FLORES, PLANTAS E JARDINS
"O Senhor te guiará continuamente, te fartará até em lugares áridos e fortificará os teus ossos; serás como um jardim regado e como um manancial cujas águas nunca falham", Is.58:11
  1. Deus quer que sejamos jardins em qualquer tipo de terreno, seja em terra fértil ou no deserto. Acha isso possível? "Senhor, eu te conhecia (…) que ceifas onde não semeaste e recolhes onde não plantaste", Mat.2524. Do mesmo modo, Deus mandou que o homem dominasse qualquer animal quando nenhum homem tem força para dominar um elefante, nem voo para dominar uma ave e nem fôlego para dominar os peixes. Mas, tudo é possível e viável através de Deus – até sermos um jardim nas piores circunstancias que possamos imaginar. Basta que o nosso coração seja só d'Ele. Então, vamos temer este Deus que colhe onde não semeia e tenhamos o cuidado de resplandecer onde não existe luz, de brilhar onde tudo é baço, de obter alegria que não seja falsificada nos lugares onde a tristeza reina facilmente.

  2. Hoje imitam-se muito bem as plantas e as flores. Fazem-se plantas e flores de plástico e de outros materiais. Dão menos trabalho e não necessitam de muitos cuidados. Têm cores vivas e não murcham, mas, também não têm vida. Fazem-se jarras bonitas e colocam-se lá essas coisas coloridas de plástico que chamam de flores. E muitos crentes hoje também desenvolveram técnicas e meios de serem jardins de plástico e de outros materiais e, ainda assim, serem chamados crentes. Constroem-se grandes templos cheios de sorrisos falsos e de pagode. É tudo fingimento e a alegria é superficial. No primeiro problema, no primeiro desentendimento, a corda rebenta sempre do lado de Deus ou do lado da obra d'Ele. Na primeira tentação existe queda, com a primeira mulher que aparece, também vem o adultério. Costuma-se afirmar que a corda rebenta sempre do lado mais fraco. Você é de plástico ou de vida? Qual o seu lado mais fraco? Aquele que está virado para o mundo ou o que está virado para Deus? Isto não significa que devemos ignorar os problemas. Devemos encará-los de frente, muito frontalmente, sem que estes nos alterem o humor, a perspectiva, a visão inicial e nos venham perturbar. Como está sua vida com Deus? Ela é real e os laços são fortes? No primeiro problema sério seu primeiro instinto é pegar na Bíblia com carinho ou lançá-la para longe de si, ignorá-la ou perder a vontade de se aproximar de Deus? "Todavia o povo não se voltou para quem o feriu, nem buscou ao Senhor dos exércitos", Is.9:13.

  3. Até as consciências das pessoas são de plástico, isto é, elas sentem-se mal quando não agradam pessoas ao invés de se sentirem bem com isso. A consciência delas não é viva, é antes torcida. Mas, a parte mais triste é que a maioria dos pastores e dos que dizem estar a trabalhar para Deus cuidam dessas consciências de plástico e recusam a ideia de agradarem somente a Deus. Que triste! Que vergonhoso!

  4. As flores e as plantas de plástico não dão semente, não lutam pela vida, não dão trabalho, não alimentam as abelhas e parecem bonitas. Não morrem, mas, também não vivem. As outras plantas, as reais, dão trabalho, precisam de ser regadas e tratadas, têm inimigos naturais e são atacadas por ervas daninhas. Dá muito trabalho cuidar delas. Mas, o pior de tudo, é que pessoas trocam-nas pelas flores e plantas de plástico precisamente por isso. Já experimentou ficar uma semana ou um mês sem cuidar de um jardim? Que acontecerá se você ficar um dia sem cuidar de seu coração?

  5. "… A árvore da vida no meio do jardim…". A árvore da vida é Cristo. Sabemos disso pela interpretação de outras partes das Escrituras. Cristo está no centro do seu Jardim? "Como o olho sem visão, o molhado sem humidade, o sol sem calor, assim seria o céu sem Cristo". Se o céu será um lugar vazio, morto e abandonado sem Cristo, como pode pensar ainda que você poderá ser o centro do seu jardim? Será que tudo deve girar à sua volta? O que está, realmente, no centro do seu jardim? Seu filho ou filha, seu emprego, sua vontade? Qual é a coisa pela qual mais luta? Por qual se chateia mais facilmente? Cristo pegou no chicote quando vendiam no templo e desonravam a verdade. E você? Chateia-se mais quando defende aqueles direitos que já nem devia ter? Quem é mais importante para si quando vive espontaneamente e em liberdade? Qual a primeira coisa que negligencia quando tudo lhe corre bem? E qual a primeira que critica quando tudo lhe corre mal? Você é realmente um jardim de Deus? Vemos em si as flores da paciência ou da impaciência? Em seu jardim cheiramos o amor e a fragrância de Jesus ou você é de plástico e não exala cheiro nenhum? Vemos em si o amor ou do desprezo? A fé ou o desespero?

  6. Quem cuida de seu Jardim? Você ou Jesus? Porque, se o jardim estiver construído à sua volta, é claro que só pode ser você a cuidar dele! E se é você a cuidar de sua vida egoísta e centrada em si, você cuida dela em nome de Deus ou no seu? Usa o nome de Deus em vão? Seria melhor para si e muito mais honesto acreditar que Deus não está consigo. Assim, não diria às pessoas que Deus cuida de um jardim de plástico! O Seu nome não seria desonrado. "Assim pois, por vossa causa, o nome de Deus é blasfemado…", Rom.2:24.

  7. E se o seu jardim tem mesmo flores vivas e não é de plástico, quem cuida dele? Você ou Jesus? Será que ainda faz as coisas do jeito antigo, usando as armas da carne para cuidar de coisas celestiais que já nascem e que já vivem dentro do seu coração? Será que negligencia as suas flores e seus rebentos do jeito que fazia com flores e plantas de plástico, as quais não precisavam ser regadas, cuidadas e podadas? "…ó Timóteo, guarda o depósito que te foi confiado… Peleja a boa peleja da fé, apodera-te da vida eterna…" "…Guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa", 1 Tim.6:20,12; Apoc.3:11. Cuide bem do seu jardim do jeito que se fazem as coisas no céu, principalmente se Cristo está no centro dele. Amem.

Voltar para Index de Mensagens

José Mateus
zemateus@msn.com