HOMOSSEXUALISMO FEMININO
"Pelo que Deus os entregou a paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural no que é contrário à natureza; E assim como eles rejeitaram o conhecimento de Deus, Deus, por sua vez, os entregou a um sentimento depravado", Rom.1:26-28

Existem pecados que são o que causa o afastamento de Deus. Mas existe a prática de outros que são uma consequência directa do próprio afastamento de Deus.

Ora, se uma pessoa religiosa se acha perto de Deus não estando, caso seus preceitos religiosos lhe forneçam uma falsa segurança que a empurra para a crença (pois a vida com Deus nunca foi crença mas algo real), resta apenas algo para convencer essa pessoa de seus erros, pois não se convence mais através de argumentos. O que Deus faz é entregar essa pessoa a si mesma e ao pecado para que veja como está errada de forma prática longe de Deus. Essa pessoa cai logo num abismo de engano próprio e ilusão que será a base certa para se enganar sobre muitas outras coisas, incluindo sua própria sexualidade.

A grande maioria da sexualidade pervertida, seja pedofilia, homossexualismo, parceiros vários e variados, gostos por animais e certo tipo de animais, masturbação ou outra anomalia, surge sempre quando a pessoa está entregue a si próprio e, a influência satânica consequente, (que na maioria das vezes passa despercebida do próprio) acha nessa pessoa um alvo fácil e desprotegido para dela fazer o que quer durante anos a fio, programar, tornar instável e manejável a seu bel-prazer, tornar teimosa num só sentido, promíscuo, fechado, aberto ou qualquer outra coisa que o diabo queira fazer. Logo, o caminho para sair dessas condutas será simplesmente achar Deus como ele é e desejar mudar e ser realmente mudado por Deus após havê-Lo achado. Depois existe um longo caminho de reconstruir aquilo que as pragas destruíram e ensinaram a ser.

Qualquer pessoa que se tornou perversa, nunca deseja encarar seu mal como perversão. Nenhum mentiroso gosta de ouvir a palavra mentiroso. Por essa razão tenta a alternativa da aceitação de seu pecado e mal. Mas, perto de Cristo essas coisas precisam ser ouvidas e ouvidas como males horrorosos que são e não de serem escondidas. Então, um esforço da nossa parte deve sempre ser empreendido e manifesto para podermos entender onde nos achamos e de onde Deus nos irá retirar para sempre. Os humanos só conhecem aceitação de pecado ou a sua rejeição sempre que se confrontam com ele. Mas, se sabemos onde estamos e por onde ou como saímos de lá, nosso caminho tornar-se-á bem mais fácil e seguro em todos os sentidos.

Na verdade, nenhum homossexual se aceita a ele mesmo como ele é. Por essa razão luta pela aceitação dos outros, porque sabe que a sociedade sã e que não esteja corrompida o rejeita como anormal. E todo o homossexual acha que já se aceita como acha que é. Mas Cristo rejeita anomalias, sim, mas aceita transformar e tornar gente que deixou de ser bem visto a seus próprios olhos. Mas para isso teremos de olhar de frente para quem somos, como somos e porque somos assim, mas com uma atitude de libertação: "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará".

Os homossexuais ganham, uns mais que os outros e uns com mais tempo que outros, um certo pudor e repulsa deles mesmos pelo mal que acham que os domina ou dominará. Essa será a principal razão porque eles lutam para serem aceites pelos outros: não se aceitam a eles mesmos e tentam resolver seus conflitos interiores sendo aceites por outros. Para todo homem, a opinião de outro homem sempre motivou ou desmotivou, encorajou ou desencorajou e sempre se tornou importante para se guiar e se motivar através daquilo que os outros possam pensar ou achar. Logo, tentam sempre a aceitação exterior, porque isso é um reflexo fiel da luta que se dá em seu próprio interior, isto é, eles querem ser aceites (por fora) porque não se aceitam a eles mesmo como são por dentro.

Mas nenhum homossexual, promíscuo, pedófilo ou outro deve gastar suas energias em se aceitar como é, ou como acha que é, sendo que tal tarefa se torna impensável e impossível de ser alcançada em todo o seu tempo de vida. Todo homossexual vive e sobrevive da teimosia e do engano. Mas vindo a Cristo todos os males de toda a humanidade têm cura e extinção garantida e não aceitação. Cristo aceita a pessoa que se quer liberta ou aquela que se libertou. Ninguém se aceita a ele próprio como é, nem mesmo quem é condicionalmente normal, pois vemos as pessoas sempre a acharem que devem mudar sua aparência e situação em certos aspectos, muitas vezes com a agravante desculpa (para eles próprios) de que precisam angariar a aceitação dos outros. Mas na verdade, trata-se sempre dum conflito interno que se exterioriza. O homossexual é o ponto extremo de certo tipo de adulteração facial das coisas, pois biologicamente a pessoa até funciona de outro jeito e conforme Deus o fez inicialmente. Qualquer perversão é um domínio dum ser dominado por ele mesmo, por uma ideia que ganhou ao longo dos anos, um conceber de ideias sobre si próprio que começam algures no passado distinto e que alguns cientistas afirmam que é defeito de nascença. Mas, mesmo que fosse, Deus tem como mudar (e mudará com certeza garantida), pois foi para nos tornar novas Criaturas que Ele veio à terra – só.

Toda a perversão começa num afastamento de Deus. O próprio afastamento da realidade (e não da ilusão) de Deus já é uma perversão por si mesmo. E todas as perversões agravam-se com a falta de realidade da religiosidade. Todos os que se corrompem isolam-se e fecham-se neles próprios, mesmo entre pessoas. As pessoas que estão bem com seu espírito, até a sós se sentem aconchegadas e acompanhadas e sem falta alguma.

Lemos na Bíblia e vemos em termos práticos e correntes, como em todos os noticiários, que a grande maioria de todos esses males são concebidos e efectivados por seres religiosos e por vezes extremamente religiosos. Isto significa apenas que eles concebem uma ideia, uma religião, uma forma de idolatria e de conceber Deus, a qual Deus abomina de todo e que por essa razão os entrega a eles próprios para se corromperem ainda mais, pois, pregando a moral aos outros se tornam eles próprios extremamente imorais – e se tornam visivelmente imorais. Eles deixaram de ouvir argumentos reais. "Portanto, és inescusável, ó homem, qualquer que sejas, quando julgas, porque te condenas a ti mesmo naquilo em que julgas a outro; pois tu que julgas, praticas o mesmo", Rom.2:1. Um ateu é um ser menos corrupto que um religioso, pois o religioso adultera tanto a imagem do Criador perante homens e mulheres, como a realidade que Deus é. Um solteiro tem menor mal que um adúltero, tanto quanto um ateu tem menor pecado que um religioso. Um religioso torna infantil, promíscuo, rezado, programado, aquilo que só é real e verdadeiro – simplesmente. Deus mais facilmente aceita dialogar com um ateu que encara a realidade de Deus de frente – mesmo que seja avesso a ela – do que um religioso que, através de suas rezas, preconceitos e preceitos religiosos nunca rejeita Deus mas também nunca o aceita como Ele é e pode ser, impedindo que os que estão contra ou a favor de Deus o possam ver como Ele é ainda. "Mas ai de vós hipócritas! Porque fechais aos homens o reino dos céus; pois nem vós entrais, nem deixais entrar aos que entrariam", Mat.23:13. Religioso é o pior inimigo dele próprio, de Deus e de seus familiares mais directos. Um religioso está em relação a Deus, como um homossexual em relação ao sexo: é um pervertido. Um religioso é uma aberração da própria natureza de realidade, é um pervertido espiritual.

A homossexualidade ou a tendência para mulher se sentir atraída por mulher tem vários contornos, mas todos os caminhos vão dar num só mesmo beco sem saída possível. A origem desses problemas (que nem sempre são os mesmos conforme se poderá pensar, pois nenhum pecador é igual ao outro), tem contornos pessoais e gerais também. A causa geral é a pessoa em questão ter vivido uma vida própria desde criança entregue a si mesma sem se saber orientar a nível de pensamento, a qual tem uma personalidade que não sabe ministrar nem administrar devido à sua evidente falta de sabedoria e capacidade de se entender com ela própria: não tem os recursos que acha que tem nela para viver e saber viver. Uma casa entregue às intempéries e males exteriores, sem manutenção, é um exemplo fiel duma pessoa que se torna pervertida e perversa e entregue a ela própria e a tudo que lhe possa vir a acontecer ou não, longe de Deus.

Vemos meninas começarem a olhar para outras meninas, muitas vezes desde a infância, por várias razões. Mas, independentemente da razão, uma menina a olhar para outra menina – quando está entregue a ela própria e sujeita aos demónios com suas influencias e intempéries invisíveis – pode eventualmente ir dar a muito lado. Ela pode ficar contra mulher, obtê-la e tê-la como rival ou inimiga se não rejeitar sua sexualidade (o que também será uma perversão em sentido oposto ou um mero indicio dela) ou pode começar a aceitar e desejar mulher para parceira, pensando e crendo que algumas querem e desejam o mesmo que ela. Ela só vai para onde der o vento que sopra sobre ela, ou para onde ela achar que deve caminhar por seu próprio parecer e através de sua própria tempestade de alma.

Se uma menina, sendo pressionada pelos valores da sociedade onde se acha inserida, se acha feia – ou bonita – ela irá olhar para outras meninas para se equiparar e comparar e com o tempo olhará para as partes intimas delas de forma descontrolada e autoritária, pensará como não deve pensar e também pensará sem ter dentro dela mesma forma de dominar ou controlar seus próprios pensamentos e males que pelas culpas que sente se dilatam e aumentam tanto em volume como em perversidade, males esses que acha que começa a ter ou a obter. Nessa fase e situação, até o bem que traz dentro dela se perverterá e se escravizará a outras tendências de força maior e de maior relevância em seu próprio entender limitado e condicionado por ela própria. Por essa razão lemos que o auto-domínio (aquele que é natural e não forçado e imposto) se torna fruto do Espírito Santo em nós mesmos. Homossexualismo é uma forma de autoritarismo e autoritarismo é a força de quem não consegue dominar nem dominar-se a ele próprio, tal como será a inimizade contra as pessoas do próprio sexo ou de outro sexo e raça. Homossexualismo é teimosia e falta de entendimento que se acha autoritário. Só é autoritário quem acha que não tem autoridade, ou quem não tem autoridade. Um autoritário é um fraco e não um forte.

As pessoas nesse estado de espírito também são pessoas carentes porque não têm seu Criador dentro deles, o sopro que Adão recebeu e do qual sente a falta agora. Essa carência torna-se, muitas vezes, escondida e recôndita, mas extremamente pressionante e pressionada, manifesta e evidente só ao próprio, incansavelmente e sem dias de descanso em todos os anos e momentos de vida. Qualquer pervertido é uma pessoa extremamente solitária entregue a si próprio. A força da perversão torna-se, sem muita contestação, um orgulho que consome interiormente e subtilmente, o qual muitas vezes passa por humildade, pois os pervertidos aprendem a esconder seu próprio orgulho como qualquer outro pecador aprende a esconder qualquer outro pecado e mostrar que é outra coisa através de sua própria forma de esconder. Lemos na Bíblia, no entanto, que a salvação vem através da exposição de tudo quanto somos e fizemos. Tudo começa (e não termina) quando colocamos as coisas na luz.

Poucas pessoas aparentam amar crianças mais que os pedófilos. Poucos parecerão mais simpáticos que os assassinos em série. Qualquer criminoso persistente é uma pessoa extremamente inteligente, a qual aprendeu a desenvolver um tipo de inteligência corrupta, adulterada, concebida para cair na aceitação premeditadamente. Há quem se esconda por detrás das boas obras, da humildade falsa e da humanidade aparente, a qual busca apenas uma coisa que nunca achará nem em si mesmo: aceitação dos outros porque vê nisso uma forma e saída para se aceitar a ele próprio também. Mas, porque nunca se aceita a ele mesmo, qualquer corrupto e corrompido facilmente se torna uma pessoa vingativa também. Todo mal vinga-se sempre no próprio ou pelo próprio, mesmo quando se acha que não. Por essa razão lemos que "vosso pecado recairá sobre vossa própria cabeça". O pecado tem um salário altíssimo em termos de vida: a própria vida interior com Deus.

Todos eles pensam e assumem que a aceitação resolve todos os problemas, mas enganosamente, pois isso é a mentira no seu auge. A aceitação pode resolver aparentemente alguns males, mas não livra nenhuma pessoa de se sentir vazia mesmo quando se acha enganosamente realizada em algo ou através de alguém. O vazio persiste sempre dentro de cada pessoa vazia e bem-aventurados são aqueles que se vêm e se têm como vazios para partirem em busca daquilo que perderam ou acham que lhes falta e desde que vejam que é Cristo e não felicidade aparente – algo que Cristo afirma ser um tesouro sem igual, o qual vale tanto mais que tudo que a terra possa vir a possuir dentro de nós. Por essa razão lemos que "o homem que acha seu tesouro em seu campo (e não no campo da aceitação dos outros, mas em seu próprio) vende tudo para ir comprar o campo onde achou seu tesouro".

Não existe perversão que não seja teimosa, polivalente, obstinada, persistente, carente, materialista ou coisa própria e individual. Mesmo num mal colectivo, temos de levar em conta que um colectivo é sempre um conjunto de indivíduos que concordam e se colocam de acordo sobre algo e em algo. Não existe maior vazio que o abismo de nosso coração sem Deus estar lá de forma real. Mas o orgulhoso achará sempre que sabe e entende melhor. Nunca vi nenhum religioso falar e pensar bem de sua própria religião quando se acha sozinho a falar e a conversar com ele próprio. Na verdade, todo tipo de pecado leva ao afastamento de Deus. Todo pecado religioso, tal como a idolatria e toda a fantasia na igreja, leva qualquer ser a qualquer extremo de corrupção, seja esta interior ou mesmo exterior e isso por força da própria natureza das coisas. Basta só olhar para as igrejas por todo mundo e veremos que aquilo que a Bíblia diz é verdade: religioso será sempre a pessoa com mais e maior défice, com maiores e mais relevantes tendências para a corrupção e perversão. Isso ocorre apenas porque estão entregues a eles próprios pela ira de Deus. Deus quer com isso mostrar ao mundo que nunca se deve ouvir um religioso.

Uma pessoa entregue a ela própria, sendo que a maioria das coisas criadas são as invisíveis – tão invisíveis quanto o ar que respiramos – está sujeita ao que o diabo quiser fazer dela ou com ela. Uma folha seca no chão vai para onde o vento for levá-la. Assim será um religioso afastado de Deus e desprotegido, carregando a Bíblia que o diabo quer desacreditar a qualquer custo. Todo mundo rejeita Deus simplesmente porque os religiosos defendem valores os quais eles próprios tornam desvalorizados e comprometidamente fingidos, programados e reprogramados. Uma sociedade religiosa pode, também, gerar um homossexual ou outro pervertido sem que essa pessoa seja religiosa. Existe uma verdade para além da religião, para além do absolutismo de todo tipo homossexualismo, perversão ou tendência que não se reconcilia com o ser que qualquer pessoa é por dentro e por fora; existe um vazio a preencher logo. Está na hora de achar seu Criador, o fôlego para o qual foi criado e é recriado de novo em Cristo. Se achar Cristo achará seu caminho de volta à normalidade, por longo e difícil que ele seja. Esse será o início do fim de todo tipo de perversão e até de religião. Ninguém permanecerá igual achando-o. "Perguntou-lhe Natanael: Pode haver coisa bem vinda de Nazaré? Disse-lhe Felipe: Vem e vê", João 1:46. Venha e verá por si também. Amem.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com