeu a penalidade eterna do pecado sobre Ele. Para Jesus pagar pelo pecado teria de morrer eternamente, pois essa seria a penalidade justa. E Jesus só passou três dias no inferno, mas, por outros motivos e nunca para sofrer a penalidade correspondente do pecado. Jesus não paga pelo pecado e antes salva do pecado cumprindo a Lei. Tudo que Ele fez e ainda faz tem como alvo claro e evidente a salvar os homens dos seus pecados. Seu sangue limpa-nos. Seu sangue não significa apenas perdão, mas, garante a limpeza de coração, isto é, Seu sangue é a pureza dele. Por isso é que lemos que Seu sangue nos purifica e nos lava. Essa limpeza de coração é que garante o perdão. Apenas indirectamente Seu sangue significa o perdão, Prov.28:13.

  670. Quando um vizinho rouba o outro, todos os vizinhos falam da anormalidade. Mas, ninguém fala quando não há vizinhos que roubem vizinhos, pois, é coisa normal. Quando as pessoas são más, todos falam das suas maldades. Sempre que alguém é bom, ninguém fala por se tratar de uma normalidade e de um comportamento normalíssimo, esperado e 'usual'. Até a nossa natureza atesta que ser bom é ser normal ou que, ser normal, é ser santo.

  671. "Também, por amor de vós (...) a vossa vide no campo não lançará o seu fruto antes do tempo, diz o Senhor dos exércitos", Mal.3:11. Você pede as coisas de amanhã para hoje? Sabia que isso seria o mesmo que pedir a Deus uma maldição? Você é impaciente? Contudo, há que distinguir entre não receber agora por ter algo em sua vida que incomoda Deus e não ser o tempo adequado para os frutos que espera. Cada tipo de fruto tem sua época própria. Caso você não tenha fruto, averigúe se está fora de época ou dentro de época e logo saberá porque razões ainda não deu fruto.

  672. A fé de muitos é um engano. Deixem-me explicar. Para muitos, fé é crer - simplesmente crer. E a verdadeira fé é realmente crer dessa maneira simples e espontânea. Contudo, fé é uma certeza do certo, uma certeza do que Deus já falou e uma certeza daquilo que Ele anseia e deseja para nós. Fé não é apenas certeza - é a certeza na/da coisa certa. Ter a certeza nunca fez pessoas estarem certas. Estarem certas é que faz as pessoas terem certeza certa, isto é, fá-las ter fé. "Ora, a fé é a certeza das coisas que não se vêem", Heb.11:1. Fé é conseguir crer na verdade - não é conseguir crer. "Aquele que pode crer..." Marc.9:23.

  673. Tenha cuidado quando espera de coração que Jesus chegue para intervir em sua vida. Os Judeus estavam oprimidos e esperavam o Cristo. Contudo, existe um problema: sempre que Cristo vem até nós, não é para resolver os nossos problemas e sim o coração que temos. Raramente resolve os problemas. Os Israelitas esperavam um Cristo que os retirasse da opressão como havia sido feito no tempo de Moisés. Deram-se mal, pois, ele veio tirá-los do pecado que amavam e através do qual lutavam usando a força da carne, do ódio, da vingança e dos votos pessoais pressionados por interesses próprios. Cristo, ao removê-los disso, retirava deles toda a sua força e toda a existência pecadora, isto é, salvava-os da única forma de vida que conheciam e na qual depositaram todas as esperanças de uma vida. "...E de repente virá aquele a quem desejais. Mas, quem suportará o dia da sua vinda? (...) Assentar-se-á como fundidor e purificador de prata; e purificará os filhos e os refinará como ouro e como prata (...) E chegar-me-ei a vós para juízo; e serei uma testemunha veloz contra os feiticeiros, contra os adúlteros, contra os que juram falsamente, contra os que defraudam, contra os que não me temem..." Mal.3:1-5. Você anseia por Cristo em sua vida também? O que espera d'Ele? Que espera que ele venha fazer, do que espera ser liberto? Tenha cuidado para não ser desapontado com Sua vinda, especialmente se ela for real. Ele veio salvá-lo dos seus pecados e não dos problemas que enfrenta actualmente. "Por que razão, quando Eu vim, ninguém apareceu? Quando chamei, não houve quem respondesse?", Is.50:2. Muitos não querem mudar, só querem alguém poderoso o suficiente para resolver todos os seus problemas e, de preferência, por milagre. Não se desaponte quando Ele começar a fazer toda a Sua obra e, também, não fique com ideias erradas caso a obra d'Ele tiver de ser feita longe de alguns de seus problemas, pois poderá ficar a pensar que Ele realmente vem tirar dos problemas apenas porque a vontade d'Ele tem outros instrumentos que não os seus problemas actuais (os quais Ele resolve). O mesmo princípio deve ser tido em conta sempre que nos tornamos santos, isto é, não nos tornamos pacientes para Deus nos tirar dos problemas, não nos tornamos caridosos para sermos ajudados, etc. As virtudes são o ponto de destino e não o caminho ou os meios. Não servem como moeda de troca. Muitas vezes, pensamos nos fins como se eles fossem os meios. O que são os meios em sua vida e o que são os fins? Você trocou a ordem das coisas levado, também, por interesses pessoais que não levam valores eternos em conta? Sempre que a ordem das coisas estiver correcta, você terá mais ânimo e mais alegria enfrentando qualquer tipo de problema. Ora, experimente e verá! Mas, faça-o de coração e limpo porque, senão, até nisso se desapontará!

  674. A diferença entre a idolatria e a verdade é que na idolatria a pessoa cria o seu próprio deus, aquele que lhe convém criar. Pela verdade sabemos que a criatura foi criada à semelhança de Deus, isto é, criada conforme convém ao Criador. Ora, vejamos a diferença entre o que foi criado por ambos. Deus fez uma criatura viva e o homem criou um deus morto, o qual não se mexe. O deus da criatura é mudo, surdo e, se for humano, insensível, desviado e morto. Contudo, a pessoa persiste em crer em tal deus porque esse deus está de acordo com a sua forma de pensar. Isso significa que a idolatria cresce, nasce e mantém-se apenas através da teimosia. Toda a forma de idolatria sai do coração do homem, o qual tem uma habilidade extrema de criar deuses que lhe convêm. Já a criatura de Deus não é muda, não é surda e conversa com seu Criador que também não é surdo ou mudo.

  675. Quando a água está suja, não sabemos quais as coisas que a sujam. Existe uma mistura de tantas coisas que distinguir entre elas torna-se difícil. Com as pessoas sujas acontece o mesmo. É difícil destacar um pecado que a suja ou responsabilizar um pecado específico pelo comportamento global de alguém. O comportamento é e será sempre uma mistura de coisas, isto é, o comportamento de um coração sadio será sempre uma mistura de virtudes onde uma dificilmente se destaca; e dificilmente se poderá apontar para um pecado específico como o principal culpado pela forma de vida e pelo comportamento global de alguém que aprendeu a orientar-se através de um coração impuro. Por essa razão é que o pecado deve sempre ser abandonado na sua totalidade.

  676. Ser reinado não é o mesmo que ser dominado. Demónios é que dominam e possuem pessoas. Ter um Rei em nós significa ser guiado mansamente, ainda que solenemente. O homem duro não reconhece tal mansidão como caminho. Para o homem, tudo tem de ser feito na base da dureza e da tirania. Contudo, o Rei com o qual nos comprometemos eternamente, se estivermos limpos de coração, é suave e sua voz é suave e meiga. É o coração do homem que é duro e essa dureza espera ser guiada rudemente. O homem dificilmente reconhece outra forma de ser guiado. É por isso que devemos tornar-nos ovelhas. "Não sejas como a mula...", Ps.32:9. Deus não usa meios rudes para guiar o homem rude. O homem necessita tornar-se manso para conseguir entender que está sendo guiado mansamente para águas tranquilas e tranquilizadoras, (Sal.23:2). Ter um Mestre não é o mesmo que ser dominado. Ter um Mestre é ter Alguém que me conhece melhor que eu próprio, Alguém que me é mais chegado que um amigo, Alguém que sonda e esquadrinha o mais profundo de todo meu ser e satisfaz aqueles anseios com os quais fui criado originalmente e a quem terei de responder pela minha vida.

  677. Existe uma vida que salva humanos, tal qual existe outro tipo de vida que se esforça para ser divina sem conseguir sê-lo de verdade. Uma é celestial e a outra é terrena. A vida de Deus nos salvos expressa-se como a própria vida de Deus, não como uma vida humana que se esforça para ser divina. A vida que se esforça para ser divina é falsa. Contudo, essa vida falsa acredita que a outra é a falsa, pois faz as mesmas coisas através de outro tipo de essência. Jesus veio até nós como alguém sem qualquer aparência e sem nada n'Ele que nos fizesse desejá-Lo, Is.53. Contudo, não deixou de ser santo por isso. E isso só pode significar uma coisa: Ele ainda é assim e ainda faz o mesmo. "O reino de Deus não vem com aparência exterior, nem dirão: Ei-lo aqui! ou: Eí-lo ali! Pois, o reino de Deus está dentro de vós", Luc.17:20,21. Aquela pessoa que tem uma vida terrena, a qual esforça-se para ser divina, também terá um coração entregue aos sonhos daquelas coisas que não se realizam e as quais gostaria que se realizassem sem ter de mudar ou de mudar de vida interior. Deus não é devedor a quem não muda e Suas promessas nunca se cumprirão com os tais. Se você tem uma vida terrena que se esforça para ser divina, lembre-se que precisa mudar duas coisas: o sonhar de olhos acordados e trocar a sua essência, a sua vida terrena, pela celestial.

  678. "Ninguém há quem invoque a justiça com rectidão, nem há quem pleiteie com verdade", Is.59:4. É possível invocar justiça sem ser através de rectidão, tal como é possível defender uma causa importante sem ser pela verdade no coração. É isso que lemos neste versículo. Seu coração é recto e verdadeiro ou pleiteia as causas próprias? Existem pessoas que pleiteiam honestamente as causas do egoísmo, como há aquelas que pleiteiam as causas de Deus mentirosamente, isto é, sem que todo o seu coração esteja realmente envolvido na causa que pleiteiam. Fazem por fora aquilo que o coração não faz por dentro. Quando pleiteiam causas próprias sem isenção, por norma, confiam em mentiras e no vento como se fossem realmente causas fortes e justas. Nunca se deixe enredar em tais caminhos da mente. "...Confiam na vaidade e falam mentiras; concebem o mal e dão à luz a iniquidade (...) As suas teias não prestam para vestidos...", Is.59:4,6. Tais pessoas experimentam vários problemas. Leiamos: 1. "O caminho da paz não conhecem". Isto significa que estão constantemente em guerra interior que facilmente se exterioriza. 2."Fizeram para si veredas tortas". Era de esperar que isto acontecesse, pois ninguém pratica a justiça sendo injusto. Logo, para aparentarem justiça precisam adaptar seus caminhos à luz da verdade. Existem mais consequências lógicas de não praticarmos justiça com rectidão. Este capítulo de Isaías fala em muitos deles. E é óbvio que as pessoas irão tentar fabricar uma paz onde ela não tem como existir, ou tentar aparentar que são rectos sendo tortos. Isso acontece apenas porque se recusam mudar de verdade.

  679. Deus não respeita o mau-humor. Por norma, o 'respeito' e a consideração é uma das maiores exigências de todo tipo de pessoa entregue ao mau-humor. Comprove isso e verá que é realmente assim. Contudo, quando o humor muda para o lado do mal, Deus não muda por isso e continua trabalhando sem deixar em paz quem o tem, pois, Ele assume que o mau-humor não deveria existir sequer! O mau-humor firma-se sobre o direito que pensa ter de continuar a ser mau. O outro lado do mau humor é não ser capaz de reconhecer que está errado. A auto-justificação é onde se firma e a cegueira é a consequência. Deus não tem tempo para conversar com tal atitude e assume que ela deve ser prontamente expulsa a pontapé de nosso coração e que somos nós próprios quem deve fazê-lo sem qualquer tipo de hesitação ou de demora. Leve todas estas verdades em conta sempre que estiver de mau humor. Certifique-se que coopera com Deus para alcançar todas as atitudes e virtudes celestiais no mais curto espaço de tempo possível.

  680. Muitos assumem que uma coisa difícil deve ser feita através da graça de Deus enquanto que as fáceis podemos realizá-las sozinhos. Na verdade, o segredo é fazer tudo através da graça, seja fácil ou difícil. A chave de tudo e o mandamento principal do evangelho é que as coisas se processem cá na terra da mesma maneira que se processam no céu: pela graça. Você necessita ter em conta que sempre que alguém manifesta aquela atitude de que precisa orar muito ou lutar muito quando algo parece ser uma dificuldade enorme, logo assumirá que aquilo que considera fácil poderá ser desprezado ou que deverá ser feito através do braço da carne. Não existe melhor maneira de manter a carne viva do que fazer qualquer coisa através da força, dos motivos, da maneira da carne e com a sua intuição. O objectivo de Deus é que vivamos somente pela graça, usando todos os seus recursos seja sob que circunstâncias for. "Aqui na terra como no céu", isto é, do mesmo jeito. É muito importante aquilo que fazemos, mas, é muito mais importante como o fazemos e através de que poder. Por isso, deve saber que todo aquele que se aplica muito para achar graça sob circunstâncias difíceis terá de resolver um problema sério sempre que as coisas se tornam fáceis e simples, pois, negam Deus e seu poder quando tudo está bem, tornando-se, assim, presas fáceis de Satanás. Recuse alimentar a carne e não a deixe sobreviver. "...Derribando raciocínios e todo baluarte que se ergue contra o conhecimento de Deus e levando cativo todo pensamento à obediência a Cristo", 2Cor.10:5.

  681. Muitos questionam aquilo que ouvem, ficando na dúvida se vem de Deus, do diabo ou da carne. A única maneira de resolver esse problema é entrarem no santuário e aproximarem-se muito bem de Deus e isso de forma real. Será ali onde nos aperceberemos se foi Deus quem falou ou não. Fora do Santuário seria como ver os lábios de alguém mexerem pronunciando certas palavras e dentro seria como reconhecer a voz de quem fala olhando para Ele.

  682. Nós somente podemos ser salvos de algo ou de algum lugar onde já nos encontramos. Não podemos ser salvos do inferno porque ainda não estamos no inferno. As únicas pessoas que se poderiam salvar do inferno são aquelas que lá se encontram. Eu não posso ser salvo de afogamento se estou em terra ou longe da água. Por isso, salvação não é sermos salvos do inferno. Não pode ser. E não vemos na Bíblia qualquer referência a sermos salvos do inferno. Vemos, isso sim, que Jesus nos salva do pecado e de nós próprios. "Chamarás JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados", Mat.1.21. "Livraste a minha alma da corrupção".

  683. Quando somos conhecedores da verdade e não estamos bem com Deus, as promessas de Deus até nos podem parecer reais. Contudo, são miragens de água para quem está com alucinações devido ao desejo de beber em terra seca e quente. "Será, também, como o faminto que sonha que está comendo, mas, acordado, sente-se vazio; ou, como o sedento que sonha que está a beber, mas, acordando, acha-se desfalecido e ainda com sede", Is.29:8. Um sedento no deserto também tem a certeza que a miragem é água. Mas, a sua certeza não resolve nada e ainda contribui para a sua morte prematura e para o aumento do seu engano. As promessas de Deus ou ajudam a matar ou dão vida, viram miragens enganadoras ou tornam-se essência nos corações. A tendência dos que se apercebem que as promessas se tornaram miragens é para desprezar, mais tarde, as promessas que Deus selou para os puros. Devemos saber que as promessas cumprem-se com todos aqueles que cumprem as condições e os requisitos eternamente estabelecidos por Deus, os quais são e serão inegociáveis. Você é puro de coração? Anda com Deus? Tem sido fiel em todas as coisas e todo o seu dia-a-dia é feito através de Deus? Você junta com Ele ou espalha? Lembre-se que, se qualquer promessa de Deus ainda é uma miragem para si, só existe um culpado: você. Não se descarte das promessas de Deus assim tão facilmente se estiver sujo e descrente. "Limpai as mãos, pecadores; e, vós de espírito vacilante, purificai os corações", Tiago 4:8. É preferível limpar-se do que descartar-se das promessas para poder viver a sua própria vida do seu jeito. E se você estiver puro e tiver o testemunho de Deus vivo dentro de si em relação a qualquer assunto e esse testemunho não é somente do próprio para o próprio, não tema crer nas mesmas coisas que os impuros crêem caso sejam promessas feitas por Deus. Com os infiéis as promessas não funcionam, mas, não se pode afirmar a mesma coisa em relação aos fiéis e em relação às mesmas promessas de Deus para os tais. E se falamos das promessas de Deus, também afirmamos os mesmos princípios em relação à eleição e outras coisas igualmente importantes para quem vive de Deus. "E a miragem tornar-se-á em lago", Is.35:7. "Portanto, irmãos, procurai mais diligentemente fazer firme a vossa vocação e eleição", 2Ped.1:10.

  684. Cuidado quando é o diabo ou a intuição carnal quem promete as coisas de Deus. Isso acarreta dois tipos de perigo: podemos assumir uma promessa que Deus não fez e ela não se cumpre; e, caso algo não se cumpra que achamos ter vindo de Deus, assim que Deus falar iremos duvidar devido à(s) experiência(s) anteriormente falhada(s). Deus só poderá prometer ou cumprir aquilo que a carne também promete a ela própria em nome de Deus assim que a carne deixar de servir no templo de Deus. Nunca podemos confiar no braço da carne, nem mesmo quando tenta fazer tudo certinho.

  685. O homem foi a criatura criada segundo a imagem de Deus. Contudo, hoje é a criatura que menos se assemelha a Deus e a única no universo que não glorifica o seu Criador. Até muitos animais revelam mais de Deus que a criatura que foi criada segundo a imagem d'Ele. Coloque a sua esposa dentro do porta-mala do seu carro juntamente com o seu cachorro. Quem acha que vai gritar para sair e quem vai suplicar para sair? Depois de uma hora abra a mala. Qual dos dois manifestará alegria em vê-lo e quem estará bravo consigo? Só por aí vemos qual dos dois demonstra mais da imagem de Deus.

  686. Uma das razões porque não devemos julgar o nosso próximo é porque existem coisas que não entendemos bem e outras que não são erradas para o nosso próximo, mas, são-no para nós. Por essa razão, a maior luta de quem se quer acertar com Deus é conseguir sair da sua linha doutrinária sem entrar no erro e, muitas vezes, entrar naquilo que achava errado estando certo. Que Deus nos conceda a visão daquela porta por onde podemos escapar de nós próprios!

  687. "Não andando com astúcia..." 2 Cor.4:2. Isso significa simplesmente não andar de forma planeada, dissimulada, simulada ou através das aparências que sempre escondem as evidências e que querem impor sempre aos outros a opinião própria para facilitar o esconder daquilo que não queremos revelar e deixar nas trevas.

  688. Os pecados como o ciúme, a inveja, a má-língua, o fingimento e, em certa medida, a amargura, são hábitos e não raízes. São hábitos do corpo da morte. Depois que esse corpo da morte seja desfeito (ou mesmo antes) você precisa recorrer a uma disciplina cerrada, obediente e perseverante para eliminar tudo que ainda é hábito. Não se esqueça disso sempre que assumir que já conhece a Jesus, pois pode facilitar e deixar seus hábitos de coração sobreviverem só porque já conhece Jesus - ou acha que o conhece. Certamente que voltará a morrer, isto é, o corpo da morte voltará a ressuscitar.

  689. Assim que obedecermos, entendemos tudo!

  690. Como não posso enxergar as coisas por longos períodos, então, enxergo-as nitidamente. Que sejam nítidas e claras para si também. Aproxime-se mais e nunca as esquecerá. Não é pensando muito que resolverá seus problemas difíceis e sim sendo simples e sintético sobre eles. Aproxime-se da solução e veja-a nitidamente. Depois, seja obediente à visão até ao fim.

  691. É preferível eu viver pensando que não estou bem e ter minha vida em ordem, do que pensar que estou bem quando minha vida está desordenada diante de Deus.

  692. Existem os que vigiam por causa da chegada de Jesus. Contudo, Jesus pede a algumas pessoas que já passaram essa fase para vigiarem com Ele e não por Ele. Você já vigia com Jesus?

  693. Quando alguém quer os benefícios que Deus dá sem querer conhecê-Lo, é óbvio que seria como colher frutos em um pomar sem o conhecimento do dono desse pomar. Isso seria semelhante a roubo.

  694. Entender uma criança quando ela tem medo do escuro, é fácil. Mas, como entender um adulto que foge da luz e que prefere viver escondido?

  695. Deus só confia naqueles que têm o hábito de coração de dependerem só d'Ele para serem fiéis (e não para poderem ser infiéis sem serem castigados). Deus confia em uma obra que Ele faz.

  696. A guerra de Deus não é contra as pessoas maldosas e sim contra o mal dentro das pessoas. Quem se agarrar a esse mal que Deus destruirá com toda a certeza, será juntamente destruído e quem deixa o mal ser destruído sozinho seguramente que será salvo. "E virá um Redentor aos que se desviarem da transgressão", Is.59:20.

  697. Ajudar é fazer aquilo que as pessoas não conseguem fazer e não aquilo que não querem fazer.

  698. Um coração enganoso é a consequência mais óbvia de um afastamento de Deus. A nossa independência de Deus traz consequências desastrosas a todo o nosso ser, as quais ninguém poderá evitar e, por vezes, são consequências que ninguém consegue calcular ou imaginar de tão desastrosas que são.

  699. Todos os salvos saem do Egipto. Você saiu das novelas, das mentiras, das ilusões e de todo tipo de pecado? Ou ainda critica deus, culpando-O de seus pecados? Só quem abandonou todo o Egipto pode considerar-se salvo e liberto da escravatura.

  700. "Ao seu redor havia serafins; cada um tinha seis asas; com duas cobria o rosto; e com duas cobria os pés e com duas voava", Is.6:2. É interessante ver como estes serafins voavam de rosto tapado (sem poderem ver) e, ainda assim, não saírem do curso deles. Só mostra que eles eram guiados pelo Espírito Santo, através do qual serviam. Você não gostaria de ser guiado dessa maneira, seja de olhos fechados ou abertos?

  701. Culpar um culpado nunca será o mesmo que salvar esse culpado e, para salvar qualquer culpado, não se pode ignorar nem a culpa e nem a honra de Deus.

  702. as fábulas têm um fim. Todas as histórias de fantasia que se contam é que têm um fim. A minha história não é de fantasia e ela não terá fim. Viverei eternamente.

  703. Sabia que buscar e achar a sabedoria de Deus aplica uma sentença de morte ao orgulho e à soberba do homem? "A sabedoria que vem do alto é, primeiramente, pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade e sem hipocrisia", Tiago 3:17. Muitos dizem que ser pobre é ser humilde. Com isso afirmam, ainda que indirectamente, que os ricos são orgulhosos. Na verdade, não vemos a Bíblia dizer que os pobres são humildes de coração e nem que os ricos como Jó ou Davi eram orgulhosos. Você já alguma vez pensou tornar-se verdadeiramente humilde de coração, seja rico ou pobre? Ache, viva e experimente a sabedoria de Deus e verá quais as consequências!

  704. Um amigo chamou minha atenção para o seguinte: se a higiene das mãos provocou uma revolução nos círculos da medicina e nos hospitais, se o simples lavar das mãos previne milhares de contágios em hospitais, o que não acontecerá quando se lava e se purifica todo o coração?

  705. Qualquer coisa que o homem deseja será sempre considerada boa porque ele a deseja. Consequentemente, qualquer tipo de bênção parecerá coisa ruim sempre que não vá ao encontro das vontades do homem.

  706. As coisas só se tornam importantes em seu dia próprio. Fora dele não são importantes e nem são dever, ainda que sintamos de outra maneira. Contudo, devemos manter a visão global de tudo de forma a assistir naquela obra que pertence a hoje.

  707. as tuas palavras ao mudo, as tuas pernas ao coxo, os teus olhos ao cego, o teu dinheiro a quem precisa, o teu amor a todos. Não queiras receber nada em troca: não emprestes as tuas palavras esperando louvor em troca, nem os teus olhos, nem as tuas pernas e nem emprestes o teu sono. Dá-te de todo e dá tudo de tudo, pois as tuas palavras diziam que te entregaste de todo a Jesus. Não te entregaste para ti mesmo e nem para teu benefício. Ou foi?

  708. A minha vida é uma gestão de promessas em cooperação com Deus.

  709. Qualquer pessoa fica mais rica dando aos mansos do que recebendo dos soberbos.

  710. Sempre que uma pessoa da família se entrega à cobiça, começam as brigas dentro de casa. "O que se dá à cobiça perturba a sua própria casa", Prov.15:27. Isso acontece porque tal pessoa pode preferir poupar que comprar comida; pode preferir roubar o dinheiro de Deus, pois a corda quebra sempre pelo elo mais fraco; vai estar sempre a mandar na vida dos restantes familiares, querendo dominá-las devido ao excesso de zelo da cobiça e do amor pelo dinheiro. E, quando tudo isso acontece, essas atitudes servirão de formação para os filhos e para os descendentes mais directos, pois os filhos são, em grande parte, um reflexo e uma consequência directa do viver dos próprios pais. Se isso já estiver acontecendo consigo, não acha que já é altura de perguntar se seu zelo pecaminoso compensa e se vale a pena viver assim?

  711. Tenho a certeza que terei mais esperança e mais expectativa na hora da morte que qualquer homem ou mulher sem Deus no início de suas vidas. No meu fim de vida terei muitas mais expectativas que se cumprirão. As pessoas não entram em um avião para viajarem para lugares bonitos? Então, meu caixão será como entrar em um avião que me leva para o céu. Você está preparado para embarcar? Pode embarcar hoje?

  712. A pessoa que esconde, ignora, negligencia ou enterra aquilo que Deus lhe confiou, cria um cemitério em seu coração. Logo será condenado pelo cheiro a morte que sai de dentro dele e pelo qual é responsável.

  713. A ideia de que "a oração muda as coisas" não é tão verdadeira quanto a de que a oração transforma-me a mim e eu mudo as coisas. Mas, nenhuma das duas está completamente correcta. É verdade que Deus nos transforma sempre que nos aproximamos d'Ele em oração. A transformação é uma consequência directa da aproximação a Deus. Contudo, nós aproximamo-nos de Deus por causa das coisas e essas coisas serão transformadas por Deus em nós e por nós em Deus porque fomos transformados. E quando nos aproximamos de Deus por causa de Deus, a transformação que ocorre em nós será mais profunda, mais pura e mais adequada a pessoas santas - ainda que não seja mais acelerada.

  714. A pessoa que menos aceita conselhos é aquela que tem referências no passado as quais já não experimenta em sua vida actual. Quando a vida de alguém está desactualizada, as referências incitam-na a pensar que sabe tudo, que sabe fazer melhor que todos e que já aprendeu tudo o que havia para aprender devido às experiencias anteriores que se tornaram lembranças. Tenha muito cuidado sobre aquilo que pensa e assume sobre si próprio sempre que as lembranças das experiências passadas se tornam um consolo. E Jesus avisou-nos daquela luz que facilmente se torna trevas em nós! Mat.6:23.

  715. Se alguma coisa lhe tira a paz de Deus, de duas uma: ou você tem algum pecado que não colocou na luz; ou o seu relacionamento com Jesus é falsificado, forçado ou forjado. Você gostaria de estar na companhia de alguém que se sentisse forçado a estar ali, perto de si? Essa companhia seria um gozo para si? Gostaria de estar perto de alguém cujo coração estivesse a milha dali?

  716. O pior inimigo do amor são aquelas preferências naturais do homem, porque é isso que o homem considera amor. O pior inimigo da sinceridade é a aparência porque a aparência faz a pessoa parecer aquilo que não é. O pior inimigo de falar correctamente é a eloquência. E assim poderíamos achar mais inimigos de muitas outras virtudes: as suas aparências.

  717. Jesus nunca nos pediu para o aceitarmos da maneira que somos convidados a 'aceitá-lo' nas igrejas atuais. Essa doutrina não pode ser Bíblica porque Jesus pediu para nos rendermos e para rendermos toda a nossa vontade e ser para sempre a Ele. As doutrinas actuais de "aceitar Jesus" que estão na moda impedem que isso aconteça. Não tenho o mínimo respeito por tais doutrinas, pois anulam a vida em seres já de si mortos.

  718. Eu não posso ter como alvo fazer muitas coisas se não conseguir que meu alvo seja somente fazer muito bem aquela coisa do dia que vivo hoje. A disciplina e a entrega de hoje ao que pertence ao agora são os alicerces de amanhã. a eternidade exige de nós que façamos cada coisa em seu dia em vez de tentarmos fazer muitas coisas ao mesmo tempo - ainda que sejam importantes.

  719. Deus me vestirá de um manto de justiça, tal qual Jacó fez aquela capa para seu filho, José. Serei justo e terei roupa de justo. Deus fará melhor comigo do que aquilo que Jacó fez com José e o meu manto será ainda mais bonito. Será um sinal de que Deus me ama como aconteceu entre Jacó e José.

  720. A benignidade é buscar o bem e não aceitar o mal. Não pense que passar a mão pela cabeça do mal é ser benigno, pois, isso é ser maligno. A cumplicidade com o mal nunca será considerada como algo bom. Existe câncer maligno. Mas, a benignidade é um câncer para o mal. Não pense que o mal sentirá felicidade sendo destruído e que aprovará a sua própria morte. Ninguém coopera com a própria morte. No entanto, se você achar-se mau, coopere e dirija-se de livre vontade para o Calvário como Jesus o fez, ainda que Ele não era mau, mas, fê-lo por sua causa. Se você tiver, dentro de si, um câncer contra o mal, lembre-se que isso é o que Jesus disse ser a tal semente que ninguém pode destruir. É essa semente que nos preserva. "Aquele que é nascido de Deus não peca; a semente de Deus permanece nele e não pode continuar no pecado, porque é nascido de Deus", 1 João 3:9. Essa semente é um câncer para o mal - é a semente da benignidade.

  721. Se, por alguma razão, eu perdesse toda a obra que fiz para Deus durante estes meus curtos anos que vivi até agora, seria pior para mim que perder um filho. Iria sentir-me como Jó se sentiu quando o diabo levou tudo o que tinha. Que Deus me livre de tal coisa!

  722. "...Os que se deleitam nas perversidades dos maus", Prov.2:14. Já se perguntou se ver os romances e os filmes do mundo é mau? É óbvio que perdermos o nosso precioso tempo com tais bestialidades é mau, pois, até aqueles que não fazem o mal aproveitam para se deleitarem no mal que vêem fazer nos filmes.

  723. Se a Bíblia fala na "prosperidade dos loucos", é porque os loucos podem ser prósperos e abastados. Isso só pode significar que a prosperidade nunca pode servir de prova de que Deus está connosco como a falta dela nunca significou que Deus não estava com Jó.

  724. Se eu tiver uma dívida em algum banco a qual não paguei, seria absurdo ir pedir mais um empréstimo, pois, sei que nenhum banco emprestaria a quem já lhes deve. Se você deve a Deus e não Lhe dá o que Lhe pertence por direito, se não devolve às pessoas aquilo que lhes pertence, como pode persistir pedindo aquelas coisas importantes a Deus crendo que as irá receber? O que é que você deve a Deus? A sua vida? Quem deve a Deus deveria temer, pois, só quem não deve nada a ninguém é que não teme.

  725. A cobiça tira a vida daqueles que a possuem. Escolha entre a vida e a cobiça, entre a vida e o desarranjo espiritual. Existe a dor física que tentamos resolver de imediato, embora a dor possa ser um sinal de algo mais sério. Também, da mesma forma, existe o desarranjo espiritual quando tragamos o pecado. O pior é que a maioria das pessoas que têm desarranjos espirituais continuam a comer daquilo que lhes faz mal, enquanto que, num desarranjo intestinal, as pessoas procuram saber o que lhes causou tal desconforto e tal mal. Quando o seu coração se sente mal, quando se sente indignado, quando se sente impaciente, porque razão você não afirma que comeu comeu a comida do diabo como faz quando está mal dos intestinos?

  726. "Filho meu, se os pecadores te quiserem seduzir, não consintas", Prov.1:10. Existem muitas formas de sedução. Existe aquela sedução directa, a qual é colocada diante dos nossos olhos sem palavras mansas e existem formas de sedução menos óbvias e mais indirectas. Quando uma acção de alguém o incita a errar, isso também pode ser considerado como uma forma de sedução. Por exemplo, alguém pode tratar mal seu filho ou roubá-lo e você reage de forma pecaminosa por causa disso. A intenção do diabo não era maltratar seu filho e sim desviar o pai ou a mãe do caminho. Tenha em mente que existem muitas formas de sedução para se desviar para o erro e contra os quais devemos estar atentos. " Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes permanecer firmes contra as ciladas do Diabo (...) porque não ignoramos as suas maquinações", Ef.6:11, 2Cor.2:11.

  727. Quanto mais fundo é o poço tanto mais limpa será a água à superfície. Quanto mais você se aprofundar em Deus, mais limpa estará a sua vida.

  728. Nunca tema recusar adiantar os tempos que Deus determinou para certas ocasiões específicas, pois, todo aquele que recusa o adiantamento dos tempos facilmente recusará os seus adiamentos. Recusando adiantar as coisas não é adiá-las - é colocá-las no lugar certo dentro do esquema e do tempo de Deus. Contudo, querendo adiantar os tempos de Deus, atrasá-los-emos porque, enquanto a pessoa está ocupada tentando adiantá-los, não se ocupa com o dia de hoje e nem com aquilo que a prepara para receber os amanhãs como coisas naturais e muito esperadas. Então, temos esta lei com dois lados: quem recusa adiantar o relógio pontual de Deus, certamente recusará atrasá-lo também. E quem tenta adiantar, atrasa, pois, o dia de amanhã depende inteiramente da perfeição daquilo que se faz hoje!

  729. Musica são sons organizados; filosofia são pensamentos organizados e cooperantes; a ciência é um conjunto de sabedoria organizada; a melodia é a beleza organizada. Santidade é um ser organizado. Organize-se!

  730. Por norma e pela lei da espiritualidade, toda aquela pessoa que entende certas coisas já as pratica de certa forma. É uma lei da criação. Por essa razão é que Jesus disse que, "todo aquele que pratica, saberá (entenderá)"; não disse que todo aquele que entende, fará. Se você entende o pecado é porque pratica o pecado. Se deixar de o praticar certamente também deixará de o entender. O mesmo princípio pode ser aplicado à santidade, à sabedoria ou a qualquer outra forma de vida, seja oração, linguagem, idioma ou outro. Se você entende o inglês é porque já o pratica ou, então, não o entenderia. Ganhe ânimo se já entende a santidade. Procure vivê-la e entenderá melhor os caminhos de Deus. Tenha em mente que só entenderá aquilo que pratica. Por essa razão é que, muitas vezes, as pessoas hesitam em lançar-se para a santidade ou para Jesus, pois não entendem porque ainda não praticaram. E é difícil entregarmo-nos a qualquer coisa que não entendemos. Parecerá arriscado demais. Mas, haja fé! Haja quem pratique as coisas certas da maneira certa sem entendê-las, pois, isso significa que haverá mais pessoas sábias ou, então, pessoas mais sábias depois de se aventurarem na solidez da obediência. Por isso é que o temor do Senhor é o princípio da verdadeira sabedoria, pois, as pessoas, ao temerem, praticam e, ao praticarem, ganham sabedoria e entendem melhor as coisas de Deus. A sabedoria é a principal consequência de quem pratica, pois "àquele quem tem, ser-lhe-á dado mais", Mat.25:29.

  731. Podemos estar muito ocupados com as coisas de Deus enquanto o nosso coração está nas coisas do mundo; ou estar ocupados com as coisas do mundo enquanto nosso coração anseia por Deus. Sempre que você estiver ocupado com Deus e suas coisas, deve ter ali todo o teu coração. Só acha Deus todo aquele que o busca sem estar de coração dividido, isto é, quem o busca de TODO coração e sem que parte desse coração esteja em algum outro lugar ou sendo dividido ou compartilhado por outra coisa.

  732. José aprendeu muitas coisas em seus anos de escravatura e desaprendeu muitas outras. Mas, a principal lição que aprendeu muito bem foi fazer tudo bem sem qualquer recompensa ou sem obter qualquer retorno por seus actos. Desaprendeu a fazer uso da própria força. Por isso geriu o Egipto muito bem mais tarde.

  733. As pessoas guiadas pela fé quebram sempre alguma regra da sociedade ou mesmo da sociedade religiosa ou cultural onde estão inseridas. Tamar deixou as roupas de viuvez dela e vestiu roupas de prostituta; Abraão quase sacrificou o filho que muito amava e mandou outro embora dando-lhe apenas um odre de água e pão, sendo rico; Davi comia dos pães sagrados destinados aos sacerdotes; Davi também levava o éfode de profeta, o que tentando alguns deram-se muito mal. Tenha sempre em mente que Deus é o Senhor das surpresas e nunca tem regras - e muito menos regras absurdas.

  734. Quando nos esforçamos para obter a vida damos uma ajuda preciosa para que a vida se apodere de nós. Por essa razão é que Paulo diz, "Apodera-te da Vida". Mas, devemos ter em conta que a Vida também se esforça para se apoderar de nós. Se nos esforçamos para nos apoderarmos dela, certamente que apressaremos os tempos e o nosso relógio espiritual será acertado com o de Deus. Contudo, caso nos esforcemos muito para nos apoderarmos da Vida Eterna em nós, devemos levar em conta que, na prática, estamos a esforçar-nos pela ideia e pela visão que temos da Vida. Então, essa atitude louvável de buscar e achar a Vida deve ser acompanhada de um coração maleável e estável para que vá obtendo, aos poucos ou rapidamente, a visão correcta do que realmente é a Vida. Se isso não acontecer assim, entraremos muito facilmente em caminhos próprios e estaremos sujeitos a certas manifestações de fanatismo, as quais Deus irá arrancar de nós com dor da nossa parte e com muito esforço da Sua parte.

  735. Se me falta compreensão das coisas de Deus, com toda a certeza que sou deficiente na obediência. Só entende aquele que obedece. A escuridão espiritual é o fruto de 1º, 2º e 3º grau da desobediência. Você quer luz? Obedeça a Jesus de todo seu coração até nos aspectos mais pequenos de toda a sua existência. Pense um pouco e verá que é da desobediência que nasce o fanatismo religioso porque as pessoas tentam o seu próprio caminho quando não têm luz. Olhemos, também, para o outro lado da questão. Você tem muita luz e tem entendimento profundo de Deus e Seus mistérios. Contudo, parece que a sua vida nem ata e nem desata no plano material. Não esteja preocupado, pois logo desatará e você será um ser completo em Cristo. O entendimento que você tem prova que está sendo obediente a Deus. "Se alguém quiser fazer a vontade de Deus, há de saber...", João 7:17.

  736. As pessoas têm por hábito pensarem que aprendem sempre algo através dos seus problemas. E até pode ser verdade. Contudo, é mais provável que Jesus queira que você desaprenda algo através dos problemas do que aprender através deles. Os problemas sempre impedem que sejamos aquilo que aprendemos a ser ou impedem que façamos conforme sabemos fazer colocando-nos no fim de nós mesmos.

  737. A razão por que o Senhor parece ser tão rigoroso em relação a cada relacionamento humano, é que ele sabe que todo relacionamento não baseado na lealdade a Ele primeiro, terminará em fracasso. Todos os seus relacionamentos baseiam-se em Deus?

  738. As tendências do Cristianismo de hoje é fazer as pessoas estarem satisfeitas num esgoto de doutrinas falsificadas. Todas as doutrinas são concebidas para criarem uma mentalidade de satisfação e de aceitação na cova da maldade onde as pessoas se encontram, onde se reúnem e louvam a um Cristo da cabeça deles. Contudo, Deus quer que todos saiam de lá ao invés de se sentirem satisfeitos por lá.

  739. Nós que queremos ser fiéis, não falamos das experiências pessoais e sim a partir delas. Pregamos Cristo porque experimentamos Cristo. Não acha já chega de falar de experiências pessoais?

  740. "Orai sem cessar". Isso significa que não devemos desistir ou parar antes de que a resposta nos seja dada a respeito de qualquer coisa certa. Essas orações respondidas honram muito o Senhor. Através delas Ele é glorificado. Quando estamos bem e limpos diante de Deus nenhuma resposta que tarde nos consegue tornar incrédulos - a menos que queiramos ser incrédulos. O que nos torna incrédulos é a consciência suja com algum pecado que recusamos abandonar ou limpar para sempre. Durante uma espera que parece não conseguirmos qualquer resposta, se insistirmos na busca do Senhor e se estivermos realmente limpos, durante essa demora conseguiremos crer com maior facilidade do que nunca. Parece uma contradição, mas, é a verdade. Também a esperança (a expectativa) são muito afectadas sob essas circunstâncias, tal como o amor. As pessoas amam mais e melhor sob provações enormes. Contudo, a esperança (a expectativa) necessita de ser pura, saudável e acima de qualquer suspeita. Ao esperarmos do Senhor através de uma esperança sólida do tipo que nunca engana, rejeitamos qualquer outra forma de alcançarmos aquilo que sabemos que será Deus a dar ou a efectuar. Davi não recusou matar Saul com sua própria mão?

  741. Sempre que alguém (principalmente esposo ou esposa) insiste que o outro faça uma coisa somente quando hajam conversado e combinado sobre o assunto, significa que quem insiste nisso também insiste que as que ele próprio faz não sejam discutidas entre ambos. Se você se queixa de que o seu parceiro ou parceira faz as coisas sem conversar consigo, isso significa que você está a decidir sozinho ou não quer discutir com ninguém sobre o que faz. Cada um deve cuidar da sua parte e isso acentuará essa forma de viver perante o outro. Se você conversar sobre as suas decisões ao invés de insistir na discussão das decisões do outro, pode ter a certeza o que você fizer, o outro acabará fazendo.

  742. Não só devemos e podemos ser motivados pelo Senhor, como nossos motivos devem ser os mesmos que os de Deus. Deus não pode motivar quem não tem motivos iguais aos d'Ele. São duas coisas distintas que acabam sendo a mesma coisa.

  743. Ninguém confia num desconfiado. Nem um cachorro confia em quem tem medo dele. Isso é uma lei da natureza. O desconfiado julga os outros por falta de fidelidade e todos nós sabemos que quem julga dessa maneira sofre dos males que vê nos outros. Desconfiado não é fiel e não pode ser pessoa de confiança. Ele mesmo demonstra que não é de confiança sendo desconfiado.

  744. O Senhor recebeu duros golpes em tempos. Ninguém esteve do Seu lado naqueles momentos. Hoje Ele ainda recebe golpes e afrontas na pessoa de Seus filhos. Contudo, se cada um de Seus filhos andarem duas ou três milhas sempre que lhes seja exigido ou pedido que andem apenas uma, eles jorram a fragrância do Senhor sobre seus perseguidores e concorrentes. Na verdade, é a glória de Deus que está em causa sempre que somos afrontados por causa do Nome d'Ele. Se andarmos a segunda milha, recebemos o golpe que estava destinado ao Senhor. Agora sim, agora podemos estar do lado de Jesus e receber todos os golpes apontados para Ele. Agora é tempo de podermos fazer isso.

  745. A razão por que Deus não dá a conhecer os seus tempos a muitas pessoas é que as pessoas se tornam orgulhosas com aquilo que sabem. Uns ensoberbecem-se com o que têm - outros com o que sabem!

  746. Nossa insistência em provar que estamos com razão é, quase sempre, um indício de que não temos razão em algum aspecto, mesmo quando temos razão no aspecto que focalizamos e no qual somos capazes de insistir.

  747. A nossa insistência em providenciar por nossos próprios meios prova que estamos a recusar a providência de Deus e o tempo certo de Deus. Também prova que Deus está prestes a providenciar, pois quanto mais perto estiver o tempo de Deus tanto mais impacientes as pessoas se tornam e tanto mais serão tentadas a providenciar pela própria mão.

  748. Devemos farejar a verdade, pois ela deixa seu cheiro e sua fragrância por todo lado e nós temos as aptidões para detectá-la, achá-la e experimentá-la desde a criação.

  749. Deus não é hipócrita. Ele é bom para os maus e para os bons porque é sempre como é: bom. Mas, os humanos estão habituados a fazer bem a quem apreciam e ser alegre diante de quem gostam. Logo, assumem que Deus, ao fazer-lhes bem, está de bem com eles. Pensam de Deus aquilo que pensariam de um qualquer pecador. Mas, é puro engano, pois porque Deus é bom tanto para os maus como para os bons e se Ele é bom para nós isso não significa que estamos de bem com Ele e nem que Deus está satisfeito connosco. Deus ser bom para nós não prova nada. Deus deixa o joio crescer no meio do trigo sem arrancá-lo até ao dia da ceifa. Lembremo-nos disso! Não se sinta satisfeito apenas porque Deus é bom para si. Sejamos e pensemos como Deus. "Sejam perfeitos como vosso Pai é perfeito. Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo?", Mat.5:46-48.

  750. Sempre que colocamos água no fogo e ela ferve rapidamente, é sinal que tem pouca água. Quando há muita água, ela demora mais a ferver. Do mesmo modo, existem pessoas que fervem em pouca água e logo evaporam-se nos caminhos de Deus. A fé e o entusiasmo delas dura pouco tempo. "E outra parte caiu em lugares pedregosos, onde não havia muita terra: e logo nasceu, porque não tinha terra profunda; mas, saindo o sol, queimou-se e, por não ter raiz, secou-se", Mat.13:5.

  751. Cuidado com aquelas coisas às quais Deus não diz "não" e fica calado sobre elas. Se Deus não disse não, ainda pode dá-las se permanecermos fiéis até que estejamos prontos a recebê-las. Prontos para receber significa que tudo aquilo que iremos receber não mais nos mudará para pior e não mais será tropeço para nós.

  752. Se fosse possível, seria muito melhor para nós pudermos fazer a coisa errada da maneira certa (através de Deus e de Seu jeito peculiar) do que tentar fazer a coisa certa da maneira errada, isto é, através da força do braço da carne. É pior usar fogo estranho no altar de Deus do que fazer a oferta errada. Por essa razão é que Davi recusou matar Saul quando o podia ter feito. Devemos recusar sempre qualquer tentativa de nos salvarmos a nós próprios, de providenciar para nós mesmos ou de fazer qualquer coisa por nós (ou por outros) que Deus esteja para fazer pessoalmente.

  753. Quando Deus fala ao nosso coração, isso nunca significa que é o coração que fala. Ele fala ao coração. E quando assim é, o coração não fala - ouve. Mas, quando respondermos s Deus, falemos com o coração. John Bunyan disse: é melhor que o nosso coração fique sem palavras do que as nossas palavras ficarem sem coração quando falamos com Deus.

  754. Evite qualquer forma de vida que não leva em conta a possibilidade do erro e do mal. Evite uma vida despreparada. A vida preparada e que vigia também sabe que terá de viver a vida de Deus e não uma vida que resiste ao mal. A vida preparada não perde tempo com o mal que leva em conta.

  755. Todas as causas de Deus são importantes, mas, Deus deve ser mais importante para nós que as causas, pois Ele realmente é. Mas, olhemos para este princípio visto do lado de Deus: nós somos mais importantes para Ele que qualquer obra que possamos fazer. "Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma?", Mat.16:26.

  756. Não existe ocasião mais confusa que aquela quando nós, os nossos motivos e alvos estiverem a ser mudados ao mesmo tempo. Mas, devemos pressionar e passar essa fase. Não existe caminho alternativo. Logo chegará o descanso prometido.

  757. Aquilo que é limitado também, é limita. A pessoa vinda do mundo contenta-se com pouco no tocante às coisas de Deus como paz, alegria e outros frutos do Espírito. Contudo, tudo o que recebemos começa sempre através de uma pequena fonte quando Deus deseja transformá-la em rios de água viva. Mas, como o homem nunca experimentou nada igual em seu mundo, logo fica satisfeito com a sua fonte pequenina. Isso impede-o de crescer e super-abundar em Deus. O que vemos ou recebemos de Deus necessita ser multiplicado e estar de acordo com Ele e com Seu poder. "Graça e paz vos sejam multiplicadas no pleno conhecimento de Deus e de Jesus nosso Senhor", 2Ped.1:2.

  758. Todo homem puro deixa-se convencer por Deus ao invés de se convencer a ele próprio. É assim que o homem puro evita o caminho do erro e, também, evita tentar convencer ou pressionar Deus com a vontade própria. Fé é estar convencido e persuadido por Deus e por Sua Palavra.

  759. Obra para Deus é aquilo que somos para Ele e não o que fazemos para Ele.

  760. A melhor visão é a visão do teu coração debaixo da luz de Deus; o melhor dom é conseguirmos arranjar toda a nossa vida com Deus; a melhor revelação é aquela que temos por haver terminado a limpeza de toda a nossa alma. Ninguém se conhece a ele próprio sem ser por Jesus e Sua luz.

  761. Qualquer descrente ou incrédulo tem e sempre terá sérios problemas para resolver. Eis um exemplo: Quando Deus fala e a pessoa não crê, aquilo que Deus disse não se concretizará. Isso tornará o incrédulo e descrente ainda pior. Mas, não é só isso. A voz que ouviu era a de Deus e vai parecer-lhe falsa, o que tornará as coisas mais difíceis quando Deus tornar a falar-lhe, pois não vai saber distinguir e a voz certa pareceu-lhe errada por não se haver concretizado. As coisas das vozes falsas é que não se concretizam. Mas, as coisas faladas por Deus também não se concretizam quando associadas à incredulidade de alguma forma.

  762. Quanto mais eu entendo da Bíblia, tanto mais me apercebo que a verdade andou jogada e abandonada. Agora sei o que sentiram os sacerdotes, o povo e o rei quando acharam as Escrituras abandonadas e cheias de pó num canto do templo, 2 Reis 22:8.

  763. Existe uma maneira errada entender as coisas certas tal como é possível usar a maneira certa de entender as coisas certas. Tenha cuidado, pois existem muitas maneiras de entrar no erro e no engano.

  764. Uma pessoa ignorante e sem sabedoria também costuma ser incrédula e desconfiada. A razão é muito simples: essa pessoa acha que sabe tudo e quando lhe mostram algo novo fica em dúvida simplesmente porque não acredita que algo que ele não saiba possa ser verdade ou possa existir. Todo aquele que acha que sabe tudo tem tendência para não ouvir os outros precisamente porque acha que sabe tudo.

  765. Falemos agora com aqueles que normalmente andam com Deus. Já reparou que assim que você se desvia (quer se dê conta do facto ou não) é precisamente quando muitas tentações fortes o atormentam? Já se perguntou por que razão isso acontece? Isso é porque Deus deixa quem se desvia entregue e à mercê dos seus pecados e de Satanás. Com isso a pessoa aprende que somente usando a graça será puro e imaculado e, também, que essa graça recebemos andando encostadinhos a Deus.

  766. Timidez é uma forma de orgulho e os ousados são pessoas humildes que frequentemente recebem do Deus que dá graça aos "humildes". Se Deus dá a quem é ousado, tal pessoa tem necessariamente de ser humilde porque Deus dá aos humildes.

  767. Rute era Moabita e foi um exemplo para o povo de Deus. Estranho, não é? Uma estrangeira nascida na idolatria ser um exemplo para o povo de Deus! Quando muito, o povo deveria ser igual a ela e ser consolado pelo exemplo de sua vida. Mas, Rute tinha mais virtudes de Deus que o próprio povo de Deus. Por isso era um exemplo para eles.

  768. Samuel foi dedicado para sempre ao Senhor por sua mãe. Mas, ele ainda teria de ser dedicado a nível pessoal. Ele teria de dedicar-se a ele próprio, pois, os outros não nos podiam fazer por ele aquilo que ele deve fazer. Ninguém pode ser sinceramente e verdadeiramente dedicado quando são os outros dedicá-los porque ninguém possui e ninguém domina a nossa vontade. E a nossa dedicação consiste na dedicação e consagração da nossa vontade a Deus.

  769. João Batista não era apenas cheio do Espírito desde a madre de sua mãe, mas, também tornou-se famoso desde a nascença. Deus preparou todo o caminho dele por dentro e por fora.

  770. Tanto Isabel como Zacarias, os pais de João Batista, foram cheios do Espírito (Luc.1:41,67), pois o filho precisava de pais cheios do Espírito e com a Vida certa para o criarem naquilo que deveriam. Serem crentes não bastava. Precisavam ser viventes exemplares para um filho com uma missão clara.

  771. A opinião publica raramente coincide com a de Deus. Lembram-se de como as pessoas queriam chamar Zacarias a quem Deus queria que se chamasse João (Batista)? (Luk.1:59-63).

  772. alguma vez se deu ao trabalho de pensar o que são aquelas coisas que condicionam o crescimento individual ou geral? Só condicionalismos é que condicionam. Condicionalismos são aquelas condições que impomos ou desejamos para que algo suceda ou não suceda. A nossa entrega a Jesus não pode ter condicionalismos e tem de ser incondicional. Esse é o nosso dever. E devemos acrescentar que qualquer condicionalismo individual também é um condicionalismo geral.

  773. Paulo e Barnabé tiveram uma grande discussão contra algumas pessoas em Antioquia sobre a circuncisão, Act.15:2. A igreja achou por bem enviar Paulo a Jerusalém para apaziguar a discussão e encerrar a disputa. Havia dois lados extremados e um deles estava certo. O mais interessante é notar como a igreja enviava um dos lados interessados para buscar a opinião dos apóstolos em Jerusalém. Eles não enviaram uma pessoa neutra, pois, enviaram Paulo e Barnabé. Isto revela como confiavam na sinceridade de Paulo e como Paulo manifestava ser sincero e demonstrava humildade suficiente num argumento.

  774. O instinto de esconder começou com Eva e Adão porque se aperceberam do mal que fizeram e da gravidade do seu acto. Contudo, hoje as pessoas já escondem até quando não fazem mal. O instinto já ultrapassa o mal, vive de forma independente e tem vida própria. Para além de aprenderem a ficar limpas, as pessoas precisam aprender a não esconder. Na verdade, é necessário que seja a primeira coisa a aprenderem. Esconder já é uma forma de vida e muitos já escondem por esconder e sem motivo nenhum. Aquilo que as pessoas chamam de "meu jeito" ou de personalidade é, muitas vezes, um hábito que precisa ser revisto e renovado. Não que as pessoas não tenham uma personalidade, mas, a verdade é que existem certos parasitas com vida própria dentro do coração que nasceram com o pecado e colam nas personalidades das pessoas. E é bom que saibamos que Deus veio-nos fazer pessoas novas além de criaturas novas. Não só a essência da pessoa deve e pode ser transformada, mas, também todo o seu exterior deve exibir a correspondente transformação. Cristo não veio fazer uma pessoa nova que mantém questões e maneiras antigas e nem uma pessoa velha com hábitos novos. Tudo precisa ser novo.

  775. É muito importante saber que, quando está sob intensas provações por causa da vontade de Deus, você tem a opção de buscar a solução dos problemas ou de buscar Deus somente. Ainda não se apercebeu que as provas colocam-nos sempre perante duas opções? Ou nos preocupamos ou nos ocupamos com Deus. Ou buscamos Deus para resolver os problemas ou usamos os problemas para resolver a questão da nossa intimidade com Deus. Quais os motivos que o fazem buscar Jesus? Busca o Senhor só por causa d'Ele? Se o faz, então não deixe de olhar para os problemas, pois, sejam quais forem serão resolvidos.

  776. "...Pois, a igreja (...) pelo auxílio do Espírito Santo, se multiplicava", Act.9:31. Deixe-me explicar o que era este auxílio que a Bíblia fala aqui como se fosse algo pequeno. Este auxílio era uma convicção de pecado profunda da qual ninguém conseguia livra-se; eram coisas que seriam consideradas extraordinárias por nós e não apenas como o "auxílio do Espírito Santo", coisas essas que iam ocorrendo todos os dias e inesperadamente, apanhando muitas pessoas de surpresa. Quando aquelas pessoas foram compungidas e convictas sob a pregação de Pedro, isso era o auxílio do Espírito Santo. Muitos, hoje, falam do auxílio de Deus com leviandade, pois consideram haverem sido auxiliados quando a própria força é usada e as próprias ideias se impõem pela carne. Os falsos humildes é que falam do auxilio de Deus quando conseguem seus intentos. Mas, não é isso que a Bíblia quer dizer com o "auxílio do Espírito Santo". Aquilo que acontecia com os apóstolos, os falsos humildes considerariam milagres, coisas extraordinárias e nunca como somente "o auxílio do Espírito Santo". Você consegue entender esta linguagem? Consegue ver o que quero alcançar? Não dê muito crédito a quem se empolga com as coisas maravilhosas que Deus faz. Essas coisas são o que a Bíblia diz ser "o auxílio do Espírito Santo". Aqueles que se empolgam e afirmam que "o auxílio do Espírito Santo" é coisa milagrosa, são precisamente aqueles que mantêm aquela humildade falsa que diz que as coisas da carne são o auxílio de Deus.

  777. Certifique-se que os seus inimigos o perseguem por causa da verdade e do evangelho e não por sua causa. Caso você seja perseguido, que seja especificamente porque você é verdadeiro e real e não por algum dano que causou a alguém. "Pois, que glória é essa, se, quando cometeis pecado e sois por isso esbofeteados, sofreis com paciência? Mas se, quando fazeis o bem e sois afligidos, o sofreis com paciência, isso é agradável a Deus", 1 Ped.2:20.

  778. Quando Deus nos livra de quem nos persegue, o que é doce é saber que Deus está connosco e não que está contra os inimigos. Saber que Deus está contra os nossos inimigos não deve ser o motivo da alegria. Quando Deus nos livra de forma real, somos colocados diante da opção de ficarmos cientes que Deus está perto. Sabe bem sermos ajudados por Deus apenas porque todo o tipo de perseguição provoca dúvida e hesitação em nós. Quando Deus nos livra costuma significar o fim dessas dúvidas. Por isso o livramento se torna doce. Isso não é o mesmo que ficarmos felizes com a vingança de Deus.

  779. O homem pequeno acha-se grande e o homem grande acha-se pequeno. Mas, aquilo que torna um homem realmente grande, forte e seguro é a sua convivência com Deus. Quanto mais Jesus crescer em nossas vidas em detrimento de nós próprios, tanto mais o menor será maior. Por isso, não queiramos ser grandes e antes busquemos a pequenez real. Busquemos a pequenez que não tem como ser fingida ou aparente.

  780. A vaidade é um sentimento de inferioridade. Quem se sente inferior aos outros comporta-se com vaidade para compensar a inferioridade que sente. Mostrando-se a ele próprio, o vaidoso sente-se melhor e mais equilibrado e, por norma, sente-se mal perto de quem sabe que não sente necessidade de se mostrar. A vaidade equilibra aquilo que o sentimento de inferioridade desequilibrou e fez pender para um lado. A cura da vaidade passa muito pela percepção de que somos todos iguais - já somos e não é preciso tornarmo-nos iguais a ninguém ou superiores para sermos iguais a alguém. Por muito que tentemos parecer ou ser melhores, nunca deixaremos de ser iguais aos demais.

  781. Deus não dá porque sou fiel. Eu é que posso receber por ser fiel. Deus não é bom apenas quando dá - Ele é sempre bom. Quando eu recebo é que o acto é bom para mim. Mas, Deus é bom tanto quando dá como quando tira.

  782. É verdade que Deus não nos ouve em oração quando estamos sujos e de consciência manchada. Contudo, quando Deus nos dá respostas à oração não significa que dá por estarmos limpos. Deus ouve-nos porque estamos limpos. Mas, ouvir e atender não são a mesma coisa. Não recebemos por estarmos limpos. Recebemos porque Jesus é bom e nos dá o Seu nome. Precisamos estar em condições de sermos ouvidos para podermos ser atendidos. A limpeza de coração coloca-nos, apenas, em uma posição onde Deus pode ouvir-nos e nós a Ele.

  783. Qualquer homem que se envergonhe de Deus pode nunca envergonhar-se de seu próprio pecado. Mas, caso você se envergonhe tanto de Deus como do seu pecado, escolha, entre dos dois, de quem se envergonhar e não queira viver dividido entre dois pensamentos opostos para sempre.

  784. "No ano primeiro de Dário, filho de Assuero, da linhagem dos medos, o qual foi constituído rei sobre o reino dos Caldeus, no ano primeiro do seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros que o número de anos, de que falara o Senhor ao profeta Jeremias, que haviam de durar as desolações de Jerusalém, era de setenta anos. Eu, pois, dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, saco e cinza", Dan.9:1-3. Toda a expressão de honestidade de Daniel encontra-se exposta nestes versículos. Ele não gastou o seu tempo com discussões interiores sobre aquilo que ele viu escrito no Profeta Jeremias. Ele não assumiu que tudo iria acontecer automaticamente e nem perdeu tempo a discutir se seria necessário a intervenção dele ou de alguma outra pessoa. Ele viu a promessa, viu que haviam passado os setenta anos e viu, ainda, que ainda continuavam em cativeiro. Daniel não ficou empolgado e a falar como os hipócritas fazem quando lêem as promessas de Deus. Esses hipócritas (que normalmente ficam de fora do cumprimento das promessas de Deus que eles vêem) assumem que as coisas irão acontecer automaticamente porque foi promessa de Deus. Mas, Daniel preferiu ir orar. Ele derramou todo o seu coração diante de Deus até obter resposta. Ele não perdeu tempo com questões doutrinárias. Ele assumiu a promessa e, ao mesmo tempo, assumiu que ainda estavam em cativeiro.

  785. "...E salvai alguns, arrebatando-os do fogo; e de outros tende misericórdia com temor, abominando até a roupa manchada pela carne" Jud.1:23. Deus sempre nos chamou ao ódio contra o pecado. Aqui vemos que nos chamou até mesmo à abominação contra o cheiro ou o vestígio de qualquer pecado. Deus não nos diz para virarmos a cara com medo de cairmos na tentação, mas, a abominar e a odiar até o cheiro do pecado. Se tivermos medo de olhar para o pecado como iremos olhar para resgatar quem anda preso nele? Mas, é pena que muitos 'odeiem' os pecados dos outros e não os próprios.

  786. O conteúdo do coração tem de ser transformado antes da expressão ser aconselhável. Muitos tentam expressar antes de mudarem. Isso pode ser apenas hipocrisia. Assim que o nosso interior houver mudado, todo o conteúdo de todo o nosso coração deve encontrar-se estampado em nossos rostos e palavras. Esse conteúdo será dedicado a Deus assim que for expressivo.  

  787. Quem ora de forma a obter respostas é pessoa corajosa. Não é pessoa negligente e não se contenta com orar. Sabe o que quer de Deus, sabe qual a vontade de Deus e enfrenta qualquer coisa para que ela seja alcançada. Não teme nada e não recua perante nada. Não teme sair desapontado na oração, pois, busca a resposta do Deus que conhecem ou querem conhecer como Ele é. A essas pessoas Deus dá as visões reais sobre o verdadeiro estado das coisas e de como elas realmente se encontram. Foi o que aconteceu com Ezequiel, Ez.37. Sempre que Deus nos mostra a desgraça, é para sabermos qual a quantidade de graça que nos será disponibilizada se persistirmos até a obtenção da mesma. Quando um professor lhe dá uma conta para fazer não está pedindo o resultado dela? Qual seria a outra razão para mostrar-lhe a dificuldade da conta? Por que razão você acha que Deus lhe está mostrando a dimensão do problema? Por isso é que eu acho que quem ora para obter respostas é pessoa de fibra. Ela encara o problema e ora para obter resultados certos. 

  788. Não posso esperar ser ouvido por Deus se não conseguir ouvir a voz d'Ele. Se ouço Deus, tenho a certeza que Ele também me ouve e se Deus me ouve tenho tudo para poder ouvi-Lo também. Mas, se você ouvir a voz de Deus e Ele a sua e não Lhe for obediente em tudo que ele diz e do jeito que Ele expressou ser a Sua vontade, poderá esperar que Deus lhe torne a falar? E se não pode esperar que Deus lhe fale, pode esperar que Deus já não o ouvirá também.

  789. Qualquer avivamento genuíno só tem condições para começar assim que todos os pecados de cada pessoa estejam devidamente expostos um por um e em todos os seus detalhes. Isso precisa ser feito de imediato e sem pré-condições. Se seus pecados foram lavados, espere esse avivamento a qualquer momento.

  790. Não posso considerar como dúvida aquela que duvida se Deus está connosco quando Ele não está. Para mim isso só pode ser fé e audácia. Hajam mais pessoas que consigam afirmar que Deus os deixou e abandonou sempre que isso é verdade! A dúvida que é pecado é aquela que não acredita no que é verdade. Acreditar na mentira não é fé - é incredulidade. E se isso é verdade, desconfiar ou duvidar da mentira só pode ser fé.

  791. É comum e facilmente aceite aquele conselho que nos dão que nos deveríamos sentir em casa em qualquer lugar e em qualquer circunstância. Mas, eu descobri que preciso estar em casa para sentir-me em casa; preciso amar para sentir que amo; preciso estar em Deus para estar bem. Não posso acreditar na aparência das coisas e nem acreditar nas coisas a qualquer preço - preciso poder acreditar somente na verdade.

  792. A Dúvida torna clara a falta de fé, tal como a incredulidade revela que existe algo em que vale a pena crer.

  793. Aquilo que o Senhor ama, eu amo também. E coloquei em meu coração desprezar completamente qualquer coisa que Deus despreza e não desprezar o que Ele ama ou nunca despreza.

  794. É preciso haver um ouvinte orgulhoso para um profeta orgulhoso ser ouvido.

  795. Jesus não nasceu no dia de Natal. Mas, se Ele realmente nasceu em nossos corações, podemos celebrar o Natal como se Ele tivesse nascido mesmo em tal dia. Nós celebramos que Ele veio ao mundo e não que veio ao mundo no dia de Natal. E, para isso, qualquer dia serve.

  796. Todos os homens de Deus que ensinam e aprendem complementam-se e, se eles se complementam, dificilmente serão iguais. O marido e a mulher complementam-se sendo distintos: Não devemos pensar que sermos distintos separa-nos dos outros. Eu creio que essas distinções contribuem mais para uma união saudável que que para uma desunião. Todos aqueles que Deus considera realmente servos Seus devem merecer toda a nossa atenção e disponibilidade - desde que sejam realmente servos de Deus.

  797. Pense: quão bem e quão lisonjeado você se sente quando as pessoas falam bem de si? E quão ofendido se falam mal? Quem sabe você é o seu próprio ídolo e busca ser agradado. Quando isso acontece dessa maneira, acredite que será desprezado para sempre. Os ídolos nunca alcançarão qualquer glória. Haverá pessoas que certamente lhe darão uma certa dose de glória temporária. Contudo isso durará pouco, pois quem dá glória ao homem busca glória do homem e apenas por essa razão a dá. Coloque Deus no Seu trono (em seu coração) e deixe de pensar no que os outros pensam e acham sobre si.

  798. Se até Barnabé foi enganado através de uma atitude de fingimento, de dúvida e de medo, Gal.2:13, quanto mais verdade será que uma atitude de sinceridade perfeita alcance a sinceridade dentro das pessoas que a presenciam! Se é assim tão fácil levar as pessoas pelo caminho do erro e para uma atitude errada e feia, quanto mais não será levá-las para a sinceridade sendo sinceros.

  799. Descobrir como viver uma vida santa e vivê-la faria as pessoas adiantarem tempos, redimirem esperanças perdidas e apressar o passo descansadamente. Aí saberiam que tudo o resto dependeria de Deus e não mais deles próprios. Contudo, sendo crente e andando conforme o curso deste mundo não apenas atrasa a concretização das coisas, como pode adiá-las eternamente.  

  800. O meu cachorrinho tem medo de trovoada e esconde-se sempre que os trovões fazem barulho ao longe. Ele acredita que aquele barulho é perigoso. Quando o seguro ele sente-se protegido e sente menos medo. Assim que soa outro trovão ele estremece novamente para sentir-se confortado novamente. Se eu pudesse colocar na cabecinha dele que aquele barulho não mata ninguém e que nada tem a ver connosco aqui na terra, ele sentir-se-ia melhor. Ele entenderia que eram disputas entre nuvem e nuvem para que a água caísse sobre a terra. Isso fez-me lembrar de como seria fácil para todos os crentes caso achassem aquela vida profunda e eterna dentro deles, aquela vida que fala dentro deles e é capaz de instruir! Eles não mais temeriam os rugidos do leão e nem as ameaças das tentações. Bastaria só que achassem essa vida. Seriam assegurados pelo lado de dentro e saberiam que as ameaças do barulho estão do lado de fora. A água fora do barco não o faz afundar e fá-lo flutuar.

  801. Todo aquele que ensina o caminho deve ensinar a aprender também. Todos devemos saber como aprender de Cristo, que é manso de coração. Todo aquele que não ensina como aprender do Criador não receberá o seu galardão, pois falhou em toda a sua missão. O Novo Testamento que Deus fez connosco é precisamente que Deus nos ensinará pessoalmente do mais pequeno ao maior, Jer.31:31-34. Quem não leva a Jesus e não ensina como aprender d'Ele é contra o Novo Testamento e nem se dá conta disso.

  802. São os homens experimentados quem mais precisa de exercício. As pessoas que nunca foram santas precisam aprender como obter um novo coração. Contudo, todos os que já têm um coração novo precisam aprender a viver a vida nova - o que nem sempre é fácil. Talvez seja muito mais difícil isso que ganhar um coração novo. A nova vida funciona como um programa de computador: tomamos conhecimento dele, depois baixamos e instalamos. Após esses passos será necessário aprender a usar o programa. Depois de instalado o exercício é fundamental. Devemos, também, estar a viver a vida que foi instalada em nós.

  803. Aquilo que separa o homem de Deus, também separa Deus do homem. Deus não alcançará o homem que não alcança Deus.

  804. "Nunca ouça um homem que não ouve Deus". Isso foi o que alguém disse e eu estou plenamente de acordo.

  805. Nunca descanse e nunca se sinta descansado se Deus não estiver realmente consigo e em si. A Sua ausência deveria ser sentida como não se sente mais nada. Deveria ser algo que nos atormenta noite e dia. É melhor sermos repreendidos por Deus se duvidamos da Sua presença do que sermos assegurados pelo diabo fora dela. Prefiro ser reprovado por Deus que aprovado pelo diabo, pois, quando Deus reprova, eu sei que deverei converter-me imediatamente. A única paz que assegura que entraremos no céu é aquela que sentimos na presença d'Ele. Se sentir paz na ausência de Deus, ou se sentir um mal-estar na presença d'Ele, é claro que você só pode estar mal! É a Vida Eterna dentro de nós que nos faz crer e sossegar diante de Deus. Ache-a já e não espere pela morte pensando que só depois dela irá poder viver para sempre e de forma constante.

  806. Quando confia em sua confiança ao invés de confiar em Jesus, já entrou no domínio da auto-confiança e da carnalidade. As pessoas relacionam-se mais facilmente com aquilo que são e sentem do que com Jesus. Cuidado com esse caminho que parece certo e cujo fim é a morte, Prov.16:25.

  807. Para nos podermos deleitar em Deus não poderá haver mais deleite em qualquer tipo de carne ou em coisa do mundo.

  808. Sempre que não somos pessoalmente e individualmente ensinados por Deus estamos a quebrar o Novo Testamento, Jer.31:30-34.

  809. Qualquer um que seja capaz de distinguir um falso profeta muito hábil e muito versátil em palavras, com certeza que terá olhos para descobrir um Paulo no meio duma multidão de falsos e descrentes. 

  810. Sempre que as pessoas desejam alguma coisa ardentemente, isso causa a crença de que Deus satisfará todos os seus desejos. Como se amam a eles próprios, logo crêem que o amor da parte de Deus é cumprir o que desejam. Na verdade, amor pode ser precisamente o oposto.  Contudo, Deus também pode expressar como Sua vontade aquilo que desejamos. E é aí que entramos em competição com Deus. Por incrível que pareça, quando Deus quer o que queremos, tudo se torna mais difícil para nós e não mais fácil. É mais difícil fazer para outro aquilo que desejaríamos para nós, do que deixar simplesmente de querer tudo o que desejamos. Quando se sentir confuso por causa da voz do seu coração e do seu desejo, não abdique de nada sem consultar qual a vontade de Deus a respeito do que deseja. Antes, abdique do seu coração em relação ao que deseja. Deus não falou contra vivermos a vida para Ele e sim contra não nos negarmos a nós mesmos. Nós achamos a vida sempre que a perdemos por amor de Deus e do Seu evangelho e não quando a abandonamos.

  811. Se a maior bênção de todas é termos o Senhor Jesus em toda a Sua plenitude, até mesmo quando não possuímos mais nada, seja riqueza ou saúde, então a maior maldição só pode ser não termos Jesus mesmo sendo ricos e abastados. Não existe maior maldição que estar bem onde Jesus não está; enfrentar o que Ele não enfrenta; escorregar pensando que nos erguemos; estar em queda livre sem nos darmos conta e onde Ele não nos ajuda a ver que estamos a ser enganados por este mundo, Ps.73.

  812. Houve um tempo que eu não sabia o que pensar sempre que Deus nos dizia alguma coisa que não se cumprisse ou não se cumprisse imediatamente. Logo descobri que a razão era a mesma de quando Jesus disse aos Seus discípulos para irem preparar um lugar para Ele em Samaria e não resultou, Luk.9:51-53; ou como quando não pôde entrar nas cidades depois de haver feito bem a alguém, expulsando dele todos os demónios, Luk.8:39. Se algumas coisas nunca resultaram com Jesus, muitas também não resultarão comigo.

  813. Desobediência é pecado grosseiro. Muitas vezes é a própria maldição do pecado, pois, as pessoas tornam-se desobedientes por haverem pecado. O mesmo podemos afirmar de uma disposição do coração em ser obediente ao erro e às coisas que parecem vir de Deus. As pessoas, em sua maioria, não conseguem obter um coração obediente simplesmente porque recusam entrar na porta estreita e preferem saltar o muro para entrarem no aprisco das ovelhas. Por isso, a desobediência tanto pode ser pecado como pode ser consequência do próprio pecado.

  814. Ociosidade é uma forma de impaciência. Também pode ser um desejo de fazer uma coisa diferente daquela que Deus nos pede daquele momento. "Porque, se em vós houver e abundarem estas coisas, elas não vos deixarão ociosos nem ociosos no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo", 2 Ped.1:8. Também podemos tornar-nos idiotas ociosos porque recusamos fazer as coisas certas do jeito de Deus e, por essa razão, nos tornamos ociosos porque Deus deixa de operar. Se quisermos fazer as coisas do nosso jeito sendo pessoas espirituais, é claro que nos tornaremos inactivos e carnais.  Por isso, concluímos que ociosidade é e será sempre pecado que existirá devido ao pecado também.

  815. Amar por dever e obrigação dificilmente será o mesmo que amar conforme podemos.

  816. O que Deus busca é uma transformação total de coração. Ana, mãe de Samuel, queria um filho porque era estéril. Ela era objecto do escárnio e da gozação da parte de todo mundo. Isso fê-la desejar ainda mais aquele filho por motivos errados. Contudo, os motivos errados que nasceram nela devido a essa perseguição anulavam o pedido e não a beneficiavam em nada. Graças a Deus que ela descobriu que era egoísta em relação ao filho que pedia. Mas, a parte mais bonita de toda a situação foi ela não haver desistido do filho quando se viu egoísta. Enxergou que a haviam tornado uma pessoa egoísta e má. Ela manteve ardendo diante de Deus o desejo de ter um filho abdicando dos motivos errados que nutria. Daria o filho a Deus caso o Senhor o concedesse. Desistir do filho não estaria certo, pois tudo aquilo que a carne consegue fazer, faz para ela própria. As coisas devem ser feitas por Deus ao invés de nos fazerem desistir delas. Precisa ser olho por olho e dente por dente para Deus de tudo aquilo que faríamos ou fazíamos por nós ou pela carne. Por isso é que Paulo disse: "Assim (tal e qual) como apresentastes os vossos membros como servos da impureza e da iniquidade para iniquidade, assim apresentai agora os vossos membros como servos da justiça para santificação", Rom.6:19. Com a mesma força e empenho devemos entregar todas as coisas a Deus que antes faríamos por motivos carnais e egoístas.

  817. É tão estranho que a palavra do Deus que disse "Haja luz" e até hoje ainda há luz, seja tornada infrutífera e impotente pelos homens. Mas, o mais interessante é que essa palavra do Deus Todo Poderoso seja tornada infrutífera, não pelo diabo, não pela oposição e sim pelos cuidados deste mundo, Mat.13:7,22.

  818. Se você consegue estar bem com Deus sempre que Ele lhe tira tudo, com certeza que viverá muito bem com Ele sempre que obtiver a desejada abundância da mão d'Ele e nunca se tornará infiel. Por isso, não cesse de orar até que tudo aquilo que sabe ser a vontade de Deus se cumpra. Como vê, é muito importante ficarmos satisfeitos com o nada tal qual ficaríamos com o muito, pois somos satisfeitos em Deus e vivemos abundantemente d'Ele e não de outras coisas.

  819. Se Deus ouviu a nossa oração e já nos atendeu, cada pedido sobre o mesmo assunto é uma forma de adiar as coisas e não de adiantar. Só mostra a quantidade de egoísmo relacionado com a obtenção do pedido. Isso é uma forma de incredulidade ou de esquecimento. Se não é incrédulo, esquece a resposta. Não pensem tais pessoas que são ouvidas por muito falarem. Isso só atrasa ainda mais aquilo que querem adiantar. Que resolvam o egoísmo ao invés de insistir no pedido. Mas, isto só serve para quando Deus realmente já ouviu e já deu resposta. Devemos saber separar o trigo da palha, a verdade da mentira e a emoção (ou a preocupação) dos factos.

  820. Todas as pessoas que sentem a pressão das dificuldades materiais estando perto de Deus, não sentem a presença de Deus e não confiam no Todo Poderoso que se encontra tão perto. Logo, buscam apenas o afastamento do jugo e não apenas Deus. Buscam que Deus levante o peso e não estão buscando o próprio Deus. Se esse for o caso, assim que o jugo for levantado deixarão de ser fiéis a Deus também. Não é possível sermos fiéis a Deus na abundância se nos queixamos debaixo das tempestades da provação e da tentação. É importante buscar ser fiel a Deus e à Sua pessoa sob qualquer jugo ou circunstância. Só assim Lhe seremos fiéis sempre. Os Israelitas que se entregavam ao queixume sob o jugo de Faraó, Ex.2:25, acabaram por se queixar contra Deus no deserto. Eram infiéis e maldizentes na escravatura. Consequentemente, continuaram infiéis e queixosos na presença de Deus no caminho para a terra prometida. Não sendo fiéis no Egipto, não o seriam no deserto e tão pouco o seriam, depois, na Terra Prometida. Você é fiel a Deus agora? Busca ao Senhor por Ele? Ou O busca somente para livrá-lo do mal? Insatisfação é fome da carne. A carne precisa morrer e não sentir fome, quanto menos ser satisfeita! José cuidou das coisas de Faraó e, por essa razão, cuidaria das coisas de Deus. Os Israelitas só trabalhavam sendo chicoteados e, por isso, tornaram-se infiéis a Deus no deserto e na Terra onde manava leite e mel. Quão diferente seriam eles caso fossem fiéis de coração em sua escravatura e fizessem mais do que lhes era pedido como escravos!

  821. Quando as palavras já são fogo, não é preciso incendiá-las ainda mais. Os pastores que confiam na maneira barulhenta como pregam têm pouco ou nenhum fogo e, se têm, desprezam-no confiando em suas próprias capacidades. Uma coisa é expressarmos tudo o que está no coração de Deus e no nosso - outra é embelezarmos o que dizemos para sermos creditados com algum louvor e consideração.

  822. Jesus veio libertar-nos para fazermos livremente e não para prender-nos ou para amarrar-nos para fazermos. A liberdade provoca desleixe a ex-escravos porque não sabem fazer sem serem obrigados. Quando a nossa vontade é liberta e obtemos graça para amarmos o que fazemos, nada mais funciona por obrigação - ainda que as coisas tenham de funcionar. A prisão e a obrigação inibe todos aqueles que sabem fazer na liberdade. A obrigação não cria ser responsáveis. E é necessário que se tornem responsáveis.

  823. Deus não é misericordioso a favor do pecado - Ele é misericordioso contra o pecado. Quanto mais Ele se estiver contra o pecado, mais misericordioso Ele se mostra. 

  824. Presunção existe porque não vemos o Deus que temos ou, então, não temos o Deus que dizemos ter.

  825. Todos pensam e sabem que devem entrar numa porta antes que ela se feche. Todos sabem que devem ir a uma loja antes da hora de encerramento. E por que razão pensam que não devem achar graça antes que a porta se feche? Só os bobos deixam a sua salvação para o fim. Não seja como as virgens tolas que deixaram algumas coisas para providenciar somente no fim. A porta nunca mais se abriu para elas.

  826. Não é errado pensar em matemática quando o fazemos com Deus ou através d'Ele e é errado ler a Bíblia sem ser por Deus e através d'Ele. Devemos saber fazer tudo através d'Ele, para Ele e com Ele.

  827. As pessoas hoje não rejeitam propriamente Deus e sim os crentes. Não considero pecado rejeitar a maioria dos crentes de hoje juntamente com tudo aquilo que ensinam. Só mostra como muitos buscam verdade e, por isso, rejeitam as mentiras.

  828. Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. Estas foram as palavras de João quando apresentou Jesus ao povo, João 1:29. Sempre que você quiser que exista um louvor espontâneo, apresente Jesus ao povo e não diga ao povo para louvá-Lo. Creio que sempre que alguém olhar para Ele e vê-Lo de facto, nunca será necessário mandar louvá-Lo. Esse louvor será espontâneo e imediato. Apresente Deus às pessoas ao invés de mandar que elas O louvem. Quem manda é um fraco e até pode ser um hipócrita que não faz, não vive e não experimenta o que manda fazer. Provavelmente, só manda porque ele próprio não o faria de outra maneira.

  829. Incredulidade ou falta de fé pode significar que existe um pecado em alguma parte de nossa vida que não foi exposto à luz. Se a fé é um dom ou um fruto, é claro que só uma comunhão real com Deus a poderá estabelecer e fazer frutificar. Senão, não seria fruto. Sempre que lhe faltar fé lembre-se desta verdade que Paulo afirmou: "mantendo o mistério da fé em uma consciência pura", 1Tim.3:9. A fé é preciso ser mantida. Você está incrédulo? Ao invés de esforçar-se para crer, por que razão não tenta antes limpar a sua vida do pecado? "...Conservando (...) uma boa consciência, a qual alguns havendo rejeitado, naufragaram na fé", 1Tim.1:19.

  830. A descrença e a incredulidade são sempre alimentadas por um rio de teimosia e presunção obstinada. Não existe incredulidade que não seja obstinação e que não se coloque contra a verdade.  Incrédulo é teimoso. E sermos presos a "Deus" do jeito que o imaginamos também é uma forma de teimosia e incredulidade. Só "cremos" se for de nosso jeito. E Deus é como é e não como O imaginamos.

  831. Cada tentação tem o poder de nos fazer cair como tem o poder de nos fazer equilibrar melhor. Ao sermos tentados somos colocados diante de várias opções: ou caímos ou nos manifestamos contra a tentação; ou usamos a nossa força ou a de Deus; ou nos colocamos em um frenesim de lutas interiores; ou somos impelidos e levados a buscar de preferência a paz de espírito e do sossego no poder de Deus.

  832. Podemos medir o sucesso de uma vida Cristã pela quantidade, pela simplicidade e pela qualidade da obediência a Deus e à verdade. Quanto mais natural e inconsciente a obediência, tanto maior será o sucesso da vida abundante. 

  833. Se não é a riqueza que nos leva a Cristo, com certeza que a pobreza nunca nos poderá separar d'Ele e nem nos deverá inibir de O conhecermos como Ele é. Nenhuma pobreza tem como separar-nos d'Ele. Devemos saber que todo aquele que se inibe e se preocupa durante tempos de escassez é pessoa para se desleixar depois que Deus providencia. Sempre que Deus providencia devemos saber que aumenta a responsabilidade de Lhe sermos fiéis. Devemos ir muito além da satisfação de havermos sido atendidos e supridos e, também, além da insatisfação de não havermos sido atendidos. O coração que se preocupa e o que se desleixa é um e o mesmo. Se ora a Deus para suprir todas as suas necessidades, certifique-se que se prepara, agora, sendo fiel sob duras provas, senão corre o risco de tornar-se irresponsável assim que Deus lhe der tudo o que Lhe pede, porque Ele certamente dará. Quem busca Deus por ser pobre pode deixar Deus assim que enriquecer porque, enriquecendo, já alcançou tudo o que queria. Devemos buscar Deus por Ele e só por Ele sob quaisquer circunstâncias. Todo aquele que conseguir ser fiel no pouco que tem e durante o tempo que tem pouco, certamente será fiel quando todo o Egipto lhe for entregue em sua mão. Foi o que José fez: ele foi fiel na prisão e enquanto era escravo de Potifar. Não é de admirar que também tenha sido fiel gerindo todo o Egipto. O mesmo princípio pode ser aplicado a todos os aspectos de nossa vida. Uma moça que cuida bem de seu quarto e casa de forma natural antes de casar, será facilmente uma esposa limpa e asseada após casar. Não pode pensar que se tornará limpa e asseada somente depois de casar. Se formos fieis a Deus durante a doença, seremos durante e após a cura. É tudo uma questão de coração, pois no resto Deus será fiel. Nada funcionará mais do jeito daqueles tempos quando ainda éramos infiéis em nossos corações e buscávamos o nosso próprio proveito, pois fomos fiéis no pouco e seremos no muito também.

  834. Todos sabemos que precisamos de graça e dos meios obtidos e consolidados pela graça para podermos viver com Deus do jeito que se vive para Ele no céu. Mas, mesmo assim, muitos são achados a discutirem doutrinas e mais doutrinas como se isso fosse resolver alguma coisa. Como é que você vai saber o que é encontrar-me se nunca me encontrar? Como é que você conhecerá Deus através da discussão de doutrinas? E se encontrar Deus de verdade, para que servirão as doutrinas? Devemos apenas conhecer Deus tal qual Ele é. A suposição não salva ninguém - nem aquela que se aproxima muito da verdade! 

  835. Quando fazemos do jeito de Deus aquelas coisas que consideramos nossas ou para proveito próprio, não podemos considerar tais coisas como egoístas, pois Deus não daria a Sua força para o egoísmo conseguir os seus propósitos. Contudo, sempre que fazemos as coisas para outros ou supostamente para Deus na nossa força, não podemos achar que isso é caridade. Isso é egoísmo. 

  836. O que mais cansa o homem é a carnalidade e não o trabalho. Se a carne, os propósitos próprios e os meios da carne morrerem todos, o homem nunca se cansará. Que sejamos crucificados com Jesus e todo o nosso labor será mais leve que uma pena e tão natural como nosso respirar. Você cansa-se de respirar? Todos respiram mais quando se cansam, mas, respirar não cansa.

  837. Deus diz que devemos perguntar "Onde está o Senhor" ao invés de afirmar que Deus está connosco quando não está. Muitas pessoas pensam que por afirmarem que Deus está presente em seu meio Ele irá deslocar-se para lá. Isso não é fé, pois fé é crer na verdade e não supor sobre o que poderia ou deveria ser verdade. Muitos afirmam que Deus está no meio deles apenas para se sentirem bem e confortados longe de Deus. “Os sacerdotes não disseram: Onde está o Senhor? E os que tratavam da lei não me conheceram e os governadores prevaricaram contra mim e os profetas profetizaram e andaram após o que é de nenhum proveito” Jer.2:8. O avivamento genuíno começa assim que o povo tiver a audácia de perguntar "Onde está o Senhor de Elias", de Paulo e doutros mais.

  838. Eva escondeu-se por trás das folhas por se haver apercebido do mal. Contudo, sabemos que ela apenas tentava esconder dela própria o mal que sentia haver feito. Escondia-se da própria vergonha. Como ela conhecia o que estava escondendo, também Deus o sabia. Tentar esconder de Deus é igual a tentar esconder de nós próprios - não resulta. Seria como uma criança que tapa os olhos para sentir-se escondida de quem não vê.

  839. As pessoas lutam pela boa opinião que os outros podem ter a respeito deles porque lutam para não perder a opinião que têm sobre eles próprios. O opinião forjada é sempre falsa. Você não precisa ser melhor ou pior que os outros porque já é igual aos outros. Lembre-se que quem luta para conquistar a opinião dos outros também mantém a luta pela influência que tal opinião exterior vai exercer sobre a sua própria.

  840. Muitos escondem coisas por várias razões. Adão e Eva esconderam por se haverem sentido culpados, perdidos e desobedientes. Fizeram mal e viram o que causaram. Por isso se esconderam. Nunca antes haviam experimentado aquele sentimento de perda total e ficaram sem saber o que fazer. Esconderam-se de Deus principalmente por causa disso, pois, ainda hoje temos vergonha de sermos perdidos. Eles não sabiam lidar com o que lhes aconteceu. Contudo, hoje, os descendentes de Adão já se escondem por outros motivos também. Escondem-se por orgulho, recusam por vaidade e teimosia, gostam que pensem que têm tudo, que sabem tudo e que são perfeitos. A imagem conta muito mais para o pecador de hoje. Por isso é que, muitas vezes, recusam perder até um argumento que possa ser traduzida em mudança de opinião sobre eles. Quem se esconde e defende será um perdedor querendo passar por santo vencedor.

  841. Creio que um homem rico que viva uma vida exemplar e totalmente entregue a Jesus alcança muito para o Reino de Deus, mesmo tendo de passar por mais provações e contrariedades. Tanto no rico como no pobre, a sua salvação é tornar-se mais simples e rendido ao que a graça de Deus providencia ao longo dos seus dias. Um homem rico passa por mais provações, é certo. Contudo, não podemos achar que um pobre não é provado pelo dó que sente dele próprio juntamente com outras coisas que podem passar pelo seu coração e pela sua vida. Sejamos pobres ou ricos, precisamos andar com Jesus continuamente e sem interrupção. Podemos casar e ser ou santos ou impuros; como podemos ficar solteiros e ser santos ou impuros; ser ricos e ser santos ou impuros; ser pobres e ser santos ou impuros. Bom é recebermos das mãos de Deus com alegria tudo aquilo que Ele nos dá, seja pela provação ou pela alegria, seja por doença ou em saúde, seja pelo ministério ou seja num emprego convencional. Seja o que for, façamos tudo por Deus. Façamos bem tudo aquilo que pode ser feito por Ele através d'Ele.

  842. Conviver com Jesus ou nos torna como Ele ou como o diabo. Os discípulos acabaram por se tornar como Jesus e os fariseus como demónios porque conviveram com Jesus. As árvores ficaram mesmo boas ou mesmo más, Mat.12:33. A convicção profunda ou nos torna santos ou, então, apedrejaremos Estêvão. Ninguém permanecerá igual depois de um encontro real com Jesus - ou acabamos como Judas ou como Pedro e João. Nunca mais seremos os mesmos. Se você estiver orando ardentemente por um avivamento genuíno, espere obter este tipo de realidades, pois as pessoas irão ter encontros reais com o Espírito de Jesus. Não espere nada diferente disto que lhe falo após o caminho chamado "Santo" haver sido aberto no deserto onde vive, Is.35:8. Tudo será realmente distinto. Você verá santidade que nunca imaginou possível e verá o mal como nunca o imaginou também. Não se surpreenda com nada e viva sabendo que quanto piores forem as pessoas tanto melhores se poderão tornar porque Deus está realmente operando. Tudo isto é verdade e acontecerá sempre assim. Se o Mar Vermelho se abrir diante de seus olhos não se admire para não ofender Deus e saiba que isso irá criar e consolidar uma nação para Deus e outra para o inferno. A admiração é a reacção da incredulidade sempre que as coisas acontecem conforme Deus falou.

  843. Orações sem respostas e sem concretização são uma total perda de tempo. Esteja bem com Deus antes de orar.

  844. Existem momentos quando nos sentimos bem e estamos bem. Existem outros momentos que não nos sentimos bem e estamos bem. Também é verdade que nos podemos sentir bem estando mal. A perfeição faz-nos sentir bem sempre que estamos verdadeiramente bem (com Deus) e sentir mal quando estamos realmente mal.

  845. Existem pessoas com medo de fazer as coisas por acharem que estão a usar a força da carne. Estes são preguiçosos e buscam desculpas para não serem obedientes. Outros, no entanto, exageram no querer fazer por nunca haverem aprendido a fazer tudo através do descanso em Deus. Tais pessoas carnais precisam explorar todos os meios para ficarem bem vistos. É muito importante acharmos o nosso lugar dentro do descanso de Deus. Eu creio mesmo que não existe pessoa mais activa que aquela que entrou no descanso de Deus. "Resta, pois, um descanso para o povo de Deus, Heb.4:9.

  846. Se nos amamos a nós próprios e tentamos fazer a obra de Deus, podemos ter a certeza que essa obra é feita na nossa inconveniência. Mas, caso amemos a obra de Deus e o Senhor Jesus de todo coração, não existe mais o que negar pois o amor pelas coisas do mundo foi substituído por um amor incondicional a Deus.

  847. Se Deus nos fala ou nos tornamos mais dóceis ou mais duros. Nunca mais seremos iguais. Se ouvirmos, seremos mais dóceis; se não ouvirmos seremos mais obstinados, duros e impacientes. A impaciência é uma forma de arrogância. Você já viu alguém estrebuchar e ficar mais teimoso? Isso deve-se ao facto de Deus estar operando e essa pessoa estar resistindo. Quando Deus opera em nós ou nos tornamos santos ou  nos tornamos demónios.

  848. Todas as orações de Jesus foram ouvidas e ainda hoje se cumprem. Ele orou que fossemos um com o Pai (João 17). Então, se você se sente sozinho e abandonado é porque Jesus orou que você fosse um com o Pai. Como você rejeita, irá sentir-se só porque não será um com mais ninguém.

  849. "Pelos teus preceitos alcanço entendimento, pelo que aborreço toda vereda de falsidade", Sal.119:104. Isto não significa os preceitos eram entendimento, mas, que após a obediência a Deus o entendimento é fácil. O entendimento alcançava-se devido à obediência e após a obediência. "Se alguém quiser fazer... há-de saber...", João 7:17. Contudo, a minha esperança não pode estar baseada no facto de que cumpro e sim em Jesus que me faz cumprir e alcançar.

  850. Uma das razões por que as pessoas se afastam dos mandamentos ou da vida de Jesus é serem instruídos, mas, não por Jesus. As pessoas podem aprender através da leitura, do estudo, da igreja e tudo mais. Contudo, aprendendo com Jesus garante a firmeza de quem aprende. "Não me aparto das tuas ordenanças porque és Tu quem me instrui", Sal.119:102. E para se aprender com Jesus não precisamos deixar a leitura, a instrução na Igreja que seja pura e nem de ouvir o nosso próximo. Basta sabermos que ler, aprender e ouvir é muito pouco. Precisamos ir além disso.

  851. "Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas, para que o mundo fosse salvo por Ele", João 3:17. As pessoas facilmente assumem que podem pecar, pois, afirmam que Jesus não veio para condená-las. Contudo, não podemos separar este versículo de outros. A verdade é que Jesus é a principal pedra de tropeço no caminho das pessoas. Será principalmente por causa de Jesus que as pessoas serão condenadas. Este versículo significa que as pessoas precisam arranjar-se para que possam ser salvas assim que Ele aparecer em suas vidas. Ele veio para salvá-las. Mas, pela Lei de Deus e por causa da justiça em relação ao Criador e em relação à responsabilidade universal, a pessoa que não muda antes ou no momento que Jesus lhe aparece, será condenada. "Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor; e ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha e fira a terra com maldição", Mal.4:5-6. E a maldição não é o que Deus quer, mas, se as pessoas não se reconciliarem é o que Ele quer e irá acontecer. "E a condenação é esta: A luz veio ao mundo e os homens amaram antes as trevas que a luz, porque as suas obras eram más", João 3:19. Então, é melhor arranjarmos a nossa vida a tempo para podermos ser salvos quando Jesus bater à nossa porta.

  852. Temos de chegar ao ponto onde conseguimos distinguir entre a liderança do Espírito Santo e o impulso da emoção; entre o bom senso e a impulsividade; entre o fazer com o coração e fazer para satisfazer o sentimento. Quanto mais depressa fizermos isso, tanto mais rápido estaremos seguros. Evitaremos sermos enganados quando a voz do Cordeiro nos for supra conhecida e familiar. É que não podemos lançar fora a liderança do Espírito apenas porque nos apercebemos que o impulso da emoção também tenta 'guiar' e não podemos deixar o bom senso apenas porque a emoção faz parte de nós. O problema do homem é que tem as bolas trocadas e tornou-se incoerente. Precisamos ser e viver a criação que somos em sua devida ordem e em devido tempo. Sermos extemporâneos não é sermos eternos.

  853. Deus deu um cajado a muitos pastores para com ele orientarem o rebanho pelo qual se tornaram responsáveis. Contudo, muitos desses pastores usam esse cajado para se apoiarem nele e não para apascentarem. O mesmo podemos dizer dos dízimos, ofertas e tudo mais. O alvo das ofertas é o sustento do povo que congrega e não do pastor da igreja. Você apoia-se no cajado ou usa-o?

  854. Quando somos atormentados ou tentados não nos podemos contentar com não cair em tentação, mesmo que não cair já é bom. Devemos viver a vida de Jesus. Não ficar zangado e permanecer calado nunca será o mesmo que manifestar a vida de Deus, se é que a temos em nós. Só quem não tem essa vida não a pode manifestar. A nossa função como servos de Cristo não pode ser não cair e sim andar bem como se nada houvesse para nos impedir ou fazer cair. Ache essa vida e viva-a. Isso é muito mais e muito diferente de segurar o seu posto ou a sua postura. E conseguindo isso não pode pensar que é um feito, pois isso é a normalidade para a qual fomos criados. "Domina no meio dos teus inimigos", Sal.110:2.

  855. Não pode esperar que Deus o abençoe naquelas coisas que Ele não aprova. Também não pode pensar que Deus nunca abençoará tudo aquilo que Ele aprova. Infelizmente, as pessoas quando oram, asseguram-se pelos desejos que a carne aprova e busca, ou começam a pensar que Deus não irá dar devido às experiências de não receber sempre que oravam de forma egoísta e carnal. No entanto, se mudarmos, devemos saber que Deus responde, pois mudamos e não podemos continuar a achar que ainda estamos na pré-história da vida anterior. Temos de assumir que tudo se faz novo quando somos novos de facto.

  856. Outra coisa infeliz que acontece aos humanos é que o mal raramente aparenta ser mau - nunca aparenta aquilo que é. Os maus não têm o hábito de revelar os seus corações e antes os escondem. São artistas na arte de camuflagem. Nós éramos maus. Mas, desde que viemos para o Senhor e tudo em nós se fez novo, não temos mais o que esconder, pois tudo é limpo. Contudo, os hábitos e as artes antigas de esconder podem sobreviver. Se sobreviverem, iremos viver uma vida nova do jeito antigo e isso nunca resultará. "Quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que seja manifesto que as suas obras são feitas em Deus", João 3:21. Não devemos ter mais o hábito de esconder nada, pois não temos mais nada para esconder. Não podemos viver divididos entre duas ideias e cambalear entre dois pensamentos, 1 Reis 18:21. Se Deus é Deus, andemos com Ele; se Baal é deus, andemos com ele. Na nossa vida prática, devemos saber assumir mentira como mentira, verdade como verdade, bem como bem e mal como mal. Precisamos estar firmados na verdade. Sejamos firmes então. Se a vida de pecado é boa, por que razão a escondemos? E se Jesus é bom e não o pecado, por que razão não O manifestamos ao mundo?

  857. Dúvida é descrer camufladamente como pode ser crer camufladamente. Contudo, não nos podemos dar ao luxo de crer a qualquer preço. Precisamos ver e experimentar a verdade para irradiar de vez e para sempre qualquer dúvida a respeito da verdade e, assim, exterminar a crença no engano e na mentira para sempre.

  858. Quem é que se esquece de beber água? Só quem não sente a sua sede ou quem não tem sede! Ou quem é que se obriga a beber água? Só quem está muito doente ou, então, quem não gosta de água. Lembre-se disso quando se esquecer de ler a sua Bíblia ou quando se obrigar a lê-la. A Palavra de Deus é água viva.

  859. "A luz é semeada para o justo e a alegria para os rectos de coração", Sal.97:11. Muitos querem luz para serem justos, sinceros e puros. Mas, lemos que funciona ao contrário, pois a luz é dada a quem é justo, sincero e obediente. "Se alguém quiser fazer a vontade de Deus, há de saber...", João 7:17. Também não podemos esquecer que a verdadeira alegria é para os que são rectos de coração e somente para eles.

  860. Medo é uma confiança excessiva e mórbida na carne. As pessoas temem sempre que se apercebem que a carne não lhes valerá de nada.

  861. "Fiz um pacto com o meu escolhido; jurei ao meu servo Davi: Estabelecerei para sempre a tua descendência e firmarei o teu trono por todas as gerações. Se os seus filhos deixarem a minha lei, e não andarem nas minhas ordenanças, então visitarei com vara a sua transgressão e com açoites a sua iniquidade", Sal.89:30. Deus pode abandonar qualquer um que peque e deixá-lo seguir seu próprio caminho. Contudo, parte do pacto que Deus faz com alguém é castigar quem se desvia para não abandoná-lo. Os filhos da verdade podem alegrar-se quando Deus os repreende: Ele está a cumprir o Seu pacto com eles!

  862. Pecado é ilusão. Muitas vezes é ilusão de óptica. Caso não fosse ilusão, nunca estaria em desacordo com a verdade. (Vamos assumir que verdade e realidade são coisas inseparáveis). Se o pecado não fosse ilusão não seria destronado pela verdade. Se é a verdade quem nos liberta do pecado, só pode significar que o pecado é ilusão e mentira. Como o pecado odeia a verdade e ama a mentira, podemos facilmente deduzir que o pecado é ilusão. É daí que nasce a inimizade entre a verdade e o pecado. Realidade e pecado não colam. E se isso é verdade, temos a garantia de que, crendo na verdade, nunca sairemos desapontados. Por essa razão é que é importantíssimo verificar se a verdade a que nos agarramos funciona e se é verdadeiramente prática. Caso não se torne prática, caso isso não seja possível, não pode ser verdade e é mentira ou tornou-se mentira por alguma razão.

  863. Sempre que a providência de Deus opera algo, sempre que Deus dá para cobrir as nossas necessidades, o objectivo d'Ele visa alcançar a nossa fé e coração e não apenas a nossa satisfação. O alvo das dádivas são a fé e a obediência futuras e não a satisfação pessoal.

  864. Muitas vezes, tememos porque a verdade é pisada e desprezada pelas pessoas. É triste o que fazem. Mas, quem sofre com isso é quem pisa a verdade e nunca a verdade. Se tivermos ouro na rua onde o pó o cobre, onde a chuva o molha ou os pés de todo mundo o pisam, o ouro não se estraga e nem perde o seu valor. Assim é com a verdade. A verdade nunca perderá o seu valor. Quem a despreza é que ficará a perder. Os falsos nunca prevalecerão contra a verdade. Pisando a verdade aumentam as hipóteses de saírem derrotados e de se destruírem a eles próprios. Eles saem sempre a perder.

  865. Nós devemos aprender a fazer as coisas pelos motivos certos. Basta começar a fazer pelos motivos certos que logo faremos tudo desse jeito. Quando Deus mandava matar até o gado dos inimigos de Deus e de Israel, fazia-o para que a gula dos Israelitas pelos despojos não fosse o motivo pelo qual Israel se motivaria a pelejar e a derrotar os povos. Sempre que os motivos de Israel se mantinham certos, Deus permitia e aconselhava que se apoderassem daquilo que os povos tinham. Davi dedicava tudo a Deus para evitar pecar e Deus usou tudo o que lhe havia sido dedicado com carinho.

  866. "Mas, Deus esmagará a cabeça de seus inimigos, o crânio cabeludo daquele que prossegue em suas culpas", Sal.68:21. Existe uma inimizade contra o Espírito dentro de cada ser que anda em pecado. Eles tornam-se inimigos de Deus e Deus deles mantendo-se naquilo em que são realmente culpados. Quem anda em suas culpas torna-se antipático para Deus, agnóstico, descrente e perverso. Ninguém terá como evitar que isso aconteça. Basta somente andarmos em nossas culpas para que isso seja uma consequência ou uma sequência natural de acontecimentos.

  867. Se as pessoas não mudam, não será porque o tempo para mudarem ainda não chegou. Na verdade, só não mudam porque não querem mudar. Não tem nada a ver com o tempo de mudança. Se o evangelho nos bate à porta, chegou a hora de mudar. Se não mudamos é porque não queremos.

  868. É melhor começar uma coisa e terminá-la com perfeição do que começar a fazer muitas coisas boas as quais não terminamos ou não aperfeiçoamos. O último pedaço de cada coisa feita será sempre a parte mais difícil de sair perfeita.

  869. O sinal de que estou perdoado é eu ter mudado. A mudança na pessoa que pede perdão é sinal de graça nessa vida.

  870. Ora até que consigas orar. Pede até que consigas pedir e receber. Vai querendo até que consigas querer. Vai falando até que consigas falar e expressar-te melhor e com menos palavras. Vai escutando até que consigas escutar e deliciar-te no que ouves. Vai obedecendo até que consigas ser pessoa obediente. Não esperes até obteres vontade de fazer - começa a fazer logo. Não esperes até teres vontade de orar - ora!

  871. "Deste um estandarte aos que te temem, para o qual possam fugir de diante do arco", Sal.60:4. É interessante notar como Deus não destrói o arco, mas, antes cria um abrigo, um estandarte para o qual possamos fugir e ficar seguros. O arco que persegue continuará lá. Será destruído só no final, isto é, após haver cumprido aquilo para o qual Deus o deixou prosperar até ali. Mas, até lá, não atingirá quem se abriga em Deus. "Digo-vos, amigos meus: Não temais os que matam o corpo e depois disso nada mais podem fazer", Luc.12:4. Também é interessante notar que Deus chama de "estandarte" àquilo que chamaríamos de abrigo ou refúgio. A santidade é esse estandarte. Primamos para ser santos e puros pela graça. "E ali haverá bom caminho, caminho que se chamará o Caminho Santo; o imundo não passará por ele, pois será somente para o seu povo; quem quer que por ele caminhe não errará, nem mesmo o louco", Is.35:8.

  872. Para existir alegria real e pura é necessário haver uma coincidência ou uma convergência entre o espírito do homem e o de Deus. É mesmo uma incidência, uma convergência de momentos e de espíritos, uma incidência e uma conciliação entre nós e Deus para que tudo se torne real e sem hipocrisia. Já pensou no que realmente é uma (co)incidência? Para muitos será uma coincidência, já que se desviaram do caminho e voltam atrás. O nosso espírito tem de bater certo com o de Deus. Ora, para haver essa convergência ou 'coincidência' é preciso que tanto o homem e Deus estejam afim um do outro. É fácil Deus estar afim do que é certo e real. Mas, o homem também precisa estar na sintonia de Deus. Um aparelho de rádio precisa apanhar a onda na qual a torre transmite. Não é a torre de transmissão que tem de apanhar a onda do rádio receptor. Ora, se a iniciativa estiver do lado de Deus, o homem pode não querer entrar na onda ou pode não se aperceber dela. Por isso é que a iniciativa de Deus costuma ser discreta e invisível. Mas, caso o homem tenha conseguido a ocasião e o espírito propício e natural para convergir com Deus, o Senhor estará sempre afim e irá convergir para o homem de imediato. Deus não muda e não se 'adapta' a situações. Essa é uma das razões por que o homem recebe o mandamento de vir a Deus para que Deus venha a ele também. "Chegai-vos para Deus e Ele se chegará para vós", Tiago 4:8.

  873. Existe aquela alegria falsa, a qual a pessoa não experimenta por dentro aquilo que demonstra do lado de fora. Pode demonstrar menos ou mais do que é verdadeiro. Ter essa alegria do lado de fora nem é errado, mas, pode e deve corresponder ao que se passa em nós. É verdade que os hipócritas assemelham-se aos certos. Mas, nem será por causa do hipócritas que devemos deixar de ser alegres de forma real. A alegria não é falsidade, mas, a falsidade pode ser 'alegre'.

  874. Foi prometido um filho a Abraão e não havia maneira do filho nascer; a Isaque pertencia a promessa de uma descendência para glória de Deus e Rebeca era estéril; a Davi foi-lhe prometido o trono por imposição das mãos de Samuel e tardava a realizar-se aquela profecia; podemos falar ainda de José e seus sonhos que não se cumpriam, de Jacó e até de Noé que demorou uns cem anos a construir a Arca. Isto só pode significar uma coisa: aquelas coisas que tardam a acontecer e que, por vezes, parece que não irão acontecer, são precisamente as coisas que são a vontade de Deus. Elas precisam acontecer e quem permanecer fiel a Deus irá herdar a promessa que Deus lhe fez pessoalmente. Existe um padrão na forma como as coisas se processam em relação às coisas que Deus promete.

  875. "Conforme é o teu nome, ó Deus, assim é o teu louvor até os confins da terra", Sal.48:10. Esta afirmação faz-nos pensar. Devemos lembrar que o louvor verdadeiro a Deus estará sempre dependente da realidade da presença de Deus, da experiência genuína de tudo aquilo que Deus é e da realidade da genuína manifestação de Deus. Será sempre conforme o Seu nome. Muitos falsos fazem as pessoas darem louvores falsificados a Deus. Não é disso que estamos a falar aqui. Eles usam o nome de Deus em vão. Você tem usado o nome de Deus em vão? Deus consegue manifestar-se tal e qual Ele é sempre que você anda, fala e esclarece? Será que os louvores de Deus estão mesmo de acordo com o nome verdadeiro de Deus por onde você anda?

  876. "A segunda maior revelação que o homem pode ter de Deus, é o plano do Senhor para si". Isto foi um amigo que me disse, alguém que deseja ardentemente saber qual o plano de Deus para sua vida. A revelação de Cristo de forma real é a maior das revelações para a alma. Foi uma bênção para mim o pensamento tão lúcido de meu amigo.

  877. "Esforçai-vos e fortaleça-se o vosso coração", Sal.31:24. O fortalecimento vem principalmente permanecendo em Deus, sendo que Ele é a nossa força se temos um relacionamento com Jesus que seja real e diário. Esse relacionamento só existirá se nos afastarmos do pecado, seja de que tipo for. Por isso, ser forte significa sermos limpos.

  878. A melhor maneira de impedir que os maus se instalem dentro duma congregação é pregar de tal modo que sintam vontade de ir embora caso não se convertam. Saindo, poderão voltar convertidos. Quantos mais maus houver dentro dos membros duma congregação, quantos mais se mantiverem por ali, menos Deus opera.

  879. Não seria maravilhoso? Eu tocando, Deus toca. Seria muito maravilhoso, não seria?

  880. "Confia no Senhor e faz o bem; assim habitarás na terra e te alimentarás de verdade", Ps.37:3. "...Te alimentarás de verdade da verdade..." Quão grande o significado! Você busca verdade? Você cumpre todos os requisitos e todas as condições para achar verdade? então não desanime. Contudo, nunca se atreva a separar a verdade da realidade. Se o fizer, ela será apenas mais uma fantasia. A verdade tem todo poder para tornar-se real. Atreva-se a ter realidade que esteja em conformidade com toda ela.

  881. Aquele que sabe esperar, saberá receber e ser fiel ao que recebeu. Aquele que não sabe esperar e manter a expectativa em Deus, desperdiçará se receber.

  882. Um santo aqui na terra das tentações é como um gigante no meio das formigas: por muito que seja molestado, não se torna formiga.

  883. É bom quando as torturas e perseguições aconteçam connosco somente para cumprimento das profecias, isto é, quando não servem mais para nossa própria santificação e correcção.

  884. O rancor é um pecado muito feio e grave. Mas, o dó que não é misericórdia é pecado igual.

  885. Muitos pensam que oração é somente falar. Mas, lemos uma coisa interessante que Davi escreveu: "Atende aos meus gemidos. Atende à voz do meu clamor"; "o Senhor já ouviu a voz do meu pranto", Sal.5:2;6:8. A voz do clamor e do pranto não são palavras. Seria como Deus atender a uma meditação em nós com carimbo de desejo. Seria como reconhecer a voz de alguém que amamos muito e de quem esperaríamos ouvir. Não ligamos muito ao que diz e sim a quem diz.

  886. Ninguém poderá sentir-se inferior a mim diante de mim sem minha autorização e consentimento.

  887. Uma entrega total, incondicional e voluntaria é muita coisa, mas, é também um tira-teimas. A pessoa verá se as coisas de Deus funcionam ou não. Logo tira as dúvidas e coloca Deus à prova.

  888. "Que ninguém te despreze", Tito 2:15. Para que ninguém me despreze se falo a palavra de Deus ou se faço as coisas de Deus, devo ter uma vida e condições onde Deus possa manifestar-se e revelar-se. Para que ninguém me despreze as coisas que falo precisam funcionar e para elas funcionarem Deus precisa ser actuante e demonstrar-se. Não será o confronto directo que fará com que não me desprezem. "Em breve, porém, irei ter convosco, se o Senhor quiser, e então conhecerei, não as palavras dos que andam inchados, mas o poder", 1Cor.4:19.

  889. Quem julga ama as aparências e finge a realidade. O que julga, quando o faz, tenta encobrir o pecado que vem julgando. Isto é, julgando começa a crer que não tem o pecado que facilmente vê nos outros. Logo, precisa manter as aparências para demonstrar legitimidade.

  890. Ser manso não é ser brando ou tolerante quando o pecado bate à porta. Aliás, quanto menos tolerante a pessoa é para com o pecado, tanto mais mansa ela se torna. O pecado traz dureza de coração com ele e a dureza é o oposto da mansidão. Então, o que é ser manso? Mansa é aquela pessoa que não é nada branda com o pecado (principalmente se o pecado é o seu próprio) e, ainda assim, é muito bem aceite e ouvido. A mansidão torna-nos capazes e mais audazes até mesmo para irmos mais longe do que aquilo que imaginaríamos ser humanamente aconselhável ou possível. Exterminar o pecado em nosso coração torna-nos mansos e não duros. Se deseja mansidão ardentemente, participando em algo que provém do Espírito Santo, certamente que só conseguirá alcançar esses desejos mantendo um ódio crescente e inabalável contra qualquer tipo de pecado próprio. Só depois disso poderá aprender a tornar-se verdadeiramente manso. Todos os que ouvem Deus tornam-se capacitados para tornarem-se verdadeiramente mansos. Ninguém pode separar a mansidão da disponibilidade de coração para com Deus. Os disponíveis para Deus, tornam-se mansos. Sabemos que todos quantos são mansos para com Deus, tornam-se duros para as coisas do mundo e o mundo recusa aceitá-los enquanto permanecerem na mansidão. Por outro lado, sendo 'mansos' para com o mundo, seremos endurecidos para Deus e para todas as Suas palavras. Uma face importante da mansidão é poder transmitir as palavras verdadeiras do modo que foram manifestas, sem acrescentar em nada e sem retirar de nada. Os mansos fazem precisamente isso. (Por isso, a mansidão e a fidelidade tornam-se inseparáveis). A mansidão torna-se tão óbvia que torna possível falar as maiores verdades da maneira mais direta sem ofender. O coração fica sem qualquer maldade. O que pretendo realçar é que tolerar o (próprio) pecado torna qualquer pessoa dura e não mansa. Esse ódio para com o pecado deve ser contra pecados reais e não contra pecados imaginários e supostos e nem contra acusações falsas. Uma pessoa cheia de mansidão pode expressar as palavras mais severas da maneira mais curta e, ainda assim, ser bem entendido e aceite. Os mansos podem dizer muito mais que qualquer um se atreveria a dizer. A verdade na boca dum manso de coração é certeira, atinge o coração e não fere - antes, ajuda a restaurar e a salvar. Essa verdade misturada com mansidão atinge como um raio e corta mais fundo que qualquer coisa. Corta sem esforço, tal como uma espada quente cortaria manteiga. É uma espada bem afiada: corta mais profundamente, corta melhor e não deixa cicatrizes e nem lesões. Mas, a verdade sem mansidão é como uma espada cega: fere e rasga ao invés de cortar mansamente e eficazmente. Se, por acaso, a verdade que falamos não é cortante e se é bruta, não devemos alterar o conteúdo da verdade por causa disso. Devemos, antes, aproximarmo-nos do Senhor para adquirirmos a mansidão da verdade.

  891. Muitos usam as trevas para andar, outros para se esconderem e para não serem vistos. Mas Deus pede de nós que andemos na luz, sempre. As pessoas normais usam a luz para andarem e não as trevas. "Andai enquanto tendes a luz (...) pois quem anda nas trevas não sabe para onde vai", João 12:35. É bom não sabermos andar nas trevas. É muito fácil aprendermos a andar sem luz. "Respondeu Jesus: Não são doze as horas do dia? Se alguém andar de dia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo; mas, se andar de noite, tropeça, porque nele não há luz", João 11:9,10.

  892. Se existe amor carnal, por que razão as pessoas pensam que não existe fé carnal, esperança carnal, mansidão carnal, paciência carnal e outras coisas mais que Deus muito abomina por serem imitações do que é certo?

  893. "Tornai vós para mim e eu tornarei para vós diz o Senhor dos exércitos. Mas vós dizeis: Em que havemos de tornar?", Mal.3:7. Será que sendo Deus a dizer esse tipo de palavras não chegaria para nós e, ao invés, queremos saber até questionar os aspectos em que devemos tornar a Ele? Será assim tão difícil acreditar que estamos realmente afastados de Deus quando estamos? Sendo Deus a pessoa que é não basta para Lhe darmos atenção, mesmo que ainda não consigamos ver o Seu ponto de vista? Não podemos acreditar n'Ele só pela pessoa que é?

  894. "Serei uma testemunha veloz contra os (...) que não me temem, diz o Senhor dos exércitos", Mal.3:5. Ser testemunha veloz significa, acima de tudo, ser eficaz e cujo testemunho permanece por muito tempo dentro da pessoa. O efeito surpresa ajuda muito para que isso aconteça e quando o Senhor fala pessoalmente com alguém, seja de que jeito for, surtirá um maior efeito na pessoa que mil sermões. E esse efeito surpresa raramente é conseguido sendo feito apressadamente, pois chegará em um momento que a pessoa não espera ou já não esperava. E Deus afirma que será essa testemunha veloz assim que os sacerdotes forem puros e limpos. "Por eles Me santifico...", João 17:19.

  895. Um certo tipo de confiança mútua entre homem e Deus opera tão fundo que tanto a indecisão como aquelas coisas que dividem o coração passam a ter as horas contadas. Se formos honestos no tocante à fé que temos ou que não temos, se somos pessoas que não inventam de ter fé onde ela não está assegurada ou de onde ela não existe, saberemos que o grau da nossa fé estará directamente relacionado com o grau da confiança que Deus deposita em nós. Ou será que já nos esquecemos que a fé é tanto um dom como um fruto do Espírito? Você é fiel? Concentre-se em ser fiel nos mínimos detalhes e sua fé será tão fácil como respirar.

  896. Quem aplaude e encoraja é co-autor tanto do bem como do mal. Quem critica o bem mostra o quanto se opõe a ser bom. Quem critica o mal com amargura demonstra o quanto recusa abrir mão dele e o quanto gostaria de ser mau se pudesse.

  897. Existem provações que não matam. Essas provas são como o poço onde José foi lançado: não têm água e não afogam ninguém. Você ainda tem a presença de Deus consigo? Então esse poço (a provação) não tem água e não mata ninguém. "...Libertei os teus presos da cova em que não havia água. Voltai à fortaleza, ó presos de esperança; também hoje anuncio que te recompensarei em dobro", Zac.9:11-12.

  898. Esquecer é uma característica humana, tal e qual lembrar também o é. Esquecer, quando aplicado de maneira conveniente, liberta o nosso cérebro e ser para poderem ocupar-se com aquilo que devem estar ocupados. Infelizmente, muitos esquecem-se do que devem lembrar para se lembrarem daquilo que podem e devem esquecer. Sonham para esquecerem a realidade e realizam a mentira para não terem de lembrar as suas consciências da verdade.

  899. A consciência não precisa e não deve ser forçada a acreditar em coisas que ela já sabe. Quem quer fazer a consciência acreditar em algo que ela já sabe, fá-lo porque certamente deseja enganá-la acerca de alguma coisa que gostaria de poder aprovar ou desaprovar. Rejeitar a Lei de Deus é uma forma de desaprovar e de desacreditar algo que deveria permanecer intocável. E a consciência forçada comete vários tipos de erros maldosos desse género. Rejeitar com facilidade e drasticamente é um deles. O outro é forçar a acreditar na verdade ou naquilo que já sabe. Forçar a consciência é o oposto da espontaneidade. E o oposto de espontaneidade na verdade é o caminho do erro.

  900. Nos caminhos reais de Deus tudo é mais lindo, mais real e mais prático. As imaginações podem-nos fazer alucinar por coisas que poderiam ser reais se pudéssemos crer em Cristo quando Ele as menciona ou as dá a conhecer. Você vai trocar realidade por ficção sendo que em Cristo tudo pode tornar-se prático e real? Toda a forma de egoísmo é uma luta irreal para alcançar uma forma de vida que não existe, não sustenta e não se mantém, seja em nós ou fora de nós. Todo tipo de egoísmo é uma luta da fantasia a favor duma vida irreal que se acredita ser real ou possível. Tornando-se real, tal vida de fantasia assusta-se e deixará de lutar por ela. E seria bom que se assustasse com ela própria ao invés de se assustar com a realidade prática das coisas maiores que nem teria como imaginar. Essas fantasias são teimosias e tornam-se decepções caso não se concretizem. Mas, a maior decepção é aquela que não vê a teimosia satisfeita. E Deus não pode satisfazer uma teimosia. Por isso, ou as coisas deixam de ser sonhos para nós ou Deus não as concretizará por serem teimosias. Enquanto não é hora de algo se concretizar, Deus até pode tolerar que a pessoa sonhe e imagine. No mínimo, isso evitará que se esqueça do que pode ser real. Mas, nem deveria ser assim. A impaciência faz as pessoas sonharem e a paciência fará as pessoas lembrarem que se tornará real tudo quanto Deus prometeu.

  901. Um amor secreto pelo pecado faz-nos julgar os outros e, também, julgar o pecado que desejamos crer ser odiado por nós. Quem julga ama as aparências e finge a realidade. Por outro lado, um ódio secreto para tudo quando é pecado faz-nos julgar a nós próprios, por vezes, muito severamente. Aqui, contudo, devemos levar em conta que a pessoa pode odiar uns pecados mais que outros ou ser tentado mais facilmente por uns do que por outros. Mas, assim que o amor de Jesus é realmente derramado em nós, todos os tipos de julgamentos sumários cessam, pois, o amor pelo pecado morre e pelo próximo cresce. Logo, juízos sumários acerca da vida dos outros cessam de forma resoluta, natural e espontânea. E como era hábito, devemos acabar com ele. Por outro lado, os juízos sumários que fazemos sobre nós próprios também cessam assim que esse amor é derramado em nós porque com o amor vem confiança maior e mais real em Jesus conseguir salvar-nos de qualquer tipo de pecado. Na verdade, esse derramamento de amor em nós é a própria salvação do pecado.

  902. Os hábitos que se ganham são sempre um problema quando as circunstâncias não mudam, ou quando ainda não é tempo de mudá-las. Coisas como a obesidade, a má-língua, a amargura e muitos outros pecados podem ser meras consequências de hábitos aos quais damos pouca relevância. "Olhai por vós mesmos; não aconteça que os vossos corações se carreguem de glutonaria, de embriaguez e dos cuidados da vida e aquele dia vos sobrevenha de improviso como um laço", Luc.21:34. Não posso ceder à força dos maus hábitos e nem esperar que mudarei quando as circunstâncias mudarem. Não posso acreditar que mudarei depois, pois o tipo de coração que tenho agora irá comigo para onde quer que vá. Vamos ter um cuidado especial para ganhar raízes prometidas por Deus antes das promessas de Deus a respeito das circunstâncias se concretizarem. "Ainda que se demore, espera-o; porque certamente virá, não tardará", Hab.2:3.

  903. Quando falar, precisa ter a certeza que o seu silêncio será prejudicial em termos eternos e as suas palavras o oposto; e quando ficar calado precisa ter a certeza que o seu silêncio diz mais que qualquer coisa que possa dizer. E quando não tiver nada para dizer, não diga nada. E quando tiver que falar, não acrescente e nem retire nada de suas palavras, não altere o seu tom de voz para não sentir que deve pedir desculpas pela maneira directa como fala.

  904. Dar o que nos sobra nunca será o mesmo que dar o que temos. Receberemos de Deus a recompensa de acordo com aquilo que não nos sobrou e não apenas de acordo com o que demos. Contudo, muitos dão do que lhes sobra e sentem-se felizes e muitos outros dão do que têm para se sentirem tristes. Têm o mesmo pecado e nem se dão conta disso. Mas, é verdade que também existem pessoas que dão do que lhes sobra com o mesmo coração alegre que têm quando dão do que lhes faltará. O que conta é o tipo de coração que temos quando damos e quando não damos.

  905. "E não é assim que fazem bem as minhas palavras ao que anda rectamente?" Miq.2:7. Fazer bem a alguém não significa que a pessoa que é abençoada se sinta bem com a maneira como foi tratada. Os sentimentos não demonstram que Deus nos fez bem ou mal. Tudo que sentimos irá depender do que achamos ser bom ou mal, não do que Deus acha bom ou mau e se estamos de acordo com Deus ou não. Deus pode-nos fazer muito bem através daquilo que nos faz sentir mal. E no Sal.73 lemos daqueles a quem Deus faz grande mal dando-lhes tudo para que se sintam bem antes que toda a Sua ira se manifeste contra eles.

  906. Respostas a todas as orações, mesmo quando recebemos um "não" contundente e claro, significam que temos um relacionamento real com Deus.

  907. Se você já aprendeu alguma coisa de Deus, é porque com certeza já ouviu a voz d'Ele. Quem sabe já ouviu sem se dar conta. Haver aprendido d'Ele prova que já detectamos a Sua voz. Só falta aprendermos a distingui-la das outras vozes concorrentes. Bastará separar os genes e a espiritualidade real.

  908. Todo o galardão final vindo de Deus será conforme a qualidade da obra e não conforme a quantidade. O galardão aqui da terra será conforme a necessidade da pessoa e da necessidade da obra que ela faz, isto é, se tal pessoa andar nos caminhos de Deus. Não andando nos caminhos de Deus pode receber a menos ou a mais e ambas as coisas servirão para condenar a pessoa. Recebendo a menos responderá porque suas orações não obtiveram respostas concretas; recebendo a mais tropeçará usando mal o que deveria ter usado bem e com aprovação e a bênção de Deus.

  909. Não esperes ser pessoa especial ou muito considerada para teres como mudar o teu canto no mundo. Basta que Cristo seja muito especial para ti continuamente e sem interrupção. Entrega-te a Ele ao invés de querer mudar a ponto de seres especial. Cristo quer quem tu és e não a pessoa em que pensas que te podes tornar. Não esperes até mudar para entregares-te a Ele, pois, Cristo só confia numa transformação na qual Ele participou de inteiro agrado.

  910. Digam o que disserem, quando existe alguém que acusa, não existe quem reconhece que errou. Quando alguém reconhecer que errou diante de quem acusa, certamente cessará todo tipo de acusação. Confessar todos os nossos pecados um por um consegue demolir toda a força da acusação. Experimente e verá. O acusador envergonha-se e o Salvador regozija-se. Antes o Salvador envergonhava-se de nós e o acusador regozijava-se. Mas, para acusar nem sempre é preciso haver transgressão: basta apenas haver alguém com uma atitude de não reconhecer. Ainda que não precise reconhecer, a atitude submissa e humilde deve existir. Os inocentes nunca deixarão de ser acusados, pois não têm nada para reconhecer diante de quem os acusa. Não vão mentir para agradar ou desagradar e, assim, não conseguem calar o acusador no momento em que são acusados. Logo, serão acusados falsamente e, como cordeiros, permanecerão calados para, mais tarde, Deus dar-lhes razão. E se continuarmos a ser acusados havendo cometido pecados ou crimes, será tão só porque não reconhecemos e optamos por nos defendermos de alguma acusação. Havendo quem reconheça, cessará a acusação. "Pois, que glória é essa, se, quando cometeis pecado e sois por isso esbofeteados, sofreis com paciência? Mas se, quando fazeis o bem e sois afligidos, o sofreis com paciência, isso é agradável a Deus", 1 Ped.2:20. Até diante dos tribunais comuns a acusação cala-se e deixa de querer fazer prova quando reconhecemos.

  911. Sempre que Deus não me dá algo que desejo bastante é porque eu sou mais importante para Ele que qualquer coisa boa que possa desejar para mim. As coisas funcionam assim: se tiver de escolher entre Jesus e Sua obra, Jesus virá em primeiro lugar. Do lado de Deus funciona tudo do mesmo jeito, pois, se Deus tiver de optar entre mim e minha obra, é por mim que opta.

  912. Muitos podem perguntar: "Por que razões Deus diz-nos para o buscarmos e o acharmos se somos escolhidos para ouvirmos o evangelho?" Ora, é fácil responder. Em primeiro lugar quem é escolhido para ouvir o evangelho é escolhido para mais tarde propagar a mensagem aos que não foram tão escolhidos quanto ele. Se não ouvir e se não obedecer ao evangelho, a eleição não lhe valeu de nada e servirá para aumentar na sua condenação. Por outro lado, sabemos como as coisas funcionam com quem não quer um relacionamento real com Deus. Quem não quer, precisa vir a querer. Ora, que melhor maneira de fazer alguém querer que deixar a iniciativa entregue em sua mão? Tendo a iniciativa, logo anula a falta de vontade e pode inverter todo o processo de rebelião.

  913. A nossa fé real é do tamanho da que temos quando estamos sob pressão, tentação e provações. Ninguém pode pensar que tem mais fé do que aquela que experimenta em momentos de grande provação. A nossa confiança deve ter como base a pessoa de Deus e não as nossas circunstâncias. Confiar e estar alegre em tempos de vacas gordas não é mau, mas, será que Deus muda quando as vacas emagrecem? Ele muda junto com as vacas? E se Deus não muda, por que razão será Ele de menos confiança em momentos difíceis? Por que razão a nossa alegria diminui e a nossa confiança n'Ele fica abalada se fé é confiar n'Ele e não nas circunstâncias? Confiança que teme ser posta à prova não pode ser considerada fé. Medo de ser provado é não confiar nas bases que nos seguram. Se somos abalados por qualquer ventinho de provação, temos a confiança nas coisas erradas. A nossa confiança depende da fidelidade, do poder, da sabedoria de quem nos coloca à prova para o conhecermos melhor.

  914. Morrer com Cristo é eu sair de cena entrando em cena - é Cristo viver e todos verem o poder de Deus, verem Jesus sempre que olharem para o meu lado. Sair de cena significa Jesus ser visto assim que olharem para onde estou. Se enxergam Jesus, não me enxergam a mim. Mas, para lá chegarmos não será decidindo ou sentindo que Jesus será visto e não nós. Isso precisa acontecer mesmo. Descubra como e busque achá-Lo de todo coração. É um caminho para lá chegar. Já ouviu falar do caminho do Calvário onde se pega em nossa cruz de forma decidida para irmos morrer de facto? Ninguém pega na cruz para carregá-la o tempo todo.

  915. Quando Deus disse à casa de Israel, "Buscai-Me e vivei", Amos 5:4, Israel estava sob maldições de todo tipo. Muitas coisas más estavam pairando sobre a cabeça do povo minando toda a sua existência e toda a sua vida prática. No entanto, o povo buscando Deus para viver não significaria que as guerras, a fome e tudo mais que se aproximava fosse evitado. Significaria que o povo deveria achar Deus no meio dessas coisas para, pelo menos, salvarem as suas almas já que a parte material seria completamente exterminada. Não podemos buscar Deus com aquelas segundas intenções de levantar o cerco do mal que nos rodeia. Devemos buscar Deus somente por Deus. Foi o que Daniel fez, pois mesmo em cativeiro conviveu com Deus. É precisamente nestas alturas que muitos ficam rancorosos contra Deus e dizem coisas que não deveriam dizer. Mas, Daniel tornou-se amigo intimo de quem o feria. De Daniel não se podia dizer assim: "E os padejei com a pá nas portas da terra; desfilhei, destruí o meu povo; não voltaram dos seus caminhos". "Todavia o povo não se voltou para quem o feriu, nem buscou ao Senhor dos exércitos", Jer.15:7; Is.9:13. Por essa razão Deus diz: "Portanto, o que for prudente guardará silêncio naquele tempo, porque o tempo será mau", Amos 5:13. Mesmo que Deus use coisas desagradáveis para corrigir-nos ou como meras provações, nem assim deveremos permitir arrogância e rancor contra Deus em nossos corações. Foi o que aconteceu com Jó. "Eis que ele me matará; não tenho esperança; contudo defenderei os meus caminhos diante dele", Jó 13:15. Deus também nos pode fazer passar por males para corrigir os outros.

  916. "Pois, assim diz o Senhor à casa de Israel: Buscai-me e vivei. Mas, não (...) passeis por Berseba...", Amos 5:4,5. Muitos evitam ir directamente a Deus para se converterem. Eles dão uma volta para chegarem lá e contornam o caminho. Será que você consulta aquilo que perde, consulta o seu caminho antigo antes de ir ter com Deus, antes de confiar em Jesus e somente n'Ele? Passa por Berseba e perde tempo contornando questões tentando evitar o inevitável? Já que irá viver com Ele, por que não começar já e da maneira mais certa, mais reta e mais imediata?

  917. "Buscai o bem e não o mal, para que vivais; e assim o Senhor, o Deus dos exércitos, estará convosco, como dizeis", Amo 5:14. Muitos dizem que Deus está com eles e não é verdade, aliás, nem pode ser verdade. E não podemos obrigar Deus a estar connosco caso Ele não esteja. Podemos, isso sim, buscar as coisas que deixamos de fazer, podemos cumprir o que Deus quer e podemos dedicar-nos à obediência, ao amor, havendo-nos limpado de nosso passado. Então, Deus estará connosco de livre e espontânea vontade e sem ser obrigado.

  918. Muitos acham que não ser fingido é ser duro e implacável. Mas, não ser fingido é apenas ser directo, recto e dizer ou fazer todas as coisas da maneira mais curta e mais amorosa. A verdade nunca magoa um verdadeiro de coração.

  919. As pessoas quando mudam o seu coração, não mudam por haverem mudado de lugar, de emprego ou de outra coisa qualquer. Ou mudam no lugar onde estão e sob as circunstâncias nas quais se encontram ou, então, não mudarão. É uma ilusão pensar-se que tudo mudará quando as coisas mudarem e forem diferentes, pois o coração continuará sendo o mesmo. Para onde nos mudarmos o coração que temos irá connosco.

  920. Os hipócritas, quando falam aos outros, elogiam e, muitos deles, até acreditam nas mentiras que dizem a quem falam. O pior dessa situação sobra para quem ouve os elogios, pois essa pessoa também começa a querer acreditar naquilo que houve e começa a colocar a máscara para parecer que é aquilo que não é. A pessoa tenta ser aquilo que pensam dela. É assim que um hipócrita faz outro hipócrita.

  921. Existem tantas promessas na Bíblia saídas da boca de Deus que nunca se cumpriram. Isso deve-se ao facto de as pessoas a quem eram dirigidas não haverem cumprido as condições e os requisitos de fé para obterem a vontade de Deus para suas vidas e para as vidas dos que os rodeiam. Do mesmo modo, existem muitas maldições que nunca se cumpriram porque as pessoas a quem se destinavam essas maldições arrependeram-se e creram em Deus através dessa mesma palavra de maldição. Importante é crer que Deus cumprirá o que falou, seja maldição ou bênção. Essa fé salva. Vejam quantas vezes Deus quer que se assegure e se tenha a certeza de que o mal que as pessoas recebem vem da parte d'Ele sem sombra de dúvida. Exemplos disso temos em Amós 4. E as pessoas que crêem e se indignam contra Deus, mantendo rancor contra Deus que lhes quer bem porque pronunciou mal contra eles para os salvar se cressem, certamente que se sentiriam orgulhosos caso Deus pronunciasse qualquer promessa a seu respeito e esta se viesse a cumprir antes de serem pessoas transformadas, humildes e aceitáveis a Deus. Muitas promessas ficam pendentes aguardando as transformações que Deus precisa conseguir em nós antes que se possam cumprir.

  922. Muitos crentes sãos ficam confusos porque têm coisas no coração que gostariam de discutir com Deus. A confusão vem das muitas coisas que existem em suas imaginações. Na verdade, a maior causa é é a desordem dos seus pensamentos. A desordenação pode parecer confusão. Bastaria reduzir ou distribuir melhor a quantidade de matéria do pensamento para funcionarmos melhor. E você pergunta: que irei reduzir? Muitas coisas podem ser reduzidas. Por exemplo, pode reduzir aquelas coisas que são inegociáveis para Deus, isto é, aquelas que Deus nem irá discutir consigo; pode reduzir a fantasia, a religiosidade e todas as coisas associadas à imaginação corrompida; pode reduzir as esperanças falsas; pode reduzir os sonhos e achar realidades; na verdade, pode limitar muito o seu campo de trabalho e tornar-se mais eficaz, mais oportuno e mais perspicaz em todos os aspectos. E como podemos distribuir a matéria de pensamento? Uma das maneiras é tratar profundamente uma coisa de cada vez e ordenar ou disciplinar nossa inteligência; Depois, será necessário tratar dos assuntos até um ponto final e onde seja Deus a colocar esse ponto final. Deixar as coisas a meio é espantar a disciplina e chamar a desordem. Nós funcionamos muito como um disco rígido de um computador e do qual podemos tirar muitas coisas para que ele opere melhor.

  923. Um crente limpo sente-se mal perto do mundo tal e qual um crente sujo ou mundano sente-se mal e incomodado perto de Deus ou dos crentes limpos.

  924. Se as pessoas do mundo animam-se e sentem-se fortalecidos através de uma fé falsa dizendo que têm fé e que tudo irá correr bem, isto é, se através da mentira conseguem animar-se e sentir coragem, imaginemos como se poderiam animar todos aqueles que crêem naquilo que irá acontecer de verdade! Os que se "deixaram enganar por suas próprias mentiras" (Amós 2:4) animam-se sempre e sentem-se encorajados com esperanças falsas e terrenas acerca de Deus. E como têm razões de sobra para se sentirem animados todos aqueles que não crêem em vão e cujas esperanças são bem válidas! Crente limpo está seguro em Deus. Você já parou um minuto para pensar na realidade, na verdade, na certeza das coisas em que acredita e espera de Deus? Tire uns momentos para ver a realidade da esperança que não é e não poder ser falsa e se vem de Deus. Existe muito por trás destas palavras: "Esforça-te e tem bom ânimo, porque tu farás...", Josué 1:6. É só uma questão de tempo.

  925. Seria bom se cada filho de Deus chegasse a um ponto onde o diabo, para tentar, tivesse de dar a cara e dizer quem era, pois isso significaria que ele já não conseguia usar nada da carne e daquilo que o homem considera ser ele ou dele para ser tentado, vendo que era inútil tentar ficar escondido por trás da carne da pessoa que tenta. Sendo assim, só lhe restaria o confronto directo.

  926. Sabemos que a depressão é uma montanha de pecados por confessar a Jesus, por muitas explicações que a classe médica possa ter sobre o assunto. Contudo, devemos distinguir entre depressão e frustração, pois aquelas pessoas que honestamente não sabem onde pecam sentem frustração. Os que não confessam sabendo o que devem colocar na luz imediatamente, acabam em depressão se não o fizerem.

  927. Existem duas maneiras de as coisas acontecerem no devido tempo de Deus. Uma das maneiras é a providência de Deus. A outra é a sempre presente confiança no coração, aquele calor de se saber para além de qualquer dúvida que Deus tudo proverá e tudo é capaz de prover. Isso não uma coisa nossa e não é o próprio a tentar convencer-se ou confortar-se. Contudo, não separe a providência da fé e nem a fé da providência, pois, quando não se confia e a providência chega até nós teremos de confiar ainda; e quando confiamos, a providência de Deus irá prover ainda.

  928. "A semente mirrou debaixo dos seus torrões", Joel 1:17. Os pecados dos homens não deixam as coisas de Deus rebentarem e prosperarem. É o que fazem os torrões secos em cima das sementes. Sabia que as suas mágoas e pecados impedem a obra de Deus tanto em sua vida como nas vidas de todos à sua volta?

  929. É pena que quando falte tudo aos filhos dos homens eles fiquem sem alegria. Só mostra que não tinham nada quando pensavam que tinham tudo. Revela, também, em que depositavam as suas esperanças. "A vide secou-se, a figueira murchou-se; a romeira também, a palmeira e a macieira, sim, todas as árvores do campo secaram-se; e a alegria esmoreceu entre os filhos dos homens", Joel 1:12. É triste ouvir isto, mas é uma verdade, é um facto. Poucos há que consigam dizer de coração e principalmente no momento quando tudo falta o seguinte: "Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto nas vides; ainda que falhe o produto da oliveira e os campos não produzam mantimento; ainda que o rebanho seja exterminado da malhada e nos currais não haja gado; todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação", Hab.3:17-18. Consegue ver o contraste entre os dois tipos de pessoas? Contudo, aquele que se alegra em Deus não se alegra à toa como aqueles que se alegram somente quando tudo lhes corre bem, pois tem as costas quentes e sabe por que razão se alegra.

  930. Crer que sabemos tudo quando a verdade tenta convencer-nos doutra coisa é um hábito ancestral de resistir à verdade.

  931. Não podemos crer em mentiras. Muitos assumem que ter fé faz a diferença. Mas, que tipo de fé é aquela que somente crê ao invés de crer no que é verdade? Fé é crer na verdade. Não é crer. Caso as coisas não sejam para se tornar reais em nossas vidas, de nada nos vale crer nelas ou crer que existem. Se você acreditar que está a respirar oxigénio se só existe gás à sua volta, poderá a sua crença evitar que morra? Vamos parar de mentir para nós próprios e de nos enganarmos a nós mesmos. A única razão por que podemos e devemos crer antecipadamente (e isso quando é Deus quem pronuncia as coisas que não são como se já fossem), é porque Deus se acha em todo lado e é envolvente. Por essa razão podemos e devemos crer momentos antes de algo poder tornar-se real. Só não podemos crer que já é real e sim crer como se fosse, pois isso é crer na verdade. Não existe nada impossível para Deus. A fé vale de alguma coisa crendo em uma mentira?

  932. Muitos afirmam confiar em Deus com motivos dúbios, pois, na prática confiam neles mesmos e só confiam para poderem persistir nos próprios caminhos. A crença é uma desculpa ou uma motivação para viverem mal, tal como as aparências.

  933. O Senhor responde pelas palavras d'Ele e nós pelas nossas. Deus só responderá pelas nossas palavras quando essas palavras são as d'Ele. "A vossa palavra seja sempre com graça, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um", Col.4:6. "Se alguém fala, fale conforme as palavras do próprio Deus", 1Ped.4:11.

  934. Se alguém me mente, dificilmente crerei em tal pessoa novamente. E se eu mentir para mim próprio e para Deus não serei uma pessoa confiante, pois sei que finjo e minto para mim próprio e até tenho as provas dessa conduta absurda que pretendo ignorar sem sucesso. Uma pessoa que mente para ela própria ou mente para Deus é como uma casa que ruiu há muito tempo e da qual pretendemos erguer a fachada para mantermos as aparências, isto é, para mostrarmos que não caiu. Sempre que vejo uma pessoa que acha que não consegue fazer qualquer coisa através do poder e do processo de Deus, sei que estou olhando para uma pessoa que mentiu muito para ela própria e não crê nela própria. Mas, Jesus mandou que crêssemos n'Ele e nunca em nós.

  935. Eu creio que é necessário terminarmos mais frescos, mais leves e mais espontâneos do que quando começamos. O caminho de Deus não cansa se voarmos como águias. Ao contrário de muitas corridas que vemos, temos tudo para terminarmos mais frescos do que quando começamos a corrida. Pena é que existam aqueles que apenas aplaudem quem corre. Como eles próprios não correm, torna-se cómodo aplaudir quem o faz abnegadamente. Há mais desses que verdadeiros corredores. E eles nunca experimentarão o que é correr sem nos sentirmos cansados e sentirmo-nos menos cansados a cada passo que damos. O processo é o inverso daquele que acontece neste mundo, pois, neste mundo cada passo cansa um pouco mais a cada dia que passa. Nos mundo de Deus cada passo cansa um pouco menos. Estará você apto para tal vida? Será fácil para si aceitar essa forma de viver como se nunca tivesse vivido de outra forma?

  936. O homem só pode imitar aquilo que imagina. Se deixarmos de imaginar certas coisas de Deus para recebermos a realidade delas, logo haverá muito menos hipócritas a passarem por santos.

  937. Quem dá ganha sempre o favor de quem recebe. Imaginemos o que acontecerá com quem dá sem motivações egoístas!

  938. Existem razões pelas quais um coração acaba por estar dividido em relação a Deus. Quando Deus abandona alguém por causa do pecado, essa pessoa fica tentando viver do modo de Deus e de seu jeito alternativo ao mesmo tempo, pois sabe o que deveria fazer em relação a Deus e, contudo, não dá certo. Logo, tenta a sua maneira. A divisão de coração não são apenas anseios e motivos distintos coexistindo em um mesmo coração, como pode ser o uso de forças diferentes para o mesmo motivo ou objectivo; ou até seguir caminhos diferentes para os mesmos objectivos através da mesma força. De qualquer modo, o homem será sempre o culpado se o seu coração se encontrar dividido. "O seu coração está dividido, por isso serão culpados", Os.10:2.

  939. A resistência não dura sempre, mas a obediência pode ser eterna.

  940. É bom quando conseguimos contrariar certas profecias. Por exemplo, Deus disse que "na Assíria comerão comida imunda", Os.9:3. Contudo, Daniel recusou comer essa comida imunda, mesmo que tenha sido deportado para lá. Ele contrariou aquilo que Deus disse que iria acontecer com ele, Dan.1:8. E Deus agradou-se tanto disso que o amou muito. O anjo disse-lhe: "...És muito amado", Dan.9:23. Você já contrariou as profecias que saíram contra si? Existem muitas coisas que Deus disse que aconteceriam que você pode e deve contrariar. Por exemplo, Deus afirmou que a pessoa limpa e vazia volta a ser sete vezes pior. Contrarie isso e não fique pior voltando. Depois, volte-se para ser cheio de Deus como deveria ter sido antes de ter voltado para o mundo.

  941. Muitos dão gato por lebre a Deus, isto é, pensam que dão. Na verdade, para eu poder dar alguma coisa a alguém essa pessoa precisa recebê-la. Deus não recebeu a oferta de Caím. Existem ofertas que são dadas, mas, que deus não aceita. O mesmo podemos dizer de orações e estudos bíblicos que se multiplicam sem que sejam aceitáveis a Deus. "Mas o Senhor não os aceita", Os.8:13. Contudo, muitas pessoas não notam que Deus não aceita. Nesse aspecto são piores que Caím, pois, ele conseguiu aperceber-se de haver sido rejeitado por Deus - algo que muitos não fazem. Existem pessoas que dão e dão e dizem que dão a Deus sem nunca se aperceberem que Deus não aceita nada de suas mãos. Depois, cobram algo de volta. Se dei, como posso cobrar de volta? O povo engana-se a ele próprio e falam por Deus falsamente, dizendo que é Deus quem aceita. "Quanto aos sacrifícios das minhas ofertas, eles sacrificam carne e a comem (...) pois o seu pão será somente para o seu apetite; não entrará na casa do Senhor", Os.8:13. Você sacrifica carne ou espírito? Não será carne usando as palavras do espírito que você está comendo e sacrificando tão determinadamente?

  942. "...Da sua prata e do seu ouro fizeram ídolos para si", Os.8:4. O ídolo é uma fantasia. Mas, muitos daqueles que não se consideram idólatras por se haverem constituído evangélicos continuam, contudo, a financiar as suas fantasias usando o seu dinheiro. Pagam pela vaidade, gastam o que Deus lhes dá para se perverterem com fantasias e enganos. "Filhinhos, livrai-vos dos ídolos", isto é, das fantasias, 1 João 5:21. "Mas, Eu enviarei sobre as suas cidades um fogo que consumirá os seus castelos", Os.8:14. Este fogo do Espírito consumirá todos os castelos de areia que as pessoas constroem tão facilmente. A realidade de Deus tira o fôlego a qualquer irrealidade ou fantasia. Haja fogo. "Vim lançar fogo à terra; (...) e como me angustio até que venha a cumprir-se!", Luc.12:49,50.

  943. Um corpo sem espírito, sem vida é um cadáver. Um crente ou uma igreja sem a plenitude do Espírito, sem a verdadeira vida também é um cadáver.

  944. A força das minhas mensagens é e deve ser a manifestação de Deus através delas e não a quantidade de sabedoria humana que revelam.

  945. Por que razão é importantíssimo reconhecermos o pecado e que Deus não está connosco quando não está? Por várias razões, mas, duas delas são: uma é porque isso ajuda-nos e incentiva-nos a tomar medidas para que Deus possa estar realmente connosco; a outra é para que o nome de Deus não seja blasfemado e para que os povos não fiquem com a impressão que Deus não existe sempre que vejam crentes desamparados.

  946. Deus não se torna infiel só porque as coisas demoram a chegar ou demoram a acontecer. Ele é tão fiel quanto quando as coisas acontecem logo. Ele nunca mudou!

  947. Para haver um corrupto, é preciso haver quem corrompa. Para alguém corromper ou ser corrompido, é necessário haver quem seja corrompido e quem corrompa. Se faltar um destes componentes deixa de existir a corrupção como acto. Não pode existir fogo sem haver lenha à disposição de ser queimada.

  948. Quem corrompe e quem é corrompido têm um e o mesmo coração. São pessoas reconciliadas em sua maneira de ser. Os que são iguais andam juntos. "Acaso andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?", Amos 3:3. Para haver um pastor corrupto, um pedinte no púlpito, alguém a extorquir o povo, é necessário que existam subalternos iguais, os quais dão a quem é capaz de os empobrecer e roubar. Porque o povo anda em pecado e cobiça, os pregadores falsos obtêm êxito. Eles aproveitam-se do pecado do povo para poderem progredir com seus roubos. Pedem ao povo porque sabem que não podem confiar em Deus, pois Deus apenas transformaria um coração corrupto e não o alimenta. Os únicos capazes de alimentar um coração corrupto são os corruptos. "Alimentam-se do pecado do meu povo e de coração desejam a iniquidade dele. Por isso, como é o povo, assim o sacerdote...", Os.4:9.

  949. Muitos queixam-se que seus filhos são rebeldes, desobedientes e não ouvem a razão. Pior é quando não sabem quais os motivos de tais comportamentos. Existem vários motivos, mas, o principal é este que Deus afirmou e ninguém leva em conta: "Visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também Eu Me esquecerei de teus filhos", Os.4:6. E, como cada maldição esconde a sua respectiva bênção, o que podemos assumir que Deus fará quando nos lembramos d'Ele e de Suas coisas de forma natural, permanenz1te, minuciosa e espontânea?

  950. Deus considera um homem que anda com uma prostituta em pior estado moral que a própria prostituta. "Eu não castigarei vossas filhas, quando se prostituem, nem vossas noras, quando adulteram; porque os homens mesmos com as prostitutas se desviam e com as meretrizes sacrificam; pois o povo que não tem entendimento será transtornado", Os.4:14. "O que adultera com uma mulher é falto de entendimento; destrói-se a si mesmo, quem assim procede", Prov.6:32.

  951. Santificação não é abandonar o pecado: é consagrar minuciosamente quem já abandonou o pecado através do Salvador que salva e liberta totalmente de qualquer pecado.

  952. Deus só confia no abandono de pecado em que Ele participou. Ele salva do pecado. Onde Jesus não salvou de algum pecado e esse pecado é abandonado, a pessoa apenas mudou de pecado.

  953. Muitas vezes, os crentes mornos são rejeitados por pessoas que não os respeitam e nem os querem ter por perto. Mas, aquilo que parece ser resistência ou rejeição ao que afirmam ser a verdade não é mais que uma resistência natural à irrealidade que demonstram através das suas vidas. A maioria das pessoas do mundo verga diante de realidade que seja visível e clara e opõe-se à irrealidade facilmente. Sempre que alguém rejeitar o seu evangelho, tente averiguar qual a razão. Pode dar-se o caso de ser a sua vida a principal culpada dessa rejeição.

  954. Jesus disse que colheríamos tudo aquilo que semeássemos. Contudo, muitos crentes nunca levam isso a sério. É preciso levar toda a palavra de Deus em conta por igual e não somente as partes que gostamos mais. Muitos semeiam pecado e pedem a Deus que o seu campo dê bons frutos. Pagam para corromper e pedem a bênção de Deus no resto das suas vidas; roubam de Deus e assumem que Deus os irá abençoar na doença, na perseguição e em outras coisas mais; ouvem e contam piadas próprias de impuros e, sentando na roda dos escarnecedores e infiéis, assumem ter direitos exclusivos à bênção de Deus sobre seus filhos e resto das suas vidas normais. Mas, Deus disse: "Visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também Eu me esquecerei de teus filhos", Os.4:6. Na verdade, semeiam abrolhos e espinhos e querem colher frutos comestíveis.

  955. Os maus tentam entender-se com as pessoas através daquilo que não são, isto é, fingindo simpatia e manipulando o seu comportamento e sentimentos para parecer aquilo que não são. Os filhos do reino tentam entender-se precisamente por aquilo que são por dentro e por fora. Uma vez mais: os caminhos de Deus não são os que conhecemos neste mundo.

  956. Gritaria é linguagem de quem é hipócrita. Como não consegue crer ser possível sermos bondosos sem fingimento, nunca conseguirá crer que podemos falar francamente toda a verdade sem nos exaltarmos. Falar a verdade ajuda os outros e não é crime. Ninguém precisa de gritar ou estar exaltado para falar a verdade.

  957. Se Paulo tinha a fé que tinha era porque ele tinha o Deus que tinha. Se Deus não fosse de confiança, por que razão Paulo confiaria n'Ele da maneira que confiou? Se Jesus ainda é o mesmo, posso ser como Paulo a nível da fé. Se confiamos na mesma pessoa, porque razão a nossa fé teria de ser diferente se Deus é o mesmo?

  958. "Conciliai-vos com Deus...". Esta é uma palavra profunda! Deus tem uma vontade, Deus tem um objectivo, Deus tem uma maneira própria de fazer as coisas, tem um tempo (que pode ser já ou ainda pode estar para chegar). A conciliação significa estarmos dentro do mesmo espírito que Ele, tendo os mesmos objectivos que Ele de coração e usar os mesmos meios que Ele dispõe e aprova para alcançá-los imediatamente. Isso é sermos conciliados com Ele. Você está conciliado com Deus a esse ponto? Consegue estar na expectativa e atento sempre que não recebe logo? Consegue não ficar desorientado e continuar simples sempre que recebe mais ou acima daquilo que imaginava?

  959. Deus permite e faz coisas impensáveis quando os crentes se desviam d'Ele. E se esses crentes ainda continuarem a usar Seu nome em vão, tanto mais impensáveis serão as coisas. "...Lançou a verdade por terra (...) e prosperou", Dan.8:12. Se o inimigo lança a verdade por terra e ainda assim prospera, isso é uma repreensão aberta aos que se dizem crentes. Quantas pessoas existem à sua volta que lançam a verdade por terra e, ainda assim, prosperam? "...Por causa da transgressão, lançou a verdade por terra (...) e prosperou". É impensável alguém lançar a verdade por terra sob os olhos de Deus e, ainda assim, prosperar. Isso só acontece se Deus estiver muito indignado contra os crentes e contra quem adopta o Seu nome, usando-o em vão de forma obstinada e persistente. "Não me entregues à vontade dos meus adversários..." Sal.27:12. E se isso é verdade, imaginemos como Deus fará prosperar de outro modo quando alguém vive conciliado com Ele em um mesmo espírito de união!

  960. Daniel teve as suas visões em Babilónia, no lugar da idolatria - não as teve em Jerusalém. Isto significa que o que conta não é o lugar onde estamos e sim a Pessoa com quem lidamos e convivemos e se essa convivência é real e não é somente uma coisa religiosa.

  961. Eis um pensamento terrível: daremos contas de tudo, de cada coisa que passou por nossa vida. Fomos fiéis? Temos sido fiéis? Garantimos a graça, a fé para sermos fiéis no futuro?

  962. Os cegos também usam óculos de sol, tal qual aqueles que enxergam na intensidade da luz. E quando muitos usam óculos de sol não parecem ser cegos. Só podemos distinuir entre eles pela maneira como se comportam e agem.

  963. Para podermos vigiar bem, precisamos saber viver o dia de hoje somente hoje e o dia de amanhã somente amanhã. É uma das condições necessárias para podermos cumprir o que Jesus disse sobre orar e vigiar a toda hora.

  964. Os maiores predadores desta vida são aqueles fracos que se fazem passar por fortes, por poderosos e por santos. Aprenderam as doutrinas da vida para que a sua morte possa parecer vida e para que não sintam o poder da morte. Enganam-se até a eles mesmos.

  965. Todas as pessoas que vivem em pecado e em obstinação são pessoas entregues aos elementos da própria natureza e aos caprichos do diabo. O que o diabo quiser fazer com elas, ele faz. São pessoas de quem Deus diz serem "a terra das aldeias não muradas (...) os que estão em repouso, que habitam seguros, habitando todos eles sem muro e sem ferrolho e nem portas", Ez.38:11. Isto é, um lugar onde o inimigo entra facilmente mesmo quando não é convidado. Estão ao alcance de quem os quiser despojar ou fazer tropeçar para matá-los. A pior coisa que nos pode acontecer é Deus deixar-nos entregues aos caprichos desta vida porque assim o desejamos. "...Deus entregou-os a um sentimento depravado, para fazerem coisas que não convêm..", Rom.1:28.

  966. Os maiores responsáveis pelas hesitações naqueles que entendem o evangelho, são os evangélicos. Foram eles que se empolgaram com doutrinas e mais doutrinas que nem sempre funcionam para libertar as pessoas delas mesmas e, muitas vezes, servem para fazer o oposto, isto é, manietá-las e prendê-las ainda mais a ideias e complexos a nível de atitudes e hábitos religiosos. Os religiosos andam presos em coletes de forças e só se mexem conforme esse colete permite. Os religiosos, quando ouvem uma verdade, consultam as suas doutrinas para verem se estas aprovam o que ouvem. Se ouvem algo da Bíblia, consultam as suas doutrinas também. Só depois decidem se aceitam ou se rejeitam. Para eles não conta se ouvem a verdade ou a mentira e sim se suas crenças e doutrinas aprovam. Assim, é muito fácil engolirem mentiras e vomitarem verdades voluntariamente e obstinadamente.  "Percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o tornais duas vezes mais filho do inferno do que vós", Mat.23:15.

  967. Será possível ver quanto tempo alguém esteve a contemplar o Senhor e se, ao ler sua Bíblia, realmente contemplou o Senhor ou esteve apenas e tão só buscando base para suas próprias ideias e doutrinas de conveniência. Para vermos se essa pessoa realmente contemplou o Senhor, basta vermos o quanto da Sua glória resplandece e manifesta no seu dia a dia involuntariamente depois (ou durante) seu tempo privado com Deus.

  968. Quando viemos a Cristo (e assim que começamos a mudar a nossa vida de verdade), o maior impedimento é aquela vida que idealizamos como santa. A vida que idealizamos quase nunca é a vida que Cristo quer dar. Uma vida idealizada será a maior pedra de tropeço para uma vida simples e de santidade. O pecado é facilmente visto como mal, mas, uma vida ideal raramente é vista como pecado, mesmo sendo uma forma de vida alternativa. Seria o mesmo que aceitar que a religiosidade seja vida apenas porque fala em Deus e tem aparências de verdade. Uma vida substituta equivale à outra mulher num homem casado. Se a outra mulher for educada e bonita isso justifica que deixemos a nossa? Uma vida alternativa é como uma amante em nossa vida. Será má por muitos motivos. Um deles é que as vidas idealizadas são quase sempre premeditadas e pouco espontâneas. Outro motivo é que é uma vida de aparência, pois, não é a nossa. E a vida que deve mudar é a nossa e não a outra. Aqueles que têm uma vida de aparência sempre que tentam transformar a sua vida, mudam a substituta e não a deles pois a deles encontra-se na obscuridade a morrer à fome. É isso que os homens adúlteros fazem: cuidam das amantes e desprezam as esposas.

  969. Existem factos, ocorrências e decretos na natureza tanto física quanto espiritual que não podemos ignorar. Existe uma grande semelhança entre as doenças e os pecados. Existem doenças virais, rápidas e até quase instantâneas. Mas, existem doenças de longo prazo que acontecem devido a uma continuada má alimentação ou falta de cuidado com o corpo. Desse mesmo modo, existem pecados instantâneos que chegam através de tentações variadas e por estarmos expostos à tentação em ambientes pouco propícios para a paz de Jesus em nossos corações. E, também, existem pecados de longo prazo, como quando as pessoas não se alimentam convenientemente da Palavra ou não ganham experiência pensada e continuada pelo exercício e prática da verdade e da fé não fingida. Aprendemos praticando. Sabemos que as doenças são contagiosas e pegam aos que se encontram expostos a elas. Mas, a saúde não é contagiosa. Uma pessoa enferma pode passar um vírus para outra, mas, uma pessoa com saúde não transmite saúde para quem está doente. A saúde é uma consequência da vida que levamos. A santidade também é fruto de nossa vida e de nossa comunhão com Deus. Ela não se pega dos outros. A santidade é uma obra, é trabalho árduo e contínuo, tal qual a saúde.

  970. Não conseguir estar a sós é um sinal de imaturidade. Mas, só através desse tipo de maturidade acharemos e veremos Deus como Ele é. "Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará", Mat.6:6.

  971. A voz de Deus tem pouco que ver com aquilo que sentimos. Aquilo que nós sentimos é a nossa própria voz. Temos de ouvir o que Deus sente sobre certos e determinados assuntos caso queiramos ser-Lhe fiéis e obedientes. Sem isso, a obediência será praticamente impossível. Quando ouvimos aquilo que sentimos, estamos sendo obedientes a nós mesmos e não a Deus. As pessoas é que agem como sendo pequenos deuses e passam a depender daquilo que sentem sobre os seus assuntos para serem obedientes a eles próprios. Depois afirmam que é o que Deus quer porque eles sentem. Confiam que aquilo que seu coração dita vem de Deus. Se isso fosse verdade, quem seria o seu Deus? Você ou o Senhor? Só o Senhor é Deus. "O que confia no seu próprio coração é um insensato", Prov.28:26. Isso não significa que você não possa sentir do mesmo modo que Deus sente sobre certos assuntos. Mas, mesmo sentindo o mesmo por certas coisas, o que você sente é o seu sentir e nunca o de Deus. Quando sentimos Deus de forma válida, é um sentir de sensibilidade e de tacto espiritual e não de emotividade ou de emoção. Infelizmente usamos a mesma palavra (sentir) para duas coisas diferentes: sentir de tacto e sentir de emoção. Há que distinguir entre as duas coisas.

  972. Se é verdade que quem ganha a vida perde a vida, também é verdade que posso estar a fazer grandes progressos na vida com Deus estando a perder, como posso estar a regredir ganhando. Muitos acham que não fazem progressos quando estão a perder. Você já se sentiu abandonado enquanto perdia a sua vida? Por que será que as pessoas nunca levam as palavras de Deus a sério? Ele não afirmou que perderíamos as coisas desta vida e que sairíamos a ganhar? Por que razão, então, sente-se obstinado e injustiçado quando a providência de Deus inutiliza a sua vida própria?

  973. Nós não arranjamos a nossa vida para lermos a Bíblia, mas, lemos a Bíblia para arranjarmos a nossa vida. O alvo é arranjarmos a nossa vida. Muitos lêem tanto que se esquecem desse pequeno detalhe. Cansam-me lendo e acabam por ficar tal qual eram antes ou piores. Leitura da Bíblia que não leve a uma transformação é uma perda de tempo.

  974. Arrogância é fraqueza camuflada e, quem se gaba, esconde ou gaba-se para evitar ser confrontado na sua vulnerabilidade. A humildade consiste em sermos aquilo que somos e a arrogância é tentar esconder o que somos.

  975. A aversão ou falta de disposição é algo mais impeditivo que a incapacidade. Uma pessoa incapaz pede ajuda para poder cumprir seu dever, mas, uma pessoa com ressentimento ou aversão a algo não faz o que deve nem mesmo com ajuda. Tenha cuidado quando estiver com rancor ou ressentimento, pois você tornar-se-á pior que um incapaz. Não seja contradizente.

  976. Quando o pecador insiste e repete as coisas, demonstra o quanto é impaciente. Quando Deus as repete, mostra a Sua paciência. Quanto mais vezes as repete, maior é a demonstração da Sua paciência e quanto mais vezes o pecador se repete, mais demonstra a sua impaciência. Por essa razão é que devemos ter em conta que os caminhos de Deus não são como os nossos. A impaciência do homem nos caminhos de Deus é o fumo da sua resistência interna. E a paciência de Deus nos caminhos do homem é a Sua persistência. E todo o fumo pode significar que o fogo se está extinguindo ou, então, que não está extinto e irá pegar com mais força. Existem ventos que fazem com que o fogo se propague e existem ventos que extinguem o fogo, dependendo da direcção para onde sopra. Se o vento soprar para o lado onde o fogo já queimou, a impaciência morrerá; se soprar para o lado onde ainda não queimou, o fogo da impaciência alastrará e também alcançará outros.

  977. "Porque não é aprovado aquele que se recomenda a si mesmo, mas, sim aquele a quem o Senhor recomenda", 2Cor.10:18. Se isto é verdade, logo quem se critica a ele próprio também não obterá mérito, pois, fá-lo pelos mesmos motivos que se elogiaria. Quem se recomenda e quem se critica é a mesma pessoa e tem os mesmos objectivos ocultos quando faz uma e outra coisa. Não nos podemos esquecer que qualquer coração normal tem seus dois lados.

  978. É preciso permanecer no que aprendemos. O que significa isto? Muitos têm os motivos errados ao aproximarem-se de Deus. Mas, os que têm os motivos certos, isto é, os que querem o emprego para aprenderem a ser guiados por Deus através do trabalho; os que casam para glorificar Deus; esses, assim que são constantes e conseguem ser guiados continuamente, acham que atingiram o cume do seu propósito. Depois, desleixam-se por acharem que atingiram o expoente máximo de tudo. Na verdade, estão no início de tudo, no ponto de partida e assumem estarem no fim. Por que razão iria aprender a ser guiado por Deus? Para ficar parado depois de haver aprendido a mover-se n'Ele? Qual o estudante universitário que vai descansar depois de terminar o seu curso e a sua aprendizagem? A verdadeira vida começa quando já conseguimos ser guiados por Jesus de forma contínua e através de uma intimidade que o mundo nem sequer consegue imaginar ser possível.

  979. O mau tenta destruir o bom e vinga-se porque o bom não é mau e não se assemelha a ele e nem lhe é agradável. Deus destrói porque é bom e não viverá com o mau. "O meu Espírito não permanecerá para sempre no homem (...) O fim de toda carne é chegado perante Mim; (...) eis que os destruirei juntamente com a terra", Gen.6:3;13.

  980. O que somos é que nos faz julgar os actos dos demais - até de Deus! "Dizeis, porém: O caminho do Senhor não é justo. Ouvi, pois, ó casa de Israel: Acaso não é justo o meu caminho? não são os vossos caminhos que são injustos?", Ez.18:25. Quando quisermos parar de Julgar, basta mudar o nosso ser que já não veremos nos outros aquilo que somos. Porque o caminho do injusto é o que ele acha bom, logo, os de Deus lhe parecerão injustos e desajustados. Nós vemos as coisas através do coração que temos. Haja pessoas que tenham corações iguais aos de Deus!

  981. Quando alguém vive correctamente com Deus e tem a capacidade de manter-se santo n'Ele através da graça e da obediência e, ainda assim, a pessoa visita a transgressão e peca, será tido como um traidor a Deus. Não creio que o seu pecado seja menor que o de Judas ou de Pedro quando cantou o galo. "Mas, desviando-se o justo da sua justiça e cometendo a iniquidade (...) porventura viverá? (...) Pois pela traição que praticou e pelo pecado que cometeu ele morrerá", Ez.18:24. E quem comete traição é traidor.

  982. "Mas, estando plantada, prosperará?", Ez.17:10. É uma boa pergunta para todos nós! Muitos que estão plantados não prosperam espiritualmente. Você é um deles?

  983. As pessoas beberão da nossa taça quando ela transborda e não enquanto está sendo cheia. Pregue para si mesmo primeiro e sempre que Deus revele alguma verdade à sua alma.

  984. Entender a palavra de Deus é mais que ter a percepção do que ela diz e afirma. Perceber o que ela diz está ao alcance de qualquer um. Mas, a Bíblia quando fala em entendimento, ela quer dizer obediência, isto é, entendimento prático. É um entendimento prático de como funcionam as coisas em nosso ser e vida. Todo o conhecimento memorizado da Bíblia não serve para nada a não ser para tornar-se uma confirmação de do juízo de Deus. Na verdade, o conhecimento que não é uma constatação de factos é um estorvo para uma vida real, genuína e simples. Entender tem mais a ver com aplicação prática, com a vivência, com a experiência, com o cumprimento das promessas de forma prática do que com compreensão. Vivendo é que se entende - não é memorizando e estudando.

  985. Eu costumo afirmar que aquilo que cansa não é o labor nem o trabalho, mas é o trabalhador. Quem somos é o que nos cansa.

  986. Paulo disse que se esquecia de tudo quanto havia passado e lançava-se para a frente. Ele referia-se maioritariamente às grandes obras que Deus havia feito em seu ministério. Ele sabia que o passado não contava para nada se não se mantivesse fiel no dia de hoje. Contudo, Deus faz-nos recordar, algumas vezes, os nossos erros do passado com o intuito de não nos entregarmos a um tipo de segurança superficial. Nossa segurança precisa tornar-se real e fácil.

  987. Lágrimas por santidade demonstram que realmente desejamos ser santos. Mas, também podem demonstrar o quando desejaríamos sê-lo através de nossa própria força e recursos. Muitos choram porque não vêem saída para o seu coração, isto é, quando olham para os seus próprios recursos e forças.

  988. As pessoas que são rejeitadas por alguma razão ou pecado, tentam ser aceites mais que qualquer outra pessoa. Em vez de rejeitarem e deixarem as coisas pelas quais são rejeitadas, tentam ser aceites sem se corrigirem. São uma tentação para quem é ou deseja ser misericordioso. Pulam o muro para entrar no aprisco das ovelhas.

  989. É uma pena que haja alguém que, tendo ouvidos para ouvir, nem mesmo assim ouve. A graça faz o trabalho dela e não obtém qualquer êxito. "...Tu habitas no meio de casa rebelde, que tem olhos para ver e não vê; e tem ouvidos para ouvir e não ouve; porque é casa rebelde", Ez.12:2.

  990. Para ouvir bem a voz de Deus, antes de tudo, é preciso que Deus realmente fale. Em segundo lugar, será necessário que os corações e os desejos dos corações não superem e não condicionem a voz de Deus tornando a pessoa em alguém com ouvidos para ouvir, mas, que nem assim ouve. Não podemos ter corações que falem por Deus e desejam que Deus seja o discípulo. O pastor não é a ovelha e a ovelha não é pastor. Nem mesmo quando os nossos desejos são iguais aos de Deus Ele, pode deixar de ser o pastor.

  991. Quando uma pessoa recusa apoderar-se de Deus e busca as amizades e o apoio de quem anda com Ele, certamente tem algum pecado secreto ou predilecto que recusa deixar para sempre. Pode até mesmo admiti-lo, mas não demonstra intenção de abandoná-lo. Por essa razão não sai da porta que dá acesso à vida mas, também não entra nela.

  992. "...Para que em Mim tenhais paz...", João 16:33. É fácil ter paz. Mas EM Jesus só terá paz quem está bem com Ele, limpo de qualquer tipo de pecado e satisfeito com uma vida pura longe dos vícios e hábitos duma vida. A insatisfação nessa vida é fatal. Os sujos terão paz fora de Jesus. Mas, em Jesus será difícil terem paz porque Jesus não muda e nem se adapta. É bom que estejamos em paz, mas, em Jesus de forma real.

  993. Existem várias diferenças entre crédulos e incrédulos, fiéis e infiéis. Uma delas é o que crêem a respeito da condução das suas vidas. Somente os fiéis conseguem crer do fundo do seu coração que Deus organiza toda a sua vida por eles e para Ele. Os que não são fiéis assumem que a sua vida é ou será conduzida por Deus, mas, no fundo não crêem que isso seja verdade. A sua crença é uma 'esperança' e nunca uma certeza absoluta. Acabam sempre por fazer as coisas da maneira deles. Já os fiéis, ainda que nem sempre assumam que Deus fará tudo por eles, no fundo do seu coração sabem que fará. Bom é quando os fiéis também assumem aquilo que Deus fará - se eles souberem o que é que irá fazer. Contudo, mesmo não sabendo para onde vão porque são levados pelo vento que sopra, sabem que serão fielmente guiados.

  994. "...Para apresentar-nos sem mácula, nem ruga, nem qualquer coisa semelhante, mas santos e irrepreensíveis", Ef.5:26-27. Quando um saco tem dobras, quando tem vincos, a melhor maneira de tirá-los é aquecer ou encher o saco. Quando o nosso espírito está com rugas, só se endireita e se torna perfeito sendo cheio de Deus e colocado em fogo vindo do céu.

  995. As leis só existem porque existem transgressores. Se não existissem pecadores, se os corações fossem normalmente puros e sãos, se as pessoas não conhecessem outra forma de vida senão a que é justa e pura, não existiriam leis. "...Reconhecemos que a lei não é feita para o justo, mas para os transgressores e insubordinados...", 1Tim.1:9-10. Essa é uma das razões por que os justos não vivem debaixo da lei.

  996. "...Te punirei, enquanto as tuas abominações estiverem no meio de ti..." Ez.7:9. Se tirarmos as abominações do meio de nós, a punição cessará para sempre desde que as abominações não voltem mais. Mas, se as nossas abominações, pecados e pensamentos ainda persistirem no meio de nós, é óbvio que seremos punidos até nos corrigirmos completamente. A outra opção seria Deus não nos tratar como filhos. "Porque o Senhor corrige aquele que ama e açoita a qualquer que recebe por filho. Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque, que filho há a quem o pai não corrija? Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois então bastardos e não filhos" Heb.12:6-8. Nós tiramos uma certeza daqui: caso os pecados não sejam integralmente removidos de nós e limpos, certamente seremos punidos até nos corrigirmos. Que ninguém se queixe quando não deseja abandonar, confessar ou eliminar a fonte de qualquer tipo de pecado. "De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados", Lam.3:39.

  997. É comum dizermos que Deus fez algo quando algo de bom nos aconteceu. Infelizmente, as pessoas, para se protegerem contra a realidade, nem sempre atribuem o mal - aquilo que consideramos mal - a Deus, pois poderiam corrigir-se e converter-se dos seus caminhos se o fizessem. "Os outros homens, que não foram mortos por estas pragas, não se arrependeram das obras das suas mãos...", Apoc.9:20. Vemos como Deus diz que um dia no meio das coisas más reconheceriam Deus: "Então sabereis que eu sou o Senhor, quando os vossos mortos estiverem estendidos no meio dos seus ídolos", Ez.6:13. "Conforme o seu caminho lhes farei e conforme os seus merecimentos os julgarei; e saberão que eu sou o Senhor", Ez.7:27.

  998. É fácil aos fibrosos terem fibra; aos que andam perto de Deus terem fé; aos cheios do Espírito serem simples e poderosos. Tudo é fácil para quem tem o coração quente, para quem tem as costas quentes andando com Deus. Esses sabem do que falam. Só os que não andam com Deus se admiram com os tais e os aplaudem.

  999. Todos os pecados e todos os demónios são sempre imprevisíveis. Cabe a mim ser constante. Uma Senhora de saia no vento segura a saia e não o vento. Se sou constante e eterno, não serei surpreendido por nenhuma imprevisibilidade. Quando vier o vento segurarei a minha vida perto de Deus.

  1000. Deus pronunciou muitos juízos contra Israel, Ez.5. Os que não acreditassem nas palavras do profeta, permaneceriam na cidade e passariam por aquilo que Deus disse que lhes aconteceria. Os que acreditassem nas palavras dos profetas, mas, não conseguiam confiar em Deus que os destruía, tentavam fugir da cidade sem se haverem tornado fiéis a Deus seriam perseguidos pela espada. Mas, o que aconteceria com todos aqueles que cressem nas palavras dos profetas e se arrependessem? Creio que Deus os tiraria da cidade ou os aconselharia a saírem ao invés de levantar as pragas que havia pronunciado contra a cidade. "Saí dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados e para que não incorras nas suas pragas", Apoc.18:4. Para tais pessoas haveria duas razões para saírem da cidade sitiada: não aprender os seus pecados e não ficarem debaixo das pragas. O mesmo devemos ter em conta em todos os lados onde a igreja se prostituiu, seja com ídolos ou com outros pecados como a avareza e amor pelo dinheiro. Quem não sair aprenderá ou será participante (mesmo que involuntáriamente) nos pecados de tais instituições. Sofrerão ao permanecerem e serão considerados iguais aos que não creram nas palavras dos profetas e aos que não quiseram ou não desejaram ser obedientes somente a Deus e dividiram a sua lealdade com algo mais.

  1001. Os reis magos eram pessoas de palavra e persistiam naquilo que achavam ser certo fazerem. Eles comprometeram-se com o rei Herodes e com certeza que lhe haviam dado a sua palavra para lhe virem dizer onde se encontrava a criança que seria o Rei dos Judeus. Certamente que eles não sabiam de nada do que se passava politicamente em Israel. Contudo, quando tiveram revelações em sonhos para não voltarem a Herodes, ainda que se houvessem comprometido a voltar. Eles foram obedientes ao que lhes havia sido revelado, ignorando a promessa que haviam feito a um rei terreno. A obediência deles significou o incumprimento da palavra dada a Herodes e eles eram homens de palavra. Mas, não se sentiram minimamente culpados por não haverem cumprido a sua palavra. Eles nem enviaram uma explicação a Herodes. Alguém maior que Herodes anulou a promessa que haviam feito e a sua lealdade não ficou dividida. Você obedeceria a quem? A um rei ou a um sonho? Sentiria culpa? "Importa antes obedecer a Deus que aos homens", Act.5:29.

  1002. "E disse-me: Filho do homem, põe-te em pé e falarei contigo...", Ez.2:1. Isto aconteceu várias vezes com o profeta Ezequiel. Deus mandou Ezequiel pôr-se em pé sempre que falava com ele. Poderíamos perguntar se seria preciso Deus repetir a mesma coisa sempre que lhe aparecia, dizendo-lhe para colocar-se em pé diante d'Ele. Existem coisas que devemos fazer, as quais Deus não gosta de repetir, principalmente se são pecado. Mas, neste caso, era o sentido religioso e o temor de Ezequiel que o levavam a prostrar-se assim diante de Deus sempre que O via. E Deus só falaria com ele em pé diante d'Ele. Deus não aprecia religiosidades muito particularmente. Não sabemos quanto tempo Ezequiel demorou a conseguir fazer as coisas do jeito que Deus queria.

  1003. Ezequiel e muitos outros viram os céus abertos e viram muitas coisas que se passavam por lá. Mas, nenhum deles se impressionou ou temeu em demasia por causa das visões. Contudo, assim que viam a Deus, caiam com o rosto em terra para adorarem. Eles não se vergavam perante visões, mas, apenas diante do Rei dos reis. É bom que seja assim também connosco, pois muitos falam logo e demais assim que têm um sonho de Deus, uma visão e impressionam-se de tal maneira com isso que deixam de ver o Rei. Você pertence a qual grupo? Ao grupo dos tolos ou ao dos homens de Deus?

  1004. A prova que fomos perdoados é que nos opomos àquilo que éramos ou somos.

  1005. Existem várias leis na natureza que não mudarão enquanto existir sol e lua. Uma delas é que a espécie reproduz a própria espécie. O sonho reproduz o sonho, a realidade a realidade, a maldade o mal, o bem o que lhe é próprio. O homem é uma consequência daquilo que tem sido; pensa no que pensa devido ao que pensou; sonha devido a ter-se tornado sonhador. Mas, as coisas de Deus estão acima do que podemos sonhar. Por isso, desejamos muito multiplicar realidades por realidades por havermos começado a tornar-nos reais em relação a Deus e as Suas coisas. Deus não tem culpa que o homem apenas sonhe com a Suas grandezas. O que você vai ser? Vai ser sonhador ou concretizador? Josué não se admirou ao passar pelo Jordão. Pedro não se admirou quando o paralítico se pôs a saltar. E ele ainda repreendeu o povo que se admirou dizendo: "Varões israelitas, por que vos admirais...?" Act.3:12. A admiração é o principal impedimento à fé não fingida e simples. E quem quer sinal ao ver realidades, recusa deixar de ser sonhador e incrédulo diante de evidências. Deus tenha misericórdia!

  1006. Se a fé é a certeza das coisas que não se vêm, o sonho não é fé e nem é esperança, pois as esperanças que temos de Deus concretizam-se todas. "...E a esperança não desaponta", Rom.5:5. Se temos expectativas que o Espírito opera em nós, o momento que essas expectativas se tornarem sonhos, deixarão de ter condições para se concretizarem. O sonho é um engodo para a incerteza e para a insegurança.

  1007. A nossa alma tem como sofrer de um tal modo que nem o corpo será capaz de imaginar o sofrimento. Por essa razão é que as alegrias no Espírito são tão maiores e mais belas também.

  1008. Jesus tornou-se igual a nós e não apenas parecido connosco. Se Jesus se tornou igual a nós, não precisamos ser mais que nós mesmos para termos acesso a Ele e Ele a nós.

  1009. Quando Deus envia males para obrigar as pessoas a converterem-se, muitos não dão crédito ao que Deus faz. Antes, começam a culpar alguém disto e daquilo, criticam o patrão ou o empregado, o tempo ou as circunstâncias e, devido à incredulidade, retiram o poder de persuasão ao que Deus tenta fazer com boas intenções. "Os outros homens, que não foram mortos por estas pragas, não se arrependeram das obras das suas mãos, para deixarem de adorar aos demónios, e aos ídolos de ouro, de prata, de bronze, de pedra e de madeira, que nem podem ver, nem ouvir, nem andar", Apoc.9:20. E outros dizem que os servos de Deus não são servos de Deus para terem como desacreditar as palavras que Deus fala com intenção clara e genuína. E, no meio desses castigos, lemos que Deus diz: "Buscai-me e vivei", Amos 5:4. O homem em pecado é alguém que se amargura com facilidade. E, sob essas circunstâncias de castigo e repreensão dificilmente se vira para quem o fere para aceitar a correcção e o amor de tal pessoa. "E os padejei com a pá nas portas da terra; desfilhei, destruí o meu povo; não voltaram dos seus caminhos", Jer.15:7. "Todavia o povo não se voltou para quem o feriu, nem buscou ao Senhor dos exércitos", Is.9:13.

  1010. A nova natureza fora de uma contínua presença de Deus estaria em tormento absoluto e em desassossego constante. Seria como pato fora de água exposto aos perigos das raposas. Não estaria bem, nunca se sentiria bem e estaria sempre em busca descontrolada do seu pólo de conforto. Por alguma razão o Espírito Santo é o Consolador. Isso é porque Ele consola quem O busca ardentemente com intenção de achá-Lo a Ele. Mas, só será consolador para quem está mal fora de Deus. É necessária essa cumplicidade e essa intimidade entre a nova natureza e Deus. Nada daria certo com a nova natureza fora da real presença de Deus, tal e qual nada daria certo a uma natureza pecadora na presença de Deus, a não ser o arrependimento e a conversão genuína. Nenhum pecador sentir-se-á bem na presença de Deus. A nova natureza busca e ora para achar Deus, enquanto a natureza velha busca sem intenção de achar Jesus.

  1011. Uma coisa para quem quer aprender a discernir: não ganhar hábitos de falar rápido, de dar palpites por conta própria ou por conta das circunstâncias e manter-se atento. Discernimento só decifra aquilo que existe e que possa estar envolto em neblinas. Discernimento não inventa, não fala rápido, não adivinha e não vê o que não existe.

  1012. Não é a minha fé que cuida de mim - é o Senhor Jesus. Eu cuido da minha fé e Jesus de mim. Confio n'Ele e não na minha fé, pois nada depende de mim.

  1013. Existem peixes na água. Mas, também existem pessoas que sabem nadar. As pessoas dentro da água não estão dentro do seu ambiente, por muito bons nadadores que sejam. Desse mesmo modo, existem pessoas em Deus e outros que sabem nadar, os quais nunca se tornaram verdadeiros peixes da graça. Temos de estar em nosso ambiente, estando em Deus. Não podemos ser corpos estranhos dentro da água viva.

  1014. Uma vitória agora explica que houve uma outra vitória antes desta e assegura a próxima. Antes da anterior também houve uma outra. E antes de todas as vitórias houve a de Cristo na Cruz. A vitória de hoje é uma sequência das vitórias em cadeia. Uma segue-se à outra. Sem uma não haveria outra. Basta começar com a primeira. Atreva-se a vencer.

  1015. Lemos: "Pois então darei lábios puros aos povos, para que todos invoquem o nome do Senhor", Sof.3:9. Sabemos que quem ganha lábios puros invocará o nome do Senhor porque deixou de ser pessoa que se engana a ela própria ignorando ou desprezando Deus. Automaticamente invocarão o Senhor por se haverem tornados puros. Os puros invocarão o Senhor, não tem como ser de outra maneira. Mas, o inverso nem sempre será verdade, pois haverá muitos impuros cantando a Deus como se fossem os donos da verdade. "Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade", Mat.7:23.

  1016. Sempre que alguém é pessoa inconstante nos caminhos de Deus, isto é, sempre que vacila entre fazer do jeito de Deus ou do jeito do mundo devido à desconfiança em Deus; ou devido à confiança em suas próprias capacidades; ou, então, por não estar segura que Deus irá fazer as coisas que o seu coração carnal deseja, Deus acaba por entregá-la aos seus próprios caminhos. Essa pessoa deixa de ser vacilante e segue o curso do mundo de maneira firme. Normalmente, tais pessoas dizem que abriram os olhos e que começaram a fazer a coisa certa da maneira certa.

  1017. A acusação encobre o pecado. A exposição do pecado, mata-o para sempre. A exposição pela luz condena o pecado e a acusação encobre o pecado para condenar quem o cometeu. A exposição do pecado (a confissão) anula a acusação.

  1018. A idolatria tanto é fazer um ídolo passar por Deus como fazer Deus passar por ídolo. Quando Deus não é realíssimo, estamos em idolatria. Neste aspecto, os evangélicos são tão idolatras quanto todos os que servem ídolos.

  1019. Existe uma linguagem muito hipócrita em muitas orações. Muitas pessoas perguntam a Deus: "Senhor, de que jeito vais fazer isto ou aquilo?" Na verdade eles querem saber se Deus vai fazer, ou se Ele consegue fazer e não como o irá fazer.

  1020. Muitas vezes as pessoas querem saber as coisas todas que vão acontecer no seu futuro. Mas, conhecendo Cristo de forma a amarmos somente a Ele, conhecemos o nosso futuro, pois Ele o é.

  1021. Aquilo que somos e fazemos agora, certamente faremos e seremos depois. Se desconfiamos agora, não podemos pensar que iremos confiar depois sem que o coração haja mudado e as circunstâncias mudarem. Se o coração não mudar agora sob as circunstâncias nas quais se encontra, será o mesmo coração a ir conosco para onde quer que se vá. O coração vai junto com a pessoa quando muda de emprego, de casa, de casamento ou de outra coisa qualquer. "Seja a vossa vida isenta de ganância, contentando-vos com o que tendes", Heb.13:5. Não podemos pensar que iremos mudar no céu se na terra recusamos mudar. Se as circunstâncias houverem mudado, o coração não mudará junto. O coração terá de mudar independentemente do que aconteça às circunstâncias. É preciso mudar agora. E se até nós seremos o que já somos, Deus certamente também será aquilo que já é. Ele será sempre igual a si mesmo para todos.

  1022. Quando a Bíblia fala do diabo como o vingador, fala de alguém que faz as coisas ruins que faz para se vingar da sua queda como se alguém, para além dele, fosse culpado pelo pecado que cometeu. Quando se fala de Deus como vingador, dizemos que Deus fará justiça pois não vinga por haver pecado e sim por haver amado incondicionalmente. A vingança de Deus estabelece a justiça e anula todo pecado para sempre. A do diabo só leva em conta a raiva que tem e faz aumentar o tamanho e a gravidade de cada pecado.

  1023. "Se o homem não se arrepender, Deus (...) já preparou armas mortíferas", Sal.7:12,13. Estas armas mortíferas podem ser qualquer coisa. Podem até ser coisas que o homem acha lindas e boas. O facto é que essas armas mortíferas já existiam antes de nascermos e muito antes de pecarmos. Diante de nós já estão colocadas a bênção e a maldição muito antes de havermos nascido. As armas mortíferas existem para quem vive no pecado e tal pessoa inalará a morte sem se dar conta. Por exemplo: se eu respirar, inalo oxigénio sem estar consciente da operação do oxigénio em mim e nem do que ele faz. Estou somente consciente de que respiro. Quando inalamos pecado, nem nos apercebemos da morte que opera em nós e, por essa razão, muitos ainda são capazes de se considerarem vivos após haverem pecado. Isso é mais uma arma mortífera para quem investe na desobediência. "Abre uma cova, aprofundando-a e cai na cova que fez", Sal.7:15.

  1024. Se não experimentamos as coisas de Deus e ainda falamos delas, falamos daquilo que nos condenará um dia. De que me vale (pessoalmente) saber e ouvir falar das grandezas de Deus se não as busco com intenção e fé de achá-las pessoalmente também? Que tipo de louvor será o meu se não experimentar de forma real as coisas de Deus? Não serei falso e hipócrita? Mas, só acha vida quem perde a vida por amor a Deus. Só acha quem busca Vida do jeito que ela é.

  1025. Quando louvamos alguém, existe algum motivo para o fazermos. Se não existir motivo, existe interesse e, então, o louvor é mentiroso. O louvor a Deus de muitas pessoas é do tipo interesseiro e não porque hajam experimentado genuína graça e visto coisas dentro deles que magnificam Deus. O seu louvor é interesseiro ou é genuíno? O Salmista disse que louvaria Deus "segundo a Sua justiça", (Sal.7:17) e não segundo o que imaginava ser de Deus. Ele dava louvor por coisas concretas. Isto não é louvor segundo o interesse do Salmista e nem louvor com segundas intenções. A vida de Deus é real dentro do seu coração ou é apenas mais uma fantasia da sua cabeça?

  1026. As pessoas sentem-se julgadas quando pecam independentemente do que a outra pessoa fizer. Se alguém fica em silêncio, quem peca sente-se julgada; se fala, também se sentirá julgada. Seja o que for que seja feito, sente-se julgada e excluída. O que iremos conversar com alguém que se afasta de Deus e não quer voltar? Qual será o assunto e o tema para a conversa?

  1027. É bom desejar a obra de Deus de todo o nosso coração. "Fiel é esta palavra: Se alguém aspira ao episcopado, excelente obra deseja", 1Tim.3:1. Mas, se essa obra não for desejada exclusivamente, raramente será feita. Imaginemos que alguém deseja que essa obra seja feita através da sua vida e, ao mesmo tempo, deseja construir outra obra aqui na terra para glória pessoal. Será muito difícil conciliar as duas coisas. O mesmo será tentarmos viver para Deus e para o nosso pecado ao mesmo tempo. Existem coisas que não irão resultar juntas, seja de que jeito for.

  1028. "Muitos dizem: Quem nos mostrará o bem?" Sal.4:6. Espero que isto não possa ser dito de mim. Que Deus conceda que ninguém seja capaz de fazer esta pergunta comigo por perto.

  1029. Temos a história do homem rico e de Lázaro, Luc.16:19-31. Sabemos que ninguém entra no céu por ser pobre e não será por alguém ser rico que irá para o inferno. O rico foi para o inferno porque não conhecia Deus e o pobre para o céu porque era íntimo do Pai. Sendo assim, podemos tirar muitas conclusões desta história. Uma delas é que Deus não impediu o homem mau de tornar-se rico e nem Lázaro de continuar pobre e mendigo. As doutrinas da prosperidade não têm fundamento Bíblico.

  1030. Pessoa gastadora tem dois problemas e não um. Quem gasta à toa revela o quanto é insatisfeita e também prova que nada a pode satisfazer, pois se estivesse satisfeita com uma certa compra logo deixaria de gastar onde não deve. Para tornar a gastar em vão precisa estar insatisfeita após a compra anterior. E, para além de gastar à toa, a pessoa gastadora irá poupar quando não deveria, pois é avarenta.

  1031. Quando temos pedidos colocados diante de Deus que são importantes para o Reino, pode acontecer uma de duas coisas: ou recebemos logo; ou as coisas demoram a chegar. Se demorarem, não podemos mudar o pedido e nem a intensidade dele. As pessoas acham que Deus não dá sempre que demora e mudam de curso facilmente. Por outro lado, se Jesus der logo, que ninguém pense que as coisas ficarão melhores ou mais fáceis, pois a responsabilidade de sermos fieis exige mais de nós que a responsabilidade de mantermos a expectativa acesa em relação a Deus e em relação àquilo que pedimos. Para além do mais, a ausência de expectativa por já havermos recebido pode dar sonolência espiritual a quem não coloca em seu coração ser fiel continuamente após a emoção e a alegria de haver recebido. Nós estamos aqui para sermos fieis e não para nos alegrarmos com as coisas que recebemos, por importantes que sejam.

  1032. Qualquer pessoa que não esteja apta a esperar em Deus mantendo a expectativa calma de que certamente irá receber, será sempre alguém que se acabará por tornar-se infiel ao que recebe se o receber. Seria fácil dedicar tudo quando recebe de Deus e consagrar até o que Deus já deu?

  1033. Não existe um único pecado ou erro que afecte apenas quem o cometeu. Os pecados são como os terramotos, os quais destroem muitas pessoas longe do seu epicentro. Imaginar que os seus filhos, os seus amigos e outras pessoas não irão sofrer com os seus erros é uma utopia, é uma cegueira própria daqueles que não querem olhar os factos de frente para poderem ser egoístas e acharem que têm a liberdade ou algum direito de pecar. Até devido à ausência de bênção nas coisas que faz, as pessoas irão sofrer de alguma maneira.  Um divórcio não afecta apenas quem se divorcia; um roubo afecta a vida das famílias de quem rouba e de quem é roubado; vícios e droga afectam mais gente que aqueles que consomem. O inverso desta verdade incontestável também é real: não existe bênção, virtude ou correcção de erro que deixe qualquer pessoa indiferente perto de nós. Não tema corrigir-se diante das pessoas se vai manter-se corrigido no futuro.

  1034. "Dizei à filha de Sião: Eis que aí te vem o teu Rei, manso e montado em um jumento (...) animal de carga", Mat.21:5. Este versículo mexeu muito comigo hoje. Fez-me lembrar muitas coisas antigas. Eu era teimoso como jumento, tinha cargas e agia como animal de carga. Tinha as minhas cargas, era pior que jumento e Jesus entra triunfalmente através da minha vida.

  1035. A vida com Deus exige que sejamos apenas nós e Deus. Se todos fossem exclusivamente de Deus, não haveria dissensões entre os homens, pois todos teriam o mesmo tipo de vida, de amor e de realidades contínuas. Não pode ser você, a sua esposa e Deus, você seu filho e Deus, mas sim cada um com Deus. O salmista disse: "A quem tenho eu no céu senão a Ti? E na terra não há quem eu deseje além de ti?" Sal.73:25. Quando disse isto, certamente que era casado, tinha filhos e muitas outras coisas mais.

  1036. Quem não incomoda é negligente. Aquela viúva que perturbou o juiz a meio da noite foi louvada por Jesus, Luc.18:1-6. E aquele que incomodou o amigo a meio da noite por causa de uns pães para dar a quem o visitou, fez algo nobre e louvável segundo Jesus, Luc.11:5-8. Se Jesus os louvou é porque fizeram algo que recebe o louvor dos céus facilmente. Eles não esconderam os seus pedidos como fez aquele homem que escondeu o talento que recebeu.

  1037. Ninguém precisa imaginar Deus a falar para que Deus fale. Na verdade, enquanto as pessoas forem capazes de fingir a voz de Deus e forem capazes de imitá-la, falando por Ele, Deus não falará. Este é um problema que os incrédulos precisam resolver em seus corações caso queiram ouvir a voz de Deus mais claramente.

  1038. "Se dissermos que não temos pecado nenhum, é porque estamos enganando a nós mesmos...", 1 João 1:8. Quando o pecador diz que não tem pecado, ele vive da ilusão, pois gosta de viver uma vida de fantasia e de engano, de mostrar e revelar aquilo que é mentira. Isso é o oposto de andar na luz. Por essa razão é que nenhum santo pode dizer que não é santo. "...Vós não O conheceis; mas Eu O conheço; e se disser que não o conheço e que guardo a Sua palavra, serei mentiroso como vós", João 8:55.

  1039. A liberdade define-se muito facilmente: ela começa assim que não temos mais liberdade para pecar.

  1040. Nenhum pecado é secreto ou insignificante, nem mesmo aqueles que só conhece quem os cometeu. E, também, nenhum pecado afecta apenas quem o cometeu, pois todo o pecador está envolvido com as pessoas à sua volta. A vida de qualquer pessoa nunca é indiferente à nossa. Ou somos uma bênção ou uma maldição para quem nos rodeia. Não existe meio termo no tocante a essas coisas. Os pecados que cometemos em casa afectam o nosso emprego e vice-versa. Os nossos pecados são como o epicentro dum terramoto: afecta muita gente longe do epicentro.

  1041. Um crente não se transforma quando lê a bíblia, mas, assim que a obedece, tal e qual um condutor na estrada só está seguro quando obedece os sinais de trânsito e não quando os vê e lê.

  1042. Preparados ou não, um dia tudo termina para qualquer um de nós.

  1043. O pecador não sabe em que tropeça. Na verdade, muitas vezes até defende e protege aquilo que o faz tropeçar. Por isso, não saber em que tropeça não significa que não conhece o mal, pois, convive com ele de forma tão natural que já não consegue definir e detalhar a vida que leva. Devemos viver o bem e experimentá-lo exclusivamente ao ponto de vivermos de forma igualmente natural nele; e para sabermos distingui-lo do mal que já conhecemos devido à experiência de pecador que sempre tivemos. Não precisamos viver o mal para experimentarmos aquilo que sempre experimentamos. Para definir o que já vivemos não exige de nós que experimentemos o mal novamente. "Digo-vos, porém, a vós (...), a todos quantos não têm esta doutrina e não conhecem as chamadas profundezas de Satanás (...)", Apoc.2:24.

  1044. "Seguiram a vaidade e tornaram-se vãos", 2 Reis 17:15. As pessoas tornam-se inúteis, sem força, sem poder e sem significar nada para alguém neste mundo sem se darem conta que é devido a qualquer tipo de vaidade que ainda flutue em sua mente. É fácil tornarmo-nos vãos. Tenha cuidado extremo com futilidades e vaidades.

  1045. Deus irou-se muito contra Israel e destruiu-os "porque haviam temido a outros deuses e andavam segundo os costumes das nações", 2 Reis17:7,8. É pecado sério temer a demónios, deuses e ídolos, tal como é andar e viver conforme os costumes e hábitos do mundo e da nação onde você vive ou onde nasceu. Deus não poupou Israel e tudo garante que não poupará a si se for pelo mesmo caminho que eles. Fugiu da idolatria? Por que razão não foge, também dos costumes do mundo?

  1046. Ouvir e obedecer é importante para se poder ouvir de novo. É muito importante darmos toda a atenção ao que Deus já falou, em vez de estarmos desejosos e ansiosos de que nos fale de novo. É mais importante o que já ouvimos do que aquilo que ainda não ouvimos. 

  1047. Se ouço Deus quando me fala, significa que Ele também me ouve. Se não o ouço, Ele também não me ouve. A dificuldade em ouvir ou ser ouvido é proporcional ao distanciamento de Deus, isto é, quanto mais longe mais difícil será ouvir e ser ouvido. "...Anda em Minha presença...", Gen.17:1.

  1048. Qualquer pessoa tem o seu cérebro protegido com osso e por cima dessa protecção de osso tem a pele que dá a aparência da sua cabeça. Sem osso por baixo, mesmo que tivesse a pele revestindo e encobrindo o desprotegido cérebro, a pessoa correria sérios riscos de morrer. Uma pessoa transformada por dentro sem estar santificada em seu exterior, tem a sua nova vida exposta ao perigo dessa mesma forma. A sua pureza corre sérios riscos de vida. Basta o diabo atingi-la no local certo para matá-la ou lesioná-la seriamente. Um homem puro por dentro que não foi santificado em algum aspecto da sua vida exterior, é como um cérebro que lhe falta um pedaço de protecção óssea. Como o diabo odeia quem é puro por dentro por muitas razões, é de esperar que uma pessoa que negligencie a sua própria santificação e consagração exterior seja morta a qualquer momento.

  1049. Sou completamente dedicado a Jesus. Não quero ser de mais ninguém. Sob estas circunstâncias não posso deixar de carregar o nome de Deus sobre mim. Se Deus não fosse cumprir todas as Suas promessas comigo, se não cumprisse a Sua palavra, eu seria como um filho sem nome, pois ninguém associaria o nome verdadeiro de Deus a mim e nem o meu ao d'Ele. Todos os filhos normais têm um nome de família. Por essa razão é que creio que Deus cumprirá tudo que prometeu, dar-me-á o Seu nome e eu farei tudo em ou sob Seu nome. Alguém em quem Deus não cumpre o que prometeu, é como filho sem nome de família. Deus vai deixar-nos sem o nome d'Ele? "Até aqui nos ajudou o Senhor".

  1050. O egoísmo é o embrião de todo o tipo de pecado. Sem ele não existiria pecado. E para um assunto ser cuidado por Deus, o egoísmo deve sair daquilo que é importante para nós. Quem sabe Deus quer o mesmo que nós e o egoísmo impede que seja Ele a fazer.

  1051. Se para Deus a obra pequena e a grande são iguais, se para Ele o esforço de abrir o Mar Vermelho ou de dar comida a uma formiga é o mesmo, porque razão devemos ter mais fé fazendo uma coisa grande do que quando fazemos uma coisa pequena? Qual é o mistério do problema? Não somos nós que diferenciamos entre obras e nos maravilhamos mais com umas que com as outras, ou desejamos umas mais que outras e a nossa ansiedade é maior quando estamos pessoalmente envolvidos em certas questões que são importantes para nós?

  1052. Muitas pessoas têm tanto medo de admitir certas coisas diante de Deus quanto teria alguém de confessar à sua noiva que lhe foi infiel. É precisamente diante de Deus que mais gostaríamos de poder esconder certas coisas, pois queremos muito estar sob as Suas boas graças. Você vai esconder, ignorar ou vai admitir e salvar-se? "Se dissermos que não temos pecado nenhum, é porque nos estamos enganando a nós mesmos...", 1 João 1:8.

  1053. Auto-salvação é crime sério. Equivale em seriedade e em gravidade ao suicídio. O que acha que aconteceria a um médico que decidisse efectuar uma cirurgia séria em si próprio? Que resultados esperaria de tal cirurgia? Imagine a pessoa operando-se a ela própria: os medos de falhar; a tomada de auto-consciência; a recriminação quando falha; o renascimento do egoísmo em coisas importantes (o qual é embrião de todo tipo de pecado) e consequente da associação e combinação de egoísmo à salvação; a tomada de consciência dos perigos que incorre ao vivo! Na verdade, quando uma pessoa tenta salvar-se a ela própria espiritualmente e é sério sobre o assunto, acontecerá o mesmo. Na verdade, aconteceria pior, pois, equivaleria a um mendigo que nunca estudou querendo fazer a cirurgia em si mesmo. Muitos evitam salvar-se precisamente porque não se querem envolver com os atritos próprios de quem se tenta salvar a ele mesmo, pois têm ideia de que isso é que é salvação. Por isso, viram as costas e vão-se embora. Mas, será que alguém que vira as costas à cura e evita entregar-se ao cirurgião é menos suicida que todo aquele que quer salvar-se a ele próprio? Entregarmo-nos a Jesus e aos seus cuidados deve impedir a nossa mão de mexer no que não deve e deve impedir de virarmos as costas a tão grande salvação. "E bendito seja o teu conselho e bendita sejas tu, que hoje me impediste de salvar-me pela minha própria mão!", 1Sam.25:33.

  1054. Incredulidade exige repetições de muitas formas. É por essa razão que a maioria das pessoas ora tanto sem obter respostas concretas. Qualquer oração que não busca uma resposta única de uma vez por todas, nunca lida com aquilo que impede a oração de ser ouvida e é empobrecida e sem visão.

  1055. A incredulidade 'crê' da sua maneira. O pecador não gosta de ser visto como pecador, o incrédulo não quer ser visto como incrédulo - muitas vezes nem por ele próprio. Então, arranja uma maneira irreal de ver Deus e de considerar isso fé. Muitos até dizem: "a nossa fé". Com isso deixam entender que é o seu tipo de fé que têm e nunca a verdadeira que deveriam ter.

  1056. Uma pessoa verdadeiramente santificada é uma pessoa vacinada contra o pecado e contra o mau procedimento. Não é alguém que agrada pessoas para agradar Deus exclusivamente. Não é alguém que foge do pecado porque é imune a ele. A santificação tem uma faceta que é a imunidade. Não podemos ter medo de pisar a cabeça da serpente apenas porque ela é venenosa. "O Senhor, o rei de Israel, está no meio de ti; tu não temerás mais mal algum", Zep.3:15. Contudo, as coisas não funcionarão assim numa vida que não foi plenamente santificada a Deus.

  1057. Ler a Bíblia em nossa força é pecado e trabalhar em informática com Deus é santidade. Se não quisermos morrer para sempre, não podemos sequer imaginar fazer qualquer coisa sem Deus. Aquilo que Deus não aprova, Ele não fará connosco. Aquilo que Ele aprova e fazemos sozinhos, Ele também não fará connosco.

  1058. Paulo era uma pessoa que, muitas vezes, andava com roupas rotas, com fome e sendo desprezado pelo povo a quem se dirigia. Quando Deus era glorificado, Paulo raramente deixava de andar roto e de ser maltratado. "...Até o presente somos considerados como o refugo do mundo e como a escória de tudo", 1Cor.4:13. Não vemos Paulo ser aplaudido e nem vemos os seus discípulos acharem que, aplaudi-lo, seria glorificar Deus. Se é verdade que os que concordam andam juntos, sabemos que, quem aplaude e quem recebe o aplauso são da mesma carne. Por isso andam juntos. "Acaso andarão dois juntos se não estiverem de acordo?", Amos 3:3.

  1059. A graça chega lá onde nenhum homem chega e expõe tudo para a morte. Não vemos nenhum médico fazer uma cirurgia ou transplante a ele próprio e nem para deixar a doença no lugar onde estava. Não seria nada fácil salvar-se a ele mesmo por muitos motivos. Terá de entregar-se a outro e de confiar entregando a sua vida em mãos alheias juntamente com aquilo que considera mais precioso, isto é, a sua vida. E o que Jesus faz em nós é muito mais que uma cirurgia de peito aberto. Essa transformação é feita em nós. É por essa razão que devemos entregar tudo a Quem sabe o que fazer no momento mais oportuno. Ele é o Salvador e realmente salva.

  1060. O obstáculo principal para um pecador é a sua maneira de ser, é a força que usa e os seus próprios jeitos. Já vi pessoas fazerem o que não gostam apenas para contrariar, apenas com o intuito de ser feito como querem e de não perderem a compostura do "faço, posso e mando". Mesmo que não façam o que querem, fazem como querem para não perderem as rédeas da vida que acham que comandam. No entanto, nem do seu fôlego são donos. Por vezes, até preferem prejudicar-se para não deixarem de ser eles a fazer as coisas, impondo para não lhes ser imposto.

  1061. A fidelidade não é uma emoção: é uma natureza que anda sozinha ou acompanhada sem saber qual a diferença. A fidelidade não se enraíza através do encorajamento ou do elogio; não vive de emoções; não se estabelece por causa dos prémios ou da recompensa; e não vê mais nada além de fazer tudo bem e ser minuciosamente perfeita, seja com ou sem compensações. É-lhe indiferente haver recompensas. A fidelidade vive em função do Rei que serve e não em função do prémio ou da recompensa. Fiel é aquilo que Deus é. Convivendo com Ele e vivendo através d'Ele, seremos simplesmente fieis também. Se a fidelidade não existir apenas por ela, se não existir por existir, é uma hipocrisia que será desmascarada no dia do juízo. Você passará nesse teste do escrutínio dos olhos de Deus?

  1062. Não é fácil explicar a vida de palácio a quem vive no esgoto do pecado e nem explicar ao cego que nunca viu o que é a vida de luz. É preciso que eles venham experimentar pessoalmente.

  1063. Eu tenho a mais completa certeza que podemos viver e conviver com Deus e toda a Sua grandeza da maneira mais natural e mais simples que possamos imaginar. Mas, para vivermos com o Rei, precisamos habituar-nos à vida de palácio e, para vivermos no palácio desse modo, precisamos conhecer o Rei intimamente. A primeira coisa exigida por essa vida é que estejamos limpos. Seguidamente, que sejamos revestidos do Seu poder, isto é, vestidos com as Suas roupas de realeza. Depois, devemos poder-nos sentir bem com essas roupas e viver como se nunca tivéssemos conhecido qualquer outra forma de vida. Devemos poder viver com Jesus revestidos d'Ele como se tivéssemos nascido nessa vida e como se nunca tivéssemos experimentado qualquer outra, tal deve ser a inocência na vida de plenitude. Você consegue? Na verdade, não tem outra opção senão conseguir e não precisa tentar ganhar tempo lutando com a ideia de ter de conseguir e nem com a suposta impossibilidade dessa ideia. Ou vive assim ou não vive. É preciso conhecer Deus dessa forma, pois isso é o que a Vida Eterna é. "E a vida eterna é esta: que te conheçam a Ti...", João 17:3.

  1064. Sexo nunca foi uma necessidade e antes uma capacidade. A doutrina do mundo é que a tornou uma necessidade.

  1065. Deus havia revelado aos profetas e a Eliseu que Elias seria levado vivo. Só não vemos nada de estranho nessa história porque já a conhecemos muito bem. Mas, a simplicidade e a naturalidade com que os profetas e Eliseu acreditaram em uma coisa que nunca viram acontecer, impressiona qualquer um. Deus falou e eles creram. Nem nos podemos perguntar por que razão eles eram profetas ou admirarmo-nos com esse facto. Eles simplesmente sabiam e agiram da forma mais natural, como se não fosse nada do outro mundo.

  1066. É bom que um orgulhoso não tenha aparência de humilde e que um humilde não tenha aparência de orgulhoso porque as pessoas dão muito valor às aparências para se agradarem mutuamente ou para terem razões para se desagradarem. Quantas vezes as ovelhas seguem um lobo com aparência de ovelha e recusam um homem de Deus porque ele esqueceu-se de ser transparente e exteriorizar aquilo que é por dentro de forma simples e natural? Nenhuma pessoa pura deve ter medo de viver aquilo que é diante de qualquer outro ser. Não podemos viver com os medos de antigamente, os daquele tempo quando tínhamos coisas para esconder. "Eis que tudo se fez novo" e tudo se fez diferente. Andar na luz e sermos claros e transparentes (até mesmo sem palavras) é bom para todos. Ninguém deve ter coisas para esconder e, se tiver, que as revele ao invés de escondê-las. Humildade é sermos e vivermos aquilo que realmente somos e revelarmos até o que fomos.

  1067. Descontentamento pode existir por vários motivos, mas, o principal é o tipo de coração que temos. O problema do descontentamento ou da insatisfação é um egoísmo, é um problema do coração e nunca daquilo que nos parece mal do lado de fora. Esse problema faz com que nos aproveitemos dos outros; com que busquemos atenção ao invés de dar atenção; faz-nos pedir em vez de dar; leva-nos a desejar e a invejar muitas coisas que não são nossas; na verdade, é um problema com muitas consequências sérias.

  1068. Sentimentos devem ser submissos para seguirem o nosso coração e não o inverso. Sentimentos tornam-se teimosias e obsessões quando seguidos, isto é, quando não nos seguem. Se não nos seguem quando não os seguimos para satisfazê-los, são igualmente teimosos. São como um jumento que recusa levantar-se do seu lugar para obedecer. Imagine alguém fazer uma coisa por Deus sem coração e da qual Ele se agrada! Os sentimentos quando não são seguidos podem, em alternativa, recusar seguir.

  1069. É bom pensar. Mas, é importante domesticar o que é selvagem dentro da nossa cabeça e direccionar para Cristo tudo quanto somos. Pensamentos errantes podem ser motivo para distracções, tal qual podem tornar-se ideias e pensamentos certos pendentes e não finalizados em quem já tem a mente de Cristo.

  1070. Muitos, quando pedem forças a Deus, assumem que pedem que as suas próprias forças sejam renovadas e não substituídas por outras de outro tipo. Deus quer a força do homem morta e extinta nele. Deus não quer nada com a carne, nunca desejou fortalecê-la. "Diga o fraco 'eu sou forte'". Quando Deus renova as nossas forças, Ele renova o Seu tipo de poder, as Suas forças em nós e nunca as da carne.

  1071. Se é possível as pessoas do mal adoptarem as coisas de Deus (como os profetas de Baal adoptaram o sacrifício da tarde a partir da lei de Moisés, 1 Reis 18:29), também é possível os crentes mornos ou mortos adoptarem as coisas do mal. Por essa razão é que muitos desmaiam nas igrejas através de poderes estranhos, crendo estarem a ser baptizados pelo Espírito.

  1072. É muito estranho para mim que os homens possam arriscar tudo para perderem a vida e não arrisquem nada para ganhá-la.

  1073. Para muitos, confiar em Deus cegamente é muito atrevimento. Para outros é uma insensatez - mesmo quando não reconhecem abertamente o que pensam. Para muitos outros, é um passo no escuro que facilmente hesitam dar. Como nem todos dão um passo no escuro ou não são atrevidos ao ponto de arriscarem perder tudo o que são por Deus, o mundo fica mais pobre do que aquilo que já é.

  1074. Nenhuma pessoa espiritual saberá agir ou reagir através da força da carne. Por outro lado, para o homem comum, confiar em Deus é, muitas vezes, arriscar ou arriscar demais.

  1075. Quando o homem não puder contar com a força a que se veio habituando (a sua própria), quando não puder contar com os seus próprios recursos, não conseguirá crer que será uma pessoa operante e eficaz. O mesmo já não podemos dizer de um homem espiritual, pois, quem é espiritual crê que se tornará inoperante pela força da carne - e qualquer homem espiritual crê na verdade.

  1076. Todo o homem que hesita ou faz coisas estranhas ou faz as coisas certas contrariado.

  1077. Perder a vida não significa que não iremos ressuscitar em uma nova vida que é igualmente real e prática. Se quisermos evitar o colapso depois de tanto esforço de aprendizagem, devemos saber começar a viver uma nova vida através de outras armas e de outros meios que nos eram totalmente desconhecidos na vida anterior de pecado, a qual agora está extinta  - se é que está, realmente, extinta. Até os motivos que tínhamos para viver essa vida extinguem-se para sempre. Por isso, vamos ter o cuidado de nunca deixar a casa vazia e inoperante depois de limpa, pois, sete demónios espreitam para entrar numa casa arrumada, a qual foi abandonada por um.

  1078. Quando lutamos contra uma natureza em nós, ficamos com a ideia que iremos ser consagrados após a vitória e regressar à vida velha sem sermos condenados. A verdade, porém, é outra: iremos viver com a nova natureza que obtivemos por via da provação. Não será uma coroa de vitória, mas, uma vida normalíssima de vitória que iremos poder viver e dela desfrutar passo a passo após aquilo que considerávamos erradamente como sendo a meta final. E cada passo é importante para todas as caminhadas. Quando tropeçamos, não tropeçamos na caminhada e sim no passo que damos. O passo não é a caminhada e, se tropeçarmos, podemos levantar-nos para continuarmos. Assim, não vencemos para nos tornarmos inoperantes, mas, para servirmos de outro jeito em novidade de vida. Ao obtermos uma nova natureza chegamos ao ponto de partida e não ao ponto de chegada. Já viu algum estudante esforçado pensar que irá ficar quieto em casa depois de terminadas as provações, as aulas e as lutas de curso?

  1079. É mais fácil e menos cansativo sermos perfeitos do que errantes crónicos. O erro cansa e esgota qualquer um. A perfeição é leve e suave. Tenha cuidado com aquele tipo de 'perfeição' difícil, forçada e pesada.

  1080. A inoperância e a confusão devem-se a não sabermos esperar no Senhor. Quem espera no Senhor nunca será pessoa confusa e inoperante, ainda que pareça estar confusa e quieta.

  1081. "A palavra do Senhor na tua boca é verdade", 1 Reis 17:24. O que esta viúva também queria dizer é que existiam pessoas em cuja boca a própria palavra do Senhor é mentira. Existem pessoas falsas que falam as palavras de Deus e, muitos deles, muito acertadamente. Mas, as suas vidas não correspondem e não mantêm o passo acertado com Deus, não estão de acordo com Deus e não andam na presença de Deus. Nem a multiplicação do azeite e da farinha haviam convencido esta viúva ainda, pois muitos falsos fazem milagres falsos também. As palavras de Deus nos profetas de Baal que existiam na altura eram mentira e a viúva vivia no meio desses profetas que misturavam as coisas de Deus com as de Baal, as quais faziam todas as pessoas coxearem entre dois pensamentos.

  1082. Uma das características de quem realmente espera em Deus, é a expectativa que nasce dentro. Quem está expectante reagirá assim que chegar o momento certo e ficará quieto em outros momentos. Mas, quem espera sem ter expectativa, quando o momento certo chegar, continuará a esperar que chegue aquilo que já chegou. E quando é o momento errado e não espera de Deus, salva-se e abastece-se pela própria mão e exige que Deus lhe dê a Sua bênção naquilo que faz sem Deus. Esse será o salário daquela 'fé' que, na realidade, nunca creu sempre que dizia que confiava em Cristo.

  1083. "Ora, sem fé é impossível agradar a Deus", Heb.11:6. Quando Paulo nos diz que sem fé não é possível agradar a Deus, ele não quer dizer que a fé agrada a Deus ou que sendo crentes seguros já Lhe é agradável. O que ele quer dizer é que precisamos tornar-nos agradáveis a Deus e que, se não for através da fé, nunca nos tornaremos justos e puros de tal forma que O agrademos. Será crendo que obteremos essa natureza que Lhe é agradável. Este versículo só afirma que sem ser pela via da fé isso não será possível.

  1084. Muitas das coisas que Jesus nos diz são confidenciais. Outras não são. Outras, ainda, devem ser ditas, explicadas e multiplicadas pela sabedoria. Ora, se Jesus nos confidencia algo e divulgamos o que deveria ser pessoal e confidencial, somos penalizados com o salário da desobediência. E se Jesus nos disser algo que devemos divulgar e ficarmos calados sobre o assunto, seremos igualmente penalizados como desobedientes. "E por que me chamais "Senhor, Senhor", se não fazeis o que Eu vos digo?", Luc.6:46. Poderíamos interpretar estas palavras assim também: "E por que me chamais "Senhor, Senhor", se não fazeis como Eu vos digo?"

  1085. Quem não busca da maneira certa, não espera receber da maneira que recebe. Por isso, quando recebe, não entende o que está recebendo e fica desapontado.

  1086. Não podemos servir dois dias ao mesmo tempo, nem dois Senhores e nem dois momentos. Tentar viver duas coisas ao mesmo tempo é uma forma carnal e medrosa de estar na vida, vida essa que precisa deixar de existir.

  1087. Não podemos pensar fabricar as munições apenas quando a guerra começa. Não podemos querer aprender a viver com essa força de Deus quando já estivermos nas trincheiras, pois, lá, viver dela já deve ser a nossa natureza, a nossa reacção e o nosso primeiro e único instinto.

  1088. Cada pessoa deve ter, provar e obedecer aos seus próprios rios e aprender a beber deles pessoalmente. Não podemos beber dos rios dos outros e, consequentemente, não esperar que sejam os outros a beber dos nossos quando os temos. Uma mentalidade leva à outra e quem quer beber dos rios dos outros achará que o procedimento normal será pregar para os outros sempre que tiver rios de água viva. "O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar dos frutos", 2Tim.2:6. Os outros beberão quando o nosso cálice transbordar.

  1089. A nossa força e ânimo chegam-nos através de uma limpeza que nos garante a proximidade de Deus em nosso interior. "...Para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais robustecidos com poder pelo seu Espírito no homem interior", Ef.3:16.

  1090. Quem só sabe andar através da força da carne, ao negá-la, correrá o risco de ficar inoperante porque desconhece o que será andar e caminhar através da força que vem de Deus para preencher a casa que os demónios da carne deixaram vazia e inoperante.

  1091. Ninguém conseguirá esforçar-se não tendo força; ou crendo que não tem força; ou não crendo que já tem a força certa. Uma das razões para a inoperância é a dúvida quando se tem ou se pode ter a força certa; e, para a operância errada, é precisamente ter, fazer questão de usar e de manter a força errada. Quando a pessoa tem a força errada, seguramente que tentará acender o altar de Deus através de fogo estranho. Será condenado tal qual foram os filhos escolhidos de Aarão, Lev.10:1,2.

  1092. Uma coisa é Deus dizer que nós faremos certa coisa e que Ele estará connosco, tal qual fez com Josué: "...Tu farás a este povo herdar a terra que Eu jurei a seus pais lhes daria", Jos.1:6. Outra coisa é quando Deus promete ser Ele a dar ou a fazer pessoalmente aquilo que nós prometemos em nome de Deus ou que Ele nos prometeu. Você sabe distinguir entre as duas situações? E tanto uma coisa como a outra acontecem no momento certo. "Tão só esforça-te e tem bom ânimo...".

  1093. Não imagine Deus: experimente-o como Santo que é. Só assim você será verdadeiramente santificado e tornado puro. "Mas, o fim desta admoestação é o amor que procede de um coração puro, de uma boa consciência e de uma fé não fingida", 1 Tim.1:5.

  1094. "Varões israelitas, por que vos admirais...?" Act.3:12. A admiração e o delírio quando Deus faz alguma coisa é uma ofensa a Deus. Só mostra como andamos afastados da realidade da Sua presença. Deus não tem culpa que as pessoas não estejam habituadas a conviver com Ele.

  1095. Confiança forçada não é confiança. Na primeira prova, ela vira desobediência, amargura ou temor. Vira desobediência porque a obediência vem pela fé e não pela fé fingida; vira amargura porque a fé fingida não recebe nada de Deus e fica desapontada; vira temor porque a pessoa fica sem rumo e desconfiada.

  1096. Temos algumas alternativas para lidarmos com as verdades que aprendemos: ou constatamos as realidades da pessoa de Deus; ou forçamos o nosso coração a acreditar que Deus é fiel sem experimentar que Ele é realmente fiel devido ao temor que temos em nos enganarmos. Temos medo de desafiar o nosso coração. Devemos dar a oportunidade a Deus para que se revele fiel tal qual Ele diz que é. Você tem medo de quê? De arriscar? Se não resultar consigo, certamente que a sua vida não agrada a Deus e, arriscando, poderá ficar a saber se precisa arranjá-la logo.

  1097. Um santo em quem o amor de Deus foi derramado, amaria até no inferno. Podemos esperar esse amor incondicional de sua parte?

  1098. O Espírito Santo é luz. Ele é dado a quem Lhe é obediente. Quem não for obediente, não saberá para onde ir. Por essa razão lemos: "...o Espírito Santo, que Deus deu àqueles que lhe obedecem", Act.5:32. Se um desobediente afirmar que tem o Espírito, mente, seguramente.

  1099. Deus quer que a pessoa seja verdadeira, pois, sabermos a verdade não é a mesma coisa que sermos verdadeiros. E Deus não é uma concorrência a quem sabe e conhece a verdade. Não podemos, por isso, ver Deus como uma concorrência, mesmo que Ele não confie em nada vindo da carne e seus meios. Porque desejamos conhecer a verdade ou porque temos em nós uma apetência inerente para conhecê-la de forma pessoal e do jeito certo, por essa razão, devemos desejar ser guiados pelo Espírito. Ele é aliado fiel ao que é verdadeiro e não concorrente.

  1100. A Palavra de Deus é uma das coisas que começam a fazer sentido simultaneamente com a limpeza de todos os nossos pecados. A Palavra de Deus começa a tornar-se simples e objectiva. Assim que a nossa vida é colocada na luz e o Espírito começa a inundar o nosso ser, a primeira coisa que se abre para nós é a Palavra de Deus. O Espírito Santo começa a levar-nos para onde Ele quer que sigamos fielmente. "O vento sopra e não sabes para onde vai". O início dum entendimento real, leve e genuíno da Palavra de Deus é uma limpeza completa de todos os nossos pecados. Devemos confessá-los e abandoná-los um a um, todos, desde que nascemos. Logo de seguida, devemos buscar e achar uma plenitude do Espírito. Esse conjunto, essa combinação, será fatal para a ignorância. Nada mais ficará igual a partir dali.

  1101. Quem fala com voz de choro para conseguir a atenção dos outros, com certeza que é mandão quando não choraminga. Tem de conseguir atenção de qualquer jeito! Quem choraminga e quem é mandão são uma e a mesma pessoa. Nem sempre os mandões choramingam, mas, os que choramingam são mandões.

  1102. "Portanto nada julgueis antes do tempo", 1Cor.4:5. É fácil julgarmos as nossas provações antes do tempo quando estamos de coração limpo e virado para o céu. Isto é, não vemos o bem que irá sair dali. Não julguemos antes dos resultados finais se estamos de coração limpo e expectantes diante de Deus.

  1103. "Mas se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados", 1Cor.11:31. Isto não significa necessariamente que não passaremos pelo juízo de Deus e antes que passaremos ilesos pelo Juízo de Deus. Contudo, o que Paulo quer frisar aqui é que, se nos julgarmos a nós próprios antes que sejam as pessoas a julgarem-nos, elas não nos julgarão. Poderão acusar-nos mesmo sabendo que somos inocentes, mas, não poderão ser coerentes julgando-nos. Por isso é que, muitas vezes, os inocentes são acusados falsamente, pois, não se condenam publicamente daquilo que são acusados.

  1104. As pessoas que querem ser exemplos para os demais esquecem, muitas vezes, que têm de responder pessoalmente diante de Deus e não diante das pessoas. E os que respondem diante de Deus esquecem, muitas vezes, que é preciso que as suas vidas signifiquem alguma coisa para os que os rodeiam, já que respondem verdadeiramente diante de Deus. Não vivemos apenas para nós próprios. Contudo, devemos sublinhar que uma vida consagrada a Deus será um exemplo naturalmente. Devemos, apenas, saber viver na luz e saber expressar aquilo que é verdade, não para sermos exemplos, mas, por Deus e para sermos sinceros e verdadeiros. Não podemos viver uma coisa e mostrar outra. "Eis que desejas verdade no íntimo", Sal.51:6. Basta vivermos na luz, abertamente e sem preconceitos de inferioridade ou de superioridade, os quais levam os tolos a quererem fazer as coisas para serem exemplos ou para terem como se justificarem diante das pessoas. Não será a carne que nos julgará diante de Deus. Devemos prestar contas, agora, a quem nos irá julgar um dia.

  1105. Por que iria querer uma coisa que não me foi dada por Deus? Por que razão desejaria ter tal coisa? Não vejo qual a utilidade dela, nem mesmo sendo muito bonita ou necessitada. Sem Deus, nem a vida tem qualquer significado. Para quê vivê-la sem Deus? Mas, já que é assim, a vida e os outros dons que nos são dados por Deus devem ser cuidados e bem estimados. Devemos consagrar tudo a Deus novamente para não errarmos pecando através daquilo que recebemos d'Ele.

  1106. Ou somos totalmente entregues a Deus ou não somos. Entrega parcial faz com que as coisas importantes da nossa vida fiquem pendentes. Uma entrega parcial faz de nós pessoas inconstantes e incrédulas. "Não pense tal homem que receberá alguma coisa do Senhor", Tiago 1:7.

  1107. Para a pessoa saber o que se passa em seu interior quando Jesus pega em seu coração, terá de andar com Jesus. Para nos conhecermos e para conhecermos a nova criatura em que nos tornamos, precisamos de Jesus. Conhecendo, também, essas verdades, seremos verdadeiramente livres. Precisamos de Jesus para nos conhecermos a nós próprios tanto quando precisamos d'Ele para conhecê-Lo. A verdade é que cada homem tem ideias formadas sobre ele próprio e sobre Deus que não correspondem à verdade. Precisamos conhecer a verdade. E tudo aquilo que não estiver de acordo com Cristo será transformado pelo conhecimento experimental dessas verdades sobre nós próprios e sobre Deus. Só assim seremos libertos dos fantasmas que nos fazem crer ser impossível sermos como Cristo em essência, isto é, voltarmos a ser conformes à imagem original com a qual fomos criados inicialmente.

  1108. Para David era muito mau derramar sangue inocente ou ser injusto. Mas, havia algo que ele também considerava ser um pecado muito grave: ser liberto pela própria mão, sendo que ele havia entregue todos os seus caminhos ao Senhor para sempre. "E bendito seja o teu conselho e bendita sejas tu, que hoje me impediste de salvar-me pela minha própria mão!", 1Sam.25:33. Se a auto-salvação é coisa tão séria, imagine-se como será a auto-condenação e a auto-flagelação! Não passará de auto-justificação.

  1109. Os dias não são todos iguais e não servem todos a mesma finalidade. Existem uns dias diferentes dos outros, nos quais conseguimos fazer menos ou mais, consoante as provas que Deus neles coloca para vencermos. Nem sempre a finalidade do dia é terminar um trabalho. Mesmo que nem sempre seja assim, muitas vezes as coisas acontecem para se conseguir uma obra dentro de nós através do que fazemos. E, para conseguir essa obra, Deus pode impedir que façamos como pode permitir que terminemos qualquer obra, dependendo do que Ele quer alcançar em nós e o que servirá essa finalidade.

  1110. Um dos grandes obstáculos que as pessoas enfrentam quando querem ouvir Deus é a tentação de falarem por Deus. A incredulidade acha que Deus não fala. E, para não deixarem de ser crentes, as pessoas acham que devem dizer qualquer coisa, pensar qualquer coisa, dizer qualquer coisa que Deus não diz ou fazer algo que Ele não faria por eles. Na verdade, agindo assim, dizem através de seus atos que Deus é um incapaz. Outro dos obstáculos é Deus não repetir muito aquelas coisas que diz. Rei não repete mandamentos e ordens. As pessoas esquecem, não esperam ou não assimilam logo e depois falam por Deus mais adiante.

  1111. "Embora pequeno aos teus próprios olhos, porventura não foste feito o cabeça das tribos de Israel?" 1 Sam.15:17. Aquilo que achamos que somos não impede, não adianta e não atrasa nada do que Deus pode fazer connosco. Isso é assim porque Deus não está a contar com as nossas capacidades para poder fazer. O que somos pode atrapalhar a nossa conduta, pode fazer-nos tropeçar temporariamente ou para sempre, mas, não é determinante para que Deus faça alguma coisa. As pessoas podem corrigir-se ou serem formadas durante o percurso da vontade de Deus. Mas, nem sempre Deus confia nessa possibilidade.

  1112. Quem é imune às críticas deve e pode ser imune aos elogios. A critica e o elogio vêm da mesma fonte e afectam o mesmo tipo de pessoa, pois quem é capaz de elogiar, será capaz de criticar e quem gosta de elogios, detesta ser criticado. Mas, uma coisa é a fonte, outra é o poder que ela exerce sobre nós. Os perigos da critica e do elogio também são os mesmos. Precisamos ter cuidado com ambos. Mas, os que vivem com o propósito de ouvir Deus, consagrar Deus e de receber a opinião de Deus, não se afectam com as criticas ou com os elogios. Deus não elogia - Ele fala a verdade. Deus não critica quando fala - expressa a verdade.

  1113. Uma pessoa, para poder falar bem, terá de saber ouvir bem. Ouvir bem é a condição principal para falarmos as palavras de Deus a alguém. Se eu não ouvir bem, não poderei obedecer também. Não podemos ser fiéis a algo que não ouvimos bem e nem ser infiéis ao que se ouviu bem. O segredo está na forma como ouvimos. "Vede, pois, como ouvis", Luc.8:18. Não podemos ouvir da forma que queremos.

  1114. Quando Jesus se fez pecado, Ele não simpatizou connosco. Antes, identificou-se connosco para que nos pudéssemos identificar com Ele.

  1115. Fé é como o olho: vê tudo o que está na frente dele, mas, não se vê a ele próprio e nem as suas incapacidades.

  1116. Nenhum daqueles que aprendeu a viver de Deus, mesmo que seja apenas em uma fase inicial, deve pensar que não pode fazer as coisas apenas porque não as pode fazer na sua força. Pensar dessa maneira é um crime. Abandonar os recursos próprios da carne deve poder fazer-nos felizes e não tristes. Na verdade, sabendo que não temos como fazê-las na carne ou via força da carne deve conseguir fazer-nos acreditar que as faremos mais facilmente.

  1117. Quem se rende, logo rende. Quem entrega as suas armas a Deus, logo vence a batalha. Mas, quem vence uma batalha que não se atreva a pensar que já venceu a guerra!

  1118. não pode ser a pessoa a convencer-se que Deus vai fazer. Fé não é acreditar que Deus falou - é acreditar em Deus sempre que fala. A pessoa pode acreditar que Deus falou quando não foi Deus e sim o seu desejo. Isso não pode ser fé e não trará fruto algum. Fé só pode existir quando Deus fala mesmo, só pode ser uma reacção à palavra de Deus e só assim dará frutos visíveis e actuais. Crer em Deus não é o mesmo que crer naquilo que queremos crer sobre Deus.

  1119. "Porque nós não somos falsificadores da palavra de Deus, como tantos outros; mas, é com sinceridade, é da parte de Deus e na presença do próprio Deus que, em Cristo, falamos", 2Cor.2:17. "Em Cristo falamos": isto significa que somos a natureza de Cristo. "...Na presença de Deus": falamos na própria presença de Deus, isto é, onde Deus opera e está presente, vê e analisa tudo e não se afasta; "é da parte de Deus": falamos a palavra que recebemos de Deus para falar especificamente sobre um assunto que toca fundo no coração de Deus; E falamos na nossa sinceridade. Se faltar só uma destas coisas, seremos falsificadores da palavra mesmo que nenhuma das outras falte. Por isso, é necessário receber de Deus; falar na sinceridade (e ninguém é sincero se não vive o que fala, isto é, ser o próprio Cristo porque já morremos); e falar no momento certo, isto é, quando Deus estiver presente para aplicar a Sua palavra. Não podemos falar nem antes e nem depois do momento certo. Deus deve testemunhar por nós e em nós. Ele deve dar vida à Palavra falada. Ele deve estar presente tanto na audiência quanto em quem fala.

  1120. Muitos preocupam-se em dar o dízimo e outras coisas mais que prometeram a Deus. Em certos casos, Deus quer o dono do dízimo enquanto se preocupam em dar o dízimo para não ter de se entregarem totalmente a Deus. Um dia "ao tolo nunca mais se chamará nobre e do avarento nunca mais se dirá que é generoso.", Is.32:5.

  1121. Se as pessoas ou as coisas que vêm matar a sua carne passarem por perto, você irá ter com eles e perguntar "a quem buscais"? "Sabendo, pois, Jesus tudo o que lhe havia de suceder, adiantou-se e perguntou-lhes: A quem buscais?", João 18:4. Você também se adiantaria?

  1122. Fidelidade não é uma mera disposição emotiva: é uma natureza que as pessoas têm que caminha por ela ou acompanhada sem saber qual é a diferença.

  1123. Os olhos de Deus são olhos que revelam. Só podem ser, pois, já vêem tudo. Deus vê tudo até ao infinito. Não precisa olhar para ver aquilo que já vê. Por isso, quando lemos na Bíblia sobre os olhos de Deus, entendemos que somos nós que precisamos ver tudo aquilo que Deus já vê, especialmente aquilo que vê a respeito de nós.

  1124. "...Herança entre os santificados...", Act.20:32. Não existe herança para quem não seja santificado. Você sabe o que é santificação? Quando deixamos as coisas porque nos fazem tropeçar, tornamo-nos justos. Isso é justificação. Mas, muitos acham que isso é santificação. Santificação é conseguir usar e santificar tudo o que tínhamos e temos para os propósitos de Deus. Isto é, você vai gerir aquilo que era seu para glorificar Deus e o faria tropeçar porque, agora, pertence a Deus somente. Ana santificou o filho dela a Deus e não deixou de ser filho dela. Também não deixou de cuidar daquilo que ela havia dado a Deus por já não pertencer-lhe. Quem sabe cuidou do filho dela ainda melhor quando passou a pertencer a Deus! Você é santificado? Tudo o que tem é gerido fielmente para Deus? O seu tempo é de Deus? A sua língua? O seu salário? Ou só dá dez por cento do que tem para outros gerirem e para que possa evitar santificar seu coração totalmente? Vai conseguir "herança entre os santificados"?

  1125. Os Judeus não podiam conviver com os povos das nações para não aprenderem os seus pecados. Não existia mais nenhum motivo para essa segregação. Não era uma segregação racial, mas, uma separação do pecado. O problema não eram os povos, mas, o coração traiçoeiro de Israel que aprendia facilmente os pecados das nações. O problema era interno e não externo - era problema do coração. Mas, por causa do egoísmo, eles achavam que não deveriam conviver com eles por se acharem superiores aos outros povos em redor. Além do mais, é muito bom para qualquer pessoa que ama o pecado renunciá-lo e opor-se-lhe. É um bom exercício espiritual opormo-nos *as coisas erradas das quais gostamos. Mas, renunciar não chega. Devemos aproveitar a ocasião para tirar o mal do coração, principalmente aquele mal que não achamos ser ruim devido às tendências enganadoras do coração. Odiar as nações por motivos egoístas e separarmo-nos deles não tem nada de bom - não é uma virtude. É apenas uma prevenção. Jesus não pecou convivendo com prostitutas. Mas, existem homens que pecariam e, por essa razão, devem ficar longe delas. Contudo, nunca fique satisfeito por conseguir negar o pecado e os lugares onde se tem costume de pecar. Ainda precisa mudar o seu coração. Segure na oportunidade com as duas mãos e trabalhe muito sobre os seus joelhos para que também o seu coração mude agora que os seus caminhos mudaram. Ficar longe do pecado é bom, mas, não tem virtude alguma. Precisamos ter um coração novo, o qual vive comodamente instalado dentro da vida nova sem que se sinta incomodado quando o pecado e o desejo por ele é negado. Se ficarmos longe do pecado, que seja porque estamos bem onde estamos e porque nos sentiremos estrangeiros em território de pecado.

  1126. O diabo é uma perversão da sua natureza inicial. Actualmente é uma aberração. Ele foi feito para adorar e não para ser adorado, tal como uma mulher foi feita para ser mulher e não tentar ser homem. Sermos diferentes daquilo para que fomos criados é um tipo de aberração proporcional ao homossexualismo: a pessoa não é aquilo que persiste em querer ser.

  1127. Dizem que são os santos que querem rezas, isto é, que cada santo tem as suas rezas. Mas, não é bem assim. Essa prática idolatra tem outra explicação: são as rezas que querem ter os seus santos. Deixem-me explicar: as pessoas têm certo tipo de ideias e criam uma religião de acordo com os seus desejos. Todas as religiões são concebidas à medida das pessoas que as criam. As idolatrias são fantasias e as religiões são ideias dos homens para servir o que eles próprios pensam. São as rezas que concebem os santos que querem.

  1128. Muitas vezes, as pessoas questionam-se porque razão Deus permite que o homem faça o que quer quando quer. Isso é porque é necessário que os homens se tornem todos sujeitos a Deus voluntariamente e que o façam através do Seu poder e pelos Seus objectivos, tanto os finais como os objectivos temporários. A pessoa forçada à sujeição não é verdadeiramente sujeita, tal como aqueles escravos cujos donos dominavam e prendiam pela força. O único escravo que conheço que poderia sair da sua escravatura e não saiu por opção e para se sujeitar à vontade de Deus, foi José. Mesmo assim, havia sido forçado a ser escravo. Mais tarde, tornou-se escravo voluntariamente e era fiel em tudo o que não era seu e que não era feito para ele. Foi com esse mesmo espírito que continuou a governar o Egipto, pois continuou sendo a mesma pessoa sujeita a Deus.

  1129. Quem não se opõe, consente. E eu posso consentir a vida do mundo ou a vida de Deus. Tudo vai depender se me oponho a uma ou à outra, ou se consinto uma mais que outra.

  1130. Quando os dons são distribuídos pela imposição das mãos, serão dados apenas se as mãos de quem impõe forem santas e autorizadas. Vemos, por exemplo, que o Espírito Santo era dado a quem os Apóstolos impunham as mãos. Felipe não impunha as suas mãos para dar esse dom necessário a quem se convertia, pois não tinha autoridade para tal. João e Pedro vieram fazer esse trabalho, Act.8. Paulo tinha essa autoridade, também, por ser apóstolo. Mas, em casos especiais, conta também quem recebe. Ananias não era apóstolo e impôs as mãos sobre Paulo para que recebesse o Espírito Santo. Aqui, não eram as mãos que tinham autoridade, mas, a cabeça da pessoa sobre quem as mãos foram impostas. Não podemos afirmar com segurança que a autoridade que Ananias tinha para fazer o que fez fosse mais que temporária ou mais que ocasional.

  1131. As pessoas do mundo têm o seu jardim. Os puros também têm o seu. Contudo, o jardim onde se cultivam ervas e coisas inúteis não precisa ser cuidado como um jardim onde se quer cultivar flores e plantas úteis e bonitas. Por essa razão, devemos levar em conta que as pessoas do mundo não têm o hábito de cuidar do seu jardim e de terem a disciplina de arranjar tempo para o fazerem. Sempre que se convertem precisam, consequentemente, mudar de forma de vida e ganhar os hábitos que nunca tiveram quando deixavam crescer ervas daninhas e desenvolver de tudo em suas vidas.

  1132. Simplicidade é o segredo para podermos ver claramente. Uma pessoa complicada não enxerga muito bem e tropeça facilmente. Existe simplicidade para com o mal, tal como existe para com o bem. Mas, não coexistem. Quem é complicado fazendo a coisa certa, será simples no mal e vice-versa.

  1133. Vamos distinguir entre um passo e uma caminhada. Uma caminhada é um conjunto de muitos passos que são dados. Tropeçar em um passo não é o mesmo que tropeçar em uma caminhada. Isto é, quando tropeçamos em um passo, podemo-nos levantar para continuar a caminhada. "Porque sete vezes cai o justo e levanta-se", Prov.24:16. O caminho mau também é um conjunto de passos. Os maus também tropeçam e levantam-se em seu caminho para continuarem como são. A diferença entre os passos no caminho largo e no caminho estreito é o rumo que tomam. Os maus tropeçam no próprio caminho e, no final, não se levantarão jamais. "Porque sete vezes cai o justo, e se levanta; mas os ímpios são derrubados pela calamidade. Porque de repente se levantará a sua calamidade; e a ruína deles, quem a conhecerá?" Prov.24:16,22.

  1134. A inoperância espiritual acontece tanto quando a pessoa não sabe andar com Deus como quando não sabe esperar em Deus e nem de Deus. Quem não sabe esperar em Deus activa a carne e andará na sua própria força, muitas vezes, sem se dar conta. E quem não sabe andar na força de Deus sabe esperar na carne. Precisamos aprender a ser espirituais operantes e aprender a andar no Espírito. Andar e conviver com o Espírito e Sua força deve ser o nosso único e exclusivo hábito e forma de vida.

  1135. "Varões israelitas, por que vos admirais deste homem?", Act.3:12. A admiração e o delírio quando Deus faz alguma coisa é uma ofensa a Deus. Só mostra como andamos afastados da realidade da Sua presença. Quem se admira não é recto diante de Deus. "E creu Simão e, sendo baptizado, ficou com Filipe; e admirava-se, vendo os sinais (...) que se faziam. Mas disse-lhe Pedro: (...) o teu coração não é recto diante de Deus", Act.8:13,20,21. Deus não tem culpa que as pessoas não estejam habituadas a conviver com Ele de forma natural. Tenha cuidado com as pessoas que admiram e louvam as obras de Deus. Eles trocam facilmente a criação pelo Criador. Não louvam Deus e sim as obras. Conviver com Deus deve ser tão natural para nós como beber um copo de água. Isso é o que glorifica Deus. "Quem dentre nós pode habitar com o fogo consumidor? Quem dentre nós pode habitar com as labaredas eternas?", Is.33:14.

  1136. "Pedro, vendo isto, disse ao povo: Por que fitais os olhos em nós, como se por nosso próprio poder ou piedade o tivéssemos feito andar?" Act.3:12. O coxo não ficou a andar por Pedro ser santo. Mas, Pedro era santo e se não fosse santo, nada daquilo teria acontecido. Isto não significa que quem tem pecado possa fazer milagres verdadeiros em nome de Deus. Significa que, quando a pessoa é santa, Deus pode escolher fazer milagres ou não através dela. É Deus quem faz. Jesus opera por causa da Sua vontade e não por causa da santidade como se as coisas que Deus faz dependessem das decisões do homem. Mas, sem sermos puros, Deus não opera. E sendo puros, Deus não opera por causa da nossa pureza e sim pela vontade d'Ele. A nossa pureza de coração cria as circunstâncias para o vontade de Deus acontecer, seja ela qual for. A nossa pureza permite que Deus possa fazer a vontade d'Ele livremente através de nós. Mas, é Ele quem faz e não a nossa santidade.

  1137. A presença de Deus é a experiência mais horrível que um pecador pode passar sempre que recusa abandonar o pecado. Deus separa a luz das trevas (e separa-se das trevas) quando desce da maneira que desceu em Pentecostes. Mas, sempre que as pessoas se convertem, o alívio, o refrigério é tão grande que cantam de leveza e de alegria. "Arrependei-vos e convertei-vos para que sejam apagados os vossos pecados, de sorte que venham os tempos de refrigério, da presença do Senhor", Act.3:19. Os tempos de refrigério acontecem quando a pessoa sai da condenação da convicção de pecado.

  1138. "Esforça-te e tem bom ânimo..." É possível termos um tipo de ânimo que não é bom e sabermos agir ou reagir apenas sob influências desse tipo de ânimo. Deus não disse para termos ânimo, mas, "bom ânimo". Muitas pessoas só repreendem os filhos, só agem quando ficam indispostos ou afectados. Existem mães que não sabem agir ou reagir por amor tão bem quanto sabem agir por raiva. Um ânimo mau é, muitas vezes, mais esforçado que qualquer outro. Poucos terroristas desistem de ser maus ou de se animarem em suas ideias. Parar o mau ânimo ainda não é tornarmo-nos operantes em ânimo que é bom. Richard Wurmbrand disse: "Como o pecado faz tudo para ser ruim, eu irei fazer tudo, entregar todo o meu ser pelo amor de Deus, pelo lado oposto". Ele comprometeu-se a viver e revelar a vida de Deus com a mesma devoção que os maus viviam pelo pecado. E você vai entrar nessa onda?

  1139. Se desprezarmos o dia de hoje e não nos prepararmos aprendendo a conviver com ou através da nova vida, seguramente que seremos derrotados na hora da verdade. As solteiras não podem querer viver uma vida de casadas e as casadas não podem querer viver de forma independente como faziam quando eram solteiras. Desfrute cada coisa em seu devido momento para não desperdiçar cada dia e cada dever de cada momento.

  1140. Existem coisas e atitudes estranhas em muitos dos nossos comportamentos. Por exemplo, uma criança querendo fazer as coisas de gente grande; um homem limpo querendo apressar ou dar cumprimento ao que Deus prometeu fazer pessoalmente, etc.. Abraão recusou tomar um único fio de sapato da terra que Deus havia prometido dar-lhe. Até mesmo quando teve toda a terra em sua mão, recusou apoderar-se dela daquela forma. Logo a seguir, Deus aproximou-se dele para o assegurar e dizer que havia feito a coisa certa, Gen.14:22-15:1. Uma coisa é Deus dizer que faremos e que Ele estará connosco, tal qual fez com Josué: "...Tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria", Jos.1:6. Outra coisa é quando Deus promete que será Ele a dar ou a fazer. Você sabe distinguir? Consegue? Tem a coragem para distinguir? E tanto uma coisa como outra acontecem no momento certo. "Tão só esforça-te e tem bom ânimo...". E a nossa força e ânimo chegam através de uma limpeza que nos garante a proximidade de Deus em nosso interior. Só assim poderemos esforçar-nos.

  1141. Muitas vezes, o desespero é não aceitar receber outra coisa ou não aceitar receber da maneira que Deus nos quer dar.

  1142. Deus só nos permite duvidar de algo que não é verdade. Mas, duvidar de uma mentira nunca é o mesmo que estar seguro contra ela. Duvidar de uma mentira faz as pessoas hesitarem tanto quanto faria duvidando duma verdade.

  1143. É tão importante sabermos orar quanto é nunca esquecermos aquilo que pedimos a Deus - quanto mais não seja para aprendermos vendo quais as razões que levam Deus a dar ou a não dar respostas. Se nos esquecermos dos pedidos que fizemos, nunca seremos pessoas de oração. Se nos lembrarmos deles, teremos a opção de aprender ou de descrer caso Deus não responda.

  1144. Jesus prometeu dar resposta concreta a todas as nossas orações. Isto é uma espada de dois gumes. Ou oramos apenas por aquilo que receberá resposta; ou recebemos todas as respostas. A maneira de pedir também é importante para que as respostas sejam obtidas.

  1145. "Porque, se em vós houver e abundarem estas coisas, elas não vos deixarão ociosos nem infrutíferos no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo", 2Ped.1:8. É no conhecimento de Cristo que nunca nos tornamos ociosos e não em outras coisas.

  1146. Existe esta mentalidade que não podemos viver para a pureza de Deus em exclusividade absoluta e incondicional. Todos afirmam que é impossível. Por essa razão oferecem os seus membros a quem acham que pertencem, isto é, ao pecado. Se não crêem que podem viver de um jeito, entregar-se-ão ao outro. É uma consequência lógica. Mas, os limpos precisam saber que podem oferecer tudo o que são, incluindo os seus membros, para viver pela pureza de Deus, pois, se estão limpos, perto de Deus, é facílimo viverem para Ele sem serem contaminados pelo mundo. Não devemos nada ao mundo. "Assim, também vós considerai-vos como mortos para o pecado (...) Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para obedecerdes às suas concupiscências; nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado como instrumentos de iniquidade; mas apresentai-vos a Deus...", Rom.6:11-14. Crer que não conseguimos viver como Jesus viveu na terra é e será sempre sinónimo de mentira e, consequentemente, de entregar os nossos membros ao pecado.

  1147. Se o tipo de morte que experimentamos em nós não for semelhante ao tipo de morte que Cristo experimentou, seguramente que não experimentaremos a mesma ressurreição que Ele. "Porque, se temos sido unidos a ele na semelhança da sua morte, certamente também o seremos na semelhança da sua ressurreição", Rom.6:5. Cristo morreu para o pecado e para o mundo. E você? "Pois quanto a ter morrido, de uma vez por todas morreu para o pecado", Rom.6:10.

  1148. Muitos, pela força da doutrina, colocam fé em oposição à santidade como se a santidade anulasse a fé em Jesus. Dizem que sermos santos é ganharmos a salvação pelas obras esquecendo que as obras são a autenticação dessa salvação. Na verdade, a santidade consegue-se através da fé. A santidade confirma que temos fé e não que não vivemos pela fé. "...Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé", 1 João 5:4.

  1149. Não existe maneira de quantificar hipocrisias, isto é, de numerá-las. Uma hipocrisia é uma imitação fraudulenta ou interesseira duma virtude. E como não existe fim para o número de virtudes, as hipocrisias serão muitas mais. Por cada virtude existe uma ou mais formas de hipocrisia.

  1150. Se pecando as pessoas trouxessem glória a Deus, não poderiam ser condenadas. Quem glorifica Deus não é condenado. Sabemos, contudo, que o salário de qualquer pecado em qualquer pessoa (crente ou não) é a morte. Se isso é verdade, ninguém pode considerar-se feliz com a ideia de ser pecador diante dum Deus santíssimo. Muitos querem reconhecer-se como pecadores apenas para acharem que não competem com Deus pela glória de ser santo. Na verdade, quem compete pela Sua glória são os que pecam e não os que se tornam santos. Por alguma razão fomos criados conformes à Sua imagem. Se déssemos glória a Deus continuando pecadores, não poderíamos ser condenados. Reconhecer que somos pecadores só é bom porque expressa a verdade. Não podemos pensar que mantendo essa linguagem que "somos pecadores" glorifica Deus por si só. O que traz glória a Deus não pode ser condenável. "Mas, se pela minha mentira abundou mais a verdade de Deus para Sua glória, por que sou eu ainda julgado como pecador?", Rom.3:7. Não poderei ser condenado quando trago glória a Deus e, quem traz glória a Deus, não pode ser considerado pecador. Por isso, não tenha medo de ser santo! "Tendes enojado o Senhor com as vossas palavras; e ainda dizeis: Em que o havemos enfadado? Nisto que dizeis: Qualquer que faz o mal passa por bom aos olhos do Senhor e é desses que Ele se agrada", Mal 2:17.

  1151. Existem muitos relacionamentos unilaterais onde uma das pessoas não corresponde. Quando é um relacionamento humano, é fácil de ver que é unilateral porque as coisas das pessoas são visíveis. Mas, Deus é invisível. Logo, quando esse relacionamento é unilateral, não temos como ver. Por essa razão é que Deus aconselha a verificarmos os frutos. As pessoas confessam e professam Deus com muita facilidade unilateralmente. É outra coisa quando é Deus quem confessa e fala sobre as pessoas diante dos anjos e dos homens, como confessou Paulo diante de Ananias, Act.9:15,16. "De Demétrio, porém, todos dão testemunho e até a própria Verdade dá", 3 João 1:12. Essa verdade era o Senhor Jesus em pessoa. Os frutos são aquelas coisas que Deus quer e não aquilo que desejamos que sejam. Os relacionamentos unilaterais deste tipo inventam até os frutos devido ao medo de reconhecerem que estão errados. Você quer um relacionamento de ficção com Deus? Ou prefere ter um real? Então, deixe de ficar ofendido contra a verdade quando ela fala e corrija-se diante de Deus ao invés de tentar corrigir Deus. Num relacionamento falso (egoísta), um parceiro quer sempre mudar ou manipular o outro. Jesus não se vai adaptar a si. É você quem precisa mudar e entrar nos eixos d'Ele.

  1152. Para medirmos as distâncias usamos metros; para medir líquidos, usamos o litro; e para medir a temperatura usamos graus. A vontade de desistir é o que mede o amor próprio que ainda resiste em alguém que tem um relacionamento real com Deus. Deus quer destruir o corpo da morte e ela resiste desistindo. Desistir, quando se está dentro do evangelho puro, é apenas uma forma subtil de auto-preservação. Essa vontade de desistir sob as circunstâncias de verdade real é uma forma de chantagem e de resistência. É como os trabalhadores que fazem greve recusando trabalhar porque a vontade deles não está sendo cumprida. Eles não estão a desistir do empregos, mas, a resistir ao patrão. Eles estão contra o patrão. E quem desiste quando tem um relacionamento genuíno com Deus está contra Deus. Opõe-se a Deus porque não confia, não gosta ou não crê no que Deus faz e Deus não está a alimentar a exigente carne. Mas, isto é verdade naqueles que têm um relacionamento com Deus ou em vias de o ter. Tenha cuidado, pois existem muitos relacionamentos unilaterais e de ficção.

  1153. "Pois trocaram a verdade de Deus pela mentira e serviram à criatura antes que ao Criador", Rom.1:25. Você serve alguém mais, antes ou preferencialmente que ao seu Criador? Sua esposa, seu filho, seu pai, mãe ou noivo? Você próprio? Você serve alguma coisa mais, antes ou preferencialmente que ao seu Criador, isto é, televisão, sono ou outra coisa qualquer? Sempre que não serve Deus através de qualquer coisa que se chame criatura ou criação e queira servir a criação através do Criador, isto é, usando o Criador para servir a sua criação, você seguramente será réu de poderoso juízo por ter trocado a verdade pela mentira. E as consequências de haver trocado a verdade pela mentira serão visíveis em sua vida ainda antes de ser condenado. Viver nas trevas é o salário do pecado. E, quem vive nas trevas, acha sempre que vive na luz. Se não achasse, não permaneceria nas trevas com tanta facilidade.

  1154. Existe um tipo de roubo o qual nunca é consumado e pelo qual ainda assim seremos condenados por duas razões. Esse roubo é quando tentamos tirar o dia de amanhã das mãos de Deus. E a segunda condenação acontece porque negligenciamos o dia de hoje tentando servir o de amanhã. Ninguém pode servir dois dias ao mesmo tempo. Você está sendo fiel ao que deve ser feito agora, ou está adiando as suas decisões?

  1155. Nunca seremos ajuda para o mundo enquanto formos iguais a ele. E se o mundo precisa de ajuda é porque não está bem. E se não está bem, porque razão seríamos iguais a ele? "... Não vos conformeis a este mundo", Rom.12:2. Não nos podemos tornar iguais e conformes ao mundo se quisermos salvar.

  1156. Existe uma escravatura pior que todas as outras: quando somos o nosso próprio dono, ou o nosso próprio escravo! É só esse dono pedir algo que o escravo faz tudo o que ele quer da maneira que quer! E achávamos que entendíamos as palavras de Paulo que dizem: “Não vivo mais mas Cristo vive em mim”! Você precisa assegurar dois tipos de morte: a morte do escravo e a morte do dono do escravo. São coisas distintas.

  1157. Os preconceitos são aqueles frutos do egoísmo que todos aceitam facilmente e dos quais as pessoas fazem uso para haver aquelas guerras que tanto desejam fora e dentro dos seus corações!

  1158. Porque as pessoas acham que o amor é que sejam amados e não que amem, quando as coisas não saem conforme prevêem, consideram o diabo como o principal culpado da sua situação. Consideram o diabo como o seu inimigo principal. Não que ele não seja o inimigo mortal das suas almas, mas, quem considera que o amor consiste em que sejamos amados, é o seu próprio inimigo. Com esse inimigo devemos ter todos os cuidados possíveis, pois, nenhum outro poderá causar-nos tantos danos eternos. Por causa dele podemos ser condenados. "E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma", Mat.10:28. O pecado faz com que Deus destrua a alma e o próprio homem é o responsável pelo seu pecado. Se o diabo fosse o único responsável quando peco, ele seria condenado pelos meus pecados e nunca eu.

  1159. Quando a Bíblia fala no injusto, refere-se a quem não é santo. Quem não tem pureza não é justo. Logo, é injusto. Quem é ímpio, isto é, injusto, não conhece a vergonha sempre que peca. Pode chorar porque perde quando peca, mas, não chora porque pecou. Chora porque perdeu. "O injusto, porém, não conhece a vergonha", Sof.3:5. "...Tens a fronte de uma prostituta e não queres ter a vergonha", Jer.3:3.

  1160. Nós não nos tornamos santos para receber ou perder as coisas, mas, recebemos ou perdemos as coisas para sermos santos. O único propósito de Deus nesta terra é a criação de santos. Esse deve ser o nosso único propósito também. " ...Aos que, com perseverança em fazer o bem, procuram glória, honra e incorrupção", Rom.2:7. O que está no topo da sua lista? Será que as coisas são o topo da sua escadaria, ou são as escadas onde pisa para subir para a santidade em Cristo? Você usa a santidade para subir até ao que quer ou usa as coisas para alcançar santidade? Quer ser santo para alcançar as coisas ou quer as coisas para ser santo através delas? Você quer e busca santidade através das coisas ou as coisas através da santidade?

  1161. Muitos tornam-se inseguros na vida com Deus porque as coisas não saem conforme previam. Pedem a Deus muitas coisas que não recebem ou ainda não receberam e isso deixa-os confusos. Como as coisas materiais que exigem de Deus não chegam e devido a serem importantes para a pessoa que pede, muitos acham que foram abandonados por Deus ou que andam em erro. Outros ficam ainda mais confusos porque pedem coisas celestiais e elas demoram porque precisam ser feitas do jeito que se fariam no céu e não as fazem dessa maneira. A carne não pode fazer as coisas de Deus. Deus prometeu levar-nos para a santidade. Se você verificar que está cada vez mais santo, isso prova que está no caminho certo. Não precisa ficar inseguro. Nada mais pode provar que o seu relacionamento com Deus está correcto - nem mesmo a prosperidade. "...Chamados para serem santos (...) Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor", 1 Cor.1:2,9. "...Também nos escolheu n'Ele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele em amor", Ef.1:4. Isso não significa que nunca receberemos tudo logo aquilo que pedimos a Deus, seja material ou espiritual. Com certeza que receberemos, mas, nunca como prioridade.

  1162. Existem provas pelas quais a nossa fé é testada pela verdade, para que se veja até onde realmente cremos em Deus. Mas, quem não está bem com Deus também não recebe e pode facilmente crer que está a ser provado e não negado. A fé tem uma recompensa real e um testemunho antes, durante e após cada provação. Assegure-se que cada uma das suas provações têm um final feliz.

  1163. Da fé dependem algumas obras de Deus. Mas, Deus faz as coisas que precisam ser feitas e não para mostrar as obras a quem tem intenção de buscar sinais para poder crer. A fé nunca é fortalecida por sinais e maravilhas. O que fortalece a fé é um relacionamento de pureza real e genuíno com Jesus. Sinais não fazem melhores crentes, mesmo que puxe a atenção dos descrentes. Um relacionamento com Jesus é o que fortalece a fé sob qualquer circunstância.

  1164. Sempre  que a nossa fé é provada, não devemos apenas ver e comprovar se o nosso coração é verdadeiro, mas, se Deus é. A prova ou a intensidade dela é o de menos. Aquilo que acharmos ser verdade a respeito de Deus é que vai determinar o fortalecimento ou enfraquecimento da nossa fé. Olhar para nós próprios enfraquece a fé e vendo ou assumindo aquilo que vemos de Deus como verdade, fortalece-a.

  1165. Não devemos achar que Deus dá porque nos ama e nem que tira porque nos ama menos. Deus tanto dá como tira a quem ama, a bons e a maus.

  1166. Os fiéis pensam na qualidade do seu trabalho acima da quantidade. No entanto, a qualidade do seu trabalho evita que seja repetido. Logo, a longo prazo, a quantidade das obras estará acima do esperado. Os frenéticos fazem muitas coisas de uma só vez. Mas, corrigem ou repetem a maioria do que fazem. Os que são fiéis conseguem ter como objectivo a perfeição. E a perfeição que trabalha de maneira lenta tem mais valor que aquela pressa que é capaz de apresentar uma obra de má qualidade rapidamente. Os apressados também gostam de viver das aparências porque raramente apresentam obra digna desse nome. Os que fazem bem, podem aumentar a sua produtividade à medida que ganham experiência e hábitos de perfeição. Uma coisa leva à outra. O mesmo não podemos dizer dos que são frenéticos e apressados, pois, cada dia surge um problema novo e diferente que, por sua vez, não permite criar hábitos e nem personalidade. O preguiçoso é aquele que descansa menos.

  1167. Deus não faz trocas. Mas, o homem tem a ideia da troca comercial enraizada nele. Por vezes, Deus aproveita-se da ideia do homem para convertê-lo, mas, isso não significa que Deus faça trocas. Deus pode prometer abençoar o homem que quer salvar depois que se converta. Mas, a bênção é uma consequência lógica da conversão mesmo quando não é 'prometida'. A vida do homem corre mal quando afastada de Deus e o seu espírito tem paz em qualquer circunstância sempre que está em Deus. Se Deus (que é a nossa maior bênção pessoal) está afastado de nós, a bênção também permanece afastada porque a bênção d'Ele está com Ele. Se Ele se vai de nós, a bênção afasta-se junto com Ele e, se Ele se aproxima, ela vem com Ele. "Eis que o seu galardão está com Ele", Is.40:10. Só que, os homens assumem erroneamente que, se vierem a Deus, serão abençoados por isso e que recebem algo em troca pelo acto de virem a Deus, o qual consideram ousado. Na verdade, vindo a Deus, qualquer pessoa será abençoada, esteja bem antes de vir ou não. Estaremos bem de qualquer jeito perto de Deus. Contudo, o facto de sermos abençoados não se deve a termos vindo, mas, de estarmos com Ele porque a bênção não está separada d'Ele. Para nós, aquilo que podemos considerar como uma recompensa, é uma consequência lógica de estarmos bem com Deus. Deus não nos abençoa porque nos convertemos e antes porque Ele, em quem estamos, é a bênção em si mesmo e não podemos separá-Lo dela. Usufruímos da bênção porque estamos com Ele e, onde Ele está, está a sua bênção. Quando nos convertemos, estamos com Ele. Por isso, não devemos ir a Deus pela bênção, mas, ir à bênção por causa de Deus.

  1168. "Quando Eu quiser, castigá-los-ei", Os.10:10. Os pecadores, de forma geral, não se sentem incomodados depois de haverem entrado na vida de pecado (Sal.73:4-7). Na maioria dos casos chegam a justificá-la. Deus incomoda aqueles que pode salvar e deixa quietos os que escolheram a vida que leva ao inferno para que eles possam prosseguir o seu caminho sem problemas de maior. Eles andam como se nada de mal lhes fosse acontecer. Deus deixa-os em paz até ao dia que Ele quiser e, como será apenas nesse dia que Deus pegará neles, sentir-se-ão ilesos e seguros até lá. Esse dia virá, porém, como o ladrão de noite, será uma hora que o pecador não espera e em uma momento e de uma maneira que não esperava ser possível acontecer-lhe.

  1169. O suicídio é o acto mais egoísta de alguém que recusa reconhecer que existe solução reconhecendo onde errou ou erra sobre um assunto específico. Prefere magoar os outros suicidando-se e recusando reconhecer a porta de saída para o seu problema. Por muito que alguém entenda as razões de quem se suicida, por muitas razões que tal acto invoque, o suicídio nunca deixará de ser um acto de egoísmo extremo e orgulhoso que recusa a reconciliação que está ali bem perto, isto é, na própria pessoa. Muitas vezes, a pessoa suicida-se porque existe essa solução - suicida-se para não ter de cair na tentação de aceitá-la. Tem qualquer coisa contra a solução. A pessoa que se suicida é, também, uma pessoa extremamente orgulhosa, seja esse orgulho disfarçado ou evidente. Também é um acto de vingança contra alguém, de um jeito ou de outro. Também existem suicídios espirituais onde as pessoas não agridem o seu corpo, mas, sufocam seus espíritos com os espinhos das preocupações.

  1170. Havia um bom pai que tinha um vizinho que era seu inimigo mortal e irreconciliável. Esse pai teve um filho, o qual se uniu ao inimigo do pai. Volta à casa do pai só para comer. A vida que o pai lhe deu, a comida através da qual cresceu, toda a força que tinha, usa para manter-se aliado ao inimigo mortal do pai. Você sabe quem é essa pessoa? É todo o pecador. Você é pecador? "Contudo fui Eu que os ensinei e lhes fortaleci os braços; entretanto maquinam o mal contra Mim. Eles voltam, mas, não para o Altíssimo. Fizeram-se como um arco enganador...", Os.7:15,16. Continuará vivendo em pecado? Ou continuará voltando apenas para comer, mas, não por causa do Pai? "Eles voltam, mas, não para o Altíssimo".

  1171. Sempre que você conseguir abandonar um pecado para sempre, assegure-se que abandona os lugares, as pessoas e tudo aquilo que esteja relacionado com esse pecado. Mude totalmente de vida. “Quanto a Efraim, ele mistura-se com os povos; Efraim é um bolo que não foi virado”, Os.7:8. “Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores”, Sal.1:1.

  1172. Os mais honestos dos pecadores não invocam Deus porque a sua consciência não o permite. Falta-lhes ousadia para com Deus e vontade de abandonar o pecado também. Os menos honestos afirmam que Deus não existe. Qualquer pessoa que afirma que Deus não existe é, seguramente, desonesta nos outros aspectos de toda a sua vida porque é desonesta no geral. Creia nisso e leve isso em conta mesmo que lhe pareça um absurdo. Desonesto é desonesto sempre e em tudo - até mudar. Por essa razão, quando você obtiver a certeza da existência de Deus pelo arrependimento, assegure-se que se torna honesto com o seu próximo também. Dê atenção às extensões desse pecado. São duas as coisas das quais deve arrepender-se e converter-se ao convencer-se da existência de Deus. Caso o seu caminho não se estreite dos dois lados, tornará a alargar-se para os dois lados. Tornar-se honesto apenas em um aspecto, toda a desonestidade que já havia abandonado voltará. Desonesto é quem é capaz de afirmar que a mentira é verdade e que a verdade é mentira. Este pecado é do género daquele de quem fuma e bebe: se deixar apenas um desses pecados, voltará a ter os dois novamente mais cedo ou mais tarde. Existem pecados que não se separam se nasceram juntos e, por isso, precisam morrer os dois ao mesmo tempo. Caso isso não aconteça, um será responsável pela tentação do outro. Esta verdade aplica-se a todos os tipos de pecado que convivem como irmãos da mesma gema. Ou abandona todos, ou voltarão todos sete vezes pior.

  1173. Jesus disse que, se limparmos a parte de dentro, logo, a parte de fora tornar-se-ia limpa também. Mas, limpando a parte de fora nunca garante a limpeza interior, antes impede-a obstruindo o acesso da luz. Por isso, quem limpa o seu interior tem todas as condições para deixar de ter as preocupações de qualquer sujo que quer ter boa aparência.

  1174. As aparências convencem tanto o próprio quanto os outros. No entanto, convence mais ao próprio, pois os outros conseguem detectar a hipocrisia mais facilmente que o próprio hipócrita.

  1175. A parte mais importante da verdade é eu ser verdadeiro. Eu preciso ser verdadeiro. Assim que tornar-me verdadeiro sobre tudo o que se passa em mim, começa a surgir a humildade, pois, humildade é sermos aquilo que somos e, quanto menor for o esforço para sermos assim, tanto maior é a humildade. Mas, na fase inicial, o pecado dentro de mim recusa ser revelado e, se sou verdadeiro sobre mim próprio, apercebo-me melhor, através da verdade, que preciso mudar. Quando mudar, necessito continuar sendo verdadeiro. Como os meus pecados são manifestos tal e qual são porque vivo na luz mostrando o que sou sem esforço, uma de duas coisas acontece: ou procuro tornar-me aceitável mudando porque não é agradável sermos aquilo que mostramos; ou escondo aquilo que sou por achar que não é bom mostrar o meu pecado e procuro manter as aparências. Ou sou aquilo que mostro e mostro aquilo que sou ou, então, escondo aquilo que sou e passo a viver das aparências que se estabelecem pela força e pelo engano e não pelo Espírito. Sob a luz, somos levados a essa encruzilhada, isto é: ou mudamos, ou escondemos uma vez mais aquilo que nos foi manifesto. As palavras de Deus não nos são dadas com o intuito de serem agradáveis, mas, para curarem. A verdade liberta-nos sempre que tomamos conhecimento dela e sempre que agimos em conformidade com ela, pois a verdade busca alguém que seja verdadeiro para tornar-se útil a tal pessoa e não condenatória e nem contraditória. Quem resolve ser verdadeiro será liberto de todo o mal por estar obtendo verdade. Sendo verdadeiro, no mínimo, libertou-se da mentira.

  1176. O arrependimento não nos traz momentos de acusação e angústia, mas, de alívio. A angustia e a acusação surgem porque devo estar a adiar o momento de arrepender-me e mudar. Ou, então, quero apressar Deus buscando erros onde já não existem para que Ele faça aquilo que quero ou deixe de ver aquilo que quero esconder.

  1177. Conforme vou escrevendo coisas que surgem em meu coração devido à proximidade e intimidade de Deus com a minha alma, há dias que me apercebo ter feito pouca coisa. Na verdade, são pequenas coisas que são feitas. Contudo, durante esses dias, apercebo-me ter feito coisas importantes, por muito pequenas que sejam. Não quero encher o mundo de livros, mas, de sementes. É verdade que uma semente é muito pequena se a compararmos com a árvore. Mas, não são as árvores que são semeadas e sim as sementes. Creio que, sempre que um fiel faz pouco devido a alguma circunstância, aumenta a qualidade daquilo que faz. Algo de bom acontece sempre que somos fiéis, seja através de coisas pequenas ou das grandes. Conta muito a qualidade das sementes que distribuímos. Gastar tempo para melhorar a qualidade duma sementinha pequenina nunca será tempo perdido. Essa semente dará uma árvore saudável, a qual, por sua vez, dará frutos que terão sementes do mesmo género dentro deles. E tudo começou em uma semente pequena que pensávamos ser insignificante. Na verdade, tudo começou quando se pensava que estaríamos perdendo tempo com uma coisa tão insignificante, pois, a nosso ver, a árvore seria algo maior e mais gratificante. Mas, não é verdade. Por essa razão, não aprendamos a desprezar as coisas que consideramos pequenas ou insignificantes. "Ora, quem despreza o dia das coisas pequenas?", Zac.4:10. Até o pecado se multiplica através de pequenos pensamentos que são dardos com fogo que acabam por tornar-se grandes incêndios na mente, Ef.6:16.

  1178. Deus é sempre a mesma pessoa, tanto quando nos sentimos bem como quando nos sentimos mal. A forma como nos sentimos não determina o carácter de Deus e nem explica aquilo que Ele realmente é. O que sentimos, fala sobre nós e não sobre Deus. Se achamos que Deus é bom apenas quando tudo nos corre bem, somos hipócritas em relação a Ele. Se Deus só é bom quando tudo nos corre bem, é porque não o conhecemos de verdade.

  1179. Quando Deus fala ou diz alguma coisa, a forma como se expressa é a parte menos importante, seja ela simples ou espectacular. Quando é 'espectacular' tem a ver conosco, pois, Deus faz uma coisa grande demais para o homem e é somente o homem que pensa ser espectacular. Se Deus sussurrar, o que diz não deixa de ter menos importância do que quando Ele usa as trombetas do Apocalipse. O que conta é a importância de quem fala, seja em sussurro ou em bom som. Você é o responsável pela forma como vai catalogar a forma como Deus lhe fala. Se gostar do que Ele diz, sentirá a Sua voz de maneira distinta daquela quando não gostar do que Ele diz. Mas, isso não significa que Ele fale de maneira diferente. Apenas significa que você recebe tudo o que Ele diz de forma diferente, mediante as suas próprias circunstâncias. A autoridade e a voz continua sendo a mesma de sempre. Por isso, tenha o cuidado de não catalogar a voz de Deus levando em conta aquilo que sente sobre o assunto que levou o Senhor a expressar-se.

  1180. Jesus nunca confiou na doutrina de "aceitar Cristo como teu Salvador!" Ela faz crentes frouxos e enganados, os quais tornam-se exemplos que outros seguem para obstruir a passagem daqueles que buscam verdade e a realidade em Deus.

  1181. É bom sentirmo-nos bem quando estamos bem e com os pés bem assentes na terra. Mas, estando Deus em nós de forma real, levamos em conta tudo aquilo que Deus é se estivermos bem lúcidos e firmes nessa lucidez. Por isso, ao invés de estarmos com os pés assentes na terra, estamos com eles bem assentes no céu, pois Jesus disse, "na terra como no céu". É que levamos Deus em conta. Temos de ter em conta que, aquilo que Deus tem para nós, é melhor que aquilo que alguma vez desejaríamos ter. Você tem a certeza disso ou ainda tenta convencer-se disso? Quem perde a vida por Deus, ganha-a. Se você não achar que a verdade é verdade, não leva Deus em conta. Imagine, então, o desastre que será não viver em conformidade com isso!

  1182. "O meu povo consulta ao seu pau e a sua vara lhe dá respostas, porque o espírito de luxúria os enganou...", Os.4:12. Quando a pessoa tem desejos, esses desejos falam como se fossem Deus. Eles dão as respostas que Deus nunca deu ou daria. Cuidado quando o seu coração começa a falar por Deus devido à descrença e ao grande amor que você tem por si próprio! Pior será quando o diabo entrar em cena e ajudar com essas respostas, também, porque existe a luxúria e o espírito da luxúria que ele pode e sabe usar. Combinados, são terríveis!

  1183. "...Não se faça culpado Judá; não venham a Gilgal e não subais a Bete-Ávem nem jureis, dizendo: Vive o Senhor", Os.4:15. O adultério é quando a pessoa pertence a alguém e entrega-se a outro. Se fosse do outro a quem se entrega, não haveria adultério. O problema maior dos idólatras é usarem o nome de Deus enquanto se prostituem espiritualmente com outros, isto é, com o mundo, com as suas ideias próprias, etc.. Caso afirmassem não pertencerem a Deus, o seu pecado seria menor e menos gravoso.

  1184. "Porquanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei", Os.4:6. Isto tem uma verdade inversa: se não rejeitarmos o verdadeiro conhecimento de Deus, seremos aceites. O verdadeiro conhecimento de Deus é aquele que conhece Deus como Ele é e não aquele que faz de Deus aquilo que desejamos que Ele fosse.

  1185. "E naquele dia, diz o Senhor, não me chamarás mais 'meu Baal'", Os.2:16. Quando o povo do diabo assimila as coisas de Deus para idolatrar, isso dá um certo sossego de consciência que é bastante falso e enganador. Por essa razão, os idólatras usam o nome de Deus em vão. Quando usam o nome de Deus em vão, fazendo-se idólatras, dizem que Jesus é um dos seus deuses. Isto é, eles usam uma forma de idolatria e dão-lhe o nome Jesus ou, então, usam as coisas de Deus e chamam Deus de "meu Baal" dedicando o que é sagrado ao diabo.

  1186. Onde erraram tanto os amigos de Jó? Eles, ocasionalmente, diziam de Jó aquilo que Deus também disse dele. O que tinham de errado foi não terem visto que Jó era, de facto, justo. Eles acreditaram facilmente naquilo que viam e acusavam Jó de pecado que não tinha e sem o terem visto pecar. Quem olha para o que acontece à pessoa e deduz erroneamente que Deus está contra ele, facilmente cairá no mesmo erro de forma inversa, isto é, se alguém canta na Igreja hipocritamente, logo será tido como uma pessoa bem próxima de Deus. Não podemos deduzir pelas aparências. Julgar a favor também é julgar.

  1187. "Pois qual é a esperança do ímpio, quando Deus o cortar, quando Deus lhe arrebatar a alma?" Jó 27:8. Deus corta todo o mundo e, os que ainda não foram cortados, sê-lo-ão ainda, com certeza. O que vai contar é o que fica com o homem depois de tudo lhe haver sido cortado. Que ficará consigo? Nos santos, depois de perderem tudo, manter-se-á a esperança e a vida. Todos aqueles que pretendem de Deus que algo terreno se mantenha eterno porque nisso colocam as suas esperanças, logo serão desapontados e, quando forem cortados, nada restará deles. Todos serão eventualmente cortados, até os anjos de Deus. Ninguém escapará disso. A terra terminará e nada sobrará nos céus também. Mas, será necessário manter a esperança na realidade do que ainda vem e ninguém poderá manter dois tipos de esperança contraditórios em seu coração, isto é, ninguém poderá servir dois Senhores. Ou mantém a esperança em Deus (ou sem Deus) por causa das coisas terrenas; ou mantém a esperança apenas em Deus por causa de Deus. Que se manteria em seu coração se tudo lhe fosse cortado como aconteceu a Jó?

  1188. Existe esta ideia de que Deus agrada-se de que as pessoas se sintam pecadoras, como se Deus não tolerasse que alguém fosse santo para não competir com Ele em santidade ou glória. Como é que tal ideia tão satânica pode ter-se instalado na Igreja tão comodamente? A verdade é que não existe competição entre santos. A competição existe entre Deus e a pessoa apenas quando alguém entra no mundo do pecado. A competição existe entre pecador e santo, entre a vida que se entregou ao pecado e Deus. Essa é a única competição que existe! Haja pessoas santas e haja as que se tornam cada vez mais santas! Quanto mais santas, menos competem com Deus ou Deus por elas! Tais pessoas são as que glorificam e magnificam Deus e não são as que competem com Ele! A importância da pessoa saber que é pecadora, é simplesmente por causa da verdade - é pela declaração da verdade. Não é necessário que seja pecadora, mas, verdadeira. Deus quer que o pecador se reconheça como tal e que o santo se reconheça como santo, tal qual Jó fazia. Mas, isso será apenas por causa da verdade. Deus quer que o pecador reconheça que é pecador porque é verdade e não para que se mantenha em pecado para não roubar glória a Deus. Deus não quer que o pecador seja pecador, mas, que se reconheça como é por causa da sua salvação daqueles pecados que não reconhece. Reconhecer é um mal menor e pode ser o início do caminho da verdade. Seria muito bom a pessoa ser santa, reconhecer tal graça e ainda ser conhecida como tal. É a verdade que é exigida das pessoas e não que sejam pecadoras, pois, só os santos glorificam Deus.

  1189. Deus não consegue terminar a Sua obra através de alguém que desiste. E, se você desiste, não ficará a saber se Deus poderia terminá-la. Noutras palavras, todas as suas dúvidas serão confirmadas sempre que desistir. E, caso alguma dúvida se confirme, a sua mente instável será saciada (pois, a pessoa insegura só se sente bem insegura). Isso dar-lhe-á uma falsa paz que, com toda a certeza, provocará a ira de Deus. É por isso que Jesus preza todos aqueles que vencem. "Aquele que vencer e permanecer até ao fim..."

  1190. Jesus veio libertar-nos de nossos pesos. Ele disse que viéssemos a Ele para que nos tirasse as cargas. Isto é notável, pois ninguém se acha sobrecarregado ou culpado da dificuldade que sente andando. Antes culpa o caminho de ser difícil. Culpam sempre qualquer coisa e não eles próprios. Por exemplo, se um gordo estiver a subir uma montanha com dificuldade, culpa a montanha de ser difícil e não diz que é o seu peso que lhe dificulta a subida. O pecador culpa a dificuldade do seu caminho e nunca o peso dos seus pecados. Deus não vai mudar a montanha, mas, aliviará o pecador. Mas, o pecador não quer abandonar o seu caminho de pecado - antes deseja que o caminho de Deus se torne mais fácil para ele, mesmo sobrecarregado! Não se considera pesado e reclama contra Deus por não ser fácil subir carregando o peso do pecado que recusa abandonar. Quando Jesus afirma que Seu jugo é leve, Ele alude directamente ao fato de que será o pecador a ser aliviado do seus pecados e não que o caminho irá ser facilitado.

  1191. Os amigos de Jó falavam de barriga cheia e o contraste entre a sua barriga e a de Jó ficou destacou-se ainda mais perante a desgraça visível de Jó. Por isso, falavam facilmente. Mas, Jó mantinha esperança de barriga vazia, isto é, o coração dele, a fé dele não poderiam ser afligidos. Quanto aos amigos de Jó, não sabemos. Só sabemos que não foram provados para que se verificasse se a sua confiança e palavreado eram genuínos. É fácil um gordo dizer que irá fazer dieta depois que acabou de comer. Temos de ver se ele diz o mesmo na hora que a fome aperta e quando o estômago ronca. É fácil ter fé na abundância. Mas, será que Deus muda porque passamos mal? Não merece a nossa confiança seja sob que circunstâncias for? Deus não muda juntamente com o nosso estado de espírito. E, quando estamos em apuros sem saídas, também será fácil confiar ao vermos que não temos alternativa senão confiar. Será que também não podemos achar que Deus é fiel ao invés de confiarmos por falta de alternativas?

  1192. aqueles que vivem em pecado desejam a morte para irem descansar. Um santo deseja estar em Cristo, seja na morte ou na vida actual. Ele escolhe Cristo e não a morte. Por isso, quando alguém deseja morrer para descansar é porque não tem descanso em sua alma e acha que irá ter depois de morrer. Vive em pecado e não tem descanso. Acomodou-se ou instalou-se no pecado. Por essa razão é que Jó, mesmo muito doente e cheio de dores, recusou desejar a morte porque viu o pecado de tal pensamento. Ele disse: "Se eu olhar para o Seol como a minha casa, é porque fiz nas trevas a minha cama", Jó 17:13.

  1193. Muitos dizem que Deus faz tudo através deles, mesmo quando não cooperam. Na verdade, a nova natureza só serve para alguma coisa quando está em cooperação e em intimidade real, obediente e incondicional com Jesus. Mas, não pensem os maus de coração que tudo o que eles fazem é da autoria ou da responsabilidade de Deus!

  1194. Quando é Deus que nos guia, não significa que irá falar sempre e nem que irá explicar tudo quanto fala; e, se nos guia continuamente, isso também não significa que estará sempre falando. Guiar é mais que falar. Ser guia é mais que dar mandamentos, ordens, instruções e explicações. O melhor guia é aquele que forma a natureza da pessoa de quem guia fielmente, falando-lhe intimamente quando é preciso. "Portanto, eis que eu a atrairei e a levarei para o deserto e lhe falarei ao coração", Os.2:14. Ele forma a ovelha que encaixa com perfeição naquilo que Ele é como Pastor. O Pastor não muda e, para haver uma comunhão íntima, alguém terá de mudar e ser formado.

  1195. Nós podemos viver a vida poderosa de Deus sem defini-la. Mas, cada dia que passa, o erro vai aumentando e ficando mais ousado. Por essa razão será cada vez mais necessário haver uma definição correcta da Vida Eterna dentro de nós - não para tentar imitá-la, mas, para vermos como se diferencia a Vida das vidas falsificadas que vão aparecendo cada vez mais com o avançar dos tempos. E quanto melhores forem as definições e explicações da vida eterna, mais imitações haverá, pois, muitos tentarão pular o muro ao invés de entrarem pela porta. Quem tentar imitá-la ao invés de obtê-la de verdade, será castigado como alguém que não entrou pela porta no aprisco das ovelhas e preferiu saltar o muro. Os seus pés e mãos serão amarrados e será lançado fora onde existe trevas, dor e ranger de dentes junto com todos os hipócritas. As definições tanto podem formar hipócritas que tentam imitar tudo o que aprendem, como podem proteger quem tem a vida. A definição correcta da verdade é como a casca dum fruto. E o fruto não pode ser só casca sem nada dentro; ou, então, só fruto sem casca, o qual apodrecerá por não estar protegido. Mas, quando for para comer, lembre-se que ninguém come casca. Os pastores de hoje só dão cascas teológicas a quem diz que tem fome.

  1196. falava abertamente diante de Deus através de uma linguagem franca e pura. Mas, os seus amigos achavam que isso era irreverência e falta de temor. Por isso diziam: "Na verdade, tu destróis a reverência e impedes a meditação diante de Deus", Jó 15:4. Mas, Jó falava da maneira certa, pois, havia verdade em seu íntimo e em suas palavras. Ele não usava com Deus daqueles agrados que uma pessoa usa falando com a outra. Ele não tratava Deus como alguém trata humanos, lisonjeando-os com palavras ou actos. "Fareis aceitação da Sua pessoa? Contendereis a favor de Deus? Certamente vos repreenderá se em oculto vos deixardes levar por respeitos de humanos", Jó 13:8-10. O que Deus deseja é verdade no íntimo.

  1197. Todos os sussurros de Deus são grandes mandamentos. Trate de levá-los até ao fim. Nunca permita que o seu amor por Deus seja fraco. Esse amor é o tamanho da sua obediência. Não permita que seja do género de amor ou de obediência que vem e vai. "Porque o vosso amor é como a nuvem da manhã e como o orvalho que cedo passa", Os.6:4.

  1198. Todo o idólatra traz o seu deus na mão (Jó 12:6b) e diz ao tal deus tudo o que deve fazer em troca de sacrifícios. É o idólatra quem manda no deus dele e não o contrário. Todo o tipo de idolatria serve um deus da cabeça de quem venera uma coisa que necessita ser carregada. Idolatria é a religião da conveniência. Jesus não é carregado na mão de ninguém, pois Ele até anda sobre o mar sozinho. Não recebe ordens de ninguém.

  1199. Os amigos de Jó sabiam pregar para os outros. Na verdade, até pregavam muitas coisas certas. Mas, o que conta é a pessoa e não tudo aquilo que ela possa dizer. Por essa razão é que Deus disse que ouviria a Jó e não a eles. É interessante notar que Deus não disse que ouviria a oração de Jó e antes que ouviria a Jó. A mesma oração, para Deus, é diferente na boca de pessoas diferentes. E aquelas pessoas que se acham superiores em sabedoria são, normalmente, os que precisam ser ajudados, tenham eles essa sabedoria ou não. Os crentes, os teólogos e os pastores precisam ser ajudados a conhecer o Altíssimo de forma íntima e pessoal. Só assim teremos um avivamento verdadeiro. Por enquanto conhecem a sua teologia intimamente. São esses a quem Jó também diria: "Sem dúvida vós sois o povo e convosco morrerá a sabedoria!", Jó 12:2. Eles sabem muito bem pregar para os outros, ensinar a orar e tudo mais. Mas, não sabem obter respostas às orações, não sabem ser humildes de coração, desconhecem o verdadeiro poder de Deus, entre muitas outras coisas que desconhecem.

  1200. Quando Deus guia, não é o assunto que é importante, mas, a pessoa a quem guia. Por essa razão, nenhum assunto é pequeno demais para que Deus nos instrua sobre ele e nenhum dilema ou assunto é importante demais para que Deus seja obrigado a guiar de uma forma especial. Deus guia a pessoa pela pessoa e não por causa do assunto em questão. Importante é que a pessoa seja guiada, pois só os que são guiados pelo Espírito são ou tornam-se filhos de Deus, Rom.8:14. Os assuntos têm importância relativa e secundária, pois, a importância real e prioritária é a pessoa que aprende a ser guiada e a obedecer. Os assuntos são instrumentais, por muito importantes que sejam ou se tornem. Todos os assuntos devem contribuir para o bem eterno da pessoa, para a sua aprendizagem e não é a pessoa a ser sacrificada para o bem dos assuntos.

  1201. O estado de espírito de cada pessoa pode facilmente influenciar a sua própria visão das coisas e até mesmo a visão do futuro. Se alguém se encontra em um momento alegre, achará que tudo lhe sorrirá. Se estiver em momentos difíceis, crerá que irá ser sempre assim ou pior. Devemos ver a verdade se a pudermos ver e não confundi-la com aquilo que sentimos no momento. "Que é que te provoca, para assim responderes?", Jó 16:3. Ainda bem que Deus não faz as coisas em conformidade com aquilo que vemos e da forma como nos sentimos. Ele não depende de nós para fazer as Suas coisas. No entanto, lembremo-nos daquele oficial que estava passando momentos difíceis e, devido ao que sentia, não acreditou nas palavras de Eliseu e deixou a sua amargura expressar-se. Morreu sem que tivesse provado daquilo que Deus providenciou, 2 Reis 7:19. É algo a ter em conta. Nunca permita, sob circunstância alguma, que seu coração ou estado de espírito mude aquela visão que Deus lhe deu, dará ou quer dar.

  1202. O progresso espiritual de qualquer ser depende muito da sua constância - obediência constante, fidelidade constante, crescimento constante. Os seres constantes, para além de crescerem porque são constantes, descansam porque crescem. Qualquer tipo de crescimento é trabalho árduo e, quem trabalha, merece o seu descanso integralmente. Só existe verdadeiro descanso, tanto interior como exterior, após o trabalho e nunca antes.

  1203. Os inseguros só se sentem bem, inseguros. Insegurança é o caminho do erro e, para continuar insegura, a pessoa busca o erro. Mas, a insegurança emocional e a insegurança real nem sempre são a mesma coisa. Existem pessoas seguras delas próprias em lugares escorregadios estando prestes a estatelarem-se. "No pensamento de quem está seguro há desprezo para a desgraça", Jó 12:5. E, também, existem pessoas que se sentem inseguras trilhando o caminho que devem, pois se é verdade que quem se sente seguro despreza a desgraça, quem se sente inseguro em Deus despreza a graça porque gostariam de depender daquilo que os faz sentir inseguros: a força do braço da carne. As duas coisas são pecados grosseiros. Aqueles que estão trilhando caminhos escorregadios pecam sentindo-se seguros por lá. Os que se sentem inseguros perto de Deus erram grosseiramente também. Ambos têm o mesmo tipo de coração enganador e deveriam contar com ele ao considerarem os seus caminhos e respectivas consequências. "Considera os teus caminho..."

  1204. Todo o incrédulo acredita em mentiras e mais ainda nas próprias. Ele 'precisa' delas e acredita nelas como se fossem verdades. Incrédulo é enganador e até se engana a ele próprio.

  1205. "Chorarei eu no quinto mês, com jejum, como o tenho feito por tantos anos? (...) Quando jejuastes e pranteastes, no quinto e no sétimo mês, durante estes setenta anos, acaso foi mesmo para Mim que jejuastes?", Zac.7:3,5. Deus não se importa se o jejum e a oração acontecem agora, no mês seguinte ou em dias específicos do ano ou do mês. A única coisa que Deus quer saber é se foi para Ele que jejuamos ou se foi por nós. Pode ser agora, no quinto mês ou quando for. Isso é irrelevante. O importante é que seja por Deus, pela causa de Deus, para obter respostas concretas nesse campo e não pelo sacrifício.

  1206. Muitos, para se defenderem contra si próprios e contra as acusações de sua consciência, dizem: "Isto não tem nada de mal!" Não que não tenha nada de mal - querem apenas mostrar a eles próprios que não tem. Mas, muitas vezes, defendem-se fazendo o que está errado para provarem que não tem nada de mal. Serão condenados porque fazem a coisa errada e, também, porque tentam encobrir o pecado fazendo-o.

  1207. Deus usa muitas pessoas acima de nós para nos ajudar. As pessoas acima de nós não são as que têm melhor intelecto, mas, as mais santas. Se um analfabeto for mais santo que um cientista, ele ajudará o cientista. O grau e a disponibilidade de obediência a tal pessoa é proporcional ao grau de obediência a Cristo. Dessa obediência vai sair o crescimento. Só crescerei mediante a obediência a Ele e a quem Deus colocou acima de mim.

  1208. A soberba e o orgulho existem porque a pessoa faz uma ideia de importância dela própria que não é verdadeira. A humildade é sermos aquilo que somos dentro do contexto da realidade como a coisa mais natural do mundo.

  1209. A incredulidade diz sempre: "Eu sou crente!" Por essa razão continua sendo incrédula. Se ao menos as pessoas reconhecessem esse seu pecado, teriam como ser salvos dele. Ao afirmarem-se crentes, afasta-se da possibilidade de serem salvos da incredulidade.

  1210. "...E lhos entregaste nas mãos, como também os seus reis e os povos da terra, para fazerem deles conforme a sua vontade", Neemias:9:24. Hoje, os inimigos que possuem o nosso coração e a nossa terra fértil, são os nossos pecados. É interessante ver que Deus entregou os inimigos nas mãos de Israel para lhes fazerem conforme fosse a vontade deles. Se eles quisessem destruir os inimigos da sua alma, poderiam fazê-lo, porque, Deus dava-lhes autoridade moral para o fazerem e poder simples para o conseguirem. Mas, estava na sua mão decidir poupar os seus inimigos também. O mesmo acontece connosco ainda hoje: podemos destruir os pecados que Deus entregou na nossa mão (antes estávamos nas mãos dos nossos pecados, tal qual Israel estava na mão dos seus inimigos dos quais Deus os libertou); ou então podemos ter dó, compaixão ou amor por nossos pecados e poupá-los de uma morte certa em Cristo. Deus entregará a sua liberdade e os seus pecados na sua mão para você decidir o que vai fazer com eles. O que irá fazer?

  1211. Imparcialidade é defendermos as coisas de Deus, por Deus, em Deus. Não defendemos nem as nossas e nem as de mais ninguém. Defendemos as de Deus, estejam elas em nós ou nos outros. Isso é sermos imparciais.

  1212. Onde obedecer não é esforço, desobedecer é. Onde obedecer é esforço, a desobediência não é.

  1213. Quem se culpa em demasia depois de haver sido perdoado, não busca perdão, mas, atenção.

  1214. Agradar pessoas é fazer a vontade delas. Agradar Deus é fazer a vontade d'Ele.

  1215. "E os que exercem autoridade sobre eles são chamados benfeitores...", Luc.22:25. Na verdade, as pessoas olham para este mundo e para as suas coisas e só vêem aquilo que querem ver. O mau é visto como bom, o bom é visto como mau; o cego é quem vê e quem vê é cego. Aqui Jesus diz que aqueles que são maus e exercem autoridade mundana são os que são considerados benfeitores. "Mas, vós não sereis assim; antes o maior entre vós seja como o mais novo; e quem governa como quem serve", Luc.22:26. Há-de chegar o dia quando o admirador vai ser visto como o hipócrita que é e o lisonjeador será visto como fingido e mentiroso, pois é mentiroso. "O coração dos imprudentes entenderá o conhecimento e a língua dos gagos estará pronta para falar distintamente. Ao tolo nunca mais se chamará nobre e do avarento nunca mais se dirá que é generoso", Is.32:4-5.

  1216. Jesus não impede que as pessoas façam o mal porque todo o pecado precisa ficar exposto. Nem mesmo entre os fiéis Jesus impedirá que todos os pecados sejam expostos. Na verdade, será principalmente entre os fiéis que isso ocorrerá mais porque pode significar a salvação das pessoas desses pecados e um exemplo para o mundo. O mau testemunho é um mal menor sob essas circunstâncias e se o pecado ficar exposto. Expondo o pecado, Jesus elimina-o e livra a pessoa de tornar a pecar.

  1217. "Então, Satanás entrou em Judas...", Luc.22:3. Nós não vemos Judas endemoninhado quando Satanás entrou nele. Apenas vemos que fazia o mal. O mesmo podemos afirmar de Ananias e Safira quando mentiram a Deus: "Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração?", Act.5:3. Este casal não estava endemoninhado.

  1218. O único tipo de impaciência que Deus louvará é aquele que deseja estar logo perto de Deus quando algo nos separa d'Ele. Mas, nem se atreva a saltar o muro para evitar limpar o pecado que separa d'Ele. Prefira entrar pela porta.

  1219. Se é verdade que "há um caminho que ao homem parece direito e o fim dele conduz à morte", Prov.14:12, também será verdade que existe um caminho que parecerá torto ao homem, o qual conduzirá à vida.

  1220. A faculdade mais profunda do ser humano é a sua vontade. Não é o pecado. Mesmo que o homem tenha a faculdade de pecar, é dentro da sua vontade que nasce a vontade de Deus e será essa a faculdade na qual Deus opera e através da qual se manifesta. Operando o querer, de seguida, operará o fazer. E, o fazer de Deus em nós, não é pecado.

  1221. É bom vivermos aquilo que ensinamos. Mas, isso nem é nada comparado com falar sobre o que vivemos. Viver o que ensinamos não é o mesmo que ensinar o que vivemos ou ensinar como chegar lá.

  1222. As trevas não são a ignorância que temos sobre qualquer pecado ou assunto. Trevas não é necessariamente ignorância. Trevas é esconder o pecado, encobrir, desculpá-lo, amenizá-lo ou dar destaque a algo de bom que possamos ser ou possuir para encobrir ou disfarçar o que fizemos de mal. E só escondemos porque conhecemos o pecado e porque não somos assim tão ignorantes a respeito dele. Ignorante não esconde. Andar nas trevas é andar encobrindo. Quando destacamos as coisas que queremos que as pessoas preferencialmente vejam em nós, quando acusamos os outros, quando fazemos gracinhas estando de consciência manchada, estamos desviando os olhares do mundo para longe daquilo que desejamos manter escondido. Isso é andar em trevas.

  1223. Quando Cristo e a Sua luz mostrarem tudo aquilo que você é ou fez, não se sinta amedrontado com a quantidade e nem com a maldade dos seus atos. Logo ali, siga-O e faça o que Ele estiver fazendo. Se Ele estiver expondo os seus pecados, exponha junto com Ele. Se Ele apontar para eles, você aponta. Isso é seguir Cristo. Cooperar com Ele e fazer o que Ele está fazendo é segui-Lo. Não encubra quando Ele expõe. Isso não seria seguir Cristo naquilo que Ele faz.

  1224. Aqueles que realmente foram perdoados não conseguirão afirmar honestamente de que não receberam perdão. Quando o perdão é realmente recebido, é impossível de não ser sentido ou reconhecido. Mas, o inverso já não funciona assim. Isto é, muitos que nunca foram perdoados conseguem afirmar que foram.

  1225. Um fanático é alguém que quer chegar ao fim das coisas sem passar pelos meios. Ele é sempre alguém que pula o muro para não ter de entrar pela porta, João 10:1. Ele não é aquilo que faz ou tenta que os outros façam, pois, vive uma coisa e prega outra.

  1226. O medo é uma carência.

  1227. Se esconder foi a primeira reacção instintiva de Adão e Eva depois de haverem pecado, seguramente que o oposto será o primeiro passo para a santidade. Revelar e manifestar é a porta para o caminho da vida. Pode não ser o único passo, mas, é o primeiro deles e é o mais importante. Mas, o que vale começarmos na luz (revelar) se não permanecermos na luz?

  1228. Se o pecado morre pela exposição à luz, se revelar e expor detalhadamente é o que mata qualquer pecado, porque razão os homens de Deus que pregam frontalmente revelando e mencionando todos os pecados pelo nome são acusados de estarem julgando as pessoas? Eles estão salvando!

  1229. "Maldito aquele que fizer a obra do Senhor negligentemente", Jer.48:10. Fazer a obra de forma negligente é o mesmo que fazer algo para ser recompensado. A pessoa que se concentra no que vai ganhar com o que faz deixa de ser 'fiel' assim que deixa de haver recompensa. Existe uma grande associação entre negligência e fazer por interesse.

  1230. Deus separou a luz das trevas como primeiro acto da criação. Só depois de separar a luz das trevas é que criou o mundo. O seu mundo, o seu lar, o seu casamento ou qualquer outra faceta da sua vida só será construída, também, depois que separar a luz das trevas dela. No mundo chamado evangélico, hoje, anda tudo misturado. Você vai ter de separar a luz das trevas da sua vida em conjunto com Deus. Só depois disso a sua vida poderá ser recriada e você poderá tornar-se uma criatura nova. As trevas não metem medo a ninguém quando são somente trevas. O pior acontece quando se misturam com a luz. Separadas da luz, as trevas não são ameaça. Mas, quando se misturam com a luz, são extremamente perigosas. Você já separou as trevas da luz em sua vida? Já separou a sua vida daquilo que é do mundo?

  1231. Muitos precipitam-se com as suas palavras e pronunciam palavras que Deus ainda não falou. Outros, porque Deus não falou, entregam-se à desmotivação e desistem sem que Deus haja dado um "não" claro ou evidente. Quando Deus não falou, você não pode sequer assumir que Deus disse "sim" e, também, não pode viver como se Deus já tivesse dito "não". Não se precipite com as palavras e nem se entregue à vontade dos pensamentos.

  1232. Aquilo que você sente ser verdade, não deve ser levado em conta se não for verdade. Se você quiser saber como não é verdade aquilo que defende, tente ver com que raiva, com que força, quanta malícia ou mau espírito você defende os seus pontos de vista.  Deixe a verdade dar a sua opinião por ela. Quem deve mudar é você e não é a verdade que se deve adaptar aos seus modos, anseios e esquemas.

  1233. Imaginemos que você é mulher casada e, ao ler a Bíblia, vê esta palavra em Pedro: "Igualmente vós, maridos, vivei dando honra à mulher, como vaso mais frágil para que não sejam impedidas as vossas orações", 1 Ped.3:7. Você é mulher e a palavra é dirigida ao seu marido. Qual deverá ser a reacção instintiva do seu coração? Você deveria dizer: "Isto não é para mim, é para o meu marido. Não tenho nada a ver com isto. A minha parte é ser submissa. Não sou o marido, sou a esposa".

  1234. Se ouvir o evangelho de forma pura, ele entra em sua mente e vida. Quer você obedeça ou não, quer assim deseje ou não, passará a fazer parte da sua vida - seja contra ou a favor dele. Se reagir a ele, esse evangelho ou muda quem você é, ou você mudará esse evangelho para obter sua 'paz' de volta. Ou você ou o evangelho ficará igual depois de ser ouvido, dependendo de quem mudar. Mas, os dois não ficarão iguais, pois, um dos dois vai mudar. Também poderá rejeitar o evangelho e o evangelho, consequentemente, rejeitá-lo-á a si.

  1235. A verdade deve obter o consentimento do coração e a oportunidade de falar por ela mesma, de expressar-se por ela própria sem a interferência de quem a busca e acha. Ser verdadeiro, não é ter razão: é ser a razão. A verdade não discute, não argumenta quando se aloja em um verdadeiro. Daí deduzimos que os conflitos são originados pela junção da mentira com a verdade, isto é, um coração verdadeiro pega na mentira e tenta viver dela ou, então, um coração mentiroso tenta viver da verdade. A paz que o mundo dá é, em parte, aquela quando um mentiroso vive na mentira, um hipócrita vive da hipocrisia, um preocupado vive da ocupação, etc. Contudo, a verdade é o que é e, quem quiser, que veja e que creia.

  1236. A falta de verdade no íntimo está infimamente ligada à falta de fé. Fé é crer na verdade. E existem os que conseguem crer e os que não conseguem, conforme Cristo disse: "Aquele que pode crer...", Mar.9:29. Consequentemente, fé não é a capacidade de crer, mas, sim a capacidade de crer na verdade e é uma capacidade de descrer da mentira. A fé é única em sua forma de expressar-se e de afirmar-se. A incredulidade é a capacidade de não crer na verdade e de crer facilmente na mentira e na ilusão. Não é a capacidade de descrer. A falta de fé é não crer na verdade.

  1237. Para barulho, bastam os barulhos do meu coração quando não está quieto. Porque irei ouvir mais barulho, seja em forma de música ou em outras coisas próprias da inquietação dos homens dentro das igrejas?

  1238. Cada homem tem mais razões para acertar do que para errar. No entanto erram continuamente. Quem saberá explicar este fenómeno de maneira que eu entenda?

  1239. Salvar alguém dos seus pecados é um dos actos mais altruístas que existe. Não ganhamos nada com isso. Deus ganha uma alma e a pessoa salva ganha a vida dela. Por isso é que Deus dá uma outra recompensa a quem é fiel nesse aspecto, porque recebeu de graça e deu de graça.

  1240. Existe o ódio, a malícia, o rancor e muitas coisas mais que concorrem com o amor de Deus pela posse dum coração. Mas, o que muitos ignoram é que existem outras coisas de melhor aparência que igualmente concorrem com o amor de Deus e disputam o nosso coração e a nossa vida. Essas coisas são: o amor carnal, a forma de pais e mães amarem, a força da carne, a cordialidade carnal, amabilidade e fingimento que procura agradar pessoas ao invés de amá-las com aquele tipo de amor que repreende quando é preciso e consola nas coisas certas e nos momentos certos também. Tenha cuidado com o amor paralelo, a simpatia paralela, a cordialidade paralela, a oferta do dízimo paralela, a leitura da Bíblia paralela, a esperança falsa ou mentirosa - tudo coisas que a carne faz muito bem! Devemos ler a Bíblia para mudarmos a vida e não para passarmos um tempo religioso; ter esperança porque Deus realmente falou; devemos orar para obtermos coisas concretas e importantes para o reino de Deus e não para passarmos um tempo falando sozinhos. Se déssemos o dizimo para que o reino de Deus se espalhasse pelo mundo, recusaríamos dá-lo ao vermos como os que recebem usam-no para se enriquecerem e para viverem no luxo. Precisa ter um cuidado especial com as aparências, com as coisas paralelas, quanto deve ter com aquelas coisas que são pecados óbvios. São coisas igualmente mortais ou ainda piores, pois, são as armas da imitação, tentando imitar tudo aquilo que existe no céu.

  1241. Quem desespera esperando uma promessa é pessoa para se alegrar fora de tempo também. Quem desespera pode facilmente ser enganado com cumprimentos falsos de tudo aquilo que Deus ainda tem para ele e não chegou. O desespero pode significar que a pessoa ainda é inconstante nos caminhos de Jesus.

  1242. Quando estiver conversando com um descrente ou um pecador crónico, lembre-se que os argumentos mais penosos que ele tem para responder, isto é, aqueles que deseja evitar a todo custo, são os dele mesmo. Ache, descubra quais os argumentos que ele silencia e abafa dentro dele e use-os. Depois, será mais fácil mudar a vida dele. Mas, lembre-se que está ali para ganhar uma alma para a verdade e não para ganhar um argumento.

  1243. Para que a palavra de um verdadeiro se possa confirmar mais tarde, ele não deve mudar nada do que disse e nem mudar de atitude. Pode complementar se existirem complementos, mas, nunca mudar uma única virgula de nenhuma frase. Isso parecerá ser teimosia da parte dele, algo que irritará ainda mais quem se opõe a ele. Mas, no final, a palavra ainda falará e tudo se confirmará se a pessoa mantiver a sua atitude e postura diante de Deus.

  1244. As profecias e as manifestações serão quase sempre falsas quando a pessoa não anda em santidade. É o Espírito Santo quem guia. E, o Espírito Santo é santo. Quem não estiver igualmente santo, corre o risco de que o diabo use os mesmos sentidos sensoriais, o mesmo coração e os mesmos meios que Deus usaria caso a pessoa estivesse de bem com Ele e com o seu próximo. E, o pior de tudo, será quando o diabo, para além de usar o que Deus usaria, começa a usar algumas verdades para confirmar certas coisas que nos chegam ao mundo consciente e sensorial através dele. Por isso, a primeira condição para que uma profecia seja verdadeira, é a pessoa que fala estar verdadeiramente limpa em todos os aspectos da sua vida. Mas, existem mais condições. Eis algumas: Deus terá mesmo de falar; a pessoa terá de conseguir crer com simplicidade; a pessoa deve poder descrer com a mesma simplicidade caso não seja Deus quem está falando. Mas, existem mais condições. Descubra-as andando com Deus, arriscando multiplicar os talentos que Deus lhe deu - se os deu e se não é apenas você querendo e desejando que Ele os tivesse dado. Ande na luz, aprenda sendo transparente.

  1245. Ser transparente diante de Deus é sinónimo de ser limpo, mesmo que não seja a mesma coisa. O facto é que Jesus muda quem é transparente diante dele. Cuide de ver que, ser transparente, é diferente de ser transparente diante d'Ele. Não é a mesma coisa. Você pode ser transparente sem estar diante d'Ele, como pode estar diante d'Ele sem ser transparente. Tanto uma coisa como a outra isoladamente não resultam em limpeza espontânea.

  1246. Os profetas tornam-se falsos por várias razões. Muitos falam daquilo que desejariam que acontecesse; outros são movidos por conhecimentos deturpados ou mal aplicados; e ainda existem aqueles que dizem que o que eles expressam em nome de Deus se cumprirá, como se Deus fosse obrigado a sujeitar-se à palavra deles cada vez que falam e não o inverso. Em todos os casos, é e será sempre a arrogância falando. Mas, porque existem falsos, devemos aplicar os nossos corações a praticar o que é de Deus e não deixar de fazer muito bem aquilo que os falsos só imitam. Muitos tentam opor-se aos falsos em vez de fazerem bem o que devem fazer.

  1247. A mentira é um chão falso onde pisamos. Por baixo desse chão falso existe um abismo de onde será difícil sair depois. E não é bom usarmos Deus para estarmos confiantes sobre as mentiras e em nossos pecados porque senão esse abismo será ainda mais fundo e mais falso.

  1248. Todo o acto sexual para ser perfeito deve ser consumado sem qualquer sentimento de culpa e sem qualquer acusação na consciência. Por essa razão é que você deve fazer as coisas apenas da maneira que Deus as criou, quando lhe for lícito e quando Deus estiver abençoando tudo o que você faz. Só assim será perfeito.

  1249. As pessoas nunca tiveram rei. Por essa razão aprenderam a governar as suas próprias vidas. Na ausência ou inexistência dum Rei, elas entregaram-se à obstinação, especializando-se nela. Mas, quando o verdadeiro Rei chega, começa a haver uma disputa pelo reinado do coração e da vida. É preciso que você decida quem vai reinar: ou você ou quem é Rei de verdade. Saul também foi colocado diante da opção de entregar o reino a David, o homem que Deus escolheu para reinar no lugar dele. Caso ele tivesse entregue o reino a David, teria salvo a sua própria vida. Mas, a opção que tomou foi desastrosa, pois, foi a sua queda eterna. Deveria, antes, ter-se sujeitado à vontade de Deus. Quando Deus entrar em sua vida, você também será colocado perante a opção de abdicar do reino e de todos os direitos sobre a totalidade da sua vida. Entregue esses direitos sobre a sua vida a Ele. Não faça como Saul fez. Não seja desastroso.

  1250. Quando entramos numa igreja, vemos muitos que se acham crentes e não são. Falo daqueles que gostariam muito de ser crentes de verdade sem entregarem todos os direitos sobre suas vidas a Deus. Esses, como gostariam de ser crentes sem pagar o preço, passam a achar-se crentes para nunca terem de mudar ou de serem transformados. Do mesmo modo, acharemos os que se acham ateus e não são, aqueles que gostariam de ser ateus e não conseguem sê-lo. Esses são a grande maioria dos ateus. Se juntarmos a isso a teimosia natural do ser humano longe de Deus, logo teremos alguém que persiste em afirmar que Deus não existe com cada vez mais persistência contra a sua própria percepção dos factos.

  1251. O tamanho do homem pode ser medido, muitas vezes, através da facilidade ou da dificuldade com que se desmotiva ou com que se motiva.

  1252. Se entendemos mal alguma coisa quando alguém nos fala, ou se o que nos disse não está de acordo com o nosso raciocínio ou expectativa, temos a tendência para achar que a pessoa se enganou ou que está equivocada. É assim, muitas vezes, que agimos quando Deus nos diz algo que não está de acordo com aquilo que pensávamos que nos iria dizer. Quantas vezes tentou torcer as Escrituras com o intuito de obter um entendimento diferente daquele que Deus quis dar? Quantas vezes você disse que foi o diabo que lhe disse uma coisa porque não gostou do que ouviu? E, se assim é, quantas vezes o diabo lhe falou e você disse que foi Deus porque gostou do que ouviu?

  1253. Quando estamos mal, quando a nossa vida corre perigo e estamos longe de Deus, não busquemos Deus para nos dar emprego ou comida, mas, para nos arrependermos. Todo aquele que vier buscar o desvio das pragas ao invés de buscar a limpeza de seus pecados exclusivamente será considerado hipócrita quando orar a Deus. E Deus não ouve hipócritas. Por essa razão é que Deus não ouve muitos crentes, nem mesmo aqueles que não são atormentados por pragas e males, mas, ainda assim, oram a Deus. Deve buscar a limpeza dos seus pecados independentemente do que lhes vier a acontecer a seguir e independentemente do mal que lhes fizeram.

  1254. Buscando e achando ouro. Os pesquisadores de ouro, muitas vezes, buscam durante muitos anos aquilo que não acham mas que sabem que existe. Não perdem a esperança de achar. Muitos diriam que eles são pessoas que não fazem nada, que passeiam pelos campos, que andam com esperanças falsas, que não têm o que fazer. É assim que nos sentimos quando buscamos o Reino de Deus. Mas, quem busca tesouros valiosos, não desiste até achá-los.

  1255. Às vezes, o que conta não é se Deus disse algo que consideramos importante quando nos fala. O que conta não é que a coisa seja importante, mas, que quem falou é importante. A importância existe por causa de quem falou. Por essa razão respeitamos tudo o que disse, seja o assunto de maior ou de menor importância. A obediência tem o mesmo valor nas coisas pequenas ou nas de grande importância.

  1256. Quem escala uma montanha concentra-se em não escorregar em pedrinhas, em não em encalhar nas rochas grandes. Não se concentra na montanha, mas, em seu caminho e nas coisas pequenas nas quais pode escorregar ou tropeçar. As coisas pequenas e os detalhes são as coisas mais perigosas da montanha. O mesmo acontece num caminho estreito e apertado.

  1257. A carnalidade não sabe o que é a espiritualidade. Mas, os que andam no Espírito sabem o que é a carnalidade. A verdade é que, apenas a espiritualidade conhece a diferença entre Espírito e carne. Isto quer dizer que a carnalidade não tem conhecimento do Espírito e, consequentemente, não tem nenhuma noção do que é que o Espírito considera carne de forma prática. Se a carne não sabe o que é espiritual, também não sabe o que é carnal. Isto explica porque razão muitos se justificam e se defendem quando são carnais, pois, acham-se justificados quando a Bíblia afirma que "aquele que está morto está justificado do pecado", Rom.6:7. Dizem que lêem as suas Bíblias, que oram, que são crentes e tudo mais, mas, continuam com a carne viva. A carne não morreu. Usam essa crença (de que são crentes) como razão para não se converterem genuinamente. Na verdade, aquilo que acham ser razões, aos olhos de Deus não passam de desculpas de quem não crê quando Deus diz que é carnal. Deus é Espírito e vê a carne, mas, a carne não vê a diferença porque não é Espírito. Por essa razão lemos que, "Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente", 1 Cor.2:14. Na verdade, é muito difícil converter um crente carnal e muito mais difícil convencê-lo que ainda não está convertido. Nunca vi um crente carnal ouvir a verdade sem responder assim: "Não me pode julgar! É pecado julgar-me!"

  1258. Precisamos andar na luz, isto é, expondo realmente tudo tal qual as coisas são e vendo o nosso coração como Deus o vê. Mas, muitos ficam presos nisso sem se aperceberem que é vendo Cristo que nos transformamos, (2 Cor.3:18). É preciso julgar e colocar na luz todo o nosso coração (1 Cor.11:31,32), mas, não podemos ficar presos nisso, olhando para dentro do coração em vez de olharmos para Cristo e viver. Deus disse: “Olhai para Mim e vivei...”; não disse: “Olhai para o vosso coração e vivei”. Se olharmos para o nosso coração assimilaremos o que está lá. Se olharmos para Cristo assimilaremos aquilo que Ele é. Mas, como colocaremos o nosso coração na luz sem olharmos para ele? Então, devemos ver tudo o que se passa em nosso coração com o intuito de andarmos na luz, assimilando apenas Cristo que a luz contrasta com o coração que temos.

  1259. Não basta querer ir para o céu: temos de aceitar ir para lá através de Cristo, o Desprezado. Mas, querendo ir para o céu, temos de ter a noção que deixamos a terra para trás para sempre, os seus jeitos de fazer as coisas e todos os seus modos de pensar juntamente com as suas coisas.

  1260. O “bem” que a feitiçaria faz - se o fizer - não vale de nada porque não é feita em Deus e acaba por destruir as vidas das pessoas que se envolvem nela, mais tarde ou mais cedo. E as pragas que Deus envia são coisas excelentes para o bem global e fazem as pessoas arrependerem-se ainda que não gostem delas.

  1261. Nem sempre a fé é ver o invisível e nem sempre a mentira é o visível.

  1262. Quando Jesus ensinou os discípulos a orar, Ele disse para orarmos: "Livra-nos do mal". Não é orar para nos livrar do mal que alguém nos possa fazer, mas, do mal que podemos fazer, isto é: "Livra-nos de fazer o mal".

  1263. Ninguém tem como se preocupar sem presumir. Quem presume imagina os acontecimentos do dia de amanhã e esse dia ainda não começou e nem deu a entender o que dará!

  1264. "Não te esqueças (...) das palavras da Minha boca", Prov.4:5. É preciso não deixar que o nosso coração se ocupe facilmente com coisas que nos fazem esquecer ou não deixam lembrar as coisas que Deus nos disse ou mostrou.

  1265. "Ouvi, filhos, a instrução do pai e estai atentos para conhecerdes o entendimento", Prov.4:1. É muito importante estarmos atentos ao que Deus diz ou nos quer dizer. Muitas vezes, as leis e as disciplinas não dão espaço para ouvir o que Deus nos quer transmitir naquele momento. Os nossos modos é que determinam sobre que assuntos Deus nos deve falar ou não. Os nossos modos e disciplinas é que são nosso deus. O nosso trabalho é (deveria ser) estarmos atentos ao Pai. Mesmo mantendo a nossa disciplina de leitura e de compromisso com a Bíblia, cultos e pregações, devemos estar sempre atentos para os pequenos ajustes ou reajustes do Pai. Eles podem e devem ocorrer diariamente.

  1266. "Não se turbe o vosso coração", João 14:1. Jesus aqui pede, diz, manda que nunca deixemos que algo venha perturbar o nosso coração. Sejamos firmes e sóbrios a esse respeito. Ninguém precisa ficar perturbado encarando um problema sério com Jesus por perto. Ninguém precisa, também, virar a cara ao problema para não se perturbar, pois, isso seria uma ausência falsificada de perturbação. Jesus não nos disse para ignorarmos os problemas, mas, para os encararmos sem perturbações. Não devemos permitir que o nosso coração seja perturbado. É do nosso coração que deveremos cuidar dentro de Jesus. Estamos perto do problema e perto de Jesus. Devemos decidir a qual dos dois iremos respeitar e temer mais. "Acima de todas as coisas, guarda com diligência o teu coração", Prov.4:23.

  1267. Todos sabemos que somos salvos crendo. Aliás, nenhum santo faz nada sem ser pela fé e por Jesus. Se isso é verdade, a preocupação, o medo e a instabilidade na fé é pecado muito sério, pois, causa perdas enormes e acarreta prejuízos incalculáveis. Temos por hábito considerar a prostituição e o assassínio como pecados de topo. Mas, a verdade é que todos são muito graves. Não devemos menosprezar pecados como a preocupação. Ela também nos tira a vida

  1268. . E se isso é verdade, podemos concluir facilmente que não existe virtude que sofra mais imitações e tentações da carne para ser ajudada que a fé. A carne quer ser salva e não morta. Por isso, tentará sempre ajudar a fé, matando-a.

  1269. Existem os que são exagerados sempre que sentem culpas e se culpam de algo que fizeram. Na verdade, ou são incrédulos ou querem atrair as atenções dos outros sobre eles. Por outro lado, existem os que nem se sentem minimamente afectados ou culpados pelas coisas erradas que fazem ou fizeram. Por norma, queixam-se apenas das perdas e das pragas e não dos pecados que lhes trouxeram essas perdas e pragas.

  1270. Uma resposta do Senhor, mesmo antes de se concretizar o pedido, coloca um fim a repetições nas orações. Você ora para obter resposta, por obrigação, por necessidade de cumprir obrigações e de satisfazer encargos de consciência ou de religiosidade?

  1271. Um pecado num santo, a mentira ocasional de um homem honesto, o desleixe de um bom trabalhador, uma mancha preta num pano branco torna-se sempre mais visível e, também, demora sempre mais a ser esquecido depois de limpo e perdoado. Por isso é que muitos falam sempre no pecado que Davi cometeu. Se você é santo, tenha cuidado, pois, qualquer pecado de sua parte levará uma eternidade a perder os seus efeitos nefastos.

  1272. "Eu escutei e ouvi; não falam o que é recto", Jer.8:6. É pena que as pessoas orem, sejam ouvidas, mas, não sejam atendidas.

  1273. Deus faz tijolos com as cinzas de pecados e erros passados. Siga em frente e dê tempo a Ele para construir algo importante usando alguns desses tijolos.

  1274. Existem várias garantias que nos são exigidas numa vida espiritual. Uma delas é que lidemos com Deus como Pai. Outra é que permaneçamos assim até ao fim. Deus precisa garantir tanto uma coisa como outra. "Me chamarás meu Pai e de mim não te desviarás", Jer.3:19.

  1275. O pecador quer pecar e não ser visto como pecador; o ladrão quer ser visto como homem de confiança; a prostituta como mulher bonita e indefesa; o mentiroso quer ser considerado verdadeiro. Isto é o que a Bíblia diz: "Tens a fronte de uma prostituta, mas, não queres a (respectiva) vergonha", Jer.3:3.

  1276. Vencer é permanecer em Cristo. Quando temos uma tarefa difícil para fazer, uma prova para passar, o que conta é se ainda estamos em Cristo no final, depois de tudo haver passado. Podemos fazer o que nos compete de forma perfeita, ou podemos falhar a perfeição durante a prova. Mas, no final, quem fez as coisas de forma perfeita tem o mesmo dilema que aquele que as fez de forma imperfeita: permanecer em Cristo. Um pode orgulhar-se por haver cumprido e distanciar-se de Deus através da auto-suficiência pela qual será tentado. Pode mesmo sentir-se auto-realizado e isso é o oposto de ser dependente de Deus (Luc.17:10). Precisa terminar tudo o que ainda vem, seja o caminho bom ou mau, através da mesma graça com a qual começou. O outro que fez tudo de forma imperfeita sente culpa e tem uma enorme dificuldade em aproximar-se de Cristo por essa razão, pois, preferiria ser perfeito e ser tentado pelas tentações dos perfeitos. Mas, para ambos conta a mesma verdade: permanecer em Cristo. Quem permanece em Cristo, quem termina permanecendo em Cristo, esse é o vencedor, independentemente de como fez a sua tarefa ou de como passou pela sua prova. Uns acertam e deixam Jesus. Outros erram e deixam Jesus. No fundo, Jesus é a finalidade, o alvo final. O alvo final não é a perfeição e nem é a tarefa, ainda que seja fácil. A perfeição e a fidelidade de terminar tudo da melhor maneira é permanecer em Jesus até ao fim.

  1277. Ler a a Bíblia não é viver para Deus. Conseguir praticar o que já lemos é que é viver para Deus. A leitura deve ser uma confirmação do que se passa em nós. Ler a Bíblia é muito pouco. No entanto, muito congratulam-se porque lêem um capítulo todos os dias! Não lêem a Bíblia com boas intenções e já se congratulam! É dessa forma que a auto-congratulação serve para os infiéis se enganarem.

  1278. "Concilia-te depressa, enquanto estás no caminho...", Mat.5:25. Houve poucas vezes que o Senhor Jesus usou a palavra "depressa". Esta é uma delas, pois é assunto muito sério e urgente. Por isso, não guarde para amanhã, não adie aquilo que Jesus disse para fazer depressa. E não importa quem você seja, pois Jesus estava falando para Pedro, João e outros que se consideravam filhos de Deus sem estarem enganados.

  1279. Quando a Bíblia diz "Volta, minha alma, ao teu repouso, pois o Senhor te fez bem", Sal.116:7, ela não incita a voltar a uma estabilidade emocional, mas, ao Senhor. Nós, ao invés de procurar bons sentimentos, buscamos e achamos o Senhor. Achar o Senhor não é sentimento, mesmo que achá-Lo exerça influências sobre a forma como nos sentimos. Bons sentimentos não são segurança para ninguém, pois, são apenas sentimentos. Se você achou o Senhor e, mesmo assim, a sua forma de sentir está turva, mesclada ou perturbada, acalme-se, pois, está em segurança.

  1280. Imagine que alguém lhe dá uma narração fiel de uma melodia linda e agradável. Agora imagine que você está ouvindo essa melodia encantadora pessoalmente. Qual a diferença entre uma coisa e a outra? A diferença é enorme, de facto. É igual à diferença entre ouvir uma narrativa de Cristo e das verdades da Bíblia lendo-a fielmente; e de experimentar e conhecer essas verdades através de uma experiência pessoal e íntima.

  1281. Se as dívidas são uma fonte geradora de preocupações, tenho a certeza que pagar em antecipação, não adiar o que podemos fazer agora é fonte para a calma e o sossego. Se não pagar ou não cumprir, gera a dívida, a qual, por sua vez, gera preocupação, cumprir em antecipação é o oposto do endividamento e é contrariar a preocupação logo na sua raiz.

  1282. Os Israelitas desejavam a Terra Prometida e Deus desejava o mesmo para eles. Eles queriam o mesmo que Deus queria e é bom sempre que assim seja connosco também, isto é, que exista esta sintonia. E ainda havia outra sintonia: eles desejavam que fosse Deus a dar-lhes essa Terra. Isso faz parte do desejo de qualquer santo e é desejo de Deus para eles também e por muitos motivos. Mas, isso não bastou, pois desejar tudo aquilo que Deus quer e ainda desejar que seja Deus a dar-lhes não bastou. Descubra o que faltou para que Deus não se tenha agradado deles naquele tempo.

  1283. Imagine aqueles coxos que foram curados quando lhes foi dito "levanta-te e anda!" O que aconteceria se eles só se levantassem e não andassem? Ou se andassem sem se levantarem, rastejando como fazem as serpentes? Não seria estranho? Porque cumpriremos apenas metade das coisas que Deus diz? Qual a vantagem? De que vale cumprir parcialmente? Se já cumpriu uma parte e deu certo, porque não cumprir o resto? Ou, porque não cumprir pela ordem do mandamento?

  1284. As pessoas admiraram-se quando Jesus acalmou o mar. O mar ficou calmo em poucos momentos e eles disseram: "Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem?", Mat.8:27. Mas, O Senhor Jesus também estava admirado com eles e disse: "Por que temeis, homens de pouca fé?" A admiração era mútua: Jesus vivia num mundo e as pessoas noutro e um admirava-se do outro com estupefacção.

  1285. quem se culpe de pecados específicos e há os que buscam do que se culparem. Os que se culpam de pecado específico, estão em fase de arrependimento; os que buscam do que se culpar estão em fase de impaciência sobre alguma outra questão, ou em busca de algum mérito diante de Deus. E, quem busca ter mérito, não busca misericórdia. A busca de misericórdia é especifica. Quando não é específica, com certeza que se busca outra coisa.

  1286. Existe pior solidão que a de solteiro: é a de casar com a pessoa errada. E existe diferença entre casar com a pessoa errada antes de conhecer Deus e casar com ela depois de conhecer Deus.

  1287. A impaciência é o pior inimigo do melhor que Deus tem para nós.

  1288. Você é aquilo que você pensa, não aquilo que pensa que é. Isto é, a forma como pensa é que determina o que você realmente é. Lembre-se disso, também, quando vier confessar os seus pecados diante de Deus.

  1289. Uma boa corrida é um conjunto de muitos passos firmes e individuais. Uma parede é feita tijolo a tijolo. Uma limpeza de alma é feita pecado a pecado. Só assim se torna tudo perfeito. A vida com Deus constrói-se dia após dia, um de cada vez bem vivido e bem cumprido. Cada passo firme faz parte de uma grande caminhada. Tudo aquilo que é perfeito foi feito passo a passo, dia a dia, momento a momento. Porque razão você quer que as coisas sejam diferentes agora que vive com Deus?

  1290. Sermos perseguidos porque nos estamos limpando com Deus nem é o mesmo que sermos perseguidos porque nos estamos sujando, pregando doutrina errada, roubando ou falando mal.

  1291. João Baptista foi tentado a achar que era o Cristo. O diabo, ao mesmo tempo, também tentou o povo a pensar na possibilidade de ele ser o Cristo. Ele resistiu e mostrou ao povo que não era o Cristo. Do mesmo modo, devemos resistir a todas as tentações por incríveis que pareçam, pois, não temos controle e nem autonomia sobre aquilo com que o diabo vai tentar usar para ocupar os nossos pensamentos e os de outros para fechar o circulo. Ele vai atacar com qualquer coisa mais ou menos absurda, de qualquer jeito e em qualquer altura, da forma que menos esperamos, da maneira mais vil e no momento menos oportuno. Eu não tenho poder para decidir sobre a tentação que o diabo vai usar - só para resisti-la sem admirar-me e sem desanimar ou sentir-me perturbado. Devo saber que é apenas uma tentação e pronto! Muitas vezes, a única coisa que o diabo busca é um pequeno desânimo e não que caiamos na sua tentação. João nunca se ofendeu sobre ser considerado o Cristo porque sabia que o povo tinha uma verdadeira confusão em suas cabeças sobre a sua verdadeira identidade. Ele revelou-lhes, pacientemente, quem era o Cristo e onde estava Ele quando apareceu. Também sabia que Cristo acabaria por aparecer diante dele. Nunca desespere e não desista quando uma mentira surgir a seu respeito. Logo Cristo aparece para resolver o caso também e as pessoas crerão mais e melhor em Cristo por causa de si.

  1292. Felipe e muitos outros contestavam Cristo precisamente porque conheciam as Escrituras. Porque conheciam as Escrituras, diziam: "Pode haver coisa bem vinda de Nazaré?", João 1:46. As Escrituras não mencionavam Nazaré directamente relacionada com o Cristo. Você pode contestar as Escrituras (ou Deus) por as conhecer bem - ou por julgar que as conhece bem. Tenha cuidado!

  1293. "Pois todos nós recebemos da sua plenitude e graça sobre graça", João 1:16. Quando lemos que recebemos graça sobre graça, significa que uma graça precisa que a outra seja cumprida ou obedecida antes a seguinte cresça sobre ela. Um estudante de matemática não vai conseguir aprender a matéria de hoje se não assimilou a de ontem. Do mesmo modo, a graça de hoje, a graça que vem sobre outra graça, precisa que tenhamos assimilado, recebido, entendido e obedecido a que lhe antecedeu. E não pense que se trata apenas de entender: é necessário assimilar e tornarmo-nos aquilo que a graça dá a entender para que ela se cumpra. Se não ver as coisas cumpridas e plena e satisfatoriamente assimiladas, não haverá graça sobre essa graça desperdiçada. A graça, para abundar, precisa crescer sobre o que foi previamente realizado, manifestado e cumprido.

  1294. "Nele estava a vida e a vida era a luz dos homens", João 1:4. Muitos querem um sonho, uma voz para guiá-los, algo extraordinário que lhes indique o caminho. Mas, a verdade é que a vida que achamos - se a achamos - é o que será luz para nós. E, muitas vezes, essa luz é oposta ao nosso coração. Outras vezes não é oposta, porque a pessoa foi mudada e aquilo que ouve é o que busca ardentemente. Mas, mesmo que o coração se oponha ao que ouve, nem por isso deixa de ser luz. Tudo aquilo que Deus diz pontualmente ou a consciência iluminada proclama com gritos, é e será sempre luz. Como tais homens não entendem e nem esperam que a luz chegue a eles daquele jeito porque o seu coração ressente-se e opõe-se, rejeitam-na sempre. "A luz resplandece nas trevas e as trevas não a entenderam. Veio para o que era seu e os seus não o receberam", João 1:5,11.

  1295. Quando sofro ou sou maltratado, existe aquilo que as pessoas exigem de mim e aquilo que a Palavra de Deus requer de mim. Existe um apelo do mal sobre mim para sentir-me mal, vingativo e com motivos para me defender; e existe o apelo que a Palavra de Deus exerce sobre mim para ser o oposto. O apelo que a Palavra faz sobre mim é mais forte e, por essa razão, não vou perder o meu tempo e nem gastar os meus recursos tentando agradar aos dois lados, pois, nem resulta porque são lados opostos. São dois os apelos e são distintos: um é aquele que a Palavra exerce sobre mim e o outro é aquele que o pecado exige que faça quando sou maltratado. Mas, preciso decidir a qual dos dois apelos vou entregar-me: ou cedo ao apelo do mal, ou persisto em minha vida com Deus normalmente, respeitando-a solenemente, continuando com aquilo que já vinha fazendo e do modo que estava fazendo. "Bem-aventurado aquele servo a quem o seu Senhor, quando vier, achar fazendo...", Luc.12:43. Este mesmo princípio de vida pode ser aplicado quando estamos sob doenças, maus tempos (Ef.6:13), telefones que não param de tocar, barulhos ou sob qualquer coisa que possa ser uma provação especifica e pontual.

  1296. Todo aquele que vive do mundo e das coisas de Deus ao mesmo tempo (Sof.1:5), os que vivem com um pé no mundo e outro na Igreja, são pessoas que acreditam que Deus nem faz o bem que querem e nem faz o mal que lhes tem sido profetizado ou anunciado pelas Escrituras (Sof.1:12). Crentes mundanos vivem num mundo de fantasia, onde tudo se supõe e onde nada se tornará real. Assim crêem e assim esperam. Em breve, todo o seu mundo ruirá debaixo de si e diante dos seus olhos. Vivendo do mundo é como colocar uma corda ao pescoço e fingir que é um ornamento e ainda acreditar que o chão não irá ruir debaixo de pés. Os crentes que vivem das coisas do mundo são enforcados prematuros. Eles próprios colocam a corda no pescoço antecipadamente. Estão prontos para a matança.

  1297. Cada pão no seu dia. Coma o pão de hoje, hoje. Não o desperdice querendo comer o de amanhã agora. No seu dia só cabe um tipo de pão e o de amanhã ainda está cru. Coma o de hoje. E não o guarde para amanhã, pois estará duro. Não segure o de ontem que já se estragou, que endureceu, pois precisa das duas mãos para partir o de hoje.

  1298. Nós podemos estar a lançar as nossas redes para um lado e para o outro durante toda a noite. Quando não apanhamos nada, podemos acreditar que estamos a fazer a coisa errada ou que estamos fora da vontade de Deus. Mas, quando Jesus chega, Ele só precisa que a rede se lance uma vez mais. No entanto, já começamos a acreditar que estávamos a fazer a coisa errada e será muito difícil aceitarmos fazer o que Jesus nos pede, ainda mais se nem temos a certeza de quem nos está falando. Você lançaria a sua rede de novo? Tentaria novamente como Pedro? Não nos podemos admirar de Pedro ter sido o que foi, pois, ele era daqueles que lançava a rede nessas circunstâncias.

  1299. Quando Jesus disse para Pedro lançar as redes para o outro lado do barco, depois de uma noite sem terem pescado um único peixe, podemos perguntar porque razão não houve um único peixinho para as suas redes durante toda uma noite de trabalho e esforço. A resposta pode ser que Jesus tivesse resolvido aparecer apenas pela manhã. No entanto, quando apareceu, eles obtiveram tantos peixes como se tivessem pescado cada vez que lançaram as suas redes naquela noite.

  1300. Vemos que Pedro se prostrou diante de Jesus após ter lançado as redes para o outro lado e depois duma noite sem pescar nada, Luc.5:8. De seguida, Jesus disse-lhe: "deixa as redes e segue-me". Para que serviu aquele milagre, então? Para muitos, ele significaria que Jesus deveria sair sempre connosco para pescar! Na verdade, não era para Pedro continuar na sua vida antiga que Jesus fez aquele milagre, como não será para enriquecermos que Jesus providencia. Jesus fez aquele milagre para Pedro sair da sua vida de pescador e não para se enraizar ainda mais nela.

  1301. Vemos como o Messias chegou perto dos discípulos e os escolheu, um por um. Depois disso, afirmamos que Jesus também nos deve escolher e chamar pessoalmente. Isso até pode acontecer, mas, digam-me uma coisa: porque razão não aconteceu o mesmo com aqueles magos que saíram do Oriente atrás duma estrela que os levaria ao rei do Mundo e, por tanto buscarem, tenham causado a morte de muitas crianças? Porque razão eles tiveram de esforçar-se tanto para alcançarem o Messias que não os foi chamar lá no Oriente do modo que chamou a Pedro? Crente, ouça-me: Não espere que Jesus venha até si se sabe como achá-Lo! Corra atrás da estrela já! E, quando achar o Messias da sua vida, esqueça a estrela, isto é, o homem de Deus que o levou até Ele. Delicie-se com o seu Criador e deixe as estrelas seguirem o seu caminho para encaminharem outros até o Messias que não os chamou. "Deleita-te no Senhor..." e deixa a estrela seguir o seu rumo, Sal.37:4. Não vemos o Reis Magos procurando a estrela depois de terem achado o Messias.

  1302. É logo diante de Deus que devemos reconhecer todas as nossas falhas. Mas, seria diante dele que preferiríamos colocar a nossa melhor cara, a nossa melhor acção, a nossa melhor ideia ou ideal. Mas isso não funciona assim, desse modo. Ali, diante d'Ele, vamos colocar-nos como somos.

  1303. A pessoa pode parar de mentir sem deixar de ser mentirosa e pode falar a verdade sem ser verdadeira.

  1304. Deus só se serve da confissão duma mentira para revelar a alguém que é mentiroso e que pode e deve ser transformado. Deus não o faz para acusar o acto, pois quem acusa é a consciência que é avivada e aliviada pela confissão. Ele apenas tenta convencer as pessoas desse facto do pecado em sua origem. Toda a convicção de pecado serve apenas para alcançar a verdadeira natureza do homem. Quem se acusa dali em diante (ou não) é o próprio homem.

  1305. O mundo acha que, reconhecendo que está errado, perderá a vida. Mas, na verdade, ganhá-la-á se o fizer diante de Cristo.

  1306. "Está escrito na lei: Por homens de outras línguas e por lábios de estrangeiros falarei a este povo; e nem assim me ouvirão, diz o Senhor", 1Cor.14:21. Os judeus, os crentes de então, existiam para trazer Deus aos povos perdidos. Devido à sua desobediência e à sua aparente obediência, isso nunca chegaria a acontecer. Um dos sinais que eles estariam realmente afastados de Deus seria que, aqueles povos para quem deveriam significar salvação, estariam a trazer a salvação aos crentes de então. Mas, as pessoas criam tanto que Deus estava com eles que nem viam a contradição de serem os outros a trazer-lhes Deus e isso como sinal ou prova de sua própria desobediência e incredulidade. Já viu algum crente considerar-se incrédulo? O mesmo está a ocorrer em nossos tempos, pois serão as pessoas de fora das igrejas a acharem Deus de forma real. E como era duro para os judeus aceitarem tal coisa! Imagine porque razão Deus disse a Paulo: "Dura coisa te é recalcitrar contra os aguilhões!" Act.26:14. E ainda é coisa dura para os crentes de hoje.

  1307. Sabe qual a dimensão do amor de Deus por si? Sabe que poderá ficar a sabê-lo apenas tornando-se real?

  1308. Porque as coisas nunca nos aconteceram, quando acontecem, duvidamos delas. E essa dúvida é pecado.

  1309. O que aconteceria com alguém aflito para respirar ao lado de cientistas que discutem a composição ou a qualidade do ar? Já imaginou? Eles, em vez de abrirem uma janela, de fazerem alguma coisa para a pessoa poder respirar novamente, ficam discutindo e divagando. Não é isso que está acontecendo com os teólogos hoje? Eles discutem tanto, mas, não fazem nada. Se alguém abre uma janela para um moribundo espiritual, é repreendido porque aquilo não se pode encaixar no programa das suas discussões.

  1310. A triste realidade de hoje, é que aquele monstro que deveria estar morto com Cristo deixou de servir a prostituição, a bebida e os roubos para vir servir dentro do Templo de Deus. É o mesmo monstro que mudou de hábitos. Ele achou um modo de sobreviver servindo ali. Buscou uma maneira de sobreviver, uma maneira de não morrer adaptando-se ao Templo. Muitos, também, evitam morrer carregando cruzes. Sabemos que Cristo carregou a Sua cruz por um dia para morrer nesse mesmo dia para o pecado e para sempre. Depois disse: "Está consumado!" Para não terem de morrer, muitos carregam as suas cruzes para sempre, pois sabem que, enquanto as carregarem, não estarão mortos. Você quer carregar uma cruz continuamente ou quer morrer para o mundo e para o pecado?

  1311. Se a sabedoria não vier de cima, também não sobe para receber a sua bênção.

  1312. Quando Deus desce de forma real, ou morre o pecado ou o pecador. Por isso é que eu não entendo por que razão existem pessoas que afirma haver-se encontrado com Deus e continuam nos seus pecados de sempre.

  1313. Sem Deus, de facto e de forma real, (como Elias disse, “Deus em cuja presença estou!”), nunca existirá beleza que seja bela, santidade que seja santa, milagre que seja considerado milagre, nem mesmo quando se cura alguém de uma qualquer enfermidade grave.

  1314. Deus disse que salvará o seu povo dos seus pecados - não disse que nos salvaria dos pecados dos outros. Quando alguém lhe fizer mal, lembre-se disso, pois Deus salvará a si daquilo que se passar em seu coração nesse momento.

  1315. Posso comparecer no Juízo de Deus, no dia final, com uma enfermidade, com câncer, com cicatrizes, com lesões, cego, manco, sem mão e sem o olho que tive de arrancar para não pecar. Deus não disse que o salário da enfermidade seria a morte. Só não posso comparecer nesse Juízo com pecado. Você sabia que o dia do Juízo pode ser esta tarde ainda ou amanhã? Está pronto, está limpo?

  1316. Se o meu objectivo é pregar o evangelho, logo não será ser abençoado porque prego o evangelho. Eu posso trabalhar numa empresa com o objectivo de fazer bem o meu trabalho ou de ganhar um salário. Dependendo da minha motivação e objectivo, ou eu faço o meu trabalho por causa do salário, ou estou inteiramente absorvido e envolvido no que faço, merecendo todo meu salário. "Se, pois, o faço de vontade própria, tenho recompensa; mas, se não é de vontade própria, estou apenas incumbido de uma mordomia", 1Cor.9:17.

  1317. "Não vos façais escravos de homens", 1Cor.7:23. Existem várias maneiras de deixarmos de ser escravos de homens, empregados de patrão entre outras coisas. Mas, a melhor maneira de deixar de ser escravo de homem é fazer o trabalho de escravo para Deus, fazer tudo para Deus no emprego. Assim, você não será mais escravo de homem.

  1318. Aquele que não usa bem, agora, o que tem, não usará bem aquilo que terá.

  1319. Devemos desejar encontrar apenas o que é prático. Apenas o real é bom. A realidade da vida interior e a obediência saudável, incondicional e imediata são chaves importantes para uma fé genuína, a qual resulta sempre em todas as situações.

  1320. Qual a melhor maneira de não acreditarmos que Deus seja capaz de fazer alguma coisa? Não será acharmos que nós somos? Porque cremos que somos capazes, por isso nos preocupamos muito. Preocupação não é apenas descrença em Deus - é uma fome e um desejo insaciável de ser auto-confiante. Precisa de trabalhar dois aspectos do seu coração se deseja parar com a preocupação para sempre: aprender a confiar em Deus incondicionalmente; e deixar de confiar em suas próprias forças para sempre. Crucifique a carne e não a deixe ressuscitar. Muitos, também, ficam sem conseguir eliminar a preocupação completamente porque ainda confiam em alguém de carne, nas capacidades de outras pessoas por serem iguais às suas. Confie no braço de Deus e não no braço do homem, seja esse homem você ou outro. "Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem e faz da carne o seu braço e aparta o seu coração do Senhor", Jer.17:5.

  1321. Não te separes das ovelhas para ouvires Deus - separa-te dos bodes! Também não te separes de Deus para ouvires as ovelhas ou os bodes.

  1322. O espírito do mundo é pensar que se deve entender aquilo que ainda se vai fazer, isto é, aquilo que se acha que se consegue e deve fazer. O espírito que foi tocado por Deus e que pertence a Deus, sabe que precisa entender aquilo que recebeu, recebe ou receberá. "Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, mas sim o Espírito que provém de Deus, a fim de compreendermos as coisas que nos foram dadas gratuitamente por Deus", 1Cor.2:12. Cabe a si decidir se quer viver com o espírito do mundo ou com o Espírito de Deus. Mas, que seja real se viver com o Espírito de Deus!

  1323. É melhor ser vivente sozinho, desprezado, solitário, esquecido e perto de Deus, do que morto acompanhado, amado, chorado e lembrado longe d'Ele.

  1324. Lemos assim: "E a altivez do homem será humilhada, o orgulho dos varões se abaterá e só o Senhor será exaltado naquele dia. E os ídolos desaparecerão completamente", Is.2:17-18. Vemos que, assim que a altivez do homem é abatida, a idolatria acaba. O problema sempre foi a altivez do homem. A idolatria é uma consequência da altivez do próprio homem. Mudando o coração do homem, o mundo muda também.

  1325. Endireitar uma coisa, não é entortá-la para o outro lado.

  1326. Toda as pessoas querem discutir sobre algo. No fundo, a intenção de toda a discussão é desviar a atenção de outra coisa importante - e nem existe diferença entre quem discute contra e quem discute a favor, pois, ambos contribuem para o mesmo desvio de atenções. Na verdade, quem está a favor ou contra assuntos que tenham pouco a haver com a vida real e constante, são pessoas iguais e nem se dão conta. No fundo, elas estão de acordo.

  1327. Uns asseguram que todos nós nascemos com o pecado original. Outros tantos afirmam que nascemos com a imagem com a qual fomos criados, isto é, a imagem de Deus. Quem tem razão? Eu sei quem tem razão, mas, nem vou dizer por duas razões: os que asseguram que nascemos com o pecado original, nem estão interessados em saber se isso que afirmam é verdade. Eles só querem assegurar que irão continuar pecando como crentes, achando nessa afirmação uma maneira de dizer que Cristo não liberta verdadeiramente conforme Ele afirmou que o faria a quem conhecesse e experimentasse a verdade, alimentando-se exclusivamente dela. Os que afirmam que nascemos conforme a imagem de Deus, usam este argumento para mostrar que podemos e devemos viver uma vida santa por causa do tipo de criação que somos e não por causa daquilo que Cristo faz. Qual dos dois nega mais Cristo? Na verdade, estas pessoas aparentemente opostas, estão de acordo e nem se dão conta disso! O facto é que as pessoas que discutem são iguais e nem se apercebem. Neste caso, ambos, de forma prática, contrariam que Cristo seja o Caminho, o modo e a única saída sem que se apercebam que é isso que estão fazendo. Cristo torna qualquer um verdadeiramente livre, tenha ele pecado original ou não. O Deus que conheço pode transformar uma pedra em um filho de Abraão. Qual é o problema, qual é o dilema de havermos nascido com pecado original ou não? E, por outro lado, se nascemos conforme a imagem original com a qual Deus nos criou, será que alguém se manterá puro sem Cristo? Não é Cristo que é a nossa santificação? Qual o motivo, qual a razão da discussão então? Estas pessoas que aparentemente discordam, na verdade concordam uma com a outra, não levando em conta aquilo que Cristo quer - ou pode fazer - em qualquer um de nós.

  1328. Temos Caim e Abel. Caim foi o primeiro homem a sacrificar a Deus. Abel imitou Caim e foi bem sucedido diante de Deus. Mas, o pioneiro dos sacrifícios não foi. Vemos que Caim sacrificou porque desejava o que Abel já tinha: o favor e a vida de Deus. Podemos dizer que Caim tentou imitar Abel no ser agradável a Deus (pois, Abel agradava a Deus) e que Abel imitou Caim sacrificando a Deus. O mal tentou imitar o bem e não foi aceite; mas, o bem "imitou" o mal e foi agradável a Deus. Consegue ver qual a diferença, qual a razão de Deus aceitar um e rejeitar o outro? Quando Deus enviou os amigos de Jó a ele para orar por eles, Deus disse: "A Jó ouvirei". Deus não disse que ouviria as orações de Jó, mas, a Jó. Deus ouve a pessoa que ora e não a oração. Deus recebe a pessoa que sacrifica e não o sacrifício.

  1329. Quem busca a alegria e não o Deus da alegria, é pessoa desonesta e falsa.

  1330. Todo aquele que afirma que Deus o ouviu quando não ouviu, duvidará da resposta quando Deus atender a sua oração. Quem crê em mentira, descrê das coisas quando estas se tornam reais e verdadeiras.

  1331. Se formos moles e maleáveis para o mundo e os seus afazeres, seremos duros para Deus - isso ninguém poderá evitar. Mas, se formos maleáveis para Deus, seremos endurecidos para o mundo. Ninguém evita essa consequência, também.

  1332. O diabo, para impedir o homem, só pode consegui-lo se homem se impedir a si mesmo pecando. Isto é, ele vai fazer de tudo para o homem não se firmar em Deus, para não confiar apenas n'Ele, para desviar-se em pensamentos e imaginações ou para pecar, entre muitas outras coisas.

  1333. Se as pessoas crêem não será porque recebem. Antes, recebem porque crêem. Sabe ver e experimentar qual a diferença?

  1334. A santidade atrai quem a rejeita. Por isso rejeitam. Sendo assim, não deixe de ser cada vez mais santo sempre que é rejeitado e a causa da rejeição é a santidade que experimenta. Nunca se sinta magoado quando o rejeitam, pois nem sabe o que se está passando nos lugares escuros da alma de quem diz que vai por outro caminho. Não se sinta desanimado com a rejeição, pois significaria que quer agradar pessoas. Não seja santo por causa das pessoas, mas, seja cada vez mais santo de natureza e aconteça o que acontecer. Siga o seu caminho, pois nele apenas crescemos sempre que não olhamos para o que fica para trás e nem para aquilo que supostamente fica para trás e, também, não olhando para a conquista ou derrota de ontem. No final é que se fazem as contas todas - até os mortos as farão. Fazer as contas agora, é não querer continuar o caminho. Quem pede as contas, pede a demissão; quem faz as contas agora, terminou o trabalho antes do tempo. A santidade atrai quem a rejeita porque nós fomos criados para a santidade, como um pato foi criado para viver dentro da água. Quem rejeita desconhece aquilo para que foi criado.

  1335. Termos a percepção clara de que estamos a ser ouvidos por Deus em oração é uma provação e não significa que estamos sendo atendidos. Para muitos, é o fim de algo, de um caminho que param de levar até ao fim, isto é, até à resposta. Para os incrédulos, basta Deus estar a ouvi-los para se alegrarem com pouco - incrédulo só busca isso mesmo. Tenha cuidado quando Deus lhe der a percepção que Ele está ouvindo o que você diz - você está a ser provado e testado até ao limite. Ir a uma entrevista não significa que ganhou o emprego. Falar com Deus é pouco; Ele nos ouvir é bom, mas, é muito pouco também; vencermos como Jacó fez, é necessário. Não brinque com as coisas de Deus. Ganhe a entrevista com Deus!

  1336. Se você apreciar o que as pessoas pensam sobre si, ou sobre outra coisa, acima da opinião de Deus, as pessoas, cuja opinião tem em alta estima, desprezarão a sua, seja já ou depois, seja hipocritamente ou abertamente. Se você não levar em conta a opinião das pessoas sempre que Deus diz ou disse algo em contrário (ou quando Deus ainda não disse nada), todas aquelas pessoas cujas opiniões você despreza, admirarão a sua, seja imediatamente ou depois, seja abertamente ou em segredo. Nem se preocupe em saber o que as pessoas pensam ou acham sobre si. Antes, ocupe-se zelosamente e de todo coração, em dar valor extremo à opinião de Deus - se é que consegue ouvi-la.

  1337. A vida eterna começa aqui na terra e é dentro de nós - mas, precisa ser real. Quem não a tiver agora, não a terá depois. "Cristo em vós, esperança de glória...", Col.1:27; "... participante da glória que se há-de revelar...", 1 Ped.5:1; "...os dias do Céu sobre a terra", Deut.11:21; "a vida que agora é...", 1 Tim.4:8; "E a vida eterna é esta: que Te conheçam a Ti, como o único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo, aquele que Tu enviaste", João 17:3.

  1338. Orando por pessoas que nos criticam ou nos fazem mal (orando de coração e tendo em vista a glória de Deus nelas) também evita a critica contra elas em nosso coração. "Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem", Mat.5:44. Esse versículo assegura mais que o segredo dda salvação dos nossos inimigos - pode estar a assegurar a sua própria.

  1339. Só existem duas maneiras de acontecer que a luz de um grande homem de Deus pareça pálida ou se torne pálida diante de uma pessoa: ou Jesus se revelou a essa pessoa pessoalmente e o homem de Deus passou a ser visto como homem de Deus que é (João 5:35); ou a pessoa se endureceu e se animou com o mundo ganhando, como consequência, um desprezo natural para com esse homem de Deus.

  1340. Se as pessoas e as suas opiniões ganharem força e importância dentro do seu coração, o evangelho perde o seu poder e todos à sua volta (aqueles cuja opinião lhe é querida) serão colocados ou deixados em densas trevas. Se o evangelho e a sua realidade prática ganharem terreno e importância em seu coração, as opiniões das pessoas contrárias parecerão mentiras, mas, a sua vida será luz e vida para elas. A escolha é sua - só sua.

  1341. Toda a arrogância está construída sobre uma mentira, seja ela qual for - mesmo quando a mentira não esteja directamente relacionada com essa arrogância.

  1342. O nosso perdão começa assim que o nosso pecado é deixado e conclui-se assim que, depois de confessado solene e detalhadamente, não se pensa mais nele.

  1343. Antecipar as coisas pode estar errado, adiá-las é errado, pois, fazer as coisas no momento certo nem é adiar e nem antecipar. Quem faz as coisas certas no momento certo, dificilmente ficará apressado e muito menos se achará atrasado. Fazer agora o que pertence ao momento, é um dos passos da vitória. O outro passo será fazê-lo com Deus em Deus.

  1344. Se pedimos a Deus e não recebemos, podemos ter a certeza que Deus também está pedindo algo de nós que não recebe. Se pedimos e recebemos de verdade, Deus também está pedindo e recebendo tudo o que nos pede.

  1345. A tua força é proporcional à tua sujeição real a Deus e ao tipo de sujeição, quando estás limpo diante d'Ele e das pessoas. Ninguém terá mais força ou poder de viver ou de concretizar que a medida e a qualidade da sua sujeição exclusiva a Deus.

  1346. Deus diz: "Não suporto a iniquidade", Is.1:13. Os humanos não dizem através de palavras, mas, através das suas vidas e desejos afirmam: "Não suporto viver sem a minha iniquidade".

  1347. "Pois, quem anda nas trevas não sabe para onde vai", João 12:35. Jesus não disse que a pessoa nas trevas não anda e nem que ela acha que não sabe para onde vai. A pessoa anda e acha que sabe para onde vai. Só "não sabem o que fazem" e nem o que pensam. Um perdido que acha estar perdido, busca uma saída, um caminho, uma alternativa. Mas, o perdido que não se ache perdido não busca o caminho e segue confiante para a destruição. Você vê os perdidos buscarem o Caminho? Isso significa que eles acham que estão certos. Existe maior maldição que esta? Jesus disse: "Quem anda nas trevas não sabe para onde vai", João 12:35. Mas, isto não significa que a pessoa pense que não sabe para onde vai e sim que está enganada sobre como irá terminar. Dito isto, deixe-me sublinhar alguns segredos com dois lados: a pessoa que anda nas trevas confia somente quando a luz não brilha e quando não ilumina seu caminho. O homem da luz fica abalado quando se acha sem luz. Já imaginou a grande adaptação à luz de um cego que começa a ver? Ele contava os passos para andar, confiava nos sons, no tacto, no olfacto, nas outras pessoas que o guiavam e outras coisas mais. Quando recebe a visão não saberá, momentaneamente, conviver com ela. Não está habituado à luz. Vê precipícios onde nunca viu nada e outras coisas mais que podem assustar quem andava nas trevas. Deve ser uma grande adaptação e um enorme desafio para o cérebro e para a personalidade de um ex-cego. Quem nunca usou a luz saberá usá-la e amá-la? É lógico que precisará aprender a confiar ganhando outra maneira de ser e de estar na vida. Espiritualmente, acontece precisamente o mesmo. As pessoas têm medo da luz. Todo o cego que não sabe o que é luz, faz a sua própria ideia de como ela será porque nunca a viu. E quando abre os olhos tudo é diferente do que imaginava. Além do mais, tudo aquilo que aprendeu a ser até se abrirem seus olhos fica momentaneamente desactualizado, desintegrado e inutilizado para sempre. Já não conta os passos para andar e já não apalpa paredes. Isso seria o mesmo que perder a vida própria. É uma nova vida. Vamos ver o inverso desta verdade. As pessoas da luz não sabem andar onde existem sombras ou lugares sombrios. Estes também precisam aprender a segurar na mão de Jesus e a serem luz em meio das trevas, pois caminharão pelos lugares tenebrosos deste mundo. Saberão eles andar segurando em Alguém que os guia, como os cegos faziam, tendo luz? Que farão?

  1348. "Enquanto tendes a luz, crede na luz, para que vos torneis filhos da luz", João 12:36a. Isto significa que seremos a luz quando as trevas chegarem e que estaremos por nossa conta em nome de Deus. Se não aceitarmos agora ou se tivermos alguma dificuldade em aceitá-la já, se não crermos na luz enquanto ainda somos trevas, seja parcialmente trevas ou totalmente trevas, não chegaremos a ser luz na totalidade, independentemente do lugar onde andamos ou quem nos molesta ou perturba. Um dia, estaremos por nossa conta servindo e sendo luz, pois Jesus irá esconder-se de nós também, para dar-nos a oportunidade de sermos luz. "Havendo Jesus assim falado, retirou-se e escondeu-se deles", João 12:36b. Ele pode esconder-se de si para você ter a oportunidade de ser luz.

  1349. "Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba as primeiras e as últimas chuvas", Tiago 5:7. Muitos usam este versículo para se animarem a respeito de seus desejos carnais que nem consideram carnais por serem crentes. Mas, a Bíblia fala aqui (usando esta imagem do agricultor paciente) sobre a vinda do Senhor (seja a vinda para a vida pessoal, seja para acabar o mundo) e da paciência do homem no tocante a todas as coisas virtuosas e não associando-a a "bênçãos" terrenas. "...Esperamos o que não vemos com paciência", Rom.8:25; "Mas, a nossa pátria está nos céus, donde também aguardamos um Salvador, o Senhor Jesus Cristo", Fil.3:20; "Nós, porém, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e uma nova terra, nos quais habita a justiça", 2 Ped.3:13.

  1350. A verdade forçada torna-se uma fonte de insegurança em nosso íntimo - fé é ter a certeza que uma verdade é verdade. Se a verdade tornar-se real, tudo fica mais fácil. E se a verdade for insegura em nós, nós somos o problema e não a verdade. Morra com Cristo e a verdade nascerá do estrume da sua vida morta e será como uma flor num jardim renovado e verdejante.

  1351. Começar bem e terminar mal é péssimo porque seria de esperar que tal pessoa terminasse bem; começar mal e terminar bem é excelente porque esperávamos que tal pessoa terminasse mal. Vejamos o que aconteceu com o homem que terminou ao lado de Cristo, pedindo com o seu último fôlego para entrar no Paraíso. Ele havia começado mal e terminou muito bem. E olhem como terminou Judas Iscariotes, aquele homem que começou muito bem e terminou mal.

  1352. O homem tem culpa porque pecou; tem coração duro porque pecou; e peca porque pecou. Deixa de pecar porque confessa; amolece porque restitui; e deixa de ter culpa porque se torna mais branco que a neve. Em Cristo, qualquer pessoa pode tornar-se pessoa inocente: é pegar ou largar!

  1353. Seria bom que tratássemos os pecados pequenos como tratamos os grandes (se somos sérios com Deus) pois, todos eles têm a mesma força de matar; e que tratássemos os pecados grandes como trataríamos os pecados pequenos, pois, a vitória sobre eles é fácil.

  1354. Deus não tem nada a dizer ao homem frívolo e superficial.

  1355. A depressão é uma montanha de pecados que recusamos abandonar ou que recusamos reconhecer como pecados e confessá-los colocando-os na luz um por um, sejam eles grandes ou pequenos.

  1356. Uma vida, quando não brilha, faz sombra. Ou fazemos parte da luz, ou das trevas. Não existe meio termo. Decida-se.

  1357. Uma pessoa irrequieta (que não se aquieta) é uma pessoa insegura.

  1358. Deus fala através das Escrituras - ache tempo para ouvi-Lo.

  1359. Lê a Bíblia para ganhares sabedoria; crê nela para estares certo; vive dela para seres vivo; pratica-a do jeito certo para seres santo.

  1360. Os que andam com Deus dependem totalmente d'Ele. Mas, nessa dependência total, pode haver momentos em que a pessoa não tem aquilo que deveria ter recebido ou deveria estar recebendo. Isso, para um dependente de Deus, é dramático. Todo aquele que depende de Deus, não obtendo graça, fica muito pobre. Por essa razão lemos assim: "Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus", Heb.12:15 - principalmente quando dependemos somente dela! Busque essa graça, pois não a merece e, se não a merece, Deus não tem obrigação de dá-la - Ele pode fazer o que quiser com ela, tanto dá-la como não dá-la. Mas, se Lhe pedirmos de todo coração, existem promessas feitas e a palavra de Deus necessita ser cumprida integralmente. E as promessas são a palavra de Deus.

  1361. As vozes que mais nos confundem são os ecos de coisas que se ouvem porque leva-nos a decifrar o eco e não o que a voz diz. E, quem dá atenção aos ecos quando a voz era de Deus (se era), pode ter perdido a voz ou perdido perdido tempo e atrasou-se. Ouve com atraso e tenta decifrar o que já passou por ele, decifrando ecos. Mas, poucos ecos são verdadeiros. Em todo caso, eco nem é a voz sequer. A maioria dos problemas de tentações dentro das pessoas limpas, também são ecos e não são verdadeiros problemas. Por essa razão, ouvimos Paulo dizer: "Considerai-vos mortos" - isto se verdadeiramente somos mortos devido à realidade do encontro que obtivemos com Cristo. Morto não ouve ecos de nada, pois está morto. Não são os ecos que morrem, mas, nós. Os ecos existirão sempre. Nós é que deixamos (ou deixaremos) de existir para este mundo - já ou depois.

  1362. Humildade é sermos aquilo que somos - sempre. Quando nos criticam e depreciam injustamente, devemos permanecer revelando tudo o que somos. Quando nos aplaudem e nos elogiam erradamente, devemos, também, permanecer e revelar aquilo que somos mesmo que isso decepcione os que nos elogiam.

  1363. Deus fez um pacto com Abraão e ele circuncidou-se e à sua descendência também. Mas, ele circuncidou Ismael sendo que esse pacto não incluía aquele filho. Podemos ver aqui que, circuncidar Ismael, nunca mudou o pacto em relação a ele e à sua descendência. Por isso, baptizar pessoas à força nunca as colocará bem diante de Deus, nem fazê-los participar dos cultos o fará e nem cantar como devemos. Seja o que for que façamos, não são os efeitos que causam os pactos, mas, são antes os pactos que devem causar os efeitos. Deus fez o pacto com os escravos comprados de Abraão, com os estrangeiros, com os gentios e todos os demais que se quisessem juntar ao Deus de Israel - mas, nunca o fez com Ismael. Hoje, os descendentes de Ismael (os Árabes), são os que mais desejam destruir Israel.

  1364. Quando as coisas são um anseio do coração, nunca precisam de tornar-se votos, pois o anseio do coração permanecerá sempre com o homem. E um voto que não foi feito nunca impedirá esse anseio do coração - quer o façamos quer não, nada impede um anseio dum coração. Um anseio do coração sobrepõe-se à dor, à adversidade, às contrariedades, às inconveniências e tudo mais. O mesmo já não poderemos afirmar dos votos. Sirvamos Deus com o coração e não com votos nos quais o coração não se revê.

  1365. Fazer coisas que me agradam, nunca será o mesmo que fazer as coisas só para me agradar. O mesmo se poderá afirmar em relação a Deus: fazer naturalmente as coisas que Lhe agradam não é o mesmo que fazer coisas só para Lhe 'agradar' e dar lustre à figura de hipócritas que fazemos diante d'Ele. "Porque não sei usar de lisonjas; do contrário, em breve me levaria o meu Criador", Jó 32:22.

  1366. Não saber qual a vontade de Deus ou não saber o que fazer, está directamente relacionado com a falta de vontade em fazê-la ou com a incapacidade interior de estarmos rendidos ao Senhor dentro daquilo que Ele quereria que fizéssemos. Tão só nos disponibilizemos inteiramente ao Senhor e Ele nos mostrará - se houver alguma coisa para nos mostrar. Por essa razão, necessitamos orar com a obrigatoriedade de acharmos a vontade de Deus, porque, enquanto oramos, tornamo-nos rendidos a Ele - uma coisa leva à outra e o processo de orar sem desistir (sem cessar), pode levar-nos a uma rendição antes de sabermos qual a Sua vontade e como fazê-la. Neste caso, orar é como prepararmos uma viagem e resolvermos qual será o meio de transporte que usaremos. Sempre que você buscar a vontade de Deus, leve em conta que também precisa dar atenção ao estado do seu coração - precisa disponibilizar-se. "...Para converter os corações (...) a fim de preparar para o Senhor um povo que Lhe esteja disponível", Luc.1:17. Não é apenas você quem precisa saber qual a vontade de Deus, mas, também Deus está querendo e desejando saber se vai tomar posse do seu coração no assunto pelo qual você O busca. Sermos rendidos numa coisa, ensina-nos a sermos rendidos no geral também.

  1367. É possível recebermos a graça de Deus e perdermos a nossa vida. Os que se salvam são aqueles que fazem uso dessa graça exaustivamente. Por essa razão Paulo diz: "Também vos exortamos a que não recebais a graça de Deus em vão", 2Co 6:1. Podemos recebê-la em vão. Para sermos filhos de Deus, não basta recebermos dessa graça, ainda que, sem ela, não consigamos sê-lo. Para além de recebermos dessa graça e a usarmos exaustivamente, devemos saber que, para sermos tornados filhos de Deus, precisamos separar-nos de todo o tipo de pecado. "Pelo que, saí vós do meio deles e separai-vos, diz o Senhor; e não toqueis coisa imunda e eu vos receberei;  e eu serei para vós Pai e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso", 2Co 6:18.

  1368. Quando formos tentados, devemos permanecer na nova vida que somos e não pender para o lado daquilo que a tentação nos quer induzir ou fazer acreditar que somos. Quando o vento sopra para levantar o vestido de uma senhora, ela segura o vestido e não o vento. "Guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa", Apoc.3:11.

  1369. "E quanto a vós, a unção que dele recebestes fica em vós e não tendes necessidade de que alguém vos ensine", 1João 2:27. Quando precisamos que alguém nos ensine alguma coisa, ou a unção não se mantém em nós (ela entra e sai) porque somos inconstantes; ou somos orgulhosos e não somos a pessoa que ouve os outros e Deus obriga-nos a aprender dos outros humilhar-nos. Mas, isso não significa que Deus não ensine pessoalmente. Seja qual for a razão, deverá sempre verificar e rever a sua vida, para ver qual a razão porque Deus não o ensina pessoalmente.

  1370. Muitos querem chegar ao céu sem terem aprendido a viver uma vida santa. Isso seria como alguém querendo e desejando o fim duma coisa sem haver passado pelo inicio dela. Precisamos aprender a viver cá na terra primeiro do jeito que se vive no céu. Se não se torna santo aqui, como vai viver no céu se o jeito de lá é a santidade?

  1371. Cristo liberta-nos para amar e não nos prende para amar e nem nos liberta para sermos amados. Somos libertos para servir a Deus e nunca a nós próprios. "...De conceder-nos que, libertados, O servíssemos sem temor", Luc.1:74.

  1372. Existem grupos de amigos, os quais se entendem entre eles e, por essa razão, andam sempre juntos. Outros são inseparáveis. No pecado também existem agrupamentos de pecados que andam sempre juntos ou que se entendem - outros que são inseparáveis. Por exemplo: fumar e álcool são pecados que necessitam de ser destruídos ao mesmo tempo, pois, se um ficar, o outro será chamado de volta. Outro exemplo: o descanso e o trabalho são amigos inseparáveis e, quem sabe descansar na hora certa, sabe trabalhar no momento que deve. E trabalhar não é ir para o emprego, mas, fazer bem o nosso trabalho. Por outro lado, a ocupação e a preguiça, a preocupação e a obstinação andam sempre juntas também. Podemos juntar a elas a desmotivação, o desleixe, o desplante, a ociosidade - são amigos que se acharão sempre unidos, nem que seja apenas de coração. 

  1373. Um dom que Deus nos dá, é como um violino: precisamos aprender a usá-lo. A maioria dos "dons" usados na "igreja" hoje, são instrumentos musicais que não estão sendo usados correctamente, fazendo apenas barulhos incompreensíveis e desordenados em vez de saírem notas certas e disciplinadas. Foi para isso que os instrumentos foram criados: para fazerem musicas e não para fazerem sons e barulhos. Precisamos de disciplina, de amor pelo instrumento, muito trabalho para sabermos tocá-lo. Com os dons, tudo funciona do mesmo jeito. Também, se Deus nos der uma arma, uma espada, precisamos treinar muito para sabermos usá-la no momento certo e da maneira certa. Se tivermos outra concepção sobre os dons do Espírito, veremos o diabo entrando e sendo ele a distribuir os dons que as pessoas continuarão a pensar que vêm de Deus.

  1374. As pessoas que se estão afogando não vão pedir ajuda à estação do salva-vidas, ou no posto dos bombeiros. Um acidentado não vai ao hospital pedir socorro. São os socorristas que vão salvar essas pessoas no local onde se encontram.

  1375. Desespero não muda ninguém, mas alguém muda o desespero; a incredulidade não muda ninguém, mas, alguém pode mudar a incredulidade.

  1376. No mundo do pecado, existem dois tipos de pessoas que brigam muito: os que se odeiam e os que gostam muito uns dos outros. Os que gostam muito uns dos outros, principalmente se estão numa relação que pode ser abençoada por Deus, podem entrar numa comunhão linda ou num desentendimento continuo. Tudo vai depender se um é egoísta em relação ao outro ou não. E isso também acontecerá em relacionamentos entre casais, entre irmãos, famílias ou entre qualquer tipo de pessoas.

  1377. Desejar as mesmas coisas que Deus deseja, querer tudo aquilo que Deus quer, ainda não será garantia que tudo vai bem. Temos de conseguir fazer aqui na terra como se faz no céu. Um exemplo claro disso é Israel. Deus desejava a Terra prometida e eles também, mas, não deu certo para eles mesmo desejando a mesma coisa que Deus. Quando um casal deseja um filho, quando ambos desejam a mesma coisa, o filho já está criado? Já anda nos caminhos de Deus?

  1378. Muitos perguntam quando é que o mundo irá terminar. Eu não sei. Sou como alguém que não tem relógio e sabe que a noite já vai adiantada. Só não sei quando o sol irá nascer, mas, sei que a noite já vai longa, Heb.13:12.

  1379. Podemos estar julgando medindo as outras pessoas através daquilo que Deus quer de nós e não por aquilo que Deus deseja de quem julgamos. Uma coisa é a vontade de Deus para nós e outra é a vontade de Deus para os outros. Não podemos julgar os que pregam mal quando nós pregamos bem, se o ministério deles é um outro. No dia do Juízo, as avaliações serão feitas mediante a vontade de Deus para cada pessoa. Mesmo que existam questões globais e universais a ter em conta - uma vontade igual para todos - ainda assim, cada um será avaliado pela vontade de Deus para si. Os outros não serão medidos (em muitos aspectos) por aquilo que Deus quer para mim. E quando julgamos algumas pessoas por aquilo que somos ou deveríamos ser, julgaremos a nossa conduta, também, mediante as pessoas que admiramos.

  1380. Todos os que terminam uma coisa são os que começaram. Mas, nem todos aqueles que começam, terminam as suas obras. Importante é terminar tudo o que começamos a fazer - desde que tenha sido iniciado na vontade de Deus.

  1381. Quem tem coração de terminar as obras que Deus lhe confiou, tem coração para desistir das obras que não vieram de Deus. Quem tem coração para levar as suas próprias obras até ao fim, tem tudo para desistir das obras de Deus. Quando se render a Deus, o Senhor apenas aproveitará o coração que tem, aquele que sabe terminar as tarefas que começa.

  1382. Uma das maneiras de assegurar que nunca mais olharemos para trás, é tirar a mentira do coração quando deixamos a mentira para trás; tirar o rancor do coração quando já falamos com o nosso inimigo para nos retratarmos (porque podemos fazer as pazes com ele e manter algumas coisas escondidas no coração); tirar o desejo de possuir pela raiz quando devolvemos aquilo que roubamos; ir mesmo atrás das respostas de Deus sempre, já que deixamos de mentir para nós mesmos afirmando que Deus nos ouve e guia. Não permita que se diga de si, também: "Mas, em seus corações voltaram ao Egipto", Act.7:39. Descubra mais clicando em Deus.

  1383. Quando estamos num barco, indo para um lugar e é quem Deus nos está levando, não podemos sair do barco para buscarmos nosso próprio caminho apenas porque nos sentimos mal no alto mar e, também, sentimos que estamos parados sem fazer nada. Não nos podemos esquecer de duas coisas: se sairmos do barco de Deus, afogamo-nos no mar alto assim que nos cansarmos de nadar - ainda que saibamos nadar; e, se nos dá aquela impressão de que estamos parados, é porque não nos apercebemos (ou não nos queremos aperceber) que o barco está em andamento.

  1384. Quando uma mancha cinzenta cai numa roupa suja, ninguém lhe liga. Mas se cair numa roupa branca como a neve, a pessoa fica inquieta, desapontada e não tira os olhos daquele horror. O mesmo acontece com a alma limpa quando uma pecado vem manchar sua vida. Na alma já suja, a mancha não se nota, enquanto que na alma limpa é um horror. Uma mancha cinzenta no preto, parece mais clara, mas no branco aparecerá como sujidade.

  1385. Tal como a escala pela qual se medem e se sentem os tremores de terra, assim é nossa paz interior: assim que o pecado entra, o coração treme. Infelizmente, o povo já se habituou tanto aos tremores dos seus corações que já não ligam quando treme. Mas, se não ligarmos ao facto da terra treme, o tremor de terra deixará de ser perigoso por isso? Não matará na mesma?

  1386. Sempre que algo não acontece conforme esperávamos que acontecesse, ou a vontade de Deus foi feita ou ela não foi feita. Isto é, raramente a vontade de Deus é feita aqui na terra ou devido ao jeito errado, ou devido aos motivos e objectivos errados. Existem muitas coisas e muitas mais razões para que a vontade de Deus não seja feita. Se as pessoas desejarem conseguir fazer a vontade de Deus, precisam achar os modos, os jeitos, o poder e a vida que existe no céu. Se não for para ser feita como é feita no céu, desse mesmo modo, através do mesmo poder e do mesmo jeito, ela não será feita.

  1387. Uma mulher ciumenta ressente-se muito quando o esposo briga com ela. Mas, ela sente mais sempre que ele não briga, quando não diz nada e não explica nada.

  1388. Temos tão pouco tempo para nos prepararmos para um período tão longo (a eternidade) e muitos gastam a maioria dos seus recursos naquilo que não levarão com eles!

  1389. É possível conhecermos um caminho sem sabermos; sabermos a verdade sem nos darmos conta; descobrirmos sem pensar que achamos. Se isso não fosse possível, Tomé não teria perguntado quem era o caminho quando Jesus disse: "E vós conheceis o caminho", João 14:4.

  1390. "Se não te lavar os pés, não terás parte Comigo", João 13:8; se Pedro perderia a sua herança, a sua parte com Cristo por um orgulho simples de não aceitar que os seus pés fossem lavados, porque acharemos nós que a nossa parte está garantida com coisas iguais ou piores? Muitas pessoas não nos visitam, não aceitam um presente, não nos chateiam apenas porque não querem importunar. Que acontecerá com eles se nunca voltarem atrás em suas atitudes egoístas e não deixarem de ser como bichos do mato, envergonhados, esquivos e rejeitadores? Cristo fala abertamente contra quem se envergonha d'Ele, contra quem rejeita e contra quem se esconde da luz. Sabemos que não importa a maneira que rejeitamos, ou porque razão nos envergonhamos - temos de sair de nosso esconderijo! (Existem muitas formas de rejeitarmos, de nos envergonharmos e nenhuma delas será aceite por Cristo - nenhuma delas passará no teste do dia final).

  1391. "Tendo já o diabo posto no coração de Judas que o traísse...", João 13:2. O diabo foi tentando colocar coisas em Judas e acabou conseguindo. O diabo luta até conseguir. Cabe a nós lutarmos até rejeitarmos de tal forma que saia de nosso coração e que saia de tal maneira que nem exista mais luta quando o diabo tentar "pôr no coração" novamente.

  1392. Jesus disse: "E, se alguém ouvir as minhas palavras e não as guardar, eu não o julgo", João 12:47. Isto não significa que não nos iremos aperceber de que a palavra que falamos ou ouvimos não está sendo guardada ou crida. Só significa que o juízo sobre essa pessoa acontecerá só no final e não agora através de mim.

  1393. "Quem anda nas trevas, não sabe para onde vai", disse Jesus. Isso pode significar que, quem não sabe para onde vai, anda nas trevas e precisa orar e andar na luz que tem enquanto a tem, seja ela pouca ou muita (aprendendo o jeito e acumulando experiências nos tempos de abundância, como José fez no tempo das vacas gordas), João 12:35. Senão o fizer, quando chegarem as trevas, estará perdido e nem terá luz nelas. "Porque tu, Senhor, és a minha candeia; e o Senhor alumiará as minhas trevas", 2Sam. 22:29. Se o Senhor for a nossa luz e nem sentimos aquela necessidade de andarmos por essa razão, recusando ser obedientes estando empancados em alguma teimosia, timidez ou algo semelhante, como é que Ele será nossa luz nas trevas? "Enquanto tendes a luz, crede na luz, para que vos torneis filhos da luz. Havendo Jesus assim falado, retirou-se e escondeu-se deles", João 12:36. Jesus também se irá esconder de você um dia. Está preparado para isso, conseguindo andar com a luz que tem? Precisamos ter a mesma luz quando as trevas se aproximam (como aconteceu com os discípulos depois de Cristo haver partido) e precisamos ter a mesma comida em tempo de vacas magras como aconteceu com José porque creu na palavra que o tirou da prisão e que o transportou para o tempo das vacas gordas. No tempo das vacas gordas, crendo na palavra de Deus, na luz, tornou-se a luz e a comida para os famintos de todo mundo à sua volta.

  1394. Jesus disse:"aquele que me quiser servir, siga-me". Ele não disse, "Aquele que me quiser seguir, sirva-me", João 12:26. Nós não rejeitamos servir Cristo: apenas rejeitamos a ideia de que, servir Cristo, é segui-Lo ou de que, segui-Lo, não é ser capacitado para servi-Lo.

  1395. As nossas almas e nossos corações purificam-se confessando nossos pecados um a um, é certo. Mas, não podemos esquecer que se mantêm limpos através da obediência à verdade e também se limpam através da obediência, sendo que a confissão de pecados é uma obediência. "Já que tendes purificado as vossas almas na obediência à verdade...", 1Ped.1:22. "Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado...", João 15:3. A obediência purifica e abre-nos as portas para acharmos o que obedecer - um passo abre a porta, para que o outro possa ser dado no caminho estreito que se abre. Quem não obedece a uma revelação, a uma chamada de atenção da parte de Deus, a uma palavra de sabedoria, entra num caminho sem saída e todo o seu caminho chegou ao fim.

  1396. Os que não sabem que devem depender inteiramente da graça e buscá-la, (isto é, achá-la porque buscar é pouco), ou acabam por desistir do caminho; ou dão em loucos e entram em desespero; ou, então, tornam-se ateus e descrentes. Os que recebem graça, por sua vez, devem saber que através da graça nada lhes é impossível. "Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente (integralmente) na graça...", 1Ped.1:13.

  1397. Quem pede desculpa da mesma coisa uma e outra vez e não pára com o pecado ou com o erro, está pedindo desculpas para poder continuar errando. O seu pedido de desculpas é um pedido de autorização para continuar a errar porque não quer perder os benefícios duma pessoa perdoada e nem consta na sua agenda parar com o erro para sempre e perder os prazeres do pecado. Pedindo perdão dessa sua maneira, dá uma martelada no cravo e outra na ferradura. Uma pessoa perdoada é como pessoa que nunca pecou - não é como pessoa em liberdade condicional. Melhor seria pedir desculpa depois de parar de pecar - se for reincidente. Mas, ainda existem pessoas normais, aquelas que param de pecar quando pedem perdão.

  1398. O tolo nunca se acha tolo, tal como o sábio nunca se acha sábio. Por essa razão é que o tolo não gosta de ouvir dizer que é tolo e por isso é que o sábio se pode ensoberbecer quando lhe afirmamos que é sábio. A humildade é podermos assumir aquilo que somos, tal qual Jesus assume que é Deus sem que isso O perturbe. No entanto, a maior parte da soberba e do orgulho existe apenas porque as pessoas fazem uma ideia errada delas próprias, seja essa ideia acima ou abaixo da verdade.

  1399. Não devemos ver, apenas, se é a pessoa que nega ou aceita Deus, mas, se é Deus quem nega ou aceita a pessoa também. Por essa razão é que a actual doutrina de "aceitar" Cristo é muito limitada e falsa.

  1400. Quem acha que tentação é pecado, pode vir a achar que pecado é só tentação.

  1401. Somos tentados, muitas vezes, porque queremos e desejamos ser santos e não porque queremos pecar. E, muitas vezes, já nem somos tentados porque já não é necessário sermos tentados para pecarmos. Nunca nos podemos esquecer que é preciso que haja tentação para que uma pessoa criada à imagem de Deus possa cair em pecado. Se somos pecado não seremos tentados - antes cometemos loucura sem que isso nos perturbe.

  1402. Pecado é loucura, é coisa de louco.

  1403. Quem não sabe o que deve saber, torna-se impaciente para saber tudo que não precisa saber ainda. E também arrisca-se a usar meios fraudulentos para chegar ao que não sabe ou não conhece e vai tentar saltar pelo muro em vez de passar pela porta para entrar no redil do conhecimento.

  1404. Qualquer um que arranque o joio do meio do trigo, arrisca-se a arrancar o trigo do meio do joio.

  1405. Uma parte do nosso caminho, a inicial, consiste em parar de pecar. A segunda parte consiste em deixar de amar o pecado e, a falta de hábito de pecar, juntamente com a visão real e realista da nova vida que ocorre precisamente porque deixamos de pecar, ajuda imenso, pois, Deus também está dentro de nós para nos incitar, admoestar, corrigir, encorajar, falar e fazer experimentar tudo aquilo que Ele é. "Os limpos de coração verão Deus", Mat.5:8. Depois, viveremos da nova vida, a qual aprenderemos a amar.

  1406. Preocupado é presunçoso. Não existe um preocupado que não seja presunçoso também. E presunçoso nem sempre se mostra preocupado para poder continuar a presumir. Só se mostrará preocupado se arranjar outra forma de presumir - nem que seja sobre outro assunto em simultâneo. Preocupação é uma paixão: as pessoas não vivem sem ela! Sem ela ficam inactivos, ficam sem saber o que fazer, tornam-se paralisados! E há que viver, há que ser activo sem preocupação - dentro da nova vida, claro.

  1407. Quando Deus diz "aparta-te do mal", Ele simplesmente quer dizer isola-te e vive tua vida como se o mal não existisse quando te molesta. Na verdade, afastarmo-nos do mal significa simplesmente nem sequer sermos levados a pensar mal ou bem dele, não permitir que nossos pensamentos possam ser influenciados, ocupados, perturbados ou distraídos pelo mal. Devemos ser completamente isolados dele e ter uma vida própria independentemente daquilo que o mal faça ou possa fazer. Que seja o mal a ocupar-se com pensamentos acerca do bem e acerca de nós, que sejam eles perseguidos através dos pensamentos que têm sobre nós e sobre aquilo que falamos em tempo útil.

  1408. A dúvida ou é um hábito ou é uma confirmação de perdição. A fé ou é um hábito que não tem fundamento, ou então é uma prova real de que o que se crê é verdade. A fé e a dúvida, podem, por isso, ser fruto real ou então ser hábito fingido e assimilado pelas circunstâncias de cada um.

  1409. Os que crêem da maneira certa, não crêem à toa, tal como os que duvidam, não duvidam apenas por duvidar. Os que duvidam, fazem-no porque podem estar separados da verdade líquida e real. Os que crêem com aquela fé que é provada pela realidade, também sabem no que crêem - e se não sabem, podem vir saber. 

  1410. As pessoas mais inteligentes são precisamente aquelas que sabem que Deus sabe melhor e mais que elas. Por essa razão não desanimam se estiverem limpas e em condições de serem abençoadas por Deus. Deus não fica indiferente: ou abençoa ou amaldiçoa. Para Ele não existe meio termo.

  1411. Sabiam que fruto antes do tempo é uma maldição? Mal.3:11. É que o homem não sabe poupar para usar no tempo certo - só sabe poupar para usar no tempo errado, ou na coisa errada. Se Deus quiser trocar as voltas de um desonesto, mentiroso ou infiel nas coisas de Deus, poderá enviar os gafanhotos para comerem sua colheita ou então bastará dar-lhe seus frutos antes do tempo. Esse homem será o seu próprio gafanhoto, tal e qual foi o filho pródigo.

  1412. A diferença entre o bem e o mal é o seguinte: o mal tem de ser puxado por nós como um cavalo puxa sua carroça - o mal é pesado; o bem, a verdade e o entendimento é que nos levam a nós e que nos puxam com cordas suaves e invisíveis de amor, Os.11:4. No mal aprendemos a ser como jumentos e a agir e reagir como eles. No bem, o nosso principal dilema será deixarmos de ser como jumentos ou deixarmos de ser jumentos. "Instruir-te-ei, e ensinar-te-ei o caminho que deves seguir; aconselhar-te-ei, tendo-te sob a minha vista. Não sejais como o cavalo, nem como a mula, que não têm entendimento e cuja boca precisa de cabresto e freio para que não se atirem a ti", Sal.32:8-9.

  1413. Ninguém poderá presumir do dia de amanhã sem pecar, nem para bem e nem para mal. Existem pessoas que deliram por aquilo que acham bom e que ainda não aconteceu, como existem os profetas do mal que não foi Deus quem pronunciou. Nem o mal e nem o bem podem ser presumidos.

  1414. Existem  aquelas tentações porque estamos com Deus, como existem tentações próprias de quando nos encontramos distantes de Deus. O mesmo poderemos dizer da falta ou da ausência de tentações. O diabo não tenta os caídos de forma a se sentirem mal naquele estado, tal qual Deus dá liberdade e autoria a quem vive com Ele o tempo todo. O único sinal de insatisfação dentro do pecador é o vazio que sente enquanto usufrui e usa ou abusa do pecado, seja ele qual for. Só quando o diabo intervém numa vida santa (e quando lhe permitimos tal veleidade) é que essa vida se torna pesada e só quando Deus intervém (ou os decretos d'Ele como os de Is.57:21) é que uma vida de pecado se torna pesada, seca, vazia e fria. Deus nunca abençoaria o mal e, por essa razão, a vida do mal torna-se pesada e, eventualmente, as suas consequências e frutos insuportáveis, tanto dentro como fora de nós. No entanto, Deus não precisa intervir directamente para que o mal se torne mau e pesado, como o sol não precisa de ser mandado brilhar porque já brilha por decreto. “Não há paz para os ímpios, diz o meu Deus!”, Is.57:21. O mesmo Deus, do mesmo jeito, disse: "Haja luz" e ainda há luz até ao dia de hoje. Também, por essa razão, os ímpios ainda não têm paz dentro de si e nem do lado de fora. E, se a tiverem, será temporária, forjada e falsa.

  1415. Os agricultores sabem esperar e discernir o tempo quando as suas sementes se tornam frutos. Os agricultores espirituais dificilmente distinguem os tempos de semear dos tempos de frutificar. Trocam as estações, estando a semear quando devem colher e colher quando devem semear ou esperar o amadurecimento do fruto. Seria um absurdo um agricultor tentar colher seus os frutos antes do tempo, estragando, assim, toda a sua colheita. Só que ninguém acha absurdo quando um agricultor espiritual começa a arrancar as plantinhas que semeou devido à pressa que tem por causa da sua falta de discernimento. "Portanto, irmãos, sede pacientes até a vinda do Senhor. Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba as primeiras e as últimas chuvas", Tiago 5:7.

  1416. Deus nunca fica indiferente ou inactivo: ou Ele resiste aos soberbos ou dá graça aos humildes, 1Ped.5:5.

  1417. Este mundo está realmente estranho. Hoje, tanto a fé como incredulidade rejeitam milagres porque existem milagres falsos e verdadeiros.

  1418. Os Fariseus acreditavam que havia vida depois da morte e os Saduceus acreditavam que não havia. Os Fariseus estavam certos. Mas, será que só porque estamos certos sobre uma doutrina Jesus nos irá aceitar? Jesus rejeitou os Fariseus que estavam certos como rejeitou os Saduceus que estavam errados. Cuide de sua vida para não acontecer-lhe estar certo e ser rejeitado também.

  1419. Jesus disse: "Basta a cada dia seu mal", Mat.6:34. Mas também poderíamos dizer "basta a cada dia seu bem", pois as pessoas entusiasmam-se tanto com algo de bom que lhes acontece ou que ainda lhes vai acontecer que negligenciam o dia de hoje completamente e pecam por isso.

  1420. As pessoas sob escravatura intensa só crêem por necessidade – por essa razão não crêem de verdade na verdade. Podemos crer numa verdade sem ela tornar-se realidade e sem que a vida do céu possa ser algo natural com a qual se viva de forma contínua. Isso não é crer de verdade. Também se pode crer numa mentira quando ela ainda não se tornou prática real. Isso também evita que a mentira se manifeste como mentira.

  1421. Os Judeus tinham esperança firme no Cristo que viria: "...a esperança da promessa feita por Deus a nossos pais, a qual as nossas doze tribos, servindo a Deus fervorosamente noite e dia, esperam alcançar", Act.26:7. Mas, quand