E SE EU FOR PERFEITO?
"Apareceu-lhe o Senhor e lhe disse: Eu sou o Deus Todo-Poderoso; anda em minha presença e sê perfeito", Gen.17:1

Que a perfeição é um mandamento, não existem duvidas. Daniel foi perfeito. Que é possível, também não, pois é Deus quem o pede, isto é, comanda porque promete. Se comanda, logo se estabelece que faz parte da totalidade do evangelho. Lemos por exemplo "para que o homem de Deus seja perfeito", 2Tim.3:17. Se seguíssemos o exemplo das muitas pessoas que nos pregam hoje em dia, estaríamos todos às portas do inferno porque, a seu ver, este versículo não diz "para que o homem de Deus seja perfeito", mas sim "para que todo o homem de Deus tente ser perfeito". Fazem como se o mandamento de Deus fosse extra-terrestre, isto é, acrescentam à Sua palavra, sem quererem saber que condenação isto lhes poderá trazer! Ora, Deus não pede algo que não esteja ao nosso alcance normal e natural, pois se a perfeição nos fosse impossível pela fé em Jesus, logo estaria Ele a ser muito incoerente connosco. Era como pedir a um gato que aprendesse a nadar, ou a uma águia que aprendesse a molhar as penas em mergulho para apanhar peixe e mesmo assim continuasse o seu voo perfeito depois de sair da água!

Por alguma razão Deus diz-nos que o "salário de todo o pecado é a morte", pois se é salário será tão só porque andamos e vivemos contrários a nossa natureza original – caso não fosse assim, o inferno seria a coisa mais injusta em toda a criação de Deus. Mas, sendo salário, assumimos que é justo o que recebemos como salário quando vivemos em pecado. Todo salário é justo. Se lermos toda a Bíblia com a atenção que ela nos merece por ser a Palavra de Deus, logo vemos palavras como "pois para isto fostes chamados", ou ainda "para que sejais perfeitos em toda a boa obra", ou mesmo ainda "segui a santificação, sem a qual ninguém verá a Deus". Caso isto estivesse escrito apenas num lugar de toda a Bíblia, teríamos de lhe prestar tanto maior atenção sabendo que todo o evangelho é sempre um tesouro escondido e não fosse Deus esconder todo o seu evangelho assim, dessa forma, para que estivesse vedado aos olhos dos homens escarnecedores, às gerações perversas! Mas, o facto é que encontramos coisas como estas em todos os 66 livros da Bíblia – não consigo pensar em nenhum deles que não fale neste assunto. No entanto, trata-se da coisa mais desprezada em toda a Bíblia por homens alucinados que assumem os púlpitos de hoje com aquela pujante multi-forma de enganar quem os ouve e estes, por sua vez, ouvem apenas porque também querem ouvir aquilo e nada mais – porque lhes convém engrandecer o pecado para seu próprio "benefício". "Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos e, não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas", 2Tim.4:3-4.

É muito frequente ver alguém que segue no encalço  da perfeição ser sumariamente expulso das igrejas evangélicas de hoje, como se dum parasita indesejável se tratasse. Eu fui convidado a nunca mais participar numa santa ceia duma igreja em Lisboa apenas porque pregava que havíamos que ser simplesmente perfeitos diante de Deus. Alegaram contra mim que pregava doutrinas "estranhas" – e "doutrina estranha é pecado e ninguém pode participar na ceia com pecado", disseram! Mas, pouco tempo antes, casaram e comungavam a nível de santa ceia até, com quem tinha sexo ocasional antes do casamento! Não fosse isto um absurdo, não chegaria a falar no assunto, pois nada me leva a divulgá-lo senão a mensagem que trago hoje em meu coração: as pessoas aprovam apenas aquilo que lhes convém dentro de certos parâmetros de instabilidade e tudo aquilo que venha abalar essa sua calmaria aparente é sumariamente banido. E convicção de pecado é um forte abalo em sua paz de mentira. Ninguém pode ter a audácia de dizer aos crentes que eles se devem arrepender! Eles têm é de ter fé que são salvos! Que absurdo é este em que vivemos hoje? As Palavras de Jesus "e Ele salvará o Seu povo dos seus pecados", já não é aplicável nas nossas igrejas, por acharem que nunca é ao Seu povo que Ele veio salvar e redimir, pois uma vez "salvos" sempre estão salvos – de quê não se sabe. Como não deixam averiguar, parecendo que temem ser julgados à luz de quem está de fora, não permitem que se exercite o mais básico, o mais elementar daquilo que devemos fazer para prevenir sermos enganados, sabendo que lidamos com questões de vida e de morte eterna! Jesus disse: "pelos frutos os conhecereis", Paulo diz ainda, "examinai tudo, retende o bem". Mas porque teme alguém que quer ser tido como detentor de toda a verdade, ser investigado? Porque me impedem de obedecer ao Senhor directamente e praticamente? Quem tem medo da polícia? O justo? O ladrão? Que é feito das palavras de quem hoje lisonjeiam sem estar a honrar sequer? "(2) Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens, (3) sendo manifestos como carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne do coração. (4) E é por Cristo que temos tal confiança em Deus", 2Cor.3:2-4. De quem é a carta dos crentes mundanos que vivem nas igrejas de hoje, os quais acham que cortar o cabelo é que é pecado? E porque acham eles que cortar o cabelo é pecado? Não será para se colocarem noutro tipo de batalha, num onde não se elimina aquilo que é verdadeiramente pecado? Não estarão eles envolvidos numa guerra aparente para não cumprirem a real, aquela que Cristo pede deles através da Sua força e pelos Seus meios?

As frequentes questões que nos colocam como argumentos (que nem são Bíblicos e que nem deviam merecer resposta de quem é santo não fosse a alma de quem contesta isto estar na eminência de ser jogada no fogo eterno), são coisas como: "és tu perfeito"? Ou ainda que ser perfeito não é perfeição, pois argumentam que quem diz que não tem pecado, mente. Fazem parecer que perfeição é crime! Dizem que só Deus é santo e que sermos santos tiramos honra a Deus! "Moisés, porém, lhe disse: Tens tu ciúmes por mim? Oxalá que do povo do Senhor todos fossem profetas, que o Senhor pusesse o Seu Espírito sobre eles!" Num 11:29. Mas, se em vez de falar eu vivo em santidade real em tempo real sem constrangimento, torno-me indesejável diante dos crentes e desejável diante de todo o resto do mundo. "Como estes, porém, se opusessem e proferissem injúrias, sacudiu ele as vestes e disse-lhes: O vosso sangue seja sobre a vossa cabeça; eu estou limpo, e desde agora vou para os gentios" – os gentios aceitam, mas nunca os crentes! Act.18:6  "Então Paulo e Barnabé, falando ousadamente, disseram: Era mister que a vós se pregasse em primeiro lugar a palavra de Deus; mas, visto que a rejeitais e não vos julgais dignos da vida eterna, eis que nos viramos para os gentios", Act.13:46. Parece que é crime ser-se honesto, ser-se puro no meio dos crentes, ser-se acima de tudo santo. Todos os crentes desejam e exigem que sejamos honestos para eles, mas nunca suportam uma vida que lhes exija vida igual sem palavras. Mas se por acaso eu vier a ser o homem mais perfeito em cima da terra, se Deus me conceder esse manifesto privilégio de pregar sem palavras ou com palavras partindo duma vida real e incontestável, que o saibam os homens e que vejam claramente, pois assim serei para glória do meu Deus – isto não retira glória a Deus, mas dá. É Ele quem me santifica, quem me purifica. Se o vivo, se o manifesto, glorifico Deus. Que eu seja o homem mais perfeito na face de toda a terra então, diante de todos os homens e mulheres, diante de qualquer homem ou mulher, grandes e pequenos; quem sabe, terei filhos tal qual eu. Amem.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com