QUEM SE ATREVE A SER CRENTE SEM DEUS EM SUA VIDA? (SER CRENTE SEM DEUS)
"Eis que o Senhor Deus virá com poder e o Seu braço dominará por Ele; eis que o seu galardão está com Ele e a Sua recompensa diante d'Ele", Is.40:10
"Eis que cedo venho e está Comigo a minha recompensa, para retribuir a cada um segundo a sua obra", Apoc.22:12

Existe uma enorme semelhança entre estes dois versículos. Um diz que "o Senhor Deus virá", o outro "Eis que cedo venho"; um, a "Sua recompensa está diante d'Ele", o outro, que "está Comigo a minha recompensa". Mas a mais significativa, aquela que ressalta à vista são estas palavras "está Comigo a minha recompensa" e "o Seu galardão está com Ele", parecendo que algo igual dentro e fora d'Ele, nunca terão o mesmo valor equitativo. A mesma recompensa sem Ele, não terá o mesmo valor e desempenho que a recompensa com Ele. Faz-me lembrar muito aquelas palavras de nosso amado Senhor: "Quem não é comigo, é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha", Luc.11:23, Mat.12:30. Isto quer dizer simplesmente que podemos nos esforçar em entender a Bíblia, em ser crentes, em ser positivos, em pregar, em ser algo que nos desperte um qualquer sentido de beleza – algo que até achamos ser bom e belo. "Uma voz diz: Clama. Respondi eu: Que hei de clamar? Toda a carne é erva e toda a sua beleza como a flor do campo: seca-se a erva e murcha a flor, soprando nelas o hálito do Senhor", Is.40:6,7. (Esta palavra "beleza", no original significa santidade humana, bondade carente e consequentemente egoísta).

Existem pessoas que se enganam ao ponto de acharem que o mau é bom e que o bom é mau, contra a consciência. Qualquer pessoa que se capacite para achar que o mau é bom, sem duvida achará que o bom é mau também. Mas, existem os tais que conhecem toda a verdade sobre o bem e o mal, os quais, no entanto, sofrem imenso para se segregarem e se juntarem aos santos, os que são santificados de facto. São pessoas com dificuldade em serem santificados e os quais Paulo descreve na primeira pessoa assim: "Pois o que faço, não o entendo; porque o que quero, isso não pratico; mas o que aborreço, isso faço", Rom.7:15. Não fala Paulo dele próprio usando a palavra "eu" aqui, mas descreve com precisão alguém sob a lei do pecado e da morte sob convicção de pecado.

A presença real de Deus em alguém – seja essa pessoa quem for – é a única condição para uma santidade real também, uma aceitável diante dos olhos de Deus. Lemos sobre "eleitos segundo a presciência de Deus Pai, na santificação do Espírito", 1Ped.1:2. Ou ainda, "Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte". Rom.8:2. Qualquer pessoa que se atreva a ser crente sem que Deus em pessoa seja real, presente e fortaleça vida real dentro de si, dirá mais tarde ou mais cedo, caso odeie o pecado, "Pois o que faço, não o entendo; porque o que quero, isso não pratico; mas o que aborreço, isso faço. Quem me livrará deste corpo de morte?" Rom.7:15. E Deus só se manifesta como, a quem e quando Ele quer, pois não se agrada de qualquer um. Você não controla a vontade de Deus. E até que exclame de forma real e verdadeira "Dou graças a Deus, consigo por Jesus Cristo", Rom.7:25, algo de substancial terá ocorrido quanto à visão que tem das coisas que o prendem e de como se libertar delas.

Sem Deus de facto, de forma real, (como Elias disse, "Deus em cuja presença estou!"), nunca existirá beleza que seja bela, santidade que seja santa, milagre que seja considerado milagre, nem mesmo quando se cura alguém duma qualquer enfermidade grave. É sempre pena que entre os meios evangélicos de hoje, ao contrário daquilo que decorria entre os apóstolos (os quais assumiam sempre a que a presença de Deus fosse sempre real antes de se aventurarem em qualquer empreendimento, fosse este grande ou pequeno), se sinta já de longe a ausência daquele Ser incontestável (incontestável quando se manifesta entre Seu povo de forma real). Nem é preciso entrar numa igreja para se saber que são fingidos quando afirmam "Deus está aqui".

Como vai a sua vida, caro amigo? Porque semeia e nunca cresce, porque contesta e é contestado? Porque fala e suas palavras nunca produzem fruto igual ao de Deus, porque investe e ainda dorme sem paz? Porque dorme e não acorda feliz e sossegadamente descansado? Faça o que fizer, creia o meu amigo na verdade ou na mentira, seja anjo ou gente à imagem de Deus, grande como Golias ou pequeno com David, sem Deus em pessoa, caso Ele não seja Emanuel para si também e de facto, tudo aquilo que crê e faz será feito e crido em vão – de nada vale. É de primordial importância, muito acima de crer nas doutrinas correctas, de se estar dentro da igreja certa, de se ler a Bíblia sem rodeios em tempo oportuno, obter a real presença de Deus em tudo aquilo que fazemos. Por que razão disse David a seu filho Salomão, "Levanta-te, pois; mãos à obra"? Sabia que o Senhor estava com ele. O próprio David tinha por experiência (e não apenas por fé!) que "Pois contigo passarei pelo meio dum esquadrão; com o meu Deus transporei um muro", 2Sam.22:30. Sabia que seu próprio filho o iria conseguir também e não porque era seu filho. Lembremo-nos também daquelas palavras de Cristo "Eis que estou convosco". Imagine o que será você ter, então, Cristo consigo. Você "será como a árvore plantada junto às correntes de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria e cuja folha não cai; e tudo quanto fizer prosperará", Sal.1:3. Mas esse fruto será o tal fruto para o qual essa mesma árvore foi feita e nunca um fruto que queiramos que esta dê. Esperar pelo fruto, não é o mesmo que esperar pelo fruto certo no seu tempo certo. Não ache que esperar por fruto é fé, pois, ainda não é.

Temos dois casos flagrantes aqui então. Falamos daqueles que dizem "Deus está aqui" sem saberem que mentem para eles próprios; mas, que será daqueles que dizem que Deus não está, quando está? É claro que existe este dilema também. Quando Deus não está num certo meio onde se afirma "Deus está aqui", o bem que se quer e se busca nunca prospera; as igrejas esvaziam-se ou enchem-se de quem se acomoda a uma vida de mentira e de arrasto espiritual ou até mesmo morte espiritual e "fé" que vive do emocionalismo e do bater dos musicais actuais (por culpa de quem a pastoreia apenas, pois cria e mantém fingidos sob a maldição que crê ser uma bênção). Mas caso dissessem que Deus não está no meio deles, poder-se-ia dar o caso de prosperarem até, na ausência da hipocrisia que Deus amaldiçoou para sempre, como terreno pedregoso onde nada cresce. Crescer em número pode ser um sinal de maldição também, pois Jesus disse: "Onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão os abutres também", Mat.24:28, Sal.73. Assim, caso Deus não esteja onde é assumido e tido como real, logo esse terreno será amaldiçoado sob pena de nunca mais poder frutificar: Deus virá e não achará fruto Seu e amaldiçoará a árvore quando vier de forma real. Mas, que se dará aos que afirmam que Deus não está quando está? Falemos então dos que assumem que Deus nunca está onde está, pois eu acho que os dois tipos de pessoas que analisamos aqui têm um e o mesmo problema: são iguais em sua essência.

Os ímpios sem Deus prosperam, estão habituados a prosperar, sem que nada os faça tropeçar; os justos, caso se achem sem Deus, nunca prosperarão, antes pelo contrário! Por essa razão se dá precisamente o oposto disto quando Deus está entre Seu povo: os ímpios é que vacilam e caem – depois dum certo tempo que lhes será concedido para o seu total arrependimento e restabelecimento em plena santidade – enquanto aqueles que são justos prosperam de tal forma, mas a olhos vistos, em tudo aquilo que fazem e que seja de Deus (desde que se leve em conta que prosperar em Deus nem sempre significa prosperidade nem física, nem material, nem sentimental mas o tipo de prosperidade que Deus quer). Os justos sentem logo que não podem, não têm como prosperar assim que algo se ache entre eles e Deus para os perturbar. Imagine-se, no entanto, a surpresa, o descontentamento, entre aqueles que pensavam que Deus não estava por ali! Assim é glorificado o Pai, em que as árvores saiam boas ou más deste confronto dentro daquela presença real de Deus e onde todos os que são justos de facto possam dar muito fruto e sejam vistos até de longe, como uma cidade iluminada em cima dum certo monte de santidade. Aqui se cumprem as palavras de Deus que diz e afirma: "ateou-se um fogo no meio da congregação; e a chama abrasou os ímpios", Sal.106:18. "Pelo que os pecadores não subsistirão na congregação dos justos", "Os arrogantes não subsistirão diante dos teus olhos", Sal.1:5;5:5. "Decerto os justos louvarão o teu nome; os rectos habitarão na tua presença", Ps.140:13. "Os pecadores de Sião (os crentes ímpios) se assombraram; o tremor apoderou-se dos ímpios. Quem dentre nós pode habitar com o fogo consumidor? Quem dentre nós pode habitar com as labaredas eternas?" Is.33:14.

Busque esta presença e seu pecado morrerá para sempre e "os que vacilam, não mais olharão para trás". Sem esta presença não existirá galardão que subsista, pois aquele que subsiste está "COM ELE"! "Sem Ele, nada do que foi feito se fez", João1:3. É este o seu real desejo? Não o galardão, mas a Sua presença? Ou vai continuar fingindo que está na presença de Deus sem estar? Seus conhecimentos Bíblicos o enganam ao ponto de se afastar de Deus? Sua decisão por Cristo obriga a crer que Deus está consigo? Nem as montanhas ficarão no mesmo lugar quando Deus descer em pessoa. Deseja isto, a custo da sua vida própria e acima de qualquer pecado? "Oh! Se fendesses os céus, e descesses e os montes tremessem na tua presença, como quando o fogo pega em acendalhas e faz ferver a água, para fazeres notório o teu nome aos teus adversários, de sorte que na tua presença tremam as nações! Quando fazias coisas terríveis, que não esperávamos, descias e os montes tremiam na tua presença. Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti, que opera a favor daquele que por ele espera (não pelo galardão, mas por Ele). Tu sais ao encontro daquele que, com alegria, pratica a justiça, daqueles que se lembram de ti nos teus caminhos. Eis que te iraste, porque pecamos; há muito tempo temos estado em pecados; acaso seremos salvos? Pois todos nós somos como o imundo e todas as nossas justiças como trapo da imundície; e todos nós murchamos como a folha e as nossas iniquidades, como o vento, nos arrebatam", Is.64:1-6.

Tudo muda quando Deus está presente de facto – ninguém mais poderá dizer que não pode ser santo e puro, pois a pureza habitará nele por inerência e por ele em Pessoa viva e real. Será a partir daí que nenhuma justiça terá mais como ser como trapo imundo, pois "todas as suas obras são feitas em Deus". Quando Deus descer, ou morre o pecado do pecador, ou morre o pecador do pecado, aquele que nunca quer ser tornado justo (justificado) em Deus. Ninguém mais poderá dizer "acaso seremos salvos?", pois todo aquele que dentro dessas circunstâncias clamar ao Senhor por salvação de todo seu pecado em justiça e não apenas salvação do inferno mantendo seu pecado nele, se a desejar ao ponto de se humilhar até ao pó por causa de todos os seus muitos pecados, será salvo de todos os seus próprios desejos que o mantinham ainda cativos em pecado sem fim. Lemos em Joel 2:32, que depois de se consumar esta real presença de Deus em alguém, ou numa comunidade inteira, que "há de ser que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo; pois no monte Sião e em Jerusalém estarão os que escaparem, como disse o Senhor e entre os sobreviventes aqueles que o Senhor chamar". Mas diz aos que se acham sacerdotes, sendo ou não: "Chorem os sacerdotes, ministros do Senhor, entre o alpendre e o altar e digam: Poupa a teu povo, ó Senhor e não entregues a tua herança ao opróbrio, para que as nações façam escárnio dele. Por que diriam entre os povos: Onde está o seu Deus?" Joel 2:17. Crente não pode arriscar acreditar sem que seja verdade. Temos de crer na Verdade - só! Se o mundo ainda disser, "onde está teu Deus", quem está errado nunca é o mundo, mas antes o crente. Emanuel (Deus connosco) é a promessa do Novo Testamento.

Como está sua vida, crente? A dita presença de Deus em si é real ou é crença? Assume-a ou nem precisa assumir de tão real e evidente que se tornou até para si? Deus não será fingido consigo, mas, afirmar que Ele está consigo não o fará descer. Amem.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com