MENTIRA É JARDIM PARA MORTE CRESCER
"Eis que desejas que a verdade esteja no íntimo; faz-me, pois, conhecer a sabedoria no secreto da minha alma", Salmo 51:6

Há uma única coisa que nunca nos pode faltar: verdade no nosso íntimo, desde o nosso mais profundo ser. Caso isso nos falte, logo tudo o resto nos faltará mais cedo ou mais tarde também, tudo aquilo que nos provem de Deus.

Os crentes confessam todos os seus pecados, um a um, para perdão dos mesmos – mas acima de tudo para que se venha assim a recriar um espírito novo, de verdade no íntimo sobre aquilo que ninguém gostaria de reconhecer como mau diante de ninguém. É frequente as pessoas ganharem muitos complexos e caprichos teimosos ao longo de toda a sua vida – uns porque são ricos, outros porque são pobres; uns porque são pretos, outros porque são brancos; uns porque falam bem e outros mal; uns ainda porque são bonitos, outros porque acham que têm um nariz de leitão. Assim, quando estes complexos deixam de fazer sentido à luz de Deus (porque a única coisa que conta diante d’Ele eternamente é o ser que está escondido dentro da capa que se vê), logo as pessoas deixam de viver mediante os complexos que  criaram para eles mesmos, sejam estes em relação a eles próprios ou não. Mas, por absurdo que nos possa parecer, pessoas já libertas de tais coisas e afazeres mantêm quase sempre essa linguagem dos complexados, na qual estavam sedeados anteriormente. É nestas coisinhas onde as pessoas recriadas mais facilmente resvalam para mal próprio. Por essa razão lemos que "Se alguém não tropeça em palavra, esse é homem perfeito e capaz de refrear também todo o corpo", Tiago 3:2..

É um absurdo, mas o facto é que se fala e brinca do mesmo jeito antigo. O pobre tem medo de dizer que não tem dinheiro – como se fosse o dinheiro que o sustenta dali em diante; o rico, tem medo de dizer que tem dinheiro pelos mesmos motivos. Os motivos e a motivação de se fazerem as coisas muda também mediante o conhecimento das coisas e hábitos antigos de se falar e fazer as coisas. As pessoas foram auto-ensinadas a mentir para que nunca se saiba o que vão fazer, dizer ou comprar. Logo, quando se convertem, estarão a um passo de continuar nessa senda destrutiva, para mal próprio. É daqui que nasce esta palavra, que Deus deseja apenas e tão só verdade no íntimo, de não dizer que se quer ir cortar o cabelo quando se quer ir levantar dinheiro ou vice-versa. As pessoas sentem assim falta de mentir para encobrir algo que já nada de errado tem - a não ser apenas em seu universo, em sua própria cabeça e não porque isso as tenha como ou do que ser protegido.

É um crime para a própria alma viver mentindo por causa de complexos anteriores, quando se pensava que teríamos de mentir sempre como forma de protecção, complexos esses que nunca foram expostos na luz para os qualificarmos - algo que acontece sempre que expostos à luz de Deus e de Seu Espírito. Esse crime é tremendo, pois por essa razão Ananias e Safira estão hoje no inferno sem nunca mais terem como sair de lá. Eles poderiam ter dado todo o seu dinheiro a Pedro para benefício dos pobres, podiam não ter dado nenhum, podiam ainda ter dado metade, ou outra parcialidade que de seu coração entendessem e haver assim mantido suas almas em vida ainda. Poderiam haver chegado a Pedro e dito, "Olha Pedro, vamos dar metade daquilo que vendemos". Mas escolheram mentir, não se sabe bem porquê.  Pedro disse-lhes: “Enquanto o possuías, não era teu? E vendido, não estava o preço em teu poder? Como, pois, formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus.”, Act.5:4-5. Mas resolveram dar a metade e deixar que se tornasse conhecido que haviam dado tudo o que tinham. Ora, Deus nunca suportou um língua mentirosa, quanto mais uma mentirosa e hipócrita! Caíram mortos diante dos pés santificados do Apostolo Pedro. (5) “E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou. E grande temor veio sobre todos os que souberam disto”. Este temor já chegou a si, caro amigo? Ou pensa que Deus mudou desde então? Haverá muitos que não caem logo mortos, mas irão ainda comparecer diante deste mesmo Deus, quer queiram, quer não queiram. O facto de não haverem caído ainda, nunca os isentará de passarem pela ruína breve. Foi este Deus quem disse por Isaías: “não posso suportar a iniquidade”, Is.1:13. Muito menos suportará Ele essa mesma iniquidade, se for a iniquidade dum hipócrita.

Crente, ninguém precisa saber o que faz com seu tempo, com seu dinheiro, com sua alma – mas nunca deixe transparecer que faz uma coisa quando faz outra. Isso é pecado mortal. Não se atreva a tal coisa, pois nunca saberá se tem volta ou não. É muito frequente uma esposa perder o seu marido ou vice-versa apenas porque se tem por santa diante do seu altar de casamento para agradar às pessoas e pastores que lhes assistem na mentira. Ficaria melhor diante de Deus confessarem seu pecado de adultério pré-nupcial, antes de entrarem para um altar que se quer imaculado. Nenhum casamento terá um final feliz quando se mente diante do altar de Deus. Há pecados irreversíveis como os de Davi, que mesmo depois de perdoados acarretam sempre consequências a quem deram uma cara de santo enquanto desfrutavam do seu pecado secretamente. Davi perdeu seu filho feito em pecado; suas mulheres foram violadas em publico porque ele cometeu adultério em privado, escondidamente, ("Por que desprezaste a palavra do Senhor, fazendo o mal diante de seus olhos? A Urias, o heteu, a sua mulher tomaste para ser tua mulher; sim, a ele mataste com a espada dos amonitas. (10) Agora, pois, a espada jamais se apartará da tua casa, porquanto me desprezaste e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para ser tua mulher. (11) Assim diz o Senhor: Eis que suscitarei da tua própria casa o mal sobre ti e tomarei tuas mulheres perante os teus olhos e as darei a teu próximo, o qual se deitará com tuas mulheres à luz deste sol. (12) Pois tu o fizeste em oculto; mas eu farei este negócio perante todo o Israel e à luz do sol", 2 Sam.12:9-12. Alguns anos mais tarde, lemos que “Estenderam, pois, para Absalão uma tenda no terraço; e entrou Absalão às concubinas de seu pai, à vista de todo o Israel”, 2 Samuel 16:22). Estes pecados lhe haviam saído caros, embora perdoados – nunca mais David faria coisa idêntica. Foi aqui que ele escreveu este Salmo 51 de onde extraímos estas palavras: “Eis que desejas que a verdade esteja no íntimo; faz-me, pois, conhecer a sabedoria no secreto da minha alma”, depois de confessar como pecou, porque pecou e contra quem somente. Pecou por falta de verdade em seu íntimo. Poupou a sua vida, mas abateu a de seu filho nascido desta relação. Se Deus ainda é o mesmo, poderá acontecer a mesma coisa ainda. Ámen.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com